Apostila 2 ano gramatica termos da oração

1.722 visualizações

Publicada em

gramatica termo da oração

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.722
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila 2 ano gramatica termos da oração

  1. 1. Frase – Oração - Período As palavras não estão soltas na oração, elas se relacionam logicamente. À estas relações existentes entre as palavras na oração, bem como das orações no período, chamamos de SINTAXE. Conceitos básicos FRASE - é um enunciado de sentido completo, capaz de estabelecer comunicação, podendo ser organizado ou não em torno de um verbo. Ex.:Silêncio! Os funcionários chegaram atrasados. Espero que eles não faltem. Fogo! ORAÇÃO - é um enunciado organizado em torno de um verbo ou de uma locução verbal, constituído, geralmente, de sujeito e predicado, ou, pelo menos, de predicado, já que algumas orações não têm sujeito. Ex.: Faz frio em São Paulo. O aluno fez o exercício. PERÍODO - é a frase constituída por uma (período simples / oração absoluta) ou mais de uma oração (período composto). Ex.: Capitu dormia na sala. Ela saiu da sala. Ela saiu da sala e não voltou mais. Espero que todos compareçam à reunião. TERMOS ESSENCIAS (?) DA ORAÇÃO: Sujeito e Predicado. SUJEITO - é o termo da oração que concorda em número e pessoa com o verbo.O sujeito é uma função substantiva, ou seja, são os substantivos e as palavras de valor substantivo(pronomes e numerais substantivos ou outras palavras substantivadas) que atuam como núcleo do sujeito. Ex.: Os cidadãos lutam por seus direitos. Todos compareceram. Ambos chegaram atrasados. Os aposentados reclamaram do atendimento. Podemos dizer, também, que o sujeito de uma oração é o elemento sobre o qual se declara alguma coisa. Quando identificamos o sujeito de uma oração, estamos também identificando o seu predicado.
  2. 2. PREDICADO - é aquilo se declara sobre o sujeito(quando este existe); é tudo o que sobra do sujeito, exceto o vocativo, quando este ocorrer; é o único termo, realmente, essencial da oração. Em todo predicado existe, obrigatoriamente, um verbo ou uma locução verbal. Ex.: Os estudantes participaram das manifestações. Os clientes reclamaram do atendimento. Tipos de Sujeito O sujeito pode ser determinado ou indeterminado. Existem também, como já vimos, orações sem sujeito. SUJEITO DETERMINADO - é o sujeito que pode ser identificado com precisão a partir da concordância verbal Ex.: Faltou-nos determinação naquele momento. Lazer e esporte conduzem à saúde mental e física. Na primeira oração, temos um sujeito determinado SIMPLES, pois apresenta um único núcleo(determinação). Na segunda oração, temos um sujeito determinado COMPOSTO, pois apresenta mais de um núcleo - dois, no caso- (lazer e esporte). Dá-se o nome de sujeito determinado OCULTO, ELÍPTICO ou DESINENCIAL ao núcleo do sujeito determinado implícito na forma verbal ou no contexto. Ex.: Estou acostumado a isso.(eu) Trouxemos as encomendas.(nós) SUJEITO INDETERMINADO - ocorre quando não se quer ou não se pode identificar claramente a quem o predicado da oração se refere. Existem duas maneiras diferentes de se indeterminar o sujeito de uma oração. a) o verbo é colocado na 3a pessoa do plural, não se referindo a nenhum termo identificado anteriormente (mesmo em outra oração). Ex.: Telefonaram para você hoje de manhã. Estão gritando seu nome lá fora. OBS.: É comum (e com razão) confundir-se este caso com o sujeito oculto, haja vista que nos dois casos acima, por exemplo, pode-se deduzir pelas terminações verbais o pronome eles.
