A Carmelita é uma alma que contemplouo Crucificado, que o viu oferecer-se comovítima ao Pai pelas almas, e , recolhendo-se...
Caprichos de criança. Temperamento colérico até os sete anos. Brigou com o Padre com 2 anos por ter “roubado” a sua boneca...
Conversão. Relatos afirmam que aos 7 anos se confessou pela primeira vez e percebeu o  quanto seu temperamento poderia ser...
Festas mundanas e Férias de Verão. Era bem relacionada, viajava bastante para casa das tias aonde tinha  uma vida ativa na...
Obras de Apostolado. Em Dijon dedicou-se os serviços paroquiais: coro e catequese. Catequese infantil, tutoria as comungan...
Primeiras Graças Místicas e Padre Vallée. “Hoje tive a alegria de oferecer ao meu Jesus muitos sacrifícios, para  vencer m...
Seu ideal de Carmelita. Esperou pacientemente por dois anos o consentimento de sua mãe para  entrar para o Carmelo. Sua mã...
Graças sensíveis do Postulado. Deus encaminha aos poucos as almas para as alturas. “Não posso suportar tantas graças.”. É ...
Purificações do Noviciado. Durante um longo ano, Deus irá abandoná-la a si mesma, à impotência,  ao abatimento, às hesitaç...
Vida Profunda. No dia seguinte a profissão,    pôs-se a busca da perfeição, que irá de  sacrifício em sacrifício até a con...
Rumo a União Transformante. Meses depois, grande fadiga se apoderou dela que sem o socorro de   Deus teria sucumbido imedi...
Rumo a União Transformante. “É Ele que age em mim e me consome. Eu me entrego e me abandono a   Ele, sentindo-me, de antem...
Rumo a União Transformante. Enquanto seu físico caminhava para a destruição, a alma cada vez mais   feliz ultrapassada a s...
Rumo a União Transformante. Próxima de sua morte, ditou sua ultima mensagem: “Eis, a meu ver, o  grande dia tão ardentemen...
Ó meus Três, meu Tudo,minha Beatitude, solidãoinfinita, Imensidade emque me perco, entrego-me a Vós como umapresa. Sepulta...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Beata Elisabeth da Trindade

714 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Beata Elisabeth da Trindade

