Metodos Químicos

51.362 visualizações

Publicada em

5 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
51.362
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.894
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
531
Comentários
5
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metodos Químicos

  1. 1. Métodos contraceptivos ou químicos hormonais
  2. 2. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Os métodos contraceptivos químicos ou hormonais têm como objectivo evitar o surgimento de uma gravidez, utilizando, para isso, dispositivos ou medicamentos constituídos por hormonas que vão actuar ao nível dos ovários e do útero. </li></ul>
  3. 3. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Existem diferentes tipos de métodos químicos ou hormonais, nomeadamente: </li></ul><ul><li>  Pílula </li></ul><ul><li> Pílula do dia seguinte </li></ul><ul><li> Espermicidas </li></ul><ul><li> SIU </li></ul><ul><li> Injecções hormonais </li></ul><ul><li> Implante </li></ul><ul><li> Adesivo contraceptivo </li></ul><ul><li> Anel vaginal </li></ul>
  4. 4. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Pílula: </li></ul><ul><li>Existem dois tipos de pílula, a pílula combinada e a mini pílula. </li></ul><ul><li>Pílula combinada </li></ul><ul><li>É constituída por comprimidos que contêm hormonas de composição semelhante às hormonas ováricas, progesterona e estrogénio. </li></ul><ul><li>A pílula impede a ovulação, aumenta a espessura do muco do colo do útero e diminui a espessura do endométrio. </li></ul>
  5. 5. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Alta eficácia (cerca de 98,5%), sendo a pílula combinada um pouco mais eficaz que a mini pílula. </li></ul><ul><li>- Pode ser utilizada durante vários anos, desde que sob supervisão médica. </li></ul><ul><li>- Quando suspenso o uso da pílula, os ovários, em geral, voltam ao seu desenvolvimento normal. </li></ul><ul><li>- Regula o ciclo menstrual, diminui o fluxo menstrual e alivia as dores menstruais. </li></ul><ul><li>- Reduz o risco de formação de quistos ováricos. </li></ul><ul><li>- Previne o cancro do endométrio e dos ovários. </li></ul><ul><li>- Reduz os riscos de desenvolvimento de tumores malignos no útero e de incidência de doença mamária maligna. </li></ul><ul><li>- Diminui o risco de anemia por deficiência de ferro. </li></ul>
  6. 6. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Tem de ser tomada todos os dias, no mesmo horário e a sua má administração pode lavar ao aparecimento de uma gravidez. </li></ul><ul><li>- Não é aconselhável a mulheres com mais de 35 anos e fumadoras. </li></ul><ul><li>- Não é aconselhável para mulheres com alguns problemas relacionados sobretudo com o sistema circulatório. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul><ul><li>- Alguns efeitos secundários, como o aumento de peso, vómitos e náuseas. </li></ul>
  7. 7. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Pílula do dia seguinte: </li></ul><ul><li>É constituída por dois comprimidos que evitam o início de uma gravidez, uma vez que previnem a fecundação e impedem a nidação de um óvulo fertilizado. </li></ul><ul><li>São administrados por via oral dois comprimidos com uma grande dose de hormonas. A sua eficácia é tanto maior quanto mais próxima seja a sua toma do momento em que ocorreu a relação. A primeira dose deve ser administrada até 72 horas após a relação desprotegida e a segunda deve ser tomada entre 12 a 24 horas após o primeiro. </li></ul>
  8. 8. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Método de alta eficácia, quando administrado correctamente. </li></ul><ul><li>- Evita uma gravidez não desejada depois de uma relação não protegida. </li></ul><ul><li>- Fácil administração. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Após 72 horas do coito, perde a sua eficácia. </li></ul><ul><ul><li>- Os comprimidos possuem uma grande dose de hormonas e só devem ser utilizados em caso de emergência. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Causa vários efeitos secundários, geralmente vómitos, dor de cabeça, tonturas, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Irregularidades na menstruação. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Alguns antibióticos podem reduzir a sua eficácia. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul></ul>
  9. 9. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Espermicidas: </li></ul><ul><li>São constituídos por substâncias químicas que provocam a destruição da membrana dos espermatozóides, impedindo a fecundação. Os espermicidas podem ser apresentados de várias formas, sendo algumas delas, em cremes, espumas, geleias, sprays, comprimidos, entre outros. Existem preservativos lubrificados que já contém espermicidas. </li></ul>
  10. 10. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Não interfere no ciclo menstrual. </li></ul><ul><li>- Ausência de efeitos indesejáveis relacionados com a administração de hormonas. </li></ul><ul><li>- Quando utilizados com outros métodos (preservativo ou diafragma), a sua eficácia aumenta. </li></ul>
  11. 11. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><ul><li>Podem causar alergias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Têm uma baixa eficácia quando não utilizados juntamente com outros métodos (cerca de 20%). </li></ul></ul><ul><ul><li>Reduzida protecção contra a DST. </li></ul></ul><ul><ul><li>Interferência na relação sexual, uma vez que tem de ser aplicados cerca de 10 minutos antes do acto sexual. </li></ul></ul><ul><ul><li>Corrimento desagradável que aparece nas mulheres quando os espermicidas se dissolvem. </li></ul></ul>
  12. 12. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>SIU: </li></ul><ul><li>O SIU é um sistema intra-uterino, em forma de T e constituído por plástico, colocado no útero, onde este liberta uma hormona de composição semelhante à progesterona, o progestativo. </li></ul>
