Cancioneiro

873 visualizações

Publicada em

Compilação de canções populares portuguesas

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cancioneiro

  1. 1. Cancioneiro, Gritos e Danças CANCIONEIRO DO GRUPO DE EXPLORADORES N.º3 CORPO NACIONAL DE ESCUTAS AGRUPAMENTO 191 – AVEIRO Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 1
  2. 2. Cancioneiro, Gritos e Danças EXEMPLO DE UM FOGO DE CONSELHO GRITOS e nós b-r-a-v-o bravo bravissimo muito bem.. alarriba cne cne cne ó olé olá piri piri CANÇÕES sobem as chamas cosac vovoy fogo antigo camalungo o carro do meu chefe à ida pra romaria gingangoolie DANÇAS limiambi batalha dos zulus dança de xercane nhanha corrida de cavalos guantanamera boogie boogie mariana ram sam sam NÚMEROS camioneta tá na hora elefantezinho malucos e as estrelas Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 2
  3. 3. Cancioneiro, Gritos e Danças CANÇÕES Ó FOGO Ó fogo Qu'és tão claro Tão quente E tão belo. Não nos deixes de alumiar Não nos deixes de alumiar SANTA CATARINA A Santa Catarina pirolim pirolim pim pim Era filha do Rei pirolim pirolim pim pim Seu pai era pagão pirolim pirolim pim pim Sua mãe não era não pirolim pirolim pim pim Um dia a rezar pirolim pirolim pim pim Seu pai foi encontrar pirolim pirolim pim pim Que fazes Catarina? pirolim pirolim pim pim Ajoelhada aí pirolim pirolim pim pim Eu rezo a Deus meu pai pirolim pirolim pim pim Que não conheces tu pirolim pirolim pim pim Ou paras de rezar pirolim pirolim pim pim Ou mando-te matar pirolim pirolim pim pim Não paro de rezar pirolim pirolim pim pim Podes mandar-me matar pirolim pirolim pim pim Seu pai num turbilhão pirolim pirolim pim pim Puxou de um facalhão pirolim pirolim pim pim E os anjinhos do céu pirolim pirolim pim pim Vieram-na buscar pirolim pirolim pim pim Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 3
  4. 4. Cancioneiro, Gritos e Danças TACOM PUNTA Tacom punta, tacom punta, Un, dos , três e yá La direcha, la esquierda La duas manos e el mandil Por um lado, por el outro Cambia de parella assi. CANÇÃO DO ADEUS (tradicional) I Chegou a hora do adeus, irmãos, Vamos partir, No abraço dado em Deus, irmãos, Vamo-nos despedir. Partimos com a esp´rança, irmãos, De um dia aqui voltar Com fé e confiança, irmãos, Partimos a cantar. II A Deus que fez bela Amizade Nós vamos pedir Nos guarde em unidade E que nos torne a reunir. Adeus, Irmãos, tenhamos Fé no nosso belo ideal Por nós será melhor a Juventude em portugal. III Partimos co´a promessa, sim, Do Bem sempre cumprir, Com Amor sem fim Ao nosso próximo "Servir". Juntemos co´alegria As mãos, unidos como irmãos, E ás almas numa esp´rança A fé daremos de cristãos. IV Por fim, seguindo a "grande pista" Do nosso Dever, A meta está á vista e Boa caça vamos ter. Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 4
  5. 5. Cancioneiro, Gritos e Danças Eh! Boa caminhada, Irmãos, em marcha até aos céus, Á tenda abençoada Do Divino Chefe, adeus. ALOUETTE refrão: Alouette, gentille alouette, Alouete, je te plumerai. (bis) Guia: je te plumerai la tête (subindo de tom) Coro: je te plumerai la tête (descendo de tom) Guia: et la tête Coro: et la tête Guia: alouette Coro: alouette (3 vezes a velocidades muito diferentes) Guia: oooOOOHHOOooo!!! assim que o Guia começa a cantar o "oooOOOHHOOoo" o coro acompanha logo e cantam a seguir o refrão Guia: je te plumerai le bec (subindo de tom) Coro: je te plumerai le bec (descendo de tom) Guia: et le bec Coro: et le bec Guia: et la tête Coro: et la tête a cantiga segue sempre, repetitiva, aumentando as partes pela ordem: la tête, le bec, le cou, le dos, le pied, acompanhando sempre com gestos tocando na parte do corpo respectiva: testa, bico, pescoço, costas, patas. A VIDA DE UM MARINHEIRO Vou-me embora, vou partir, Mas tenho esperança De correr o mundo inteiro, Quero ir. Quero ver e conhecer Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 5
