1.00
SEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVOSOSOSOSOSOSOS
BEM DEFINIDOS,BEM DEFINID...
3.00
OBJETIVOBJETIVOBJETIVOBJETIVOBJETIVODODODODODAAAAACAPCAPCAPCAPCAPAAAAACITCITCITCITCITAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOTÉCNICAETÉCN...
4.00
ÍNDICE
Página
I. INTRODUÇÃO ............................................................................................
5.00
11 – Benchmarking ......................................................................................................
7.00
Em razão do Sistema de Validação
(SIVALI - PP) que manterá este documento
permanentemente atualizado, o presente
exem...
8.00
I. INTRODUÇÃO
1. FINALIDADE
Este Programa-Padrão destina-se a regular a capacitação técnica
dos gerentes, padronizand...
9.00
d. As unidades aéreas isoladas poderão adequar o seu período
de instrução, conforme as recomendações do G Cmdo a que ...
10.00
Os quadros a seguir indicam o número
das matérias que constam deste Programa-
Padrão de Treinamento, bem como a
dist...
11.00
MUMOCOÃÇURTSNI
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
/OÃÇUCEXE
SÊM
LATOT
acincéTotnemucoD.1 sacincétseõçatnemucoDeseõçacilbuP.1
...
12.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
/OÃÇUCEXE
SÊM
LATOT
adocitáTogerpmE.7
oticréxEodoãçaivA
xEvAdqsEodogerpmE.1 71-TI10/41 0.1...
13.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
/OÃÇUCEXE
SÊM
LATOT
rotomobruTopurG.01 oãçaeraserotomsodotnemanoicnuF.1 33-TI11/41 0.1 21/...
14.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
/OÃÇUCEXE
SÊM
LATOT
-umocoidaRedametsiS.01
seõçacin
-CRAFHU/Vrossimsnart/rotpeceroidáR.3
2...
15.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
/OÃÇUCEXE
SÊM
LATOT
odroBedsotnemurtsnI.41
rotomodsotnemurtsnI.3
25-TI11/41 0.1 21/1 0.1
3...
16.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
OÃÇUCEXE
SÊM/
LATOT
oôVmesacitárP.71
socinôivaedeuqehC.5 07-PI21/41 0.1 6/1 0.2
enapedasiu...
17.00
AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH
OÃÇUCEXE
SÊM/
LATOT
-etaMedotnemaicnereG.11
oãçaivAedlair
ocitáuqaetropsnarT.4
44-TI31/41 ...
18.00
III. PROPOSTA PARA DISTRIBUIÇÃO DO TEMPO
1. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO1. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ...
19.00
2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE T...
20.00
IV. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO COMUM
AAA seguirseguirseguir, são apresent, são apresent, são apresentadas, emadas, emadas...
21.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
22.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
23.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
24.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
25.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
26.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
27.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
28.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
29.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
30.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
31.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
32.00
VVV. MA. MA. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO
PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAARA GER...
33.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
34.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
35.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
36.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
37.00
VI. MAVI. MAVI. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO
PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAARA ...
38.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
39.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
40.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
41.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
42.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
43.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
44.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
45.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
46.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
47.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
48.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
49.00
VII. MAVII. MAVII. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO
PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAA...
50.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
51.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
52.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
53.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
54.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
55.00
OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO
SUGESTÕES PARA
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES, DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS E ADMINISTRATIVO PPT AV AvEx 2

659 visualizações

Publicada em

CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES, DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS E ADMINISTRATIVO PPT AV AvEx 2

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
659
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES, DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS E ADMINISTRATIVO PPT AV AvEx 2

  1. 1. 1.00 SEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVSEM OBJETIVOSOSOSOSOSOSOS BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS,BEM DEFINIDOS, SOMENTE PORSOMENTE PORSOMENTE PORSOMENTE PORSOMENTE PORSOMENTE PORSOMENTE POR AAAAAAACASOCASOCASOCASOCASOCASOCASO,,,,,,, CHEGAREMOS ACHEGAREMOS ACHEGAREMOS ACHEGAREMOS ACHEGAREMOS ACHEGAREMOS ACHEGAREMOS A ALALALALALALALGUM LGUM LGUM LGUM LGUM LGUM LGUM LUGARUGARUGARUGARUGARUGARUGAR PPT Av Ex 1 APACITAÇÃO TÉCNICA DO PILOTO 1ª Edição (2004) - Aprovada pela Portaria nº 074 - EME de 08 Julho de 2005 PPT-AV EX/2 - CAPACITAÇÃO TÉCNICA DO GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES, DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS EADMINISTRATIVO
  2. 2. 3.00 OBJETIVOBJETIVOBJETIVOBJETIVOBJETIVODODODODODAAAAACAPCAPCAPCAPCAPAAAAACITCITCITCITCITAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOTÉCNICAETÉCNICAETÉCNICAETÉCNICAETÉCNICAETÁTICADOEFETIVTÁTICADOEFETIVTÁTICADOEFETIVTÁTICADOEFETIVTÁTICADOEFETIVOOOOO PROFISSIONALPROFISSIONALPROFISSIONALPROFISSIONALPROFISSIONAL APERFEIÇOAR E MANTER ELEVADOS OS PADRÕES INDIVIDUAIS DO EFETIVO PROFISSIONAL FASE DE CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICADO EFETIVO PROFISSIONAL (CTTEP)
  3. 3. 4.00 ÍNDICE Página I. INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................................................................. 7.00 01. Finalidade............................................................................................................................................................................................... 8.00 02. Objetivos da Fase................................................................................................................................................................................... 8.00 03. Conceitos ............................................................................................................................................................................................... 8.00 04. Desenvolvimento de Instrução ................................................................................................................................................................. 8.00 05. Validação do PPT-Av Ex/2 ...................................................................................................................................................................... 9.00 06. Estruturação do PPT-Av Ex/2 .................................................................................................................................................................. 9.00 07. Normas Complementares ....................................................................................................................................................................... 9.00 II. QUADRO GERAL DE CARGAS HORÁRIAS ............................................................................................................................................ 10.00 01. Instrução Comum .................................................................................................................................................................................. 11.00 02. Instrução Peculiar.................................................................................................................................................................................. 13.00 III. PROPOSTA PARA DISTRIBUIÇÃO DO TEMPO. ..................................................................................................................................... 18.00 IV. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO COMUM. .................................................................................................................................................... 20.00 01 – Documentação Técnica ...................................................................................................................................................................... 21.00 02 – Segurança de Vôo .............................................................................................................................................................................. 22.00 03 – Sobrevivência ..................................................................................................................................................................................... 23.00 04 – Segurança do Trabalho ....................................................................................................................................................................... 24.00 05 – Atividades Aéreas............................................................................................................................................................................... 25.00 06 – Medicina de Aviação .......................................................................................................................................................................... 26.00 07 – Emprego Tático da Aviação do Exército ............................................................................................................................................. 27.00 08 – Gerenciamento de Manutenção .......................................................................................................................................................... 28.00 09 – Sistemas das Aeronaves .................................................................................................................................................................... 31.00 V. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO PECULIAR PARA GERENTE DE MANUTENÇÃO. .................................................................................. 32.00 10 – Grupo Turbomotor ............................................................................................................................................................................... 33.00
