Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará –                                  FETRAECE ...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                          FET...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                            F...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                           FE...
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará                                 FETRAECE    ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Musicas cifradas mpb 4

2.656 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Musicas cifradas mpb 4

  1. 1. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará – FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL CADERNO DE MÚSICAS CANTANDO A VIDA JUNHO/2010
  2. 2. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL1. LUTAR CONSCIENTE (HINO DA Nosso jardim vamos fecundar ver ideiasENFOC) brotar, crescer, florescer Terra, semente, água e calor, frutos vamos(Gilvan Dias Mateus – VANDO de colherCanindé/CE) Neste encontro de idéias, dúvidas trajetóriasLutemos meu povo por um mundo novo que O crer fortalece emoções, aquece e nosestá em nós torna capazesLutar consciente formando corrente Experiências e sonhos, tudo isso faz parteerguendo sua voz da realidade dessa nossa história.No tempo dos quilombos, chicote no lombo, Lutemos meu povo por um mundo novo quesistema escravagista está em nósPeríodo imperialista o Brasil comandado por Lutar consciente formando correntesenhores feudais erguendo sua vozNossos irmãos africanos nas mãos de tiranosviram ouro e prata Assessores e lideranças seguem naMercadoria barata, são negociados como esperança de uma soluçãoanimais. Um grandioso passo é a formação O conhecimento vem para transformarTemos potencial e a ENFOC afinal tem essa O movimento sindical achou genial e logovisão abraçouNos ensina ir além de plantar milho e feijão O novo desafio que a CONTAG lançouCom suas novas práticas, ações Estar se capacitando para se capacitar.transformadorasEla possibilita e no que acredita ela 2. BAIÃO DO POVO JOVEMfortaleceDe conhecimentos a classe enriquece Os punhos no ar sonho novoAlimentando idéias libertadoras. nós somos a semente do povo queremos ser livres, amar.Lutemos meu povo por um mundo novo que Trazemos no peito a esperança,está em nós A história na mão – confiançaLutar consciente formando corrente Que um dia nós vamos ganhar.erguendo sua voz Vamos lá, vamos lá...Lutas e protestos retratam por certo a A história ninguém deterá.insatisfação É rio que corre pro mar.Por sofrermos toda sorte de humilhação Ninguém vai nos calar, nos calar!Nos enche de revolta nos torna rebeladosProssegue nossa luta não na força bruta Aonde tem gente se unindo,como antigamente Depressa nós vamos sorrindo,Queremos ser livres também somos gente Nós cremos no novo amanhã.com conhecimentos e politizados. Já chega de morte, injustiça, 2
  3. 3. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALAbaixo o egoísmo a preguiça, Mulher do povo ambulante,Da vida nós somos os fãs. tocado a ferro, tangido do chão. Pode ‘inda ser diferente,Queremos dizer aos senhores se o olho da gente,Políticos, nobres, doutores Aberto enxergar o mal que mata a pobreza,Com suas multinacionais: se unindo a certezaNão somos produtos na praça, a gente a lutar.tampouco nós achamos graça,O fel tá amargo demais. Companheira nordestina constrói nova sina, vamos caminhar.Um ano pro jovem é bem pouco, Ganhando a terra e a rua,Pra gente vencer o sufoco, a força que é tua, ninguém vai quebrar.A vida completa se dá. Traz os teus filhos na praça,Escola, trabalho, alegria, na lei ou na raça, a vitória já vem.Bandeira de todos os dias Une a tua força a do homem,Na marcha nós vamos levar. pra vencer a fome, e cantar o bem.Levante esta voz companheiro, Operária da cidade, a brutalidadee abra o olho ligeiro, e a lei do patrão vão ter que ser destruídas,não fuja da luta jamais. tua classe unida sacode a nação.Em cada caminho e na rua A causa e a luta é comum e o povo é só um,Assume esta causa que é tua, precisa se unir.Semeie a semente da paz. A força nova da vida, mesmo perseguida, De pé vai sorrir.3. BAIÃO DA NOVA MULHER 4. A JUVENTUDE UNIDA(Zé Vicente) (Zé Vicente)Viva, viva, a mulher desta nação A juventude unidaQue vai gerando no ventre Clamando noite e diaA nova semente da libertação! Com grito de esperançaE vem trazendo no sangue E de paz de pazA semente nova da revolução! Estamos pelas praçasSertaneja, manhã cedo, e somos milhõesvai ela sem medo, já vai trabalhar. nos campos e favelas som os multidõesTrabalho duro, suado, sempre conquistado a perdidos procuramos um caminhoduro penar. ninguém vai ser felizSai de casa, come nada, se andar sozinho.e sem deixar nada pros filhos comer.Volta trazendo um pouquinho, Laia, laia, laia, laia, láo ganho mesquinho não dá pra viver. Laia, laia, laia, laia.Mulher do povo humilhado, A fome entre os doentescomprado, enganado, em toda nação. e a fome no chão 3
  4. 4. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALfizeram do prazer a maldição A gente vai abrindo a porta.Nas mãos dos opressores nós sofremos Quem vai rir depois, ri melhor!Ser livres nós queremosE seremos! Esse amor tão bonito vai, Vai gerar nova vida, vaiA flor da liberdade Cicatriza feridas, fecunda rapaz.Em nosso olhar Enquanto governa a maldade,Paixão, ternura e sonho em nosso ar A gente canta a liberdade.De olho no futuro nós estamos O amor não se rende jamais!É a vida que amamose buscamos! 6. AMIGOS PARA SEMPRE (Versão: Sônia Mara)É esta a nossa horaE o tempo é pra nós Eu não tenho nada pra dizer,Que chegue em todo canto a nossa voz Você parece no momento até saberMiremos bem o espelho na memória O quanto eu estou sofrendo.Faremos jovem linda Vem, veja através dos olhos meusA nossa historia! A emoção que eu sinto em estar aqui Sentir seu coração me amando.5. SE É PRA IR PRA LUTA(Zé Vicente) Amigos para sempre é o que nós iremos ser,Se é ir pra luta - eu vou, Na primaveraSe é pra tá presente - eu tô Ou em qualquer das estações,Pois na vida da gente Nas horas tristes,o que vale é o amor./ Nos momentos de prazer.É que a gente junto vai, Amigos para sempre!Reacender estrelas vai,Replantar nosso sonho em cada coração. Você pode estar longe, muito longe, simEnquanto não chegar o dia, Mas por te amar sinto você perto de mim.enquanto persistir a agonia, E o meu coração contente.a gente ensina o baião! Não nos perderemos, não te esquecerei.Lauê... Você é minha vida, tudo o que eu sonhei E quis pra mim um dia.É que agente junto vai,Reabrindo caminhos, vai 7. CANÇÃO DA AMÉRICAAlargando a avenida pra festa geral. Fernando Brant e Milton NascimentoEnquanto não chegar a vitória,A gente refaz a vitória Amigo é coisa para se guardarPra o que há de ser afinal! Debaixo de sete chaves Dentro do coraçãoÉ que gente junto, vai, Assim falava a canção que na América ouviVai pra rua de novo, vai Mas quem cantava chorouLevantar a bandeia do sonho maior. Ao ver o seu amigo partirEnquanto eles mandam, não importa. 4
