Os Agentes do Relevo - Geografia

26.394 visualizações

Publicada em

Os Agentes do Relevo - Geografia - Prof.ª Marilete Osmari - E. E. APP

Publicada em: Educação
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
956
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os Agentes do Relevo - Geografia

  1. 1. E. E. Antonio Pinto Pereira Prof.ª Marilete Osmari Os Agentes do Relevo
  2. 2. OS AGENTES DO RELEVO
  3. 3.  O relevo terrestre pode ser definido como o conjunto das formas da crosta terrestre. Ele é resultado da ação de agentes endógenos (internos): vulcanismo e tectonismo e agentes exógenos (externos): intemperismo e a antropocidade (ação humana). Sendo o relevo o resultado da ação interna e externa, este se encontra sempre em estado de mudanças, já que estas ações ocorrem freqüentemente.
  4. 4. PROCESSOS ENDÓGENOS NA FORMAÇÃO DO RELEVO O relevo, além de ser modelado por diversos agentes sofre a ação das forças endógenas, estas podem ser ativas e passivas comandando a formação do relevo através do condicionamento estrutural, tais como terremotos que são anomalias modelando o relevo, vulcanismo, falhamentos e dobras. A força ativa é comandada pela energia do interior da Terra, ela se manifesta pela dinâmica da litosfera através da tectônica de placas, essa força provoca o soerguimento dos continentes (epirogenia) e dobramentos nas bordas dos continentes (orogenia).
  5. 5.  Nos processos de soerguimento da crosta terrestre ou dobramento da borda dos continentes, os blocos rochosos fraturam-se e deslocam- se remodelando o relevo resultando nas “falhas tectônicas”. A força endógena passiva, compreendida pelos diferentes tipos de rochas no relevo como as metamórficas, sedimentares e magmáticas, ela oferece resistência ao desgaste erosivo. ( Figuras 01 e 02).
  6. 6. Figura 01: Proce ssos endógenos da formação do relevoFigura 02: Proce ssos endógenos da formação do relevo
  7. 7. OS PROCESSOS EXÓGENOS DA FORMAÇÃO E ESCULTURAÇÃO DO RELEVO Os processos exógenos são movidos pelo calor solar, que atua na superfície da crosta continental através da atmosfera. Esses processos agem sobre a estrutura das rochas e são responsáveis pela esculturação do relevo. Os processos exógenos são bem complexos, as rochas são moldadas pela ação do ar, da temperatura e da água em todos os seus estados, sólido, líquido e gasoso.
  8. 8.  A meteorização física das rochas se efetua através da fragmentação progressiva das rochas que estão mais expostas à superfície e à ação dos agentes atmosféricos. O principal agente do intemperismo químico é a água da chuva, que infiltra e percola as rochas. A composição química da água em contato com a atmosfera adquire caráter ácido. O intemperismo químico origina-se da decomposição das rochas, mudando a sua composição, como acontece quando a água da chuva dissolve alguns minerais das rochas.(Figuras 03, 04 e 05).
  9. 9. Figura 03: Chapada dos Guimarães
  10. 10. Figura 04: Esculturação do relevo pelo intemperismo na cidade Velha Estado do Paraná.
  11. 11. Figura 05: Chapada dos Veadeiros.
  12. 12. O VULCANISMO  Os vulcões originam-se numa profundidade de aproximadamente 30 a 90 Km da crosta terrestre, na qual existem lagos de rochas fundidas.  O magma está sobre enorme pressão, pois, está circundado por rochas sólidas, estas que por sua vez, sujeitas a movimentação.  Podem abrir fissuras e através dessas fissuras diminuir pressão na bolsa magmática deixando o magma mais fluido fazendo com que penetre nessas fissuras ou também abra caminho por pontos em que as rochas são mais frágeis e chegue a superfície, ou seja, ocorrera o surgimento de um vulcão. O canal aberto para a passagem do magma chama-se chaminé e o local de saída chama-se cratera. A lava e outros detritos são expelidos pelos vulcões e vão formando o cone vulcânico. (Figura 06).
  13. 13. Além da lava os vulcões podem expelir gases que contém substâncias tóxicas. Apartir da solidificação do magma na superfície terrestre que se cria ou modela orelevo.
  14. 14. O HOMEM COMO AGENTE TRANSFORMADOR DA SUPERFÍCIE TERRESTRE A natureza foi posta a serviço do homem para atender as exigências do capitalismo. Aqui, trataremos especificamente das transformações ocorridas no relevo a partir das ações do homem. Ação indireta Um exemplo disso é a Serra do Mar, onde os poluentes emitidos no ar, principalmente pelas indústrias da cidade de Cubatão-SP, provocam chuvas ácidas e esta acaba com a cobertura vegetal da Mata Atlântica local. (Figura 07)
