relatorio portugues 2

58 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
58
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

relatorio portugues 2

  1. 1. A NOVA FACE DA HOSPITALIDADE COOLHUNTING|IED-RJ|2015
  2. 2. 3 4 quem somos hospitalidade 5tendencia 1 8tendencia 2 11tendencia 3 14tendencia 4 17tendencia 5 20conclusao 21material extra
  3. 3. quem somos 3 DORA BERTONI Formada em Administração pela PUC-Rio e Master em Fashion Buying pelo Istituto Marangoni Milano, já trabalhou como designer de lingerie, assitente de marketing, stylist,figurinista e assistente de figurino na TV Globo. Atualmente,está cursando Cool Hunting pelo IED-RJ. Seu olhar particularmente detalhista e conectado com referências de todos os tipos a inspiram na pesquisa por novas tendências. GISELE NEVES Graduada em Direito pela Candido Mendes, especialista em Direito do Consumidor e Direito Empresarial pela PUC-Rio. Depois de 17 anos atuando no mercado do Direito Empresarial, especificamente na área de saúde, resolveu conhecer novas carreiras e pos- sibilidades. Atualmente, cursa Cool Hunting no IED-RJ e pretende aprimorar seu senso de observação e seu gosto pelo novo. Sua tendência agora é mudar, fazer diferente. LUIZA FRAGOMENI Formada em Desenho Industrial - Projeto de Produto e pós-graduada em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade do Estado da Bahia, especializou-se em Design de Móveis e mais tarde trabalhou com Design de Estruturas para Comunicação Visual e Sinalização. Hoje trabalha na Portobello Shop e está cursando Cool Huntind pelo IED-RJ para se atualizar nas mais novas tendências do mercado. ISADORA CATEM Estudante de Jornalismo e Relações Públicas pela FACHA com capacitação como organi- zadora de eventos pelo Senac. Sua experiência como responsável há três anos com criação de estratégias de marketing direto e digital para a Fisk e produção de eventos artísticos e culturais da Facha, criou uma sensibilidade em relação às necessidades do consumidor, com foco na pesquisa. Atualmente procura novas oportunidades de aplicar o conhecimento prático de tendência em negócios. SAMARAH LOPES Estudante de Comunicação Social, cool hunting pelo IED-RJ. Apaixonada por viagens, culturas e marketing, quer entender e explorar o mundo ao seu redor, e espera com isso viver várias vidas em uma só.
  4. 4. hospitalidade Na Grécia antiga, HOSPITALIDADE era um direito. Era esperado do anfitrião que todas as necessidades do hóspede seriam atendidas. O termo theoxenia, que significa o envolvimento divino nos laços desse relacionamento. Na sociedade grega, as habilidades como anfitrião de uma pessoa lhe dava notalibili- dade nobre e social. Os filósofos estoicos também considera- vam a hospitalidade como um dever inspirado em Zeus. Hospitalidade pode ter vários significados, relacionados à nossa cultura e percepção: bem-estar, calor, acolhimento, gentileza, simpatia, sociabilidade, cordialidade, empatia entre outros. Basicamente, o relacionamento entre a pessoa que recebe e a recebida, toma novos âmbitos a serem analisados. Ao elaborar o trabalho percebemos que a hospitalidade está intimamente ligada a atender aos de- sejos primitivos do homem, independentemente da raça, do sexo, religião e condição financeira, são desejos universais de todas as pessoas, como o prazer de ser acolhido, a liberdade de ir e vir, a necessidade de se socializar, de estar junto da família, o contato com a natureza, enfim, desejos puramente humanos. A vitalidade da hospitalidade é demostrada pela capacidade transformativa de estranhos em conheci- dos, inimigos em amigos, amigos em melhores amigos, forasteiros em pessoas íntimas, não-parentes em parentes e outras tantas possibilidades de relações sociais. Nós consideramos que, a cada vez que detectamos algo novo nessa relação entre o anfitrião e o “hóspede” (ou cliente, se estamos falando da indústria de serviços), há uma oportunidade para pesquisar essa tendência. Nossa pesquisa buscou novos lugares além de onde a hospitalidade nor- malmente já está presente, como hotéis, turismo, restaurantes, spas e resort; mas buscamos procurá- la também em situações mais inusitadas. Co-working, viagens customizadas comemorativas e trans- porte são alguns exemplos de nossa pesquisa. Nosso “forecasting”segue o briefing padrão passado pelo curso, concentrando nossa pesquisa em exemplos já existentes de novas tendências no setor da hospitalidade na América do Sul, preferen- cialmente no Brasil. A partir daí, desenvolvemos a percepção de 5 tendências. 4