  4. 4. 5.00 11 – Benchmarking ..................................................................................................................................................................................... 34.00 12 – Práticas em Vôo ................................................................................................................................................................................. 35.00 VI. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO PECULIAR PARA GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS........................................................ 37.00 10 – Sistemas de Radiocomunicações....................................................................................................................................................... 38.00 11 – Sistemas de Radionavegação ............................................................................................................................................................ 39.00 12 – Sistemas de Radar ............................................................................................................................................................................. 40.00 13 – Sistema de Estabilização e Controle Automático de Vôo.................................................................................................................... 41.00 14 – Instrumentos de Bordo ........................................................................................................................................................................ 42.00 15 – Sistema Elétrico ................................................................................................................................................................................. 45.00 16 – Equipamentos Diversos ...................................................................................................................................................................... 46.00 17 – Práticas em Vôo ................................................................................................................................................................................. 47.00 VII. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO PECULIAR PARA GERENTE ADMINISTRATIVO. .................................................................................. 49.00 10 – Gerenciamento de Material deAviação .............................................................................................................................................. 50.00 11 – Transporte Militar ................................................................................................................................................................................ 51.00 12 – Práticas em Vôo ................................................................................................................................................................................. 55.00
  5. 5. 7.00 Em razão do Sistema de Validação (SIVALI - PP) que manterá este documento permanentemente atualizado, o presente exemplar deverá ser distribuído com vinculação funcional e mantido sob controle da OM, responsável pela execução da instrução. As páginas que se seguem contém uma série de informações, cuja leitora é considerada insdispensável aos usuários do presente Programa-Padrão de Treinamento. I. INTRODUÇÃO
  6. 6. 8.00 I. INTRODUÇÃO 1. FINALIDADE Este Programa-Padrão destina-se a regular a capacitação técnica dos gerentes, padronizando o treinamento e a instrução necessários à atualização dos seus conhecimentos técnicos e à manutenção de suas habilitações técnicas. 2. OBJETIVOS DA FASE a.Aprimorar e manter elevados os padrões técnicos individuais dos Gerentes de Manutenção de Aeronaves (GMN), de Manutenção de Aviônicos (GMA) eAdministrativo (GAM). b. Realizar a revisão e a atualização dos conhecimentos técnicos e o desenvolvimento de habilitações técnicas indispensáveis ao exercício de funções específicas. 3. CONCEITOS Conceituam-se abaixo alguns termos específicos utilizados neste programa: a. Habilitação Técnica De acordo com o PPB/1 (Planejamento, Execução e Controle da Instrução Militar), Habilitação Técnica (HT) corresponde a conhecimentos e habilidades indispensáveis ao manuseio de materiais bélicos e à operação de equipamentos militares. Na Aviação do Exército, é utilizada para designar determinado manuseio de materiais bélicos e operação de equipamentos militares que o aeronavegante ou qualquer outro especialista na área de aviação deve estar habilitado a executar, de acordo com sua qualificação e exigências da função exercida. b.Atualização de Conhecimento De acordo com o PPB/1 (Planejamento, Execução e Controle da Instrução Militar), Aquisição de Conhecimento deve ser entendida como a assimilação de conceitos, idéias e dados, necessários à formação do militar. NaAviação do Exército, é utilizado o conceito deAtualização de Conhecimentos (AC) para designar a revisão e a atualização de conceitos, idéias, práticas e dados necessários e essenciais para o desempenho de funções específicas. c.Aeronavegante Militar com curso na área de aviação. d. Gerente Pode ser classificado, de acordo com suas qualificações, em: 1) Gerente de Manutenção deAeronaves (GMN) É o oficial possuidor do Curso Gerência de Manutenção de Aeronaves que está habilitado a ocupar cargos e exercer funções ligadas à gerência de manutenção de aeronaves. 2) Gerente de Manutenção deAviônicos (GMA) É o oficial possuidor do Curso Gerência de Manutenção de Aviônicos que está habilitado a ocupar cargos e exercer funções ligadas à gerência de manutenção de aviônicos. 3) GerenteAdministrativo (GAM) É o oficial possuidor do Curso de GerênciaAdministrativa que está habilitado a ocupar cargos e exercer funções ligadas ao suprimento e transporte por meios aéreos e à administração financeira e de material, específicas das Unidades e GU de Aviação do Exército. 4. DESENVOLVIMENTO DA INSTRUÇÃO a. A instrução para os gerentes deverá ser desenvolvida continuamente, subordinando o planejamento da matéria ou do assunto às diretrizes do comando e à validade de cada Atualização de Conhecimento (AC) ou Habilitação Técnica (HT). b. O PPT-Av Ex/2 está dividido em 4 (quatro) partes: uma comum e três peculiares, possuindo instruções teóricas e práticas. c. A instrução dos gerentes desenvolver-se-áá durante o período de 1º Jan a 31 Dez.
  7. 7. 9.00 d. As unidades aéreas isoladas poderão adequar o seu período de instrução, conforme as recomendações do G Cmdo a que estão subordinadas. e. As instruções para os gerentes poderão ser centralizadas no B Mnt Sup Av Ex, visando a padronização e, também, a otimização dos meios, exceção feita aos gerentes das U Ae sediadas fora de Taubaté, os quais participarão das instruções nas suas OM. f. O controle do cumprimento dos OII previstos neste PP, com exceção dos constantes da letra “g” a seguir, será a cargo das 3ª Seções do B Mnt SupAv Ex, quando houver a centralização prevista na letra “e”, e das U Ae sediadas fora de Taubaté. g. O controle do cumprimento dos OII previstos na matéria “práticas em vôo” será a cargo das 3ª Seções das U Ae dos respectivos militares, incluindo os “asas”. 5. VALIDAÇÃO DO PPT-Av Ex/2 Conforme prescrito no PPB/1 e SIVALI/PP. 6. ESTRUTURAÇÃO DO PPT-Av Ex/2 a. O presente PP está estruturado em matérias, assuntos e objetivos individuais de instrução (OII). A cada matéria corresponde um grupo de assuntos e a cada assunto, 01 (um) ou mais OII. b. Os OII estão numerados dentro da seguinte orientação 1) Campos: A/BC-D a) Campo alfanumérico A: 14 - Aviação do Exército b) Campo numérico B: 10 – OII comum para todos os gerentes 11 – OII específico para os GMN 12 – OII específico para os GMA 13 – OII específico para os GAM c) Campo alfabético C: IT – instrução teórica; IP – instrução prática. d) Campo numérico D: “n” - seqüência numérica que referencia os OII. 2) Exemplo 14/11IT-09 14 - Aviação do Exército 11 - OII específico para o Ger MntAnvGMN IT - instrução teórica 09 - OII numérico 09. 7. NORMAS COMPLEMENTARES. a. Briefing e debriefing É obrigatória a realização de briefing e debriefing em horário regulado em PDV, quando se tratar de instrução prática envolvendo atividade de vôo. b. Siglas e abreviaturas específicas utilizadas neste programa: 1) ETAvEx - Emprego Tático da Aviação do Exército. 2) ICA- Catálogo Ilustrado deAprovisionamento. 3) ICO - Catálogo Ilustrado de Ferramentas. 4) IPC - Catálogo Ilustrado de Peças. 5) MEM - Manual de Motor. 6) MET - Manual de Manutenção. 7) MTC - Manual de Técnicas Correntes. 8) PRE - Programa Recomendado de Manutenção. 9) SBT - Manual de Boletim de Serviço. 10) TSO - Tempo desde “OVERHALL”.