  6. 6. Cancioneiro, Gritos e Danças Rosa branca A vida dum marinheiro Sem dormir E a vida dum marinheiro Branca flor Que anda lutando no mar Com talento, Adeus, adeus Minha mãe, meu amor Eu hei-de, hei-de voltar Com o vento. O PASSARINHO Eu vi um passarinho Ás 4 da madrugada O passarinho cantou Ás portas da sua amada Por ouvir cantar tão belo A sua amada chorou Ás 4 da madrugada Por ele se apaixounou Ao ver isto o passarinho Com ela quis fugir Mas o pai dela topou E deu-lhe um enxerto de porrada Tão triste que ele ficou Que nunca mais voltou Ás 4 da madrugada Ás portas da sua amada. RAMA DA OLIVEIRA Ó rama, ó que linda rama, Ó rama da oliveira O meu par é o mais lindo Que anda aqui na roda interia Que anda aqui na roda inteira Aqui e em qualquer lugar Ó rama, ó que linda rama O rama do olival. Gosto muito de ouvir Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 6
  7. 7. Cancioneiro, Gritos e Danças Cantar a quem aprendeu Se houvera quem me ensinasse Quem aprendia era eu Não invejo a quem tem Carros, parelhas e montes Só invejo a quem bebe A água em todas as fontes Minha alma já viu mil montes Vales perdidos na serra Só não viu rinocerontes Iguais aos da nossa terra. VACA DE FOGO Á volta daquela igreja Vai um grande rodopio Ás voltas duma coisa velha Reina grande confusão Os putos já fazem guerra Deitam fogo a rebentar Soltaram uma vaca em chamas Com um homem a guiar São voltas, ai amor são voltas Sete voltas, ai São as voltas da canalha. RADIOSA FLORAÇÃO Radiosa floração, gentil da vida Dando frutos de gloria verdadeira A mocidade heroica e destemida Ergue em triunfo a Nacional Bandeira Á mães cheias de orgulho sorridente Ao ver passar falanges imponentes Os seus filhos nm garbo deslumbrante Escuteiros leais, avante, avante! HINO DO C.N.E. Nós somos os escuteiros Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 7
  8. 8. Cancioneiro, Gritos e Danças Desta pátria sem rival E fomos nós dos primeiros A levantar Portugal Avante escuteiros Em frente a cantar Marchemos ligeiros E sem vacilar A pátria confia no escuta leal É Deus quem nos guia Alerta! Viva Portugal! FLOR DA FRAGÂNCIA Somos a Flor da Fragância Que se difunde á distância Pulsa-nos dentro do peito Um coração que anda afeito Aos heróicos sacrifícios De vencer paixões e vícios Na mais renhida peleja Pela pátria e pela Igreja. Nos combates da virtude Conquistamos a saúde E ganhamos cada dia O doce pão da alegria Queremos a alma no olhar Limpidamente a brilhar Encantadora a sorrir Bela aurora do porvir ORAÇÃO DO ESCUTA Senhor Jesus Ensinai-me a ser generoso A servir-vos como vós o mereceis A dar-me sem medida a combater Sem cuidar das feridas A trabalhar sem procurar descanço A gastar-me sem esperar outra recompensa Se não souber que faço a vossa vontade santa Amen JANEIRAS I Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 8