  5. 5. 5
  6. 6. tendencia 1 kanguruHospitalidade para as mães que pretendem dividir seu tempo entre o trabalho, lazer e cuidados com os filhos pequenos. Retorno do conceito da mãe (ou pai) estarem o mais próximo possível dos filhos e presentes em sua criação. Case 1 | Coworking de mães - Mamaworking (https://mamaworkingblog.wordpress.com/about/) O Mamaworking surgiu na cidade de Curitiba e sua inauguração foi em setembro de 2015. Sua criadora, Valquiria Porto, mãe de três filhos sentiu a vontade de trabalhar em um ambiente fora de casa e ao mesmo tempo estar perto dos filhos. Como essa não era apenas a sua necessidade, mas de muitas outras mães, decidiu criar o Mamaworking, que atualmente tem um concorrente, a Casa do Viver em São Paulo. Trata-se de um escritório de coworking voltado para mães, em conjunto com serviços e espaço de atividades para seus filhos, sob o mesmo teto, onde os bebês e as crianças brincam e aprendem sob orientação de pessoas especializadas em educação e cuidados maternais. Todo o espaço da casa Mamaworking foi pensado em função do vínculo mãe-filho. O livre acesso das mães aos filhos e a pos- sibilidade de trabalhar produtivamente em um ambiente profissional, fazendo trocas com outras mães, foram pensados para este espaço poder se tornar um apoio à maternidade consciente e um estímulo ao empreendedorismo feminino. As mães podem trabalhar tranquilas no seu ambiente de coworking equipado com todos os recursos de em escritório e, quando quiserem, com livre acesso aos filhos, poderão fazer intervalos para participar ativamente da vida deles. Dar papinha ou amamen- tar, brincar um pouco, passear na rua, trocar fraldas, sem stress e com mais dedicação. 6
  7. 7. tendencia 1 kanguru Case 2 | Cinematerna (http://www.cinematerna.org.br/) O CineMaterna tem como atividade organizar sessões especiais de cinema para mães com bebês de até 18 meses. Os filmes exibidos em geral são de temática adulta visando o entretenimento dos pais, mas em am- biente especialmente preparado para os bebês, como luz, temperatura da sala, espaço para guardar carrinhos, equipe de facilitadores, dentre outros. A ideia surgiu em fevereiro de 2008, em São Paulo, quando uma das mães, integrante de um grupo de discussão na internet, sobre maternidade ativa, disse que sentia saudades de ir ao cinema e não tinha com quem deixar seu bebê. Diante da situação, dez mães do grupo se organizaram e juntas, com seus bebês “invadiram” uma sala de cinema. Surge aí a tendência e o negócio. As sessões acontecem em diversas cidades do Brasil. Para participar das sessões, basta ir ao cinema no dia e hora da sessão. Não é preciso reservar lugares. Acolher com todo conforto é o compromisso do CineMaterna. Uma equipe de facilitadoras, também mães, está em todas as sessões para receber, conduzir e auxiliar mães e bebês em tudo que precisarem. 7
  8. 8. 8
  9. 9. 9 tendencia 2 INDO E VINDO Hospitalidade para quem pretende se locomover nas grandes cidades, sem enfrentar engarrafamentos, sobretudo nos horári- os de pico. Hospitalidade alternativa para transportes. Case 1 | Bike Rio Cafe (http://bikeriocafe.com.br//) O Bike Rio Café tem como principal serviço oferecer estacionamento para bicicletas com vestiários e banho no centro da cidade do Rio de Janeiro, com espaço para tomar café ou pequenos lanches saudáveis, relacionados com o exercício físico e a boa alimentação. Possui ainda serviço de oficina para regulagem, limpeza e troca de peças e venda de pequenos materiais e peças para bicicleta. A ideia surgiu quando Abelardo Araújo resolveu ir de bicicleta para seu trabalho no Centro do Rio de Janeiro e se deparou com a dificuldade de onde guardá-la e como tomar um banho, após o exercício. Diante da situação viu uma oportunidade de negócio e chamou seus dois irmãos para serem sócios e em março de 2015 inauguraram o Bike Rio Café, que é único na cidade do Rio de Janeiro, que pos- sui a maior malha de ciclovias do Brasil.
