Um povo.         "Nós, brasileiros, somos                um povo em ser, impedidoUma cultura?    de sê-lo. Um povo mestiço...
Do ponto de vista cultural:•Os índios brasileiros já participavam de uma grandediversidade de naç õ com línguas e costumes...
Sociedades Indígenas Importância do território Posse da terra Noção de trabalho Escassez dos recursos Rituais
Posse da terra   Sendo um recurso natural vinculado à    vida social como um todo, a terra não é    e não pode ser objeto...
   Para     as      sociedades    indígenas a terra é muito    mais importante do que    simples        meio      de    s...
A escassez social de recursos   Mesmos        limitadas e   encravadas    territorialmente como estão hoje as    muitas  ...
Noção de Trabalho Nas sociedades indígenas não existe a  dicotomia entre trabalho x laser, o que  de fato existe é um sim...
   A sentença bíblica de viver à custa do trabalho foi    pronunciada contra nós. Escassez é a sentença    decretada por ...
O território na cultura Considerações de ordem social, ritual  ou religiosa pesam igualmente na  importância que o territ...
Música
Contexto HistóricoAo longo de mais de trezentos anos (1559-1888),  os escravos negros foram responsáveis pela  produção de...
Os escravos capturados na África eram      provenientes de várias situações: poderiam ser prisioneiros de guerra; puniçã...
A Escravidão Negra Africana          O tráfico de escravos foi,           durante séculos, uma           das atividades ma...
O Comércio de Escravos NegrosNa África, os escravos eram adquiridos por traficantes a preços baixos e revendido a preços a...
Origem dos Escravos NegrosA maioria dos africanos trazidos à colônia  portuguesa como escravos pertencia a  dois grandes g...
Resistência e PuniçõesA saudade da terra natal (banzo) e o descontentamento com as condições de vidas impostas eram a prin...
Os QuilombosGrande parte do escravos negros fugitivos reuniram-  se em comunidades chamadas de quilombos. A  maior parte d...
O Movimento AbolicionistaEvolução das leisLei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico  de escravos no Brasil;Lei do ...
Cronologia da abolição da escravidão na América    Saint Domingue (Haiti)                 1804    Chile                   ...
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cultura brasileira lúcio