  9. 9. Cancioneiro, Gritos e Danças Vamos cantar as Janeiras Por esses quintais a dentro vamos Ás raparigas solteiras Pam pararabiripam, pam II Vamos cantar orvalhadas Por esses quintais a dentro vamos Ás raparigas casadas Pam pararabiripam, pam III Vira o vento e muda a sorte Por aqueles Olivais perdidos Foi-se embora o vento norte Pam pararabiripam, pam Pam pararabiripam, pam IV Muita neve cai na serra Só se lembra dos caminhos velhos Quem tem saudades da terra Pam pararabiripam, pam V Quem tem a candeia acesa Rabanadas, pão e vinho novo P´ra matar a fome á pobreza Pam pararabiripam, pam VI Já nos cansa esta longura Só se lembra dos caminhos velhos Quem anda á noite á aventura Pam pararabiripam, pam PÉZINHO DA VILA I Eu nasci á sexta-feira Com barbas e cabeleira Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 9
  10. 10. Cancioneiro, Gritos e Danças Mais parecia um anti-cristo Que até o padre cura Que era homem de sabedura Nunca tal houvera visto II Eu fui a Vila Franca Escanchado numa tranca Á morte de uma galinha O que ela tinha no papo Sete cães e um macaco E um soldado da marinha III Eu fui á praia da Rocha Sapato, meia, galocha Ver se o mar estava manso Encontrei lá uma garoupa Toda embrulhada em roupa A dormir o seu descanço IV Eu fui de Lisboa a Sintra A casa da tia Jacinta P´ra me fazer uns calções Mas a pobre criatura Esqueceu-se da abertura Para as minhas precisões V Toda a moça que é bonita Se ela chora, se ela grita Nunca houvera de nascer É como a maçã madura Na quinta do padre cura Todos a querem comer Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 10
  11. 11. Cancioneiro, Gritos e Danças VI Eu fui casar ás Capelas Por ser fraco das canelas Com uma mulher sem nariz Esta gente das Fajãs Já me deram os parabéns Pelo casamento q´eu fiz VII Ponha aqui o seu pézinho Devagar devagarinho Se vai á Ribeira Grande Eu tenho uma carta escrita Para ti cara bonita Não tenho por quem lh´a mande EU FUI AO TRÓLARÓ Eu fui ao trólaró Buscar água e não achei Encontrei uma menina Que no trólaró deixei Acreditem minha gente Que uma hora não é nada Quem não cantar agora Vai cantar de madrugada Ó Ó Ó Cristina Ó Cristinazinha Entra nesta roda Vais cantar sózinha Cristina: Eu cantar não sei Mas posso tentar Vou pedir ao Pedro Para me ensinar O CARRO DO MEU CHEFE O carro do meu chefe tem um furo no pneu O carro do meu chefe tem um furo no pneu Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 11
  12. 12. Cancioneiro, Gritos e Danças O carro de meu chefe tem um furo no pneu Remendei-o com chwingam Alfa-Romeu Fiat Lancia Alfa-Romeu Fiat Lancia Alfa-Romeu FiatLancia Remendei-o com chwingam nota: progressivamente substitui-se carro por "VRUMM" chefe por uma saudação escutista furo por "PFFF..." pneu por um gesto em forma de roda CANTA AMIGO CANTA Refrão: Canta, canta, amigo canta Vem cantar a nossa canção Tu sózinho não és nada Juntos temos o mundo na mão. I Vives em casa de tábuas Á espera dum novo dia Enquanto que terra engole A tua antiga alegria O teu corpo é barco Que não tem leme nem velas A tua vida é uma casa Sem portas e sem janelas Não vaz ao sabor do vento Aprende a canção da esperança Vem semear tempestades Se queres colher a bonança Já que me chamas amigo Prova-me lá que o és Vem para a ceifa comigo Na terra sujar os pés Eu vou contigo para o campo Eu vou comer do teu pão Tu dás-me a força da vida E eu dou-te a minha canção. Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 12
