Salazarismo em Portugal e o Franquismo na Espanha
OBJETIVOS:
 Saber como ganhou força o modo de governo totalitário.
 Entender quais os fatores que influenciaram diretame...
Fim da I Guerra Mundial
Crise de 1929
1931 é instalado um governo
republicano. Após queda da monarquia.
Baixa credibilidad...
Salazarismo em Portugal
Ao entrar na presidência, Carmona convidou António
Oliveira Salazar, professor na Universidade de
...
Salazarismo em Portugal
• Ministro das Finanças
(Equilibrar a economia de
Portugal);
• 1933 – Nova constituição
que defend...
Características do Salazarismo
A exaltação do líder, que
está sempre certo nas
tomadas de decisão;
A existência de um só
p...
Salazarismo em Portugal
“TUDO PELA NAÇÃO, NADA CONTRA A NAÇÃO”
“O discurso propagandístico irá unir os valores
nacionalist...
Salazarismo em Portugal
“TUDO PELA NAÇÃO, NADA CONTRA A NAÇÃO”
• O mito da regeneração - (a renascença portuguesa
promovid...
Salazarismo em Portugal
Europeísmo
• Era um projeto antigo
(ideia de unidade cristã,
política de hegemonia
sacerdotal ou i...
Salazarismo em Portugal
Vozes salazaristas
Salazarismo em Portugal
Revolução dos Cravos
Salazarismo em Portugal
Revolução dos Cravos
Ocorreu em 25 de abril de 1974, foi liderada pelo
movimento das forças Armada...
Espanha
ANTECEDENTES DO FRANQUISMO:
GUERRA CIVIL ESPANHOLA
 Falange x defensores da democracia
 Falange: Franco (líder), latifun...
Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da
Exposição Internacional de Paris. Foi exposto no pav...
FRANQUISMO
 General Francisco
Franco (1892-1975)
 Apoio de instituições
tradicionais
 Luta contra a
República espanhola
FRANQUISMO
 Vitória do grupo de Franco: formação de um governo
autoritário (ditadura)
 Controle sobre:
Educação
Meios de...
Questões
 O que levou a população portuguesa a instaurar a
revolução dos cravos ?
 Quais fatores foram importantes para...
Bibliogafia:
OLIVEIRA, N. O Franquismo. Instituto Politécnico de Setúbal
Escola Superior de Educação. 08/05/2002
Pinto, A....
totalitarismo na península Ibérica - Prof: Diogenes Mufford
totalitarismo na península Ibérica - Prof: Diogenes Mufford
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

totalitarismo na península Ibérica - Prof: Diogenes Mufford

1.708 visualizações

Publicada em

Professor: Diogenes Mufford

Publicada em: Internet
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.708
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

