Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte

3.323 visualizações

Publicada em

MÓDULO I : Vida no mundo espiritual
ROTEIRO 1 : O fenômeno da morte
OBJETIVO GERAL:
Propiciar conhecimentos da vida no Mundo Espiritual.
OBJETIVO ESPECÍFICO:
Dizer o que sucede com a alma no instante da morte do corpo físico.
Explicar o processo de separação da alma do corpo.

Publicada em: Espiritual
1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.323
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
186
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • (Conclusão da facilitadora)
  • (Conclusão da facilitadora)
  • (Conclusão da facilitadora)
  • Vida no mundo espiritual - O fenômeno da morte

    1. 1. Programa Complementar O FENÔMENO DA MORTE
    2. 2. MÓDULO I : Vida no mundo espiritual ROTEIRO1 : O fenômeno da morte OBJETIVO GERAL: • Propiciar conhecimentos da vida no Mundo Espiritual. OBJETIVO ESPECÍFICO: • Dizer o que sucede com a alma no instante da morte do corpo físico. • Explicar o processo de separação da alma do corpo. Palavras chaves: Kardecismo. Espiritismo. Morte. Vida espiritual. Alma. Corpo.
    3. 3. • A MORTE DE DIMAS O PROCESSO DE DESENCARNAÇÃO Caso de André Luiz - Curta Metragem Espírita. Publicado em 22 de mai de 2013. • COMO OCORRE A MORTE? • Este é um curta metragem espírita baseado no livro Obreiros da Vida Eterna, de André Luiz, editora FEB, que narra o processo de desencarnação de Dimas. Em https://www.youtube.com/watch?v=o9xtfz76PEg
    4. 4. • Duas semanas antes de desencarnar, Dra. Marlene Nobre presidente da AME - Associação dos Médicos Espíritas do Brasil deixou gravado entrevista com a jornalista Miriam Portela para o seu programa "PORTAL DE LUZ" apresentado semanalmente na TV Aberta canal 9 da NET São Paulo, onde falou sobre o momento da desencarnação, assunto do último livro que escreveu editado pela Fé Editora. • Programa gravado antes do dia 5/1/2015, data da morte da Dra Marlene Nobre. Em: https://www.youtube.com/watch?v=HpL712XwqsE - Publicado em 14 de jan de 2015
    5. 5. QUE SUCEDE À ALMA NO INSTANTE DA MORTE? • Volta a ser Espírito, isto é, volve ao mundo dos Espíritos, donde se apartara momentaneamente. Allan Kardec: O livro dos espíritos, questão 149.
    6. 6. 1. INDIVIDUALIDADE DO ESPÍRITO APÓS A DESENCARNAÇÃO • Chico Xavier Psicografando • As manifestações dos espíritos comprovam a individualidade da alma.
    7. 7. CHICO XAVIER – COLEÇÃO COMPLETA Os 412 livros psicografados por CHICO XAVIER • Download gratuito em: • https://dirceurabelo.wordpress.com/2011/12/09/chico-xavier- obra-completa-em-ordem-cronologica/
    8. 8. 2. SEPARAÇÃO DA ALMA DO CORPO NA DESENCARNAÇÃO Cena da novela Amor Eterno Amor
    9. 9. • O último alento quase nunca é doloroso, uma vez que ordinariamente ocorre em momento de inconsciência, mas a alma sofre antes dele a desagregação da matéria, nos estertores (respiração anormal e ruidosa dos moribundos) da agonia, e, depois, as angústias da perturbação. Allan Kardec: O céu e o inferno. Segunda parte, cap. 1, item 7. • O que acontece depois do desencarne - Segundo o Espiritismo • No programa transição alguns expositores espíritas abordam sobre alguns aspectos do que acontece conosco depois do desencarne. https://www.youtube.com/watch ?v=NUMsTxhLFE4&feature=youtu .be
    10. 10. • A extinção da vida orgânica acarreta a separação da alma em consequência do rompimento do laço fluídico que a une ao corpo, mas essa separação nunca é brusca. Allan Kardec: O céu e o inferno. Segunda parte, cap. 1, item 4. o Livro dos Espíritos, q. 155 Comentários Cena da novela Amor Eterno Amor
    11. 11. • A causa principal da maior ou menor facilidade de desprendimento é o estado moral da alma. Allan Kardec: O céu e o inferno. Segunda parte, cap. 1, item 8
