Cbbd2015 constituição teórico metodológica da biblioteca escolar

273 visualizações

Publicada em

Pesquisa apresentada no II Fórum de Biblioteca Escolar, no CBBD 2015

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cbbd2015 constituição teórico metodológica da biblioteca escolar

  1. 1. CONSTITUIÇÃO TEÓRICO-METODOLÓGICA DA BIBLIOTECA ESCOLAR: PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS GRUPOS DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO CNPq Dalgiza Andrade Oliveira Professora ECI-PPGCI/UFMG Elaine Cristina Rodrigues Graduanda em Biblioteconomia Bolsista de Iniciação Científica ECI/UFMG II Fórum Brasileiro de Biblioteconomia Escolar 26º Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 2015
  2. 2. “ ” Os sistemas de ensino do País deverão desenvolver esforços progressivos para que a universalização das bibliotecas escolares, nos termos previstos nesta Lei, seja efetivada num prazo máximo de dez anos, respeitada a profissão de Bibliotecário (BRASIL, 2010)
  3. 3. “ ” Tanto a inexistência de Bibliotecas escolares, como a falta de Bibliotecários atuando nestes ambientes [...] resultaram por intermédio da Lei de universalização das Bibliotecas nas escolas, uma medida que representa de forma significativa os anseios de uma camada da sociedade que requer melhorias. (ALBUQUERQUE; TEDESQUI, 2014)
  4. 4. “ ” A biblioteca escolar (BE) propicia informação e idéias fundamentais para seu funcionamento bem sucedido na atual sociedade, baseada na informação e no conhecimento. A BE habilita os estudantes para a aprendizagem ao longo da vida e desenvolve a imaginação, preparando-os para viver como cidadãos responsáveis. (IFLA, 2000)
  5. 5. “ ” Muitas das atuais pesquisas sobre bibliotecas escolares enfatizam esse potencial e seus resultados apresentam evidências de que boas bibliotecas escolares, adequadamente exploradas, ajudam os estudantes a aprender com os livros e com as informações, além de possibilitar o desenvolvimento de inúmeras outras capacidades importantes para o desenvolvimento cognitivo. (CAMPELLO, 2012, p. 7)
  6. 6. “ ” Produção Científica como "algo tangível, que pode ser avaliado e contado, pois, a atividade cientifica que, após sua criação, não é escrita e comunicada, perde o sentido, já que as instituições de pesquisa e os pesquisadores são julgados pelo que conseguem publicar" (ALVES, 2009, p. 105)
  7. 7. Grupos de Pesquisa (GP) Universidades Data de criação Linhas de Pesquisa Pesquisadores Palavras- chave • Abordagem quantitativa – levantamento de dados, realizado no Diretório de Grupos de Pesquisa no Brasil, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
  8. 8. Grupos de pesquisa Oito grupos de pesquisa (1998-2013) 2 1 2 1 1 1 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 2016
  9. 9. Grupos de pesquisa Universidades 37% 63% Estadual Federal 62% 25% 13% Sudeste Sul Nordeste
  10. 10. Linhas de pesquisa 61% 39% Estadual Federal • Universidades Linhas de pesquisa 3 7 4 4
  11. 11. Linhas de pesquisa •
  12. 12. Graduação Mestrado Doutorado Biblioteconomia 9 Bibliotecas Públicas 1 Ciência da Informação 9 Biblioteconomia e Documentação 3 Biblioteconomia 1 Educação 1 Ciência da Computação 1 Ciência da Computação 1 Estudos Literários 1 Ciências Sociais 2 Ciência da Informação 9 Linguística 1 Comunicação Social 1 Ciência da Informação e Documentação 1 Literatura 1 Letras 1 Ciências Sociais 1 Psicologia 1 Não informa 3 Comunicação Social 1 Sociologia Política 1 Educação 1 Literatura 1 Sociologia Política 1 Não informa 1 20 19 15 Linhas de pesquisa • 20 pesquisadores
  13. 13. Considerações finais • Uma vez que há uma legislação com pretensão em universalizar as bibliotecas escolares do país, entende-se como necessários mais aportes teóricos para potencializar a prática e servir de base para a discussão e implementação de bibliotecas nas escolas. • A biblioteca escolar se orienta em acordo com as necessidades específicas do contexto em que ela se insere. Isso reforça a importância da temática ser trazida para as agendas de pesquisa dada a importância que a instituição Biblioteca Escolar tem para o ensino e aprendizado.
  14. 14. Considerações finais • Ainda que a discussão sobre Biblioteca Escolar não faça parte da agenda das instituições de pesquisa em todo o Brasil, mesmo assim, é possível afirmar que a importância dada ao tema recebeu novas atenções com a promulgação da lei de 2010. • Há que se considerar que além do tema ser incipiente nas agendas de pesquisa, há ainda fatores outros que estão além da vontade, necessidade e possibilidades dos pesquisadores. Depreende-se que a pesquisa e a reflexão no que se refere à Biblioteca Escolar, precisará ser difundida e estimulada nas demais regiões, em que pese todas as circunstâncias, dificuldades e limitações, sobretudo, com estabelecimento da Lei nº. 12.244/10.
  15. 15. Referências bibliográficas • ALBUQUERQUE, Ana Cristina de; TEDESQUI, Conceição Aparecida. Competências profissionais do bibliotecário escolar: reflexões a partir da Lei 12.244/10. Inf. Prof., Londrina, v. 3, n. 1/2, p. 115-146, jan./dez. 2014. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/infoprof/article/view/20519/>. Acesso em: 25 mar. 2015. • ALVES, Bruno Henrique. Abordagens métricas: análise da produção científica de artigos e rede de colaboração científica dos docentes do Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação, na linha de pesquisa organização da informação da UNESP/Marília. Revista de iniciação científica da FFC. Marília, v. 9, n. 2, p. 104-115, 2009. Disponível em: <http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/ric/article/view/248.>. Acesso em: 10 maio 2015. • BRASIL. Lei n.° 12.244, de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Diário Oficial da União, Brasília, 25 de maio 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007- 2010/2010/Lei/L12244.htm>. Acesso em: 20 mar. 2015.
  16. 16. Referências bibliográficas • CAMPELLO, Bernadete. Biblioteca escolar: conhecimentos que sustentam a prática. Belo Horizonte: Autêntica, 2012. • CAMPELLO, Bernadete et al. Parâmetros para bibliotecas escolares brasileiras: fundamentos de sua elaboração. Informação e sociedade: estudos, João Pessoa, v. 21, n. 2, p. 105-120, maio/ago. 2011. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10451>. Acesso em: 22 maio 2015. • IFLA. Manifesto IFLA/UNESCO para biblioteca escolar. Tradução Neusa Dias Macedo. São Paulo: IFLA, 2000. Disponível em: <http://archive.ifla.org/VII/s11/pubs/portuguese-brazil.pdf>. Acesso em: 22 maio 2015.
  17. 17. “ ” Para se ter uma biblioteca, no sentido de instituição social, é preciso que haja cinco pré-requisitos: a intencionalidade política e social, o acervo e os meios para sua permanente renovação, o imperativo de organização e sistematização, uma comunidade de usuários, efetivos e potenciais, com necessidades de informação conhecidas ou pressupostas, e, por último mas não menos importante, o local, o espaço físico onde se darão encontro entre os usuários e os serviços da biblioteca. Antônio Agenor Briquet de Lemos Muito obrigada! Elaine Cristina Rodrigues elainecrod@hotmail.com Dalgiza Andrade Oliveira dalgizamg@gmail.com

×