Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza1
_________________________________________
CURSO AMIGOS FI...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza2
03 (ESAF/TCI SEFAZ PI 2001) Estão excluídas do
campo de a...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza3
08 (ESAF/ATRFB) A palavra azienda é comumente
usada em Co...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza4
13 (ESAF/ATRFB 2000) Considerando as regras
fundamentais ...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza5
19 (ESAF/AGENTE SUSEP 2006) A empresa A de
Amélia S/A, po...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza6
23 (ESAF/AFC CGU 2008) O Balancete de
Verificação de uma ...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza7
25 (ESAF/ANALISTA ANEEL 2006) A empresa
Abece Com. S/A ef...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza8
27 (ESAF/AFC CGU 2006) Ao contabilizar o
pagamento de uma...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza9
30 (ESAF/TRF 2002) A nossa Empresinha de
Compras realizou...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza10
33 (ESAF/AFRF 2000) José Henrique resolveu
medir contabi...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza11
38 (ESAF/SEFA PA 2002) Nos lançamentos
contábeis, as par...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza12
41 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Eis uma
lista de título...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza13
44 (ESAF/ATRFB 2009) Observemos o seguinte
fato contábil...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza14
48 (ESAF/ATRFB 2009) A empresa Gregório,
Irmãos & Cia. L...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza15
50 (ESAF/AFRFB 2009) Exemplificamos, abaixo,
os dados co...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza16
52 (ESAF/ATRFB 2009) Em relação ao
encerramento do exerc...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza17
54 (ESAF/ATRFB 2003) A empresa Primavera
Ltda., no encer...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza18
56 (ESAF/ATRFB 2002) O patrimônio da Empresa
Alvas Flore...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza19
59 (ESAF/ATRFB 2000) Em 31 de dezembro de
1999, o Contad...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza20
61 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Listando os
títulos con...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza21
62 (ESAF/AGENTE SUSEP 2006) A firma Campos
Campestres Lt...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza22
65 (ESAF/CVM 2010) A empresa Comercial de
Bolas e Balas ...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza23
67 (ESAF/FISCAL RJ 2010) A seguinte relação de
contas e ...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza24
68 (ESAF/FISCAL RJ 2010 - Adaptada) A
empresa Mercantil ...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza25
69 (ESAF/ANALISTA DE PLANEJAMENTO E
ORÇAMENTO 2010 - Ada...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza26
71 (ESAF/AFRFB 2009) A firma Comercial de
Produtos Frutí...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza27
74 (ESAF/ATM FORTALEZA 1998) No final do
exercício socia...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza28
76 (ESAF/SERPRO 2001) Na nossa Mini
Microempresa, apuram...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza29
78 (ESAF/AFC STN 2002) O lucro líquido da
Empresa Sete L...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza30
80 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Ao atualizar
a escritur...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza31
83 (ESAF/IRB 2006) As despesas incorridas, mas
não-pagas...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza32
86 (ESAF/ATM RN 2001) A firma Previdente S/A,
em 01/08/0...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza33
ATIVO (Bens e Direitos)
Ações de coligadas
Ações de cont...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza34
PASSIVO (Obrigações)
Adiantamento de clientes
Aluguéis a...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza35
Depreciação e Amortização
Depreciação Encargos
Descontos...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza36
100 FATOS CONTÁBEIS
- Tirados exclusivamente de provas d...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza37
19. empréstimos concedidos a empresas coligadas
R$ 300,0...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza38
39. registro de serviço realizado para recebimento a
pra...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza39
Pagando com juros
57. quitação de duplicatas no valor de...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza40
73. recebimento de títulos de R$ 4.000,00, com
descontos...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza41
87. contabilização de R$ 230,00 de juros vencidos
mas nã...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza42
LEI nº 6.404/76 - Atualizada
CAPÍTULO XV
Exercício Socia...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza43
f) o número, espécies e classes das ações do
capital soc...
Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza44
patrimonial, reservas de lucros, ações em
tesouraria e p...
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c

229 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A3d65d786ad1bb1a05e547ece235b58c

  1. 1. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza1 _________________________________________ CURSO AMIGOS FISCAIS MÓDULO I CONTABILIDADE GERAL __________________________________________ MATERIAL – PARTE I ----------------------------------------------------------------------- Conceito: “Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, de controle e de registro relativas à administração econômica” Objeto, Finalidade Campo de Aplicação, Funções, Usuários Técnicas Contábeis Contas BP x DRE Estados Patrimoniais Contas Lançamentos Apuração de Resultado Fórmulas de Lançamentos Tipos de Fatos Contábeis Teorias das Contas Regimes de Escrituração 01 (ESAF/FISCAL RJ 2010) Assinale abaixo a única opção que contém uma afirmativa falsa. a) Enquanto a entidade econômico-administrativa é o objeto da Contabilidade, o patrimônio é o seu campo de aplicação. b) A finalidade da Contabilidade é assegurar o controle do patrimônio administrado e fornecer informações sobre a composição e as variações patrimoniais, bem como sobre o resultado das atividades econômicas desenvolvidas pela entidade para alcançar seus fins. c) A Contabilidade pode ser conceituada como sendo “a ciência que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não”. d) Pode-se dizer que o campo de aplicação da Contabilidade é a entidade econômico- administrativa, seja ou não de fins lucrativos. e) O objeto da Contabilidade é definido como o conjunto de bens, direitos e obrigações vinculado a uma entidade econômico-administrativa. 02 (ESAF/IRB 2004) O objeto da contabilidade está presente na única opção correta. a) Ativo b) Capital Social c) Passivo d) Patrimônio e) Patrimônio Líquido
  2. 2. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza2 03 (ESAF/TCI SEFAZ PI 2001) Estão excluídas do campo de aplicação da Contabilidade a) as reuniões de pessoas sem organização formal, ausência de finalidade explícita e inexistência de quaisquer recursos específicos. b) as sociedades não registradas ou que não possuam atos constitutivos formais. c) as entidades que explorem atividades ilícitas ou não estejam autorizadas a funcionar. d) as organizações estrangeiras que tenham sede no exterior. e) as pessoas jurídicas dispensadas pelo Fisco do cumprimento das obrigações relativas à escrituração. 04 (ESAF/ATRFB) “O patrimônio, que a contabilidade estuda e controla, registrando todas as ocorrências nele verificadas.” “Estudar e controlar o patrimônio, para fornecer informações sobre sua composição e variações, bem como sobre o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial.” As proposições indicam, respectivamente, a) a finalidade e o conceito da contabilidade b) o campo de aplicação e o objeto da contabilidade c) o campo de aplicação e o conceito da contabilidade d) a finalidade e as técnicas contábeis da contabilidade e) o objeto e a finalidade da contabilidade 05 (ESAF/ATRFB) É função econômica da Contabilidade a) apurar lucro ou prejuízo b) controlar o patrimônio c) evitar erros ou fraudes d) efetuar o registro dos fatos contábeis e) verificar a autenticidade das operações 06 (ESAF/ATRFB) Escrituração Atos Administrativos Demonstrações Contábeis Auditoria Análise de Balanços Mecanismo do Débito e do Crédito Equação Fundamental do Patrimônio Princípios Contábeis Indique quantas técnicas contábeis constam dos itens acima. a) duas b) quatro c) três d) cinco e) seis 07 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Para alcançar seus objetivos precípuos, a Contabilidade utiliza técnicas formais específicas. Assinale abaixo o grupo que discrimina essas técnicas. a) Registro contábil, Balanços e Auditoria. b) Escrituração, Demonstração, Auditoria e Análise de Balanços. c) Livros contábeis Diário e Razão, Inventários, Orçamentos e Balanços. d) Escrituração, Lançamentos, Balancetes, Balanços, Inventários e Auditoria. e) Balanço Patrimonial, Demonstração de Resultado do Exercício, Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados e Demonstração de Origem e Aplicação de Recursos.
  3. 3. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza3 08 (ESAF/ATRFB) A palavra azienda é comumente usada em Contabilidade como sinônimo de fazenda, na acepção de: a) conjunto de bens e direitos b) mercadorias c) finanças públicas d) grande propriedade rural e) patrimônio, considerado juntamente com a pessoa que tem sobre ele poderes de administração e disponibilidade 09 (ESAF/AUDITOR RECIFE 2003) Considerando o Método das Partidas Dobradas, assinale a única opção correta. a) Para cada fato contábil, teremos um registro indicando que, para cada débito, haverá um ou mais créditos de igual valor, ou ainda, para cada aplicação, haverá uma ou mais origens de igual valor. b) O Método garante o equilíbrio entre as receitas e as despesas, em respeito ao princípio da continuidade da Entidade, no tempo, considerando que o mais importante é que a empresa continue funcionando. c) Representa uma duplicidade de lançamentos, pois um valor contábil deve ser dividido por dois para localizar o valor correto. Esta é a razão de ser muito pouco utilizado. d) É um método de cálculo relacionado com as definições de Fatura e Duplicata, quando da emissão das notas fiscais pela venda de mercadorias, ou seja, emite-se a fatura e a duplicata será cobrada. e) Esse método só foi aplicado pelos mercadores de Veneza no século XIV. Atualmente ele só faz parte da história da evolução contábil, porque o método utilizado atualmente é o direto. 10 (ESAF/AUDITOR SEFAZ CE 2007) Assinale abaixo a assertiva verdadeira. Na equação geral do sistema contábil também são considerados como origem de recursos a) os aumentos de ativo, os aumentos de despesas e as diminuições de passivo. b) os aumentos de patrimônio líquido, os aumentos de resultado e as diminuições de passivo. c) os aumentos de ativo, os aumentos de patrimônio líquido e as diminuições de passivo. d) os aumentos de ativo, os aumentos de resultado e as diminuições de passivo. e) os aumentos de passivo, os aumentos de patrimônio líquido e as diminuições de ativo. 11 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Assinale abaixo a assertiva verdadeira. Na equação geral do sistema contábil, também são considerados como aplicação de recursos: a) os aumentos de ativo, os aumentos de despesas e as diminuições de passivo. b) os aumentos de patrimônio líquido, os aumentos de resultado e as diminuições de passivo. c) os aumentos de ativo, os aumentos de patrimônio líquido e as diminuições de passivo. d) os aumentos de ativo, os aumentos de resultado e as diminuições de passivo. e) os aumentos de passivo, os aumentos de patrimônio líquido e as diminuições de ativo. 12 (ESAF/TCI SEFAZ PI 2001) Constitui fonte de recursos, na estrutura patrimonial, a) o capital a integralizar. b) a duplicata descontada. c) o passivo a descoberto. d) a disponibilidade sem restrições. e) o capital autorizado.
  4. 4. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza4 13 (ESAF/ATRFB 2000) Considerando as regras fundamentais da digrafia contábil, que determina o registro da aplicação dos recursos simultaneamente e em valores iguais às respectivas origens, temos como correta a seguinte equação contábil geral: a) Ativo = Passivo + Capital Social + Despesas - Receitas b) Ativo + Receitas = Capital Social + Despesas + Passivo c) Ativo - Passivo = Capital Social + Receitas + Despesas d) Ativo + Capital Social + Receitas = Passivo + Despesas e) Ativo + Despesas = Capital Social + Receitas + Passivo 14 (ESAF/AFC CGU 2008) Em relação ao patrimônio de uma empresa e às diversas situações patrimoniais que pode assumir de acordo com a equação fundamental do patrimônio, indique a opção incorreta. a) A empresa tem passivo a descoberto quando o Ativo é igual ao Passivo menos a Situação Líquida. b) A Situação Líquida negativa acontece quando o total do Ativo é menor que o passivo exigível. c) Na constituição da empresa, o Ativo menos o Passivo Exigível é igual a zero. d) A situação em que o Passivo mais o Ativo menos a Situação Líquida é igual a zero é impossível de acontecer. e) A Situação Líquida é positiva quando o Ativo é maior que o Passivo Exigível. 15 (ESAF/AAA SEFAZ PI 2001) Identifique a situação em que se caracteriza a existência de passivo a descoberto (sendo A = Ativo, PE = Passivo Exigível e PL = Patrimônio Líquido). a) A – PE = PL b) A + PL = PE c) A – PL = PE d) A = PE + PL e) A = PE 16 (ESAF/AAA SEFAZ PI 2001) A situação patrimonial de uma empresa era a seguinte: $ 50 (A) = $ 30 (PE) + $ 20 (PL), correspondendo A a Ativo, PE a Passivo Exigível e PL a Patrimônio Líquido. Houve a liquidação de um empréstimo de $10, devido pela empresa, mediante pagamento de $ 15, em virtude de juros e outros encargos. A nova situação patrimonial da empresa está assim representada: a) $ 60 (A) = $ 40 (PE) + $ 20 (PL) b) $ 45 (A) = $ 30 (PE) + $ 15 (PL) c) $ 55 (A) = $ 30 (PE) + $ 25 (PL) d) $ 35 (A) = $ 20 (PE) + $ 15 (PL) e) $ 40 (A) = $ 15 (PE) + $ 25 (PL) 17 (ESAF/AFTE SEFAZ PI 2001) No último dia do exercício social, a empresa Red Green Ltda. demonstrou um patrimônio com bens no valor de R$ 13.000,00, direitos no valor de R$ 7.000,00, dívidas no valor de R$ 9.000,00 e capital social no valor de R$ 10.000,00, devidamente registrado na Junta Comercial. Com base nessas informações pode-se afirmar que, do ponto de vista contábil, o patrimônio referido apresenta: a) Situação Líquida Nula ou Compensada b) Passivo a Descoberto no valor de R$ 1.000,00 c) Prejuízos Acumulados no valor de R$ 1.000,00 d) Patrimônio Líquido no valor de R$ 1.000,00 e) Patrimônio Líquido no valor de R$ 11.000,00 18 (ESAF/ANALISTA ANEEL 2006) No início do ano, a empresa AmontUado S/A tinha patrimônio líquido de R$ 12.000,00. No fim do exercício, o balanço da mesma empresa apresentava passivo a descoberto no valor de R$ 11.000,00. Examinando-se o que pode ter ocorrido no exercício social, que tanto alterou a equação do patrimônio, é certo dizer que, no período, houve a) redução de ativo no valor de R$ 23.000,00. b) prejuízo líquido no valor de R$ 23.000,00. c) aumento de passivo no valor de R$ 23.000,00. d) aumento de passivo no valor de R$ 11.000,00. e) prejuízo líquido no valor de R$ 11.000,00.