  5. 5. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALMas quem ficou, no pensamento voou Foi pro cativeiro e de lá cantou.Com seu canto que o outro lembrouE quem voou, no pensamento ficou Negro entoouCom a lembrança que o outro cantou Um canto de revolta pelos ares Nos quilombos dos palmaresAmigo é coisa para se guardar Onde se refugiou,No lado esquerdo do peito Fora a luta dos inconfidentes,Mesmo que o tempo e a distância digam "não" Pelas quebras das correntes, nada adiantou.Mesmo esquecendo a cançãoO que importa é ouvir E de guerra em paz de paz em guerra,A voz que vem do coração Todo povo desta terra Quando pode cantar, cantar de dor ô,ô.Pois seja o que vier, venha o que vier ô, ô, ô, ô, ô, ô...Qualquer dia, amigo, eu voltoA te encontrar E ecoa noite e dia, é ensurdecedor,Qualquer dia, amigo, a gente vai se Ai mas que agonia,encontrar. O canto do trabalhador. E esse canto que devia Ser um canto de alegria,8. CABECINHA NO OMBRO Soa apenas como um soluçar de dor. (Paulo Borges) Ô, ô, ô, ô.Encosta tua cabecinhano meu ombro e chora. 10. CANTO DO POVO DE UM LUGARE conta logo tuas magoas toda para mim. Caetano VelosoQuem chora no meu ombro Todo dia o sol levantaEu juro que não vai embora, E a gente cantaQue vai embora, O sol de toda noite.Que não vai embora. Fim da tarde a terra coraAmor eu quero o seu carinho, E a gente choraPorque eu vivo tão sozinho Porque finda a tardeNão sei se a saudade fica Quando a noite, a lua mansaOu se ela vai embora, e a gente dançaPorque gosta de mim. venerando a noite.9. CANTO DAS TRÊS RAÇAS(Paulo César Pinheiro/M. Duarte) 11. CASINHA BRANCA (Elpídio dos Santos)Ninguém ouviu, um soluçar de dorNo canto do Brasil. Fiz uma casinha brancaUm lamento triste ecoou, Lá no pé da serraDesde que o índio guerreiro, Pra nós dois morar. 5
  6. 6. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALFica perto da barranca Eu só peço a Deus,Do rio Paraná. Que o futuro não me seja indiferenteO lugar é uma beleza, Sem ter que fugir desenganadoEu tenho certeza, Para viver uma cultura diferente.Você vai gostar.Fiz uma capela bem do lado Solo lê piodo a Dios,Uma janela para dois morar. Que la guerra no me seja indiferente E um monstro grande e pisa fuerteQuando for dia de festa Toda la pobre inocência de la gente.Você veste o seu vestido de algodão.Quebro o meu chapéu na testa 13. FOI DEUS QUE FEZ VOCÊPara rematar as coisas do leilão. Luiz RamalhoSatisfeito eu vou levarVocê de braços dado Foi Deus que fez o céuAtrás da procissão. o rancho das estrelas fez também o seresteiroVou com meu terno listrado para conversar com elaUma flor do lado fez a luz que prateiaE meu chapéu na mão:/ a minha estrada de sorrisos e a serpente que expulsou mais de um milhão do paraíso...12. EU SÓ PEÇO A DEUS Foi Deus Leon Foi Deus que fez vocêEu só peço a Deus, Foi Deus quem fez o amorQue a dor não me seja indiferente Fez nascer a eternidadeQue a morte não me encontre um dia no momento do carinhoSolitário sem ter feito o que eu queria. fez até o anonimato dos afetos escondidosEu só peço a Deus, e a saudade dos amoresQue a injustiça não me seja indiferente que já foram destruídos...Pois não posso dar a outra face Foi Deus.Se já fui machucado brutalmente. Foi Deus quem fez o ventoEu só peço a Deus, Que sopra em seus capelosQue a guerra não me seja indiferente Foi Deus quem fez o orvalhoÉ um monstro grande e pisa forte Que molha o teu olhar, teu olharToda pobre e inocência dessa gente. Foi Deus que fez a noite E um violão pra genteEu só peço a Deus, Foi Deus que fez a genteQue o futuro não me seja indiferente Somente para amar,Se um só traidor tem mais poder que um Só para amar...povoQue esse povo não esqueça facilmente 6
  7. 7. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL Mas nem um caso mais forte Do que este que eu passei.14. JARDIM DA FANTASIA Na minha viagem de voltaPaulinho Pedra Azul Qualquer coisa eu cismei Vendo a porteira fechadaBem-te-vi, bem te vi O menino não avistei.Andar por um jardim em flor Apeei do meu cavaloChamando os bichos de amor, Num ranchinho abeira chãoTua boca pingava mel. Vi uma mulher chorando Quis saber qual a razão.Bem te quis, bem te quis Boiadeiro veio tardeE ainda quero muito mais Veja a cruz no estradãoMaior que a imensidão da paz Quem matou o meu filhinhoE bem maior que o sol. Foi o boi sem coração.Onde estas? Voei por esse céu azul, Lá pras bandas de ouro finoAndei estradas do além. Levando o gado selvagemOnde estarás meu bem. Quando passo na porteira Ainda vejo sua imagemOnde estas? Nas nuvens ou na insensatez Com seu rangido tão tristeMe beije só mais uma vez, Mais parece uma mensagemDepois volte pra lá. Daquele rosto trigueiro Desejando boa viagem.15. O MENINO DA PORTEIRA A cruzinha do estradão Ted Vieira / Luizinho Do pensamento não sai Eu já fiz um juramentoToda vez que eu viajava Que não esqueço jamaisPela estrada de ouro fino Nem que o meu gado estoureDe longe eu avistava Eu preciso ir atrásA figura de um menino Nesse pedaço de chãoQue corria a porteira Berrante eu não toco mais.Depois vinha me pedindoToque o berrante seu moço 16. ÚLTIMO PAU-DE-ARARAQue é pra eu ficar ouvindo Patativa do AssaréQuando a boiada passavaa poeira ia baixando A vida aqui só é ruim,Eu jogava uma moeda Quando não chove no chãoE ele saia pulando. Mas se chover dá de tudoObrigado boiadeiro Fartura tem de porção.Que Deus vá lhe acompanhando. Tomara que chova logo,Por este cartão afora Tomara meu Deus tomara.Meu berrante ia tocando. Só deixo o meu caririNos caminhos desta vida No último pau-de-arara.Muito espinho eu encontrei 7