  3. 3. b) O verbo surge acompanhado do pronome se, que atua como índice de indeterminação do sujeito. Essa construção ocorre com verbos que não apresentam complemento direto(verbos intransitivos, transitivos indiretos e de ligação). O verbo fica, obrigatoriamente, na 3a pessoa do singular. Ex.: Vive-se melhor nas cidades pequenas. Precisa-se de bons profissionais. Tratava-se de questões delicadas. ORAÇÕES SEM SUJEITO - Nessas orações, formadas apenas pelo predicado, ocorre um dos chamados verbos impessoais: a) verbos que indicam fenômenos da natureza: Anoiteceu tranquilamente. Está amanhecendo. Choveu muito no último verão. OBS.: Usados em forma figurada, esses verbos não são impessoais: Choviam papéis sobre a multidão. (sujeito: papéis). b) Os verbos estar, fazer, haver e ser indicando tempo ou fenômeno natural. Está cedo. Já é tarde. São oito e meia. Fez muito calor no último verão. Há anos que esperamos este momento. Faz meses que encomendamos esses pacotes. Deve fazer alguns anos que não nos vemos. c) o verbo haver indicando existência ou acontecimento. Há boas razões para suspeitarmos dele. Houve várias brigas depois do jogo. Deve ter havido muitos bons momentos na viagem. OBS.: Com exceção do verbo ser , que na indicação de tempo varia de acordo com a expressão numérica que o acompanha (É uma hora / São duas horas), os verbos impessoais devem ser usados sempre na terceira pessoa do singular.
  4. 4. Exercícios 1. Faça conforme o modelo: Alguém necessita de auxílio. Necessita-se de auxílio. a) Alguém acredita em dias melhores. b) Alguém crê em novos tempos. c) Alguém precisa de ajuda. d) Alguém apelou para os mais favorecidos. e) Alguém assistiu a filmes de terror. f) Alguém aspira ao bem-estar social. g) Alguém obedece aos impulsos mais generosos. 2. Sublinhe e classifique o sujeito. a) Naquele instante soou o alarme. b) Ocorreu-me então uma idéia oportuna. c) Passou-me uma velha imagem pela lembrança. d) Explodiu novo conflito racial na África do Sul. e) Surgiu uma nova droga para o combate à Aids. f) Teria o país condições de enfrentar uma nova crise política? g) Têm sido cada vez mais frequentes os ataques da guerrilha à capital do país. h) Banqueiros e bancários não chegaram a um acordo sobre salários e condições de trabalho. i) Parecem infindáveis as crises políticas e os desarranjos econômicos brasileiros. 3. Faça conforme o modelo: Faz dez anos que não a vejo. Deve fazer dez anos que não a vejo. a) Fazia vinte anos que não nos víamos. b) Faz alguns anos que não chove nesta região. c) Fazia alguns meses que não o encontrava. 4. Monte orações a partir dos elementos oferecidos em cada um dos itens seguintes. Faça as necessárias relações de concordância verbal em cada caso. a) Tocar / os sinos da catedral / de hora em hora b) Ocorrer / várias idéias brilhantes / durante a noite c) Faltar / três alunos / ontem d) Acontecer / acidentes graves / último domingo e) Desabar / fortes chuvas / mês passado 5. Inverta a posição dos elementos básicos das orações a seguir de forma que o elemento sobre o qual se informa algo apareça após a informação dada. a) O vendaval virou alguns barcos. b) A tempestade passou. c) Nosso interesse foi reconhecido por todos. d) Aconteceu um fato inesperado. e) Os estudantes participaram das manifestações contra a corrupção. 6. Divida os enunciados abaixo em seus termos essenciais, destacando, no sujeito, a palavra que funciona como núcleo. a) O locutor anunciava as novas medidas econômicas. b) Chegaram ao Brasil o presidente e o primeiro-ministro. c) Foi oferecido um jantar a todos os convidados. d) A África do Sul está descobrindo o valor de suas riquezas ecológicas. e) O passageiro está tendo muito mais liberdade em sua escolha. f) As massas importadas da Itália conquistam o paladar dos consumidores brasileiros. g) Os gênios nacionais não são de geração espontânea. h) O gênio explosivo foi notado logo no início de sua carreira.
