Guia de arvores

5.338 visualizações

Publicada em

um guia simples para identificação

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
554
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Guia de arvores

  1. 1. GUIA DE CAMPO ARVORES Um guia para a especialidade
  2. 2. É com imensa alegria, que apresentamos este guia para complementar a especialidade de Árvores, sendo mais a parte prática da especialidade. Como sempre enfatizamos, este guia não é a palavra final e que o instrutor deverá pesquisar mais sobre o assunto para ter uma boa base, pois muitas espécies foram deixadas de lado para incentivar a pesquisa.
  3. 3. Tabebuia chrysotricha – Ipê Amarelo Cascudo Fonte: Árvores Brasileiras. Jacarandá cuspidifolia Jacarandá de Minas Fonte: Árvores Brasileiras.
  4. 4. Dictyoloma vandellianum – Tinguí Fonte: Árvores Brasileiras. Pachira aquática - Castanheira da Água Fonte: Árvores Brasileiras.
  5. 5. Aspidosperma cylindrocarpon Peroba Rosa Fonte: Árvores Brasileiras Tabebuia vellosoi Ipê Amarelo da Casca Lisa Fonte: Árvores Brasileiras.
  6. 6. Protium heptaphyllum – Almecegueira Fonte: Árvores Brasileiras. Persea pyrifolia – Maçaranduba Fonte: Árvores Brasileiras.
  7. 7. Caesalpinia férrea – Pau-Ferro Fonte: Árvores Brasileiras. Tabebuia avellanedae – Ipê Roxo Fonte: Árvores Brasileiras.
  8. 8. 30 ANACARDIACEAE Anacardium humile, AnACARDiACEAE - cajuí – Hábito:Arbusto;FitofisionomiaouHabitat:Cerradão, Cerrado (stricto sensu), Campo Sujo, Campo Rupestre (stricto sensu); Distribuição: TO, RO, PI, BA, MT, GO, DF, MS, MG, SP, PR; Local da foto: Jardim Botânico de Brasília - Brasília – DF 33 Myracrodruon urundeuva, AnACARDiACEAE - Aroeira – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata Ciliar, Mata Seca (Semidecídua, Decídua), Carradão, Cerrado (stricto sensu); Distribuição: TO, MA, PI, CE, RN, PB, PE, BA, AL, SE, MT, GO, DF, MS, MG, SP; Local dafoto: Formosa– GO. EspécieAmeaçadadeExtinção (IN MMA 06/2008). 35 Tapiriraguianensis, AnACARDiACEAE - Camboatá,pau- pombo – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata ciliar, mata de galeria, mata seca semidecídua, cerradão, cerrado denso, vereda, savanas amazônicas; Distribuição:PA,AM,TO,AC,RO,MA,PI,CE,RN,PB,PE, BA, AL, SE, MT, GO, DF, MS, MG, ES, SP, RJ, PR, SC; Local dafoto: ParqueOlhosD’Água- Brasília- DF. 36 ANNONACEAE Annona crassiflora, AnnOnACEAE - Araticum grande, pinha-do-cerrado – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de Galeria, Cerradão, Cerrado (stricto sensu), Vereda; Distribuição: PA, TO, MA, BA, MT, GO, DF, MS, MG, SP, PR; Local da foto: APA do Planalto Central - Brasília - DF.