  8. 8. 10.00 Os quadros a seguir indicam o número das matérias que constam deste Programa- Padrão de Treinamento, bem como a distribuição do tempo e a distribuição por matéria. II. QUADRO GERAL DE CARGA HORÁRIA
  9. 9. 11.00 MUMOCOÃÇURTSNI AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT acincéTotnemucoD.1 sacincétseõçatnemucoDeseõçacilbuP.1 10-TI10/41 5.0 21/1 5.0 20-TI10/41 5.0 6/1 0.1 30-PI10/41 5.0 21/1 5..0 oôVedaçnarugeS.2 edoãçneverpedametsisodaifosoliF.1 socituánoreasetnedica 40-TI10/41 5.0 21/1 5.0 ogirepedoirótaleR.2 50-TI10/41 5.0 21/1 5.0 )AEP(acituánoreAaicnêgremEedonalP.3 60-TI10/41 0.1 21/1 0.1 aicnêviverboS.3 evanoeaedepacseedsacincéT.1 asrembus 70-PI10/41 0.1 42/1 - ohlabarTodaçnarugeS.4 )IPE(laudividnIoãçetorPedotnemapiuqE.1 80-TI10/41 0.1 21/1 0.1 socimíuqotudrP.2 90-TI10/41 0.1 6/1 0.2 oidnêcniaetabmoceoãçneverP.3 01-TI10/41 0.1 21/1 0.1 saeréAsedadivitA.5 aigoloroeteM.1 11-TI10/41 0.1 21/1 0.1 oeréaogefártedoçivreS.2 21-TI10/41 5.0 21/1 5.0 31-TI10/41 5.0 21/1 5.0 ETodanretniaigoloesarF.3 41-TI10/41 0.1 21/1 0.1 51-PI10/41 5.0 21/1 5.0 oãçaivAedanicideM.6 oãçaivaedanicideM.1 61-TI10/41 0.1 21/1 0.1 71-TI20/41 0.1 21/1 0.1
  10. 10. 12.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT adocitáTogerpmE.7 oticréxEodoãçaivA xEvAdqsEodogerpmE.1 71-TI10/41 0.1 21/1 0.1 meoãçaivaedocitsígoloiopA.2 ahnapmac 81-TI10/41 0.1 21/1 0.1 edotnemaicnereG.8 oãçnetunaM sadsedadicidoirepesopiT.1 seõçepsni 91-TI10/41 0.1 21/1 0.1 02-TI10/41 0.1 21/1 0.1 12-TI10/41 0.1 21/1 0.1 oãçudorpadelortnoC.2 22-TI10/41 0.1 21/1 0.1 32-TI10/41 0.1 21/1 0.1 oãçnetunamadelortnoC.3 42-TI10/41 0.1 21/1 0.1 52-TI10/41 0.1 21/1 0.1 eotnemirpusodelortnoC.4 sieváraper 62-TI10/41 0.1 21/1 0.1 edadilibaifnoceacitsítatsE.5 oãçnetunamàsadacilpa 72-TI10/41 0.1 21/1 0.1 sevanoreAsadametsiS.9 eniebacedsotnemurtsnI.1 82-TI30/41 0.2 21/1 0.2 sevanoreasadseõçatimiL.2 92-TI10/41 0.1 21/1 0.1 sevanoreasadsametsiS.3 03-TI10/41 0.3 21/1 0.3
  11. 11. 13.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT rotomobruTopurG.01 oãçaeraserotomsodotnemanoicnuF.1 33-TI11/41 0.1 21/1 0.1 gnikramhcneB.11 otnemaicneregedsossecorpsovoN.1 43-TI11/41 0.2 21/1 0.2 oôVmesacitárP.21 edoãçarepoeETodanretniaigoloesarF.1 SCIedaxiac 53-PI11/41 0.1 21/1 0.4 xarbiV.2 63-PI11/41 0.1 21/1 0.2 rotomodoãçarbivedeuqehC.3 73-PI11/41 0.1 21/1 0.2 GNedetnetabeomixámGNedeuqehc.4 83-PI11/41 0.1 21/1 0.2 enapedasiuqseP.5 93-PI11/41 0.1 21/1 0.2 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT -umocoidaRedsametsiS.01 seõçacin 13-BToãçacinumocretniedametsiS.1 33-TI21/41 0.1 21/1 0.1 B02-FHVrossimsnart/rotpeceroidáR.2 43-TI21/41 0.1 21/1 0.1 INSTRUÇÃO PECULIAR GERENTE DE MANUTENÇÃO DE AVIÔNICOS - GMA INSTRUÇÃO PECULIAR GERENTE DE MANUTENÇÃO - GMN
  12. 12. 14.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT -umocoidaRedametsiS.01 seõçacin -CRAFHU/Vrossimsnart/rotpeceroidáR.3 281 53-TI11/41 0.1 21/1 0.1 032-FHrossimsnart/rotpeceroidáR.4 63-TI11/41 0.2 21/1 0.2 -anoidaRedsametsiS.11 oãçagev )06-FDA(FDA/BDNametsiS.1 73-PI11/41 0.1 21/1 0.1 )H13RIV(ROVametsiS.2 83-PI11/41 0.1 21/1 0.1 )04-EMD(EMDametsiS.3 93-PI11/41 0.1 21/1 0.1 )09-RDT(rednopsnarT.4 04-PI11/41 0.1 21/1 0.1 GNIMMOHrotpeceR.5 14-PI11/41 0.1 21/1 0.1 SLIametsiS.6 24-PI11/41 0.1 21/1 0.1 SPGoãçagevanedametsiS.7 34-PI11/41 0.1 21/1 0.1 radaRedsametsiS.21 )8-VHATRT(ortemítloidaR.1 44-PI11/41 0.1 21/1 0.1 C0041-RDR(ocigóloroetemradaR.2 )XIDNEB 54-PI11/41 0.1 21/1 0.1 oãçazilibatsEedametsiS.31 edocitámotuAelortnoCe oôV )D551MIFS(ocitámotuAotoliP.1 64-PI11/41 0.2 21/1 0.2 odroBedsotnemurtsnI.41 socirtémorabomenasotnemurtsnI.1 74-PI11/41 0.1 21/1 0.1 84-PI11/41 0.1 21/1 0.1 94-PI11/41 0.1 21/1 0.1 socipócsorigsotnemurtsnI.2 05-PI11/41 0.1 21/1 0.1 15-PI11/41 0.1 21/1 0.1
  13. 13. 15.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH /OÃÇUCEXE SÊM LATOT odroBedsotnemurtsnI.41 rotomodsotnemurtsnI.3 25-TI11/41 0.1 21/1 0.1 32-TI11/41 0.1 21/1 0.1 sociténgamsotnemurtsnI.4 45-PI11/41 0.1 21/1 0.1 55-PI11/41 0.1 21/1 0.1 aenâlecsimopurgodsotnemurtsnI.5 65-PI11/41 0.1 21/1 0.1 75-PI11/41 0.1 21/1 0.1 ocirtélEametsiS.51 ocirtéleametsiS.1 85-PI11/41 0.4 21/1 0.4 95-PI11/41 0.1 21/1 0.1 sosreviDsotnemapiuqE.61 aicnêgremEedrodazilacoLrossimsnarT.1 )ELT( 06-PI11/41 0.1 21/1 0.1 ahnapmacedBDN.2 16-PI11/41 0.1 21/1 0.1 anrutoNoãsiVedsolucÓ.3 26-PI11/41 0.1 21/1 0.1 edoãssimsnarteoãçisiuqaedametsiS.4 snegami 36-PI11/41 0.1 21/1 0.1 edotnemarotinomedodargetniametsiS.5 )RDF/RVC(vnA 46-PI11/41 0.1 21/1 0.1 56-PI11/41 0.1 21/1 0.1 oôVmesacitárP.71 edoãçarepoeETodanretniaigoloesarF.1 SCIedaxiac 66-PI11/41 0.1 3/1 0.4 xerbiV.2 76-PI11/41 0.1 6/1 0.2 rotomodoãçarbivedeuqehC.3 86-PI11/41 0.1 6/1 0.2 GNedetnetabeomixámGNedeuqehC.4 96-PI11/41 0.1 6/1 0.2
  14. 14. 16.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH OÃÇUCEXE SÊM/ LATOT oôVmesacitárP.71 socinôivaedeuqehC.5 07-PI21/41 0.1 6/1 0.2 enapedasiuqseP.6 17-PI21/41 0.1 6/1 0.2 INTRUÇÃO PECULIAR GERENTE ADMINISTRATIVO - GAM AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH OÃÇUCEXE SÊM/ LATOT -etaMedotnemaicnereG.01 oãçaivAedlair edlairetamedocincétotnemibeceR.1 oãçaiva 33-TI31/41 0.1 21/1 0.1 43-TI31/41 0.2 21/1 0.2 oãçaivaedlairetamedmeganezamrA.2 53-TI31/41 0.2 21/1 0.2 sotemirpusedsossecorpsiapicnirP.3 63-TI31/41 0.2 21/1 0.2 ratiliMetropsnarT.11 ededadiladomretnieedadiladoM.1 etropsnart 73-TI31/41 0.2 21/1 0.2 asogirepagracedetropsnarT.2 83-TI31/41 0.2 21/1 0.2 oeréaetropsnarT.3 93-TI31/41 0.2 21/1 0.2 04-TI31/41 0.2 21/1 0.2 14-TI31/41 0.4 21/1 0.4 24-TI31/41 0.8 42/1 )rapmiona( - 34-TI31/41 0.2 21/1 0.2
