jorge amado e seus dois maridos

304 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

jorge amado e seus dois maridos

  1. 1. Jorge Amado nasceu a 10 de Agosto de 1912, no município de Itabuna, sul do Estado da Bahia. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria e de Eulália Leal Amado. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador. Neste período, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.
  2. 2. Publicou o seu primeiro romance, O país do Carnaval, em 1931. Casou-se em 1933, com Matilde Garcia Rosa, com quem teve uma filha, Lila. Nesse ano publicou o seu segundo romance, Cacau. Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935 (por insistência dos pais). Publica Jubiabá. Sofre a sua primeira prisão em 1936, por motivos políticos. Publica Mar morto, que recebe o Prêmio Graça Aranha, da Academia Brasileira de Letras.
  3. 3. No ano seguinte (1937), viaja pela América Latina e depois vai aos Estados Unidos. Enquanto está fora, sai no Brasil Capitães da areia. Quando chega a Belém, vindo do exterior, é avisado do golpe de Vargas. Foge para Manaus, mas lá é preso. Seus livros, considerados subversivos, são queimados em praça pública. Segundo as atas militares, foram queimados 1.694 exemplares de O país do carnaval, Cacau, Suor, Jubiabá, Mar morto e Capitães da areia. É libertado em 1938.
  4. 4. Em 1945, foi eleito membro da Assembleia Nacional Constituinte, pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB). Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai. Em 1947, o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Entre 1950 e 1952, viveu na Checoslováquia.
  5. 5. De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista. Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras.
  6. 6. Em 1987, foi inaugurada em Salvador, Bahia, no Largo do Pelourinho, a Fundação Casa de Jorge Amado, que abriga e preserva seu acervo, colocando-o à disposição de pesquisadores. A Fundação objectiva ainda o desenvolvimento das actividades culturais na Bahia. Jorge Amado, ao lado de Zélia, do presidente José Sarney e de Dona Marly, discursando na cerimónia de criação da Fundação Casa de Jorge Amado no Palácio do Planalto.
  7. 7. Em 1995 iniciou-se o processo de revisão de sua obra por sua filha Paloma e os livros ganharam novo projecto gráfico. No mesmo ano, Jorge Amado recebeu em Lisboa o Prémio Camões, uma das mais altas distinções da língua portuguesa. O Prémio Camões, instituído pelo Brasil e por Portugal em 1988, é atribuído aos autores que tenham contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa. O Prémio é considerado o mais importante prémio literário destinado a galardoar um autor de língua portuguesa. O Prémio Luís de Camões é atribuído anual e alternadamente no território de cada um dos dois Estados, cabendo a decisão a um júri especialmente constituído para o efeito. O prémio consiste numa quantia pecuniária resultante das contribuições dos dois Estados, fixada anualmente de comum acordo.
  8. 8. Jorge Amado era Obá de Xangô no terreiro do Ilê Axé Opó Afonjá. O Opó Afonjá é um dos principais terreiros do candomblé, ao lado do Gantois. É o terreiro da Mãe Estela e o orixá patrono é Xangô. O título de Jorge Amado significa "ministro de Xangô". Xangô é o deus da justiça, corresponde a Zeus da mitologia grega. Na religião católica, ele pode ser comparado a São Pedro, que julga as almas e a São Gerónimo, que é o guardião do Livro Sagrado.
  9. 9. A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba por todo o Brasil. Os seus livros foram traduzidos em 55 países, em 49 idiomas, existindo também exemplares em Braille e em fitas gravadas para invisuais.
  10. 10. Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de Agosto de 2001. Foi cremado, e suas cinzas foram enterradas no jardim da sua residência, na Rua Alagoinhas, a 10 de Agosto, dia em que completaria 89 anos.
  11. 11. Obras de Jorge Amado: • País do Carnaval (1931, romance); • Cacau (1933, romance); • Suor (1934, romance); • Jubiabá (1935, romance); • Mar Morto (1936, romance); • Capitães da Areia (1937, romance); • ABC de Castro Alves (1941, biografia); • O Cavaleiro da Esperança (1942, biografia); • Terras do Sem Fim (1943, romance); • São Jorge dos Ilhéus (1944, romance); • Seara Vermelha (1946, romance); • Bahia de Todos os Santos (1945, guia); • O Amor do Soldado (1947, teatro);
  12. 12. • O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá (1948, novela); •Os Subterrâneos da Liberdade (1950, romance / trilogia); • Os Ásperos Tempos • A Agonia na Noite • Luz no Túnel • Gabriela, Cravo e Canela (1958, romance); • A Morte e a Morte de Quincas Berro Dágua (1960, romance); • Os Velhos Marinheiros (1961, romance); • Os Pastores da Noite (1964, romance); • Dona Flor e seus dois Maridos (1966, romance); • Tenda dos Milagres (1969, romance); • Tereza Batista, Cansada de Guerra (1972, romance); • Tieta do Agreste (1977, romance); • Farda, Fardão, Camisola de Dormir (1979, romance);
  13. 13. • O Menino Grapiúna (1981, memórias); • Tocaia Grande (1984, romance); • A Bola e o Goleiro (1984, literatura infantil); • O Sumiço da Santa (1988, romance); • A Descoberta da América pelos Turcos (1992, romance); • O Milagre dos Pássaros (1997, conto); • Navegação de Cabotagem (1992, memórias).
  14. 14. Bibliografia consultada: http://olhares.aeiou.pt/capitaes_da_areia/foto170281.html http://www.fundacaojorgeamado.com.br/jorge_biografia.htm http://www.citi.pt/cultura/literatura/romance/jorge_amado/ http://www.filologia.org.br/viiicnlf/anais/caderno11-06.html Fotografias: http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/personagem/i_amado.shtml http://olhares.aeiou.pt/meninos_de_rua/foto80286.html http://www.villaverde-flats.com/fotoreportagens/fr-pelourinho/ pelourinho.htm

×