Slide(1) cópia

3.433 visualizações

Publicada em

Silde de História.
2M1 -- G5
Dayala de Oliveira

Publicada em: Educação, Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.433
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slide(1) cópia

  1. 1. O Segundo Reinado<br />D. Pedro II<br />
  2. 2. O fim do Primeiro Reinado – D. Pedro I<br />O governo do imperador D. Pedro I enfrentou diversas crises políticas, financeiras, além de escândalos que o envolveram;<br />D. Pedro I abdicou o trono brasileiro, pois devia voltar para Portugal para tomar de volta o trono de sua filha que seu irmão havia tomado dela;<br />Após algum tempo no poder de Portugal, D. Pedro I adoece e morre, deixando o trono brasileiro para seu filho Pedro de Alcântara (D. Pedro II).<br />
  3. 3. D. Pedro II assumi o poder do Brasil<br />Com a ida e a morte de seu pai, D. Pedro I, em Portugal, D. Pedro II assumiu o poder do Brasil no ano de 1830, com apenas seis anos de idade, onde fica sob tutela de José Bonifácio e depois do Marquês de Intanhaém.<br />
  4. 4. Biografia de D. Pedro II<br />
  5. 5. Quando e onde nasceu<br />D. Pedro II, nasceu no dia 02 de dezembro de 1825, no Palácio da Quinta da Boa Vista, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro;<br />Atualmente, este palácio, funciona como museu e como um jardim botânico.<br />
  6. 6. Nome dos pais<br />D. Pedro I e Dona Maria Leopoldina<br />
  7. 7. D. Maria Leopoldina e seus filhos.<br />
  8. 8. Quando assumiu o trono e quando foi coroado<br />Em 1831 ascendeu ao poder com apenas seis anos de idade;<br />Em 1840 assumiu o trono com apenas quatorze anos;<br />No dia 18 de julho de 1841 foi coroado imperador do Brasil, após o golpe da maioridade, com 15 anos de idade;<br />
  9. 9. A Sagração e Coroação de d. Pedro II ocorreu em 18 de julho de 1841, na Capela Imperial, no Rio de Janeiro.<br />
  10. 10. Quando e com quem se casou<br />Casou-se em 1843, com Dª. Teresa Cristina. <br />
  11. 11. Filhos de D. Pedro II<br />Sua esposa, Dª Teresa Cristina, deu à luz a quatro filhos.<br />D. Afonso Pedro, que faleceu após dois anos de seu nascimento;<br />D. Isabel Leopoldina, a Princesa Isabel;<br />D. Pedro Afonso, que também faleceu após dois anos de seu nascimento;<br />E a última filha, D. Leopoldina Tereza.<br />
  12. 12. Transformações que marcaram o segundo reinado<br />Transformações da ordem social e econômica, decisivas para a história do país, tais como a Guerra do Paraguai e a abolição da escravatura.<br />
  13. 13. Morte de D. Pedro II<br />D. Pedro II faleceu no dia 05 de dezembro de 1891;<br />Segundo o atestado de óbito a causa da morte foi uma pneumonia aguda do pulmão esquerdo.<br />Dom Pedro II,, em seu leito de morte. <br />
  14. 14. Período Regencial<br />Durante os anos de 1831 e 1840, o Brasil viveu em um período regencial, já que D. Pedro II era de menos e não podia se tornar imperador. Esse período ficou marcado por grandes revoltas, já que não havia “ordem” política no Brasil, que estava sendo liderado por dois grupos, os Liberais e os Conservadores.<br />
  15. 15. Golpe da maioridade<br />O Golpe da Maioridade foi dado em 24 de julho de 1840;<br />Devido aos conflitos e instabilidade da política brasileira durante o Período Regencial, os Liberais criaram o Clube da Maioridade, com o intuito de tornar D. Pedro II maior de idade.<br />Os liberais agitaram o povo, que pressionou o Senado a declarar o jovem Pedro II maior de idade aos 14 anos;<br />Esse golpe teve como principal objetivo dar o poder para Dom Pedro II para que esse, inexperiente, atendesse aos interesses liberais.<br />
  16. 16. Governo de D. Pedro II<br />A política no Segundo Reinado foi marcada pela disputa entre o Partido Liberal e o Conservado; Estes dois partidos defendiam quase os mesmos interesses, pois eram elitistas; Neste período o imperador escolhia o presidente do Conselho de Ministros entre os integrantes do partido que possuía maioria na Assembléia Geral; Nas eleições eram comuns as fraudes, compras de votos e até atos violentos para garantir a eleição.<br />