  13. 13. Cancioneiro, Gritos e Danças SCOUTING TRAIL We´re on the scouting trail We´re on the scouting trail Singing as we go Scouting all We´re on the scouting trail We´re on the scouting trail Singing singing singing Everybody singing Scouting all VIVE LA COMPANHIE Vive la vie, vive la vie Vive la companhie Vive la vie, vive la vie Vive la companhie Vive la vie, vive la joi Vive la joi, vive l´amour Vive l´amour, vive la vie Vive la companhie 1- HEI 2- HEI HEI 3- HEI HEI HEI MALHÃO (versão Rock) Ó Malhão, Malhão Que vida é tua Ó Malhão, Malhão Que vida é tua Comer e beber Passear na rua Comer e beber Passear na rua Ó Malhão, Malhão What is your life Ó Malhão, Malhão What is your life Eat and drink Walk in the street Eat and drink Walk in the street. Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 13
  14. 14. Cancioneiro, Gritos e Danças Ó Malhão, Malhão Quel est ta vie Ó Malhão, Malhão Quel est ta vie Manger et boir Promener dans la rue Manger et boir Promener dans la rue COSAC VOVOY COSAC Cosac vovoy, Cosac vovoy Cosac vovoy, Cosac Cosac vovoy, Cosac vovoy Cosac vovoy, Cosac (cantando, boca fechada, assobiando, em silêncio, e no fim todos gritam COSAC!) MANUEL Manuel que vida tão triste Como é triste a vida de Manuel Manuel que vida tão triste Como é triste a vida de Manuel Manuelain que vidain tão tristain Como é tristain a vidain de Manuelain Manuelain que vidain tão tristain Como é tristain a vidain de Manuelain Manuelê que vidê tão tristê Como é tristê a vidê de Manuelê Manuelê que vidê tão tristê Como é tristê a vidê de Manuelê Manueli que vidini tão tristini Como é tristini la vidini de Manuelini Manuelini que vidini tão tristini Como é tristini la vidini de Manuelini Manuel que vida tão triste Como é triste a vida de Manuel Manuel que vida tão triste Como é triste a vida de Manuel Manuel que vida tão triste Como é triste a vida de Manuel Manuel que vida tão triste Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 14
  15. 15. Cancioneiro, Gritos e Danças Como é triste a vida de Manuel GRITOS DE ANIMAÇÃO SINOS DE MAFRA o Guia separa o coro em 4 partes e cada uma delas canta uma das seguintes frases: 1- "Têm lêndias!" 2- "Tira-as!" 3- "Com o quê?" 4- "Com um pau!" PIRI-LAU Guia: PIRI PIRI Coro: LAU Guia: PIRI PIRI Coro: LAU Guia: PIRI PIRI Coro:LAU PIRILAU PIRILAU PIRILAU CHIKUMIKI Guia: Chikumiki! Coro: Iiii... Guia: Chikumiki! Coro: Iiii... Guia: Chikumiki! Coro: Iiii... (batendo na boca como os índios) ALABU CHICKABU 1- ALABU CHIKABU 2- ALABU CHIKAUAKA CHIKAUAKA CHIKABU 3- HEI HEI 4- OH IÉ 5- MAIS UMA VEZ 6- BEM BAIXINHO o coro repete sempre cada frase; Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 15
  16. 16. Cancioneiro, Gritos e Danças Variantes: bem baixinho bem altinho bem fininho bem grossinho devagarinho rapidinho B-R-A-V-O Guia: B - R - A - V - O (soletra-se a palavra) Coro: BRAVO BRAVO BRAVO É VELHA É velha, é velha É velha muito velha Se não tens outra mais velha Conta essa que essa é velha É BOA É boa, é boa É boa sim senhor Se não tens outra melhor Conta essa que essa é boa BRAVO BRAVÍSSIMO - 1 Bravo, bravo Bravíssimo Bravo, bravo Bravíssimo Bravo, bravíssimo Bravo, bravíssimo Bravo, bravo Bravíssimo BRAVO BRAVÍSSIMO - 2 Bravo, bravo Bravíssimo Hu! Huu! Bravo, bravo Bravíssimo Hu! Huu! Nota: esta versão é para ser cantada em andamento mais rápido. SALVATERRA DE MAGOS Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 16
