Encontro Cearense
de História
da Educação

Encontro Nacional
do Núcleo de História
e Memória da Educação

História
da Educ...
XI Encontro Cearense de História da Educação — ECHE
I Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação — ENHI...
XI Encontro Cearense de História da Educação — ECHE
I Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação
— ENHI...
HISTÓRIA DE VIDA, EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS E A PESQUISA

VIDEO DOCUMENTÁRIO: PRÁTICA CULTURAL E EDUCATIVA NO ENSINO DE HIST...
ESCOLAS DO CAMPO: PRÁTICAS EDUCATIVAS E CULTURAIS

O ENSINO MÉDIO INTEGRADO EM MOSSORÓ-RN

Adrienny Kelly silva Cavalcante...
Grupo de Trabalho 5
Comunicações
Culturas e Práticas Educativas Digitais

TENDÊNCIAS HISTÓRICAS DA AVALIAÇÃO EDUCACIONAL
N...
Grupo de Trabalho 6
Comunicações
Redes e Ambientes Virtuais de Aprendizagem
A PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES NO USO DA EDUCAÇÃO...
Grupo de Trabalho 8
Comunicações
Livros, Leitura e Educação
A HISTÓRIA DO CEARÁ ATRAVÉS DA ICONOGRAFIA DO LIVRO DIDÁTICO

...
EDUCAÇÃO ESPÍRITA: SIGNIFICAÇÃO E INSERÇÃO NO CENÁRIO PEDAGÓGICO BRASILEIRO
Larissa Rogério Bezerra
Francisco Jahannes dos...
ASPECTOS IDENTITÁRIOS DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO IFPB CAMPUS CAJAZEIRAS
Neuziene Garcia Pereira
Antônia Edivaneide d...
ASPECTOS DO ENSINO DA HISTÓRIA E GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA: UM OLHAR SOBRE O P...
PESQUISA DIAGNÓSTICA: PERFIL DOS ALUNOS DO FREITAS NOBRE NO PIBID/GEOGRAFIA

CRIMES CIBERNÉTICOS: AS CONEXÕES ILEGAIS NAS ...
Grupo de Trabalho 10
Pôsteres
Educação, Memória e Sociedade

A EDUCAÇÃO FEMININA NA IDADE MÉDIA
Carla Samile Lima de Sousa...
MUSEU, MEMÓRIA E ENSINO DE HISTÓRIA
Karla Cristine Rodrigues • 2118
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NA BAHIA: GESTÃO EDUCACIONAL, UM ...
29
ISBN
978-85-8126-016-7

A CRIAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR EM FORTALEZA VISTA PELA
IMPRENSA
Sâmia Ketley Guerra Assunção

Aluna...
30
ISBN
978-85-8126-016-7

31
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
32
ISBN
978-85-8126-016-7

33
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
34
ISBN
978-85-8126-016-7

35
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
36
ISBN
978-85-8126-016-7

37
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
38
ISBN
978-85-8126-016-7

39
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
40

41
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

ISBN
978-85-8126-016-7

I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E M...
42
ISBN
978-85-8126-016-7

43
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

ISBN
978-85-8126-016-7

I ENCONTRO NACIONAL DO...
44
ISBN
978-85-8126-016-7

45
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
46
ISBN
978-85-8126-016-7

47
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
48
ISBN
978-85-8126-016-7

49
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
50
ISBN
978-85-8126-016-7

51
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
52
ISBN
978-85-8126-016-7

53
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
54
ISBN
978-85-8126-016-7

55
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
56
ISBN
978-85-8126-016-7

57
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

ISBN
978-85-8126-016-7

I ENCONTRO NACIONAL DO...
58
ISBN
978-85-8126-016-7

59
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
60
ISBN
978-85-8126-016-7

61
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
62
ISBN
978-85-8126-016-7

63
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
64
ISBN
978-85-8126-016-7

65
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEM...
66
ISBN
978-85-8126-016-7

67
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
68
ISBN
978-85-8126-016-7

69
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
I...
70

71
XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

ISBN
978-85-8126-016-7

XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
...
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Historia e memoria (2)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Historia e memoria (2)

4.669 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.669
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historia e memoria (2)

