A criança que fomos um dia ainda mora em nosso coração   Por Roberto Shinyashiki  Para estar em paz com nossa emoção preci...
A criança que fomos representa uma parte importante de nossa estrutura psicológica.  Os psicoterapeutas que valorizam essa...
Nossa criança interior guarda as experiências afetivas vividas no passado.  Às vezes a manifestação dessa criança é cheia ...
Em outros momentos, porém, as dores não cuidadas de nossa infância tomam conta de nossa consciência de forma sombria.  E n...
Uma criança que não se sente admirada é capaz de agir como um macaquinho amestrado para conquistar o aplauso dos pais. Par...
... A maior parte das pessoas não cuida dessas carências e, em vez de mergulhar na análise das experiências malsucedidas, ...
Agora você deve estar se perguntando:  o que posso fazer para que as carências do passado não interfiram na estrutura de m...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Criança Que Fomos

697 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
697
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Criança Que Fomos

  1. 1. A criança que fomos um dia ainda mora em nosso coração Por Roberto Shinyashiki Para estar em paz com nossa emoção precisamos ficar atentos aos movimentos de nossa criança.
  2. 2. A criança que fomos representa uma parte importante de nossa estrutura psicológica. Os psicoterapeutas que valorizam essa idéia a chamam de criança interior. Cuidar dessa nossa parte é essencial para estar em paz com nossos sentimentos.
  3. 3. Nossa criança interior guarda as experiências afetivas vividas no passado. Às vezes a manifestação dessa criança é cheia de prazer. Por exemplo, quando brincamos com nossos filhos como se também fôssemos crianças livres. Quando nos permitimos pedir colo a um amigo querido. Quando caminhamos na praia debaixo de uma chuva de verão.
  4. 4. Em outros momentos, porém, as dores não cuidadas de nossa infância tomam conta de nossa consciência de forma sombria. E nossa criança grita e nosso adulto se cala! Porque uma criança desprotegida é capaz de qualquer coisa para se sentir segura. Uma criança que se sente abandonada é capaz de fazer o que os pais esperam somente para se sentir amada.
  5. 5. Uma criança que não se sente admirada é capaz de agir como um macaquinho amestrado para conquistar o aplauso dos pais. Para estar em paz com nossa emoção precisamos ficar atentos aos movimentos dessa criança. ...
  6. 6. ... A maior parte das pessoas não cuida dessas carências e, em vez de mergulhar na análise das experiências malsucedidas, veste a famosa máscara em que se lê: eu sou sensacional. O problema é que carências não cuidadas sempre dão um jeito de aparecer...
  7. 7. Agora você deve estar se perguntando: o que posso fazer para que as carências do passado não interfiram na estrutura de minha vida hoje? Não é possível voltar à infância e culpar as pessoas que cuidaram de nós por não ter atendido a todas nossas necessidades. O único caminho que funciona é este: cuidar de nossa criança interior para que suas carências sejam satisfeitas. Música : Nana Moucury - Blow the Wind Southerly Montagem : [email_address] www.pranos.com.br

×