    12. 12. O FENÔMENO DA DESENCARNAÇÃO É OPOSTO AO DA ENCARNAÇÃO.
    13. 13. ENCARNE • O Espírito, por intermédio do seu perispírito, se enraíza, de certa maneira, nesse gérmen, como uma planta na terra. DESENCARNE • Tal união se desfaz. • Então, o perispírito se desprende, molécula a molécula, conforme se unira, e ao Espírito é restituída a liberdade. • Assim, não é a partida do Espírito que causa a morte do corpo.
    14. 14. • (A morte do corpo) é que determina a partida do Espírito. • Dessa forma, durante a reencarnação o [...] Espírito se acha preso ao corpo pelo seu envoltório semimaterial ou perispírito. • A morte é a destruição do corpo somente, não a desse outro invólucro, que do corpo se separa quando cessa neste a vida orgânica.
    15. 15. 3. A DESENCARNAÇÃO A MORTE DE DIMAS O PROCESSO DE DESENCARNAÇÃO Caso de André Luiz - Curta Metragem Espírita.
    16. 16. • ...a alma "se desprende gradualmente, não escapa como um pássaro cativo a que se restitua subitamente a liberdade", e que o Espírito "se solta pouco a pouco dos laços que o prendiam“,ou seja, "se desatam, não se quebram". (O Livro dos Espíritos",75. ed., FEB, 1994,cit, it. 155-a). 3.1 SEPARAÇÃO DA ALMA DO CORPO
    17. 17. • A observação demonstra que, no instante da morte, o desprendimento do perispírito não se completa subitamente; que, ao contrário, se opera gradualmente e com uma lentidão muito variável conforme os indivíduos.
    18. 18. • (...) quanto mais o Espírito se haja identificado com a matéria, tanto mais penoso lhe seja separar-se dela; • ao passo que a atividade intelectual e moral, a elevação dos pensamentos operam um começo de desprendimento, mesmo durante a vida do corpo, de modo que, em chegando a morte, ele é quase instantâneo.
    19. 19. • Nos instantes finais da separação, muitas [...] vezes a alma sente que se desfazem os laços que a prendem ao corpo. • Emprega então todos os esforços para desfazê-los inteiramente. • Já em parte desprendida da matéria, vê o futuro desdobrar-se diante de si e goza, por antecipação, do estado de Espírito.
    20. 20. • Em se tratando de morte natural resultante da extinção das forças vitais por velhice ou doença, o desprendimento opera-se gradualmente. 3.2- SEPARAÇÃO DA ALMA DO CORPO NA MORTE NATURAL
    21. 21. • Na morte natural, a que sobrevém pelo esgotamento dos órgãos, em consequência da idade, o homem deixa a vida sem o perceber: é uma lâmpada que se apaga por falta de óleo. Allan Kardec: O livro dos espíritos, questão 154 – comentário
    22. 22. • No homem materializado e sensual (...) o desprendimento, conquanto se opere gradualmente também, demanda contínuos esforços. • As convulsões da agonia são indícios da luta do Espírito, que às vezes procura romper os elos resistentes, e outras se agarra ao corpo do qual uma força irresistível o arrebata com violência, molécula por molécula.
    23. 23. •A morte súbita pode ou não estar associada a um ato de violência. 3.3 - SEPARAÇÃO DA ALMA DO CORPO NA MORTE SÚBITA
    24. 24. • São mortes violentas: homicídios, torturas, suicídios, desastres, calamidades naturais ou provocadas pelo homem, etc. • Tais mortes provocam ao desencarnante sofrimento que varia ao infinito.
    25. 25. • [...] em todos os casos de morte violenta, quando a morte não resulta da extinção gradual das forças vitais, mais tenazes são os laços que prendem o corpo ao perispírito e, portanto, mais lento o desprendimento completo. Allan Kardec: O livro dos Espíritos, questão 162 – comentário
    26. 26. • [...] No suicida, principalmente, [essa situação] excede a toda expectativa. • Preso ao corpo por toda as suas fibras, o perispírito faz repercutir na alma todas as sensações daquele, com sofrimentos cruciantes (penosos). Allan Kardec: O Céu e o Inferno. Segunda Parte, Cap. 1, item 12.