  1. 1. Encontro Cearense de História da Educação Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação História da Educação: real e virtual em debate
  2. 2. XI Encontro Cearense de História da Educação — ECHE I Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação — ENHIME COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO José Gerardo Vasconcelos José Rogério Santana Lia Machado Fiuza Fialho — UFC Helena de Lima Marinho Rodrigues Araújo — UFC Luciana Kellen de Sousa Gomes — UFC COMISSÃO CIENTÍFICA Dr. Charliton José Machado dos Santos — UFPB Dr.ª. Elione Maria Nogueira Diógenes — UFAL Dr. Emanuel Luís Roque Soares — UFRB Dr.ª. Ester Vilas Boas — UNIT Dr. Francisco Ari de Andrade — UFC Dr. Jean Mac Colle Tavares Santos — UERN Dr. José Gerardo Vasconcelos — UFC Dr. José Rogério Santana — UFC Virtual Dr.ª. Lídia Eugênia Cavalcante — UFC Dr. Luis Távora Furtado Ribeiro — UFC Dr. Raimundo Elmo de Paula Vasconcelos Júnior — UECE Dr.ª. Roseane Maria Amorim — UFAL Dr. Rui Martinho Rodrigues — UFC Dr. Wilson Honorato Aragão — UFPB COMISSÃO FINANCEIRA Dijane Maria Rocha Victor José Rogério Santana Lia Machado Fiuza Fialho Lourdes Rafaella Florêncio O R G A N I Z A D O R E S COMISSÃO DE ESTRUTURA Ana Michele da Silva Lima Camila Saraiva de Matos Célia Camelo de Sousa Francisca Karla Botão Aranha COMISSÃO DE MÍDIA Cibelle Amorim Martins Karla Colares Vasconcelos Roberta Lúcia Santos de Oliveira Luiz Afonso Diniz Júnior José Gerardo Vasconcelos José Rogério Santana Lia Machado Fiuza Fialho Lourdes Rafaella Florêncio Roberta Lúcia Santos de Oliveira COMISSÃO DE INSCRIÇÃO E CERTIFICAÇÃO Emanuela Freire de Almeida Tereza Maria da Silva Ferreira Nadja Rinelle Oliveira de Almeida Anderson Pires de Oliveira Lucas Melgaço da Silva COMISSÃO CULTURAL Daniele Barbosa Bezerra Favianni da Silva Robério Sacramento Wagner José Silva de Castro COMISSÃO DE PUBLICAÇÕES José Gerardo Vasconcelos José Rogério Santana Lia Machado Fiuza Fialho Raimundo Elmo de Paula Vasconcelos Júnior Rui Martinho Rodrigues Francisco Ari de Andrade Junior História da Educação: real e virtual em debate Fortaleza 28, 29 e 30 jun/2012 UFC Faculdade de Educação UFC
  3. 3. XI Encontro Cearense de História da Educação — ECHE I Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação — ENHIME © 2012 José Gerardo Vasconcelos, José Rogério Santana, Lia Machado Fiuza Fialho, Lourdes Rafaella Florêncio e Roberta Lúcia Santos de Oliveira (Orgs.) Impresso no Brasil / Printed in Brazil Efetuado depósito legal na Biblioteca Nacional TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Faculdade de Educação Rua Waldery Uchoa, No 1, Benfica — CEP: 60.020-110 Grupo de Trabalho 1 Comunicações Instituições e Cultura Escolar A CRIAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR EM FORTALEZA VISTA PELA IMPRENSA Sâmia Ketley Guerra Assunção Projeto Gráfico e Capa carlosalberto.adantas@gmail.com Aline Pinheiro de Sousa • 29 A PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM André Luíz Lorenzoni • 43 UMA EXPERIÊNCIA, UMA PESQUISA: ANÁLISE NA E.E.E.P DE SENADOR POMPEU/CE Lucas Pereira de Oliveira • 57 Maria Elcelane de Oliveira Linhares • 57 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Bibliotecária: Regina Célia Paiva da Silva CRB – 1051 E 56 Encontro Cearense de Historia da Educação, XI; Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação, I. (28-30 jun.: 2012: Fortaleza, CE). História da educação: real e virtual em debate. Vasconcelos, José Gerardo; Santana, José Rogério; Fialho, Lia Machado Fiuza; Florêncio, Lourdes Rafaella; Oliveira, Roberta Lúcia Santos de (Orgs). – Fortaleza: Imprece, 2012. 2123 p.il: Obra completa em CD-ROM. Inclui trabalhos de Comunicações e Pôsteres para o XI Encontro Cearense de História da Educação — ECHE e para o I Encontro Nacional do Núcleo de História e Memória da Educação — ENHIME. ISBN: 978-85-8126-016-7 autores. Vários 1. História da Educação - Encontro 2. Políticas Educacionais. I. Título. CDD: 370.981 O MODELO ESCOLAR DO COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS EM ASSÚ/RN (1927) Silvia Helena de Sá Leitão Morais Freire Maria Antonia Teixeira da Costa • 73 ENSINAR, APRENDER E SER PROFESSOR PARA EDUCADORES POTIGUARES Maria Antônia Teixeira da Costa • 88 ESCOLAS DE PRIMEIRAS LETRAS NA PROVÍNCIA DO CEARÁ (1827-1837) Vitória Chérida Costa Freire Maria Nahir Batista Ferreira • 99 GINÁSIO SOBRALENSE E COLÉGIO SANTANA: A EDUCAÇÃO MASCULINA E FEMININA Aline Monteiro Alves • 112 REFLEXÕES SOBRE O CONHECIMENTO ESCOLAR E A DIDÁTICA Francisca Natália da Silva Williany Tavares dos Santos • 130 HISTÓRIA DE INSTITUIÇÕES ESCOLARES EM FORTALEZA NO IMPÉRIO (1845 A 1886) Karolynne Barrozo de Paula Antônio Germano Magalhães Junior • 142
  4. 4. HISTÓRIA DE VIDA, EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS E A PESQUISA VIDEO DOCUMENTÁRIO: PRÁTICA CULTURAL E EDUCATIVA NO ENSINO DE HISTÓRIA Maria Aparecida Lima Silva • 154 Márcio Regis Fernandes ILUMINISMO E SUAS IDEIAS NO PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO Adriano Cecatto • 314 Wendel Alves Sales de Macedo OS RECURSOS DIDÁTICOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA PRÁTICA EDUCATIVA DIFERENCIADA Neusiana Vieira Fernandes • 170 Lília Kênia Galvão Silva LIBERALISMO, EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE Ana Paula Marinho de Lima • 331 Maria Leuça Teixeira Duarte BREVE EXPERIÊNCIA DA PRÁTICA PEDAGÓGICA PROGRAMADA: RELACIONANDO TEORIA E PRÁTICA Emanuel Freitas da Silva • 185 Luana Thainá Dantas Alves Cardoso MODERNIZAÇÃO E EDUCAÇÃO: A FORMAÇÃO DAS PROFESSORAS PRIMÁRIAS E A ESCOLA Maria Jessica Danielly de Lima • 344 NORMAL CEARENSE (1930-1950) ENSINO MÉDIO INOVADOR: DESAFIOS E POSSIBILIDADES PARA AS ESCOLAS DE MOSSORÓ RN Ana Michele da Silva Lima Dayse Medeiros de Sousa Helena de Lima Marinho Rodrigues Araújo • 201 Jean Mac Cole Tavares Santos • 356 O MUSEU HISTÓRICO ESCOLAR GUSTAVO BARROSO, DO COLÉGIO MILITAR DE FORTALEZA ENSINO PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO NO IMPÉRIO ALAGOANO Regina Cláudia Oliveira da Silva • 212 Fabrícia Carla de Albuquerque Silva OS DISCURSOS SOBRE O URBANO JUAZEIRENSE FEITOS PELO ICVC (1974-1985) Elione Maria Nogueira Diógenes • 374 Assis Daniel Gomes • 230 EXPERIÊNCIAS DOCENTES NA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO ALMIR PINTO (ARACOIABA-CE) REFLEXÕES SOBRE MODA NO CAMPO DA EDUCAÇÃO: UNIFORME ESCOLAR Rycardo Wylles Pinheiro Nogueira • 387 Dijane Maria Rocha Víctor • 246 MEMÓRIA E AFRODESCENDÊNCIA EM DEBATE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA SABERES E PRÁTICAS NO COTIDIANO ESCOLAR DO MOBRAL: A MEMÓRIA DAS PROFESSORAS Cícero Joaquim dos Santos • 402 Luciana Kellen de Souza Gomes • 261 INICIAÇÃO CIENTÍFICA NUMA IES PARTICULAR DE FORTALEZA A SORTE DOS DESVALIDOS: ATENDIMENTO MÉDICO E SOCIAL DA INFÂNCIA NO PARÁ DA Raquel Figueiredo Barretto • 419 BELLE ÉPOQUE (1912) CONSTITUIÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS: CONTRIBUIÇÕES DOS PRIMEIROS FORMADORES Laura Maria Silva Araújo Alves • 277 NO ESTADO DO CEARÁ Grupo de Trabalho 2 Comunicações Práticas Culturais e Educativas A PRÁTICA CULTURAL DAS QUEIMADAS NA AGROPECUÁRIA COMO FOMENTO EDUCATIVO NOS SERTÕES DOS INHAMUNS Cristiane e Castro Feitosa Melo • 297 Bruna Marques de Oliveira Renata Sampaio de Hollanda • 433 EDUCAÇÃO E TV: A INFLUÊNCIA DA MÍDIA PARA FORMAÇÃO CULTURAL DA CRIANÇA Lorena Cordeiro Rodrigues Aline Barbosa Santana • 444 EDUCAÇÃO E AUTONOMIA: PRINCÍPIOS PARA EMANCIPAÇÃO Joacy Santos Malta • 457