  5. 5. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza5 19 (ESAF/AGENTE SUSEP 2006) A empresa A de Amélia S/A, possuindo dinheiro, máquinas e dívidas, respectivamente, na proporção de 30, 70 e 40 por cento do patrimônio total, ostenta um patrimônio líquido de R$ 48.000,00. Tecnicamente, isso significa que a empresa possui a) Disponibilidades de R$ 24.000,00. b) Passivo a Descoberto de R$ 32.000,00. c) Passivo Exigível de R$ 40.000,00. d) Capital Próprio de R$ 60.000,00. e) Ativo de R$ 100.000,00. 20 (ESAF/AAA SEFAZ PI 2001) Assinale a opção correta. a) As contas patrimoniais são encerradas ao final do exercício e reabertas no início do exercício subseqüente. b) As contas de saldos instáveis são as que apresentam grande movimentação ao longo de todo o exercício. c) As contas de compensação não apresentam saldo, pois se anulam reciprocamente. d) Saldo credor na conta Caixa significa que a empresa tomou dinheiro emprestado. e) As contas retificadoras do Passivo são debitadas quando aumenta o seu saldo. 21 (ESAF/AUDITOR SEFAZ CE 2007) Assinale abaixo o lançamento contábil (com omissão de data e histórico, para fins de simplificação) que deverá ser utilizado para registrar no livro Diário a quitação de duplicatas no valor de R$ 1.100,00, com juros de 10% de seu valor. a) Diversos a Bancos conta Movimento Duplicatas a Pagar 1.100,00 Juros Ativos 110,00 1.210,00 b) Diversos a Bancos conta Movimento Duplicatas a Receber 1.100,00 Juros Ativos 110,00 1.210,00 c) Bancos conta Movimento a Diversos a Duplicatas a Pagar 1.100,00 a Juros Ativos 110,00 1.210,00 d) Bancos conta Movimento a Diversos a Duplicatas a Receber 1.100,00 a Juros Ativos 110,00 1.210,00 e) Duplicatas a Receber a Diversos a Bancos conta Movimento 1.100,00 a Juros Ativos 110,00 1.210,00 22 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) A empresa Comercial do Ponto Ltda., ao contabilizar a quitação, por via bancária, de uma duplicata no valor de R$ 600,00, com acréscimo de 10% relativos a juros, terá de efetuar o seguinte lançamento no livro Diário (omitindo-se data e históricos para simplificação): a) Diversos a Bancos conta Movimento Duplicatas a Pagar 600,00 Juros Passivos 60,00 660,00 b) Diversos a Bancos conta Movimento Duplicatas a Receber 600,00 Juros Passivos 60,00 660,00 c) Bancos conta Movimento a Diversos a Duplicatas a Pagar 600,00 a Juros Passivos 60,00 660,00 d) Bancos conta Movimento a Diversos a Duplicatas a Receber 600,00 a Juros Passivos 60,00 660,00 e) Duplicatas a Pagar a Diversos a Bancos conta Movimento 600,00 a Juros Passivos 60,00 660,00
  6. 6. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza6 23 (ESAF/AFC CGU 2008) O Balancete de Verificação de uma empresa apresenta as seguintes contas e respectivos saldos ao final do exercício social (31.12.20X8): Móveis e Utensílios 530 Bancos 4.000 Vendas 50.000 Duplicatas a Pagar 6.000 Despesa de Salários 10.000 Contas a Receber 8.000 Despesas de Juros 2.000 Receitas de Serviços 17.000 Despesa de Aluguel 3.000 Prejuízos Acumulados 4.000 Edifícios de Uso 12.000 Custo das Vendas 40.000 Empréstimos a Pagar 3.000 Com base nos dados acima e nas regras de apuração de resultado, pode-se afirmar que: a) após a apuração do resultado, os Prejuízos Acumulados foram transformados em lucros acumulados de 12.000. b) o Lucro do Período foi de 52.000. c) o Capital Social é de 7.530. d) o Patrimônio Líquido é de 8.000. e) o Ativo e o Passivo somam 33.000. 24 (ESAF/CONTADOR MP 2006) A empresa Mercantil Etcétera S/A recebeu uma duplicata no valor de R$ 30.000,00, com acréscimo de juros de 10%, por atraso no pagamento em relação ao vencimento original. Remetidos os documentos para registro no Setor de Contabilidade, foi efetuado o lançamento no livro Diário na forma seguinte: a) Caixa a Duplicatas a Receber 30.000,00 a Juros Ativos 3.000,00 33.000,00. b) Caixa a Duplicatas a Receber 30.000,00 a Juros a Receber 3.000,00 33.000,00. c) Caixa a Duplicatas a Pagar 30.000,00 a Receitas de Juros 3.000,00 33.000,00. d) Caixa a Duplicatas a Receber 27.000,00 a Juros Ativos 3.000,00 30.000,00. e) Caixa a Duplicatas a Receber 27.000,00 a Juros a Receber 3.000,00 30.000,00.
  7. 7. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza7 25 (ESAF/ANALISTA ANEEL 2006) A empresa Abece Com. S/A efetuou um empréstimo bancário mediante o desconto de notas promissórias com vencimento para março do ano seguinte. O valor do empréstimo foi R$ 120.000,00, com encargos de 18% ao ano. A data da contratação foi primeiro de novembro e a despesa foi rateada em proporção direta à duração do empréstimo. Com observância do princípio contábil da competência, na data da efetivação do aludido empréstimo a contabilidade deverá registrar a operação como segue: a) Débito de Bancos conta Movimento 129.000,00 crédito de Empréstimos Bancários 120.000,00 crédito de Juros a Vencer 9.000,00. b) Débito de Bancos conta Movimento 120.000,00 crédito de Empréstimos Bancários 111.000,00 crédito de Juros a Pagar 9.000,00. c) Débito de Bancos conta Movimento 111.000,00 débito de Juros Passivos 9.000,00 crédito de Empréstimos Bancários 120.000,00. d) Débito de Bancos conta Movimento 111.000,00 débito de Juros a Vencer 9.000,00 crédito de Empréstimos Bancários 120.000,00. e) Débito de Bancos conta Movimento 111.000,00 débito de Juros Passivos 3.600,00 débito de Juros a Vencer 5.400,00 crédito de Empréstimos Bancários 120.000,00. 26 (ESAF/IRB 2006) A empresa Almondegarst S/A resolveu antecipar o pagamento de uma dívida de R$ 5.000,00, ainda não vencida, para aproveitar o desconto de 10% oferecido pelo fornecedor. Ao contabilizar o pagamento efetuado, o Contador deverá realizar o seguinte lançamento: a) Bancos conta Movimento a Diversos a Fornecedores 5.000,00 a Descontos Obtidos 500,00 5.500,00. b) Diversos a Bancos conta Movimento Fornecedores 5.000,00 Descontos Obtidos 500,00 5.500,00. c) Fornecedores a Diversos a Bancos conta Movimento 5.000,00 a Descontos Obtidos 500,00 5.500,00. d) Fornecedores a Diversos a Bancos conta Movimento 4.500,00 a Descontos Obtidos 500,00 5.000,00. e) Bancos conta Movimento a Diversos a Fornecedores 4.500,00 a Descontos Obtidos 500,00 5.000,00.
  8. 8. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza8 27 (ESAF/AFC CGU 2006) Ao contabilizar o pagamento de uma dívida já vencida no valor de R$8.000,00, efetuado com juros moratórios de 11%, o Contador deverá realizar o seguinte lançamento: a) Bancos conta Movimento a Diversos a Fornecedores 8.000,00 a Juros Passivos 880,00 8.880,00. b) Diversos a Bancos conta Movimento Fornecedores 8.000,00 Juros Passivos 880,00 8.880,00. c) Fornecedores a Diversos a Bancos conta Movimento 8.000,00 a Juros Passivos 880,00 8.880,00. d) Bancos conta Movimento a Diversos a Fornecedores 7.120,00 a Juros Passivos 880,00 8.000,00. e) Diversos a Bancos conta Movimento Fornecedores 7.120,00 Juros Passivos 880,00 8.000,00. 28 (ESAF/ATE MS 2001) O fato contábil decorrente da quitação ou liquidação de um crédito de curto prazo causa no patrimônio o seguinte efeito: a) diminuição do ativo disponível e do passivo circulante b) aumento do ativo disponível e do passivo circulante c) diminuição e aumento no passivo circulante, simultaneamente d) diminuição e aumento no ativo circulante, simultaneamente e) não haverá alterações, pois o fato é permutativo 29 (ESAF/CONTADOR MP 2006) A função das contas patrimoniais é representar os valores de cada elemento do patrimônio em determinada data. Seu funcionamento, entretanto, é processado em registros formais a débito ou a crédito, dependendo de sua natureza. Considerando-se que a empresa iniciou um período com R$ 35.000,00 em dinheiro, R$ 20.000,00 em mercadorias e um capital registrado de R$ 15.000,00, evidentemente a diferença aritmética da equação patrimonial será a representação das dívidas já assumidas. Sabe-se também que essa empresa realizou os seguintes fenômenos: 1) venda, a prazo, de metade das mercadorias por R$17.000,00; 2) registro de salários de R$300,00, para pagamento posterior; 3) compra de mercadorias por R$15.000,00 pagando um terço como entrada. Após o registro contábil desses fatos, a empresa apresentará a) ativo de R$ 87.000,00. b) ativo de R$ 65.000,00. c) passivo de R$ 50.300,00. d) passivo de R$ 40.000,00. e) patrimônio líquido de R$ 22.300,00.
  9. 9. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza9 30 (ESAF/TRF 2002) A nossa Empresinha de Compras realizou as cinco operações abaixo, no prazo de uma semana. 1 - comprou objetos por R$ 2.000,00, pagando 30% de entrada; 2 - pagou a conta de luz vencida no mês passado, no valor de R$ 95,00; 3 - vendeu 2/4 dos objetos por R$ 800,00, recebendo 40% de entrada; 4 - registrou a conta de luz do mês (R$ 80,00) para pagamento no mês seguinte; e 5 - vendeu, a vista, o resto dos objetos comprados, por R$ 1.300,00. A contabilização obedece aos princípios fundamentais da Contabilidade; as operações de compra e venda não sofreram tributação; não houve outras transações no mês. O registro contábil desses fatos, se corretamente lançados, evidenciará o seguinte resultado do mês: a) R$ 5,00 (lucro) b) R$ 20,00 (lucro) c) R$ 75,00 (prejuízo) d) R$ 100,00 (lucro) e) R$ 155,00 (prejuízo) 31 (ESAF/AFC CGU 2004) Os seguintes fatos foram praticados pela empresa Alfa & Cia. Ltda.: 1. pagamento de imposto atrasado no valor de R$ 500,00, com juros de 10%; 2. recebimento de título no valor de R$ 400,00, com juros de 10%; 3. pagamento de juros do mês corrente no valor de R$ 400,00; 4. compra de móveis para venda, por R$ 2.200,00, pagando uma entrada de 20% e o restante a prazo. Após contabilizar as operações no livro Diário, poderemos dizer que, com elas a) o passivo aumentou R$ 1.760,00 b) o ativo aumentou R$ 850,00 c) o ativo aumentou R$ 2.640,00 d) o passivo diminuiu R$ 1.260,00 e) o resultado do exercício diminuiu R$ 390,00 32 (ESAF/AFRF 2002) A empresa Livre Comércio Ltda. realizou as seguintes operações ao longo do mês de setembro de 2001: I. venda a vista de mercadorias por R$ 300,00, com lucro de 20% sobre as vendas; II. pagamento de duplicatas de R$ 100,00, com juros de 15%; III. prestação de serviços por R$ 400,00, recebendo, no ato, apenas 40%; e IV. pagamento de títulos vencidos no valor de R$ 200,00, com desconto de 10%. Analisando as operações acima listadas podemos afirmar que, em decorrência delas, a) o ativo recebeu débitos de R$ 460,00. b) o ativo aumentou em R$ 165,00. c) o patrimônio líquido aumentou em R$ 460,00. d) o passivo recebeu créditos de R$ 300,00. e) o passivo diminuiu em R$ 335,00.
