Crise Na Mídia Tradicional, por Beth Saad

2.245 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.245
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
250
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
183
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Crise Na Mídia Tradicional, por Beth Saad

  1. 1. Painel: A crise da mídia tradicional Quem vai publicar as notícias que vão alimentar a conversa? Por Beth Saad
  2. 2. Maio 2009: publishers em Chicago – A “doutrina” – O real valor: conteúdo online valoriza-se pelo pagamento – O uso justo: conteúdo produzido profissionalmente e com preço força o copyright – O compartilhamento justo: preços mais elevados para conteúdo redistribuído – A entrega digital: ofereça o conteúdo em plataformas que estimulem e-commerce e agregação de serviços – Foco nos usuários: eles são fonte de receita
  3. 3. Quem paga a conta no mundo online? Qual o custo de estar nas redes sociais?
  4. 4. Jornalismo + internet + redes sociais = Ciberjornalismo Social = Um mundo possível?
  5. 5. A topologia das redes sociais Decisão para definição das formas de participação de centros produtores de notícias no mundo das redes sociais.
  6. 6. A topologia das redes sociais Qual a forma de participação dos centros produtores de informação no mundo das redes sociais?
  7. 7. A síndrome da periodicidade Jornalismo se posiciona com dificuldade ante a processos informativos em fluxo, mutantes e não modeláveis
  8. 8. A informação em A síndrome da fluxo, mutante e periodicidade não moldável
  9. 9. Um outro protagonismo informativo e social O jornalismo diante de um ponto de inflexão entre manter o status quo linear ou buscar um novo posicionamento no sistema sócio-digital.
  10. 10. Eles querem participar e não apenas assistir. O Brasil é o país que mais usa sites de relacionamento, tanto em horas quanto em número de acessos.
  11. 11. Eu não sou um número eu sou uma tag
  12. 12. O que temos pela frente?
  13. 13. Mudanças
  14. 14. Novas competências no modelo de negócio Capacidade de geração de fluxos e trocas entre participantes de redes sociais, e não mais unicamente na concentração de tráfego/audiência.
  15. 15. Estratégias de resiliência Estamos saindo de um mundo onde a prática era a exclusividade da informação, para uma prática ubíqua de compartilhamento da informação.
  16. 16. Convergência: um fenômeno da cultura contemporânea Estrutura operacional: integração Modelo de negócios: hiperlocal, patrocínios, mecenato, hiper-nicho, jornalismo social O jornalista: mediador, curador, contextualizador Narrativas: integração do tempo real nas reportagens; mídias complementares Público: diálogos e conversações
  17. 17. Afinal, quem vai publicar as notícias que vão alimentar a conversa ?
  18. 18. Obrigada! @bethsaad www.digicorpecausp.net www.digitalhappenings.com.br bethsaad@digitalhappenings.com.br www.imezzo.wordpress.com www.commais.info

×