(Re)Humanização na Saúde

2.368 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.368
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Doutor em História Social (USP-1996) e pós-doc pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de
    Paris (2007). Docente e diretor do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde (CeHFi) da UNIFESP além de participar como professor-orientador dos Programas de Pós-Graduação Ensino em Ciências da Saúde e Saúde Coletiva”. Suas linhas de pesquisa são: Educação e História das Ciências da Saúde e da Medicina, Humanidades e História Oral.
  • Um sujeito que foi se transformando cada vez mais em um técnico, um especialista, profundo conhecedor de exames complexos, precisos e especializados, porém, em muitos casos, ignorante dos aspectos humanos presentes no paciente que assiste. E isso, não apenas por força das exigências de uma formação cada vez mais especializada, mas também em função das transformações nas condições sociais de trabalho que tenderam a proletarizar o médico, restringindo barbaramente a disponibilidade deste para o contato com o paciente, assim como para a reflexão e a formação mais abrangente.
  • As ciências humanísticas têm muito a contribuir para o desenvolvimento das ciências da saúde e da medicina em particular. Mas tal contribuição só pode se efetivar quando médicos, cientistas da saúde, historiadores, filósofos, antropólogos, psicólogos, literatos, pedagogos e alunos perceberem a necessidade de, sem pré-conceitos e com o espírito aberto, se constituírem canais comuns de estudo, discussão e troca de experiências.
  • (Re)Humanização na Saúde