totalitarismo na península Ibérica - Prof: Diogenes Mufford

  1. 1. Salazarismo em Portugal e o Franquismo na Espanha
  2. 2. OBJETIVOS:  Saber como ganhou força o modo de governo totalitário.  Entender quais os fatores que influenciaram diretamente essa politica totalitaria.  Entender quais as causas da guerra civil na Espanha.  E saber o que aconteceu e o que mudou durante esse governo totalitário na Espanha e em Portugal.
  3. 3. Fim da I Guerra Mundial Crise de 1929 1931 é instalado um governo republicano. Após queda da monarquia. Baixa credibilidade da democracia liberal Crescimento dos partidos socialistas Totalitárismo ganha força.
  4. 4. Salazarismo em Portugal Ao entrar na presidência, Carmona convidou António Oliveira Salazar, professor na Universidade de Coimbra, para ministro das finanças. Este aceitou o lugar, na condição de supervisionar os ministérios e de ter direito de veto sore os aumentos das despesas. Salazar conseguiu aumentar em muito o valor das receitas do país, graças à redução das despesas da Saúde, Educação, dos funcionários públicos e de outras despesas. Desde logo ele é considerado o salvador da Nação, tendo conseguido um imenso prestígio.
  5. 5. Salazarismo em Portugal • Ministro das Finanças (Equilibrar a economia de Portugal); • 1933 – Nova constituição que defendia um Estado Forte e Autoritário (Estado Novo);
  6. 6. Características do Salazarismo A exaltação do líder, que está sempre certo nas tomadas de decisão; A existência de um só partido, a União Nacional, partido do governo; A Repressão através da política da Polícia Internacional de Defesa do Estado; A Censura aos meios de comunicação social; O Nacionalismo exacerbado.
  7. 7. Salazarismo em Portugal “TUDO PELA NAÇÃO, NADA CONTRA A NAÇÃO” “O discurso propagandístico irá unir os valores nacionalistas (integralista e católico conservador) com as influências radicais e fascizantes. Através de um discurso ideológico que irá se moldar ao decorrer da história.” Ensaio de Fernando Rosas
  8. 8. Salazarismo em Portugal “TUDO PELA NAÇÃO, NADA CONTRA A NAÇÃO” • O mito da regeneração - (a renascença portuguesa promovida pelo Estado Novo); •O mito do novo nacionalismo - (o Estado Novo encarado como a institucionalização do destino nacional, o genuíno); •O mito imperial – (discurso da vocação portuguesa de colonizar e evangelizar os povos não civilizados); •O mito da pobreza honrada – (ausência de ambições doentias); •O mito da ordem coorporativa – (o povo pede pela ordem e pela hierarquia); •
  9. 9. Salazarismo em Portugal Europeísmo • Era um projeto antigo (ideia de unidade cristã, política de hegemonia sacerdotal ou imperial); • Colonizador; • Europa trágica e Europa gloriosa; •Anti-comunismo, Anti- liberalismo, Anti- democratismo; • Perspectiva Euroafricana; Anti-europeísmo • No período entre guerras a Europa se encontra devastada; • Homo políticus: neutralidade; • Pacto do Atlântico; • Processo de democracia nas colônias; • Apoio dos EUA como potência messiânica para ajudar a Europa a se alargar; • Perspectiva Euroamericana;
  10. 10. Salazarismo em Portugal Vozes salazaristas
  11. 11. Salazarismo em Portugal Revolução dos Cravos
  12. 12. Salazarismo em Portugal Revolução dos Cravos Ocorreu em 25 de abril de 1974, foi liderada pelo movimento das forças Armadas (MFA). Teve o apoio em massa da população, a resistência do regime, enfraquecido militarmente, foi praticamente nula. A população distribuiu cravos vermelhos aos soldados, que os colocaram nos canos de seus fuzis, transformando a flor no símbolo da Revolução de 25 de Abril, como também é chamada.
  13. 13. Espanha
  14. 14. ANTECEDENTES DO FRANQUISMO: GUERRA CIVIL ESPANHOLA  Falange x defensores da democracia  Falange: Franco (líder), latifundiários, setores da Igreja, alta burguesia, Hitler e Mussolini  Democratas: exército popular (camponeses, estudantes, operários, voluntários estrangeiros) e forças da URSS.  Ensaio para a II Guerra: teste de novos armamentos (Alemanha e Itália)  Bombardeio de Guernica - 1937
  15. 15. Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da Exposição Internacional de Paris. Foi exposto no pavilhão da República Espanhola. Medindo 350 por 782 cm, esta tela pintada a óleo é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade espanhola de Guernica em 26 de abril de 1937 por aviões alemães, apoiando o ditador Francisco Franco. Atualmente está no Centro Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madrid.
  16. 16. FRANQUISMO  General Francisco Franco (1892-1975)  Apoio de instituições tradicionais  Luta contra a República espanhola
  17. 17. FRANQUISMO  Vitória do grupo de Franco: formação de um governo autoritário (ditadura)  Controle sobre: Educação Meios de comunicação Órgãos de segurança  Ditadura mantida até a morte de Franco, com algumas mudanças nos anos finais  Restauração da democracia em 1975
  18. 18. Questões  O que levou a população portuguesa a instaurar a revolução dos cravos ?  Quais fatores foram importantes para a implantação do franquismo?
  19. 19. Bibliogafia: OLIVEIRA, N. O Franquismo. Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Educação. 08/05/2002 Pinto, A.C. O Salazarismo entre investigação sobre fascismo europeu-velhos problemas, velhas respostas? Analize social, volume XXV(108-109), 1990(4° e 5°) 695-713. Torgal, R,L. O Estado Novo Salazarismo, Fascismo e Europa. BNP. Biblioteca Nacional Portugal. BibliotecaNacional digital

×