  10. 10. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza10 33 (ESAF/AFRF 2000) José Henrique resolveu medir contabilmente um dia de sua vida começando do “nada” patrimonial. De manhã cedo nada tinha. Vestiu o traje novo (calça, camisa, sapatos, etc.), comprado por R$ 105,00, mas que sua mãe lhe deu de presente. Em seguida tomou R$ 30,00 emprestados de seu pai, comprou o jornal por R$ 1,20, tomou o ônibus pagando R$ 1,80 de passagem. Chegando ao CONIC, comprou fiado, por R$ 50,00, várias caixas de bombons e chicletes e passou a vendê-los no calçadão. No fim do dia, cansado, tomou uma refeição de R$ 12,00, mas só pagou R$ 10,00, conseguindo um desconto de R$ 2,00. Contou o dinheiro e viu que vendera metade dos bombons e chicletes por R$ 40,00. Com base nessas informações, podemos ver que, no fim do dia, José Henrique possui um “capital próprio” no valor de: a) R$ 120,00 b) R$ 189,00 c) R$ 2,00 d) R$ 187,00 e) R$ 107,00 34 (ESAF/IRB 2006) Assinale a opção que contenha proposição incorreta. a) O patrimônio líquido representa o registro do valor que os proprietários de uma empresa, entidade ou atividade, têm aplicado no negócio. b) O passivo exigível representa todas as obrigações financeiras que a entidade tem para com terceiros. São as dívidas que a entidade contraiu. c) A compra de uma máquina, a prazo, mesmo com pagamento de entrada no ato da compra, representa um fato administrativo permutativo. d) Se um desembolso financeiro provocar um aumento no ativo ou uma redução no passivo exigível, não será uma despesa. e) A operação que provoque uma despesa, simultaneamente à quitação de uma dívida, deverá ser classificada como fato administrativo Modificativo. 35 (ESAF/AAA SEFAZ PI 2001) O lançamento D – Fornecedores 250 D – Despesas Financeiras 50 C – Bancos – Conta Movimento 150 C – Títulos a Pagar 150 caracteriza um fato contábil a) misto aumentativo b) permutativo diminutivo c) misto diminutivo d) modificativo aumentativo e) permutativo modificativo 36 (ESAF/TCI SEFAZ PI 2001) O lançamento D – Duplicatas a Pagar 120 D – Despesas de Juros 12 C – Bancos 126 C – Abatimentos Obtidos 6 corresponde a um fato a) modificativo diminutivo b) permutativo aumentativo c) misto diminutivo d) permutativo modificativo e) misto modificativo 37 (ESAF/ANALISTA MPU 2004) O pagamento de uma letra de câmbio já vencida, com encargos de multas e de juros, constitui um a) Fato Administrativo Permutativo. b) Fato Administrativo Modificativo diminutivo. c) Fato Administrativo Modificativo aumentativo. d) Fato Administrativo Composto diminutivo. e) Fato Administrativo Composto aumentativo.
  11. 11. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza11 38 (ESAF/SEFA PA 2002) Nos lançamentos contábeis, as partidas são denominadas de a) terceira fórmula, quando são debitadas duas contas e creditada uma conta. b) segunda fórmula, quando são debitadas duas contas e creditada uma conta. c) segunda fórmula, quando são debitadas duas contas e creditadas duas contas. d) terceira fórmula, quando são creditadas duas contas e debitada uma conta. e) terceira fórmula, quando são debitadas duas contas e creditadas duas contas. 39 (ESAF/AFTE SEFAZ PI 2001) Durante o mês de novembro, a empresa Cia. Indústria & Comércio realizou as seguintes operações: 01 compra de mesas por R$300,00, sendo 40% para vender e 60% para usar, pagando R$100,00 e aceitando duplicatas. 02 pagamento de duplicatas de R$ 100,00, com desconto de 10%. 03 registro do aluguel do mês no valor de R$ 300,00 para pagamento posterior. 04 venda a vista de mercadorias por R$ 300,00, com lucro de 20% sobre o valor de venda. Cada uma destas operações foi contabilizada mediante um único lançamento. Antes das operações a conta Caixa apresentava saldo devedor de R$ 160,00. Baseados, exclusivamente, nas informações acima e, considerando que as aquisições não sofrem tributação, podemos afirmar que: a) o primeiro fato é administrativo permutativo e recebeu lançamento de quarta fórmula b) o segundo fato é administrativo modificativo e recebeu lançamento de terceira fórmula c) o terceiro fato é administrativo composto e recebeu lançamento de segunda fórmula d) a ocorrência dos quatro fatos aumentou o lucro do exercício em R$ 230,00 e) o saldo da conta Caixa agora, após os quatro fatos, é de R$ 230,00 40 (ESAF/AUDITOR SEFAZ CE 2007) No Plano de Contas da Empresa Valpeças e Acessórios S/A constam diversos títulos contábeis, dos quais extraímos os seguintes, em ordem alfabética: 01 - CAIXA 02 - CAPITAL SOCIAL 03 - CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS 04 - DESPESAS DE ALUGUEL 05 - DUPLICATAS A PAGAR 06 - DUPLICATAS A RECEBER 07 - IMPOSTOS A RECOLHER 08 - LUCROS ACUMULADOS 09 - MERCADORIAS 10 - MÓVEIS E UTENSÍLIOS 11 - RECEITAS DE JUROS 12 - RECEITAS DE VENDAS 13 - RESERVA LEGAL 14 - SALÁRIOS E ORDENADOS 15 - VEÍCULOS Analisando-se as contas acima de conformidade com a classificação técnica indicada nas Teorias Personalista e Patrimonialista das Contas, respectivamente, pode-se dizer que a relação contém a) 06 Contas de Resultado e 09 Contas Patrimoniais. b) 07 Contas Integrais e 08 Contas Diferenciais. c) 07 Contas de Consignatários e 08 Contas do Proprietário. d) 08 Contas do Proprietário e 05 Contas de Resultado. e) 10 Contas Patrimoniais e 08 Contas do Proprietário.
  12. 12. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza12 41 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Eis uma lista de títulos constantes do Plano de Contas da Empresa Mecenas S/A. 01 - CAIXA 02 - CAPITAL SOCIAL 03 - CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS 04 - DESPESAS DE ALUGUEL 05 - DUPLICATAS A PAGAR 06 - DUPLICATAS A RECEBER 07 - IMPOSTOS A RECOLHER 08 - LUCROS ACUMULADOS 09 - MERCADORIAS 10 - MÓVEIS E UTENSÍLIOS 11 - RECEITAS DE JUROS 12 - RECEITAS DE VENDAS 13 - RESERVA LEGAL 14 - SALÁRIOS E ORDENADOS 15 - VEÍCULOS De acordo com a classificação técnica indicada na Teoria Patrimonialista e na Teoria Personalista das Contas, a relação acima contém a) 10 Contas Patrimoniais e 08 Contas do Proprietário. b) 07 Contas Integrais e 08 Contas Diferenciais. c) 07 Contas de Agentes Consignatários e 08 Contas do Proprietário. d) 07 Contas Patrimoniais e 08 Contas Diferenciais. e) 06 Contas de Resultado e 09 Contas Patrimoniais. 42 (ESAF/AFC CGU 2008) A Ciência Contábil estabeleceu diversas teorias doutrinárias sobre as formas de classificar os componentes do sistema contábil, que são denominadas “Teorias das Contas”. Sobre o assunto, indique a opção incorreta. a) A “Teoria Materialística” divide as contas em Integrais e de Resultado. b) Na “Teoria Personalística”, as contas dos agentes consignatários são as contas que representam os bens, no ativo. c) Segundo a “Teoria Personalística”, são exemplos de contas do proprietário as contas de receitas e de despesas. d) Na “Teoria Materialística”, as contas traduzem simples ingressos e saídas de valores, que evidenciam o ativo, sendo este representado pelos valores positivos, e o passivo representado pelos valores negativos. e) Na contabilidade atual, há o predomínio da “Teoria Patrimonialista”, que classifica o ativo e passivo como contas patrimoniais. 43 (ESAF/AFC STN 2000) A consolidação do pensamento contábil pautou-se em diversos estudos e correntes doutrinárias, entre as quais se destaca uma teoria de cunho jurídico denominada “Personalismo” ou “Teoria Personalista das Contas”, que divide os componentes do sistema contábil em contas de agentes consignatários, contas de agentes correspondentes e contas do proprietário. Assinale entre as opções abaixo aquela que, segundo a Teoria Personalista, contém apenas contas do proprietário. a) Juros Ativos, Salários a Pagar, Capital Social, Lucros Acumulados, Ações de Coligadas b) Juros a Receber, Salários, Capital Social, Móveis e Utensílios, Imposto a Recolher c) Juros Passivos, Salários, Capital Social, Impostos, Reservas de Contingências d) Patentes, Capital Social, Juros a Pagar, Impostos, Reservas de Reavaliação e) Depreciação Acumulada, Impostos a Recolher, Juros a Receber, Cliente e Duplicatas a Pagar
  13. 13. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza13 44 (ESAF/ATRFB 2009) Observemos o seguinte fato contábil: pagamento, mediante a emissão de cheque, de uma duplicata antes do vencimento, obtendo-se um desconto financeiro, por essa razão. Para que o registro contábil desse fato seja feito em um único lançamento, deve-se utilizar a a) primeira fórmula, com 1 conta devedora e 1 conta credora. b) segunda fórmula, com 1 conta devedora e 2 contas credoras. c) terceira fórmula, com 2 contas devedoras e 1 conta credora. d) quarta fórmula, com 2 contas devedoras e 2 contas credoras. e) terceira fórmula, com 3 contas devedoras e 1 conta credora. 45 (ESAF/CVM 2010) A empresa Material de Construções Ltda. adquiriu 500 sacos de argamassa Votoram, de 20 kg cada um, ao custo unitário de R$1,00 o quilo, pagando 15% de entrada e aceitando duplicatas pelo valor restante. A operação foi isenta de tributação. Do material comprado, 10% serão para consumo posterior da própria empresa e o restante, para revender. O registro contábil dessa transação é, tipicamente, um lançamento de quarta fórmula, e o fato a ser registrado é um Fato Administrativo a) composto aumentativo. b) composto diminutivo. c) modificativo aumentativo. d) modificativo diminutivo. e) Permutativo. 46 (ESAF/AFRFB 2009) A quitação de títulos com incidência de juros ou outros encargos deve ser contabilizada em lançamentos de segunda ou de terceira fórmulas, conforme o caso, pois envolve, ao mesmo tempo, contas patrimoniais e de resultado. Especificamente, o recebimento de duplicatas, com incidência de juros, deve ter o seguinte lançamento contábil: a) débito de duplicatas e de juros e crédito de caixa. b) débito de duplicatas e crédito de caixa e de juros. c) débito de caixa e crédito de duplicatas e de juros. d) débito de caixa e de duplicatas e crédito de juros. e) débito de juros e de caixa e crédito de duplicatas. 47 (ESAF/FISCAL RJ 2010) A Companhia das Lavras recebeu um título de 6.500,00 fora da data de vencimento e, por isso, cobrou encargos fi nanceiros de 6%. O recebimento ocorreu em cheque do Banco do Brasil S/A. Ao contabilizar o evento, a Companhia das Lavras deverá fazer o seguinte lançamento: a) Bancos conta Movimento a Diversos a Títulos a Receber 6.500,00 a Receitas Financeiras 390,00 6.890,00 b) Caixa a Diversos a Títulos a Receber 6.500,00 a Receitas Financeiras 390,00 6.890,00 c) Diversos a Bancos conta Movimento Títulos a Receber 6.500,00 Receitas Financeiras 390,00 6.890,00 d) Diversos a Títulos a Receber Caixa 6.110,00 Receitas Financeiras 390,00 6.500,00 e) Bancos conta Movimento a Títulos a Receber 6.890,00
  14. 14. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza14 48 (ESAF/ATRFB 2009) A empresa Gregório, Irmãos & Cia. Ltda., possuindo Disponibilidades de R$ 2.730,00, Imobilizações de R$ 3.270,00 e Dívidas de R$ 2.900,00, realizou duas transações: 1. a compra de uma máquina por R$ 2.000,00, pagando 20% de entrada; e 2. a venda de um equipamento por R$ 3.000,00, perdendo 30%. Concluídas as operações, e devidamente registradas, pode-se afirmar com certeza que essa firma tem: a) prejuízos de R$ 500,00. b) passivo exigível de R$ 4.500,00. c) patrimônio líquido de R$ 3.100,00. d) passivo a descoberto de R$ 900,00. e) ativo de R$ 4.600,00. 49 (ESAF/AFRFB 2009) Observando o patrimônio da empresa Constituída S.A. e as transações realizadas, encontramos, em primeiro lugar, os seguintes dados contabilizados: Capital registrado na Junta Comercial R$ 40.000,00 Dinheiro guardado em espécie R$ 5.500,00 Um débito, em duplicatas, com a GM R$ 7.500,00 Um crédito, em duplicatas, com as lojas Sá R$ 10.500,00 Um Vectra GM do próprio uso R$ 35.000,00 Lucros de períodos anteriores R$ 3.500,00 Em seguida, constatamos o pagamento de R$ 3.000,00 da dívida existente, com descontos de 10%; e a contratação de empréstimo bancário de R$ 6.500,00, incidindo encargos de 4%, com a emissão de notas promissórias. Classificando contabilmente os componentes desse patrimônio e considerando as variações provocadas pelas duas transações do exemplo, pode-se dizer que os saldos daí decorrentes, no fim do período, serão devedores e credores de: a) R$ 51.000,00. b) R$ 54.540,00. c) R$ 60.460,00. d) R$ 60.500,00. e) R$ 61.060,00.