  5. 5. ESCOLAS DO CAMPO: PRÁTICAS EDUCATIVAS E CULTURAIS O ENSINO MÉDIO INTEGRADO EM MOSSORÓ-RN Adrienny Kelly silva Cavalcante Erika Roberta Silva de Lima Camila dos Santos Rocha • 472 Jean Mac Cole Tavares Santos • 615 ESTUDOS SÓCIO-HISTÓRICOS E CULTURAIS E O DOCENTE DE MÚSICA Grupo de Trabalho 3 Comunicações Biografias e Intelectuais da Educação Renata dos Santos de Oliveira Marcos Antônio Martins Lima • 483 RELAÇÃO FAMILIAR E AFETIVIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DA APRENDIZAGEM Liduína Lopes Alves Gabrielle Silva Marinho • 494 PRÁTICA EDUCATIVA E DESENVOLVIMENTO DA PSICOMOTRICIDADE EM CRIANÇAS Marília Cordeiro Aragão • 508 Marcus Vinícius de Carvalho Botelho • 508 O ENSINO DE FILOSOFIA COMO EXPERIÊNCIA FILOSÓFICA Jociel Nunes Vieira Rosemare dos Santos Pereira • 522 O JOGO COMO PROCESSO CRIATIVO E ESPONTÂNEO PARA O ATO DE APRENDER Carla Dornelles da Silva Ana Paula Vasconcelos de Oliveira Tahim • 534 PROBLEMATIZAÇÕES: ENSINO DE FILOSOFIA Paulo Deimison Brito dos Santos • 549 PRÁTICAS EDUCATIVAS DE PREVENÇÃO E COMBATE À VIOLÊNCIA NA ESCOLA Paula Janaína Meneses Rodrigues Jean Mac Cole Tavares Santos • 559 AVALIANDO AS IDEIAS DE JOHN DEWEY INTRODUZIDAS NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA Eimard Gomes Antunes do Nascimento Antônia Bruna da Silva • 633 CONFIGURAÇÃO DO PRAGMATISMO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: IDEIAS DE ANÍSIO TEIXEIRA Eimard Gomes Antunes do Nascimento Antônia Bruna da Silva • 647 FILOMENA MACHADO TEIXEIRA: VIDA DEDICADA À EDUCAÇÃO CAXIENSE Salânia Maria Barbosa Melo • 660 A BIOGRAFIA COMO LINHA DE PESQUISA EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: PROCESSO METODOLÓGICO Karla Colares Vasconcelos Milton Colares Cornélio • 671 O ESCOLANOVISMO DE JOÃO CRAVEIRO COSTA Iane Campos Martins Elione Maria Nogueira Diógenes • 683 PRÁTICAS AVALIATIVAS NA HISTÓRIA DAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS NO BRASIL BREVES NOTAS AUTOBIOGRÁFICAS DO CEARENSE FUNDADOR DA MUSEOLOGIA NO BRASIL Maria de Lourdes da Silva Neta Regina Cláudia Oliveira da Silva • 701 Antonio Germano Magalhães Junior • 572 DISCURSOS DE FILGUEIRAS LIMA PARA AS NORMALISTAS DO COLÉGIO LOURENÇO FILHO PRÁXIS EDUCOMUNICATIVA: DIALOGIDADE E ECOSSISTEMA COMUNICATIVO Dayana Bezerra Camila Paula Silvestre Maria Isabel Filgueiras Lima Ciasca • 719 Jean Mac Cole Tavares Santos • 586 A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA DÉCADA DE 30 A PARTIR DOS DISCURSOS DE FILGUEIRAS LIMA SOBRAL: A CULTURA E AS PRÁTICAS ESCOLARES Aline Gomes da Costa Aline Monteiro Alves • 598 Maria Isabel Filgueiras Lima Ciasca • 729
  6. 6. Grupo de Trabalho 5 Comunicações Culturas e Práticas Educativas Digitais TENDÊNCIAS HISTÓRICAS DA AVALIAÇÃO EDUCACIONAL Naiola Paiva de Miranda Lucas Melgaço da Silva • 740 ALGUNS TEMAS PEDAGÓGICOS NA OBRA DE GILBERTO FREYRE Emanuel Freitas da Silva Ana Paula dos Santos Lima • 753 Grupo de Trabalho 4 Comunicações Fontes e Métodos para Pesquisa Científica CONTEXTO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O ENSINO MÉDIO: DESENVOLVENDO PESQUISA Maria de Fátima da Silva Melo Maria Kélia da Silva • 772 O REGULAMENTO DE 1889 E A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR NO EXÉRCITO BRASILEIRO Janote Pires Marques • 786 AS BASES DE DADOS COMO FONTES DE INFORMAÇÃO Denyse Maria Borges Paes • Maria Naires Alves de Souza • 803 ASPECTOS LEGAIS E NORMATIVOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: UMA POSSIBILIDADE PARA UMA NARRATIVA HISTÓRICA Correia Lima, Jeimes Mazza • 815 HISTÓRIA E MEMÓRIA DA ENFERMAGEM: UTILIZANDO-SE DA HISTÓRIA ORAL Emanoela Therezinha Bessa Mendes Silvia Maria Nóbrega-Therrien • 828 ANÁLISE DO PROCESSO DE FORMAÇÃO DOS GESTORES DO PROJETO @NAVE Brena Samyly Sampaio de Paula Zayra Barbosa Costa • 849 PRÁTICAS EDUCATIVAS E AS FONTES HISTÓRICAS DIGITAIS: UMA REFLEXÃO SOBRE OS RECURSOS DIGITAIS NA NOOSFERA Karla Colares Vasconcelos • Ricardo Maia Sanford Frota • 859 NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA: O USO DO GOOGLE MAPS Magállia Farkath de Paiva Torres Otoniel Fernandes da Silva Júnior • 872 FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO CEARENSE NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO: DIALÉTICAS CURRICULARES Marielle Barros de Moraes • 883 O CINEMA E SUA RELAÇÃO COM O COTIDIANO ESCOLAR Antônia Natália de Lima • 900 CIBERESPAÇO E TERRITORIALIDADES: OLHAR GEOGRÁFICO DA MUSICA PELA INTERNET Maria Raquel Silva Pinheiro • Cassia Maria Dos Santos Costa • 918 REFLEXÕES SOBRE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DIGITAL Maria Aparecida da Silva Florêncio Lourena Maria Domingos da Silva • 929 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DOCENTES COM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA — EAD Maria das Graças de Araújo • 944
  7. 7. Grupo de Trabalho 6 Comunicações Redes e Ambientes Virtuais de Aprendizagem A PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES NO USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA Maria Nahir Batista Ferreira Maria de Lourdes da Silva Neta • 963 AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM: EAD E SUA HISTORIA Maria Giselle Pereira Leal Maria Euzene Rodrigues • 981 AMBIENTES VIRTUAIS NAPERCEPÇÃO DE ALUNOS MATRICULADOS EM DISCIPLINAS ONLINE Juliana da Silva Dias • 993 PRÁTICAS EDUCATIVAS DIGITAIS NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA José Rogério Santana Larisse Barreira de Macêdo Santiago • 1007 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: REFLEXÕES SOBRE A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Lourena Maria Domingos da Silva Raianny Lima Soares • 1023 AUDIODESCRIÇÃO NA PUBLICIDADE: PLATAFORMA DE INCLUSÃO PARA DEFICIENTES AUDIOVISUAIS Lúcio Ricarte Serra Júnior • 1039 MÃE, O VOVÔ TEM FACEBOOK !!!!!!! Roberta Lúcia Santos de Oliveira Dijane Maria Rocha Víctor • 1053 AS REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTAS EDUCACIONAIS NA PERSPECTIVA PARADIGMÁTICA EMERGENTE Elias Alexandre Junior • 1067 ESTUDOS SÓCIO-HISTÓRICOS E CULTURAIS: NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Renata dos Santos de Oliveira Rebecca Cristina Silva Oliveira • 1082 REDES SOCIAIS COMO INSTRUMENTO DE EMPODERAMENTO PARA NEGROS/AS E INDÍGENAS Maria Selma Teotônio de Oliveira • 1092 Wilson Honorato Aragão • 1092 O ENSINO-APRENDIZAGEM DA LITERATURA NA ERA DIGITAL Gilvaneide de Sousa Santos • 1108 Grupo de Trabalho 7 Comunicações Arte, Gênero e Literatura HISTÓRIA E LITERATURA CEARENSE: INDICAÇÕES DIDÁTICAS NUMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR PARA O ENSINO FUNDAMENTAL Ana Carolina Cardoso Avelino Nívea da Silva Sales • 1125 REVISTAS EM QUADRINHOS E HISTÓRIA: WATCHMEN NA SALA DE AULA Nathan Pereira Barbosa • 1145 CENTRO CULTURAL DRAGÃO DO MAR E OS GLBTT’S Karine Monteiro Rebouças Maria Raquel Silva Pinheiro • 1155 FANTÁSTICO MARAVILHOSO: FÉ, PROTEÇÃO E REDENÇÃO NO CONTO “O DEFUNTO” Isabel Lima Rodrigues da Silva • 1168 HISTÓRIA DO DESENHO ANIMADO E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO INFANTIL Larissa Rogério Bezerra • 1182 PAÍS DA DIVERSIDADE: A MULHER BRASILEIRA EM TELAS Norma Maria de Lima • 1196
  8. 8. Grupo de Trabalho 8 Comunicações Livros, Leitura e Educação A HISTÓRIA DO CEARÁ ATRAVÉS DA ICONOGRAFIA DO LIVRO DIDÁTICO Grupo de Trabalho 9 Comunicações Educação, Etnia e Religiosidade A SINGULARIDADE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: A EMERGÊNCIA DA DISCUSSÃO Antônia Natália de Lima • 1213 ÉTNICA NOS ESPAÇOS EDUCACIONAIS TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO LIVRO DIDÁTICO VOLTADO PARA ESCOLA DO CAMPO Meire Fava • 1363 Kamila Karine dos S. Wanderley A FORMAÇÃO TECNICISTA E AS CRITICAS FREIRIANAS A ESTE MODELO EDUCACIONAL Bruno Henrique da Oliveira Timbo • 1230 Uilson de Almeida Bittencourt • 1380 LIVRO DIDÁTICO EM FOCO: ENTRE IMAGENS, TEXTOS E O ENSINO DE HISTÓRIA A LINGUAGEM ARTÍSTICA RELIGIOSA INFLUENCIANDO NO PROCESSO EDUCACIONAL Luciana Maria P. Fernandes Cleane Marcelino de Souza Geyska Brito de Almeida • 1240 Roberya Viana de Barros • 1392 A QUALIDADE DE EDUCAÇÃO QUE TEMOS E A QUE QUEREMOS A MISIGENAÇÃO RACIAL NO BRASIL: A CONSTRUÇÃO DE UM RACISMO MASCARADO Ana Paula Marinho de Lima Aline Santos Ferreira Maria de Fátima da Silva Melo • 1256 Dyane Brito Reis • 1405 A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NA FORMAÇÃO EDUCACIONAL: O CASO SIMBE A INFLUÊNCIA DA RELIGIÃO NO RECURSO HUMANO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE FORTALEZA Denyse Maria Borges Paes Célia Camelo de Sousa • 1420 Zenídia de Paula Moreira Nobre • 1269 DA GRADUAÇÃO AO COTIDIANO ESCOLAR: ALGUMAS REFLEXÕES EDUCAÇÃO E CIDADANIA NO LIVRO DIDÁTICO DA EJA Taís Haney Araújo Ferreira Eliacy dos Santos Saboya Nobre • 1284 Michelle Juliane Ferreira Oliveira • 1436 ESCRIPTA RUDIMENTAR: LIVRO DIDÁTICO E MÉTODO DE ENSINO (1911) AS INFLUÊNCIAS CULTURAIS BRASILEIRAS NA PRÁTICA DO ESPIRITISMO NO BRASIL Ana Caroline Neres Castro Licar • 1300 Reginauro Sousa Nascimento LEITURA: UM INSTRUMENTO DE FORMAÇÃO SOCIAL Maria Neurilane Viana Nogueira • 1447 Cleane Marcelino de Souza EDUCAÇÃO JESUÍTICA E SUAS IMPLICAÇÕES NAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA ATUALIDADE Roberya Viana de Barros • 1315 Juliana Pimentel Fernandes AS “ESTÓRIAS” NAS AULAS DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA Vivianne Souza de Oliveira • 1465 Francisco Eduardo Ribeiro Rodrigues • 1329 A ESPIRITUALIDADE FRANCISCANA: SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A EDUCAÇÃO TRABALHO INFANTIL E EDUCAÇÃO: O QUE DIZEM OS LIVROS DIDÁTICOS? Thirza Maria Bezerra Bindá Eliacy dos Santos Saboya Nobre • 1342 Alexandre Gonçalves Frota • 1475
  9. 9. EDUCAÇÃO ESPÍRITA: SIGNIFICAÇÃO E INSERÇÃO NO CENÁRIO PEDAGÓGICO BRASILEIRO Larissa Rogério Bezerra Francisco Jahannes dos Santos Rodrigues • 1492 FORMAÇÃO E IMPORTÂNCIA DO TEATRO EXPERIMENTAL DO NEGRO (TEN) NA CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE NEGRA Eli Bispo dos Santos Dyane Reis Brito Santos • 1508 HISTÓRIAS DOS MOVIMENTOS NEGROS NO BRASIL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES INICIAIS Roseane Maria de Amorim • 1520 A CONSTRUÇÃO SOCIAL DA MACUMBA CEARENSE: PERSEGUIÇÃO E RESISTÊNCIA Linconly Jesus Alencar Pereira • Maria Zelma de Araújo Madeira • 1540 FILOSOFIA, CULTURA E ANCESTRALIDADE Paulo Deimison Brito dos Santos Emanoel Luís Roque Soares • 1554 QUILOMBO DE ALTO ALEGRE COMO PARTE DOS MOVIMENTOS SOCIAIS NEGROS Marlene Pereira dos Santos • 1569 RACIONALIDADE E GESTÃO EM ESCOLAS CONFESSIONAIS CATÓLICAS: REFLEXÕES PARA UMA AGENDA DE PESQUISA Meire Fava Rene Eugenio Seifert • 1591 RELIGIOSIDADE AFRO-BRASILEIRA JUNTO A CRIANÇAS: UMA EXPERIÊNCIA DE PESQUISA Geranilde Costa e Silva • 1608 AS RELIGIOSAS VICENTINAS E O ENSINO DE ENFERMAGEM NO CEARÁ Emanoela Therezinha Bessa Mendes Silvia Maria Nóbrega-Therrien • 1625 Grupo de Trabalho 10 Comunicações Educação, Memória e Sociedade A MEMÓRIA DOS CONFLITOS TERRITORIAIS ENTRE FAMÍLIAS NA CONSTRUÇÃO DA SOCIEDADE NOS SERTÕES DOS INHAMUNS Cristiane e Castro Feitosa Melo • 1644 HISTÓRIA, MEMÓRIA, ENSINO E CULTURA PATRIMONIAL: UM DIÁLOGO PERMANENTE Maria Elcelane de Oliveira Linhares Lucas Pereira de Oliveira • 1660 FISIOTERAPIA: HISTÓRIA E EDUCAÇÃO Cristine Brandenburg Aline Barbosa Teixeira Martins • 1674 A MEMÓRIA COMO ELEMENTO DE INVESTIGAÇÃO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Francisco Gomes Vilanova Vilma da Silva Mesquita Oliveira • 1685 ORIGENS E EXPANSÃO DA UNIVERSIDADE: O CASO DA UFC EM RUSSAS Thiago Sousa Felix • 1701 O PROGRAMA “LICENCIATURA EM PEDAGOGIA EM REGIME ESPECIAL”: REPRESENTAÇÃO SOCIAL E RESSIGNIFICAÇÕES DOS PARTICIPANTES Silvana Maria Aguiar de Figueiredo • 1714 CORDEL E MEMÓRIA: PROJETO ACORDA CORDEL EM SALA DE AULA Alyne Virino Ricarte • 1731 AS CONTRIBUIÇÕES DOS PENSAMENTOS PLATÔNICOS NO AMBIENTE ESCOLAR Aldevane de Almeida Araújo • 1748 HISTÓRIA, FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DOS PROFESSORES EM JUAZEIRO DO NORTE Martha Maria Macedo Bezerra Marta Callou Barros Coutinho • 1760 A EDUCAÇÃO PARA O PENSAR E O DEVIR-CRIANÇA Silvia Regina Macário dos Santos • 1774