  8. 8. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALEnquanto a minha vaquinha Vai dar tudo neste chão.Tiver o couro e osso /:Cuma vê nosso destinoE poder com o chocalho Mincê tem na vossa mão:/Pendurado no pescoço,Eu vou ficar por aquiQue Deus do céu me ajude. 18. EU QUERO ACREDITAR NA VIDAQuem foge a terra natal Zé MartinsEm outros canto não para. Eu quero acreditar na vidaSó deixo o meu cariri Ver o sol em cada amanhecerNo último pau-de-arara. Ter um rosto um sorriso amigo Acreditar que o sonho é pra valer17. VOZES DA SECA Eu quero ver meu peito aberto Luiz Gonzaga / Zé Dantas Caminhar e não olhar pra trás Caminheiro quero amor por perto.Seu doutor os nordestinos Quero o mundo construindo paz.tem muita gratidãopelo auxilio dos sulistas Canta comigo,nessa seca do sertão. Canta esta cançãoMas doutor uma esmola Pois cantando sonharemos juntosPara o homem que é são Pra fazer um mais irmão. (bis)Ou lhe mata de vergonhaOu vicia o cidadão. Eu quero acreditar no amorÉ por isso que pedimos ver a noite se afastar de mimProteção a vosmicê Em cada rua plantar uma florHome por nós escolhido E fazer da terra um jardim.Para as rédias do poder. Venha junto sonhar o desejoPois doutor dos 20 Estados De que o sonho não tenha mais fimTemos 8 sem chover No violão um som, um arpejoVeja bem quase a metade Construindo a paz, o amor enfim.Do Brasil ta sem comer.Dê serviço ao nosso povo 19. CIDADÃOencha os rios de barrage (Lúcio Barbosa)dê comida a preço bomnão esqueça a açudage. Tá vendo aquele edifício, moço?Livre assim dessa estiage Ajudei a levantarLhe pagamo até os juro Foi um tempo de aflição, era quatroSem gastar nossa coarge. condução Duas pra ir, duas pra voltarSe o doutor fizer assim Hoje, depois dele prontosalva o povo do sertão Olho pra cima e fico tontoquando um dia a chuva vim Mas me vem um cidadãoquer riqueza pra nação. Que me diz desconfiado:Nunca mais nós pensa em seca Cê tá ai admirado, ou tá querendo roubar? 8
  9. 9. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALMeu domingo está perdidoVou pra casa entristecidoDá vontade de beber 20. EU SÓ QUERO UM XODÓE pra aumentar meu tédio (Gilberto Gil)Eu nem posso olhar pro prédioQue eu ajudei a fazer Que falta eu sinto de um bem Que falta me faz um xodóTá vendo aquele colégio, moço? Mas como eu não tenho ninguémEu também trabalhei lá Eu levo a vida assim tão sóLá eu quase me arrebentoFiz a massa, pus cimento Eu só quero um amorAjudei a rebocar Que acabe o meu sofrerMinha filha inocente Um xodó pra mimVeio pra mim toda contente: Do meu jeito assimPai, vou me matricular Que alegre o meu viverMas me diz um cidadão:Criança de pé no chão aqui não pode estudarEssa dor doeu mais forte 21. CIO DA TERRANem sei porque deixei o norteEntão me pus a dizer Debulhar o trigoLá a seca castigava mas o pouco que eu Recolher cada bago do trigoplantava Forjar no trigo o milagre do pãotinha direito a colher E se fartar de pãoTá vendo aquela igreja, moço? Decepar a canaOnde o padre diz amém Recolher a garapa da canaPus o sino e o badalo Roubar da cana a doçura do mel,Enchi minha mão de calo Se lambuzar de melLá eu trabalhei tambémMas ali valeu a pena Afagar a terraTem quermesse, tem novena Conhecer os desejos da terraE o padre me deixa entrar Cio da terra a propícia estação, e fecundar oFoi lá que cristo me disse: chãoRapaz, deixe de tolice não se deixeamedrontarfui eu quem criou a terra enchi os rios e fiz 22. BAIÃO DAS COMUNIDADESas serras (Zé Vicente)não deixei nada faltar hoje o homem criouasas Somos gente nova vivendo a união,E na maioria das casas somos povo semente de uma nova nação ê,Eu também não posso entrar ê.... Somos gente nova vivendo o amor, somos comunidade, povo do Senhor, ê, ê... 9
  10. 10. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL1.Vou convidar os meus irmãos trabalha-dores: operários, lavradores, biscateiros e Seguia como num sonho, e boiadeiro era umoutros mais. reiE juntos vamos celebrar a confiança Mas o mundo foi rodando nas patas do meunossa luta na esperança de ter terra, pão e cavalopaz, ê, ê. E nos sonhos que fui sonhando, as visões se clareando2. Vou convidar os índios que ainda existem, As visões se clareando, até que um diaas tribos que ainda insistem no direito de acordeiviver. Então não pude seguir valente em lugarE juntos vamos reunidos na memória, tenentecelebrar uma vitória que vai ter que E dono de gado e gente, porque gado a genteacontecer, ê, ê. marca Tange, ferra, engorda e mata, mas com3. Convido os negros, irmãos no sangue e na gente é diferentesina; seu gingado nos ensina a dança daredenção. Se você não concordar não posso meDe braços dados, no terreiro da irmandade, desculparvamos sambar de verdade, enquanto chega a Não canto prá enganar, vou pegar minha violarazão, ê, ê. Vou deixar você de lado, vou cantar noutro lugar Na boiada já fui boi, boiadeiro já fui rei23. DISPARADA Não por mim nem por ninguém, que junto(Geraldo Vandré e Jair Rodrigues) comigo houvesse Que quisesse ou que pudesse, por qualquerPrepare o seu coração prás coisas que eu vou coisa de seucontar Por qualquer coisa de seu querer ir maisEu venho lá do sertão, eu venho lá do sertão longe do que euEu venho lá do sertão e posso não lhe Mas o mundo foi rodando nas patas do meuagradar cavalo já que um dia montei agora sou cavaleiroAprendi a dizer não, ver a morte sem chorar Laço firme e braço forte num reino que nãoE a morte, o destino, tudo, a morte e o tem reidestino, tudoEstava fora do lugar, eu vivo prá consertar 24. ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCONa boiada já fui boi, mas um dia me monteiNão por um motivo meu, ou de quem comigo Senhor, fazei-me instrumento da vossa pazhouvesse Onde houver ódio, que eu leve o amorQue qualquer querer tivesse, porém por Onde houver ofensa, que eu leve o perdãonecessidade Onde houver discórdia, que eu leve a uniãoDo dono de uma boiada cujo vaqueiro morreu Onde houver dúvida, que eu leve a féBoiadeiro muito tempo, laço firme e braço Onde houver erro, que eu leve a verdadeforte Onde houver desespero, que eu leve aMuito gado, muita gente, pela vida segurei esperança 10