  1. 1. A Carmelita é uma alma que contemplouo Crucificado, que o viu oferecer-se comovítima ao Pai pelas almas, e , recolhendo-se nesta grande visão de caridade deCristo, ela compreendeu a paixão doAmor que domina sua alma e quistambém dar-se como Ele.
  2. 2. Caprichos de criança. Temperamento colérico até os sete anos. Brigou com o Padre com 2 anos por ter “roubado” a sua boneca. Aos três ou quatro anos, trancou-se em um quarto e chutava a porta violentamente. Sua mãe só conseguia repreende-la e ensina-la a vencer-se por amor depois que se acalmava por si só. Com morte do pai, Elisabete percebe que precisa aprender controlar sua fúria. Pecado dominante: tendência a encolerizar-se
  3. 3. Conversão. Relatos afirmam que aos 7 anos se confessou pela primeira vez e percebeu o quanto seu temperamento poderia ser desagradável a quem a rodeava. Luta decididamente contra seus defeitos dominantes: ira e sensibilidade. A dura fase de combate espiritual vai até aos dezoito anos.. Padre da Primeira Comunhão: “Com o temperamento que tem, Elisabete será uma santa ou um demônio.”. Primeira Comunhão: “O Mestre tomou posse total do seu coração”. As pessoas percebiam a sua mudança súbita e profunda. Por vezes, depois da Comunhão ouvia a palavra “Carmelo” e um chamado interior o qual a levou a fazer um voto de virgindade. Namorava o Carmelo de sua sacada
  4. 4. Festas mundanas e Férias de Verão. Era bem relacionada, viajava bastante para casa das tias aonde tinha uma vida ativa na sociedade, bailes, passeios e conquistava muitos amigos. “Nossa estada em Tarbes foi uma longa série de divertimentos: matinées dançantes, musicais, passeios no campo.”. Apesar se enturmar com os jovens, ela sempre se destacava por sua personalidade que exalava Deus. Em um dos relatos em um sarau, um dos meninos tentou corteja-la porem percebeu que “ela não era como as outras garotas”. Sente saudades do Carmelo; Longe dos convidados e amigos sem esforço encontra-se com o Cristo; Férias e mundanismo desaparecem facilmente de seu espírito.
  5. 5. Obras de Apostolado. Em Dijon dedicou-se os serviços paroquiais: coro e catequese. Catequese infantil, tutoria as comungantes retardatárias e assistência às meninas indisciplinadas da fabrica de tabaco e outras obras de beneficência. Dom de Deus para tratar com as crianças, compondo comédia, músicas, danças e histórias em geral; depois de calmos, sentavam-se e começava a leitura. Com tática particular, adapta-se a tudo e a todos
  6. 6. Primeiras Graças Místicas e Padre Vallée. “Hoje tive a alegria de oferecer ao meu Jesus muitos sacrifícios, para vencer meu defeito dominante, mas como eles me custaram! Eu reconheço toda a minha fraqueza. Quando recebo uma observação injusta parece-me sentir o sangue ferver em minhas veias, todo meu ser se revolta! Mas Jesus estava comigo, eu ouvi sua voz no fundo do meu coração e então me senti disposta a suportar por amor Dele.”. O caminho que Deus lhe traça não é o das grandes mortificações dos santos; assim o é no Carmelo; Deus espera outra prova de amor (contrário de minhas vontades).. Só teve consciência dos toques divinos ao ler Santa Teresa de Jesus. Às vésperas de sua entrada no Carmelo, conversava com seu orientador sobre a impressão de ser habitada.
  7. 7. Seu ideal de Carmelita. Esperou pacientemente por dois anos o consentimento de sua mãe para entrar para o Carmelo. Sua mãe percebeu que este era o único desejo de sua filha e não teve mais como impedi-la de partir.. Fisionomia espiritual já revelada no recreio.. Ideal de santidade: viver de amor para morrer de amor; predileção pelo silencio; devoção para com a alma de Jesus; vida interior: sepultar-se no mais profundo da alma para aí encontrar a Deus.. “Vê-o brilhar através de todas as coisas. Eis a vida do Carmelo: viver n’Ele.”
  8. 8. Graças sensíveis do Postulado. Deus encaminha aos poucos as almas para as alturas. “Não posso suportar tantas graças.”. É pelo Tabor que se vai ao Calvário. Passava silenciosa e recolhida pelos claustros e nada podia distraí-la do Cristo. Na sua tomada de hábito, o Senhor também ocupava toda a sua atenção.. É um face a face contínuo; só com o Só.
  9. 9. Purificações do Noviciado. Durante um longo ano, Deus irá abandoná-la a si mesma, à impotência, ao abatimento, às hesitações sobre o próprio futuro.. Nesse período, apegou-se em demasia a uma de suas companheiras. Ao perceber o coração preso, afastou-se sem violência e procurou manter esta amizade em companhia do Senhor.. Nesta situação, adquiriu uma fé mais forte e uma experiência do sofrimento que vai servir-lhe para compreender e consolar outras almas experimentadas por Deus.. “ Compreendi que meu céu começa na terra, o céu na fé, com o sofrimento e a imolação pelo Amado.”
  10. 10. Vida Profunda. No dia seguinte a profissão, pôs-se a busca da perfeição, que irá de sacrifício em sacrifício até a consumação do Calvário. Por vezes, manifestavam-se ainda em seu interior pequenas agitações, porém, ela se acalmava cada vez dia mais.. “A vida da Carmelita é uma comunhão com Deus da manhã até a noite, da noite à manhã. Se Ele não enchesse nossas celas e nossos claustros, como isso seria vazio! Mas nós O vemos em tudo, porque O trazemos em nós e nossa vida é um céu antecipado.”. Era a noviça sempre fiel, toda “escondida em Deus com o Cristo”.
  11. 11. Rumo a União Transformante. Meses depois, grande fadiga se apoderou dela que sem o socorro de Deus teria sucumbido imediatamente.. “Era-me então mais fácil ficar atenta a Deus. Mas depois encontrava de novo minha fraqueza e, sem ser percebida, graças à obscuridade, voltava como podia à cela, apoiando-me muitas vezes à parede.”. Os sintomas da grave moléstia do estomago declararam-se na Quaresma, tendo que se instalar definitivamente na enfermaria depois da festa de São José: “ Eu bem sabia que São José viria me buscar este ano. Ei-lo já a porta!”. Organizou-se em vão uma cruzada de orações, pois o mal progredia.
  12. 12. Rumo a União Transformante. “É Ele que age em mim e me consome. Eu me entrego e me abandono a Ele, sentindo-me, de antemão, feliz por tudo quanto fizer em mim”.. No Domingo de Ramos, uma síncope veio agravar subitamente seu estado; o Padre foi chamado para administrar a unção. As Irmãs esperavam a sua morte, porém no dia seguinte a encontraram de joelhos no pé da cama.. A volta à vida foi uma grande decepção : “Quanto me custaria voltar à terra! Ela me parece tão vil, ao sair do meu belo sonho!”. Sem tardar, compreendeu o plano de Deus: “ Se Deus me restituiu um pouco de vida, só pode ser para sua Glória”.
  13. 13. Rumo a União Transformante. Enquanto seu físico caminhava para a destruição, a alma cada vez mais feliz ultrapassada a si mesma e se esquecia.. Seu desejo era “morrer transformada no Divino Crucificado”. O Calvário é a única estrada que leva à Santíssima Trindade. “ Se o Mestre me desse a escolher entre um êxtase e a morte no abandono do Calvário, escolheria esta última para me assemelhar a Ele”.. Até a ultima semana, ela participou das Laudes noturnas. Enquanto lhe permitiu a sua fraqueza, foi fiel até o fim, às menores observâncias da Ordem.
  14. 14. Rumo a União Transformante. Próxima de sua morte, ditou sua ultima mensagem: “Eis, a meu ver, o grande dia tão ardentemente desejado do encontro com o Esposo unicamente amado, adorado”.. Nove dias de intensa agonia antecederam sua partida no dia 9 de Novembro de 1906.. Suas últimas palavras: “ Vou para a Luz, para o Amor, para a Vida”.
  15. 15. Ó meus Três, meu Tudo,minha Beatitude, solidãoinfinita, Imensidade emque me perco, entrego-me a Vós como umapresa. Sepultai-Vos emmim, para que eu mesepulte em Vós,esperando ir contemplarna Vossa Luz o abismodas Vossas grandezas.

×