  15. 15. 17.00 AIRÉTAM OTNUSSA IIO SAROH OÃÇUCEXE SÊM/ LATOT -etaMedotnemaicnereG.11 oãçaivAedlair ocitáuqaetropsnarT.4 44-TI31/41 0.4 21/1 0.4 54-TI31/41 0.8 )rapona(42/1 - ertserretetropsnarT.5 64-TI31/41 0.1 21/1 0.2 oôVmesacitárP.21 oãçarepoeETodanretniaigoloesarF.1 SCIedaxiaced 74-TI31/41 0.1 3/1 0.4
  16. 16. 18.00 III. PROPOSTA PARA DISTRIBUIÇÃO DO TEMPO 1. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO1. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO1. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO GERENTE DE MANUTENÇÃOGERENTE DE MANUTENÇÃOGERENTE DE MANUTENÇÃO OÃÇURTSNIEDOTNEMAPURG SEDADIVITA aciróeToãçurtsnI acitárPoãçurtsnI latoT mumoCoãçurtsnI 5.03 0.1 5.13 railucePoãçurtsnI 0.3 0.21 0.51
  17. 17. 19.00 2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO2. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO GERENTE DE MANUTENÇÃO DEGERENTE DE MANUTENÇÃO DEGERENTE DE MANUTENÇÃO DE AAAVIÔNICOSVIÔNICOSVIÔNICOS OÃÇURTSNIEDOTNEMAPURG SEDADIVITA aciróeToãçurtsnI acitárPoãçurtsnI latoT mumoCoãçurtsnI 5.03 0.1 5.13 railucePoãçurtsnI 0.03 0.12 0.15 OÃÇURTSNIEDOTNEMAPURG SEDADIVITA aciróeToãçurtsnI acitárPoãçurtsnI latoT mumoCoãçurtsnI 5.03 0.1 5.13 railucePoãçurtsnI 0.62 0.21 0.83 3. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO3. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO3. QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE TEMPO GERENTE DEGERENTE DEGERENTE DE ADMINISTRAÇÃOADMINISTRAÇÃOADMINISTRAÇÃO
  18. 18. 20.00 IV. MATÉRIAS DA INSTRUÇÃO COMUM AAA seguirseguirseguir, são apresent, são apresent, são apresentadas, emadas, emadas, em ordem alfabética, as matériasordem alfabética, as matériasordem alfabética, as matérias específicas deespecíficas deespecíficas de AAAviação.viação.viação.
  19. 19. 21.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA 14/01IT-01 (AC) Rever o manuseio da do- cumentação técnica. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de identificar a documentação téc- nica utilizada durante a realiza- ção de determinada tarefa. -ReverPRE,MET,MEM,IPC,ICO,ICA, MTC, SBT, outros manuais da documentação técnica não citados; - Identificar as principais características, a importância e o emprego de cada manual utilizado na manutenção e no suprimento. 14/01IT-02 (AC) Rever as principais modificações ocorridas na documentação técnica. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica e suas atu- alizações. Rever PRE, MET, MEM, IPC, ICO, ICA, MTC, SBT, outros manuais da docu- mentação técnica não citados. 1. Publicações e documentação técnica. TEMPO ESTIMADO: 2h 14/01IP-03 (AC) Localizar um compo- nente ou uma determ- inada situação na docu- mentação técnica. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de identificar as principais modifi- cações na documentação técni- ca. Ao término da sessão, o instruendo deverá solucionar a situação hipotética, em 30 mi- nutos. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica e criada uma situação hipotética, com a fi- nalidade de testar os conheci- mentos revistos.
  20. 20. 22.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 2. SEGURANÇA DE VÔO TEMPO ESTIMADO: 2 h 14/01IT-04 (AC) Rever a filosofia da segu- rança de vôo. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar em condições de aplicar a filosofia da segurança de vôo no desem- penho de suas atribuições. - Enfocar as funções logísticas de manutenção e suprimento; - Apresentar situações reais que atentaram contra a segurança de vôo. Numa sala de instrução, por meio de estudo de casos. 1. Filosofia do sistema de pre- venção de acidentes aeronáuti- cos. 14/01IT-05 (AC) Rever a filosofia de utili- zação de um relatório de perigo, bem como os métodos de preenchi- mento. Ao término da sessão, o instruendo deverá compreen- der a filosofia de utilização e ser capaz de preencher um re- latório de perigo. - Numa sala de instrução, dados relatórios de perigo. 2. Relatório de perigo. 14/01IT-06 (AC) Rever o Plano de Emer- gência Aeronáutica do CAvEx. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de participar, dentro de sua esfera de atribuições, do Plano de Emergência Aeronáutica. - Numa sala de instrução, dado o Plano de Emergência Aeronáuti- ca do CAvEx, em vigor. 3. Plano de Emergência Aero- náutica (PEA).
  21. 21. 23.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 14/10IP-07 (AC) Praticar as técnicas de escape de aeronave submersa. Dada uma piscina, os equipamentos individuais de auxílio ao escape de aeronave submersa. Instruendos utilizando macacão de vôo e tênis. Equipe e material de segurança na instrução. Ao término da sessão, o instruendo deverá ter pratica- do as técnicas de escape de aeronave submersa. 3. SOBREVIVÊNCIA TEMPO ESTIMADO: 1 h 1. Técnicas de escape de aero- nave submersa. - Rever a teoria sobre as técnicas de utilização dos equipamentos individuais e as práticas de escape de aeronave submersa; - Executar exercícios de flutuação; - Executar exercícios de treinamento de apnéia; - Utilizar os equipamentos de auxílio à respiração e à flutuação, quando disponíveis.
