Cancro da próstata

675 visualizações

Publicada em

Tive boa nota.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
675
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cancro da próstata

  1. 1. Trabalho realizado por:  Diogo Alves- 11ºC nº6  Ricardo Matos – 11ºC nº15 Escola Secundária da Mealhada No âmbito da disciplina Biologia e Geologia Ano letivo:20142015
  2. 2. INTRODUÇÃO • Escolhemos o tema IV: diferenciação e erros: cancro, mais especificamente o cancro da Próstata, por este ser um cancro que afeta mais de 5000 Homens por ano só em Portugal. • Além disso, desejamos conhecer um pouco mais sobre este tema, como se desenvolve e afeta o ser humano.
  3. 3. A PRÓSTATA • Glândula do sistema genital masculino que se localiza próxima da bexiga. • Tem como função a secreção do fluido prostático, que faz parte do esperma e que ajuda a proteger e nutrir os espermatozoides. • É também responsável pela produção do antigénio específico da próstata (PSA) – uma enzima coagulase importante, sintetizada quase exclusivamente na próstata, e que torna o sémen líquido. Imagem 2 –A próstata Imagem1- Localização da próstata
  4. 4. O QUE É UM CANCRO? • O cancro resulta de uma produção descontrolada de células que não sofreram diferenciação, devido a causas naturais ou causas externas como a radiação e o tabaco. • https://www.youtube.com/watch?v=IOWzwZUfesk#t=8 Imagem 4- imagem do Cancro da próstata em computador
  5. 5. O CANCRO DA PRÓSTATA É o mais comum nos homens com mais de 50 anos. O cancro pode ser latente ou agressivo. Para crescer e se disseminar, o cancro da próstata tem que ser estimulado por substâncias químicas presentes no organismo que se designam por androgénios, como por exemplo a testosterona. Numa fase inicial do cancro é possível trata-lo através de medicamentos com o objetivo de inibir a produção de androgénios. Imagem 5 - Os cancros mais frequentes
  6. 6. • Mas as glândulas suprarrenais e o próprio tumor têm a capacidade de produzir estas substancias químicas, tornando assim o medicamento ineficaz. • O cancro da próstata que progride define-se como cancro da próstata resistente à castração (CRPC). Imagem 6- Produção de androgénios
  7. 7. FATORES DE RISCO Imagem 7 – Alteração na próstata Idade: a idade é o fator de risco mais importante para o cancro da próstata. A probabilidade de o ter aumenta progressivamente com a idade. História familiar: Se um pai ou avô tiver a doença, há maior probabilidade de ter cancro da próstata. Etnia: O cancro tem maior incidência nos homens de etnia africana do que nos homens de etnia caucasiana Alterações na próstata: como apresentar células Neoplásicas intra-epiteliais, ( PIN ) de grau elevado, pode aumentar o risco de cancro da próstata.
  8. 8. SINTOMAS • Primeiros sintomas:  Dificuldade em urinar Noctúria (necessidade de acordar durante a noite para urinar); Dor ao urinar ou ejacular; Hematúria (sangue na urina). • O cancro da próstata avançado que se tenha espalhado para os gânglios linfáticos ou metastizado para outras partes do corpo pode produzir sintomas adicionais, como: Impotência (incapacidade em obter ou manter uma ereção); Cansaço; Sensação geral de desconforto; Perda de apetite (anorexia) ou perda de peso.
  9. 9. DIAGNÓSTICO • O cancro de próstata é frequentemente descoberto através de exame físico, toque retal, ou por monitorização de análises ao sangue, como a análise do "PSA" (sigla em inglês para antígeno prostático específico). • Os principais exames físicos são: • Ecografia trans-rectal: • Cistoscopia • Biópsia Imagem 8 - Biopsia á Próstata
  10. 10. DIAGNÓSTICO- ESCALA DE GLEASON • Utiliza-se esta escala para se estimar o grau de agressividade do cancro da próstata. A escala de Gleason classifica as células cancerígenas em graus: -Graus de 2 a 6* indicam uma baixa agressividade das células cancerígenas. -Grau 7 indica agressividade intermédia; -Graus de 8 a 10 indicam uma agressividade elevada dado que as células - cancerígenas são muito diferentes das normais. • Esta escala permite avaliar qual o tratamento mais eficaz. Imagem 9 – Escala de Gleason
  11. 11. TRATAMENTO Depende do estado do cancro. - Se o cancro restringe-se apenas á próstata utiliza-se: • Cirurgia - (O médico pode remover toda a próstata ou apenas uma parte) • Radioterapia - (Utilização de radiação ultravioleta para “ matar” o cancro) • Quimioterapia - (Utilização de fármacos com vista a reduzir o cancro) - Se o cancro já sofreu metastização utiliza-se: • Hormonoterapia ( Impossibilita a produção de androgénios) • Crioterapia ( Utilização de gelo para estagnar o cancro)
  12. 12. PÓS-TRATAMENTO • O acompanhamento do doente após o tratamento é fundamental, uma vez que é a melhor forma de detetar possíveis alterações na evolução da doença. Normalmente realizam-se vários exames de controlo após o tratamento do cancro da próstata mas o mais utilizado é: • Os níveis de PSA que são detetados através do sangue;
  13. 13. CONCLUSÃO • Sendo o cancro da próstata um cancro que não afeta só a parte física mas também a parte psicológica do Homem, pretendemos com este trabalho sensibilizar para a prevenção atempada e trazer mais algum conhecimento do funcionamento do cancro e das técnicas usadas para o tratamento deste.
  14. 14. NETGRAFIA • http://www.roche.pt/sites-tematicos/infocancro/index.cfm/tipos/cancro-da-prostata/ cdp-diagnostico • http://www.institutodaprostata.com/Tratamento%20do%20Cancro%20da%20Prstata .html • http://www.sponcologia.pt/wp-content/ uploads/2013/01/LivroCancroProstataSpreed.pdf

×