  11. 11. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALOnde houver tristeza, que eu leve a alegriaOnde houver trevas, que eu leve a luz. Vem, vamos embora que esperar não é saber...Ó mestre, fazei que eu procure mais Os amores na mente, as flores no chãoconsolar do que ser consolado A certeza na frente, a história na mãoCompreender do que ser compreendido Caminhando e cantando e seguindo a cançãoAmar que ser amado Aprendendo e ensinando uma nova liçãoPois, é dando que se recebeÉ perdoando que se é perdoado; Vem, vamos embora que esperar não éE morrendo que se vive saber...Para a vida eterna 26. BOIADEIRO25. PRÁ NÃO DIZER QUE NÃO FALEI (Luíz Gonzaga)DE FLORES(Geraldo Vandré) Vai boiadeiro que a noite já vem Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bemCaminhando e cantando e seguindo a cançãoSomos todos iguais braços dados ou não De manhazinha quando eu sigo pela estradaNas escolas, nas ruas, campos, construções Minha boiada pra invernada eu vou levarCaminhando e cantado e seguindo a canção Quando as cabeça é muito pouco é quase nada mas não tem outras mais bonitas noVem, vamos embora que esperar não é saber lugarQuem sabe faz a hora, não espera acontecer Vai boiadeiro que o dia já vem ....Pelos campos a fome em grandes plantaçõesPelas ruas marchando indecisos cordões De tardezinha quando eu venho pela estradaAinda fazem da flor seu mais forte refrão A fiarada ta todinha a me esperarE acreditam nas flores vencendo o canhão São dez fiinha é muito pouco é quase nada mas não tem outros mais bonitos no lugarVem, vamos embora que esperar não ésaber... Vai boiadeiro que a tarde já vem...Há soldados armados, amados ou não E quando eu chego na canssela da moradaQuase todos perdidos de armas na mão Minha Rosinha vem correndo me abraçarNos quartéis lhes ensinam uma antiga lição: É pequenina é miudinha é quase nada mas nãoDe morrer pela pátria e viver sem razão tem mais bonita no lugarVem, vamos embora que esperar não é Vai boiadeiro que a noite já vem...saber....Nas escolas, nas ruas, campos, construções 27. EU QUERO VERSomos todos soldados, armados ou não (Zé Vicente)Caminhando e cantando e seguindo a cançãoSomos todos iguais, braços dados ou não Eu quero ver ,eu quero ver acontecer 11
  12. 12. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALUm sonho bom, sonho de muitos acontecer quero matar meu desejoNascendo da noite escura Te mando um monte de beijos,Amanhã futura trazendo amor aí que saudade sem fim."No vento da madrugadaA paz tão sonhada brotando em flor E se quiser recordarNos braços da estrela guia daquele nosso namoroA alegria chegando da dor Quando eu ia viajarNa sombra verde e florida crianças em você caía no chorovida brincando de irmãos Eu chorando pela estradaNo rosto da juventude mas o que eu posso fazerSorriso e virtude virando canção Trabalhar é minha sinaAlegre e feliz camponês eu gosto mesmo é docêEntrando de vez na posse do chãoUm sorriso em cada rosto 29. A VOLTA DA ASA BRANCAUma flor em cada mão (Luiz Gonzaga)A certeza na estradaO amor no coração Já faz 3 noites que pro norte relampeiaE uma semente nova escondida A asa branca ouvindo o ronco do trovãoEm cada palmo desde chão Já bateu asas e voltou pro meu sertão Ai, ai, ai, eu vou-me embora, vou cuidar daUm sonho que se sonha só plantaçãoPode ser pura ilusão Já bateu asas e voltou pro meu sertãoSonho que se sonha junto Ai, ai, ai, eu vou-me embora, vou cuidar daÉ sinal de solução companheira,companheiro plantaçãoVamos ligeiro,sonhar em mutirão A seca fez eu desertar a minha terra Mas felizmente Deus agora se “alembrou”28. AÍ, QUE SAUDADE DOCÊ De mandar chuva pra esse sertão sofredor(Vital Farias) Sertão das “muié séria” dos “home trabaiadô”Não se admire se um dia De mandar chuva pra esse sertão sofredorum beija-flor invadir Sertão das “muié séria” dos “homeA porta da tua casa, trabaiadô”te der um beijo e partirFui eu que mandei o beijo Rios correndo as cachoeiras tão zoandoque é pra matar meu desejo Terra molhada mato verde que riquezaFaz tempo que eu não te vejo E a asa branca tarde canta que belezaaí que saudade docê Ai, ai, ai, o povo alegre mais alegre a naturezaSe um dia você lembrar E a asa branca tarde canta que belezaescreva uma carta pra mim Ai, ai, ai, o povo alegre mais alegre aBote logo no correio naturezacom frases dizendo assim:"Faz tempo que eu não te vejo, Revendo a chuva me “arrecordo” de Rosinha 12
  13. 13. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALA linda flor do meu sertão pernambucano Eu já dancei, balancei,E se a safra não atrapalhar meus planos Chamego, samba em XerémQue é que há seu vigário Mas o baião tem um quê,Vou casar no fim do ano Que as outras danças não têm Quem quiser só dizer, Pois eu com satisfação30. A VIDA DE VIAJANTE Vou dançar cantando o baião(Luiz Gonzaga e Hervê Cordovil) Eu já cantei no ParáMinha vida é andar Toquei sanfona em BelémPor esse país Cantei lá no Ceará e sei o que me convémPra ver se um dia Por isso quero afirmarDescanso feliz Com toda convicçãoGuardando as recordações Que sou doido pelo baiãoDas terras por onde passeiAndando pelos sertõesE dos amigos que lá deixei. 32. CIRANDA DA ROSA VERMELHAChuva e sol Teu beijo docePoeira e carvão Tem sabor do mel da canaLonge de casa Sou tua ama, tua escravaSigo o roteiro Meu amorMais uma estação Sou tua cana, teu engenho, teu moinhoE alegria no coração. Tu és feito um passarinho Que se chama beija-florMar e terra Sou tua cana, teu engenho, teu moinhoInverno e verão Tu és feito um passarinhoMostra o sorriso Que se chama beija-florMostra a alegria Sou rosa vermelhaMas eu mesmo não Ai! Meu bem quererE a saudade no coração Beija-flor sou tua rosa E hei de amar-te até morrer31. BAIÃO (Luiz Gonzaga) Sou rosa vermelha Ai! Meu bem quererEu vou mostrar pra vocês Beija-flor sou tua rosaComo se dança o baião E hei de amar-te até morrerE quem quiser aprenderÉ favor presta atenção Quando tu voas Pra beijar as outras floresMorena chegue pra cá, Eu sinto doresBem junto ao meu coração Um ciúme e um calorAgora é só me seguir Que toma o peito, o meu corpoPois eu vou dançar o baião E invade a alma Só meu beija-flor acalma 13
