EE Maria JoséTrabalho de química / 2os anos / Segundo Bimestre 2012/Prof. Emiliano                        Individual. Entr...
Abaixo vamos analisar o rótulo de um alvejante bem conhecido no mercado:
Observem no rótulo do produto apresentado as informações referentes à suacomposição. Uma informação do rótulo está destaca...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalhosegundosanossegundobi2012

3.121 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalhosegundosanossegundobi2012

  1. 1. EE Maria JoséTrabalho de química / 2os anos / Segundo Bimestre 2012/Prof. Emiliano Individual. Entregar somente as respostas. Cópias serão anuladas. Alvejantes Os alvejantes são soluções aquosas constituídas por hipoclorito de sódio (NaClO) eoutras substâncias. As soluções de hipoclorito de sódio podem ter concentração variada,dependendo do seu uso, e são encontradas comercialmente com o nome de água sanitária. O hipoclorito de sódio existe somente em solução, pois ele se decompõe quando estáno estado sólido. A ação da água sanitária deve-se ao cloro ativo (Cl2 (g)), que é um gás formado a partirda decomposição do hipoclorito e cloretos constituintes da solução. Uma equação químicaque pode representar essa decomposição é: NaClO (aq) + NaCl (aq) + H2SO4 (aq) → Na2SO4 (aq) + H2O (l) + Cl2 (g) O hipoclorito é uma espécie química que se decompõe com grande facilidade,principalmente na presença de luz, por isso essas soluções são comercializadas emrecipientes opacos. Em geral, adiciona-se à solução de hipoclorito, carbonato de sódio (Na2CO3), sodacáustica (NaOH) e outras substâncias, para atribuir ao produto maior estabilidade à luz e aocalor, tornando mais lento e gradual o efeito descorante. A temperatura também é um fator importante. A decomposição do hipoclorito é lenta àtemperatura ambiente, mas se acelera sensivelmente a partir de 30 ºC. Só para se ter umaidéia, a uma temperatura de 60 ºC uma solução de concentração 100 g/L sofre uma reduçãode 50% no teor de hipoclorito. Ao entrar em contato com sais orgânicos de amônio, formam-se as cloraminas, quesão vapores irritantes para os olhos e para as vias respiratórias. Por isso, não se devemmisturar soluções de hipoclorito de sódio com produtos á base de amônia. A decomposição do hipoclorito provoca a liberação de gás cloro (Cl2), que podeocasionar irritação nas mucosas, tosse e vômito. Por isso, deve-se manipular a água sanitáriaem ambiente ventilado. Se o hipoclorito entrar em contato com os olhos ou a pele, poderáprovocar danos. Caso isso ocorra, deve-se lavar a água atingida com água, continuamentedurante 15 minutos e consultar um médico. Texto baseado em Mortimer, Eduardo Fleury Química, 2 : ensino médio/Eduardo Fleury Mortimer, Andréa Horta Machado. – São Paulo: Scipione, 2010
  2. 2. Abaixo vamos analisar o rótulo de um alvejante bem conhecido no mercado:
  3. 3. Observem no rótulo do produto apresentado as informações referentes à suacomposição. Uma informação do rótulo está destacada na página anterior- a composição, oprincípio ativo e o teor de cloro ativo: Teor de cloro ativo: 2,0% a 2,5% p/p Esse dado é muito importante, pois está indicando a concentração do produto (cloroativo) responsável pelo alvejamento, como tratamos no texto anterior. O rótulo destaca,portanto, a composição da solução em termos do componente que é mais importante doponto de vista prático e comercial. Num laboratório químico, expressaríamos a concentraçãodessa solução em termos dos solutos que foram adicionados à água, como a massa dehipoclorito de sódio em 100 g da solução. Assim, a partir da informação oferecida pelo rótulo, sabemos que em 100 g de soluçãotemos entre 2,0 e 2,5 g de cloro ativo. Por isso, essa forma de expressar a relação entre aquantidade de soluto e a quantidade de solução é chamada de concentração percentual empeso por peso (p/p). Vale destacar que 100 g, 2,0 g e 2,5 g são medidas de massa e não depeso. Essa expressão peso por peso ainda é muito utilizada, embora impropriamente. O maisadequado seria substituir a expressão p/p por m/m, indicando porcentagem em massa. Poderíamos também expressar a relação entre a quantidade de soluto e a quantidade desolução considerando a quantidade de cloro ativo em função do volume de solução. Assim,uma solução cuja concentração é 3,0% p/V (peso por volume) deve ter 3,0 g de soluto paracada 100 mL de solução, o que é o mesmo que 30 g de soluto para cada 1 L de solução, que éa chamada concentração comum.Questões Leiam no rótulo o modo de usar. Considere que a densidade do alvejante épraticamente igual a da água (1 g/mL), e suponha que o teor de cloro ativo seja uma médiaentre 2% e 2,5%, ou seja, 2,25%: 1) a) Calcule a porcentagem em massa (% m/m) de cloro ativo presente na solução sugerida para a lavagem de roupas. b) Por que é preciso saber a densidade da solução de alvejante para calcular a porcentagem do item a) ? 2) Calcule a porcentagem em massa (% m/m) de cloro ativo presente na solução sugerida para a remoção de manchas. 3) Qual das duas soluções é a mais concentrada? Por quê? 4) Como podemos explicar, do ponto de vista químico, a relação entre concentração e eficácia no alvejamento? 5) Supondo que uma dona de casa tenha preparado uma solução de água sanitária destinada à limpeza geral. Qual o volume desta solução que ela deveria retirar para preparar uma nova solução destinada à desinfecção de frutas, verduras e legumes?

×