    27. 27. • O estado do Espírito por ocasião da morte pode ser assim resumido: Tanto maior é o sofrimento, quanto mais lento for o desprendimento do perispírito • A presteza deste desprendimento está na razão direta do adiantamento moral do Espírito
    28. 28. • Para o Espírito desmaterializado, de consciência pura, a morte é qual um sono breve, isento de agonia, e cujo despertar é suavíssimo.
    29. 29. • O espírita sério não se limita a crer, porque compreende, e compreende, porque raciocina. • A vida futura é uma realidade que se desenrola incessantemente a seus olhos. • Uma realidade que ele toca e vê, por assim dizer, a cada passo e de modo que a dúvida não pode empolgá-lo, ou ter guarida em sua alma. • A vida corporal, tão limitada, amesquinha-se diante da vida espiritual, da verdadeira vida.
    30. 30. • KARDEC DESTACA 4 TIPOS DE SITUAÇÕES EXTREMAS. • ETAPAS DO PROCESSO DA DESENCARNAÇÃO. 4. OUTRAS REFERÊNCIAS SOBRE DESENCARNAÇÃO:
    31. 31. KARDEC DESTACA 4 TIPOS DE SITUAÇÕES EXTREMAS: • 1. Se no momento em que se extingue a vida orgânica o desprendimento do perispírito fosse completo, a alma nada sentiria absolutamente. • 2. Se nesse momento a coesão dos dois elementos estiver no auge de sua força, produz-se uma espécie de ruptura que reage dolorosamente sobre a alma. • 3. Se a coesão for fraca, a separação torna-se fácil e opera-se sem abalo. 1-2
    32. 32. KARDEC DESTACA 4 TIPOS DE SITUAÇÕES EXTREMAS: • 4. Se após a cessação completa da vida orgânica, existirem ainda numerosos pontos de contato entre o corpo e o perispírito, a alma poderá ressentir-se dos efeitos da decomposição do corpo, até que o laço inteiramente se desfaça. • Daí resulta que o sofrimento, que acompanha a morte, está subordinado à força adesiva que une o corpo ao perispírito. • Que tudo o que puder atenuar essa força, e acelerar a rapidez do desprendimento, torna a passagem menos penosa. • Se o desprendimento se operar sem dificuldade, a alma deixará de experimentar qualquer sentimento desagradável. Kardec: O Céu e o Inferno 2-2
    33. 33. ETAPAS DO PROCESSO DA DESENCARNAÇÃO: • A […] operação inicial é efetuada na região do ventre, à qual se acha ligado o Centro Vegetativo, como sede das manifestações fisiológicas. • Com essa providência, o moribundo começa a esticar os membros inferiores, sobre- vindo, logo após, o esfriamento do corpo. • Atuando os Espíritos Superiores, a seguir, sobre o Centro Emocional, sediado no tórax e representando a zona dos sentimentos e desejos, novos sintomas se verificam: desregularidade do coração, aflição, angústia e pulso fraco. […]. 1-2
    34. 34. ETAPAS DO PROCESSO DA DESENCARNAÇÃO: • A […] operação final é no cérebro, onde fica situado o Centro Mental, a região mais importante. • O trabalho magnético se realiza inicialmente sobre a fossa romboidal, (região do cérebro) […] Após essa última operação magnética, sobre a fossa romboidal, […] sobrevém o estado de coma, embora o Espírito esteja ligado — e bem ligado ao veículo físico. […]. • Por fim, o ocorre o último desatamento do laço fluídico, em nível de sistema nervoso central. • Só então está concluído desligamento perispiritual do corpo físico, concluindo a desencarnação. 2-2
    35. 35. • "A fossa romboidal ou rombóide fica a nível do 4º ventrículo, corresponde mais ou menos a inserção da cabeça ao pescoço, próximo a nuca.
    36. 36. Uma existência é um ato. Um corpo uma veste. Um século um dia. Um serviço uma experiência. Um triunfo uma aquisição. Uma morte um sopro renovador. André Luiz
    37. 37. Muito obrigada! Instituto Espírita Dias da Cruz Grupo Allan Kardec III Facilitadoras: Deise Cristina Maciel de Aguiar Patrícia Orlandi Rosane Maria de Aguiar Marcato Slides: Denise Maria de Aguiar da Silva 2015

    ×