  22. 22. 24.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 14/10IT-08 (AC) Rever a filosofia de segu-rança do trabalho e a cor-reta utilização dos equipa-mentos de proteção indivi-dual (EPI). Numa sala de instrução, dados o plano de segurança do tra-balho e os equipamentos individuais de proteção. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de utilizar corretamente os equi- pamentos de proteção individu- al necessários para a realização das tarefas de manutenção. 4. SEGURANÇA DO TRABALHO TEMPO ESTIMADO: 4 h 1. Equipamento de Proteção In- dividual (EPI). Identificar os tipos e as finalidades dos EPI. 14/10IT-09 (AC) Rever a correta utilização dos produtos químicos e sua relação com os EPI. Numa sala de instrução, dados os EPI e os diversos produtos quí- micos. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber rela- cionar os tipos de produtos químicos com os EPI. 2. Produtos químicos. Identificar: - os produtos químicos utilizados na Av Ex; - os produtos químicos cancerígenos utilizados na Av Ex; - possíveis danos causados à saúde por produtos químicos utilizados na Av Ex; - os principais símbolos utilizados na Av Ex. 14/10IT-10 (AC) Rever as medidas de pre- venção e combate a in- cêndio de uma OM Av Ex. Numa sala de instrução, dado um Plano de Prevenção e Combate a Incêndio. Ao término da sessão, o instruendo deverá conhecer as medidas de prevenção e com- bate a incêndio de uma OM Av Ex. 3. Prevenção e combate a incên- dio. Identificar os equipamentos de combate a incêndio e suas aplicações.
  23. 23. 25.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 5. ATIVIDADES AÉREAS TEMPO ESTIMADO: 3,5 h 14/10IT-11 (AC) Rever os principais con- ceitos e normas vigen- tes relativos ao tráfego aéreo. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar ECD citar as principais Normas de Tráfego Aéreo e identificar suas finalidades. 14/10IT-12 (AC) Rever os principais tipos de informações meteo- rológicas de emprego aeronáutico e suas finali- dades. Numa sala de instrução, dados os principais tipos de informações meteorológicas de emprego ae- ronáutico. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar ECD identificar os principais tipos de informações meteorológicas de emprego aeronáutico e suas finalidades. Rever a fraseologia pa- drão do Tripulante Extra (TE). Numa sala de instrução, dados casos hipotéticos com previsão de participação de TE. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar ECD empregar corretamente a fraseologia padrão do TE. 14/10IT-14 (AC) 1. Meteorologia. 3. Fraseologia interna do TE. Numa sala de instrução, dadas as principais normas relativas ao trá- fego aéreo. - Rever a organização dos serviços de tráfego aé- reo, descrevendo as atri- buições dos órgãos de proteção ao vôo. Numa sala de instrução, dada a documentação referente ao as- sunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar ECD citar os serviços de tráfego aé- reo e as atribuições dos órgãos de proteção ao vôo. 14/10IT-13 (AC) 2. Serviço de tráfego aéreo. Rever a operação das cai- xas de intercomunicação (ICS) das diversas aero- naves de sua UAe. Dada uma aeronave no solo não acionada. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber ope- rar corretamente a caixa de ICS. 14/10IP-15 (AC) - -
  24. 24. 26.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Rever os sintomas, reações e limitações orgâ- nicas sofridas pelo ho- mem na atividade aérea. Numa sala de instrução, dada a documentação referente ao as- sunto e o estudo de casos. Ao término da sessão, o instruendo deverá estar ECD saber as limitações orgânicas relacionadas à atividade aérea. 14/10IT-16 (AC) 1. Medicina de aviação. - 6. MEDICINA DE AVIAÇÃO TEMPO ESTIMADO: 2 h Rever os cuidados que o aeronavegante deve ter com relação à fadiga, automedicação, fumo, ál- cool, tóxico e alimenta- ção. Ao término da sessão, o instruendo deverá identificar os cuidados que o aeronavegante deve ter com relação à fadiga, automedicação, fumo, álcool, tóxico e alimentação. 14/10IT-17 (AC) Identificar os danos ao aeronavegante, causados pela fadiga, automedicação, fumo, álcool, tóxico e alimentação.
  25. 25. 27.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 14/10IT-18 (AC) Rever o emprego do Esqd Av Ex. Numa sala de instrução, dados os manuais doutrinários de em- prego da Aviação do Exército. Ao término da sessão, o instruendo deverá conhecer, de forma geral, o emprego do Es- quadrão de Aviação do Exérci- to. 1. Emprego do Esqd Av Ex.Rever o emprego da Av Ex. 7. EMPREGO TÁTICO DA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO TEMPO ESTIMADO: 2 h 14/10IT-19 (AC) Rever as atividades e peculiaridades do apoio logístico de aviação, em campanha, inerentes ao B Mnt Sup Av Ex. Numa sala de instrução, dados os manuais doutrinários de logística da Aviação do Exército e um desdobramento logístico dentro de um quadro tático hipotético. Ao término da sessão, o instruendo deverá conhecer de forma geral o apoio logístico de aviação, inerentes ao B Mnt Sup Av Ex. 2. Apoio logístico de aviação em campanha. Conhecer o apoio logístico de aviação.
  26. 26. 28.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Ao término da sessão, o instruendo deverá saber identificar as características das inspeções calendáricas, periódicas, temporárias e especiais. Identificar os limites de manutenção: - SLL; - TBO; - TSO; - On Condition; - dentre outros. 1. Tipos e periodicidade das inspeções. 14/10IT-20 (AC) Rever os intervalos e tempos limites de manu- tenção das aeronaves e do motor. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os intervalos e tempos limites de manutenção dos prin- cipais itens das aeronaves e do motor. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber identi- ficar a filosofia e os métodos de controle da produção. 2. Controle da produção. 8. GERENCIAMENTO DE MANUTENÇÃO TEMPO ESTIMADO: 10 h 14/10IT-21 (AC) Rever as características das inspeções calendá- ricas, periódicas, tempo- rárias e especiais. 14/10IT-22 (AC) Rever o planejamento de uma diagonal de manu- tenção. 14/10IT-23 (AC) Rever a filosofia e os mé- todos de controle da pro- dução. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber planejar e interpretar os intervalos e tempos limite estabelecidos em uma diagonal de manutenção para qualquer tipo de equipamento. Identificar as inspeções programadas e não programadas referentes à(ao): - célula; - motor. - -
  27. 27. 29.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 8. GERENCIAMENTO DE MANUTENÇÃO TEMPO ESTIMADO: 10 h Ao término da sessão, o instruendo deverá saber con- sultar o Sistema Informatizado de Manutenção (SisManut). Identificar as ferramentas de controle da produção: - fluxogramas; - gráficos de controle; - histogramas; - backlog; - brainstorming; - diagrama de pareto; - diagrama de causa e efeito; dentre outras. 3. Controle da manutenção. 14/10IT-24 (AC) Rever a aplicação das fer- ramentas de controle da produção. Numa sala de instrução, dados os meios de informática necessári- os. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber aplicar as ferramentas de controle de produção. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber a apli- cação do SisRep. 4. Controle do suprimento e reparáveis. 14/10IT-25 (AC) Rever a aplicação do Sis- tema Informatizado de Manutenção (SisManut). 14/10IT-26 (AC) Rever a aplicação do Sis- tema Informatizado de Suprimento (SisSupri). 14/10IT-27 (AC) Rever a aplicação do Sis- tema Informatizado de Reparáveis (SisRep). Ao término da sessão, o instruendo deverá saber a apli- cação do SisSupri. - Rever as possibilidades e as limitações do SisManut; - Coletar as informações neces- sárias à manutenção dos itens cadastrados passíveis de controle. - Descrever o fluxo de reparáveis da aviação; - Identificar as possibilidades do Sistema Informatizado de Reparáveis (SisRep). - Descrever o fluxo de suprimento da aviação; - Identificar as possibilidades do Sistema Informatizado de Suprimento (SisSupri). Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. 2. Controle da produção.
