COTIDIANO, RELIGIÃO E EDUCAÇÃO NA BAIXA IDADE MÉDIA
Corresponde ao período entre os séculos XII e meados do século XV. Nesse momento histórico ocorreram inúmeras transformaçõ...
<ul><li>A passagem do século X ao XI foi um momento de mudanças na Europa feudal. Com o fim das invasões bárbaras (vikings...
Veja na tabela abaixo como a população da Europa ocidental foi crescendo significativamente no período:  73 milhões 61 mil...
<ul><li>Renascimento urbano   </li></ul><ul><li>As cidades começaram a crescer durante a Idade Média a partir do desenvolv...
Vista parcial do que  seria um Burgo
Com o renascimento comercial e urbano, o campo perde status
<ul><li>Os que habitavam os burgos, exercendo atividades comerciais e manufatureiras, constituíram um novo segmento social...
<ul><li>A burguesia fede A burguesia quer ficar rica Enquanto houver burguesia Não vai haver poesia (...) </li></ul><ul><l...
<ul><li>A monetarização da economia   </li></ul><ul><li>   </li></ul><ul><li>O crescimento urbano e comercial proporcional...
Os interesses econômicos, junto com o ideal religioso da defesa dos lugares santos conquistados pelos muçulmanos, permitir...
RELIGIOSIDADE MEDIEVAL: A IGREJA ESTAVA “A SERVIÇO DE CRISTO”.
VIDA COTIDIANA
TRABALHO COM O RENASCIMENTO DAS CIDADES, O COMÉRCIO OCUPA O LUGAR CENTRAL DA ECONOMIA
LAZER
OBJETOS
SAÚDE
 
CERIMÔNIAS
IMAGINÁRIO
ESCOLAS - EDUCAÇÃO Escolas Paroquiais  (ou Presbitérias).  Limitavam-se à formação de eclesiásticos, sendo o ensino minist...
Escolas Monásticas   Visavam, inicialmente, apenas a formação de futuros monges. Funcionando de início apenas em regime de...
<ul><li>ESCOLAS CATEDRAIS </li></ul><ul><li>Se, até ao século XI, a vida intelectual era praticamente monopólio da Igreja,...
<ul><li>Ao lado desta instrução e educação ministrada aos jovens da nobreza por eclesiásticos, a Idade Média oferece-lhes ...
ALGO DO QUE ESTUDAMOS DA IDADE MÉDIA PODE ESTAR PRESENTE OU TEM SEMELHANÇA COM A ATUALIDADE... O QUE DIFERENCIA É A MANEIR...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cotidiano, religião e educação na Baixa Idade Média

8.353 visualizações

Publicada em

Cotidiano, religião e educação na Baixa Idade Média

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
169
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cotidiano, religião e educação na Baixa Idade Média