  9. 9. Cardiopetalumcalophyllum,AnnOnACEAE-Pindaíba- vermelha, embira – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de Galeria, Cerradão, Cerrado (stricto sensu), CampoSujo; Distribuição: PA, AM,TO, AC, RO, PI, RN, MT, GO, DF, MG; Localdafoto: Parque Estadual da Serra dos Pirineus - Pirenópolis - GO. 38 MS 43 APOCYNACEAE Allamanda angustifolia, APOCynACEAE - Alamanda – Hábito: Subarbusto; Fitofisionomia ou Habitat: Cerrado ralo, campo sujo, campo limpo, campo rupestre (strictosensu); Distribuição: GO; Localdafoto: Parque Nacional Chapada dos Veadeiros - Cavalcante – GO. 42 Xylopia sericea, AnnOnACEAE - Pimenta-de-macaco – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de Galeria, Mata Seca, Cerradão; Distribuição: RR, PA, AM, RO, MA, PI, CE, PE, BA, MT, GO, DF, MG, ES, RJ, PR; Localdafoto: Jardim Botânicode Brasília - Brasília – DF. 44 Aspidosperma macrocarpon, APOCynACEAE - Peroba, pereiro – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata Seca Semidecídua, Cerradão, Cerrado (stricto sensu); Distribuição: AP, PA, AM, TO, AC, RO, MA, PI, BA, MT, GO, DF, MS, MG, SP; Localdafoto: Cristalina– GO.
  10. 10. 45 Aspidosperma tomentosum, APOCynACEAE - Guatambú-do-cerrado, peroba-do-campo – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata Seca, Cerradão, Cerrado (stricto sensu); Distribuição: AC, MA, PI, PE, BA, MT, GO, DF, MS, MG, SP, RJ, PR, SC; Localdafoto: Jardim Botânicode Brasília - Brasília – DF. 47 Hancornia speciosa, APOCynACEAE - Mangaba – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Cerradão, cerrado (stricto sensu), campo sujo, savanas amazônicas; Distribuição: AM, PA, AM, TO, RO, MA, PI, RN, PB, PE, BA,AL, SE, MT, GO, DF, MS, MG, ES, SP, RJ, PR; Localda foto: Jardim Botânico de Brasília - Brasília – DF. 65 ARALIACEAE Dendropanax cuneatus, ARALIACEAE - Pau-de-tamanco – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata ciliar, matadegaleria; Distribuição: PA,TO,AC, RO, BA, MT, DF, MS, MG, ES, SP, RJ, PR, SC, RS; Local da foto: Parque Nacional de Brasília - Brasília – DF. 66 Schefflera macrocarpa, ARALIACEAE - Mandiocão – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Borda de mata de galeria, cerradão, cerrado (stricto sensu), campo rupestre (lato sensu), carrasco; Distribuição: BA, MT, GO, DF, MG, SP; Local da foto: Jardim Botânico de Brasília - Brasília– DF.
  11. 11. 66 Schefflera macrocarpa, ARALIACEAE - Mandiocão – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Borda de mata de galeria, cerradão, cerrado (stricto sensu), campo rupestre (lato sensu), carrasco; Distribuição: BA, MT, GO, DF, MG, SP; Local da foto: Jardim Botânico de Brasília - Brasília– DF. 111 Cybistax antisyphilitica, BIGNONIACEAE - ipê-mirim, ipê-verde– Hábito:Árvore;FitofisionomiaouHabitat: Cerradão, cerrado (stricto sensu), campo sujo, savanas amazônicas; Distribuição: PA, TO, MA, PI, CE, BA, MT, GO, DF, MS, MG, ES, SP, RJ, PR, SC, RS; Local da foto: Parque Olhos D’Água - Brasília - DF. 114 Jacaranda cuspidifolia, BIGNONIACEAE - Caroba, guazú – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata ciliar, mata seca, cerrado (lato sensu); Distribuição: MT, GO, DF, MG, SP; Local da foto: Jardim Botânico de Brasília - Brasília – DF. 122 Handroanthus heptaphyllus (Sin.: Tabebuia heptaphylla), BIGNONIACEAE - Piúva – Hábito: Árvore; Fitofisionomiaou Habitat: Mataciliar, matadegaleria, transição com mata atlântica; Distribuição: BA, MT, GO, DF, MG, ES, SP, RJ, PR, SC, RS; Local da foto: APA do Planalto Central - Brasília – DF.