  28. 28. 30.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Rever a aplicação das fer- ramentas de controle da produção. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os principais métodos estatísticos aplicados à manu- tenção. Rever os principais méto- dos de confiabilidade apli- cáveis à manutenção. 14/10IT-28 (AC) 14/10IT-29 (AC) 5. Estatística e confiabilidade apli- cadas à manutenção. Identificar algumas distribuições de probabilidade contínuas mais empre- gadas para o estudo da confiabilidade. 8. GERENCIAMENTO DE MANUTENÇÃO TEMPO ESTIMADO: 10 h Identificar: - média; - desvio padrão; - função de confiabilidade da normal; - função taxa de falha normal; - outros julgados necessários.
  29. 29. 31.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Rever os instrumentos das aeronaves da Av Ex e respectivas finalidades. Numa sala de instrução e/ou ae- ronave. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os instrumentos das ae- ronaves da Av Ex e respectivas finalidades. 14/10IT-30 (AC) 2. Limitações das aeronaves. - 9. SISTEMAS DAS AERONAVES TEMPO ESTIMADO: 6 h Rever as limitações das aeronaves da Av Ex. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar as limitações das aero- naves da Av Ex. 14/10IT-31 (AC) Rever os sistemas das aeronaves da Av Ex. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber descrever, sucintamente, os sistemas das aeronaves da Av Ex. 14/10IT-32 (AC) 3. Sistemas das aeronaves. Rever: - sistema hidráulico; - sistema de combustível; - sistema elétrico; - sistema de conjuntos rotativos; - sistema de comandos de vôo. 1. Instrumentos de cabine.
  30. 30. 32.00 VVV. MA. MA. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAARA GERENTE DEGERENTE DEGERENTE DE MANUTENÇÃOMANUTENÇÃOMANUTENÇÃO
  31. 31. 33.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS TEMPO ESTIMADO: 1 h Rever o funcionamento dos motores emprega- dos nas aeronaves da Av Ex. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber des- crever, sucintamente, o funcio- namento dos motores empre- gados nas Anv da Av Ex. 14/11IT-33 (AC) 1. Funcionamento dos motores a reação. Rever: - descrição do motor; - sistema de óleo; - sistema de ar; - sistema de combustível. 10. GRUPO TURBOMOTOR
  32. 32. 34.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS TEMPO ESTIMADO: 2 h11. BENCHMARKING Numa sala de instrução. Palestras. Ao término da sessão, o instruendo deverá conhecer novos processos de gerencia- mento da manutenção. 14/11IT-34 (AC) 1. Novos processos de gerenciamento. - Conhecer novos proces- sos na área de gerencia- mento da manutenção, por intermédio de pales- tras de órgãos civis e ou- tras Forças.
  33. 33. 35.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS TEMPO ESTIMADO: 12 h12. PRÁTICAS EM VÔO Durante uma missão de vôo em He da Av Ex. Ao término do vôo, o instruendo deverá estar ECD empregar corretamente a fraseologia padrão do TE e operar a caixa de ICS. 14/11IP-35 (HT) 2. Vibrex.- Praticar a fraseologia pa- drão do Tripulante Extra (TE) e a operação da caixa de ICS. Durante uma missão de Vibrex em He da Av Ex. Ao término do vôo, o instruendo deverá conhecer os procedimentos de verificação de vibração dos conjuntos rotativos. 14/11IP-36 (AC) Acompanhar uma verifi- cação de vibração dos conjuntos rotativos (Vibrex). Durante uma missão de cheque de vibração do motor em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos do cheque de vibração do motor. 14/11IP-37 (AC) Acompanhar um cheque de vibração do motor. 1. Fraseologia interna do TE e operação de caixa de ICS. 3. Cheque de vibração do motor.
  34. 34. 36.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS - Durante uma missão de cheque de NG máximo e batente de NG em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos do cheque de NG máximo e batente de NG. Acompanhar um cheque de NG máximo e batente de NG. 14/11IP-38 (AC) 4. Cheque de NG máximo e ba- tente de NG. Identificar as possíveis causas e soluções aplicáveis ao problema. TEMPO ESTIMADO: 12 h12. PRÁTICAS EM VÔO Durante um vôo de pesquisa de pane em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos da pesquisa de pane. Acompanhar um vôo de pesquisa de pane. 14/11IP-39 (AC) 5. Pesquisa de pane.
  35. 35. 37.00 VI. MAVI. MAVI. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAARA GERENTE DEGERENTE DEGERENTE DE MANUTENÇÃO DEMANUTENÇÃO DEMANUTENÇÃO DE AAAVIÔNICOSVIÔNICOSVIÔNICOS
  36. 36. 38.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Rever o funcionamento e principais características do equipamento. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar as características do equi- pamento e seu funcionamento. 14/12IT-33 (AC) 1. Sistema de Intercomunicação TB-31. Operar corretamente o equipamen- to. TEMPO ESTIMADO: 4 h10. SISTEMA DE RADIOCOMUNICAÇÕES 14/12IT-34 (AC) 14/12IT-35 (AC) 14/12IT-36 (AC) 2. Rádio receptor/ transmissor VHF-20B. 3. Rádio receptor/ transmissor V/UHFARC 182. 4. Rádio receptor/ transmissor HF 230.
  37. 37. 39.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 5. Receptor HOMMING. - Rever o funcionamento e principais características do equipamento. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar as características do equi- pamento e seu funcionamento. 14/12IT-37 (AC) 14/12IT-42 (AC) Operar corretamente o equipamen- to. TEMPO ESTIMADO: 7 h11. SISTEMAS DE RADIONAVEGAÇÃO 14/12IT-38 (AC) 14/12IT-39 (AC) 14/12IT-40 (AC) 14/12IT-41 (AC) 14/12IT-43 (AC) 4. Transponder (TDR-90). 3. Sistema DME (DME-40). 2. Sistema VOR (VIR 31H). 1. Sistema NDB/ADF (ADF-60). 6. Sistema ILS. 7. Sistema de navegação GPS. Analisar o auxílio ao pouso pelo Localizer, Glide Slope e Marker Beacon. -
  38. 38. 40.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Radioaltímetro (TRT AHV-8).- Rever o funcionamento e principais características do equipamento. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar as características do equi- pamento e seu funcionamento. 14/12IT-44 (AC) TEMPO ESTIMADO: 2 h12. SISTEMAS DE RADAR 14/06V-45 (AC) 2. Radar meteorológico (RDR- 1400C BENDIX). -
  39. 39. 41.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Revisar o funcionamento e principais característi- cas do sistema. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar as características do equi- pamento e seu funcionamento. 14/12IT-46 (AC) 1. Piloto Automático (SFIM 155D). - Rever os equipamentos do sistema de Piloto Automático; - Rever o funcionamento do painel de comando. TEMPO ESTIMADO: 2 h13. SISTEMA DE ESTABILIZAÇÃO E CONTROLE AUTOMÁTICO DE VÔO
  40. 40. 42.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Rever o funcionamento do sistema anemobaro- métrico. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de descrever o funcionamento e identificar os componentes dos equipamentos do sistema. Rever o funcionamento da giro-horizonte e da giro-vertical. 14/12IT-47 (AC) 14/12IT-50 (AC) 2. Instrumentos giroscópicos. - - Recordar as peculiaridades de um giroscópio quanto à alimentação de seu motor; - Rever a definição de válvula de fluxo; - Rever a definição de indicador de curva de derrapagem. TEMPO ESTIMADO: 11 h14. INSTRUMENTOS DE BORDO 14/12IP-49 (AC) 14/12IT-48 (AC) -Recordaroprincípiodefuncionamento de um altímetro; -Recordaroprincípiodefuncionamento de um velocímetro; -Recordaroprincípiodefuncionamento de um “climb”; -Recordaroprincípiodefuncionamento do “módulo C” e sua interação com o transponder. - Rever o funcionamento dos equipamentos do sistema anemobaromé- trico. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de descrever o funcionamento do sistema anemobarométrico. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber localizar os componentes do sistema. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber descrever o funcionamento da giro-horizonte e da giro-vertical. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. 1. Instrumentos anemobaromé- tricos. Localizar os componen- tes do sistema anemo- barométrico.