  17. 17. Cancioneiro, Gritos e Danças Guia: Salvaterra de Magos Coro: Barretes À CARGA Guia: A GALOPE! A GALOPE! A GALOPE! Coro: Á CARGA! ALA-ARRIBA Guia: ALA ALA Coro: ARRIBA Guia: ALA ALA Coro: ARRIBA Guia: ALA ALA Coro: ALA ARRIBA Ó-OLE-Ó-LÁ Guia: 1- Ó... OLÉ OLÁ! 2- CHI-RI-BI-TI TON-GA! 3- MASSA MASSA MASSA! 4- Ó...OLÉ...OLÉ OLÉ OLÁ! o coro repete sempre cada frase e vai-se cantando cada vez mais rápido. TASSE BEM? Guia: Tasse bem grupo? Grupo: Tasse bem, tasse cool, tasse yo yo yo!!!!!!! TUDO-TUDO-TUDO Guia: E PARA O PEDRO NÃO VAI NADA? Coro: MAIS CINCO! (com gesto de uma mão aberta com força no ar) Guia: NADA? Coro: MAIS DEZ! (com gesto de duas mãos abertas) Guia: NADA? Coro: TUDO! TUDO! TUDO! (cruzando os braços no ar várias vezes) CHICO FININHO Guia: CHICO FININHO! Coro: UUUHU! Nota: ver entoação correcta na canção do Rui Veloso com o mesmo nome. Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 17
  18. 18. Cancioneiro, Gritos e Danças INEGONIAMA Guia: I... NE-GÓ-NIA-MA... GÓ-NIA-MA! Coro: INE-VOBU IÁ-BÔ! IÁ-BÔ! INE-VOBU IÁ-BÔ!!! MATAI Guia: MATAI! Coro: HÃ! HÃ! (batendo com a mão fechada por cima do coração, com força e energia) ASSÃ Guia:ASSÃ! Coro: batem as palmas 2 vezes com energia ZULU Guia: ZULU! ZULU! Coro: BAY-ETE! (batendo com a vara no chão no "ete") PIRI-LAU Guia: PIRI PIRI Coro: LAU Guia: PIRI PIRI Coro: LAU Guia: PIRI PIRI Coro:LAU PIRILAU PIRILAU PIRILAU E NÓS? Guia: E NÓS? Coro: NÓS! NÓS! NÓS! SEMPRE NÓS! Guia: E AGORA MAIS ALTO QUE AQUELE PINHEIRO! E NÓS? (...) vai-se aumentando de intensidade, aumentado as alturas: pinheiro, casa, serra do caramulo, serra da estrela, nuvens, etc. MUITO BEM Muito bem!... Muito bem!... Mui-to bem!... Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 18
  19. 19. Cancioneiro, Gritos e Danças (bate-se 3 vezes as palmas, com rapidez) Nhã! Nhã! Nhã! (a cada "nhã" juntam-se as pontas dos dedos de cada mão em pinça com os braços esticados) E uma salva de palmas! (bate-se uma vez palmas com energia) CNE Guia: CNE CNE CNE Coro: É É É repete-se 3 vezes A GALOPE Guia: A GALOPE! A GALOPE! A GALOPE! Coro: Á CARGA! DANÇAS 1 -VAMOS DANÇAR Vamos dançar: Começa devagar, Depois de começar Não podes mais parar 2 - MARIANA, MEU AMOR Mariana, meu amor, Vamos embora. Está na hora, está na hora, De fechar no baú o empresário E o gato na gaiola do canário, Do canário. 4 - BOOGGIE BOOGGIE Com uma mãozinha á frente E uma mãozinha atrás Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 19
  20. 20. Cancioneiro, Gritos e Danças Mexe-se a mãozinha Dá-se uma voltinha Dança o Booggie booggie Heeeey! Booggie booggie! Hey! Heeeey! Booggie booggie! Hey! PATINHO KUAKUA Guia: Ai vai um pato! Grupo: Qua! Guia: Ai vai uma pata! Grupo: Qua! Guia: Ai vai o patinho! Grupo: Patinho, patinho, patinho, quaqua! (2x) Depois, nas rodadas seguintes, cada elemento agarra no elemento a seguir ao da frente... sempre a aumentar 1!!!!  MEREKETÉ Mereketé Mereketengo Tengo Tengo Mereketengo Tengo Tà Mereketengo Tengo Tengo Mereketengo Tengo Tà GUANTANAMERA Guantanamera Guahira guantanamera Guantaname-ra Guahira guantaname-ra (nos intervalos entre cada verso canta-se «chi-chiu-á chi-pum» e mexe-se a cintura na seguinte ordem: esquerda, direita, trás e frente) LA DANCE DE NOË Et nous allons dancer La dance de noë Et nous allons dancer La dance de- no-ë! (começa em roda com as mãos na cintura do escuteiro da frente) (na vez seguinte, cada um senta-se nos joelhos do de trás, e nas vezes seguintes agarra a cintura dos que estão mais à frente) Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 20
  21. 21. Cancioneiro, Gritos e Danças ROSI ROSA (sozinho no centro) Encontrei lá embalá Chimabalau, chimabalau Badum bada (convite para dançar) Je t'aime Rosi Je t'aime Rosa Je t'aime Rosi Je t'aime Rosa (dança a dois) Rosi Rosa Je t'aime, je t'aime Rosi Rosa Je t'aime Rosa Corpo Nacional de Escutas Agr. 191 – Aveiro - Grupo de Exploradores N.º3 21

×