Meu pé de laranja lima

963 visualizações

Publicada em

Ficha de Leitura

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
963
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
295
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meu pé de laranja lima

  1. 1. Autor: José Mauro de Vasconcelos Editora: Livros Dinapress Local de edição: [s.l.] Ano de edição: Janeiro de 2008 Ano de publicação: [s.d.] Período de leitura: Aproximadamente duas semanas Apresentação geral do livro: A história de um rapaz chamado Zezé, um rapaz inteligente, sensível e carente, tinha 5 anos, mas gostava de dizer que tinha 6. Vivia numa casa que não se podia dizer que era pequena, era uma casa de tamanho médio. O seu pai chamava-se Paulo, este estava desempregado, a sua mãe por causa do seu marido estar desempregado trabalhava numa fábrica até tarde. Tinha mais três irmãos o Totoca, Jandira e Glória. Por causa do seu pai estar desempregado, eles foram obrigados a mudarem-se para uma casa mais pequena, onde Zezé conheceu “Minguinho” seu pé de Laranja Lima, que fica a ser o seu melhor e único amigo, ela confidenciava tudo a esta árvore. Como Zezé era muito traquinas constantemente ele levava palmadas, por vezes nem tinha culpa do que acontecia. Zezé tinha 5 anos, mas aprendeu a ler desde muito cedo, por isso foi para a escola mais cedo que o normal. Este rapaz comportava-se muito bem nas aulas, adorava a professora Célia Paím, então levava-lhe flores todos os dias, contavam-lhe que ele era um diabinho mas esta não acreditava. Um dia Zezé ia mais uma vez “pegar uma carona” na traseira do carro, o carro era dum português chamado Manuel Valandarez, este tinha o carro mais bonito Relatório de leitura Ficha técnica do livro
  2. 2. da cidade. O português deu uma palmada no rapaz, este jurou vingar-se. Mas o tempo foi passando e Zezé foi-se esquecendo. Um dia o rapaz ia para a escola e pisou um vidro e fez um corte, mas Zezé continuou a andar para ir para a escola. Enquanto este atravessava a rua o português pediu para ele lhe mostrar o corte, o português decidiu logo leva-lo para o hospital de carro, e fecharam o corte com alguns pontos. Desde ai estes ficaram muito amigos, o Portuga, como Zezé lhe chamava, começou a tratar o menino como um filho. Passavam as tardes todas juntos. Portuga fez com que o menino deixa-se de dizer palavrões. Até ao dia que Zezé recebeu a notícia que o carro do Portuga foi esmagado por um trem, e este não resistiu e morreu. Zezé entrou numa enorme depressão. A sua família não sabia da sua relação com o Portuga, então pensaram que aquela reacção era devido á notícia de seu pé de laranja lima ter de ser cortado. O rapaz deixou de falar, começou a comer pouco, e passava os dias deitado na sua cama e só queria morrer. Com as palavras de Glória, a sua irmã preferida, ele com algumas dificuldades lá conseguiu Zezé voltar á sua vida normal. Citações preferidas: “Mas eu não podia responder. Meus olhos começavam a se encher de lágrimas. Então me deu a loucura enorme, comecei a correr e sem pensar na sala da directora, continuei correndo. Alcancei a rua e me esqueci da Rio -- São Paulo, de tudo. Só queria correr, correr e chegar lá. Meu coração doía mais do que estômago e corri toda a Rua das Casinhas sem parar. Alcancei a Confeitaria e relanceei a vista pelos carros, para ver se Jerônimo não mentira. Mas o nosso carro não se encontrava lá. Soltei um gemido e recomecei a correr. Fui agarrado pelos braços fortes de seu Ladislau.”
  3. 3. José Mauro de Vasconcelos nasceu em Bangu, bairro do Rio de Janeiro, a 26 de Fevereiro de 1920. Filho de família muito pobre. Em 1942 estreou-se com o lançamento do livro “Banana Brava”, em 1945 “Barro Blanco”, o livro seguinte foi “…Longe da Terra” em 1949. Depois de vazante em 1951, vieram “Arara Vermelha” em 1953 e “Arraia de Fogo ” em 1955. Entre muitos outros. Em 1968 lançou um livro “O Meu Pé Laranja Lima”. Depois continuou a lançar muitos livros. José Mauro de Vasconcelos alcançou um grande sucesso, mas nunca deixou o êxito impedir seus contactos com o público. O escritor morreu em São Paulo, a 24 de Junho de 1984. Autor Daniela Pombo 10ºA nº1

×