  17. 17. Entre seus primeiros atos de governo, decretou a anistia geral e restabeleceu o conselho de Estado. Neste primeiro período, tentou buscar a pacificação do país, contornando diversas revoltas como a dos Liberais (1842), em Minas Gerais e São Paulo; a Guerra dos Farrapos (1845) e a Insurreição Praieira (1848), em Pernambuco;<br /> Entre 1864 e 1870, quando o país esteve envolvido na guerra contra o Paraguai, chegou a se incorporar ao Exército nacional, durante o período do cerco da cidade de Uruguaiana, e foi até o local do conflito, numa viagem que duraram seis meses.<br />
  18. 18. Durante o seu governo, foram construídas as primeiras linhas telegráficas e a primeira estrada de ferro do país; <br />A imigração estrangeira e a instrução pública também receberam incentivos do imperador, que por diversas vezes foi nomeado árbitro em litígios internacionais. <br />
  19. 19. Guerra do Paraguai<br />Foi a maior guerra que aconteceu na América Latina de todos os tempos. <br />
  20. 20. Países que participaram<br />Paraguai<br />Brasil<br />Argentina<br />Uruguai<br />
  21. 21. A guerra se iniciou devido a ambição de Francisco Solano López, que queria expandir as terras paraguaias.<br />
  22. 22. Formou-se a Tríplice Aliança, que foi uma união de Brasil, Argentina e Uruguai, para bloquear as expansões do Paraguai. Ocorreu sob influência da Inglaterra.<br />Brasil<br />Uruguai<br />Argentina<br />
  23. 23. A guerra acabou depois da morte de Solano López, em que a tropa foi comandada por Conde D’Eu, que era genro de D. Pedro II.<br />Paraguai, que era uma grande influência econômica, acabou sem nada.<br />
  24. 24. Abolicionismo<br />Essa foi a época em que foi decretado o fim da escravidão no Brasil.<br />
  25. 25. Antes do inicio das lutas pelo fim da escravidão, os escravos africanos, eram comprados para trabalhar na, maioria das vezes, em fazendas para cuidar da plantação.<br />
  26. 26. Carta de Alforria<br />Os escravos que conseguissem juntar um boa quantia em dinheiro, podiam comprar a sua liberdade.<br />
  27. 27. Lei do Ventre Livre<br />É também conhecida como “Lei Rio Branco”;<br />Foi uma lei abolicionista, promulgada em 28 de setembro de 1871 (assinada pela Princesa Isabel);<br />Esta lei considerava livre todos os filhos de mulher escravas nascidos a partir da data da lei.<br />
  28. 28. Lei dos Sexagenários<br />Foi promulgada em 28 de setembro de 1885;<br />Os escravos com mais de 60 (mulheres) e 65 anos (homens) eram libertos, mas isso não obrigara aos seus donos pagarem alimento e moradia para eles.<br />
  29. 29. Em 13 de maio de 1888, foi decretada a Lei Áurea, que a princesa Isabel decreta o fim da escravidão.<br />Curiosidade: Apesar do fim da escravidão nesta data, no Nordeste a escravidão já havia acabado.<br />
  30. 30. Imigração Européia<br />Imigração Européia<br />Os primeiros imigrantes a chegarem no Brasil foram os imigrantes europeus, eles foram trazidos para o Brasil por um senador do interior de são Paulo, para trabalhar em sua fazendo.<br />
  31. 31. Eles vieram parar aqui, por meio de um sistema que se chamava, “Sistema de Parceria”.<br />Esse sistema falava que o imigrante dava a metade da colheita para o “patrão” e a outra metade ficavam para eles, o que não era verdade.<br />
  32. 32. Questão Militar<br />A questão militar foi uma sucessão de conflitos entre os militares e a monarquia, que permaneceu até 1867. <br />Os militares eles eram proibidos de discutir assuntos políticos na imprensa, os que o fizeram levar várias sanções. <br />
  33. 33. Questão Religiosa<br />Nenhuma ordem do papa poderia vigorar no Brasil sem antes ter sido aprovado por ele. Mas os bispos de Olinda resolveram seguir ordens do papa Pio IX, punindo os religiosos que apoiavam os maçonismos. Eles receberam o perdão imperial e foram libertados mas o episódio abalou relações entre a igreja e o imperador.<br />