  5. 5. i) Eram vistos, através da janela, o rouxinol e a cotovia. j) Aconteceram, naquela estrada, dois acidentes fatais. 7. Nas orações abaixo, coloque entre parênteses o sujeito e sublinhe o seu núcleo (ou seus núcleos). a) "As simpatias do excelente companheiro não tinham diminuído." (Raul Pompéia) b) "No outro dia o tempo estava inteiramente frio." (Mário de Andrade) c) "Mais longe, numa volta da estrada, a telha encarnada de uma casa brilhava o sol." (Rachel de Queiroz) d) "Mas um homem e uma mulher loucamente apaixonados não são nenhuma novidade." (Rubem Fonseca) e) "Nesse instante, morena e esguia, uma mão se insinuou por baixo do postigo..." (Raquel de Queiroz) 8. As orações abaixo estão na ordem indireta. Reescreva-as na ordem direta. a) "Mas por um instante viveu, no meu sonho, aquele esplendor suave de uma nudez..." (Rubem Braga) b) "Com a facilidade de sua elocução, fez o Dr. Cláudio a crítica geral da literatura brasileira...." (Raul Pompéia) 9. No trecho a seguir, indique o sujeito dos verbos destacados: "Por que a comoveu tanto o alvoroço triste com que foi recebida por Chico Bento, quando chegou com as passagens?" (Rachel de Queiroz) 10. Leia o trecho a seguir e indique a alternativa que contém o núcleo do sujeito da locução verbal vai deixando: "... tira também um pouco a poeira que na alma vai deixando a passagem das coisas e do longo tempo." (Rubem Braga) a) poeira b) coisas c) passagem d) alma e) tempo 11. Sublinhe e classifique o sujeito do verbo destacado; em seguida, justifique sua resposta. Modelo: "Um grande cansaço pesava em todo meu corpo." (Rubem Braga) Sujeito simples, porque tem um único núcleo: cansaço. a) "Dentro de sua cabeça ainda giravam conversas e músicas da madrugada."(Rubem Braga) b) "Bateram à minha porta / Fui abrir / Não vi ninguém." (Manuel Bandeira) c) "Vou para o futuro como para um exame difícil." (Fernando Pessoa) d) "Uma coisa é patente: não fazem mais espelhos como antigamente." (Millôr Fernandes) e) No dia seguinte, os jornais desobedeceram às orientações do delegado e publicaram as fotos do acidente. 12. Identifique e classifique o sujeito de cada oração do texto a seguir. Não se esqueça de que há tantos sujeitos quantos forem os verbos ou as locuções verbais: "O trenzinho recebeu em Maguari o pessoal do matadouro e tocou para Belém. Já era noite. (...) As manchas na roupa dos passageiros ninguém via porque não havia luz. De vez em quando passava uma fagulha que a chaminé da locomotiva botava. (A.Machado)
  6. 6. TEXTO PARA INTERPRETAÇÃO : Pátria que me Pariu - Gabriel O Pensador Uma prostituta chamada Brasil se esqueceu de tomar a pílula e a barriga cresceu Um bebê não estava nos planos dessa pobre meretriz de dezessete anos Um aborto era uma fortuna e ela sem dinheiro Teve que tentar fazer um aborto caseiro Tomou remédio, tomou cachaça, tomou purgante Mas a gravidez era cada vez mais flagrante / Aquele filho era pior que uma lumbriga E ela pediu prum mendigo esmurrar sua barriga E a cada chute que levava o moleque revidava lá de dentro Aprendeu a ser um feto violento / Um feto forte, escapou da morte Não se sabe se foi muito azar ou muita sorte Mas nove meses depois foi encontrado, com fome e com frio, Abandonado num terreno baldio Pátria que me pariu! Quem foi a pátria que me pariu?! A criança é a cara dos pais mas não tem pai nem mãe Então qual é a cara da criança? / A cara do perdão ou da vingança? Será a cara do desespero ou da esperança? Num futuro melhor, um emprego, um lar... Sinal vermelho, não dá tempo pra sonhar vendendo bala, chiclete... "Num fecha o vidro que eu num sou pivete Eu num vou virar ladrão se você me der um leite, um pão, um vídeo-game e uma televisão / Uma chuteira e uma camisa do Mengão Pra eu jogar na seleção, que nem o Ronaldinho / Vou pra Copa, vou pra Europa..." Coitadinho! Acorda, moleque! Cê num tem futuro! Seu time não tem nada a perder E o jogo é duro! Você num tem defesa, então ataca! Pra num sair de maca / Chega de bancar o babaca! "Eu num aguento mais dar murro em ponta de faca E tudo que eu tenho é uma faca na mão / Agora eu quero o queijo. / Cadê? Tô cansado de apanhar, / Tá na hora de bater!" Pátria que me pariu! Quem foi a pátria que me pariu?! Mostra a tua cara, moleque! Devia tá na escola / Mas tá cheirando cola, fumando um beck, Vendendo brizola e crack Nunca joga bola mas tá sempre no ataque / Pistola na mão, moleque sangue-bom É melhor correr porque lá vem o camburão É matar ou morrer! / São quatro contra um! ( - Eu me rendo!!) Bum! Clá-clá! Bum! Bum! Bum! Boi, boi, boi da cara preta / Pega essa criança com um tiro de escopeta Calibre doze, na cara do Brasil Idade: catorze; estado civil: morto; Demorou, mas a sua pátria mãe gentil conseguiu realizar o aborto.