  12. 12. 135 BORAGINACEAE Cordia glabrata, BORAGINACEAE - Louro-preto – Hábito:Árvore;FitofisionomiaouHabitat:Mataciliar, matadegaleria, mataseca,cerradão,cerrado(latosensu); Distribuição: PA, PI, BA, MT, GO, MS, MG; Local da foto: Reserva Extrativista do Recanto das Araras de Terra Ronca - São Domingos – GO. 151 CELASTRACEAE Cheiloclinium cognatum, CELASTRACEAE - Bacupari- da-mata–Hábito:- Árvore;FitofisionomiaouHabitat: Mata ciliar, mata de galeria; Distribuição: RR, AP, PA, AM, TO, AC, RO, MA, PI, PE, BA, AL, MT, GO, DF, MS, MG, ES, SP, RJ; Localdafoto: JardimBotânicodeBrasília - Brasília - DF. CLUSIACEAE Calophyllum brasiliense, CLUSIACEAE - Guanandi, Jacareúba – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mataciliar, matadegaleria; Distribuição: RR, PA, AM, AC, MT, GO, MG, ES, SP, RJ, PR, SC; Local da foto: Parque Nacional de Brasília - Brasília - DF. 157 MS 158 Clusia burchellii, CLUSIACEAE - Gameleira – Hábito: Árvore; FitofisionomiaouHabitat: Matadegaleria, mata seca, cerrado (lato sensu); Distribuição: GO; Local da foto:ParqueEstadualSerradosPirineus-Pirenópolis-GO.
  13. 13. 162 Kielmeyeracoriacea,CLUSIACEAE - Pau-santo– Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de galeria, cerradão, cerrado (stricto sensu); Distribuição: PA, AM, RO, BA, MT, GO, DF, MS, MG, SP, PR; Local da foto: Parque Nacional de Brasília - Brasília – DF. 166 COMBRETACEAE Terminalia fagifolia, COMBRETACEAE - Capitão- do-mato, Cambiú, Maçambê – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata seca, cerradão, cerrado (stricto sensu), campo rupestre (lato sensu); Distribuição: MA, PI, CE, BA, MT, GO, DF, MS, MG; Local da foto: Jardim Botânicode Brasília - Brasília - DF. 238 Erythrina verna, FABACEAE, Mulungu,canivete,suinã– Hábito:Árvore;FitofisionomiaouHabitat:Mataciliar, mata seca, cerradão, cerrado (lato sensu); Distribuição: TO, AC, MA, BA, MT, GO, DF, MG, ES, SP, RJ; Local da foto: Campus UnB - Brasília - DF. 242 Hymenaea stigonocarpa, FABACEAE - jatobá-do- cerrado – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Cerradão,cerrado(stricto sensu); Distribuição: PA, MA, CE, BA, MT, GO, DF, MG, SP; Local da foto: Parque Olhos D’Água - Brasília – DF.
  14. 14. 243 Inga laurina, FABACEAE - Ingá-branco – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de galeria; Distribuição: PA, AM, AC, MA, CE, PB, PE, BA, GO, DF, MS, MG, ES, SP, RJ; Local da foto: Parque da Cidade - Brasília - DF. 253 Parkia platycephala, FABACEAE - Faveira, Fava-de-bolota – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata seca semidecídua, cerradão, cerrado (stricto sensu), savanas amazônicas; Distribuição: PA, TO, MA, PI, CE, BA, GO; Localdafoto: APAdoPlanaltoCentral - Brasília- DF. 255 Piptadenia gonoacantha, FABACEAE - Pau-jacaré – Hábito: Árvore; Fitofisionomia ou Habitat: Mata de galera, matasecadecídua; Distribuição: RN, PB, PE, BA, AL, SE, MS, MG, ES, SP, RJ, PR, SC, RS; Local da foto: Parque Olhos D’Água - Brasília - DF.