  14. 14. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALTua escrava, meu senhor Saudade inté que assim é bomQue toma o peito, o meu corpo Pro cabra se convencerE invade a alma Que é feliz sem saberSó meu beija-flor acalma Pois não sofreuTua escrava, meu senhor Porém, se a gente vive a sonharSou rosa vermelha Com alguém que se deseja reverAi! Meu bem querer Saudade intonce aí é ruimBeija-flor sou tua rosa Eu tiro isso por mimE hei de amar-te até morrer Que vivo doido a sofrerSou rosa vermelha Ai, quem me dera voltarAi! Meu bem querer Pros braços do meu xodóBeija-flor sou tua rosa Saudade assim faz doerE hei de amar-te até morrer Amarga que nem jiló33. ESTRADA DO CANINDÉ Mas ninguém pode dizer(Luiz Gonzaga) Que vivo triste a chorarAi, ai, que bom Saudade, meu remédio é cantarQue bom, que bom que é Saudade, meu remédio é cantarUma estrada e uma caboclaUma gente andando a péAi, ai, que bom 35. ABRE A JANELA MEU BEMQue bom, que bom que é (Zé Vicente)Uma estrada e a lua brancaNo sertão de Canindé Abre a janela meu bem!Automóve lá nem se sabe Vem ver o dia que vem!Se é homem ou se é muié Deixa o sol entrar,e ovento falarQuem é rico anda em burrico Que eu te quero bem.Quem é pobre anda a péMas o pobre vê nas estrada Deixa a brisa da manhã te abraçar,O orvaio beijando as flor Vê a rosa no canteiro te sorrir.Vê de perto o galo campina Vou pedir galo-campina pra cantar,Que quando canta muda de cor Vou mandar te dar bom-dia o bem-te-vi.Vai moiando os pé nos riachoQue água fresca, nosso senhor Essa vida com amor,Vai oiando, coisa a granel Acordado é o melhor jeito de sonhar.Coisas que pra mode ver Que o carinho seja o bom sabor,O cristão tem que andar a pé E a razão pra toda hora começar.34. QUI NEM JILÓ Se a saudade ou o cansaço te bater, Busque a força no segredo da paixão.Se a gente lembra só por lembrar Não me esqueça, que eu não vou te esquecer,Do amor que a gente um dia perdeu Somos um neste país que é o coração. 14
  15. 15. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL Se é pra ir a luta, eu vou Se é pra tá presente, eu tô Pois na vida da gente o que vale é o amor36. CANÇÃO PRA MARGARIDA É que a gente junto vai(Zé Vicente) Reacender estrelas vai Replantar nosso sonho em cada coraçãoNão faz muito tempo, seu moço Enquanto não chegar o diaNas terras da Paraíba Enquanto persiste a agoniaViveu uma mulher de fibra A gente ensaia o baiãoMargarida se chamou Lauê, lauê, lauê, lauêE um patrão com uma balaTentou calar sua fala É que a gente junto vaiE o sonho dela se espalhou Reabrindo caminhos vaiJá faz muito tempo, seu moço Alargando a avenida pra festa geralQue enriba deste chão Enquanto não chega a vitóriaE em toda nossa Nação A gente refaz a históriaO pobre é pra lá e pra cá Pro que há de ser afinalLavrador faz mas não come Lauê, lauê, lauê, lauêE a miséria é sobrenomeDo povo deste lugar É que a gente junto vai Vai pra rua de novo, vaiE quando na carne da gente ordia a opressão Levantar a bandeira do sonho maiorMargarida erguia a mão Enquanto eles mandam, não importaE seu grito era o nosso clamor A gente vai abrindo a porta Quem vai rir depois, ri melhorDaqui a algum tempo, seu moço Lauê, lauê, lauê, lauêSe a gente não se cuidarSe o pobre não se ajudarTubarão engole a alegria 38. UTOPIA (Zé Vicente)Pois o jeito é treinar o braçoPara desatar esse laço Quando o dia da paz renascerQue amarra o fulô do dia Quando o Sol da esperança brilharE quando na roça da gente brilhar as espigas Eu vou cantarVai ter festa e nas cantigasMargarida vai vier Quando o povo nas ruas sorrirE quando na praça e na rua florir Margaridas E a roseira de novo florirVai ser bonito de ver Eu vou cantarVai ser bonito de viver! Quando as cercas cairem no chão Quando as mesas se encherem de pão37. O QUE VALE É O AMOR Eu vou cantar(Zé Vicente) Quando os muros que cercam os jardins, destruídos 15
  16. 16. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALEntão os jasmins vão perfurmar frente Como um velho boiadeiro levando a boiadaVai ser tão bonito se ouvir a canção Eu vou tocando dias pela longa estrada euCantada de novo vouno olhar da gente a certeza de irmãos Estrada eu soureinado do povo (2x) Conhecer as manhas e as manhãs...Quando as armas da destruiçãodestruídas em cada nação Todo mundo ama um dia todo mundo chora,eu vou sonhar Um dia a gente chega, no outro vai embora Cada um de nós compõe a sua históriaE o decreto que encerra a opressão Cada ser em si carrega o dom de ser capazassinado só no coração E ser felizvai triunfar Conhecer as manhas e as manhãs...Quando a voz da verdade se ouvire a mentira não mais existir Ando devagar porque já tive pressaserá enfim E levo esse sorriso porque já chorei demaistempo novo de eterna justiça Cada um de nós compõe a sua história,sem amis odio sem sangue ou cobiça Cada ser em si carrega o dom de ser capazvai ser assim E ser felizVai ser tão bonito se ouvir a cançãoCantada de novono olhar da gente a certeza de irmãos 40. ASA BRANCAreinado do povo (2x) (Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira) Quando olhei a terra ardendo39. TOCANDO EM FRENTE Qual fogueira de São João(Almir Sater) Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiaçãoAndo devagar porque já tive pressaE levo esse sorriso porque já chorei demais Que braseiro, que fornalhaHoje me sinto mais forte, mais feliz quem Nem um pé de plantaçãosabe Por falta dágua perdi meu gadoSó levo a certeza de que muito pouco eu sei Morreu de sede, meu alazãoOu nada sei Até mesmo a Asa BrancaConhecer as manhas e as manhãs, Bateu asas do sertãoO sabor das massas e das maçãs, Então eu disse: Adeus, RosinhaÉ preciso amor pra poder pulsar, Guarda contigo meu coraçãoÉ preciso paz pra poder sorrir,É preciso a chuva para florir Hoje longe, muitas léguas Numa triste solidãoPenso que cumprir a vida seja simplesmente Espero a chuva cair de novoCompreender a marcha e ir tocando em Pra eu voltar pro meu sertão 16
  17. 17. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALQuando o verde dos teus olhos Só tenha enxada e titulo de eleitorSe espalhar na plantação Para voltar em seu fulano educadoEu te asseguro: não chores, não, viu? Que nada faz pelo pobre agricultorQue eu voltarei, viu? Que não tem terra para fazer o seu roçado.Meu coração. Sou um soldado retirante, sem medalha. Sou estrangeiro quando pego a reclamar41. MISTÉRIOS Sou camponês que usa tanga e sandália(Zé Vicente) Sou brasileiro só na hora de votar.Todas as coisas são mistérios Esse país é do tamanho de um continente.O que me faz viver Mais não tem terra para o homem de mãoO que me faz te amar grossaNem sequer por que eu penso em você De norte a sul, de nascente a poenteNão consigo explicar Vivo a procura de um lugar pra fazer roça.O vento que sopra na rosa Eu sou comprado com cem gramas de sorrisoA luz que brilha em teu olhar Mas sou cismado com um grau de traição.O que ferve aqui dentro do peito ao te Já vou fugindo dos que tem o rosto liso.beijar Já que o meu é cheio de grutilhãoPor que tanta dor pela rua Estudo o rádio, fico cheio de alegriaPor que tanta morte no ar Quando se fala que reforma vai chegarPor que os homens promovem a guerra Espero um ano, espero dois e só se criaEm nome da paz? Falsos projetos pra poder nos tapiáPor que o cientista não mostraUm jeito bem feito afinal Até na igreja tenho encontrado tapiáQue seja vacina do amor Às vezes fico sem saber pra onde váContra o vírus do mal Mas esse Deus de sombra e água fria Ou é de todos ou um dia passará.Aquele encontro surpresoAquela emoção ao te ver 43. AMOR DE ÍNDIONão me peça qualquer explicação (Beto Guedes, Ronaldo Bastos)Eu não posso dizerO que há de segredo amanhã Tudo que move é sagradoO que vai ser do meu coração E remove as montanhasTe procuro amor, por favor Com todo cuidado, meu amorNesse instante o que vale é a canção Enquanto a chama arder Todo dia te ver passar42. EU SOU ROCEIRO Tudo viver ao teu lado Com o arco da promessaEu sou roceiro vivo de cavar o chão No azul pintado pra durarAs minhas mãos são calejadas, meu senhor.Me falta terra, falta casa, falta pão Abelha fazendo melVivo bem longe do Brasil, do lavrador Vale o tempo que não voou 17