  7. 7. TIPOS DE PREDICADO O predicado pode ter como núcleo um verbo, um nome, ou um verbo e um nome ao mesmo tempo. PREDICADO VERBAL - o núcleo é um verbo nocional, ou seja, significativo, que indica ação, acontecimento, fenômeno natural, desejo, atividade mental (correr, fazer, acontecer, suceder, nascer, chover, querer, desejar, pretender, pensar, raciocinar, considerar, julgar, etc...) Ex.: Os estudantes participaram da greve. Chovia intensamente sobre os campos. Ocorreram diversos imprevistos durante a viagem. Nada mais podia ser feito naquela situação. O vendaval virou o barco. PREDICADO NOMINAL - o núcleo é sempre um nome, que desempenha a função de predicativo do sujeito(termo que caracteriza o sujeito, tendo como intermediário um verbo de ligação ou não- nocional, que indica estado ( ser, estar, permanecer, ficar, continuar, tornar-se, virar, andar, achar-se, passar(a), acabar, persistir e muitos outros de acordo com o contexto). Ex.: A vida é frágil. Ele está cansado. Permanecemos quietos. As taxas de inflação continuam elevadas. Um humilde motorista virou uma celebridade nacional. O país parece ansioso. Ele se acha acamado. O salvador da pátria acabou cassado. PREDICADO VERBO-NOMINAL - apresenta dois núcleos: um verbo nocional e um predicativo (que pode referir-se ao sujeito ou a um complemento verbal). Ex.: Os excursionistas voltaram exaustos da caminhada. (voltaram da caminhada e estavam exaustos - indica uma ação e um estado). Consideramos inaceitável a proposta apresentada. (inaceitável - predicativo do objeto a proposta apresentada e não do sujeito nós).