  15. 15. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza15 50 (ESAF/AFRFB 2009) Exemplificamos, abaixo, os dados contábeis colhidos no fim do período de gestão de determinada entidade econômico- administrativa: - dinheiro existente 200,00 - máquinas 400,00 - dívidas diversas 730,00 - contas a receber 540,00 - rendas obtidas 680,00 - empréstimos bancários 500,00 - mobília 600,00 - contas a pagar 700,00 - consumo efetuado 240,00 - automóveis 800,00 - capital registrado 650,00 - casa construída 480,00 Segundo a Teoria Personalística das Contas e com base nas informações contábeis acima, pode-se dizer que, neste patrimônio, está sob responsabilidade dos agentes consignatários o valor de: a) R$ 1.930,00. b) R$ 3.130,00. c) R$ 2.330,00. d) R$ 3.020,00. e) R$ 2.480,00. 51 (ESAF/ATRFB 2009) No balanço de encerramento do exercício social, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia. No ativo patrimonial, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, compondo os seguintes grupos: a) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos; ativo imobilizado; e intangível. b) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; e ativo permanente, dividido em investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido. c) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível. d) ativo circulante; ativo realizável a longo prazo; investimentos; ativo imobilizado; e ativo diferido. e) ativo circulante; e ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e diferido.
  16. 16. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza16 52 (ESAF/ATRFB 2009) Em relação ao encerramento do exercício social e à composição dos grupos e subgrupos do balanço, assinale abaixo a opção falsa. a) No ativo circulante, serão incluídas as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. b) No intangível, serão classificados os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido. c) Na companhia em que o ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou longo prazo terá por base o prazo desse ciclo. d) Em investimentos, serão classificadas as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa. e) No ativo imobilizado, serão classificados os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens. 53 (ESAF/ANALISTA MP 2008) As contas listadas a seguir, em ordem alfabética, representam o livro Razão da empresa Empório Comercial Ltda., em 31.12.x1, e serão utilizadas na elaboração do balancete geral do exercício. Contas Saldos Aluguéis Ativos a Vencer R$ 140,00 Amortização Acumulada R$ 40,00 Bancos c/Movimento R$ 300,00 Caixa R$ 180,00 Capital a Realizar R$ 500,00 Capital Social R$ 3.000,00 Clientes R$ 800,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ 2.100,00 Depreciação Acumulada R$ 650,00 Depreciação e Amortização R$ 230,00 Despesas de Aluguel R$ 140,00 Despesas Gerais R$ 310,00 Despesas Pré-operacionais R$ 160,00 Duplicatas a Pagar R$ 1.300,00 Duplicatas a Receber R$ 1.200,00 FGTS R$ 20,00 FGTS a Recolher R$ 90,00 Fornecedores R$ 900,00 ICMS s/Vendas R$ 800,00 Imóveis R$ 1.000,00 Impostos a Recolher R$ 250,00 INSS a Recolher R$ 300,00 Juros Ativos R$ 220,00 Juros a Pagar R$ 170,00 Juros a Receber R$ 200,00 Juros Passivos R$ 180,00 Juros Passivos a Vencer R$ 30,00 Lucros Acumulados R$ 150,00 Mercadorias R$ 1.800,00 Móveis e Utensílios R$ 700,00 Previdência Social R$ 30,00 Reserva Legal R$ 110,00 Reserva Estatutária R$ 70,00 Salários e Ordenados R$ 250,00 Veículos R$ 800,00 Vendas R$ 4.000,00 O balancete não deverá fechar por razões didáticas, mas a soma dos saldos devedores será de: a) R$ 11.330,00. b) R$ 11.140,00. c) R$ 10.640,00. d) R$ 11.830,00. e) R$ 11.940,00.
  17. 17. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza17 54 (ESAF/ATRFB 2003) A empresa Primavera Ltda., no encerramento do exercício de 2002, obteve as seguintes informações, conforme segue: Valores em R$ Adiantamento a Fornecedores 1.000,00 Adiantamento de Clientes 2.000,00 Ativo Imobilizado 20.000,00 Capital Social 29.000,00 Contas a Pagar 40.000,00 Depreciação Acumulada 2.000,00 Despesas Antecipadas 1.000,00 Disponibilidades 1.000,00 Duplicatas a Receber 30.000,00 Estoques 20.000,00 Realizável a Longo Prazo 2.000,00 Reserva Legal 2.000,00 Assinale a opção correta, que corresponde ao valor do Ativo que estará presente no Balanço Patrimonial. a) R$ 71.000,00 b) R$ 72.000,00 c) R$ 73.000,00 d) R$ 74.000,00 e) R$ 75.000,00 55 (ESAF/AFRF 2002.2) Apresentamos as contas e saldos constantes do balancete de verificação da Cia. Cezamo, em 31.12.01: Adiantamento de Clientes R$ 1.600,00 Adiantamento a Diretores R$ 1.800,00 Adiantamento a Fornecedores R$ 2.000,00 Aluguéis Ativos a Receber R$ 1.000,00 Aluguéis Ativos a Vencer R$ 1.200,00 Caixa R$ 2.200,00 Capital Social R$ 12.000,00 Clientes R$ 4.600,00 Depreciação Acumulada R$ 1.500,00 Fornecedores R$ 5.000,00 Móveis e Utensílios R$ 10.000,00 Prejuízos Acumulados R$ 1.200,00 Reserva Legal R$ 1.500,00 Com as contas listadas, a Cia. Cezamo elaborou o Balanço Patrimonial, cujo grupo Ativo tem o valor de a) R$ 18.100,00 b) R$ 18.500,00 c) R$ 19.700,00 d) R$ 20.100,00 e) R$ 21.700,00
  18. 18. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza18 56 (ESAF/ATRFB 2002) O patrimônio da Empresa Alvas Flores, em 31.12.01, era composto pelas seguintes contas e respectivos saldos, em valores simbólicos. Caixa R$ 100,00 Capital Social R$ 350,00 Empréstimos Obtidos LP R$ 150,00 Bancos c/ Movimento R$ 200,00 Lucros Acumulados R$ 200,00 Fornecedores R$ 100,00 Contas a Receber R$ 100,00 Empréstimos Concedidos LP R$ 100,00 Dividendos a Pagar R$ 150,00 Duplicatas Emitidas R$ 800,00 Notas Promissórias Emitidas R$ 500,00 Adiantamento de Clientes R$ 200,00 Impostos a Pagar R$ 50,00 Equipamentos R$ 100,00 Clientes R$ 450,00 Reserva Legal R$ 100,00 Mercadorias R$ 500,00 Notas Promissórias Aceitas R$ 250,00 Duplicatas Aceitas R$ 1.000,00 Patentes R$ 200,00 A representação gráfica do patrimônio que acima se compõe evidenciará um ativo total no valor de a) R$ 2.400,00 b) R$ 2.600,00 c) R$ 2.800,00 d) R$ 2.850,00 e) R$ 3.050,00 57 (ESAF/ESPECIALISTA ANEEL 2006) A empresa Atacados e Varejos Ltda., em 31 de dezembro de 2005, levantou os seguintes valores para seus elementos contábeis: Dinheiro em caixa R$ 520.000,00 Estoques de bens R$ 650.000,00 Móveis e Utensílios R$ 400.000,00 Dívidas com Fornecedores R$ 800.000,00 Capital registrado R$ 700.000,00 Salários não quitados R$ 180.000,00 Receitas auferidas no período R$ 270.000,00 Despesas efetuadas no período R$ 220.000,00 Prejuízos anteriores R$ 160.000,00 Após a elaboração do balanço com tais elementos, pode-se verificar que a empresa tem patrimônio líquido no valor de a) R$ 540.000,00. b) R$ 590.000,00. c) R$ 610.000,00. d) R$ 750.000,00. e) R$ 770.000,00. 58 (ESAF/ESPECIALISTA ANEEL 2006) A firma Inflorescências S/A, no encerramento do exercício em 31 de dezembro de 2005, apurou valores patrimoniais em bens de uso: R$ 1.200,00; bens de venda: R$ 2.100,00; bens de consumo: R$ 600,00; créditos: R$ 1.100,00; débitos: R$ 2.300,00; além da situação líquida evidenciada contabilmente. Sabendo-se que no referido exercício, a firma sofreu prejuízos de R$ 900,00, pode-se dizer que o seu balanço patrimonial deve apresentar um ativo de a) R$ 3.500,00. b) R$ 4.100,00. c) R$ 4.400,00. d) R$ 5.000,00. e) R$ 6.200,00.
  19. 19. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza19 59 (ESAF/ATRFB 2000) Em 31 de dezembro de 1999, o Contador da firma ZÊ LTDA. apresenta as seguintes contas e saldos, extraídos do livro Razão: C O N T A S SALDOS Caixa 250 Duplicatas a Pagar 650 Lucros Acumulados 130 Aluguéis Passivos 140 Comissões Ativas 30 Receita de Juros 110 Impostos a Recolher 300 Veículos 900 Custo das Vendas 600 Receita de Vendas 900 Despesas de Juros 130 Clientes 360 Móveis e Utensílios 540 Capital Social 950 Impostos Federais 200 Salários 450 Fornecedores 880 FGTS a Recolher 200 Conferimos essa listagem e verificamos que o balancete não está fechado, pois a soma dos saldos devedores não está com valor igual à soma dos saldos credores. Mesmo assim, certificamo-nos de que as contas diferenciais estão todas representadas com saldos corretos na relação acima. Deste modo, podemos afirmar que o Patrimônio Líquido contido na listagem apresentada soma o valor de a) R$ 1.080,00 b) R$ 710,00 c) R$ 800,00 d) R$ 910,00 e) R$ 600,00 60 (ESAF/ATRFB 2003) A empresa Internacional S/A., no encerramento do exercício de 2002, obteve as seguintes informações, conforme segue: Valores em R$ Adiantamento a Fornecedores 15.000,00 Ativo Imobilizado 1.300.000,00 Contas a Pagar 1.100.000,00 Disponibilidades 150.000,00 Duplicatas a Receber 1.200.000,00 Empréstimos 1.000.000,00 Estoques 850.000,00 Lucros Acumulados 200.000,00 Reserva Legal 10.000,00 Na elaboração do Balanço Patrimonial da empresa, os valores do Patrimônio Líquido e do Capital Social Integralizado serão: Valores em R$ Patrimônio Líquido Capital Social Integralizado a) 1.400.000,00 1.190.000,00 b) 1.400.000,00 1.205.000,00 c) 1.415.000,00 1.205.000,00 d) 1.415.000,00 1.225.000,00 e) 1.425.000,00 1.225.000,00
  20. 20. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza20 61 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Listando os títulos contábeis do livro Razão com saldos em 31 de dezembro de 2005, a empresa Nova Aurora S/A evidenciou a seguinte relação: Contas Saldos Bancos conta Movimento R$ 900,00 Financiamentos Bancários R$ 1.200,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ 800,00 Títulos a Pagar R$ 2.050,00 Receita Bruta de Vendas R$ 1.350,00 Mercadorias R$ 1.300,00 Salários e Ordenados R$ 280,00 Aluguéis Ativos R$ 120,00 Duplicatas a Receber R$ 2.000,00 Encargos de Depreciação R$ 40,00 Fornecedores R$ 750,00 Capital a Realizar R$ 300,00 Juros Ativos R$ 110,00 Provisão p/Imposto de Renda R$ 200,00 Clientes R$ 850,00 Depreciação Acumulada R$ 180,00 Impostos e Taxas R$ 70,00 Reservas Estatutárias R$ 250,00 Despesas Antecipadas R$ 150,00 Investimentos R$ 800,00 Provisão para Férias R$ 180,00 Receitas Antecipadas R$ 270,00 Imóveis R$ 1.800,00 Capital Social R$ 3.380,00 Abatimento s/Vendas R$ 150,00 Gastos de Instalação R$ 90,00 Veículos R$ 980,00 Duplicatas Descontadas R$ 400,00 Instalações R$ 320,00 Aluguéis Passivos R$ 210,00 Prejuízos Acumulados R$ 60,00 Prov. p/perdas em Investimentos R$ 250,00 Reserva Legal R$ 350,00 Amortização Acumulada R$ 60,00 Ao elaborar o balancete de verificação com base nas contas acima e respectivos saldos, vamos encontrar saldos devedores no montante de a) R$ 10.090,00. b) R$ 10.720,00. c) R$ 10.740,00. d) R$ 10.850,00. e) R$ 11.100,00.