  10. 10. ASPECTOS IDENTITÁRIOS DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO IFPB CAMPUS CAJAZEIRAS Neuziene Garcia Pereira Antônia Edivaneide de S. Gonzaga • 1791 AUTORETRATO DO SONHADOR Robério Augusto Leal Sacramento • 1805 BESOURO NA MEMÓRIA DO CAPOEIRA: FANTASIA E NEGAÇÃO José Olímpio Ferreira Neto • 1821 COLONIZAÇÃO E FORMAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA: CAUSAS, CARACTERÍSTICAS E CONSEQUÊNCIAS Antonio Roberto Xavier Lisimere Cordeiro do Vale Xavier • 1839 EDUCAÇÃO SEXUAL: A VIDA PÚBLICA E PRIVADA DAS PROSTITUTAS DO CENTRO DA CIDADE DE FORTALEZA Francisca Karla Botão Aranha José Gerardo Vasconcelos • 1856 O ENSINO DE HISTÓRIA E O “TEMPO PRESENTE”: UMA VIVÊNCIA Assis Daniel Gomes • 1869 A EXPERIÊNCIA TRANSFORMADORA DO SER PENSANTE NO CONTEXTO EDUCACIONAL Adriana Conceição dos Santos Jociel Nunes Vieira • 1885 HISTÓRIA, EDUCAÇÃO, FONTES E MEMÓRIA: BREVE ESTUDO Silvana Maria Aguiar de Figueiredo Roberta Lúcia Santos de Oliveira • 1899 INTEGRALISMO E EDUCAÇÃO: UMA ALTERNATIVA AUTORITÁRIA Frederico Costa • 1909 ANTECEDENTES HISTÓRICOS DO PNE E REPRODUÇÃO DO CAPITALISMO Iara Saraiva Martins Francisco Raphael Cruz Mauricio • 1923 O CORPO DA PROSTITUTA: ENTRE O DISCURSO, A VIDA COTIDIANA E A EDUCAÇÃO José Gerardo Vasconcelos Verônica Gomes dos Santos • 1941 PRÁTICAS EDUCATIVAS DAS PROSTITUTAS DO CENTRO DE FORTALEZA: SEXO, DROGAS E DANÇA Camila Saraiva de Matos José Gerardo Vasconcelos • 1952 BREVE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: UMA ABORDAGEM CRÍTICA Júlia Érika Moreira Bastos • 1963 AÇÕES EDUCACIONAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS NO ESPAÇO URBANO DE TERESINA-PI Stanley Braz de Oliveira Raimundo Elmo de Paula Vasconcelos Júnior • 1973 Grupo de Trabalho 1 Pôsteres Instituições e Cultura Escolar A HISTÓRIA DA ESCOLA HENRIQUETA GALENO: UM ESTUDO COMPARADO ENTRE A DÉCADA DE 1960 E 2010 Flávia Karine Brito da Silva Estácio Narciso Neri • 1987 O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO E A CONSTRUÇÃO DA PRÁXIS DEMOCRÁTICA Francisca Karla Ferreira de Queiroz • 1989 A HISTÓRIA DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DOS SURDOS Joelma da Silva Gomes Fernanda Sampaio • 1991 FORMAÇÃO TÉCNICA NO ENSINO MÉDIO: A EDUCAÇÃO PROFISSIONALIZANTE NO CEARÁ Ana Carolina Veras do Nascimento Francisco Amistardam Soares Silva • 1993 INSTITUIÇÕES ESCOLARES: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPAÇO URBANO NA PARAÍBA Luana da Rocha Lacerda Tatiana Ramalho Faria • 1995 FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA: UM OLHAR SOBRE O PIBID Maria Alany de Lima Pereira Mércia Oliveira Pereira • 1997
  11. 11. ASPECTOS DO ENSINO DA HISTÓRIA E GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOGRAFIA: UM OLHAR SOBRE O PIBID Ana Isabel de Sousa Lemos Maria Alany de Lima Pereira Ritila Maria Ricardo Melo • 1998 Mércia Oliveira Pereira • 2019 Grupo de Trabalho 2 Pôsteres Práticas Culturais e Educativas BRINQUEDO: UMA PRÁTICA CULTURAL EDUCATIVA Larissa Naiara Souza de Almeida • 2003 A DESCOBERTA DA INFÂNCIA Maria Isomar Barros Lisboa Antonia Aida Babosa de Oliveira • 2005 PRÁTICAS CULTURAIS EM EDUCAÇÃO POPULAR: II ESTÁGIO INTERDISCIPLINAR DE VIVÊNCIA (PARAÍBA) Kamila Karine dos S. Wanderley Ana Paula Romão de Souza Ferreira • 2007 CONSTRUINDO A DOCÊNCIA: UM DIÁLOGO COM A TEORIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS Juberlane de Oliveira dos Santos • 2009 A PESQUISA E O ENSINO: A EXPERIÊNCIA DA MONITORIA ACADÊMICA Rayssa Melo de Oliveira Francisco Carlos Araújo Albuquerque • 2011 EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM TEMPO INTEGRAL: GERAÇÃO DE POSSIBILIDADES E CULTURA Larissa Naiara Souza de Almeida Marília Cordeiro Aragão • 2013 O PAPEL DOS MUSEUS NA CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE CIDADÃ Nicolle Tavares Colares Samara Mayra Benício • 2015 Grupo de Trabalho 3 Pôsteres Biografias e Intelectuais da Educação A CONDIÇÃO DE SOCIÓLOGO E DE EDUCADOR EM FLORESTAN FERNANDES Ana Laís Lima Nunes Maia Lucíola Andrade Maia • 2023 A TRAJETÓRIA DAS GERAÇÕES NA AVALIAÇÃO EDUCACIONAL Naiola Paiva de Miranda Lucas Melgaço da Silva • 2025 DIAS DA ROCHA E O ACERVO DO MUSEU DO CEARÁ Antonio Victor Almada Carvalho • 2027 FONTES DE INFOMÇÃO: BIOGRAFIAS Leandro Castro Lopes • 2029 FUNDAMENTOS TEÓRICOS E POLÍTICOS DO PROCESSO EDUCATIVO NO PENSAMENTO MARXISTA Raquel Dias Araujo Juliane Gonçalves Queiroz • 2030 ROSITA PAIVA: UMA EDUCADORA A SERVIÇO DA VIDA Maria Eliane Maia Sousa • 2032 Grupo de Trabalho 4 Pôsteres Fontes e Métodos para Pesquisa Científica A TENTATIVA DE IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA NORMAL NO CEARÁ A HISTÓRIA DO INSTITUTO DE HUMANIDADES DO CEARÁ ATRAVÉS DE IMAGENS (1904-1931) Ana Paula Vasconcelos de Oliveira Tahim Daniele Barbosa Bezerra • Denize de Melo Silva • 2017 Ana Michele da Silva Lima • 2039
  12. 12. PESQUISA DIAGNÓSTICA: PERFIL DOS ALUNOS DO FREITAS NOBRE NO PIBID/GEOGRAFIA CRIMES CIBERNÉTICOS: AS CONEXÕES ILEGAIS NAS FRONTEIRAS DO MUNDO REAL E VIRTUAL  Fernanda Fábia de Carvalho Gurgel • 2041 Isabel Martins Meneses Maria  Vânia Abreu Pontes • 2059 CARTOGRAFANDO FONTES PARA A HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS INSTITUIÇÕES ESCOLARES NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM? MACIÇO DE BATURITÉ (SÉC. XIX – XXI) Marcia Roberta Andu Santos Thirza Maria Bezerra Bindá Lia Machado Fiuza Fialho • 2061 Alexandre Gonçalves Frota • 2043 O PAPEL DO PROFESSOR NO CONTEXTO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Grupo de Trabalho 5 Pôsteres Culturas e Práticas Educativas Digitais Dayse Medeiros de Sousa Erika Roberta Silva de Lima • 2063 DESAFIOS DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM EM CURSOS DE GRADUAÇÃO Sérgio Luiz Freire Costa Silvia Helena de Sá Leitão Morais Freire • 2065 A CONSTRUÇÃO SOCIO-HISTÓRICA DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA AVALIANDO CONTRIBUIÇÕES DO FÓRUM DE DISCUSSÃO A APRENDIZAGEM NA EAD Elizabete Farias de Almeida Maria Lucijane Gomes de Oliveira • 2067 Mirtes Avelino da Silva • 2047 O FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA DE COLABORAÇÃO DA DISCIPLINA DE EAD/ AS UNIVERSIDADES DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA FACED/UFC EMPRESARIAL Fernanda Cíntia Costa Matos Sérgio Luiz Freire Costa • 2049 Antonia Lis de Maria Martins Torres • 2069 FÓRUM COMO RECURSO AVALIATIVO NA ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UFC Maria Lucijane Oliveira • 2051 Juliana Benício de Souza Carvalho ORIENTAÇÃO DE PESQUISA VIA PLATAFORMA MOODLE: UM ESTUDO DE CASO Andréa Soares Rocha da Silva • 2071 Abigail Noádia Barbalho da Silva Grupo de Trabalho 7 Pôsteres Arte, Gênero e Literatura Diogo Pereira Bezerra • 2053 Grupo de Trabalho 6 Pôsteres Redes e Ambientes Virtuais de Aprendizagem A PROBLEMÁTICA DE AULAS EXPERIMENTAIS NOS CURSOS DE EAD Marcelo Santos Santiago Diogo Pereira Bezerra • 2057 O DESPERTAR ARTÍSTICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ESCOLA PUBLICA E PARTICULAR Maria daiza • 2075 Jessyka estevão modesto