  18. 18. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALA estrela caiu do céu chãoO pedido que se pensou Todo artista tem de ir aonde o povo estáO destino que se cumpriu Se foi assim, assim seráDe sentir teu calor Cantando me disfarço e não me canso deE ser todo viver nem de cantarTodo dia é de viverPara ser o que for 45. BOLA DE MEIA, BOLA DE GUDEE ser tudo (Milton Nascimento)Sim, todo amor é sagrado Há um menino Há um molequeE o fruto do trabalho Morando sempre no meu coraçãoÉ mais que sagrado, meu amor Toda vez que o adulto balançaA massa que faz o pão Ele vem pra me dar a mãoVale a luz do teu suorLembra que o sono é sagrado Há um passado no meu presenteE alimenta de horizontes Um sol bem quente lá no meu quintalO tempo acordado de viver Toda vez que a bruxa me assombra O menino me dá a mãoNo inverno te protegerNo verão sair pra pescar E me fala de coisas bonitasNo outono te conhecer Que eu acreditoPrimavera poder gostar Que não deixarão de existirNo estio me derreter Amizade, palavra, respeitoPra na chuva dançar Caráter, bondade alegria e amorE andar junto Pois não possoO destino que se cumpriu Não devoDe sentir teu calor Não queroE ser tudo Viver como toda essa gente Insiste em viver44. BAILES DA VIDA E não posso aceitar sossegado(Milton Nascimento) Qualquer sacanagem ser coisa normalFoi nos bailes da vida, ou num bar em troca Bola de meia, bola de gudede pão O solidário não quer solidãoQue muita gente boa pôs o pé na profissão Toda vez que a tristeza me alcançaDe tocar um instrumento e de cantar O menino me dá a mãoNão importando se quem pagou quis ouvir, foi Há um meninoassim Há um molequeCantar era buscar o caminho que vai dar no Morando sempre no meu coraçãosol Toda vez que o adulto fraquejaTenho comigo as lembranças do que eu era Ele vem pra me dar a mãoPara cantar nada era longe, tudo tão bomTé a estrada de terra na boléia de 46. CÁLICEcaminhão, era sim (Chico Buarque/Gilberto Gil)Com a roupa encharcada e a alma repleta de 18
  19. 19. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALPai, afasta de mim este cálice Quero inventar o meu próprio pecadoPai, afasta de mim este cálice Quero morrer do meu próprio venenoDe vinho tinto de sangue Quero perder de vez tua cabeça Minha cabeça perder teu juízoComo beber dessa bebida amarga? Quero cheirar fumaça de óleo diselTragar a dor engolir a labuta? Me embriagar até que alguém me esqueçaMesma calada a boca resta o peitoSilêncio na cidade não se escutaDe que me vale ser filho da santa? 47. ROMARIAMelhor seria ser filho da outraOutra realidade menos morta É de sonho e de póTanta mentira tanta força bruta O destino de um só feito eu perdido em pensamentosPai, afasta de mim este cálice sobre o meu cavaloPai, afasta de mim este cálice É de laço e de nóDe vinho tinto de sangue De gibeira ou jiló Dessa vida cumprida a solComo é difícil acordar caladoSe na calada da noite eu me dano Sou caipira pirapora nossaQuero lançar um grito desumano Senhora de AparecidaQue é uma maneira de ser escutado Que ilumina a mina escuraEsse silêncio todo me atordoa e funda o trem da minha vidaAtordoado eu permaneço atento Sou caipira pirapora nossaNa arquibancada pra qualquer momento Senhora de AparecidaVer emergir o monstro da lagoa Que ilumina a mina escura e funda o trem da minha vidaPai, afasta de mim este cálicePai, afasta de mim este cálice O meu pai foi peãoDe vinho tinto de sangue Minha mãe solidão meus irmãos perderam-se na vidaDe muito gorda a porca já não anda a custa de aventurasDe muito usada a faca já não corta Descasei, jogueiComo é difícil, pai, abrir a porta investi, desistiEssa palavra presa na garganta Se há sorte eu não sei nunca vi.Esse pileque homérico no mundoDe que adianta ter boa vontade Sou caipira pirapora nossaMesmo calado o peito resta a cuca Senhora de AparecidaDos bêbados do centro da cidade Que ilumina a mina escura e funda o trem da minha vidaPai, afasta de mim este cálice Sou caipira pirapora nossaPai, afasta de mim este cálice Senhora de AparecidaDe vinho tinto de sangue Que ilumina a mina escura e funda o trem da minha vidaTalvez o mundo não seja pequenoNem seja a vida um fato consumado Me disseram porém 19
  20. 20. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALque eu viesse aqui Possui a estranha maniapra pedir em romaria e prece De ter fé na vida....Paz nos desaventosComo não sei rezar 49. A GRANDE ESPERANÇASó queria mostrarMeu olhar, meu olhar, meu olhar A classe roceira e a classe operária Ansiosas esperam a reforma agráriaSou caipira pirapora nossa Sabendo que ela dará soluçãoSenhora de Aparecida Para situação que está precária.Que ilumina a mina escura Saindo projeto do chão brasileiroe funda o trem da minha vida De cada roceiro ganhar sua áreSou caipira pirapora nossa Sei que miséria ninguém viveriaSenhora de Aparecida E a produção já aumentariaQue ilumina a mina escura Quinhentos por cento até na pecuária!e funda o trem da minha vida Esta grande crise que a tempo surgiu48. MARIA, MARIA Maltrata o caboclo ferindo seu brio(Milton Nascimento e Fernando Brant) Dentro de um país rico e altaneiro, Morrem brasileiro de fome e de frio.Maria, Maria Em nossas cidades ricas em imóveisÉ um dom, uma certa magia Milhões de automóveis já se produziu,Uma força que nos alerta Enquanto o coitado do pobre operárioUma mulher que merece Vive apertado ganhando salário,Viver e amar Que sobe depois que tudo subiu!Como outra qualquerDo planeta Nosso lavrador que vive do chão Só tem a metade da sua produçãoMaria, Maria Por que a semente que ele semeiaÉ o som, é a cor, é o suor Tem quer a meia com o seu patrão!É a dose mais forte e lenta O nosso roceiro vive num dilemaDe uma gente que rí E o problema não tem soluçãoQuando deve chorar Por que o ricaço que vive folgadoE não vive, apenas aguenta Acha que projeto se for assinado, Estará ferindo a Constituição!Mas é preciso ter forçaÉ preciso ter raça Mas grande esperança o povo conduzÉ preciso ter gana sempre E pede a Jesus pela oração,Quem traz no corpo a marca Pra guiar o pobre por onde ele trilha,Maria, Maria E para a família não faltar o pão.Mistura a dor e a alegria Que eles não deixam o capitalismo Levar ao abismo a nossa nação,Mas é preciso ter manha A desigualdade aqui é tamanhaÉ preciso ter graça Enquanto o ricaço não sabe o que ganhaÉ preciso ter sonho sempre O pobre do pobre vive de ilusão!Quem traz na pele essa marca 20