    1. 1. Patricia Cruz Rodrigues Marion Enfermeira Mestranda pela UNIFESP patriciarodriguesmarion@gmail.com 8 de abril de 2014 (RE)HUMANIZAÇÃO NA SAÚDE?
    2. 2. Significado de humanização? - ação ou efeito de humanizar, de tornar humano ou mais humano - tornar benévolo, tornar afável. - mudar o comportamento e atitudes, tornando-se humano e dando condições humanas. - Fazer adquirir hábitos sociais polidos, civilizar - amansar (animais) - tornar-se humano, humanar-se.
    3. 3. Significado de humanização? - ação ou efeito de humanizar, de tornar humano ou mais humano - tornar benévolo, tornar afável. - mudar o comportamento e atitudes, tornando-se humano e dando condições humanas. - Fazer adquirir hábitos sociais polidos, civilizar - amansar (animais) - tornar-se humano, humanar-se.
    4. 4. HUMANIZAR HUMANOS??? A que ponto chegamos? O que aconteceu com nós - seres HUMANOS? Século XXI Você já se sentiu desrespeitado em uma situação que era o cliente? O sentimento de mal estar foi pela forma que a pessoa te tratou ou pelo ambiente que você estava?
    5. 5. HUMANIZAR HUMANOS NA SAÚDE??? A que ponto chegamos? O que aconteceu com nós - seres HUMANOS? Atualmente, há consenso que a disussão sobre o tema é necessária e relevante... Por quê? Século XXI O que aconteceu com nós - profissionais da saúde?
    6. 6. Resgate histórico...
    7. 7. Referência Artigo: A (re)humanização da medicina. Autor: Dr. Dante Marcello Claramonte Gallian Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp-EPM Disponível: http://www.unifesp.br/dpsiq/polbr/ppm/especial02a.htm
    8. 8. História das Ciências da Saúde... Origem da Medicina ocidental - Ciência Humanística; - Filosofia da natureza como base; - Sistema teórico partia de uma visão holística que entendia o homem como ser dotado de corpo e espírito; - Causas da doença: buscada no organismo enfermo, mas principalmente no que há essencialmente HUMANO no homem: a alma. Hipócrates (460-377 a.C. – Grécia) = “as doenças não são consideradas isoladamente e como um problema especial, mas é o homem vítima da enfermidade, com toda a natureza que o rodeia, com todas as leis universais que a regem e com a qualidade individual dele, que [o médico] se fixa com segura visão”.
    9. 9. História das Ciências da Saúde Origem da Medicina ocidental O médico clásico era antes de tudo um filósofo, um conhecedor das leis da natureza e da alma humana. Mais do que um biólogo, mais do que um naturalista, o médico deveria ser, fundamentalmente, um HUMANISTA. “Um sábio que, na formulação do seu diagnóstico, leva em conta não apenas os dados biológicos mas também os ambientais, culturais, sociológicos, familiares, psicológicos e espirituais.”
    10. 10. Início do século XX – transformações na área da saúde - enormes progressos foram alcançados graças às ciências físicas, químicas e biológicas; - Alto desenvolvimento tecnológico; - desenvolvimento das análises laboratoriais e de outros métodos clínicos incrementaram consideravelmente a formulação dos diagnósticos; - aparecimento de medicamentos como a penicilina começou a propiciar uma eficácia na cura e um domínio sobre as doenças sem precedentes na história; - assistia-se a um verdadeiro “milagre”, tudo dava a entender que a medicina estava prestes a atingir a sua idade de ouro, o seu estágio de “ciência exata”. História...
    11. 11. Ciências Humanas (História, Literatura, Filosofia) Ciências Físicas, Químicas e Biológicas + desenvolvimento tecnológico Redireciona- mento da formação e atuação dos profissionais da saúde História das Ciências da Saúde Início do Séc. XX Início da área da saúde (medicina)
    12. 12. Apoio da Ciências Humanas Apoio da Ciências Exatas e Biológicas Ciências da Saúde
    13. 13. Apoio da Ciências Humanas Apoio da Ciências Exatas e Biológicas História das Ciências da Saúde
    14. 14. Apoio da Ciências Humanas Apoio da Ciências Exatas e Biológicas História das Ciências da Saúde
    15. 15. O problema de desumanização extrapola a área da saúde? Comercial tailandês de uma empresa de telefonia. https://www.youtube.com/watch?v=xzpCCVDFJTI
    16. 16. Atualidade
    17. 17. Comercial da Coca-cola https://www.youtube.com/watch?v=_u3BRY2RF5I
    18. 18. Será que nas circunstâncias atuais, as ciências humanas – a história, a filosofia, a literatura, etc – não têm mais nada a dizer no campo da saúde?
    19. 19. Re(humanização) Sem dúvida há uma grande necessidade de se “re-humanizar” a área da saúde. • Como? Desenvolvendo e fornecendo recursos humanísticos para o processo de formação e de atuação dos profissinais da saúde. • Por que? - Não só por uma questão de ética - Por considerarmos a lógica do desenvolvimento do conhecimento técnico-científico. Só se pode falar em uma verdadeira evolução do conhecimento científico quando se procura a integração dos saberes e ciências que extrapolam o campo físico-biológico. - Necessidade de resgatar de valores humanísticos na Era Atual (Era do Caos)
    20. 20. Política Estratégica Política Nacional de Humanização (PNH - HumanizaSUS) – 2003 (em 2001 surgiu: Programa Nacional de Humanização do Atendimento Hospitalar - PNHAH) • busca colocar em prática os princípios do SUS (universalidade, equidade e integralidade) no cotidiano dos serviços de saúde, produzindo mudanças nos modos de gerir e cuidar. • estimula a comunicação entre gestores, trabalhadores e usuários para construir processos coletivos de enfrentamento de relações de poder, trabalho e afeto que muitas vezes produzem atitudes e práticas desumanizadoras • a PNH conta com um núcleo técnico sediado em Brasília e equipes regionais de apoiadores que se articulam às secretarias estaduais e municipais de saúde. • Constroem planos de ação para promover e disseminar inovações em saúde com o foco da humanização.
    21. 21. Algumas diretrizes do HumanizaSUS Diretrizes da PNH • Co-gestão / gestão participativa • Acolhimento (acolhimento com classificação de risco) • Valorização do trabalho e do trabalhador • Defesa dos Direitos do Usuário • Fomento das grupalidades, coletivos e redes • Construção da memória do SUS que dá certo
    22. 22. Implantação e funcionamento da PNH
    23. 23. Dispositivos da PNH - Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) / Câmara Técnica de Humanização (CTH) - Sistemas de escuta qualificada para usuários e trabalhadores da saúde: gerência de “porta aberta”; Ouvidorias; pesquisas de satisfação, etc. - Visita Aberta e Direito à Acompanhante - Programa de Formação em Saúde do Trabalhador (PFST) e Comunidade Ampliada de Pesquisa (CAP) - Equipe Transdisciplinar de Referência e de Apoio Matricial - Projetos Co-Geridos de Ambiência - Acolhimento com Classificação de Riscos - Projeto Terapêutico Singular (PTS) e Projeto de Saúde do Território (PST) - Projeto Memória do SUS que dá certo
    24. 24. Diretrizes e material de apoio do MS
    25. 25. Diretrizes e material de apoio do MS
    26. 26. Diretrizes e material de apoio do MS Nota: Ambiência é o tratamento dado ao espaço físico entendido como espaço social, profissional e de relações interpessoais que deve proporcionar atenção acolhedora, resolutiva e humana. Considera-se: conforto, privacidade, individualidade, luz, cor, cheiro, morfologia, som, etc
    27. 27. Diretrizes e material de apoio do MS
    28. 28. - Objetivo de intervir na melhoria dos processos de trabalho e na qualidade da assistência - Institui-se em qualquer instância do SUS e é integrado por pessoas interessadas em discutir os serviços prestados, a dinâmica das equipes de trabalho e as relações estabelecidas entre trabalhadores de saúde e usuários. GTH – Grupo de Trabalho de Humanização
    29. 29. GTH – Grupo de Trabalho de Humanização Alguns temas podem ser interessantes para o início de um GTH: • Como melhorar ou qualificar a prestação do serviço? • Como são as relações de trabalho com os colegas? E com os gerentes, coordenadores e diretores? • Qual o pior lugar para se trabalhar? E para ser atendido? O que torna esses espaços e locais tão difíceis de serem mudados? • Qual o melhor lugar? O que o faz a diferença? • Como se dá a relação entre os profi ssionais e os familiares dos pacientes atendidos? • Qual é o nível de valorização das “falas” e contribuições dos usuários e dos trabalhadores da saúde (queixas, sugestões, etc.)? • Que projetos coletivos já existiram e foram benéfi cos, mas pararam, e quais estão sendo desenvolvidos e precisam ser fortalecidos? • Como articular projetos intersetoriais interessantes para os objetivos da instituição?
    30. 30. Experiências de GTH
    31. 31. Vídeo Cordel do SUS https://www.youtube.com/ watch?v=NMAbvOPOnCs
    32. 32. “Nunca como hoje se faz tão necessário a reflexão histórico-filosófica para que se possa reumanizar a medicina e as ciências da saúde em geral.” Autor: Dr. Dante M C Gallian Patricia Cruz Rodrigues Marion Enfermeira Mestranda pela UNIFESP E-mail: patriciarodriguesmarion@gmail.com slideshare.net/EnfPatriciaRodrigues

    ×