  34. 34. Proclamação da República<br />Movimento político-militar que acaba com o Brasil imperial e instaura no país uma República federativa.<br />Ocorreu no dia 15 de novembro de 1889, no Rio de Janeiro.<br />
  35. 35. Um grupo de militares comandados por Marechal Deodoro da Fonseca, deu um golpe de estado e depôs o imperador D. Pedro II.<br />O movimento do dia 15 de novembro de 1889 não teve nenhuma participação popular. O povo assistiu sem tomar parte a proclamação da republica.<br />
  36. 36. O Golpe<br />D. Pedro II que estava em Petrópolis, retornou ao Rio. Pensando que o objetivo dos revolucionários era substituir o Ministério.<br />
  37. 37. No dia seguinte, o major Frederico Sólon Sampaio Ribeiro entregou a Dom. Pedro II, uma comunicação, certificado a proclamação do novo regime e  sua volta com toda sua família para o exterior.<br />
  38. 38. Exílio da Família Real na Europa<br />
  39. 39. Em certo momento Dom Pedro II entrou em conflito com as forças mais conservadoras da época e que davam sustentação ao império;<br />A Aristocracia Rural, era formada pela Igreja, pelos donos de escravos e pelo exército;<br />
  40. 40. As dificuldades da economia decorrente com os gastos da guerra do Paraguai e da Abolição da Escravatura fizeram com que a aristocracia rural ficasse contra o imperador.<br />
  41. 41. Essas forças que antes o apoiavam passaram a achar que ele já estava velho demais para o poder e que não atenderia rapidamente as necessidades de quem o país precisava. <br />D. Pedro II foi deposto de forma pacífica e sem a participação popular no dia 15 de novembro de 1889,através de um golpe militar comandado por Marechal Deodoro da Fonseca,que seria mais tarde o primeiro presidente republicano brasileiro.<br />
  42. 42. Dom Pedro II aceitou naturalmente o golpe e fez votos de prosperidade ao novo regime;<br />O ex-imperador foi exilado e se mudou inicialmente para França e depois Portugal;<br />Mesmo exilado continuou a contribuir para a cultura nacional através da doação de documentos pessoais e obras de arte;<br />De 1890 até sua morte viveu nas cidades de Nice e Paris.<br />
  43. 43. Morte de D. Pedro II<br />Pedro segundo morreu na madrugada do dia 5 de dezembro de 1891 em virtude de uma pneumonia,mas ele já tinha diabetes,e só veio a agravar a situação. Suas ultimas palavras foram:<br />“Deus que me conceda esses últimos desejos,paz e prosperidade para o Brasil ”.<br />
  44. 44. Seu corpo foi depositado no panteão dos Braganças em 12 de dezembro,junto com o de sua madrasta Amélia e o de sua mulher Tereza Cristina;<br />Em todos os lugares em que seu caixão passou recebeu homenagens, tanto na França, Espanha e Portugal. Mas sempre com a exceção do governo republicano brasileiro;<br />Em 1920 foi revogada a lei que proibia até mesmo que seus restos mortais fossem trazidos de volta para o Brasil.<br />
  45. 45. O Corpo de Dom Pedro II ficou inicialmente da Catedral do Rio de janeiro até o termino da construção da Catedral de Petrópolis;<br />Seu enterro definitivo só ocorreu no dia 5 de dezembro de 1939, onde milhares de pessoas assistiram e se emocionavam, já que não se separavam monárquicos e republicanos, eram todos uma só nação.<br />
  46. 46. O Ditador Getúlio Vargas utilizou essa oportunidade para ganhar a popularidade do povo e conseguir mais eleitores,já que inaugurou a capela mortuária da Catedral de Petrópolis,onde os restos mortais de Pedro II e de sua mulher foram depositados e se encontram nesse local até hoje. <br />Restos mortais de D. Pedro II e de sua esposa Dª Tereza Cristina.<br />
  47. 47. Renato Pacheco – Grupo 5 – Turma 2º M 1<br />Bianca Passon(Biografia e Golpe da Maioridade);<br />ThammyJavarini(Governo de D. Pedro II);<br />Dayala de Oliveira (A Guerra do Paraguai e o Abolicionismo no Seg. Reinado);<br />Ana Paula Azevedo (A imigração européia e Questão religiosa e militar);<br />Barbara Silva (Proclamação da República);<br />Ransmuler M. (O Exílio da Família Real na Europa).<br />

×