  10. 10. 10 tendencia 2 INDO E VINDO Case 2 | Porto Leve (http://www.portoleve.org/) O Porto Leve é um projeto de sustentabilidade que busca prover serviços inovadores e ecologica- mente sustentáveis no ambiente do Parque Tecnológico do Porto Digital, para melhorar a mobilidade, a segurança e a comodidade de trabalhadores, empreendedores, visitantes e turistas que circulam na região. Seu foco principal é a mobilidade urbana sustentável e apoiar a segurança e gestão da circu- lação de veículos. Sua atuação é no Porto Digital que é um parque urbano instalado no centro histórico do Bairro do Recife e no bairro de Santo Amaro, totalizando uma área de 149 hectares, dentro da cidade de Recife-PE. O Porto Digital é um dos principais parques tecnológicos e ambientes de inovação do Brasil e é um dos representantes da nova economia do Estado de Pernambuco. A visão integral da mobilidade no projeto Porto Leve procura conciliar o desenvolvimento econômico das empresas do Parque do Porto Digital, a melhora da acessibilidade a este e a melhora da quali- dade de vida. Os serviços oferecidos procurando uma mobilidade mais sustentável são os seguintes: Bicicleta Pública, carro elétrico, estacionamentos inteligentes, Zona Azul e transporte Público. Por meio de ferramentas digitais, que podem ser baixadas (android e iPhone) permite que os usuári- os utilizem as bicicletas compartilhadas, carros elétricos por períodos curtos, detectem vagas para os veículos de forma rápida, acessem informações sobre os transportes públicos, como itinerário e locais de paradas.
  11. 11. 11
  12. 12. 12 tendencia 3 eat, pray, travel Hospitalidade para quem pretende comemorar datas impor- tantes em viagens em grupo e não mais em festas. Nova busca por memórias inesquecíveis em lugares inusitados. Tudo customizado! Case 1 | Empresa Matueté Bossa (http://matuetebossa.com/) A empresa Matueté surgiu em 2002 como a primeira empresa brasileira especializada em turismo de luxo customizado e personalizado. No entanto, acompanhando as tendências do turismo de luxo, recentemente foi criado um ramo específico dentro da própria empresa, a Matueté Bossa, com foco no turismo comemorativo. Esse serviço de extremo luxo customiza viagens comemorativas, para grandes datas. A filosofia do negócio é que uma viagem para trinta pessoas será sempre mais impactante que uma festa para trezentas. Quando essa viagem é compartilhada com aqueles que amamos, ela ganha sentido e profundidade, transforma-se em um ritual de passagem, um marco na memória de todos. A estratégia e diferencial da empresa é cuidar de toda a logística da viagem, no antes, durante e depois. Ou seja, primeiramente define o número de participantes, duração da viagem, roteiro, acesso e hospedagem. Cuida ainda da realização da festa no local escolhido e da logística de viagem de todos os convidados. Outro diferencial é a estratégia de comunicação, que é um ponto importante em uma viagem de comemoração e permeará toda a jornada, desde o convite até o retorno do grupo. São decisões de design (RSVP, logotipo da viagem, brindes, mimos) e de organização, como a criação de um website com acesso exclusivo do grupo, com notícias, fotos e sugestões de extensão do programa.
  13. 13. tendencia 3 eat, pray, travel Case 2 | Aonde Casar (http://www.aondecasar.com.br/destination-wedding/assessoria-de-casamento/america-do-sul/brasil) Cada vez mais, casais desejam deixar de lado as cerimônias tradicionais para comemorar o casamen- to de forma diferente. Para o momento “sim!”, também é possível sonhar em reunir familiares e amigos em hotéis e castelos luxuosos, praias paradisíacas, montanhas charmosas ou jardins deslum- brantes em diversos lugares do mundo. Com o objetivo de tornar essa experiência possível e tranquila surgiu a empresa Aonde Casar. Simone Tostes fundadora da empresa, que atua no ramo há 15 anos resolveu ampliar o negócio apostando na tendência dos casamentos/viagens. O serviço denominado Destination Wedding começa na es- colha criteriosa do local da festa que retrate o estilo do casal, passa pelo planejamento, roteiro turís- tico, acompanhamento das famílias e convidados e vai até a realização da tão sonhada cerimônia. 13
  14. 14. 14
  15. 15. 15 tendencia 4 detox Hospitalidade para quem pretende fugir um pouco do cotidi- ano moderno e resgatar de alguma forma o contato com a natureza. A fuga da “prisão da vida moderna”e o desligar da tecnologia. Hospitalidade de experiência. Case 1 | Praia do Detox Digital (http://www.digitaldetoxbrasil.com/) A Praia do Detox Digital funciona como um retiro para se desconectar da vida virtual. A filosofia da experiência é trocar a vida virtual, pela vida real simples e em contato com a natureza. A praia fica na cidade de Paraty, no litoral do Rio de Janeiro. Os participantes são levados a uma vila de pescadores, sem sinal de celular ou internet, e durante o retiro, que dura em média três dias tem atividades como ioga, massagem tailandesa e stand up paddle. Com os moradores locais, ajudam no cuidado da horta e na pesca artesanal. A iniciativa surgiu este ano e tem como meta fazer uma desintoxicação digital, dando uma chance de fazer uma pausa e recarregar as energias, afinando e sintonizando os próprios ritmos com os ritmos da natureza.