  41. 41. 43.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Localizar os componen- tes do sistema giros- cópico. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber locali- zar os componentes do siste- ma. 14/12IP-51 (AC) - 2. Instrumentos giroscópicos. TEMPO ESTIMADO: 11 h14. INSTRUMENTOS DE BORDO Rever os instrumentos de monitoração do motor e suas finalidades. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os instrumentos de monitoração do motor e suas finalidades. 14/12IT-52 (AC) Rever: - os instrumentos de monitoração do motor e suas finalidades; - o princípio de funcionamento dos instrumentos NG, ∆NG, T4, NTL e indicador de torque; - os transmissores do motor. 3. Instrumentos do motor. Localizar os transmisso- res e instrumentos do motor. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber locali- zar os transmissores e os ins- trumentos do motor. 14/12IP-53 (AC) -
  42. 42. 44.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Localizar os instrumen- tos magnéticos. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber locali- zar os instrumentos magnéti- cos.14/12IP-55 (AC) - TEMPO ESTIMADO: 11 h14. INSTRUMENTOS DE BORDO Rever os instrumentos magnéticos das aerona- ves da Av Ex. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os instrumentos magné- ticos das aeronaves da Av Ex.14/12IT-54 (AC) 4. Instrumentos magnéticos. Rever: - as definições de magnetismo e declinação; - os instrumentos magnéticos do helicóptero; - os procedimentos de aferição de bússolas. Rever os principais ins- trumentos, sensores e anunciadores das aero- naves da Av Ex. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de identificar os principais instru- mentos, sensores e anunciadores das aeronaves da Av Ex. 14/12IT-56 (AC) 5. Instrumentos do grupo mis- celânea. Rever o funcionamento dos detectores de fogo, das sondas de temperatura, dos transmissores de pressão, do captor do número de rotações do rotor principal, dos termômetros e dos taquímetros. Localizar os instrumen- tos, sensores e anuncia- dores. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber locali- zar os instrumentos, sensores e anunciadores.14/12IP-57 (AC) -
  43. 43. 45.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Sistema elétrico. Rever: - as características do arranque gerador; - as funções da caixa elétrica de uma aeronave; - as tensões geradas em corrente alternada e suas finalidades; - o processo de geração de corrente alternada na aeronave. Rever o funcionamento e principais características do sistema. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Localizar os principais componentes do sistema elétrico. 14/12IT-58 (AC) 14/12IP-59 (AC) Localizar: - o arranque gerador na aeronave; - a caixa elétrica, o inversor e os instrumentos de monitoração do sistema elétrico na aeronave. TEMPO ESTIMADO: 5 h15. SISTEMA ELÉTRICO Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. Ao término da sessão, o instruendos deverá saber loca- lizar os componentes do siste- ma elétrico. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber o fun- cionamento e identificar as prin- cipais características do siste- ma elétrico.
  44. 44. 46.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Transmissor Localizador de Emergência (TLE). - Explicar os componentes do sistema; - Localizar os componentes. Rever a finalidade, as ca- racterísticas e o princípio de funcionamento do TLE. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar o funcionamento e as características do sistema. Rever os componentes e o funcionamento do equi- pamento. Rever o sistema de aqui- sição e transmissão de imagens da Av Ex. 14/12IT-60 (AC) 14/12IT-62 (AC) 14/12IT-63 (HT) 2. NDB de campanha. - Descrever o princípio de funcionamento do equipamento; - Rever as suas principais características. 4. Sistema de aquisição e trans- missão de imagens. Localizar os componen- tes do sistema integrado de monitoramento de Anv. Dada uma aeronave da Av Ex não acionada. 14/12IP-65 (AC) 5. Sistema integrado de monitoramento de Anv (CVR/ FDR). TEMPO ESTIMADO: 6 h16. EQUIPAMENTOS DIVERSOS Rever o princípio de fun- cionamento do equipa- mento. 14/12IT-61 (AC) Rever o funcionamento e principais características do sistema integrado de monitoramento de Anv. 14/12IT-64 (AC) Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os componentes e o fun- cionamento do equipamento. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber o prin- cípio de funcionamento do equi- pamento. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber a fi- nalidade, características e prin- cípio de funcionamento do TLE. Rever o funcionamento dos compo- nentes e softwares do sistema. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber locali- zar os componentes do siste- ma. 3. Óculos de Visão Noturna. - -
  45. 45. 47.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Fraseologia interna do TE e operação de caixa de ICS. Acompanhar uma verifi- cação de vibração dos conjuntos rotativos (Vibrex). Durante uma missão de vôo em He da Av Ex. Acompanhar um cheque de vibração do motor. Durante uma missão de Vibrex em He da Av Ex. Ao término do vôo, o instruendo deverá conhecer os procedi- mentos de verificação de vibra- ção dos conjuntos rotativos. 14/12IP-67 (AC) 14/12IP-68 (AC) TEMPO ESTIMADO: 14 h17. PRÁTICAS EM VÔO Praticar a fraseologia pa- drão do Tripulante Extra (TE) e a operação da caixa de ICS. 14/12IP-66 (HT) 2. Vibrex. 3. Cheque de vibração do motor. - Durante uma missão de cheque de vibração do motor em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendos deverá conhecer os procedimentos do cheque de vibração do motor. Ao término do vôo, o instruendo deverá estar ECD empregar corretamente a fraseologia pa- drão do TE e operar a caixa de ICS.