  21. 21. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza21 62 (ESAF/AGENTE SUSEP 2006) A firma Campos Campestres Ltda. extraiu do livro Razão os seguintes saldos para elaborar o balancete de verificação em 31 de dezembro de 2005. C o n t a s s a l d o s Caixa 1.000,00 Capital a Realizar 350,00 Capital Social 1.600,00 Custo das Mercadorias Vendidas 1.100,00 Depreciação 160,00 Depreciação Acumulada 460,00 Duplicatas Descontadas 600,00 Duplicatas a Pagar 1.500,00 Duplicatas a Receber 1.300,00 Juros Ativos 200,00 Juros a Pagar 400,00 Juros a Receber 300,00 Mercadorias 800,00 Prêmio de Seguros 190,00 Prêmio de Seguros a Pagar 230,00 Prêmio de Seguros a Vencer 120,00 Previdência Social - Encargos 180,00 Previdência Social a Recolher 320,00 Salários 250,00 Salários a Pagar 200,00 Receitas de Vendas 1.800,00 Veículos 2.000,00 Eventuais diferenças encontradas entre saldos devedores e credores devem-se ao saldo anterior da conta Lucros ou Prejuízos Acumulados, que ainda não está atualizado nem constou da relação acima. O balancete de verificação elaborado a partir das contas acima vai evidenciar saldos devedores no valor de a) R$ 6.340,00. b) R$ 6.860,00. c) R$ 7.750,00. d) R$ 8.070,00. e) R$ 8.270,00. 63 (ESAF/ATRFB 2002.2) Os itens abaixo contêm agrupamentos de três contas cada um. Assinale aquele que só contém contas com o mesmo tipo de saldo. a) Reservas Estatuárias, Provisão para Ajuste de Estoque e Despesas Provisionadas. b) Duplicatas a Pagar, Duplicatas Protestadas e Duplicatas Descontadas. c) ICMS Sobre Vendas, ICMS a Recuperar e ICMS a Recolher. d) Provisão para Férias, Provisão para Imposto de Renda e Créditos de Liquidação Duvidosa. e) Ações de Coligadas, Ações de Controladas e Ações em Tesouraria. 64 (ESAF/AFC CGU 2008) Ao longo da existência de uma entidade, vários fatos podem acontecer e que refletem no patrimônio desta de forma positiva ou negativa. Em relação aos fatos contábeis e suas respectivas variações no patrimônio, julgue os itens que se seguem e marque a opção incorreta. a) A Insubsistência Passiva acontece quando algo que deixou de existir provocou efeito negativo no patrimônio da entidade. b) Quando ocorre uma Superveniência Passiva, a Situação Líquida diminui. c) As Superveniências provocam sempre um aumento do passivo ou do ativo. d) O desaparecimento de um bem é um exemplo de Insubsistência do Passivo. e) Toda Insubsistência do Passivo é uma Insubsistência Ativa.
  22. 22. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza22 65 (ESAF/CVM 2010) A empresa Comercial de Bolas e Balas Ltda. mandou elaborar um balancete de verificação com as seguintes contas e saldos constantes do livro Razão Geral: C o n t a s S a l d o s Caixa 13.000,00 Depreciação Acumulada 2.000,00 Títulos a Pagar 80.000,00 Salários e Ordenados 1.600,00 Bancos – Conta Movimento 74.000,00 Receitas de Serviços 14.400,00 Computadores e Periféricos 16.000,00 Despesas de Transporte 700,00 Salários a Pagar 1.000,00 Capital Social 160.000,00 PDD 600,00 Capital a Realizar 18.000,00 Duplicatas Descontadas 10.000,00 Provisão p/FGTS 800,00 Aluguéis Passivos a Vencer 1.500,00 Imóveis 110.000,00 Clientes 34.000,00 Elaborada referida peça contábil de acordo com a solicitação, foi constatado o fechamento do balancete com o seguinte saldo total: a) R$ 537.600,00 b) R$ 268.800,00 c) R$ 223.300,00 d) R$ 233.300,00 e) R$ 134.400,00 66 (ESAF/CVM 2010) A empresa Struturas & Modelos S/A, no fim do exercício social, apresentou as seguintes contas e saldos: n. - c o n t a s s a l d o s 01 – Caixa 690,00 02 - Receita de Vendas 8.000,00 03 - Fornecedores 2.700,00 04 - Bancos conta Movimento 1.200,00 05 - Aluguéis Ativos 200,00 06 - Duplicatas a Pagar 1.600,00 07 - Clientes 1.700,00 08 - Salários e Ordenados 800,00 09 - Empréstimos Bancários 4.900,00 10 - Duplicatas a Receber 2.300,00 11 - Aluguéis Passivos 240,00 12 - Provisão p/FGTS 90,00 13 - Duplicatas Descontadas 700,00 14 – CMV 4.300,00 15 - Provisão p/IR 110,00 16 - Mercadorias 3.000,00 17 - ICMS a Recolher 230,00 18 – Prov. p/Ajuste Estoques 80,00 19 - Capital Social 5.300,00 20 – PDD 110,00 21 - Capital a Realizar 300,00 22 - Juros Passivos 220,00 23 - Despesas Antecipadas 400,00 24 - Reserva Legal 300,00 25 - Móveis e Utensílios 2.900,00 26 - Reservas Estatutárias 280,00 27 - Veículos 5.700,00 28 - ICMS sobre Vendas 1.500,00 29 - Depreciação 900,00 30 - Juros Ativos 150,00 31 - Depreciação Acumulada 1.400,00 Do resultado do exercício, a empresa destinou R$ 190,00 para imposto de renda e o restante para reservas de lucros. Contabilizado o resultado do exercício e a distribuição do lucro, pode-se dizer que das contas apresentadas surgirá um patrimônio líquido de a) R$ 5.580,00 b) R$ 5.770,00 c) R$ 5.780,00 d) R$ 5.880,00 e) R$ 5.970,00
  23. 23. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza23 67 (ESAF/FISCAL RJ 2010) A seguinte relação de contas e saldos foi extraída do livro Razão de determinada empresa, no dia do encerramento do exercício social: C o n t a s s a l d o s Caixa 100,00 Capital Social 300,00 Clientes 140,00 Aluguéis a Receber 40,00 Aluguéis Ativos 65,00 Duplicatas a Receber 160,00 Mercadorias 180,00 ICMS a Recuperar 30,00 IPI a Recolher 15,00 Despesas a Pagar 35,00 Móveis e Utensílios 200,00 Receitas de Vendas 220,00 Veículos 350,00 Despesas a Vencer 60,00 Receitas a Receber 80,00 Aluguéis Passivos 50,00 Salários 70,00 Fornecedores 280,00 Prov. p/Ajuste Estoques 18,00 Provisão p/IR 62,00 Duplicatas a Pagar 230,00 Duplicatas Descontadas 70,00 Aluguéis a Pagar 25,00 Depreciação Acumulada 110,00 CMV 120,00 Reserva Legal 50,00 Somatório 3.060,00 Ao elaborar um balancete de verificação com as contas acima, podemos ver que: a) o balancete está fechado com o saldo de R$ 1.530,00. b) o balancete não fecha, pois o saldo devedor é R$ 200,00, a maior. c) o saldo credor é de apenas R$ 1.465,00. d) o saldo devedor é de apenas R$ 1.382,00. e) para fechar o balancete, faltam R$ 100,00 no crédito.
  24. 24. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza24 68 (ESAF/FISCAL RJ 2010 - Adaptada) A empresa Mercantil Varejista S/A mandou elaborar o balanço de 2011 com base nos seguintes saldos contábeis, aqui demonstrados em ordem alfabética: C o n t a s s a l d o s Aluguéis Ativos 195,00 Aluguéis a Pagar 75,00 Aluguéis a Receber 120,00 Aluguéis Passivos 150,00 Caixa 300,00 Capital Social 1.200,00 Clientes 420,00 CMV 360,00 Depreciação Acumulada 330,00 Despesas a Pagar 105,00 Despesas a Vencer 180,00 Duplicatas a Pagar 690,00 Duplicatas a Receber 480,00 Duplicatas Descontadas 210,00 Fornecedores 840,00 ICMS a Recuperar 90,00 IPI a Recolher 45,00 Mercadorias 540,00 Móveis e Utensílios 600,00 Prov.p/Ajuste Estoques 54,00 Provisão p/IR 186,00 Receitas a Receber 240,00 Receitas de Vendas 660,00 Reserva Legal 150,00 Salários 210,00 Veículos 1.050,00 Somatório 9.480,00 Apurado o resultado do exercício, a empresa destinou um terço para imposto de renda e dois terços para reserva de lucros. Ao elaborar o balanço patrimonial com base nas contas e saldos acima, a empresa vai constatar a existência de um a) Ativo Circulante no valor de R$ 2.280,00. b) Ativo Permanente no valor de R$ 1.386,00. c) Passivo Circulante no valor de R$ 2.196,00. d) Patrimônio Líquido no valor de R$ 1.485,00. e) Ativo Total no valor de R$ 4.020,00.
  25. 25. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza25 69 (ESAF/ANALISTA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO 2010 - Adaptada) A empresa Massas e Maçãs S/A listou as seguintes contas para elaborar o seu balanço: 01 - Ações de Outras Companhias R$ 200,00 02 - Ações de Coligadas R$ 300,00 03 - Ações em Tesouraria R$ 50,00 04 - Duplicatas a Pagar R$ 2.000,00 05 - Duplicatas a Receber R$ 1.800,00 06 - Duplicatas Descontadas R$ 1.400,00 07 - Mercadorias R$ 1.200,00 08 - Produtos Acabados R$ 800,00 09 - Máquinas e Equipamentos R$ 1.600,00 10 - Móveis e Utensílios R$ 1.500,00 11 - Imóveis R$ 4.810,00 12 - Despesas Operacionais R$ 250,00 13 - Despesas Administrativas R$ 600,00 14 - Receitas de Vendas R$ 1.700,00 15 - Receitas Não-Operacionais R$ 660,00 16 - Custo dos Serviços Vendidos R$ 920,00 17 - Salários R$ 180,00 18 - Fornecedores R$ 1.400,00 19 - Provisão p/Devedores Duvidosos R$ 120,00 20 - Provisão para Imposto de Renda R$ 370,00 21 - Capital Social R$ 5.000,00 22 - Capital a Realizar R$ 320,00 23 - Depreciação R$ 310,00 24 - Depreciação Acumulada R$ 500,00 25 - Amortização Acumulada R$ 190,00 26 - ICMS a Recolher R$ 230,00 27 - ICMS sobre Vendas R$ 80,00 28 - Reserva Legal R$ 1.260,00 29 - Provisão para FGTS R$ 90,00 Na elaboração do Balanço Patrimonial, com os valores acima listados, vamos encontrar um a) Ativo Circulante de R$ 3.800,00. b) Ativo total de R$ 11.400,00. c) Passivo Circulante de R$ 5.400,00. d) Patrimônio Líquido de R$ 5.890,00. e) Saldos devedores de R$ 14.630,00. 70 (ESAF/ATRFB 2009 - Adaptada) A Companhia Cereais Sereias, em 31 de dezembro de 2011, apresentou o seguinte rol de contas e saldos: Ações em Tesouraria 100,00 Caixa 696,00 Despesas Pré-Operacionais 95,00 Mercadorias 1.293,00 Empréstimos Bancários 120,00 Provisão para Devedores Duvidosos 35,00 Custo dos Produtos Vendidos 5.582,00 Fornecedores 437,00 Capital Social 4.591,00 Duplicatas a Receber 1.302,00 Vendas de Produtos 7.675,00 Duplicatas Descontadas 280,00 Despesas Gerais e Administrativas 1.141,00 Máquinas e Equipamentos 3.106,00 Juros Passivos a Vencer 48,00 Depreciação Acumulada 225,00 Ao realizar o levantamento do balanço patrimonial, o Contador da empresa certamente encontrará um Ativo total no valor de a) R$ 5.625,00. b) R$ 6.185,00. c) R$ 5.905,00. d) R$ 5.720,00. e) R$ 6.100,00.