  8. 8. Exercícios 1. Sublinhe e classifique o predicado. a) Aconteceram alguns problemas nas férias. b) Houve alguns problemas durante a viagem. c) Mandaram arrancar os trilhos da ferrovia. d) Ocorreu-me uma idéia. e) Chovia muito. f) A chuva era forte. g) Os trilhos da ferrovia eram um monumento à simplicidade. h) A viagem deve ter sido empolgante. i) Julguei nossa atitude um ato bárbaro. j) A derrota do time deixou a torcida desnorteada. 2. Aparentemente, os itens a e b não passam de duas formas diferentes de dizer a mesma coisa. Leia-os atentamente e explique se essa aparência é enganosa ou não. a) Depois de uma curva na estrada, a cordilheira surgiu imensa à nossa frente. b) Depois de uma curva na estrada, a cordilheira surgiu à nossa frente. Era imensa. 3. Junte as duas orações numa única oração que tenha predicado verbo-nominal. a) Fabiano marchava e estava tenso. b) Ficamos em casa e permanecíamos apreensivos. c) O rapaz estudou a lição e estava preocupado. 4. Destaque e classifique o predicado. a) Viajo todos os domingos. b) A sala está cheia. c) Márcia anda doente. d) Márcia anda pelas ruas. e)Márcia anda pelas ruas doente. f) Consideraram aquela proposta indecorosa. g) O professor deixou o aluno constrangido. h) O aluno deixou a sala nervoso. i) O vento virou a canoa. 5. Classifique a partícula se como índice de indeterminação do sujeito ou partícula apassivadora. a) Reformam-se casas. b) Precisa-se de datilógrafas com prática. c) Plastificam-se documentos. d) Confia-se no trabalho daquele pedreiro. e) Necessita-se de verba com urgência. 6. Sublinhe e classifique os predicativos. a) Consideraram a proposta razoável. b) Cheguei atrasado à aula. c) "Um fraco rei faz fraca a forte gente." d) "O poeta é um fingidor". e) O zagueiro deixou impedido o atacante. f) Os indicadores da pesquisa não são animadores. g) Acho sua atitude imperdoável. h) Aquela notícia deixou a aluna feliz. i) O ministro considerou baixa a inflação. j) Os alunos aguardavam inquietos o resultado da prova. 7. Coloque nos parênteses: VS - verbo significativo; VL - verbo de ligação. a) ( ) "Sua voz quando ela canta / me lembra um pássaro." (Ferreira Gullar) b) ( ) "Daniel era um menino estranho, sensível e orgulhoso." (Clarice Lispector) c) ( ) "Teu rosto tinha os sulcos fundamentais da doçura." (Vinícius de Moraes) d) ( ) "Estes cães da raça parecem homens de negócio." (Manuel Bandeira) e) ( )"Às vezes alguém me pergunta pelo meu novo romance."(Fernando Sabino) f) ( ) A professora continuou a leitura.
  9. 9. g) ( ) A professora continuou irritada. h) ( ) O pobre velhinho andava muito triste. i) ( ) O pobre velhinho andava muito lentamente. 8. Reescreva as frases abaixo, explicitando o verbo de ligação que está subentendido. Modelo: Volto pálido para casa. Volto para casa e estou pálido. a) A seleção brasileira retornou vitoriosa do exterior. b) A minha amada veio impassível. 9. Faça agora o exercício inverso, isto é, reescreva a frase fazendo o verbo de ligação ficar subentendido. Se necessário, altere a ordem dos termos, para dar ao texto uma redação mais adequada. Modelo: Algumas crianças brincavam e estavam felizes. Algumas crianças brincavam felizes. Felizes, algumas crianças brincavam. a) Sua irmã partiu hoje e estava preocupada. b) Ele está conversando com o amigo e está distraído. c) O funcionário chegou e estava atrasado. d) O médico chegou e parecia tenso. PREDICAÇÃO VERBAL A predicação verbal (ou transitividade verbal) estuda o comportamento dos verbos quanto aos complementos que eles exigem ou não. Quanto à predicação, os verbos podem ser: 1. Intransitivos: são verbos nocionais ou significativos capazes, sozinhos, de constituir o predicado. Não necessitam de complemento, uma vez que possuem sentido completo. Ex.: O balão subiu. O cão desapareceu. OBS.: A terminologia intransitivo é problemática, uma vez que tais verbos admitem "complementação" de sentido através dos adjuntos adverbiais - acessórios - (EX.: "Ele chegou". Quando? Aonde? Com quem? ). Se é intransitivo, não deveria permitir nenhum acréscimo, bastando-se, portanto, a si mesmo. 2. Transitivos: são verbos nocionais ou significativos incapazes, sozinhos, de constituir o predicado. Tendo sentido incompleto, exigem um complemento. Podem ser: a) diretos - quando exigem um complemento sem preposição obrigatória - objeto direto. Ex.: Luciana comprou livros. (comprou o quê? Livros - OD). VTD Luciana ama Carlos. (ama quem? Carlos - OD) VTD b) indiretos - quando exigem complemento com uma preposição obrigatória - objeto indireto. Ex.: Carlos necessita de livros.