  16. 16. 16 tendencia 4 detox Case 2 | Restaurante Paraíso Tropical (http://www.restauranteparaisotropical.com.br/) Restaurante localizado na cidade de Salvador, no bucólico Bairro do Cabula, que trocou os produtos industrializados por elementos naturais, extraídos da horta e pomar orgânico, com mais de 120 espé- cies, que fica no próprio restaurante. O cliente pode colher a fruta que deseja comer na sobremesa ou utilizar no seu suco. O chef Beto idealizador e dono do restaurante, não faz mistério sobre a sua culinária e compartilha todas as suas experiências, como: trocar o azeite de dendê pela polpa do próprio fruto, no lugar do tradicional leite de coco, usar a polpa e água do coco verde e por que não aproveitar as frutas, folhas e flores para complementar os sabores e aromas dos pratos. Experiência gastronômica, com comida regional, utilizando produtos frescos e orgânicos, dando oportunidade ao cliente participar do processo de elaboração, com o contato com a natureza, dentro de um grande centro urbano.
  17. 17. 17
  18. 18. 18 tendencia 5 somar é dividir Hospitalidade para quem pretende compartilhar experiências, proporcionar vivências locais, realizar trocas e principalmente se conectar com pessoas e lugares novos. Hospitalidade de experiência. Case 1 | Dinneer (http://www.dinneer.com/) O Dinneer é um site nacional de jantares ou almoços compartilhados. Foi criado por Flavio Estevam, especialista em startups e o que o motivou foram suas experiências vividas como hóspede e anfitrião no Airbnb. Os jantares compartilhados acontecem em 450 cidades espalhadas pelo mundo. As principais são Nova York, Londres, Berlim, São Paulo e Rio de Janeiro. O Dinneer é o primeiro site no Brasil a oferecer este serviço e já está presente em 38 cidades brasilei- ras. São pessoas apaixonadas pela arte de cozinhar e receber visitas em casa que estão anunciando seus pratos exclusivos que serão servidos em sua própria casa com a presença deles na mesa de jantar. Funciona assim: você realiza o cadastro no site e escolhe se deseja ser o anfitrião ou convidado. A partir daí, você ou monta sua oferta de jantar com fotos e cardápio detalhado ou percorre o site atrás de algo que atraia sua atenção e esteja perto de você – ou não! O pagamento é feito via cartão de crédito. A filosofia do negócio é a troca de experiências e a conexão entre as pessoas.
  19. 19. 19 tendencia 5 somar é dividir Case 2 | Worldpackers (https://www.worldpackers.com/) Nessa rede, o viajante se cadastra e oferece alguma habilidade em troca da estadia em qualquer con- tinente. As possibilidades de trabalho são bem grandes, é uma nova visão de turismo que economiza dinheiro, divide espaços com pessoas de vários países, oferece aprendizado e ainda usa seus dons e talentos a serviço da comunidade. O Worldpackers foi fundado por dois brasileiros, mas já reúne membros de mais de 100 países. Eric Faria e Riq Lima, uniram seus gostos por viagens em busca de um objetivo em comum: Experiências de viagem que o dinheiro não pode comprar, como diz o slogan do Worldpackers.
  20. 20. 20 conclusao Ao elaborarmos o trabalho, sobretudo na pesquisa dos cases, percebemos que o conceito de hos- pitalidade além de ser amplo e subjetivo, pois está intimamente ligado aos sentimentos humanos, também sofreu alterações com o passar do tempo. Em um passado próximo, hospitalidade estava apenas ligada ao ato de receber e o receber tinha características padronizadas. Hoje o conceito de hospitalidade se estende a praticamente todos os campos onde haja interação social. As necessidades e exigências das pessoas mudaram, as novas gerações e influenciadores das tendên- cias enumeradas no trabalho, procuram serviços de qualidade, customizados e com grande enfoque na qualidade e diferentes estilos de vida. Percebemos também que apesar de estarmos vivendo na era da tecnologia e do mundo virtual há uma grande necessidade das pessoas resgatarem as relações interpessoais, cada vez mais se busca o turismo de troca de experiências, de comemorações em grupo, os jantares coletivos, os grupos de apoios de mães, enfim, as relações reais. As pessoas buscam ainda ter qualidade de vida e se preocupam em atender as suas necessidades de forma sustentável, sem comprometer as gerações futuras. Assim, podemos concluir que a tendência da hospitalidade tanto nos serviços como nos produtos, está ligada à sustentabilidade, relações humanas, qualidade de vida e uso inteligente da tecnologia. A essência do ser humano está em evidência em nosso estudo, pois encontramos o resgate pelo relacionamento com a natureza, sua mobilidade no espaço urbano e as novas maneiras de relações interpessoais, seja numa nova maneira de comemoração, seja nas novas formas de compartilha- mento.