  21. 21. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL profundo, É o sopro do criador numa atitude repleta de amor.50. O QUE É, O QUE É(Gonzaguinha) Você diz que é luta e prazer, Ele diz que a vida é viver,Eu fico com a pureza da resposta das Ela diz que melhor é morrercrianças: Pois amada não é, e o verbo é sofrer.É a vida! É bonita e é bonita!Viver e não ter a vergonha de ser feliz, Eu só sei que confio na moçaCantar, e cantar, e cantar, E na moça eu ponho a força da fé,A beleza de ser um eterno aprendiz. Somos nós que fazemos a vidaAh, meu Deus! Como der, ou puder, ou quiser, Sempre desejada por mais que estejaEu sei e eu sei errada, Ninguém quer a morte, só saúde e sorte,Que a vida devia ser bem melhor e será, E a pergunta roda, e a cabeça agita.Mas isso não impede que eu repita:É bonita, é bonita e é bonita! 51. RIACHO DO NAVIOsimbora povo (Luiz Gonzaga e Zé Dantas)Viver e não ter a vergonha de ser feliz, Riacho do NavioCantar, e cantar, e cantar, Corre pro PajeúA beleza de ser um eterno aprendiz. O rio PajeúAh, meu Deus! Vai despejar no São Francisco E o rio São Francisco vai bater no meio do marEu sei O rio São Francisco vai bater no meio do mar.Que a vida devia ser bem melhor e será,Mas isso não impede que eu repita: Ah, se eu fosse um peixeÉ bonita, é bonita e é bonita! Ao contrário do rio Nadava contra as águasE a vida? E nesse desafioE a vida o que é, diga lá , meu irmão? Saía lá do mar pro riacho do NavioEla é a batida de um coração? Eu ia direitinho pro riacho do Navio.Ela é uma doce ilusão? ê ôMas e a vida? Ela é maravilha ou é Pra ver o meu brejinhosofrimento? Fazer umas caçadasEla é alegria ou lamento? Ver as pegas de boiO que é? O que é, meu irmão? Andar nas vaquejadas Dormir ao som do chocalhoHá quem fale que a vida da gente é um nada E acordar com a passaradano mundo, Sem rádio, sem notícia das terras civilizadas.É uma gota, é um tempo que nem dá umsegundo,Há quem fale que é um divino mistério 21
  22. 22. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL Não é cova grande, é cova medida É a terra que querias ver dividida É uma cova grande pra teu pouco defunto52. ACORDA MARIA BONITA Mas estás mais ancho que estavas no mundo(Antônio dos Santos) É uma cova grande pra teu defunto porcoAcorda Maria Bonita Porém mais que no mundo te sentirás largoLevanta vai fazer o café É uma cova grande pra tua carne poucaQue o dia já vem raiando Mas a terra dada, não se abre a bocaE a polícia já está de pé É a conta menor que tiraste em vidaSe eu soubesse que chorando É a parte que te cabe deste latifúndioEmpato a tua viagem É a terra que querias ver divididaMeus olhos eram dois rios Estarás mais ancho que estavas no mundoQue não te davam passagem Mas a terra dada, não se abre a boca.Cabelos pretos aneladosOlhos castanhos delicados 55. LUAR DO SERTÃO (Vicente Celestino)Quem não ama a cor morenaMorre cego e não vê nada Ah que saudade Do luar da minha terra53. XOTE ECOLÓGICO Lá na serra branquejandoLuíz Gonzaga Folhas secas pelo chão Este luar cá da cidade tão escuroNão posso respirar, não posso mais nadar Não tem aquela saudadeA terra está morrendo, não dá mais pra Do luar lá do sertãoplantarSe planta não nasce se nasce não dá Não há oh gente oh nãoAté pinga da boa é difícil de encontrar Luar como este do sertão (bis)Cadê a flor que estava aqui?Poluição comeu. A gente friaE o peixe que é do mar? Desta terra sem poesiaPoluição comeu Não se importa com esta luaE o verde onde que está ? Nem faz caso do luarPoluição comeu Enquanto a onçaNem o Chico Mendes sobreviveu Lá na verde da capoeira Leva uma hora inteira54. FUNERAL DE UM LAVRADOR Vendo a lua derivarJoão Cabral de Melo Neto Ai quem me deraEsta cova em que estás com palmos medida Que eu morresse lá na serraÉ a conta menor que tiraste em vida Abraçado à minha terraÉ de bom tamanho nem largo nem fundo E dormindo de uma vezÉ a parte que te cabe deste latifúndio Ser enterrado numa grota pequenina 22
  23. 23. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALOnde à tarde a surubina Ela dança de um lado,Chora a sua viuvez ela dança pro outroNão há oh gente oh não 58. ANUNCIAÇÃOLuar como este do sertão Alceu Valença Na bruma leve das paixões que vêm de56. TRANSGÊNICO É VENENO dentroAilton Soares - CE Tu vens chegando pra brincar no meu quintal No teu cavalo peito nu cabelo ao ventoRefrão: Transgênico é veneno E o sol quarando nossas roupas no varalAlerta povo pra o que estáacontecendo (bis) Tu vens, tu vens Eu já escuto os teus sinaisHá muito tempo prepararam essa invençãoPara dominar a área o meio de produção A voz do anjo sussurrou no meu ouvidoMas já sabemos o que pode acontecer E eu não duvido já escuto os teus sinaisSe engolir essa droga você pode até morrer Que tu virias numa manhã de domingo Eu te anuncio nos sinos das catedraisOs transgênicos também podem acabarCom a biodiversidade ter impacto ambiental 59. FELICIDADE.Comprometendo a segurança alimentar Lupicínio RodriguesConseqüência nós teremos, fique alertapessoal Felicidade foi se emboraAlerta povo não deixe se confundir E a saudade no meu peito ainda moraDiga não a tudo isso a Monsanto e outras E é por isso que eu gosto lá de foramais Porque sei que a falsidade não vigora.Nós precisamos delas para produzirLutaremos firmemente contra esse monstro A minha casa fica lá detrás do mundovoraz Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar57. MARIA DA PAZ O pensamento parece uma coisa à toa Mas como é que a gente voaMaria da paz, da paz, da paz quando começa a pensar.ela anda pra frente,ela anda pra trás (bis) 60. MORENINHA LINDAEla pula prum lado,ela pula pro outro... Meu coração tá pisadoEla cumprimenta de um lado, como a flor que murcha e caiela cumprimenta pro outro Pisado pelo desprezoEla abraça de lado, De um amor quando desfazEla abraça do outro Deixando triste a lembrançaEla belisca de um lado, Adeus para nunca maisela belisca de outro 23
