Educar na Cultura Digital

3.141 visualizações

Publicada em

Novas tecnologias, novas formas de aprender - Palestra de Pricila Gonsales

Publicada em: Educação, Tecnologia, Turismo
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.141
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
572
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educar na Cultura Digital

  1. 1. Novas tecnologias, novas formas de aprender ou Educar na Cultura Digital
  2. 2. Como formar pessoas com capacidade crítica e criativa para o mundo atual? Perguntas iniciais: desafios educativos Como ensinar a capacidade de viver uma vida digna, responsável, produtiva, sustentável e saudável em um mundo globalizado? Como tornar os alunos conscientes de seus direitos e deveres preparados para aprender durante toda a vida? Como garantir o respeito à diversidade, compartilhando e produzindo conhecimento e cultura em um mundo impregnado por múltiplos idiomas e tecnologias?
  3. 3. Técnicas e tecnologias
  4. 6. Mapa-múndi de Bartolomeu Velho, 1561 O desenho do mundo
  5. 7. Vista da baía do Rio de Janeiro , 1844. CONDE DE CLARAC - O Conde de Clarac esteve em 1816 no Brasil, tendo executado desenhos considerados a representação mais fiel da natureza dos Trópicos. A imagem do outro lado do mundo
  6. 8. A primeira máquina moderna de calcular - 1642 .
  7. 9. O primeiro tear automático - 1801
  8. 10. Imagem do cenário de Monte Carlo para o filme Esposas Ingênuas ( Erich von Stroheim , 1922). O olho do fotógrafo registra a equipe que se prepara para registrar a cena. Olhos que ‘vêem’ por nós
  9. 11. Vídeo Evolução da comunicação (autoria do “púbico”)
  10. 12. Informação não é transcrita de modo contínuo num meio físico, mas sim em “bits” (menor unidade binária de informação) Isto significa uma nova maneira de transmitir e obter informações, que não mais depende dos processos de reprodução Outra organização do mundo, pelo potencial de comunicação , de aproximação entre realidades distantes, redes de transmissão e comunicação para troca de informações políticas, econômicas, culturais e de lazer A era digital
  11. 13. Cultura Digital
  12. 14. Inovações tecnológicas: da invenção à utilização Celular 1983 13 anos. Eletricidade 1873 46 anos Automóvel 1886 35 anos Telefone 1876 30 anos Televisão 1926 26 anos 50 milhões de usuários Média de 30 anos para atingir
  13. 15. Inovações tecnológicas: da invenção à utilização Internet 1995 a 1999 = 50 milhões
  14. 16. Internet: número de usuários no mundo 2002 561 milhões 2009 1,2 bilhão
  15. 17. Vídeo História da Internet Estatísticas da Internet
  16. 18. PERSONAGEM Steve Case, dono da Aol, que comprou o grupo Time Warner.            Web 1.0 - Anos 90 A grande biblioteca digital Foi a primeira geração de internet comercial. Seu grande trunfo era a quantidade de informações disponíveis. Mas o conteúdo era pouco interativo. O usuário ficava no papel de mero espectador da ação que se passava na página que ele visitava. Não tinha autorização para alterar seu conteúdo.
  17. 19. Web 2.0 - Hoje Construção coletiva do conhecimento Sua essência é permitir que os usuários sejam mais que meros espectadores: eles são parte do espetáculo. Os melhores sites são ferramentas para que os internautas gerem conteúdo, criem comunidades e interajam. Alguns, como a Wikipédia, possibilitam a construção coletiva do conhecimento. PERSONAGEM Jimmy Wale, criador da Wikipédia, a enciclopédia em construção.
  18. 20. Web 3.0 - ??? Programas interpretam nossas preferências e nos ajudam a navegar Ainda não é clara a fronteira para a web 3.0. Mas algumas pessoas a entendem como um conjunto de tecnologias com formas mais eficientes para ajudar os computadores a organizar e analisar a informação disponível na rede. PERSONAGEM O cientista inglês Tim Berners-Lee criou a web em 1991. Agora, ele lidera um grupo de pesquisadores que quer reinventar a internet. O objetivo é criar a web 3.0, ou web semântica.
  19. 21. <ul><li>QUE TEMPO É ESTE? </li></ul><ul><li>A era do usuário </li></ul><ul><li>Geração interativa </li></ul><ul><li>Inteligência Coletiva </li></ul><ul><li>Sociedade conectada </li></ul><ul><li>Novas competências e habilidades </li></ul>REDES SOCIAIS NA WEB Evidenciam agrupamentos já existentes Potencializam expansão de grupos antes minoritários e “invisíveis” Incentivam a criação de novos coletivos : cooperação e colaboração
  20. 22. Novas maneiras de estar no mundo e de relacionamento social. “ Estar em rede” – no trabalho, na cultura, na política, na organização social, na economia, no conhecimento, na busca da identidade. A rede não é o produto de tecnologias, mas o imbricamento destas com as relações e organizações sociais que foram se modificando ao longo do tempo nos diversos âmbitos: trabalho, lazer e educação. Manuel Castells Ciberespaço e novos espaços de relacionamento
  21. 23. &quot;Não existe mais volta. Antes uma novidade, a Internet está transformando o modo como vivemos, pensamos, falamos, amamos, estudamos, fazemos dinheiro, visitamos o médico e elegemos o presidente. Não estamos mais falando sobre o futuro – isto está acontecendo aqui e agora &quot; .