  26. 26. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza26 71 (ESAF/AFRFB 2009) A firma Comercial de Produtos Frutíferos Ltda., que encerra seu exercício social no último dia do ano civil, contabilizou por duas vezes o mesmo fato contábil em 31/10/2008, caracterizando o erro de escrituração conhecido como duplicidade de lançamento. Esse erro só foi constatado no exercício seguinte. Os lançamentos foram feitos a débito de conta do resultado e a crédito de conta do passivo circulante. Em face dessa ocorrência, pode-se dizer que, no balanço patrimonial de 31/12/2008: a) a situação líquida da empresa foi superavaliada. b) o ativo circulante da empresa foi subavaliado. c) o passivo circulante da empresa apresentou uma redução indevida. d) o patrimônio líquido da empresa apresentou uma redução indevida. e) a situação líquida da empresa não foi afetada. 72 (ESAF/ATRFB 2009) Determinada empresa, cujo exercício social coincide com o ano- calendário, pagou a quantia de R$ 1.524,00 de prêmio de seguro contra incêndio no dia 30 de setembro de 2007. A apólice pertinente a essa transação cobre riscos durante o período de primeiro de outubro de 2007 a 30 de setembro de 2008. Considerando o princípio da competência de exercícios, o Contador da empresa registrou o pagamento dos gastos na conta Seguros a Vencer. No balanço patrimonial de 31 de dezembro de 2007, após as apropriações de praxe, o saldo desta conta, “Seguros a Vencer”, deverá ser de a) R$ 1.260,00. b) R$ 381,00. c) R$ 1.055,00. d) R$ 1.172,20. e) R$ 1.143,00. 73 (ESAF/CVM 2010) Ao apurar o resultado no fim do período contábil, a empresa encontrou um lucro líquido, antes dos tributos sobre o lucro e das participações, no montante de R$ 1.520,00. A planilha de custos trazida para compor o resultado do período continha juros relativos a dezembro de 2009, já pagos, no valor de R$ 125,00; juros relativos a janeiro de 2010, ainda não pagos, no valor de R$ 180,00; juros relativos a dezembro de 2009, ainda não pagos, no valor de R$ 160,00; juros relativos a janeiro de 2010, já pagos, no valor de R$ 200,00. Referida planilha já havia sido contabilizada segundo o regime de caixa. As demais contas estavam certas, com saldos já contabilizados, segundo o regime de competência. A empresa, então, mandou promover o registro contábil das alterações necessárias para apresentar os eventos segundo o regime de competência, em obediência à regulamentação vigente. Após os lançamentos cabíveis, o rédito do período passou a ser lucro de a) R$ 1.180,00 b) R$ 1.195,00 c) R$ 1.360,00 d) R$ 1.560,00 e) R$ 1.235,00
  27. 27. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza27 74 (ESAF/ATM FORTALEZA 1998) No final do exercício social encerrado em 31.12.97 apuraram-se os seguintes elementos: Receitas de serviços prestados, recebidas durante o exercício 420.000,00 Receitas de serviços recebidas antecipadamente 10.000,00 Serviços prestados a faturar 5.000,00 Despesas administrativas incorridas e pagas durante o exercício 60.000,00 Custos dos serviços prestados 300.000,00 Despesas financeiras, incorridas e pagas no exercício 45.000,00 Despesas financeiras pagas antecipadamente 5.000,00 Folha de pagamento do mês de dezembro a ser paga em janeiro de 1998 15.000,00 O lucro líquido do exercício, considerando-se as hipóteses de adoção dos regimes de competência e de caixa foi, respectivamente, de a) 5.000,00 e 20.000,00 b) 10.000,00 e 10.000,00 c) zero e 20.000,00 d) 10.000,00 e 25.000,00 e) 5.000,00 e 10.000,00 75 (ESAF/AFCE TCU 99) Registrada em 25 de fevereiro de 1998, a "Firma Mento Ltda." funcionou normalmente até o fim do ano, contabilizando seus resultados sob a ótica do Regime Contábil de Caixa. Ao chegar a dezembro foi informada de que, para elaborar seus balanços, teria de observar o Regime Contábil da Competência de Exercícios, em obediência aos princípios contábeis e às determinações legais. O lucro do exercício de 1998 já estava contabilizado sob regime de caixa e computava os seguintes elementos: Salários correspondentes aos meses de fevereiro a dezembro: R$ 3.960,00, faltando pagar apenas o mês de dezembro, no valor de R$ 360,00; Seguros correspondentes aos meses de fevereiro de 1998 a janeiro de 1999, totalmente pago, à razão de R$ 80,00 por mês; Serviços prestados durante todo o período, à razão de R$ 450,00 ao mês, inclusive fevereiro de 1998, faltando receber apenas o mês de dezem-bro/98; Juros vencidos a favor da "Firma Mento", no valor de R$ 600,00, totalmente recebidos; Impostos e taxas municipais no valor de R$ 400,00, já vencidos mas ainda não pagos; Comissões recebidas em 1998 mas que se referem ao exercício de 1999, no valor de R$ 100,00. Ao fazer as correções de lançamentos para ajustar o lucro líquido ao regime de competência, a empresa, naturalmente, provocou alterações no valor contábil do resultado antes contabilizado. Essas alterações significaram: a) redução do lucro em R$ 330,00 b) redução do lucro em R$ 640,00 c) aumento do lucro em R$ 310,00 d) aumento do lucro em R$ 370,00 e) aumento do lucro em R$ 1.030,00
  28. 28. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza28 76 (ESAF/SERPRO 2001) Na nossa Mini Microempresa, apuramos que o aluguel de R$ 180,00, vencido em janeiro/00, fora pago em dezembro/99; que em dezembro/99 foram recebidos juros de R$ 150,00, que só venciam em janeiro/00; que os salários de dezembro/99, no valor de R$ 200,00, só foram pagos em janeiro/00; e que, também em dezembro/99, foram prestados serviços no valor de R$ 310,00 para recebimento apenas no mês seguinte. Estes fatos haviam sido contabilizados no exercício de 1999 segundo as regras do regime contábil de caixa. No entanto, a lei determina que, para fins de balanço, deve ser utilizado o regime contábil de competência, uma vez que se trata de um Princípio Fundamental de Contabilidade. A modificação contábil do regime de caixa para o de competência, neste caso particular, vai provocar um dos seguintes efeitos na apuração final do resultado do exercício de 1999. Assinale a resposta certa. a) O rédito terá decréscimo de R$ 30,00 b) O rédito será um prejuízo de R$ 30,00 c) O rédito terá acréscimo de R$ 80,00 d) O rédito será um lucro de R$ 80,00 e) O rédito será um lucro de R$ 110,00 77 (ESAF/ACOMEX 98) O Chefe pediu ao Contador uma conciliação dos resultados do mês de março para saber se a firma andava com os pagamentos em dia. Na conciliação o Contador apurou que havia: juros de fevereiro, pagos em março, no valor de R$ 1.000,00; aluguel de março ainda não pago, no valor de R$ 2.000,00; conta relativa ao consumo de energia elétrica em março, paga no mesmo mês, no valor de R$ 3.000,00; aluguel relativo ao mês de abril, já pago antecipadamente no mês de março, no valor de R$ 4.000,00; juros ganhos no mês de março, mas ainda não recebidos, no valor de R$ 4.000,00; receitas recebidas em março, por serviços que só serão realizados no mês de abril, no valor de R$ 3.000,00; juros relativos ao mês de março, recebidos no próprio mês, no valor de R$ 2.000,00; e comissões ganhas em fevereiro mas recebidas apenas no mês de março, no valor de R$ 1.000,00. O Contador fez o trabalho e informou ao Chefe que, de acordo com o Princípio Contábil da Competência, o resultado apurado no mês de março foi: a) um prejuízo de R$ 2.000,00 b) um prejuízo de R$ 1.000,00 c) um resultado nulo ou igual a zero d) um lucro de R$ 1.000,00 e) um lucro de R$ 2.000,00
  29. 29. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza29 78 (ESAF/AFC STN 2002) O lucro líquido da Empresa Sete Ltda. foi de R$ 4.600,00, apurado em 30/04/01, tendo sido contabilizados os aluguéis pelo Regime Contábil de Caixa. As remunerações de aluguel ocorreram obedecendo ao seguinte fluxo de vencimento e liquidação: R$ 1.500,00 de despesas vencidas e quitadas em abril; R$ 1.800,00 de despesas vencidas em abril e quitadas em maio; R$ 1.200,00 de despesas vencidas em maio e quitadas em abril; R$ 900,00 de receitas vencidas em maio e quitadas em abril; R$ 2.100,00 de receitas vencidas em abril e quitadas em maio; R$ 1.700,00 de receitas vencidas e quitadas em abril. Obrigada, por força de Lei e de princípios contábeis, a registrar estes resultados pelo Regime de Competência, a empresa promoveu os lançamentos necessários. Com isso, podemos dizer que o resultado líquido, em relação à apuração anterior, sofreu a) redução de R$ 100,00. b) aumento de R$ 200,00. c) aumento de R$ 300,00. d) aumento de R$ 500,00. e) aumento de R$ 600,00. 79 (ESAF/AUDITOR SEFAZ CE 2007) Na empresa Nutricional S/A, o resultado do exercício havia sido apurado acusando um lucro de R$ 50.000,00, quando foram realizadas as verificações de saldos para efeito de ajustes de encerramento e elaboração do balanço patrimonial. Os resultados, contabilizados segundo o regime contábil de Caixa ao longo do período, evidenciaram a existência de: salários de dezembro, no valor de R$ 15.000,00, ainda não quitados; juros de R$ 4.000,00 já vencidos no exercício, mas ainda não recebidos; aluguéis de R$ 6.300,00, referentes a janeiro de 2007, pagos em dezembro de 2006; comissões de R$ 7.200,00, recebidas em dezembro de 2006, mas que se referem ao exercício seguinte. Após a contabilização dos ajustes segundo o Princípio da Competência, o lucro do exercício passou a ser de a) R$ 38.100,00. b) R$ 32.700,00. c) R$ 45.300,00. d) R$ 39.900,00. e) R$ 39.000,00.
