Governos Geisel e Figueiredo

19.557 visualizações

Publicada em

História do Brasil - governos Geisel e Figueiredo
Conteúdo: Rede Pitágoras

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.557
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6.449
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
213
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Governos Geisel e Figueiredo

  1. 1. <ul><li>Apesar De Você </li></ul><ul><li>Chico Buarque </li></ul><ul><li>Composição: Chico Buarque, 1970 </li></ul><ul><li>Hoje você é quem manda Falou, tá falado Não tem discussão, não. A minha gente hoje anda Falando de lado e olhando pro chão Viu? Você que inventou esse Estado Inventou de inventar Toda escuridão Você que inventou o pecado Esqueceu-se de inventar o perdão </li></ul><ul><li>Apesar de você amanhã há de ser outro dia Eu pergunto a você onde vai se esconder Da enorme euforia? Como vai proibir Quando o galo insistir em cantar? Água nova brotando E a gente se amando sem parar </li></ul><ul><li>Quando chegar o momento Esse meu sofrimento Vou cobrar com juros. Juro! Todo esse amor reprimido, Esse grito contido, Esse samba no escuro </li></ul><ul><li>Você que inventou a tristeza Ora tenha a fineza de &quot;desinventar&quot; Você vai pagar, e é dobrado, Cada lágrima rolada Nesse meu penar </li></ul><ul><li>Apesar de você Amanhã há de ser outro dia. Ainda pago pra ver O jardim florescer Qual você não queria </li></ul><ul><li>Você vai se amargar Vendo o dia raiar Sem lhe pedir licença </li></ul><ul><li>E eu vou morrer de rir E esse dia há de vir antes do que você pensa Apesar de você </li></ul><ul><li>Apesar de você Amanhã há de ser outro dia Você vai ter que ver A manhã renascer E esbanjar poesia </li></ul><ul><li>Como vai se explicar Vendo o céu clarear, de repente, Impunemente? Como vai abafar Nosso coro a cantar, Na sua frente. Apesar de você </li></ul>
  2. 2. GOVERNO ERNESTO GEISEL 1974 - 1979
  3. 4. Em 1974 assume a presidência o general Ernesto Geisel, que começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem.
  4. 6. CHARGE PUBLICADA EM 1974 NO JORNAL DO BRASIL
  5. 7. Geisel anuncia a abertura política lenta, gradual e segura. A oposição política começa a ganhar espaço. Nas eleições de 1974, o MDB conquista 59% dos votos para o Senado, 48% da Câmara dos Deputados e ganha a prefeitura da maioria das grandes cidades.
  6. 9. Os militares de linha dura (aqueles que de forma alguma queriam que houvesse a abertura política e o governo voltasse para o controle civil), não contentes com os caminhos do governo Geisel, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1975, o jornalista Vladimir Herzog á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho aparece morto em situação semelhante.
  7. 10. <ul><li>VLADIMIR HERZOG </li></ul><ul><li>MANOEL FIEL FILHO </li></ul><ul><li>SEU ATESTADO DE ÓBITO CONSTA COMO SUICÍDIO </li></ul>
  8. 11. <ul><li>Em 1978, Geisel toma algumas medidas: </li></ul><ul><li>acaba com o AI-5, (que fechava temporariamente o Congresso Nacional, autorizava o presidente da República a cassar mandatos e suspender direitos políticos, suspendia indefinidamente o habeas corpus ( Recurso judicial solicitado aos tribunais por quem sofreu ou se acha ameaçado de sofrer violência ou constrangimento em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de autoridade) </li></ul><ul><li>restaura o habeas-corpus e, abre caminho para a volta da democracia no Brasil. </li></ul><ul><li>entre os dois senadores a serem eleitos em cada estado um deveria ser escolhido indiretamente, o que levou a ficarem conhecidos como &quot;senadores biônicos&quot;; </li></ul><ul><li>os governadores continuaram a ser escolhidos por eleições indiretas; </li></ul><ul><li>a propaganda na televisão ficaria reduzida à apresentação do nome, número e currículos dos candidatos, sem debates; </li></ul><ul><li>o mandato do sucessor do presidente se estendeu para seis anos. </li></ul>
  9. 13. MAS NÃO SÓ DE POLÍTICA VIVE O HOMEM <ul><li>Outros acontecimentos que marcaram o ano de 1978: </li></ul><ul><li>o Brasil fica em 3º lugar na Copa do Mundo. </li></ul><ul><li>na Fórmula 1 desponta no cenário mundial Nelson Piquet. </li></ul><ul><li>foi eleita miss Brasil a mineira Suzana Araújo dos Santos. </li></ul><ul><li>na TV tínhamos o grande sucesso da novela DANCIN DAYS. </li></ul><ul><li>no cinema o filme americano AMARGO REGRESSO e o nacional A DAMA DO LOTAÇÃO , lotaram as salas. </li></ul><ul><li>o time de futebol GUARANI de Campinas foi campeão brasileiro. </li></ul>
  10. 15. GOVERNO JOÃO BAPTISTA DE FIGUEIREDO 1979 - 1984
  11. 16. TRANSMISSÃO DE CARGO GEISEL - FIGUEIREDO
  12. 17. O presidente João Baptista de Oliveira Figueiredo iniciou seu governo num momento em que crescia no país a crítica às decisões autoritárias e centralizadoras do governo militar. Diversos setores da sociedade brasileira (sindicatos de trabalhadores, grupos de empresários, Igreja, associações artísticas e científicas, universidades e imprensa) passaram a reivindicar ardentemente a redemocratização do país.