  22. 24. Para nós educadores … o que preocupa são o aqui e agora o modo como lidamos com
  23. 25. CIBERESPAÇO Hipermídia Quantidade Qualidade Hipertexto Letramento digital Velocidade
  24. 26. www.educarede.org.br B A I X E A Í N T E G R A
  25. 27. Mark Zuckerberg Facebook: + 400 milhões de usuários Fortuna: R$ 1,3 bilhão
  26. 28. A geração interativa APRENDIZAGEM
  27. 29. <ul><li>Características: </li></ul><ul><li>Habilidades icônicas - Executar múltiplas tarefas - Zapear </li></ul><ul><li>Comportamento não-linear </li></ul><ul><li>Habilidades colaborativas </li></ul>A geração interativa Win Veen e Bem Vrakking – Homo Zappiens educando na era digital
  28. 30. Letramento Digital
  29. 31. Le tramento é o estado ou condição de quem exerce as práticas sociais de leitura e de escrita, de quem participa de eventos em que a escrita é parte integrante da interação entre pessoas. Magda Soares A definição de alfabetização não é estática, mas histórica. Muda conforme as exigências e usos sociais, e também quando mudam as tecnologias da escrita. Estar alfabetizado neste início do século XXI exige muito mais que antes. Emília Ferreiro
  30. 32. Tecnologia X Metodologia Vídeo
  31. 33. Aprendizagem para o século XXI Educação de qualidade formação de indivíduos capazes de fazer uso dos meios tecnológicos, suas linguagens e discursos. Desenvolvimento do letramento digital trabalhar com aprendizagens fundamentais para participar nas práticas de leitura e escrita que emergem da cultura digital . dominar e saber utilizar recursos, códigos e linguagens do mundo de hoje, em atividades significativas para seu desenvolvimento pleno
  32. 34. Pesquisa acessar, encontrar, selecionar , armazenar , organizar analisar criticamente , sintetizar e resignificar a informação , desenvolver fluência digital para pesquisar na Internet, manejar ferramentas, processos , explorar funcionalidades O que fazer com tanta informação? Como construir conhecimento?
  33. 35. Comunicação participar em grupos , debates redes. Elaborar mensagens. Respeitar a opinão do outro , ampliar seu capital social atuar colaborativamente em meio digital , desenvolver fluência digital construir e cultivar sua identidade virtual Como estabelecer relações? Como encontrar meus pares? Como criar e manter redes?
  34. 36. Publicação produzir e compartilhar informação com responsabilidade , produzir em diferentes linguagens e mídias , tornar pública a sua produção, desenvolver fluência digital para publicar na Internet   Como adquirir uma postura ativa e autoral na Internet?
  35. 37. <ul><li>Mão na massa: sugestões Portal Moderna Plus ( www.modernaplus.com.br ) </li></ul><ul><li>Portal EducaRede ( www.educarede.org.br ) Minha Terra – rede social para escolas Grupo de Estudos Virtual – Educar na Cultura Digital Fórum da Cultura Digital Brasileira ( http://culturadigitalbr ) Blog Química Viva ( http://scienceblogs.com.br/quimicaviva ) </li></ul><ul><li>Blog Física na veia ( http://fisicamoderna.blog.uol.com.br/ ) Blog Apatossauros em Meu Jardim http://scienceblogs.com.br/brontossauros/ </li></ul>
  36. 38. - Em vez de apenas ensinar, estamos estimulando a aprendizagem? Perguntas finais: repensar nossas práticas <ul><li>Nossa escola ainda se apresenta como um mundo à parte? </li></ul><ul><li>Os jovens acham o conteúdo relevante para sua vida e seu futuro? </li></ul><ul><li>Aprender a aprender é um valor importante? </li></ul><ul><li>Aulas baseadas em giz, voz e livros são suficientes no mundo de hoje? </li></ul><ul><li>Nosso papel de educador prevalece ou apenas desempenhamos o de especialista na disciplina? </li></ul>
  37. 39. Mensagem final Pensar a educação na cultura digital não significa apenas oferecer cursos de informática, ou usar um recurso tecnológico. Trata-se, substancialmente, de formar o cidadão para a apropriação das tecnologias digitais hoje disponíveis para seu próprio desenvolvimento intelectual, cultural e exercício responsável e ético de novas práticas sociais.
  38. 40. Priscila Gonsales [email_address] twitter: @prigon FB: www.facebook.com/priscila.gonsales OBRIGADA!
  39. 41. <ul><li>BIBLIOGRAFIA </li></ul><ul><li>Castels, Manuel. A sociedade em rede . V. 1. São Paulo: Paz e Terra, 2002. </li></ul><ul><li>Costella, Antônio. Comunicação – do grito ao satélite. São Paulo: Mantiqueira, 1984. </li></ul><ul><li>Gonsales, Priscila e autores. CENPEC, Coleção Educarede: Internet na Escola .[on line].Disponível em : http://www.educarede.org.br/ </li></ul><ul><li>Featherestone, Mike. Cultura global – nacionalismo, globalização e modernidade . Petrópolis: Vozes, 1994. </li></ul><ul><li>Levy, Pierre. As tecnologias da inteligência. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. </li></ul><ul><li>Santos, Milton. A natureza do espaço – técnica e tempo, razão e emoção . São Paulo: Ed. Hucitec, 1996. </li></ul><ul><li>Soares, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998. </li></ul><ul><li>Veen, Win. Vrakking, Ben. Homo Zappiens – educanco na era digital. Artmed, 2009. </li></ul>

×