A liberdade cristã e o principio do amor

3.742 visualizações

Publicada em

Estudo sobre a liberdade Cristã. Até onde vai a nossa liberdade.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.742
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
150
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A liberdade cristã e o principio do amor

  1. 1. A LIBERDADE CRISTÃ E O PRINCÍPIO DO AMOR “E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele”. 1 Co 9.23
  2. 2. O que é liberdade pra você? Não é licença pra pecar, Não é dizer: eu faço que quero. Ninguém manda em mim. Não é ausência de regras. Não é ser legalista. Não é libertinagem.
  3. 3. A Liberdade que Jesus nos dá, é a libertação do poder do pecado, e a capacidade de experimentar a vida como Deus a revelou. Na cultura grega dos tempos apostólicos, “elutheria” (liberdade), era a pessoa ser independente dos outros, e capaz de agir sem qualquer referência a limites.
  4. 4. ALGUÉM PODE PERGUNTAR: ENTÃO EU NÃO POSSO FAZER NADA? Deus não nos proíbe de tudo, que a vida oferece. Mas, por causa da nossa natureza pecaminosa, Ele nos orienta a: Não esquecer que sou um cristão, e preciso mostrar isto, através de tudo aquilo que sou e que faço, esteja onde estiver.
  5. 5. A AJUDA DO SENHOR , PARA NÓS: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam .”1 Co 10.23 Lícitas Tudo aquilo que é permitido Convém Ser útil, beneficiar Edificam Aquilo que tras crescimento espiritual
  6. 6. E O MEU DIREITO? “ Não temos nós o direito de comer e beber? Não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como fazem os outros apóstolos... ” 1 Co 9. 4 -5 NVI Paulo mostra-se fortemente a favor de ceder um direito, quando o exercício desse direito pudesse prejudicar um companheiro crente. No entanto, ele não usou nenhum desses direitos ( 1 Co 9. 12,15 ).
  7. 7. O CUIDADO DO ABUSO DA LIBERDADE: “ Aquele, pois que pensa estar em pé veja que não caia. ” ARA 1 Co 10.12 Nesse ponto, Paulo usa o verbo “pipto” para representar a prática do pecado. Paulo está falando aqui àquele cristão “forte” e convicto de que as bençãos que recebeu torná-los-ão invulneráveis aos perigos contidos na adoração pagã. Cuidado! A autoconfiança excessiva é, muitas vezes, um prelúdio do pecado.
  8. 8. O PRINCÍPIO DO AMOR: Este princípio fala do amor verdadeiro. Daquele amor, que não considera nada pesado (1Jo 5.3), em troca do bem amado. “Quem ama renuncia”. “o amor verdadeiro, motiva a renúncia sincera”
  9. 9. “...no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha, mas o amor edifica”.1 Co 8.1 Ao abordar uma questão sobre o ponto de vista do conhecimento, os crentes adotam posições diferentes e passam a discutir. Agora, ao abordar uma questão sob o ponto de vista do amor, os crentes ficam unidos e preservam a comunhão.
  10. 10. “ Mas vede que essa liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos. “ 1 Co 8.9 ARC “... é mau para o homem o comer com escândalo.” Rm 14.20 parte b ARA
  11. 11. Se um coríntio “ forte” analisar sua escolha baseado na ciência ( no seu conhecimento ), concluirá que tem o direito de comer. Mas, se o mesmo coríntio analisar seu direito de comer com base no amor, ele abster-se-á a fim de não causar nenhum possível mal a um irmão mais “ fraco ”.
  12. 12. O argumento do apóstolo do capítulo 8 ao 10 é realmente claro. No capítulo 9.25 “ Todo atleta em tudo se domina...” ele fala claramente que os atletas dos jogos desistem voluntariamente de seu “direito” a uma vida fácil e se entregam a um rígido treinamento para se preparem para os jogos, com o objetivo de alcançar a vitória.
  13. 13. “ Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edificá-lo. Pois também Cristo não agradou a si próprio, mas, como está escrito: “ Os insultos daqueles que te insultam caíram sobre mim.” Rm 15. 1-3 NVI “A liberdade cristã, e limitada pelo amor”
  14. 14. A Maior arma da Igreja de Cristo contra o diabo:

×