  30. 30. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza30 80 (ESAF/ANALISTA SEFAZ CE 2007) Ao atualizar a escrituração das contas de resultado, que estavam contabilizadas de acordo com o regime contábil de caixa, a empresa Horizontal S/A verificou que havia despesas pagas, mas não vencidas, no valor de R$ 4.000,00; receitas recebidas, mas não vencidas, no valor de R$ 3.800,00; despesas vencidas, mas não pagas, no valor de R$ 2.500,00; e receitas vencidas, mas não recebidas, no valor de R$ 5.300,00. Ao ajustar o resultado aos ditames do princípio contábil de competência, o lucro do exercício, certamente, será aumentado em a) R$ 2.600,00. b) R$ 2.800,00. c) R$ 3.000,00. d) R$ 4.700,00. e) A variação será nula: mais R$ 1.500,00, menos R$ 1.500,00. 81 (ESAF/SUSEP 2006) A empresa Aborc Comércio S/A contratou um seguro anual de R$ 6.000,00, em primeiro de junho de 2005, pagou a despesa com um cheque da Caixa Econômica Federal e contabilizou o fato contábil, segundo o regime de caixa, como costuma fazer ao longo do exercício social. Em 31 de dezembro de 2005, para fins de elaboração do balanço, a empresa deve efetuar os ajustes contábeis necessários, inclusive, para observância do princípio contábil da competência. Para ajustar a despesa de seguros aqui exemplificada, a empresa deverá mandar providenciar o seguinte lançamento no livro Diário: a) Seguros a Vencer a Prêmios de Seguros 2.500,00 b) Prêmios de Seguros a Seguros a Vencer 2.500,00 c) Prêmios de Seguros a Seguros a Vencer 3.500,00 d) Seguros a Vencer a Prêmios de Seguros 3.500,00 e) Diversos a Bancos conta Movimento Prêmios de Seguros 3.500,00 Seguros a Vencer 2.500,00 R$ 6.000,00 82 (ESAF/ANEEL 2004) A empresa Armazéns Gerais contratou o seguro de um de seus depósitos pelo prazo de dois anos, pagando o prêmio total de R$ 6.000,00 no ato da assinatura, em primeiro de outubro de 2003. Nessa data a empresa contabilizou a transação observando o princípio da competência de exercício, por isto, em decorrência deste fato, o balanço patrimonial referente a 31.12.03, deverá demonstrar no Ativo Circulante o valor de a) R$ 750,00 b) R$ 3.000,00 c) R$ 3.750,00 d) R$ 5.250,00 e) R$ 6.000,00
  31. 31. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza31 83 (ESAF/IRB 2006) As despesas incorridas, mas não-pagas dentro do exercício, provocam, para a empresa que contabiliza suas operações, pelo regime de caixa, a) um passivo maior que o real e um lucro maior que o real. b) um passivo menor que o real e um lucro maior que o real. c) um ativo maior que o real e um lucro maior que o real. d) um ativo maior que o real e um lucro menor que o real. e) um ativo maior que o real e um passivo menor que o real. 84 (ESAF/TRF 2002) Em primeiro de outubro de 2001, a Imobiliária Casa & Terra S/A recebeu, antecipadamente, seis meses de aluguel com valor mensal de R$ 300,00 e pagou o aluguel dos próximos doze meses no valor anual de R$ 2.400,00. Nesse caso, as regras do regime contábil da competência nos leva a afirmar que no balanço de encerramento do exercício, elaborado em 31.12.01, em decorrência desses fatos haverá a) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 600,00. b) receitas do exercício seguinte no valor de R$ 900,00. c) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 1.200,00. d) receitas do exercício seguinte no valor de R$ 1.800,00. e) despesas do exercício seguinte no valor de R$ 2.400,00. 85 (ESAF/ANALISTA MPU 2004) Existem certos ativos oriundos de gastos realizados no período corrente que beneficiam o exercício seguinte ou subperíodos de tal exercício. É o caso do prêmio de seguro pago antecipadamente, usualmente remunerando a seguradora por um ano de cobertura de seguro. Em primeiro de julho de 2003 a nossa empresa pagou o contrato anual de seguros de R$ 42.000,00 para cobertura vigente do início de maio/03 ao final de abril do ano seguinte. A empresa utiliza o princípio contábil da competência com atualização mensal e seu exercício social coincide com o ano-calendário. No exemplo ora citado, em 01/07/03, a Contabilidade registrou o seguinte lançamento: a) Seguros a vencer a Caixa 42.000,00 b) Diversos a Caixa Despesa de seguros 21.000,00 Seguros a vencer 21.000,00 42.000,00 c) Diversos a Caixa Despesa de seguros 28.000,00 Seguros a vencer 14.000,00 42.000,00 d) Diversos a Caixa Despesa de seguros 14.000,00 Seguros a vencer 28.000,00 42.000,00 e) Diversos a Caixa Despesa de seguros 7.000,00 Seguros a vencer 35.000,00 42.000,00
  32. 32. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza32 86 (ESAF/ATM RN 2001) A firma Previdente S/A, em 01/08/01, contratou um seguro anual para cobertura de incêndio avaliada em R$ 300.000,00, com vigência a partir da assinatura do contrato. O exercício social da Previdente é coincidente com o ano calendário. O prêmio cobrado pela seguradora é equivalente a 10% do valor da cobertura e foi pago em 31 de agosto de 2001. Em consonância com o princípio contábil da competência de exercícios, no balanço patrimonial de 31/12/01, a conta “Seguros a Vencer” constará com saldo atualizado de a) R$ 175.000,00 b) R$ 30.000,00 c) R$ 20.000,00 d) R$ 17.500,00 e) R$ 12.500,00 87 (ESAF/ANALISTA CVM 2000) A Companhia de Reparos S.A. tem exercício social coincidente com o ano civil. Em dezembro de 2000 prestou serviços a uma indústria (conserto de máquinas), cobrando-lhe R$ 10.000,00, dos quais recebeu, contra recibo, dez por cento. Em janeiro de 2001 faturou o restante, dividindo o pagamento em 18 parcelas mensais e sucessivas de igual valor, vencendo a primeira delas em 31.01.01. De acordo com a Lei no 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações) a Companhia deve assim apropriar a receita a) R$ 10.000,00 em 2000 b) R$ 1.000,00 em 2000 e R$ 9.000,00 em 2001 c) R$ 10.000,00 em 2001 d) R$ 1.000,00 em 2000; R$ 6.000,00 em 2001 e R$ 3.000,00 em 2002 e) R$ 7.000,00 em 2001 e R$ 3.000,00 em 2002 88 (ESAF/ATE MS 2001) A Nossa empresa fecha o exercício social e faz balanços a cada 31 de agosto. Em 31 de agosto de 2000, o balancete elaborado com vistas à realização de ajustes ao resultado do exercício apresentou a conta “Aluguéis Passivos a Vencer” com saldo remanescente de R$ 36.000,00, relativo ao contrato de aluguel do Depósito Geral celebrado no montante de R$ 135.000,00 para o período de 01/10/98 a 31/03/01. A fim de atender ao Princípio Contábil da Competência dos Exercícios, o contador da empresa deverá fazer a seguinte partida de diário: a) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 4.500,00 b) Aluguéis Passivos a Vencer a Aluguéis Passivos R$ 4.500,00 c) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 22.500,00 d) Aluguéis Passivos a Vencer a Aluguéis Passivos R$ 22.500,00 e) Aluguéis Passivos a Aluguéis Passivos a Vencer R$ 31.500,00
  33. 33. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza33 ATIVO (Bens e Direitos) Ações de coligadas Ações de controladas Ações de outras companhias Adiantamento a diretores Adiantamento a fornecedores Ágio na aquisição de ações de controladas Aluguéis a receber Aluguéis a vencer (Amortização acumulada) Ativo imobilizado Bancos conta movimento C/C ICMS (se o saldo for devedor) Caixa Caixa e bancos Clientes Comissões Ativas a Receber Comissões Passivas a Vencer Contas a receber Créditos de financiamento/funcionamento Débitos de controladas/coligadas Depósito bancário (Depreciação acumulada) Despesas antecipadas Despesas a vencer Devedores mobiliários Dinheiro em caixa Disponibilidades Duplicatas a receber Duplicatas a vencer Duplicatas emitidas Duplicatas protestadas Edificações Edifícios de uso Empréstimos concedidos Estoque de bens Estoque de bens de consumo Estoque final Estoques ICMS a recuperar Imóveis Impostos a recuperar Impostos a vencer Instalações Investimento em ações Investimentos Investimentos – ágio Investimentos avaliados pelo PL Juros a receber Juros pagos antecipadamente Juros passivos a vencer Máquinas e equipamentos Marcas e patentes Materiais Material de consumo Mercadorias Mercadorias em estoque Mobília Móveis e máquinas Móveis e utensílios Nota promissória a receber Notas promissórias aceitas Numerário em trânsito Obras em andamento Participação acionária Participações societárias Prêmio de seguros a vencer Produtos acabados Produtos para venda (Provisão para créditos de liquidação duvidosa) (Provisão para devedores duvidosos) (Provisão para perdas em investimentos) Realizável a longo prazo Receitas a receber Seguros a vencer Terrenos Terrenos e edifícios Títulos a receber Títulos a receber a LP Valores Mobiliários Veículos
  34. 34. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza34 PASSIVO (Obrigações) Adiantamento de clientes Aluguéis a pagar Aluguéis ativos a vencer C/C ICMS (se o saldo for credor) Contas a pagar Contribuições a Recolher Créditos de controladas/coligadas Debêntures a resgatar Debêntures exigível a longo prazo Débitos de financiamento/funcionamento Despesas a pagar Dívidas Dívidas com fornecedores Dívidas diversas Dividendos a pagar Duplicatas a pagar Duplicatas aceitas Duplicatas descontadas Empréstimos a longo prazo Empréstimos a pagar Empréstimos bancários Empréstimos e financiamentos Empréstimos sob caução (Encargos financeiros a transcorrer) FGTS a recolher Financiamentos bancários Fornecedores ICMS a recolher Impostos a pagar Impostos a recolher Impostos, contribuição e participação a pagar INSS a recolher IR e CSLL a recolher Juros a pagar Notas promissórias emitidas Prêmio de seguros a pagar Previdência social a recolher Provisão para férias Provisão para FGTS Provisão para imposto de renda Provisão para IR e CSLL Salários a pagar Salários e encargos a pagar Salários não quitados Títulos a pagar Títulos a pagar a LP PATRIMÔNIO LÍQUIDO (Ações em tesouraria) Ajustes de Avaliação Patrimonial Capital (Capital a integralizar) (Capital a realizar) Capital registrado Capital social (Dividendos antecipados) (Impostos sobre reavaliação) Lucros/prejuízos acumulados (Prejuízos acumulados) (Prejuízos anteriores) Reserva legal Reservas de capital Reservas de contingências Reservas de lucros Reservas de reavaliação Reservas estatutárias DESPESAS Abatimento s/ vendas (dedução da receita bruta) Aluguéis pagos Aluguéis passivos COFINS Comissões Passivas Compras à vista e a prazo (usada no cálculo do CMV) Compras de mercadorias (usada no cálculo do CMV) Condução e transporte Consumo efetuado Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Contribuições Previdenciárias Custo das mercadorias vendidas Custo das/de vendas
  35. 35. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza35 Depreciação e Amortização Depreciação Encargos Descontos concedidos Descontos passivos Despesa de comissões Despesas administrativas Despesas administrativas e gerais Despesas bancárias Despesas comerciais Despesas de aluguel Despesas de juros Despesas de salários Despesas efetivadas no período Despesas financeiras Despesas gerais Despesas pré-operacionais Devedores duvidosos Devolução de vendas (dedução da receita bruta) Encargos bancários Encargos de depreciação FGTS Fretes e Carretos Gastos com Instalação ICMS sobre vendas (dedução da receita bruta) Impostos e taxas Insubsistência do ativo IPTU IPVA Juros passivos Lanches e refeições Material consumido Participação de empregados Participações estatutárias PIS sobre faturamento (dedução da receita bruta) Prejuízo na alienação Prejuízo na venda Prêmios de seguros Previdência social – encargos Salários Salários e encargos Salários e ordenados Superveniência do passivo Superveniência passiva RECEITAS Abatimento no preço de compra (usada no cálculo do CMV) Aluguéis ativos Aluguéis recebidos Comissões Ativas Descontos ativos Descontos obtidos Devolução de compras (usada no cálculo do CMV) Ganhos de capital na alienação de imobilizado ICMS sobre compras (usada no cálculo do CMV) Insubsistência ativa Insubsistência do passivo Juros ativos Lucro na alienação Receita bruta de vendas Receita de aluguel Receita de serviço Receita de vendas Receitas auferidas no período Receitas de juros Receitas diversas Receitas financeiras Rendas obtidas Serviços prestados Superveniência ativa Superveniência do ativo Vendas à vista / Vendas a prazo Vendas de mercadorias
  36. 36. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza36 100 FATOS CONTÁBEIS - Tirados exclusivamente de provas da ESAF- Pagamentos, Compras 01. pagamento a fornecedores R$ 4.200,00 02. pagamento de um título no valor de 3.000,00 03. pagamento de um título vencido no valor de R$ 1.200,00 04. pagamento de empréstimos a curto prazo R$ 150,00 05. pagamento de empréstimos a longo prazo R$ 900,00 06. pagamento de R$ 12.000,00 de hipotecas de longo prazo 07. compra a vista de veículos para o ativo imobilizado R$ 2.700,00 08. compra a prazo (160 dias) de móveis para o escritório R$ 1.650,00 09. compras de máquinas industriais a longo prazo R$ 1.500,00 10. compra a prazo de máquinas para o próprio uso, no valor de R$ 15.000,00 11. compra, a prazo, de móveis e utensílios para uso por R$ 40.000,00 12. firma comprou mercadorias a vista por R$ 1.400,00 13. compra de mercadorias por R$ 8.000,00 com pagamento a longo prazo 14. compra de bens para revender: cem unidades por R$ 21.000,00, a prazo 15. compra de mercadorias isentas de tributação por R$ 1.200,00, aceitando duplicatas 16. compra de mercadorias a curto prazo R$ 4.800,00 Recebimentos, Empréstimos 17. recebimento de clientes R$ 3.000,00 18. recebimento de duplicata no valor de R$ 100,00, em dinheiro
  37. 37. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza37 19. empréstimos concedidos a empresas coligadas R$ 300,00 20. recebimento de empréstimos concedidos aos sócios R$ 450,00 21. empréstimos tomados a longo prazo R$ 1.200,00 22. empréstimos tomados a curto prazo R$ 143,00 Despesas 23. registro de salários de R$ 300,00, para pagamento posterior 24. registro de impostos do mês, no valor de 120,00, para recolhimento posterior 25. ocorrência de uma despesa de R$ 160,00 para pagamento futuro 26. empresa registrou a conta de luz do mês (R$ 80,00) para pagamento no mês seguinte 27. registro do aluguel do mês no valor de R$ 300,00 para pagamento posterior 28. pagamento do aluguel do mês no valor de 28,00 29. pagamento de despesas do mês no valor de R$ 7.000,00 30. pagamento de juros do mês corrente no valor de R$ 400,00 31. pagamento de despesas com vendas R$ 1.320,00 32 pagamento antecipado de uma despesa de R$ 100,00 Vendas de Mercadorias, Serviços 33 vendas de mercadorias a vista R$ 15.000,00 34 vendas de mercadorias por R$ 10 mil, pagos a vista 35 venda de bens destinados a venda: oitenta unidades por R$ 19.00,00, a vista 36 vendas de mercadorias por R4 18 mil, com entrada de R$ 8 mil e duplicatas 37. venda, a vista, de mercadorias por R$ 50.000,00, com lucro de 30% sobre as vendas 38. firma prestou serviços a vista por R$ 800,00