  46. 46. 48.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 4. Cheque de NG máximo e ba- tente de NG. Acompanhar um cheque de aviônicos Acompanhar um vôo de pesquisa de pane. Durante uma missão de cheque de aviônicos em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos do cheque de aviônicos. 14/12IP-70 (AC) 14/12IP-71 (AC) TEMPO ESTIMADO: 14 h17. PRÁTICAS EM VÔO Acompanhar um cheque de NG máximo e batente de NG. 14/12IP-69 (AC) 5. Cheque de aviônicos.- 6. Pesquisa de pane. Identificar as possíveis causas e soluções aplicáveis ao problema. Durante um vôo de pesquisa de pane em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos da pesquisa de pane. Durante uma missão de cheque de NG máximo e batente de NG em He da Av Ex. Ao término da missão, o instruendo deverá conhecer os procedimentos do cheque de NG máximo e batente de NG. -
  47. 47. 49.00 VII. MAVII. MAVII. MATÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃOTÉRIAS DE INSTRUÇÃO PECULIAR PPECULIAR PPECULIAR PARAARAARA GERENTEGERENTEGERENTE ADMINISTRAADMINISTRAADMINISTRATIVOTIVOTIVO
  48. 48. 50.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Recebimento técnico de ma- terial de aviação. Classificar os diversos tipos de ma- terial de aviação (permanente, de consumo e reparável). Rever os principais dados de um recebimento téc- nico. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber identi- ficar os principais dados a serem levantados no recebimento téc- nico do material. Rever os processos ex- ternos ao B Mnt Sup Av Ex (Aquisição e Repará- veis). Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá ser capaz de identificar os processos exter- nos ao B Mnt Sup Av Ex. 14/13IT-33 (AC) 14/13IT-36 (AC) 3. Principais processos de su- primento. - TEMPO ESTIMADO: 7 h10. GERENCIAMENTO DE MATERIAL DE AVIAÇÃO Rever os procedimentos de um recebimento téc- nico. Numa sala de instrução, dada uma situação hipotética. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os procedimentos de um recebimento técnico. 14/13IT-34 (AC) - Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os procedimentos de ar- mazenagem do material de avi- ação. Rever os procedimentos de armazenagem do ma- terial de aviação. 14/13IT-35 (AC) Identificar a classificação de perecividade do material de aviação armazenado, principalmente os elastômeros. 2. Armazenagem de material de aviação.
  49. 49. 51.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Modalidade e intermodalidade de transporte. Rever: - as principais diferenças existentes entre as modalidades e intermodalidades de transporte; - os tipos de unitização de cargas. Rever o planejamento do transporte do material de aviação, nas diferentes modalidades de trans- porte. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos do planejamento do transporte do material de aviação, nas diferen- tes modalidades de transpor- te. Rever a preparação de uma carga externa. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com a preparação de uma car- ga externa. 14/13IT-37 (AC) 14/13IT-39 (AC) 2. Transporte de carga perigo- sa. Rever: - as possibilidades e limitações das aeronaves da Av Ex relacionadas ao transporte de cargas externas; - as generalidades da preparação de uma carga externa; - as vantagens e as desvantagens da realização de uma carga externa; - as precauções que devem ser adotadas quando da preparação de uma carga externa. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. 14/13IT-38 (AC) Rever: - o conceito de carga perigosa; - a legislação específica e complementar referente ao transporte de carga perigosa; - as classes de carga perigosa; - a documentação necessária para o transporte de carga perigosa; - as precauções que devem ser adotadas para o manuseio e o transporte de carga perigosa; - os procedimentos a serem adotados quando da ocorrência de acidente/ incidente com carga perigosa. TEMPO ESTIMADO: 27 h11. TRANSPORTE MILITAR Rever os procedimentos a serem adotados para o Transporte de Carga Pe- rigosa nos diversos modais (terrestre, aquá- tico e aéreo). Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os procedimentos a se- rem adotados para o Transpor- te de Carga Perigosa nos diver- sos modais (terrestre, aquáti- co e aéreo). 3. Transporte aéreo. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto.
  50. 50. 52.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 3. Transporte aéreo. Rever: - as possibilidades e limitações das aeronaves da Av Ex relacionadas ao transporte de cargas internas; - as generalidades da preparação de uma carga interna; - os materiais utilizados na confecção de uma carga interna. ever a preparação de uma carga interna. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com a preparação de uma car- ga interna. Acompanhar o transpor- te de uma aeronave da Av Ex como carga interna de uma outra aeronave. Dada uma aeronave da Av Ex, uma aeronave de transporte de carga compatível e os demais meios necessários. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os procedimentos nas diversas fases do transporte. 14/13IT-40 (AC) 14/13IT-41 (AC) 14/13IP-42 (AC) Rever: - as possibilidades e limitações das aeronaves que realizarão o transporte; - a preparação da aeronave para o transporte; - os aspectos do embarque da aeronave; - os cuidados para o transporte; - os aspectos do desembarque; - os materiais utilizados nas diversas fases. - TEMPO ESTIMADO: 27 h11. TRANSPORTE MILITAR Rever o transporte de uma aeronave da Av Ex como carga interna de uma outra aeronave. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com o transporte de uma aero- nave da Av Ex como carga inter- na de uma outra aeronave.
  51. 51. 53.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 3. Transporte aéreo. Rever os aspectos rela- cionados com o trans- porte de uma aeronave da Av Ex por um meio aquático. Numa sala de instrução ou em lo- cal aberto, dada a documentação técnica referente ao assunto e uma aeronave como meio auxili- ar de instrução. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com o transporte de uma aero- nave da Av Ex por um meio aqu- ático. 14/13IT-43 (AC) 14/13IT-44 (AC) Rever: - as possibilidades e limitações das aeronaves que realizarão o transporte; - a preparação da aeronave para o transporte; - os cuidados para o enganchamento e o transporte; - os materiais utilizados na atividade. Rever o transporte de uma aeronave da Av Ex como carga externa de uma outra aeronave. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com o transporte de uma aero- nave da Av Ex como carga ex- terna de uma outra aeronave. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Rever: - os tipos de meios aquáticos compatíveis; - as possibilidades e limitações dos meios que realizarão o transporte; - a preparação da aeronave para o transporte; - os aspectos do embarque da aeronave; - os cuidados para o transporte; - os aspectos do desembarque; - os materiais utilizados nas diversas fases. 4. Transporte aquático. TEMPO ESTIMADO: 27 h11. TRANSPORTE MILITAR
  52. 52. 54.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 4. Transporte aquático. Rever os aspectos relaci- onados com o transporte de uma aeronave da Av Ex por um meio terrestre. Dada uma aeronave da Av Ex, um navio de transporte de carga com- patível e os demais meios neces- sários. Ao término da sessão, o instruendo deverá saber iden- tificar os aspectos relacionados com o transporte de uma aero- nave da Av Ex por um meio ter- restre. 14/13IP-45 (AC) 14/13IT-46 (AC) - Acompanhar o transpor- te de uma aeronave da Av Ex por um navio de trans- porte de carga. Ao término da sessão, o instruendo deverá conhecer os aspectos do transporte de uma aeronave da Av Ex por um navio de transporte de carga. Numa sala de instrução, dada a documentação técnica referente ao assunto. Rever: - as possibilidades e limitações dos meios que realizarão o transporte; - a preparação da aeronave para o transporte; - os aspectos do embarque da aeronave; - os cuidados para o transporte; - os aspectos do desembarque; - os materiais utilizados nas diversas fases. 5. Transporte terrestre. TEMPO ESTIMADO: 27 h11. TRANSPORTE MILITAR
  53. 53. 55.00 OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO (OII) ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Praticar a fraseologia pa- drão do Tripulante Extra (TE) e a operação da caixa de ICS. Ao término do vôo, o instruendo deverá estar ECD empregar corretamente a fraseologia pa- drão do TE e operar a caixa de ICS. 14/13IP-47 (HT) Durante uma missão de vôo em He da Av Ex. - 1. Fraseologia interna do TE e operação de caixa de ICS. TEMPO ESTIMADO: 4 h12. PRÁTICAS EM VÔO

×