  21. 21. 21 material extra Bike Rio Café Consiste em observação no estabelecimento e entrevista quali- tativa com um dos sócios: Carlos Frederico de Araújo Lima O projeto foi uma iniciativa de três irmãos amantes de bicicleta. Crescidos e criados em Paquetá (onde a bicicleta é o meio de transporte mais utilizado pela população), ao se mudarem para o Rio de Janeiro, foi percebido após observação da crescente demanda pelas bicicletas como meio de transporte e da falta de locais apropriados para guardá-las. O espaço foi inspirado em outros projetos bem sucedidos fora e dentro do Brasil, especialmente o Aro 27, localizado em São Paulo. A proposta do negócio é incentivar o uso da bicicleta, gerando economia financeira pois se evita o uso do transporte público, diminui os engarrafamentos, estimula a prática de exercícios, melhora a qualidade de vida e contribui para a sustentabilidade do planeta. Portanto, um dos objetivos do Bike Rio Café é gerir o negócio de forma socialmente responsável, colaborando em prol de uma sociedade sustentável. Seu diferencial é: além de proporcionar um lugar seguro, também é o viés do projeto criar um am- biente agradável e aconchegante, onde os ciclistas possam além de guardar as bicicletas, utilizarem o espaço para tomar banho (kit banho incluído), se deliciar com as comidas saudáveis e orgânicas do bistrô-café, serviço de oficina para as bicicletas incluindo: regulagem, ajustes, limpeza e troca de peças e uma loja no primeiro andar com equipamento e acessórios para quem anda de bicicleta. Além disso, o local oferece armários com chave para guardar objetos pessoais e wifi. As cabines de banho incluem: ferro de passar roupa a vapor, secador de cabelo, toalhas, sabonete cremoso líquido e shampoo. pesquisa etnográfica
  22. 22. 22 Seu público-alvo abrange uma faixa etária de 20 a 60 anos. O local é destino principalmente para pessoas que trabalham no Centro. Interessados em usar o bistrô-café, onde o estacionamento é grátis por meia hora e ciclistas que utilizam o Centro para passeio e hobbie também tem participação no local. Além disso, tem um pessoal que vai dar só uma volta mesmo e para aqui para fazer um lanche enquanto deixa a bicicleta segura. Porque a escolha do Centro para abrir o Bike Rio Café? R: Meu irmão trabalha no Centro, e aqui seria ideal, pois é comercial. Existe uma grande demanda de bicicletas ao redor. Estamos vendo um aumento de bicicletas na rua, só não aumenta porque não tem infraestrutura. Vocês oferecem serviço de garagem em eventos e datas especiais? R: Todo o primeiro sábado do mês nós abrimos junto com a Feira do Lavradio, para atender a essas pessoas. Além disso, estamos sempre participando de eventos. Este domingo será o passeio Tweed Rider às 2 horas da tarde no Cine Odeon. O Bike Rio Café é o ponto final, vai ter música para comemorar a chegada do pessoal. Como começou o negócio de vocês? R: Nós somos três sócios, eu e meus dois irmãos. Nós crescemos em Paquetá e desde pequenos usávamos as bicicletas. Quando nos mudamos para o Rio sentíamos falta de ter esse tipo de trans- porte, e vimos que a cidade não tinha infraestrutura para quem queria usar a bicicleta como opção de transporte aos lugares. E Foi assim, que depois de muita conversa, idealização, pesquisa e especu- lação que abrimos nosso próprio negócio. Nós queremos dar a todos essa opção mais saudável de viver. E se Deus quiser, expandir essa ideia a outros bairros do Rio. Entrevista
  23. 23. material extra cartograma 1
  24. 24. material extra cartograma 2
  25. 25. material extra cartograma 3
  26. 26. material extra cartograma 4
  27. 27. material extra cartograma 5

×