  38. 38. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza38 39. registro de serviço realizado para recebimento a prazo, no valor de 52,00 40. prestação de serviços por R$ 400,00, recebendo, no ato, apenas 40% + Compras 41. compra de mercadorias por 15.000,00 pagando um terço como entrada 42. compras de mercadorias por 20 mil, com entrada de R$ 4 mil e duplicatas 43. compra de móveis para venda, por R$ 2.200,00, pagando uma entrada de 20% e o restante a prazo 44. compra de máquinas por R$ 5.000,00, pagando entrada de 20% 45. compra de móveis para uso, por R$ 6.000,00, aceitando duplicatas, sendo dois terços com vencimento a longo prazo 46. compra a prazo de máquinas para uso por 1.000,00 pagando 40% de entrada 47. compra de rações e alimentos por R$ 4.000,00, pagando entrada de 20% e emitindo notas promissórias 48. compra de mesas por R$ 300,00, sendo 40% para vender e 60% para usar, pagando R$ 100,00 e aceitando duplicatas Pagando com desconto 49. pagamento de duplicatas de R$ 70.000,00, obtendo desconto de 12% 50. empresa resolveu antecipar o pagamento de uma dívida de R$ 5.000,00, ainda não vencida, para aproveitar o desconto de 10% oferecido pelo fornecedor 51. pagamento de dívidas de R$ 6.000,00 com descontos de 15%, em cheque 52. pagamento de dívidas deR$ 1.000,00, com desconto de 10% 53. pagamento de títulos vencidos no valor de R$ 200,00, com desconto de 10% 54. pagamento de duplicatas de R$ 100,00, com desconto de 10% 55. pagamento de dívidas em duplicatas de 500,00, com descontos de 10% 56. pagamento de um título de 650,00 com desconto de 10%
  39. 39. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza39 Pagando com juros 57. quitação de duplicatas no valor de R$ 1.100,00, com juros de 10% de seu valor 58. quitação, por via bancária, de uma duplicata no valor de R$ 600,00, com acréscimo de 10% relativos a juros 59. ao quitar uma dívida em duplicatas no valor de R$ 2.000,00, a empresa foi compelida a pagar multa e juros de mora de R$ 100,00 60. pagamento de uma dívida já vencida no valor de R$ 8.000,00, efetuado com juros moratórios de 11% 61. pagamento de duplicatas de R$ 3 mil, com juros de R$ 600,00 62. pagamento de imposto atrasado no valor de R$ 500,00, com juros de 10% 63. pagamento de duplicatas de R$ 100,00, com juros de 15% 64. pagamento de um título de 450,00 com juros de 10% Recebendo com juros 65. a empresa recebeu uma duplicata no valor de R$ 30.000,00, com acréscimo de juros de 10% por atraso no pagamento em relação ao vencimento original 66. recebimento de créditos no valor de R$ 16.000,00, com juros de 8% 67. recebimento de duplicatas de 2.000, com juros de R$ 400,00 68. recebimento de direitos de R$ 500,00, com juros de 10% 69. recebimento de título no valor de R$ 400,00, com juros de 10% 70. recebimento de um título de 460,00, com juros de 10% 71. recebimento, em cheque, de duplicatas no valor de R$ 2.200,00, com incidência de juros à taxa de 10% Recebendo com desconto 72. recebimento de títulos de R$ 120.000,00, concedendo desconto de 8%
  40. 40. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza40 73. recebimento de títulos de R$ 4.000,00, com descontos de 15%, em dinheiro 74. recebimento, em cheque do Banco S/A, de uma duplicata, no valor de R$ 500,00, com desconto de 5% 75. recebimento de um título de 360,00, com desconto de 10% Desconto de Duplicatas; + Empréstimos 76. desconto de duplicatas no valor de R$ 200,00, com encargos bancários de 10% 77. desconto no Banco do Brasil de R$ 600,00 em duplicatas de sua emissão, com encargos de 10% 78. contrato de empréstimo no banco no valor de 1.200,00, com encargos de 10% 79. firma tomou R$ 1.000,00 emprestados no banco, com encargos de 10% Capital Social 80. aumento do capital social em R$ 5.000,00 para integralização futura 81. aumento do capital social em R$ 4.000,00, com realização em dinheiro 82. firma recebeu capital social de R$ 1.100,00, em dinheiro 83. integralização do capital social, sendo R$ 150,00 em dinheiro, R$ 1.200,00 em mercadorias e R$ 600,00 em móveis e utensílios para o escritório Diversos 84. depósitos bancários R$ 900,00 85. recebimento de receitas do mês no valor de R$ 12.000,00 86. recebimento do aluguel do mês no valor de 38,00
  41. 41. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza41 87. contabilização de R$ 230,00 de juros vencidos mas não recebidos no exercício 88. empresa pagou a conta de luz vencida no mês passado, no valor de R$ 95,00 89. apropriação de uma despesa paga antecipadamente no valor de R$ 150,00 90. registro dos encargos de depreciação no valor de R4 3.000,00 91. registro de aluguel de R$ 120,00, pagando no ato apenas 40% 92. firma pagou 40% do aluguel de R$ 600,00, registrando o restante para pagamento no mês seguinte 93. distribuição de dividendos de R$ 1.000,00, para pagamento em 60 dias 94. vendas de móveis e utensílios usados: três unidades por R$ 1.500,00, a prazo 95. venda de ações de coligadas por R$ 6.000,00, recebendo em cheque 96. venda de máquinas por R$ 2.000,00, a prazo, com prejuízo de 20% 97. emissão das debêntures mediante recebimento dos recursos 98. reversão de reservas para contingências R$ 180,00 99. provisionamento para o imposto de renda no valor de R$ 1.200,00 100. venda a prazo, por R$ 80.000,00, com incidência de 10% de ICMS, de mercadorias compradas a prazo por R$ 60.000,00, com ICMS à alíquota de 15%
  42. 42. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza42 LEI nº 6.404/76 - Atualizada CAPÍTULO XV Exercício Social e Demonstrações Financeiras SEÇÃO I Exercício Social Art. 175. O exercício social terá duração de 1 (um) ano e a data do término será fixada no estatuto. Parágrafo único. Na constituição da companhia e nos casos de alteração estatutária o exercício social poderá ter duração diversa. SEÇÃO II Demonstrações Financeiras Disposições Gerais Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício: I - balanço patrimonial; II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados; III - demonstração do resultado do exercício; e IV – demonstração dos fluxos de caixa; e (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) V – se companhia aberta, demonstração do valor adicionado. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) § 1º As demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores correspondentes das demonstrações do exercício anterior. § 2º Nas demonstrações, as contas semelhantes poderão ser agrupadas; os pequenos saldos poderão ser agregados, desde que indicada a sua natureza e não ultrapassem 0,1 (um décimo) do valor do respectivo grupo de contas; mas é vedada a utilização de designações genéricas, como "diversas contas" ou "contas-correntes". § 3º As demonstrações financeiras registrarão a destinação dos lucros segundo a proposta dos órgãos da administração, no pressuposto de sua aprovação pela assembleia-geral. § 4º As demonstrações serão complementadas por notas explicativas e outros quadros analíticos ou demonstrações contábeis necessários para esclarecimento da situação patrimonial e dos resultados do exercício. § 5 o As notas explicativas devem: (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) I – apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos significativos; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) II – divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) III – fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras e consideradas necessárias para uma apresentação adequada; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) IV – indicar: (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) a) os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente estoques, dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de provisões para encargos ou riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na realização de elementos do ativo; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) b) os investimentos em outras sociedades, quando relevantes (art. 247, parágrafo único); (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) c) o aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações (art. 182, § 3 o ); (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) d) os ônus reais constituídos sobre elementos do ativo, as garantias prestadas a terceiros e outras responsabilidades eventuais ou contingentes; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) e) a taxa de juros, as datas de vencimento e as garantias das obrigações a longo prazo; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009)
  43. 43. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza43 f) o número, espécies e classes das ações do capital social; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) g) as opções de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) h) os ajustes de exercícios anteriores (art. 186, § 1 o ); e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) i) os eventos subsequentes à data de encerramento do exercício que tenham, ou possam vir a ter, efeito relevante sobre a situação financeira e os resultados futuros da companhia. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) § 6 o A companhia fechada com patrimônio líquido, na data do balanço, inferior a R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) não será obrigada à elaboração e publicação da demonstração dos fluxos de caixa. (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) § 7 o A Comissão de Valores Mobiliários poderá, a seu critério, disciplinar de forma diversa o registro de que trata o § 3 o deste artigo. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) Escrituração Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de competência. § 1º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses efeitos. § 2 o A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem qualquer modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a utilização de métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou a elaboração de outras demonstrações financeiras. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) I – (revogado); (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) II – (revogado). (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) § 3 o As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) § 4º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por contabilistas legalmente habilitados. § 5 o As normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários a que se refere o § 3 o deste artigo deverão ser elaboradas em consonância com os padrões internacionais de contabilidade adotados nos principais mercados de valores mobiliários. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) § 6 o As companhias fechadas poderão optar por observar as normas sobre demonstrações financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as companhias abertas. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) SEÇÃO III Balanço Patrimonial Grupo de Contas Art. 178. No balanço, as contas serão classificadas segundo os elementos do patrimônio que registrem, e agrupadas de modo a facilitar o conhecimento e a análise da situação financeira da companhia. § 1º No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas registrados, nos seguintes grupos: I – ativo circulante; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) II – ativo não circulante, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) § 2º No passivo, as contas serão classificadas nos seguintes grupos: I – passivo circulante; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) II – passivo não circulante; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) III – patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas de capital, ajustes de avaliação
  44. 44. Contabilidade Geral 2012 – OLÁ AMIGOS Prof. Marcondes Fortaleza44 patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados. (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009) § 3º Os saldos devedores e credores que a companhia não tiver direito de compensar serão classificados separadamente. Ativo Art. 179. As contas serão classificadas do seguinte modo: I - no ativo circulante: as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte; II - no ativo realizável a longo prazo: os direitos realizáveis após o término do exercício seguinte, assim como os derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas ou controladas (artigo 243), diretores, acionistas ou participantes no lucro da companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração do objeto da companhia; III - em investimentos: as participações permanentes em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante, e que não se destinem à manutenção da atividade da companhia ou da empresa; IV – no ativo imobilizado: os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia ou da empresa ou exercidos com essa finalidade, inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios, riscos e controle desses bens; (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) VI – no intangível: os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com essa finalidade, inclusive o fundo de comércio adquirido. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007) Parágrafo único. Na companhia em que o ciclo operacional da empresa tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou longo prazo terá por base o prazo desse ciclo. Passivo Exigível Art. 180. As obrigações da companhia, inclusive financiamentos para aquisição de direitos do ativo não circulante, serão classificadas no passivo circulante, quando se vencerem no exercício seguinte, e no passivo não circulante, se tiverem vencimento em prazo maior, observado o disposto no parágrafo único do art. 179 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) Resultados de Exercícios Futuros (Revogado pela Lei nº 11.941, de 2009) Patrimônio Líquido Art. 182. A conta do capital social discriminará o montante subscrito e, por dedução, a parcela ainda não realizada. § 1º Serão classificadas como reservas de capital as contas que registrarem: a) a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal e a parte do preço de emissão das ações sem valor nominal que ultrapassar a importância destinada à formação do capital social, inclusive nos casos de conversão em ações de debêntures ou partes beneficiárias; b) o produto da alienação de partes beneficiárias e bônus de subscrição; c) (revogada); (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) (Revogado pela Lei nº 11.638,de 2007) d) (revogada). (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007) (Revogado pela Lei nº 11.638,de 2007) § 2° Será ainda registrado como reserva de capital o resultado da correção monetária do capital realizado, enquanto não-capitalizado. § 3 o Serão classificadas como ajustes de avaliação patrimonial, enquanto não computadas no resultado do exercício em obediência ao regime de competência, as contrapartidas de aumentos ou diminuições de valor atribuídos a elementos do ativo e do passivo, em decorrência da sua avaliação a valor justo, nos casos previstos nesta Lei ou, em normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, com base na competência conferida pelo § 3 o do art. 177 desta Lei. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009) § 4º Serão classificados como reservas de lucros as contas constituídas pela apropriação de lucros da companhia. § 5º As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

×