1.068 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura brasileira lúcio

  1. 1. Um povo. "Nós, brasileiros, somos um povo em ser, impedidoUma cultura? de sê-lo. Um povo mestiço na carne e no espírito, já que aqui a mestiçagem jamais foi crime ou pecado. Nela fomos feitos e ainda continuamos nos fazendo. Essa massa de nativos viveu por séculos sem consciência de si... Assim foi até se definir como uma nova identidade étnico- nacional, a de brasileiros...“ Darcy Ribeiro, em O Povo Brasileiro
  2. 2. Do ponto de vista cultural:•Os índios brasileiros já participavam de uma grandediversidade de naç õ com línguas e costumes distintos es,•Os portugueses trouxeram para o Brasil sé culos de integraç ãogené tica e cultural de povos europeus, como os celtas e oslusitanos. Embora os portugueses sejam basicamente umapopulaç ã europé ia, traziam o legado de sé culos de oconvivê ncia com mouros do norte da Á frica e com judeus.•Os escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a umadiversidade de etnias e naç õ A maior parte eram originá es. riosde Angola, Congo e Moç ambique. Em alguns lugares, poré m,predominaram africanos da Nigé ria e Daomé
  3. 3. Sociedades Indígenas Importância do território Posse da terra Noção de trabalho Escassez dos recursos Rituais
  4. 4. Posse da terra Sendo um recurso natural vinculado à vida social como um todo, a terra não é e não pode ser objeto de propriedade individual. De fato, a noção de propriedade privada da terra não existe nas sociedades indígenas.
  5. 5.  Para as sociedades indígenas a terra é muito mais importante do que simples meio de subsistência. Ela representa o suporte da vida social e está diretamente ligada ao sistema de crenças e conhecimento. Não é apenas um recurso natural mas – é tão importante quanto este – um recurso sociocultural.
  6. 6. A escassez social de recursos Mesmos limitadas e encravadas territorialmente como estão hoje as muitas sociedades indígenas do continente sul-americano, elas ainda mantêm, basicamente, a mesma relação com a terra e o meio ambiente que tinham antes das restrições que lhes têm sido impostas pelos Estados- nações que as envolvem.
  7. 7. Noção de Trabalho Nas sociedades indígenas não existe a dicotomia entre trabalho x laser, o que de fato existe é um simbiose entre ambos. Ao mesmo tempo que um índio desempenha uma tarefa “laborativa” existe um alto grau de identificação com as coisas criadas por ele, como sendo “fruto de seu trabalho”. Trabalho é “produtivo” (conceito de Marx)
  8. 8.  A sentença bíblica de viver à custa do trabalho foi pronunciada contra nós. Escassez é a sentença decretada por nossa economia – e é também o axioma de nossa ciência econômica: a aplicação de meios escassos contra fins alternativos, conforme as circunstâncias, para tirar a maior satisfação possível. E é precisamente a partir dessa vantagem que voltamos o olhar para os [povos] caçadores. Mas, se o homem moderno, com todas as suas vantagens tecnológicas, ainda não conseguiu os meios, que chance possui esse selvagem desprotegido, com seu insignificante arco e flecha? Tendo equipado o caçador com impulsos burgueses e ferramentas paleolíticas, julgamos sua situação desesperadora (Sahlins 1978:10).15
  9. 9. O território na cultura Considerações de ordem social, ritual ou religiosa pesam igualmente na importância que o território tem para as populações indígenas. Casamento (exogâmico e endogâmico). Nome das “crianças”. Rituais de “passagem”. A arte da guerra.
  10. 10. Música
  11. 11. Contexto HistóricoAo longo de mais de trezentos anos (1559-1888), os escravos negros foram responsáveis pela produção de boa parte das riquezas no Brasil, no qual milhões de africanos foram tirados de suas terras para uma viagem na qual aproximadamente a metade morria de fome, doenças e maus-tratos, ou, já em terras americanas.
  12. 12. Os escravos capturados na África eram provenientes de várias situações: poderiam ser prisioneiros de guerra; punição para indivíduos condenados por roubo, assassinato, feitiçaria ou adultério; indivíduos penhorados como garantia de pagamento de dívidas; raptos em pequenas vilas ou mesmo troca de um membro da comunidade por alimentos;
  13. 13. A Escravidão Negra Africana O tráfico de escravos foi, durante séculos, uma das atividades mais lucrativas do comércio internacional, com a África sendo duramente disputadas pelas principais potências da Europa.
  14. 14. O Comércio de Escravos NegrosNa África, os escravos eram adquiridos por traficantes a preços baixos e revendido a preços altos na América. Muitas vezes, o açúcar, o tabaco, a aguardente e outros produtos serviam de moeda de troca. Quando chegavam à América portuguesa, os escravos eram colocados à venda em mercados. Ficavam a mostra em exposição sendo tratados como mercadorias.
  15. 15. Origem dos Escravos NegrosA maioria dos africanos trazidos à colônia portuguesa como escravos pertencia a dois grandes grupos étnicos: os bantos, originários de Angola, Moçambique e Congo, e que se tornaram mais numerosos no centro-sul e no Nordeste; e os sudaneses, provenientes da Guiné, da Nigéria e da Costa do Ouro, e que foram levados principalmente para a região da Bahia.
  16. 16. Resistência e PuniçõesA saudade da terra natal (banzo) e o descontentamento com as condições de vidas impostas eram a principal razão das fugas, revoltas e até mesmo dos suicídio dos escravos. A ―rebeldia era punida pelos feitores com torturas que variavam entre chicotadas, privação de alimento e bebida e o ―tronco. Durante essas punições, os negros tinham seus ferimentos salgados para provocar mais dor.
  17. 17. Os QuilombosGrande parte do escravos negros fugitivos reuniram- se em comunidades chamadas de quilombos. A maior parte dos quilombos organizaram-se no Nordeste (Sergipe, Alagoas e Bahia). Os habitantes do quilombos eram chamados de quilombolas.Dentre os quilombos mais conhecidos, destacam-se os da Serra da Barriga, região situada entre os atuais estados de Alagoas e Pernambuco. Eram cerca de dez quilombos, unidos sob o nome de Palmares, que resistiram durante quase todo o século XVII aos ataques do governo e dos senhores de escravos. Palmares chegou a ter entre 20 mil e 30 mil habitantes e seu líder mais importante foi Zumbi.
  18. 18. O Movimento AbolicionistaEvolução das leisLei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de escravos no Brasil;Lei do Ventre Livre (1871) – Determinava que os filhos de mulher escrava nascidos a partir daquela data seriam livres, mas continuariam na condição de propriedade do senhor até os 21 anos de idade;Lei do Sexagenário (1885) – Declarava livres os escravos com mais de 65 anos de idade;Lei Áurea (1888) – Declarava extinta a escravidão no Brasil.
  19. 19. Cronologia da abolição da escravidão na América Saint Domingue (Haiti) 1804 Chile 1823 Províncias Unidas da América Central 1824 México 1829 Uruguai 1842 Colônias suecas 1847 Colônias dinamarquesas 1848 Colônias francesas 1848 Bolívia 1851 Colômbia 1851 Equador 1852 Argentina 1853 Venezuela 1854 Peru 1855 Colônias holandesas 1863 Estados Unidos 1863 Porto Rico 1873 Cuba 1886 Brasil 1888

×