  13. 13. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>O SIU é colocado no útero por um médico especializado. Se for introduzido nos primeiros 7 dias de um ciclo de 28 dias, o SIU começa imediatamente a actuar. O SIU tem uma eficácia de cerca de 5 anos, sendo depois disso retirado e substituído por outro. </li></ul>
  14. 14. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><ul><ul><li>Tem uma elevada percentagem de eficácia. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>É possível retirar-se a qualquer altura. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não interfere na relação sexual. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não necessita de cuidados especiais. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Só precisa de ser mudado a cada 5 anos. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Menstruações mais leves. </li></ul></ul></ul>
  15. 15. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Só se deve utilizar caso já se tenha engravidado. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul><ul><li>- Não é recomendado a mulheres que tenham sofrido de DIP (doença inflamatória da pélvis). </li></ul><ul><li>- Pode levar a irregularidades na menstruação ou mesmo à sua ausência (amenorreia). </li></ul><ul><li>- Pode levar ao aparecimento de quistos ováricos. </li></ul>
  16. 16. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Injecções hormonais: </li></ul><ul><li>São constituídas por hormonas que são libertadas gradualmente e tem um efeito de, geralmente, 3 meses. Estas impedem a ovulação, aumentam a espessura do muco do colo do útero e diminuem a espessura do endométrio de modo a impedir a nidação. </li></ul><ul><li>É administrada por um médico, geralmente, de 3 em 3 meses por via intramuscular, normalmente nas nádegas ou nos braços. </li></ul>
  17. 17. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Se for administrada nos primeiros 5 dias da menstruação, é eficaz de imediato. </li></ul><ul><li>- Muito eficaz (cerca de 98.5%). </li></ul><ul><li>- Não interfere nas relações sexuais. </li></ul><ul><li>- Duração relativamente prolongada. </li></ul><ul><li>- Seguro depois do parto e durante a amamentação. </li></ul><ul><li>- Não são necessários cuidados diários. </li></ul>
  18. 18. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>-A fertilidade só volta depois de 6 a 24 meses depois da última injecção. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul><ul><li>- Não deve ser administrado a mulheres com mais de 35 anos e fumadoras. </li></ul><ul><li>- Irregularidades na menstruação e após várias utilizações, pode levar à sua ausência. </li></ul><ul><li>- Caso a quantidade de hormonas seja muito elevada, pode provocar o aumento da circulação sanguínea. </li></ul>
  19. 19. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Implante: </li></ul><ul><li>Consiste numa pequena vareta do tamanho de um fósforo que é colocado ao nível subcutâneo, geralmente, no braço. Liberta hormonas progestativas que impedem a ovulação, levam ao aumento da espessura do muco do colo do útero e diminui a espessura do endométrio. O seu efeito dura 3 anos. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>O implante é colocado no lado interno da parte superior do braço por um médico, com anestesia local. Para ser eficaz no primeiro mês de uso, terá de ser colocado nos primeiros 5 dias da menstruação. </li></ul>
  21. 21. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Duração de 3 anos. </li></ul><ul><li>- Não interfere com as relações sexuais. </li></ul><ul><li>- A fertilidade volta assim que é feita a sua remoção. </li></ul><ul><li>- Prático e indolor. </li></ul><ul><li>- Pode ser usado depois do parto e durante a amamentação. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Alterações menstruais. </li></ul><ul><li>- Necessita de ser colocado e retirado por um médico. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul><ul><li>- Elevado custo. </li></ul>
  22. 22. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Adesivo contraceptivo: </li></ul><ul><li>É um adesivo que liberta hormonas através da pele para a corrente sanguínea e que impede a ovulação. Verifica-se também o aumento da espessura do muco do colo do útero e torna o endométrio pouco espesso. Tem um efeito e uma eficácia idêntica à da pílula. </li></ul><ul><li>É aplicado na pele, podendo ser usado nas nádegas, no abdómen, no dorso superior e no antebraço. Coloca-se durante 3 semanas consecutivas, e sendo a sua duração de 1 semana, tem de ser mudado a cada semana, descansando-se depois na quarta semana, na qual aparecerá a menstruação. O adesivo deve ser sempre substituído no mesmo dia da semana. </li></ul>
  23. 23. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Grande eficácia (cerca de 98.5%) </li></ul><ul><li>- Não necessita ser administrado diariamente. </li></ul><ul><li>- Fácil utilização. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Exige algum controlo em termos do tempo que se utiliza. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul>
  24. 24. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Anel vaginal: </li></ul><ul><li>É um anel de plástico flexível que é colocado na vagina e liberta uma pequena dose de progesterona e estrogénio durante cerca de 21 dias. </li></ul>
  25. 25. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>É colocado pela mulher sem ser necessário um médico. A mulher pode colocá-lo na posição que achar conveniente, introduzindo-o na vagina e empurrando-o com o dedo até deixar de o sentir. </li></ul>
  26. 26. Métodos químicos ou hormonais <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>- Fácil utilização. </li></ul><ul><li>- Grande eficácia. </li></ul><ul><li>- Poucos efeitos secundários, devido à utilização de doses pouco elevadas. </li></ul><ul><li>- Não requer a toma diária, como a pílula. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Irregularidades na menstruação. </li></ul><ul><li>- Não protege contra as DST. </li></ul><ul><li>- Via vaginal, o que pode ser desconfortável para algumas mulheres. </li></ul>

×