  15. 15. Angelim-da-mata OUTROS NOMES Morcegueira, maxanatoxrumá (Waurá), kajurana (Kawaiweté), me (Kisêdjê). NOME CIENTÍFICO Andira vermifuga (Mart.) Benth. COMO É? Árvore de até 20 metrosde altura e tronco de casca corticenta, descamante. Caroçossão felpudose têm uma quilha alta, bem marcada. VIVE na floresta amazônica e no cerradão. FLOR E FRUTO Floresce de abril a julho e os frutos amadurecem entre outubro e dezembro. SEMENTES cerca de 250 sementes por quilo. Germinação: até 50%, em 7 meses. Caroba-boca-de-sapo OUTROS NOMES Jacarandá-boca-de-sapo, caroba, carobinha, caiuá. NOME CIENTÍFICO Jacaranda cuspidifolia (Mart.) COMO É? Árvoresdeaté10metrosdealturae troncodeaté40cmdediâmetro.Perdefolhas duranteafloração.Suasfloressãograndeseazuis. VIVE no Cerrado e cerradão, preferencialmente em solos pedregosos e morros. FLOR E FRUTO Floresce de agosto a outubro e frutifica entre julho e agosto. SEMENTES cerca de 33 mil por quilo. Germinação: até 96%, em 6-25 dias.
  16. 16. Nome científico Bellucia grossularioides Família das Melastomatáceas como o manacá-da-serra, a pixirica e a quaresmeira. Como é? Árvore de até 15 metros de altura Onde vive Na mata de transição e na floresta amazônica aberta. Comum em bordas e clareiras da mata. Flor e fruto Floresce e frutifica de março a setembro. Um quilo tem 500 mil sementes e germinam até 15% delas. Jenipapo Nome científico Genipa americana Família das Rubiáceas, como o café, os marmelos e o pau-mulato. Como é? Árvore de crescimento rápido, com tronco alto, de até 25 metros de altura. A casca do tronco é lisa e clara. Tem duas folhas por nó, de lados opostos no galho, com uma folhinha pontuda entre elas. Onde vive Nas beiras de rio e várzeas, tanto nas regiões de floresta quanto de cerrado. Flor e fruto Floresce de novembro a fevereiro e frutos amadurecem de julho a dezembro. Há cerca de 20 mil sementes/kg.
  17. 17. Nome científico Vismia spp. Família das Clusiáceas, como o bacuri, o bacupari, o lacre e o pau-santo do cerrado. Como é? Árvores de tronco ramificado, que vive até 15-20 anos de idade. Duas folhas em cada nó, de lados opostos do galho. Sua seiva é cor de laranja e gruda como cola. Seus frutos são bolotas de 1-2cm, cheias desse líquido cor de laranja e pequenas sementes. Onde vive Na mata de transição e nas matas ciliares da região do cerrado. Flor e fruto Florescem de setembro a dezembro e frutificam entre dezembro e maio. Aproximadamente 200 mil sementes formam 1kg, mas germinam apenas cerca de 15%. Nome Científico Brosimum gaudichaudii Família das Moráceas, como o figo, a gameleira, o apí e a amora. Como é? Árvore de médio porte e galhos tortuosos. Sua seiva parece leite. De cada nó, sai só uma folha. Folhas de 10 a 20cm de comprimento, claras na parte de baixo e com belas nervuras. Onde vive Cerrado, cerradão e campo cerrado. Flor e fruto Frutificam de julho a dezembro. As flores amarelas são muito bonitas. Os frutos são como bombons macios de 3-5cm de diâmetro, bem alaranjados. As sementes têm tamanhos diferentes e há entre 600 e 800 em um quilo, das quais mais de 80% germinam