  10. 10. VTI c) diretos e indiretos - quando pedem dois complementos: um sem preposição obrigatória(objeto direto) e outro com preposição (objeto indireto). Ex.: Luciana ofereceu livros a Carlos. Carlos emprestou os livros para Luciana. VTDI OD OI VTDI OD OI 3. Verbos de ligação - são verbos vazios ou quase vazios de significado, não nocionais, que servem como elo entre o sujeito e um atributo do sujeito - o predicativo do sujeito. Ex.: Luciana é estudiosa. O aluno parecia contrariado. Exercícios 1. Nas orações abaixo, classifique os verbos destacados quanto a predicação. a) A cidade da serra gaúcha guarda fortes marcas dos imigrantes italianos. b) Vinho garante saúde de Bento Gonçalves. c) Renato Russo desconfia do "rock". d) O Brasil somos nós. e) Naquela mesma madrugada ela morreu. f) Oferecemos flores a uma dama solitária. g) O aluno saiu desesperado da sala de aula. h) Não confiamos naquelas pessoas. i) O atleta virou herói nacional. j) Ceda o lugar aos mais velhos. k) Estamos aborrecidos. l) Estamos na sala. m) Permanecemos quietos durante a reunião. n) Permanecemos exatamente no mesmo lugar. o) Ele virou uma fera. p) O vendaval virou alguns barcos. q) Fiquei horas naquele quarto. r) Fiquei sentado a tarde toda. s) Ele passou a líder do grupo. t) A tempestade passou. u) Persistimos em ser atendidos. v) A inflação persiste vitoriosa. w) Achei minhas chaves. x) Acho-me doente. y) Uma taça lendária transporta a poesia através do tempo. z) Essa porta vive aberta. z1) O tempo virou. z2) Parentes viram o rosto a parentes. z3) A moça virou freira. z4) Ninguém resistia a seus encantos. z5) Dormiam tristíssimas. z6) Considero a vida passageira. 2. Nas orações a seguir, circule o verbo e determine sua transitividade: intransitivo ou de ligação. a) Aquela moça é encantadora. b) Os meninos estavam inquietos. c) A mulher permaneceu no hospital. d) As garotas ficaram muito abaladas. e) Todos ficaram na sala. f) O homem ficou no escritório. g) Os alunos permaneceram calados. h) A televisão continuava desligada.
  11. 11. i) O diretor da empresa continua viajando. j) Meu avô anda muito doente. l) A menina anda pela calçada. m) Estamos aborrecidos. n) Estamos na sala. o) As amigas dormiram tristíssimas. p) As amigas dormiram na pousada. 3. Circule o predicativo do sujeito. a) Os homens trabalhavam distraídos. b) Os jogadores voltaram para casa exaustos. c) Os meninos corriam desesperados. d) O professor fez um comentário sobre o poema emocionado. e) As mulheres conquistaram seu espaço e ficaram independentes. 4. Nas orações a seguir, circule o verbo e determine sua transitividade. a) Meu amigo está vendendo o carro. b) Todos gostaram do seu desempenho no jogo. c) Esqueci o caderno em casa. d) Comprei alguns discos. e) Confio em sua honestidade. f) Fiz meus exercícios ontem à tarde. g) Escrevi alguns versos para o jornalzinho da escola. h) Torcemos por sua recuperação. i) Não vi nossos amigos no clube hoje. j) Não concordo com seu ponto de vista. l) Eles enfrentaram vários problemas durante a viagem. m) Ele próprio reconheceu seus erros. n) Renato Russo desconfiava do “rock." o) O Brasil somos nós. p) Naquela mesma madrugada ela morreu. q) Oferecemos flores a uma dama solitária. r) Não confiamos naquelas pessoas. s) O atleta virou herói nacional. t) Ceda o lugar aos mais velhos. u) Ninguém resistia a seus encantos. v) Considero a vida passageira. w) Deus flores a professora. x) João amava Maria. 5. Em cada grupo de frases a seguir, um mesmo verbo é usado com transitividade diferente. Indique a transitividade verbal em cada situação. a) Certos mosquitos transmitem doenças. b) Transmita meus cumprimentos a toda a família. c) Ele está sempre cantando. d) Não tinha coragem de cantar aos presentes. e) Cantou suas mágoas a todos que o ouviam. f) É um poema que canta as glórias passadas do povo. _