  13. 13. Grupo de Trabalho 10 Pôsteres Educação, Memória e Sociedade A EDUCAÇÃO FEMININA NA IDADE MÉDIA Carla Samile Lima de Sousa Karlianne Ponte Arruda Barreto • 2076 Grupo de Trabalho 8 Pôsteres Livros, Leitura e Educação PARALELO ENTRE A OBRA DE MOOG (1955) E A GEOGRAFIA Karine Monteiro Rebouças • 2079 Grupo de Trabalho 9 Pôsteres Educação, Etnia e Religiosidade QUEBRANDO PARADIGMAS: REFLETINDO (PRÉ) CONCEITO DE RAÇA E ETNIA NO CRISTIANISMO Sarah Maia Vasconcelos Soares Camila Silva Coutinho • 2087 O PRECONCEITO ETNICORRACIAL DE ONTEM MAQUIADO NA ATUALIDADE Alyne Santos da Silva Ana Paula Romão de Souza Ferreira • 2089 SOU FILHO DE MACUMBEIRA, E DAÍ? Moacir de Oliveira Portela Alan John Aguiar Cunha • 2091 HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO ÉTNICO–RACIAL: REFLEXÕES PARA O ENSINO MULTICULTURALISTA Aldieris Braz Amorim Caprini Ana Lourdes Lucena de Sousa • 2095 A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA REUNI NA UFC: ANÁLISE E PERSPECTIVAS Francisco Amistardam Soares Silva Ana Carolina Veras do Nascimento • 2099 ESTUDO DE CASO: PROFESSORA DA ZONA RURAL NA DÉCADA DE 50 Aliciana Temoteo da Silva • 2101 BULLYING NA ESCOLA: A HISTÓRIA DESSE CONSTRUTO CULTURALMENTE CONSTRUÍDO Maria Luzivana Ferreira Damasceno Marta Moreira da Silva Lima Nogueira • 2103 LUÍZ GONZAGA, O REI DO BAIÃO Ana Raquel Lima Soares Ana Maria de Souza • 2105 MÃES SOLTEIRAS E FILHOS REJEITADOS Maria Helena Linda dos Santos Mirna Maria Gomes de Lima • 2107 O ENSINO DE HISTÓRIA NO BRASIL : UMA TRAJETÓRIA Sonia Soares • 2109 EDUCAÇÃO E MEMÓRIA: HISTÓRIAS DE VIDA DE VARREDORES DE RUA Luana da Rocha Lacerda Suellen Cristina Ferreira Rodrigues • 2111 HISTÓRIA E MEMÓRIA DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DO CEARÁ Beliza Daniele Pereira Feitosa Angelina do Nascimento Silva • 2113 A COMUNIDADE DE FEITICEIRO: OBJETO DE ESTUDO DE JOVENS ESTUDANTES Aline Teixeira Peixoto • 2114 FOTOGRAFIAS: COMPREENSÃO HISTÓRICA DENTRO E FORA DE SALA DE AULA Clarissa Franco de Miranda • 2116
  14. 14. MUSEU, MEMÓRIA E ENSINO DE HISTÓRIA Karla Cristine Rodrigues • 2118 HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NA BAHIA: GESTÃO EDUCACIONAL, UM RESGATE NECESSÁRIO Flávia Souza Barreto • 2120 TRAJETÓRIA DO ENSINO DE HISTÓRIA NO BRASIL Antonio Ivanilo Bezerra de Oliveira • 2122 Grupo de Trabalho 1 Comunicações Instituições e Cultura Escolar
  15. 15. 29 ISBN 978-85-8126-016-7 A CRIAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR EM FORTALEZA VISTA PELA IMPRENSA Sâmia Ketley Guerra Assunção Aluna do Curso de Pedagogia, da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do PIBIC-CNPq. E-mail: samiaketleyassunção@gmail.com Aline Pinheiro de Sousa Aluna do Curso de Pedagogia, da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do PIBIC-UFC E-mail: alinepinheiro.sousa@gmail.com INTRODUÇÃO O presente trabalho foi resultado de uma pesquisa da qual fomos bolsistas de iniciação científica, sob a supervisão e coordenação do orientador da pesquisa, prof. Francisco Ari de Andrade, inserida na área de historia da educação. Objetivava localizar recortes de jornais que relatassem a criação e instalação dos grupos escolares em Fortaleza. E foi com essa perspectiva que visitamos o Arquivo Público do Estado do Ceará — APEC e a Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel buscando fontes no acervo que relatasse minuciosamente, principalmente a visão da imprensa, como foi repassada a notícia da reforma do ensino primário para os fortalezenses e os demais cidadãos da cidade, naquela época, e quais as criticas e as expectativas da imprensa diante de tamanha transformação.
  16. 16. 30 ISBN 978-85-8126-016-7 31 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO A Chegada do Grupo Escolar em Fortaleza No começo do século XX, à medida que a sociedade brasileira vinha se modernizando desde a segunda metade do século XIX, a educação brasileira, também, era alvo de debates em torno do papel social da escola. XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 tuitivo, oferecendo ainda uma educação laica e gratuita. Esse modelo de instituição era “classificado como aquela escola publica que coaduna com os valores da sociedade moderna”. (ANDRADE, 2011, p. 518). O primeiro grupo escolar surgiu na cidade de São Paulo em 1893, sendo seguido pelo Rio de Janeiro em 1897. Os grupos Conforme a industrialização progredia, no país cada escolares eram vistos como um exemplo ideal de escola primá- vez mais era exigido dos indivíduos serem mais úteis e pro- ria, pois era uma escola gradual onde havia diversas salas e os dutivos. Por motivos como estes que a educação moderna foi alunos eram agrupados de acordo com a série, a idade e nível ganhando espaço. de aprendizado, tornado a sala de aula mais homogênea. Isso Os grupos escolares brasileiros foram inspirados nos resultou em um currículo sistematizado e racionalizado. Vale modelos alemães e norte americano por permitir vários bene- ressaltar que a implantação dos grupos escolares partia do Go- fícios, como destaca Veiga verno de cada estado, ou seja, nenhum momento os estados bra- A modalidade escola ou grupo escolar vinha sendo ado- sileiros foram obrigados a acatar esse novo modelo educacional. tada com sucesso em vários países porque permitia centrali- Seguindo o modelo Paulista, o grupo escolar no Ceará zar a direção e a inspeção no mesmo lugar, ao mesmo tempo foi criado em 1905, através do regulamento da instrução pri- que possibilitava o uso de espaços coletivos para o desenvolvi- mária, tornando o ensino obrigatório, e de acordo com o Jor- mento das novas prescrições pedagógicas: pátios para recreio, nal A República local para ginástica gabinetes, museus, biblioteca, refeitórios, auditório, hortas etc. (VEIGA, 2007, p.243): Conforme Andrade (2011) o grupo escolar marca o início da Pedagogia Moderna no território brasileiro, pois tinha como objetivo reformular o ensino primário existente, substituindo o modelo de ensino mútuo que era baseado no método de Lancaster1, pelo ensino in1 Método de Lancaster nas escolas primárias. Método de ensino mútuo, modelo importado da Índia pela Inglaterra, para dinamização do processo ensino-aprendizagem de crianças no Brasil no século XIX. Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar O Governo do Ceará declarou guerra ao analphabetismo: reformou a instrucção primária, tornando o ensino obrigatório, criando bibliothecas e adoptando os grupos escolares. (Jornal A República, ano XV, Nº 15, janeiro de 1907) No ano de 1907 é publicado o Regulamento dos grupos escolares, que abordava de acordo com o artigo 1º do referido regulamento sua finalidade: “Art. 1.º — Com o fim de simplificar, de methodizar o ensino, tornando ao mesmo tempo mais Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  17. 17. 