  13. 18. Para tentar barrar essa situação os militares da linha dura e o movimento de Direita seriam responsáveis por vários atentados tais como: explosões em bancas de jornais, cartas bombas enviadas a políticos ligados a Esquerda, e a OAB onde faleceu a secretaria da Ordem, LÍDIA MONTEIRO DA SILVA. E o mais célebre de todos, a bomba do RIOCENTRO, em 30 de Abril de 1981.
  14. 19. <ul><li>ATENTADO NO RIOCENTRO </li></ul><ul><li>LÍDIA MONTEIRO DA SILVA </li></ul><ul><li>SECRETÁRIA DA OAB </li></ul>
  15. 20. Diante das pressões de toda a sociedade, o presidente Figueiredo assumiu o compromisso de realizar a “abertura política” e devolver a democracia ao Brasil. Nesse clima de abertura democracia, os sindicatos se fortaleceram e ressurgiram as primeiras greves operárias contra o achatamento dos salários. Dentre elas, destacam-se as greves dos operários metalúrgicos de São Bernardo do Campo, em São Paulo, sob a liderança sindical de Luís Inácio Lula da Silva. Deste movimento nasce o PT (PARTIDO DOS TRABALHADORES)
  16. 21. <ul><li>Passeata no Rio de Janeiro, em agosto de 1979, pede anistia aos presos e exilados políticos. </li></ul><ul><li>CARTAZ DA ANISTIA </li></ul>
  17. 22. No plano econômico, o ministro do Planejamento, Delfim Neto, procurou executar o III PND (Plano Nacional de Desenvolvimento), que tinha como principais preocupações promover o crescimento da renda nacional e do emprego; controlar a dívida externa; combater a inflação; desenvolver novas fontes de energia. Quanto ao setor energético, o governo buscou através do Proálcool (Programa Nacional do Álcool) substituir progressivamente o petróleo importado por uma nova fonte de combustível nacional.
  18. 23. A campanha da sociedade pela redemocratização do país obteve os primeiros resultados positivos: - Anistia a todos aqueles que foram punidos pela ditadura militar. Assim, muitos cidadãos brasileiros que ainda estavam no exílio puderam, finalmente, regressar à sua pátria. Pessoas que tiveram seus direitos políticos cassados foram reabilitados na sua cidadania. Mas a anistia não foi irrestrita. Milhares de militares punidos pela ditadura não puderam voltar, normalmente às Forças Armadas. - Fim do bipartidarismo restrito à ARENA e ao MDB. Foram criados novos partidos para disputar as próximas eleições. Surgiram, então, o PDS (no lugar da ARENA) e o PMDB (no lugar do MDB). Apareceram ainda partidos novos, como o PT (Partido dos Trabalhadores), PDT (Partido Democrático Trabalhista), PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) e outros. Foram restabelecidas as eleições diretas para governador de estado.
  19. 24. PRO ÁLCOOL
  20. 25. Os outros grandes objetivos do III PND não foram alcançados de forma satisfatória. Vejamos: - Dívida externa: tendo obtido empréstimos do FMI (Fundo Monetário Internacional), o Brasil teve que se submeter às exigências dos banqueiros internacionais, que passaram a ditar regras de “ajustamento” de nossa economia. Sem poder pagar os empréstimos obtidos, o Brasil caiu numa ciranda sem fim. Passou a pedir novos empréstimos para saldar a dívida anterior. - Inflação: provocada por uma série de desequilíbrios econômicos, a inflação começou a explodir durante o governo Figueiredo. Bateu recordes históricos, superando a cifra de 200% ao ano. A classe social mais prejudicada com a inflação foi a dos trabalhadores, que tiveram seus salários corroídos dia a dia pela alta absurda do custo de vida.
  21. 26. - Desemprego: a falta de investimento no setor produtivo (expansão das empresas) resultou numa redução do crescimento econômico, cuja conseqüência social mais importante foi o aumento do desemprego. Em 1983, o desemprego em São Paulo, Rio de Janeiro e outros lugares do país atingiu uma situação desesperadora. Grupos de desempregados, para não morrer de fome, chegaram a saquear supermercados em busca de comida para a família. Com o agravamento da crise econômica, cresceu também a insatisfação popular contra o governo. Nas eleições de 1982, o povo manifestou seu descontentamento elegendo um grande número de candidatos das oposições nos principais estados brasileiros. Depois de dezoito anos de ditadura, em 15 de março de 1983, assumiram o poder nos estados novos governadores eleitos diretamente pelo povo. O regime militar aproximava-se do fim.
  22. 27. MOVIMENTO DIRETAS JÁ Movimento civil de reivindicação por eleições presidenciais diretas no Brasil ocorrido em 1983. A possibilidade de eleições diretas para a Presidência da República no Brasil se concretizou com a votação da proposta de Emenda Constitucional Dante de Oliveira pelo Congresso. Entretanto, a Proposta de Emenda Constitucional foi rejeitada, frustrando a sociedade brasileira. Ainda assim, os adeptos do movimento conquistaram uma vitória parcial em janeiro do ano seguinte quando um de seus líderes, Tancredo Neves, foi eleito presidente pelo Colégio Eleitoral.

×