  12. 12. TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO: - Objeto direto; - Objeto indireto; - Agente da passiva; - Complemento nominal. OBJETO DIRETO - é o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo direto sem auxílio de preposição obrigatória. Ex.: Carlos ama Luciana. Vtd / od O soldado sacou a arma. Vtd / od OBS.: Nada impede que o objeto direto venha precedido de preposição - objeto direto preposicionado - , não se confundindo com o objeto indireto, uma vez que, neste caso, a preposição não é obrigatória; se retirada da oração, não faz falta, o que não acontece com o objeto indireto, onde a preposição é obrigatória e sua ausência prejudica a estrutura oracional. Ex.: O soldado sacou da arma. Vtd / od prep. Luciana ama a Carlos. Vtd / od prep. OBJETO INDIRETO - é o termo da oração que completa o sentido de um verbo transitivo indireto através de uma preposição obrigatória. Ex.: Carlos gosta de Luciana. Vti / oi O soldado precisa de arma. Vti / oi OBS.: Como já vimos , alguns verbos exigem, ao mesmo tempo, dois complementos; são os verbos transitivos diretos e indiretos. Veja: Carlos ofereceu flores a Luciana. Vtdi od oi OBS 2 : Por motivos expressivos, podem surgir os chamados objetos pleonásticos: tanto o objeto direto como o objeto indireto podem ser colocados em destaque, no início da oração, sendo depois repetidos por um pronome pessoal na posição onde deveriam, naturalmente, estar. Ex.: Sua carta, releio-a sempre com prazer. od / od pleonástico Aos amigos, dedica-lhes o melhor de si. oi / oi pleonástico
  13. 13. Exercícios 1. Em cada grupo de frases abaixo, um mesmo verbo é utilizado com transitividade diferente. Indique a transitividade verbal em cada oração. a) Quem está falando? Não nos falaram a verdade. Falei-lhes a verdade. b) Vários alunos faltaram hoje. Faltou-me determinação naquele momento. c) Certos mosquitos transmitem doenças. Transmita meus cumprimentos a toda a família. d) Ele está sempre cantando. É um poema que canta as glórias passadas do povo. Não tinha coragem de cantar aos presentes. Cantou suas mágoas a todos que o ouviam. 2. Compare cada par de frases abaixo e comente as diferenças de sentido existente. a) Comi o bolo. Comi do bolo. b) Beberam o suco de abacaxi. Beberam do suco de abacaxi. 3. Classifique o termo sublinhado como objeto direto ou objeto indireto. a) Do barco avistamos a pequena casa. b) Ele não se referiu a minhas atitudes. c) “A mão trêmula da velha tateou o bolso da saia.” d) Não lhe restavam esperanças. e) Tirou da bolsa um pãozinho f) Faltou patriotismo aos membros do congresso. g) Ela adora música popular brasileira. h) Paguei todas as minhas dívidas. i) Paguei a todos os meus credores. j) Entreguei nossas reivindicações ao presidente. k) Entreguei nossas reivindicações ao presidente. l) Convidou o amigo para a festa. m) Joana gosta de livros. n) Maria visitou o amigo. o) Ana leu o livro sagrado. p) Ele vendeu a moto. q) Ela comprou um carro. r) ) O 2º distrito precisa de investimentos. s) Necessitamos de apoio. t) Amamos o projeto. u) O prefeito apoiou os vereadores. v) O empresário negociou o prédio. x) Comunicou o caso a polícia. z) Comunicou o caso a polícia. O pronome oblíquo na função de objeto l. Os pronomes o, a, os, as atuam exclusivamente como objetos diretos. Ex.: Comuniquei minhas conclusões aos colegas. Comuniquei-as aos colegas. 2. Os pronomes lhe, lhes atuam exclusivamente como objetos indiretos. Ex.: Comuniquei minhas decisões aos colegas. Comuniquei-lhes minhas conclusões. 3. Os pronomes me, te, se, nos, vos podem atuar como objetos diretos ou indiretos, de acordo com a transitividade do verbo a que se referem. Ex.: Elegeram-me representante da classe. vtd od
