Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática

108.199 visualizações

Publicada em

2 comentários
27 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
108.199
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.519
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2.974
Comentários
2
Gostaram
27
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática

  1. 1. Oficina de MatemáticaElizabete de Oliveira - ATP deMatemática
  2. 2. Art.6° Ao final do ciclo da Alfabetização, naárea da matemática, todos os alunos devemcompreender e utilizar o sistema denumeração, dominar os fatos fundamentais daadição e subtração, realizar cálculos mentaiscom números pequenos, dominar conceitosbásicos relativos a grandezas e medidas,espaço e forma e resolver operaçõesmatemática com autonomia.RESOLUÇÃO SEE N°1086,DE 16 DE ABRIL DE 2008
  3. 3. O QUE ENSINAR NOS PRIMEIROS ANOSDO ENSINO FUNDAMENTAL?
  4. 4. ESPAÇO EFORMAGRANDEZAS EMEDIDASNÚMEROS EOPERAÇÕESTRATAMENTO DEINFORMAÇÕESEIXOS
  5. 5. Como trabalhar a matemáticanos anos iniciais no ensinofundamental?
  6. 6. FERRAMENTAS PARA FACILITAR O APRENDIZADO DA TURMAMATERIAISCONCRETOS
  7. 7. JOGOS
  8. 8. BRINCADEIRASCOROA, COROINHASALSA, CEBOLINHAUM, DOIS, TRÊSCOROA, COROINHA
  9. 9. CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICAPENSARLOGICAMENTERELACIONARIDEIASREALIZARDESCOBERTASCOMPREENDERREGRASRESPEITARREGRASSABER GANHARE PERDERINTERAGIR COMOS COLEGASDESENVOLVER A CRIATIVIDADE(ESTRATÉGIAS)DESENVOLVER A CRIATIVIDADE(ESTRATÉGIAS)
  10. 10. Utilizando a Matriz Curriculartendo com fio condutor a Resoluçãode problemas.
  11. 11. Por que resolução de problemas?Desenvolveo raciocínioLevantamento deHipótesesLeva ainvestigaçãoCalculomentalPensamento criticoDesafia osalunos
  12. 12. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO ISistema de numeração decimalO sistema de numeração decimal é a representaçãonumérica que utilizamos no nosso cotidiano em nossasociedade, é apresentado no número de RG, númeroda casa, no cep da cidade, nas placas de trânsito ,entre outras coisas.
  13. 13. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO I.Números grandes para os pequenosCom ditados e materiais simples como calendários, jogos e coleções,a turma de 6 anos vai muito além do 0 a 10Em muitas escolas, os números são ensinados pouco a pouco,e não passam do 10, nas séries iniciais. Mas, em Paragominas, a 319quilômetros de Belém, os professores planejam suas aulas partindo dopressuposto de que a criança, mesmo antes de ingressar na escola,conhece muito a esse respeito. Na TV, todos vêem propagandasanunciando o preço de um carro e, no videogame, a pontuação chegaaos milhares.
  14. 14. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IPara sistematizar esse conhecimento, as escolaspropõem atividades e situações que permitem percebero valor dos algarismos conforme a posição que ocupam.Idéias simples como uma coleção de tampinhas oucontar qualquer coisa - palitos de sorvete, os dias queainda faltam para um passeio ou aniversário - ajudam noaprendizado da escrita numérica e a saber, por exemplo,que 15 é maior que 5 e que 253 não é escrito assim:200503.
  15. 15. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IO ditado é uma estratégia valiosa, assim como o usode materiais como cartelas numeradas, calendários e jogosde percurso. Tudo isso, pode faz parte das aulas "Ao falarde datas comemorativas e dos aniversários, as criançasentram em contato com o sistema de numeração, adquirindoesse conhecimento primordial para os futurosaprendizados", afirma Débora. "Para intervir, observo eregistro tudo."
  16. 16. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IPriscila Monteiro, coordenadora do programaMatemática é D+, da Fundação Victor Civita, destaca ascondições fundamentais para que os resultados dasatividades sejam positivos: organização de grupos de,no máximo, cinco componentes, disponibilidade dematerial para todos e repetição da atividade para que agarotada se familiarize com as propostas de ler, nomeare escrever números.
  17. 17. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IA criança pode, por exemplo, dizer que tem 3 anos, queganhou duas balas, que tem quatro irmãos etc., econfundir a escrita do 6 com a do 9, ou não saber comose escreve o 8. Durante as atividades, ela teráoportunidade de defender seu ponto de vista perante oscolegas, questionar o dos outros, argumentar e tirarconclusões. Priscila alerta: "Essas ações nãoacontecem de forma espontânea. Cabe a nós,professores, organizar vários momentos que favoreçama troca". Veja no quadro acima um plano de trabalhosugerido pela educadora.
  18. 18. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IJogo do númeroOutra forma interessante de se trabalhar o valor posicionaldos numerais é fazer o seguinte jogo: distribui-se fichas de 0 a 9viradas, para baixo em uma mesa. As crianças, divididas emgrupos, um QVL para cada grupo em uma cartela ou desenhadono quadro. Uma de cada grupo por vez, vai até a mesa e viram umnumeral, questionando aos colegas em qual ordem deverá colocaro mesmo. Ganha o jogo o grupo que fizer o maior ou menornumeral (conforme definido antes do jogo começar). Com essejogo elas começam a perceber que é maior vantagem colocar omaior ou menor numeral na ordem que tem o maior valor absoluto,pois, realizam a transformação do mesmo em valor relativo. Agalerinha se diverte!Outro jogo parecerido é Cat atack rat
  19. 19. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO IJogos e Matemática: brincar, explorar, aprenderSegundo uma reportagem da revista NOVA ESCOLA, dividir aturma em grupos e promover o uso de jogos nas aulas de Matemáticapode ajudar bastante na aprendizagem das crianças. Ao jogar com oscolegas, elas precisam fazer negociações, considerar as opiniões dasoutras crianças e argumentar sobre suas posições.Dica de livro:Jogos, Psicologia e Educação - Teorias e Pesquisas, Lino de Macedo(org.), 270 págs., Ed. Casa do Psicólogo.tel. (11) 4524-6997
  20. 20. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO ITANGRAMInicio do estudo da geometria
  21. 21. Margarete Borsi Jarussi- PCOP-CICLO I"Muitas coisas não ousamos empreenderpor parecerem difíceis. Entretanto, sãodifíceis porque não ousamos empreendê-las.“SênecaBOM TRABALHO!!!

×