  18. 18. Nome científico Mabea spp. Família das Euforbiáceas, como a mandioca, a seringueira, a mamona, o café-bravo e o sangra-d’água. Há outras mamoninhas do mesmo gênero, menores, mas que se pode plantar do mesmo jeito. Como é? Árvores de tronco quase liso, que vivem até 20 anos, em média. Sua seiva é como leite. Uma folha por nó. O lado de baixo da folha tem, bem no meio, uma faixa cor de ferrugem e glândulas de néctar. Suas flores dão em cachos, com glândulas que produzem muito néctar, açucarado como mel. Seu fruto é uma mamona pequena, sem espinhos, que explode quando madura e joga longe 3 sementes. Onde vive Nas matas ciliares, na mata de transição e no cerradão Flor e fruto Florescem de janeiro a maio e lança as sementes dos frutos entre setembro e outubro. Aproximadamente 9.600 sementes formam 1kg. Germinam até 60% delas. Nome científico Hancornia speciosa Família das Apocináceas, como os guatambus, as perobas e o guarantã (carapanaúba). Como é? Árvore de até 10 metros de altura, retorcida, de casca lisa. Duas folhas por nó. Suas folhas compridas, com 5 a 10cm, nascem avermelhadas. Sua seiva é branca e leitosa. Onde vive No cerrado, cerradão e campo cerrado, comum em solos arenosos. Flor e fruto Floresce de julho a setembro e os frutos amadurecem entre setembro e dezembro. Cerca de 10 mil sementes formam 1kg. Germinam mais de 80% delas.
  19. 19. Nome científico Alibertia spp. Família das Rubiáceas, como o café, o jenipapo e o pau-mulato. A. edulis é a marmelada-de-bezerro Alibertia sessilis é a marmelada de cachorro e Alibertia elliptica é a marmelada de pinto. Como é? Árvores pequenas, com até 6m de altura, de crescimento rápido. A casca do tronco tem fissuras quadriculadas e cor escura. Duas folhas por nó, com uma folhinha pontuda entre elas. Onde vive Diferentes marmeladas vivem na mata de transição, na mata de várzea, cerrado, cerradão, campo cerrado, murunduns, matas de brejo e matas de beira de rio. Flor e fruto Florescem de agosto a fevereiro. Frutas do A. edulis amadurecem de julho a setembro, indo do verde ao roxo. Os outros marmelos frutificam de novembro a fevereiro. Há marmelos macho e fêmea, que se diferenciam pelas flores: as flores masculinas são pequenas e aglomeradas; as femininas são grandes e solitárias. É necessário ter machos para que as fêmeas produzam frutas. Nome científico Salvertia convalleriodora Família das Vochysiáceas, como os paus-terra e o camaçari. Como é? Árvore de até 10 metros de altura e mais de 3 follhas por nó. Fruto seco abre em 3 partes e solta sementes com asas. Onde vive No campo cerrado, cerrado, cerrado-denso e cer- radão. Flor e fruto Floresce entre março e julho e os frutos se abrem e liberam as sementes aladas entre julho e setembro
  20. 20. Nome científico Byrsonima spp. Família das Malpighiáceas, como a acerola e a chacrona. Como é? Muricis do cerrado, do campo e do brejo chegam a 5 metros de altura; o da-mata atinge até 20 metros. Têm duas folhas por nó e grandes glândulas de néctar na base das flores. Onde vive O murici-rosa nas várzeas, o murici-do-brejo em murunduns, muricizão e outros muricis no campo cerrado, cerrado, cerrado-denso e cerradão e o muricizinho na mata de transição e amazônica aberta. Flor e fruto O murici do brejo floresce de setembro a dezembro e frutifica de dezembro a janeiro. O murici-da-mata floresce e frutifi- ca Nome científico Guazuma ulmifolia Família das Malváceas (antiga Sterculiaceae), como o hibisco, a guanxuma e o chichá. Como é? Árvore de até 15 metros de altura e tronco quase liso. Uma folha por nó. Folha levemente aveludada, com as beiradas denteadas. Fruto lenhosos e secos. Onde vive Na mata de transição, mata amazônica aberta e matas ciliares do cerrado. Comum em terra-preta de índio, nos locais que eram aldeias. Flor e fruto Floresce em agosto e setembro e os frutos amadurecem de outubro a dezembro