  24. 24. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALMoreninha linda do meu bem quererÉ triste a saudade longe de vocêO amor nasce sozinho não é preciso plantar 62. MAMA ÁFRICAO amor nasce no peito, falsidade no olhar Chico CésarVocê nasceu para outro, eu nasci pra te amar (Refrão)Moreninha linda do meu bem querer Mama África (a minha mãe)É triste a saudade longe de você é mãe solteira e tem que fazerEu tenho meu canarinho que canta, quando mamadeira todo diame vê além de trabalharEu canto por ter tristeza, canário por como empacotadeirapadecer nas casas Bahia (repete 2 vezes)Da saudade da floresta, e eu saudade devocê mama África tem tanto o que fazer além de cuidar neném61. BELA MOCIDADE além de fazer denguimBumba Meu Boi de Axixá filhinho tem que entenderComposição: Donato / F. Naiva mama África vai e vem mas não se afasta de vocêQuando eu me lembro,Da minha bela mocidade. (Refrão)Eu tinha tudo a vontade,Brincando no boi de Axixá. quando mama sai de casaEu ficava com você, seus filhos se olodunzamNaquela praia ensolarada, rola o maior jazzE a tua pele bronzeada, mama tem calo nos pésEu começava a contemplar. mama precisa de paz mama não quer brincar maisMas é que o vento buliçoso balançava teus filhinho dá um tempocabelos, é tanto contratempoE eu ficava com ciúme do perfume ele tirar. no ritmo de vidaMas quando o banzeiro quebrava, de mamaTeu lindo rosto molhava,E a gente se rolava na areia do mar. (Refrão)Mas é que o vento buliçoso balançava teus deve ser legal ser negrão no Senegalcabelos, deve ser legal ser negrão no SenegalE eu ficava com ciúme do perfume ele tirar. deve ser legal ser negrão no SenegalMas quando o banzeiro quebrava,Teu lindo rosto molhava, (Refrão)E a gente se rolava na areia do mar. mama África... a minha mãe 24
  25. 25. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICALmama África ... a minha mãemama África ... a minha mãe 64. MALUCO BELEZA63. TENTE OUTRA VEZ (Raul Seixas / Claudio Roberto)Raul SeixasComposição: Raul Seixas / Marcelo Motta / Enquanto você se esforça prá serPaulo Coelho Um sujeito normal e fazer tudo igual, Eu do meu lado aprendendo a ser louco,Veja! Um maluco total, na loucura geral.Não diga que a canção Controlando a minha maluquez,Está perdida Misturada com minha lucidez,Tenha em fé em Deus Vou ficar, ficar com certeza, Maluco Beleza,Tenha fé na vida Eu vou ficar, ah! Ficar com certeza, MalucoTente outra vez!... Beleza.Beba! (Beba!) E esse caminho que eu mesmo escolhi,Pois a água viva É tão fácil seguir,Ainda tá na fonte Por não ter onde ir.(Tente outra vez!) Controlando a minha maluquez,Você tem dois pés Misturada com a minha lucidez, êhPara cruzar a ponte Controlando a minha maluquez,Nada acabou! Misturada com a minha lucidez,Não! Não! Não!... Vou ficar, ficar com certeza, Maluco Beleza,Oh! Oh! Oh! Oh!Tente! Eu vou ficar, ah! Ficar com certeza, MalucoLevante sua mão sedenta Beleza,E recomece a andar Eu vou ficar, ah! Ficar com certeza, MalucoNão pense que a cabeça agüenta Beleza, eh Ficar, ah!Se você parar Ficar com certeza, Maluco Beleza.Não! Não! Não!Não! Não! Não!...Há uma voz que canta 65. DEUS E EU NO SERTÃOUma voz que dança Victor e LeoUma voz que gira (Gira!)Bailando no ar Nunca vi ninguém viver tão felizUh! Uh! Uh!... Como eu no sertãoQueira! (Queira!) Perto de uma mata e de um ribeirãoBasta ser sincero e desejar profundo Deus e eu no sertãoVocê será capazDe sacudir o mundo Casa simplesinha, rede pra dormirVai! Tente outra vez! De noite um show no céuHumrum!... Deito pra assistirTente! (Tente!) Deus e eu no sertãoE não diga que a vitória está perdida Das horas não sei, mas vejo o clarãoSe é de batalhas que se vive a vida Lá vou eu cuidar do chãoHan!Tente outra vez!... Trabalho cantando, a terra é a inspiração Deus e eu no sertão 25
  26. 26. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL Vamos juntas, companheiras, vamos botarNão há solidão, tem festa lá na vila pra valerDepois da missa vou, ver minha menina Sem a mulher neste mundo seria tristeDe volta pra casa demaisQueima a lenha no fogão Não nascia gente nova e o mundo não tinha pazE junto ao som da mata A mulher nasceu pra ser pelo homem bemVou eu e um violão amadaDeus e eu no sertão...(3X) Ser amiga e companheira, não pra ser discriminada66. MAJESTADE, O SABIÁ Somos gente, somos forçaRoberta Miranda Temos que ter igualdade Ao lado dos homens fortesMeus pensamentos Transformar a realidade.Tomam formas e viajoVou pra onde Deus quiser 67. TERRALUm vídeo - tape que dentro de mim Ednardo (Comp: Hermenegildo Filho)Retrata todo o meu inconscienteDe maneira natural Eu venho das dunas brancasAh ah ah! Tô indo agora Onde eu queria ficarPrá um lugar todinho meu Deitando os olhos cansadosQuero uma rede preguiçosa pra deitar em Por onde a vida alcançarminha volta sinfonia de pardais cantando Meu céu é pleno de pazpara a majestade, o Sabiá Sem chaminés ou fumaça No peito enganos milTô indo agora tomar banho de cascata Na Terra é pleno abrilQuero adentrar nas matas Eu tenho a mão que aperreia, eu tenho o solAonde Oxossi é o Deus e areiaAqui eu vejo plantas lindas e cheirosas Eu sou da América, sul da América, SouthTodas me dando passagem perfumando o Americacorpo meu Eu sou a nata do lixo, eu sou o luxo da aldeia, eu sou do CearáEstá viagem dentro de mimFoi tão linda vou voltar a realidade Aldeia, Aldeota, estou batendo na porta práPrá este mundo de Deus lhe aperriáPois o meu eu este tão desconhecido Prá lhe aperriá, prá lhe aperriáJamais serei traído Eu sou a nata do lixo, eu sou o luxo da aldeia,Pois este mundo sou eu eu sou do Ceará A Praia do Futuro, o farol velho e o novo são66. ESTA LUTA NÃO É FÁCIL os olhos do marMaria Nazaré de Souza São os olhos do mar, são os olhos do mar O velho que apagado, o novo que espantado,Esta luta não é fácil, mas tem que acontecer vento a vida espalhouA mulher organizada tem que chegar ao Luzindo na madrugada, braços, corpospoder. suados, na praia falando amor. 26
  27. 27. Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Ceará FETRAECE CURSO ESTADUAL DE FORMAÇÃO SINDICAL 27

×