32 ISBN 978-85-8126-016-7 33 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO facil a sua inspecção, serão reunidas as escolas publicas da Ca- 2. A divisão do tempo. pital em grupos de cinco escolas, funccionando cada grupo em ISBN 978-85-8126-016-7 3. O corpo humano e cuidados hygienicos. um só predio, sob uma direcção uniforme.” 4. Os alimentos, a roupa, a habitação; regras de ­hygiene. O primeiro grupo escolar de fortaleza foi inaugurado no centro da cidade no dia 12 de julho de 1907 e localizava-se na 5. Animaes, plantas e mineraes. Rua Formosa, levando o nome do governador da época, No- 6. Propriedades physicas do corpo. gueira Accioly. Essa criação se deu através da necessidade de 7. Os phenomenos mais comuns relativos á agua, á luz, ao calor, ao som. mudança e de ampliação do ensino primário cearense. 8. Artes e officios, instrumentos de trabalho. A Estrutura do Grupo Escolar Nogueira Accioly 9. Meios de communicação e de transporte. Quando o grupo escolar foi criado na capital fortalezen- 10. Principaes invenções e descoberta. (p.95) se, era voltado para atender os estudantes do gênero feminino que residissem nas proximidades do prédio. Segundo o Regulamento da instituição, criado em 1907, cada grupo escolar poderia comportar até trezentos alunos. Ainda na sua estrutura física, poderíamos encontrar um espaço que condizia com um modelo adequado de instituição de ensino, onde dispunha de salas de aula, secretaria, museu, biblioteca e diretoria. A sua estrutura curricular trazia lições que seria comum para todas as classes que estavam previstas no Regulamento da Instrução Primária, Art. 16, no inciso VI: VI Licções de cousas ou primeiras noções scientificas Para todas as classes. 1. Nomes e uzo dos objectos mais communs. Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar A primeira diretora do grupo escolar Nogueira Accioly foi à docente Anna Facó, sua formação se deu na Escola Normal. A diretora tinha como função regular a assiduidade das professoras, dos funcionários e dos próprios alunos. Era dever da mesma enviar um relatório que continha informações sobre a referida instituição, esse relatório era enviado anualmente a Secretaria de Interior e Justiça. Está previsto no Regulamento do grupo escolar as funções atribuídas à diretora: Art. 15. A’ Directora compete: 7. Contractar e despedir os serventes, communicando o seu acto ao Secretario dos Negocios do Interior. Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  18. 18. 34 ISBN 978-85-8126-016-7 35 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO 8. Proceder, auxiliada pelas professoras, á matricula, classificação e eliminação dos alumnos. 12. Exigir das professoras a exacta observancia do horario e dos programmas mensaes. 13. hamar, particularmente, á fiel observancia de seus deveres as professoras não pontuaes, pouco assiduas, apressadas em concluir as aulas e que se distrahirem com digressões alheias ao assumpto das lições, ou que não mantiverem a ordeme o silencio nas classes. XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 a proliferação dos grupos, [...] deveria marcar definitivamente o fim da prática de se ministrar aulas nas casas dos professores, tão comum nos tempos imperiais. (SOUZA 1998, p.123) O Grupo Escolar de Fortaleza Segundo a Imprensa Diante das transformações que estavam acontecendo no ensino primário, na capital do ceará, os jornais da cidade 14. Designar as professoras que têm de presidir aos recreios, revezando-as semanalmente. de Fortaleza sentiam-se obrigados a noticiar a população es- 15.º Encerrar diariamente o ponto do pessoal notando nas respectivas colunas de observações as faltas de cada funccionario ou empregado. do os grupos escolares na visão dos dois principais jornais da 26.º Apresentar ao Secretario dos Negocios do Interior, annualmente, minucioso relatorio sobre o movimento do grupo escolar, juntando-lhe os mappas e quadros estatisticos necessarios. Art. 16. — A distribuição do serviço das professoras pelas diversas classes do grupo escolar é da competencia e responsabilidade da Directora e será feita no principio de cada anno lectivo. Art. 17. — A Directora do grupo escolar é obrigada a permanecer no estabelecimento durante todo o tempo em que funccionarem as aulas. As professoras eram divididas por sala, ou seja, cada professora era responsável por apenas uma única sala, ela deveria ensinar as lições que estavam estabelecidas no currículo sas mudanças. Serão apresentados a seguir, como foi noticiaépoca, o Jornal do Ceará e o Jornal A República. No Jornal A República do dia 12 de Julho de 1907 é relatada a inauguração do Grupo Escolar Nogueira Accioly. As 11hs do dia inaugurou-se hoje solenemente o grupo escolar nº1, no prédio próprio que o governo lhe destinou à rua Formosa onde elle se acha magnificamente instaliado. O acto foi presidido pelo Exmo. Sr. Presidente do estado, achando-se presentes ___ os seus secretários, o Sr. Coronel comandante do Batalhão de Segurança, professores do Lyceu e da Escola Normal, deputados, funcionários públicos e muitos ____. O Sr. Dr. Nogueira Accioly foi recebido no alto da escadaria do edifício pela diretora e professoras do Grupo e ____ se realizou a sessão inaugural______côro escolar muito bem ensaiado e próprio da solenidade. para um grupo de alunos. Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  19. 19. 36 ISBN 978-85-8126-016-7 37 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 Em seguida s.ex. disse algumas palavras, exaltando a instrucção publica e accentuando os cuidados de seu governo por esse ramo da administração, que constitue uma das preocupações constantes de seu espírito. Em companhia do Major Cesidio Martins, direc- Por fim declarou officialmente installado o Grupo escolar n.1. Estava finda a ceremonia. Os assistentes espalharam-se em visita às dependências do edifício, colhendo do que viram e examinaram a melhor impressão. S.Exc chegou alli pouco depois de meio dia, sen- A porta do novo instituto de ensino tocou, durante a inauguração, uma das bandas do batalhão de ­segurança. pelo Major Cesidio, Directora e professores do tor de secção da Secretaria do interior o Sr. José Accioly, Secretario do interior, visitou hoje o Grupo escolar Nogueira Accioly. do recebido à porta pela Directora D. Anna Facó e suas auxiliares. Após alguns momentos de repouso, o Sr. Secretario do Interior, acompanhado Grupo, passou a visitar o edifício, percorrendo todas as suas dependências. — É directora do Grupo D. Anna Facó e exercem o magistério das diversas classes as professoras D.D. Margarida de Queiroz, Maria Rodrigues, Candida Freire, Edith Borges e Maria Augusta do Amaral.” (p.1) Estavam presentes às aulas 217 alumnas das 240 que estão matriculadas nas cinco classes do ­Grupo. Vale destacar a seguinte notícia sobre a estrutura do S.Exc. retirou-se à 1 ½ da tarde para sua secre- grupo noticiada pelo Jornal do Ceará: O grupo escolar já se acha inaugurado e quanto os visitaram podem attestara magnificancia do prédio em que elle funcciona. Encravado entre dois edifícios, sem ar nem luz, tal é o acanhamento de seus compartimentos que não possue uma só sala, nem mesmo a de honra, em que se possam reunir em occasião festiva, as alumnas das cinco escolas por elle distribuídas.