  21. 21. Nome científico Eriotheca sp. Família das Malváceas (ou Bombacáceas, como a paineira-rosa, a sumaúma e os embiruçus). Como é? Árvores de até 15 metros de altura. Seus frutos ovais têm entre10 e 15cm. Quando maduro se abre e solta a paina, que o vento carrega com as sementes. Tem uma folha por nó. Cada folha é dividida em 5 como os dedos de uma mão. Onde vive No cerrado, cerrado denso, cerradão e nas matas ciliares da região do cerrado. Flor e fruto Flores em julho e agosto; frutos em setembro e outubro Nome científico Hevea brasiliensis Família das Euforbiáceas, como a mandioca, a mamoninha, a mamona, o café-bravo e o sangra-d’água. Como é? Árvore de até 35 metros, tronco liso, que pode viver séculos. Sua seiva é como leite e vira borracha quando seca. Uma folha, que é dividida em 3, nasce em cada nó. Onde vive Na terra firme e em várzeas inundáveis da floresta amazônica aberta. Flor e fruto Floresce em agosto e setembro e joga as sementes maduras de dezembro a fevereiro.
  22. 22. Nome científico Pterodon pubescens Família das Leguminosas, como o feijão, o ingá, as vagens e as favas em geral. Como é? Árvore de até 25 metros de altura, com tronco alto e casca clara, que solta em placas. Seu fruto é lenhoso e achatado, e tem uma asa dura ao redor. Tem óleo na casca do fruto e, às vezes, uma semente no interior. Olhe a folha contra o sol e veja pontinhos claros, que são glândulas de óleo essencial. Onde vive No cerradão, cerrado denso, cerrado e matas ciliares da região do cerrado. Flor e fruto Floresce entre julho e outubro. Frutos amadurecem de junho a setembro. Nome científico Magonia pubescens Família das Sapindáceas, como o camboatã, o sabão-de-soldado e o guaraná. Como é? Árvore com até 12 metros de altura, de tronco quase liso e que pode viver décadas. Cada folha é dividida em 7 partes e nasce uma folha por nó. Onde vive No cerrado, campo cerrado, cerrado denso, murunduns e matas ciliares da região do cerrado. Flor e fruto Floresce em agosto e setembro e os frutos amadurecem de junho a agosto, praticamente junto com a próxima florada.
  23. 23. Nome científico Bixa spp. Família das Malváceas (antiga Bixaceae), como o hibisco, a guanxuma e o chichá. Como é? Árvore de até 10 metros de altura, crescimento rápido. Sua florada rosa, seus frutos e suas sementes vermelhas chamam a atenção. Onde vive Nas matas de várzea e matas ciliares, tanto na região do cerrado quanto da mata. Flor e fruto Floresce em agosto e setembro e os frutos amadurecem e abrem de abril até julho. Nome científico Pseudolmedia macrophylla Família das Moráceas, como o figo, a gameleira, a mama cadela e a amora. Como é? Árvore que chega a 20 metros de altura, de casca lisa, do interior da mata. Sua seiva é leitosa e branca. Folhas grandes (até 30cm) com nervuras salientes. Uma folha por nó. Onde vive Na mata de transição e na floresta amazônica aber- ta. Flor e fruto Floresce entre março e julho. Os frutos amadurecem de setembro a novembro.
  24. 24. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  25. 25. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  26. 26. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  27. 27. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  28. 28. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  29. 29. CADERNO DE CAMPO Atividades práticas _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________
  30. 30. Fontes Bibliográficas Manual de Urbanização Urbana Cemig 2001 Arborização Urbana Prefeitura Municipal de Maricá 2011 Guia de Campo: 500 espécies do Cerrado MMA/SBF 2011 Plante as árvores do Xingu Instituto Socioambiental 2012 Manual Urbanização Cemig/Biodiversitas 2011

×