  15. 15.  O mesmo pode ocorrer devido ao desmatamento realizado pelo homem para a extração de madeiras, ou para o cultivo agrícola entre outras práticas. Ação direta O homem altera diretamente a forma do relevo ao abrir estradas, escavar túneis, construções de barragens de rios para usinas hidrelétricas, aterros para construções civis, escavações para atividades de extração mineral etc. Como exemplo de extração mineral pode-se observar a prática do garimpo na Serra Pelada. Outro exemplo lamentável desta agressão à natureza é o Pico do Cauê em Minas Gerais, uma enorme montanha de ferro que sumiu da paisagem em 30 anos de exploração intensiva entre outros. Dessa forma, o homem está sempre (re)construindo o espaço social podendo ser considerado o principal agente externo na transformação do relevo.
  16. 16. RELEVO SUBMARINOPLATAFORMA CONTINENTAL: é a estruturageológica continental abaixo do nível do mar, ondeaparecem as ilhas costeiras, de origem vulcânica outectônica.TALUDE: é o fim do continente, onde há o encontroda crosta continental com a crosta oceânica,chegam a atingir três mil metros.REGIÃO ABISSAL: aparecem abaixo do talude, emzona de encontro de placas tectônicas, sãoencontrados nos maiores oceanos se estendendodesde a borda do talude até a Cordilheira Meso-Oceânica, geralmente entre dois e cinco mil metrosde profundidade.REGIÃO PELÁGICA: é o relevo submarino ondeencontramos depressões, montanhas tectônicase vulcanismo, nessa região aparecem às ilhasoceânicas, pode atingir a seis mil metros.
  17. 17. AS FORMAS DO RELEVO BRASILEIRO O território brasileiro, de modo geral, é constituído de estruturas geológicas muito antigas, mas as formas de relevo são recentes devido ao intemperismo químico e a ação antrópica.
  18. 18. Com o exposto acima, pode-se concluir que, o relevo tanto da superfície terrestrequanto do fundo dos oceanos, é resultado da relação entre os processosendógenos e exógenos e da ação humana.
  19. 19. O papel da estrutura na elaboração do relevo
  20. 20.  Geologia estrutural - caracteriza em arranjos regionais o relevo, considerando-se a multiplicidade dos tipos de feições locais. Os tipos básicos de relevo são as montanhas, que podem ser de modesta altitude e isoladas, quando recebem o nome de colina, morros, ou agrupadas e em maior altitude, constituindo as serras, cordilheiras, maciços, ou chapadas, os planaltos, as planícies. Ocorre a observação da natureza da rocha e o que a constitui.
  21. 21. Dobramento Reologia – é a ciência que estuda o comportamento dos materiais quando submetidos à ação de esforços. As deformações dependem das condições de temperatura e pressão e podem ser de caráter rúptil (ocorre no domínio superficial) ou dúctil (domínio profundo).
  22. 22. Dobramento As dobras são deformações dúcteis que afetam corpos rochosos da crosta terrestre, sendo sua formação associada a estrutura planar pré-existente . As dobras podem ser atectônicas (dinâmica externa) e tectônicas (dinâmica interna). As dobras tectônicas são formadas por dois mecanismos : flambagem e cisalhamento.
  23. 23. Relevo de dobras Anticlinais e sinclinais
  24. 24. Falhamentos As falhas resultam da deformação rúptil nas rochas da crosta terrestre. Apresentam superfície descontinua, com deslocamentos de poucos cm até km. As falhas podem ser do tipo: normal, inversa ou transcorrente.
  25. 25. Falhamentos O relevo oriundo de falha é, em geral, bem estruturado. Promovem reajuste regional da drenagem resultando em padrões retangulares e em treliça. Falhas normais associam-se com a formação de grabens (blocos rebaixados) e horsts (blocos elevados).Ex: grabens do Paraíba do Sul (São Paulo), Recôncavo (Bahia).
  26. 26. Falha transcorrente de San Andreas - CalifórniaVirginia
  27. 27. Tectônica de Placas Surgiu no início do século XX com Alfred Wegener. As placas tectônicas são de natureza continental ou oceânica.
  28. 28. O papel do clima naelaboração do relevo
  29. 29.  O clima exerce influências diretas e indiretas sobre a morfogênese do relevo terrestre. A mudança climática nas paisagens modifica a força e a potencialidade dos processos erosivos. Geomorfologia climática – trata das influências exercidas pelos fatores climáticos sobre o relevo examinando-se o processo de formação dos tipos de relevo, dentro dos sistemas morfogenéticos de relevo, que exercem na sua ação modificadora sobre a paisagem originando os relevos glaciais, os relevos áridos (conseqüentes da falta de chuva, onde com freqüência o vento tem papel ativo no trabalho de erosão), relevos temperados, relevos tropicais, etc.
  30. 30. Relevo glacial Típico de zonas frias onde o principal agente é a erosão glacial na formação do modelado
  31. 31. Relevo temperado Ação de erosão fluvial, ventos e pluvial
  32. 32. Relevo tropical Ação do intemperismo físico e químico.

×