  1. 1. COTIDIANO, RELIGIÃO E EDUCAÇÃO NA BAIXA IDADE MÉDIA
  2. 2. Corresponde ao período entre os séculos XII e meados do século XV. Nesse momento histórico ocorreram inúmeras transformações no feudalismo, como o renasci­mento do mundo urbano e o reaquecimento das atividades comerciais; o fim do trabalho servil; o surgimento da burguesia; a centralização política nas mãos dos monarcas; e as crises da Igreja Católica. BAIXA IDADE MÉDIA Toda a trama histórica levou o sistema feudal ao seu limite produzindo uma grave crise que desembocou na transição para o capitalismo.
  3. 3. <ul><li>A passagem do século X ao XI foi um momento de mudanças na Europa feudal. Com o fim das invasões bárbaras (vikings e magiares), o mundo medieval conheceu um período de paz, segurança e desenvolvimento. </li></ul><ul><li>O primeiro dado importante refletindo esse novo momento foi o aumento da população. O crescimento demográfico foi ocasionado pelo fim das guerras contra os bárbaros e pelo recuo das epidemias, gerando uma queda da mortalidade. </li></ul><ul><li>Além disso, ocorreu uma suavização do clima, proporcionando mais terras férteis e colheitas abundantes. </li></ul>
  4. 4. Veja na tabela abaixo como a população da Europa ocidental foi crescendo significativamente no período: 73 milhões 61 milhões 50 milhões 46 milhões POPULAÇÃO 1300 1200 1150 1050 ANO
  5. 5. <ul><li>Renascimento urbano </li></ul><ul><li>As cidades começaram a crescer durante a Idade Média a partir do desenvolvimento agrícola, que garantia o abastecimento, e das atividades de troca do excedente. </li></ul><ul><li>O revigoramento do comércio transformou as villas, as cidades portuárias e as antigas regiões das feiras comerciais, que se tornaram permanentes. </li></ul><ul><li>Várias cidades desenvolveram-se junto dos castelos e mosteiros fortificados, em razão da proteção proporcionada por seus muros. </li></ul><ul><li>! Provavelmente surge daí a denominação burgo para as cidades, pois essa palavra significa fortaleza e castelo (do latim burgo). </li></ul>
  6. 6. Vista parcial do que seria um Burgo
  7. 7. Com o renascimento comercial e urbano, o campo perde status
  8. 8. <ul><li>Os que habitavam os burgos, exercendo atividades comerciais e manufatureiras, constituíram um novo segmento social no sistema feudal, conhecido como burguesia . </li></ul>burgueses
  9. 9. <ul><li>A burguesia fede A burguesia quer ficar rica Enquanto houver burguesia Não vai haver poesia (...) </li></ul><ul><li>A burguesia não tem charme nem é discreta Com suas perucas de cabelos de boneca A burguesia quer ser sócia do Country A burguesia quer ir a New York fazer compras (...) </li></ul><ul><li>Pobre de mim que vim do seio da burguesia Sou rico mas não sou mesquinho Eu também cheiro mal Eu também cheiro mal (...) </li></ul><ul><li>Os guardanapos estão sempre limpos As empregadas, uniformizadas São caboclos querendo ser ingleses São caboclos querendo ser ingleses (...) </li></ul><ul><li>A burguesia não repara na dor Da vendedora de chicletes A burguesia só olha pra si A burguesia só olha pra si A burguesia é a direita, é a guerra (...) </li></ul>Letra: Cazuza
  10. 10. <ul><li>A monetarização da economia </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O crescimento urbano e comercial proporcional a afluência e o câmbio (troca) de moedas, que readquiriram função importante nas atividades comerciais. Nessa nova situação, destacou-se o mercador que lidava especificamente com as moedas: o cambista ou banqueiro. </li></ul><ul><ul><li>    Por meio da cobrança de taxas, esses mercadores cambiavam todo tipo de moeda, faziam empréstimos e emitiam títulos de valores, ou seja, certificados que garantiam a um comerciante a propriedade de determinada quantia de moedas, que ficavam sob guarda e proteção do banqueiro. </li></ul></ul>Banqueiros
  11. 11. Os interesses econômicos, junto com o ideal religioso da defesa dos lugares santos conquistados pelos muçulmanos, permitiram aos estados do Ocidente a realização de um dos maiores empreendimentos da cristandade medieval: as cruzadas. Isso serviu para ampliar os limites do poder europeu, instituir o comércio mediterrâneo e aliviar a pressão muçulmana sobre o império bizantino. No fim do século XI, o papa Urbano II autorizou a primeira cruzada, cujo resultado foi a conquista de Jerusalém pelos cristãos. Durante os séculos XII e XIII realizaram-se novas cruzadas e fundaram-se diversos reinos cristãos no Oriente Médio, mas todos eles acabaram por cair em poder dos turcos otomanos. Todos esses empreendimentos, imbuídos de forte espírito religioso, causaram o aparecimento das ordens de cavalaria.
  12. 12. RELIGIOSIDADE MEDIEVAL: A IGREJA ESTAVA “A SERVIÇO DE CRISTO”.
  13. 13. VIDA COTIDIANA
  14. 14. TRABALHO COM O RENASCIMENTO DAS CIDADES, O COMÉRCIO OCUPA O LUGAR CENTRAL DA ECONOMIA
  15. 15. LAZER
  16. 16. OBJETOS
  17. 17. SAÚDE
  18. 19. CERIMÔNIAS
  19. 20. IMAGINÁRIO
  20. 21. ESCOLAS - EDUCAÇÃO Escolas Paroquiais (ou Presbitérias). Limitavam-se à formação de eclesiásticos, sendo o ensino ministrado por qualquer sacerdote encarregado de uma paróquia, que recebia em sua própria casa os jovens rapazes. À medida que a nova religião se desenvolve, passa-se das casas privadas às primeiras igrejas nas quais o altar substitui a tribuna. O ensino reduz-se aos salmos, às lições das Escrituras, seguindo uma educação estritamente cristã. MODELO DE AULA MEDIEVAL
  21. 22. Escolas Monásticas Visavam, inicialmente, apenas a formação de futuros monges. Funcionando de início apenas em regime de internato, estas escolas abrem mais tarde escolas externas com o propósito da formação de leigos cultos (filhos dos Reis e os servidores também). O programa de ensino, de início, muito elementar - aprender a ler, escrever, conhecer a bíblia (se possível de cor), canto e um pouco de aritmética - vai-se enriquecendo de forma a incluir o ensino do latim, gramática, retórica e dialética.   Escolas Episcopais Funcionavam numa dependência da habitação do bispo. Estas escolas visavam, em especial, a formação do clero secular (parte do clero que tinha contacto direto com a comunidade) e também de leigos instruídos que assim eram preparados para defender a doutrina da Igreja na vida civil.
  22. 23. <ul><li>ESCOLAS CATEDRAIS </li></ul><ul><li>Se, até ao século XI, a vida intelectual era praticamente monopólio da Igreja, a partir do século XII, inaugura-se uma nova fase. </li></ul><ul><li>À margem da sociedade feudal, emerge um novo grupo social, a burguesia, urbana, mercantil e manufatureira, dedicada às finanças, acumulando riquezas, poder e importância cultural. </li></ul><ul><li>É com o seu apoio que se vai operar a renovação da idéia de escola, a sua abertura para além das paredes dos mosteiros e abadias rurais. </li></ul><ul><li>O ensino literalmente deixa o campo e instala-se definitivamente nas cidades com as Escolas Catedrais (escolas urbanas), saídas das antigas escolas episcopais (que alargaram o âmbito dos seus estudos), tomaram a dianteira em relação às escolas dos mosteiros. </li></ul>
  23. 24. <ul><li>Ao lado desta instrução e educação ministrada aos jovens da nobreza por eclesiásticos, a Idade Média oferece-lhes ainda uma educação militar e cortesã, educação à qual, desde cedo, a Igreja procurou  também imprimir uma orientação religiosa e doutrinal. </li></ul>
  24. 25. ALGO DO QUE ESTUDAMOS DA IDADE MÉDIA PODE ESTAR PRESENTE OU TEM SEMELHANÇA COM A ATUALIDADE... O QUE DIFERENCIA É A MANEIRA COMO VEMOS AS COISAS OU INTERPRETAMOS A REALIDADE.... Imagens: google-gifs de historia

×