(p.1) No dia 10 de agosto de 1907, o jornal A República noticiou a visita do diretor da Secretaria do Interior, José Accioly: Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar taria, trazendo dessa visita a mais agradável impressão. (p.1) O Jornal do Ceará do dia 25 de Julho de 1907, destacou as más condições físicas do prédio que funcionava o grupo escolar: Entre alli, quem se quizer convencer do que affirmamos, e ha de sahir tristemente impressionado d’aquelle amontoado de carteira que difficilmente dão passagem de uma para outra classe e até mesmo de uma para outra fila. Até os corredores se acham entulhados e, ainda assim, salões ha que não comportam o numero de carteiras Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  20. 20. 38 ISBN 978-85-8126-016-7 39 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 correspondentes ao de alumnos, de accordo com a exigência regulamentar. O negocio que fez o proprietario, parente e provavelmente associado do snr. Accioly, pode ter sido magnifico não assim o predio que construido propositalmente para família, não tem as proporções para um grupo escolar. Terminaram ante- hontem os exames do Grupo escolar Nogueira Accioly, sendo o seguinte o resultado: Mas a falta de pudor, caracteristico do desbriado chefe minú, se revela mais revoltante na affirmação categórica que elle faz que com as obras de adaptação despendeu o Estado apenas dois contos seiscentos e dez mil reis. APP com distincção –Francisca Borges, Francisca do Nascimento, Laura Cavalcante, Maria de Lourdes Oliveira e Sylvia Valdetaro Mello. Não é verdade: o dinheiro despendido com essas obras excedem de muito o custo do proprio predio. Para qualquer certificar-se do que asseveramos, basta considerar o tempo que durou o serviço de adaptação e a chusma de operários que nelle funccionou, pedreiros, marceneiros, pintores, etc., sem falarmos nos... celebres e rendosos fornecimentos. Podemos asseverar que só a verba pintura excede da quantia consignada na mensagem; se não é assim, mande o governo, se é capaz, publicar, desde já, discriminadamente, as respectivas contas. Quanto ao relatório do sr. Secretario do Interior, onde são especificadas, segundo se affirma, as despesas effectuadas; inutil é contar com semelhante subsidio, pois o de 1905 ainda não appareceu!... (p.1) Podemos destacar da coluna exames primários do jornal A República o encerramento e os resultados dos exames, 1º classe Banca examinadora: Anna Facó, Edith Borges e Candida da Silva Freire. APP plenamente gráu 4 ½- Raymunda Cavalcante, Maria Amelia de Farias, Maria do Carmo Gomes, Iracema Mattos; gráu 4- Crystallina Camarão, Analia de Arruda, Bertulina de Oliveira, Maria da Cruz, Maria José de Moraes e Maria José de Almeida. APP simplesmente- gráu 3 ½ Maria Augusta Ferreira Lima, Oneglia Barbosa; grau 3- Rosa Maria da Costa. 2º classe Banca examinadora: Anna Facó, Maria Augusta Amaral e Candida da Silva Freire. APP com distincção — Aída Barbosa Lima e Isaura M. Gondim. APP plenamente — gráu 4 ½ Anna Costa, Anna Marçal, Evangelina Alencar, Leonor Amorim, grau 4 Maria d’Assumpção Cavalcante. APP simplesmente — gráu 3 Francisca Quaresma, Heloisa do Carmo, Hilda Castro Santos, Marinha de C. Menezes e Vicentina dos Passos. (Jornal A República 08 de Novembro de 1907, p.2) de duas classes, do grupo escolar Nogueira Accioly Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  21. 21. 40 41 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO O Jornal do Ceará apresenta uma análise bem diferente do jornal A República, pois traz algumas críticas a implantação dos grupos escolares e levantando questionamentos se realmente haverá mudanças na educação com a implantação dos grupos escolares. CONCLUSÃO XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO I ENCONTRO NACIONAL DO NÚCLEO DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-8126-016-7 Os Grupos Escolares prevaleceram como escola primária no Brasil até o início da década de 1970, quando uma nova reforma educacional, por força da Lei n.º 5692/71, implantou uma nova modalidade para o ensino, ao criar as escolas de ensino de 1º e 2º graus, unificando o primário e ginásio num único nível com duração de 8 anos. REFERÊNCIAS O novo método educativo que surgiu na primeira metade do século XX, no ceará, trouxe uma nova visão para a educação primária, onde além de ter uma escola racionalizada e padronizada, possibilitou a criação de um ensino gradual e acessível à população cearense. Os jornais da capital cearense foram de suma importância para a divulgação do que estava acontecendo na educação, ANDRADE, Francisco Ari de.” Templo de Civilização” no Ceará: a criação do grupo escolar em Fortaleza, no começo do século XX. In: VASCONCELOS JÚNIOR, Raimundo Elmo de Paula et al [organizadores]. Cultura, Educação, Espaço e Tempo. Fortaleza: Edições UFC, 2011. CASTELO, Plácido Aderaldo. História do ensino no Ceará. naquela época, pois através deles a população teve acesso às Fortaleza: Depto. de Impressa Oficial, 1970. mudanças ocorridas com a criação do grupo escolar Nogueira Jornal A República, ano XV, Nº 15, janeiro de 1907. Accioly. Consideramos que a nossa pesquisa poderá contribuir Jornal A República, ano XVI, Nº 157, julho de 1907. para a historiografia educacional cearense, na medida em que Jornal A República, ano XVI, Nº 254, novembro de 1907. traz consigo o processo de criação dos grupos escolares e po- Jornal do Ceará, ano III, Nº 491, janeiro de 1907. derá nortear o trabalho de outros pesquisadores que tiverem interesse sobre o assunto. Jornal do Ceará, ano IV, Nº 591, julho de 1907. Podemos observar que o sistema que deu origem aos SÁ, Nicanor Palhares; SIQUEIRA, Elizabeth Madureira; grupos escolares foi o início de um sistema que resultaria no REIS, Rosinete Maria dos. Instantes & memória na história modelo educacional que possuímos hoje. Como destaca Veiga da educação. Brasília: INEP, 2006. (2007, p.242), que: Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar Comunicações GT 1 — Instituições e Cultura Escolar
  22. 22. 42 ISBN 978-85-8126-016-7 43 XI ENCONTRO CEARENSE DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO ISBN 978-85-812