  14. 14. Mostraram-me um mundo maravilhoso. vtdi / oi / od OBS.: Uma forma simples e rápida de determinar a função dos pronomes em questão, é tentar substituí-los pelas expressões a seguir: o rapaz, ao rapaz. Toda vez que você conseguir substituir o pronome pela expressão o rapaz, ele será objeto direto (Elegeram o rapaz representante da classe.) Encaixando a expressão ao rapaz, o pronome será objeto indireto (Mostraram ao rapaz um mundo maravilhoso). Exercícios 1. Classifique o termo destacado em cada uma das frases seguintes. Depois, substitua-o por um pronome oblíquo átono. a) Faltou patriotismo aos membros do parlamento. b) Naquele instante, uma nova concepção de vida ocorreu ao austero e renomado embaixador. c) Muitos estudantes queriam efetivar sua cidadania. d) Adoro música popular brasileira. e) A todos os presentes comunico meu afastamento do cargo de diretor desta empresa. a) A todos os presentes comunico meu afastamento do cargo de diretor desta empresa. g) Paguei todas as minhas dívidas. h) Paguei a todos os meus credores. i) Entreguei nossas reivindicações ao presidente da comissão. j) Entreguei nossas reivindicações ao presidente da comissão. 3. Dê a função sintática do pronome oblíquo destacado. a) "Procurando-o procurarei a mim próprio". b) "Se os senhores algum dia quiserem encontrar um representante da grande nação brasileira, não o procurem nunca na sua residência." c) "Entreguei-lhe a carta. Leu-a num instante, tendo na testa uma ruga de aborrecimento..." d) Sua opinião não me importa. e) Aos alunos, ninguém os convidou para a solenidade de inauguração. f) Isto não nos convém. g) Aquele livro te pertence. h) Aqueles assuntos não te interessam. i) Ninguém nos incomodou naquele dia. j) Desejo-te muitas felicidades. AGENTE DA PASSIVA - é o termo da oração, na voz passiva, que indica o elemento que pratica a ação expressa pelo verbo. Vem sempre precedido de preposição (por, per, de). O agente da passiva (assim como os complementos verbais: OD/OI) é mais uma função substantiva da oração. Também podem atuar como agente da passiva pronomes e numerais substantivos, além de outras palavras substantivadas. Ex.: Todas aquelas árvores foram plantadas por mim. É uma pessoa estimada de todos. Fui enganado por ambos.
  15. 15. VOZES VERBAIS a) Voz ativa - o sujeito é o agente do processo verbal, ou seja, ele pratica a ação expressa pelo verbo. Ex.: Os alunos organizaram a festa. sujeito / vtd /od b) Voz passiva - o sujeito é o paciente do processo verbal, ou seja, ele sofre a ação expressa pelo verbo. Ex.: A festa foi organizada pelos alunos. sujeito / loc. verbal / ag. da passiva c) Voz reflexiva - o sujeito age sobre si mesmo, tornando-se agente e paciente do processo verbal, ou seja, ele pratica e sofre a ação. Ex.: O menino cortou-se. sujeito / verbo reflexivo OBS.: A voz passiva é exclusividade dos verbos transitivos diretos (ou transitivos diretos e indiretos ao mesmo tempo). Voz ativa: Abandonaram aquele carro ali. Voz passiva analítica: Aquele carro foi abandonado ali. Voz passiva sintética: Abandonou-se aquele carro ali. A voz passiva sintética tem como ponto de partida uma oração na voz ativa cujo sujeito está indeterminado. Para formá-la, utilizamos o pronome se, que recebe o nome de pronome apassivador ou partícula apassivadora. OBS.: Ao lado de verbos de ligação, intransitivos ou transitivos indiretos, o pronome se surge como indeterminador do sujeito. Ex.: Aluga-se casa na praia. vtd / PA (Casa na praia é alugada.) Comunicou-se o fato aos interessados. vtd / PA -O fato foi comunicado aos interessados http://isacgramatica.blogspot.com.br/2009/03/lingua-portuguesa-ensino-medio-3o-ano.html

×