1.00 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO 
EFETIVO PROFISSIONAL 
SEM OBJETIVOS 
BEM DEFINIDOS, SOMENTE 
POR ACASO CHEGAREMOS A...
2.00 
ÍNDICE 
Página 
I. INTRODUÇÃO .........................................................................................
3.00 
Em razão do Sistema de Validação 
(SIVALI - PP), manter este documento 
permanentemente atualizado. 
As páginas que ...
de atributos da área afetiva e de atitudes voltadas para a aceitação de valores 
julgados necessários para que um indivídu...
5.00 
os valores explanados no vade-mecum 10, para reforçar a Ética Militar, que 
concorre com inúmeros outros valores noc...
6.00 
cos, operacionais e de apoio às Op GLO, preferencialmente relacionados às 
prováveis operações que a OM pode partici...
7.00 
A seguir, são apresentados os Módulos 
dos Assuntos, com os respectivos Objetivos 
Individuais de Instrução (OII). 
...
01. CULTURA GERAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
8.00 ...
02. COMUNICAÇÃO SOCIAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 2h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
03. CULTURA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
10....
04. ATRIBUTOS DA ÁREA AFETIVA TEMPO ESTIMADO DIURNO: A cargo CMT OM 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO P...
05. DIREITO INTERNACIONAL HUMANITÁRIO (DIH) E DIREITO INTERNACIONAL 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO P...
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
13.00 
SUGESTÕES PARA 
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNI...
06. MOBILIZAÇÃO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
14.00 
...
06. MOBILIZAÇÃO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
15.00 
...
07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTER...
07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 9h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTER...
07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 9h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTER...
08. AVALIAÇÃO DO PESSOAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 2h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO...
09. MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO, DE VIATURA E DAS INTALAÇÕES TEMPO ESTIMADO DIURNO: nos tempos de Mnt da OM 
(OII) OBJETIVOS I...
10. CAPACITAÇÃO ADMINISTRATIVA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 13h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERP...
11. PRESERVAÇÃO AMBIENTAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃ...
11. PRESERVAÇÃO AMBIENTAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃ...
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
24.00 
SUGESTÕES PARA 
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNI...
13. COMANDO E CONTROLE TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
13. COMANDO E CONTROLE TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
27.00 
SUGESTÕES PARA 
TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNI...
15. DIDÁTICA DA INSTRUÇÃO MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTE...
16. LIDERANÇA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 53h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
16. LIDERANÇA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 53h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
17. PREVENÇÃO DE ACIDENTES NA INSTRUÇÃO E NO SERVIÇO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO O...
18. ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR (APH) TEMPO ESTIMADO DIURNO: a regular pela RM 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO OR...
19. CAPACITAÇÃO TÉCNICO-TÁTICA OPERACIONAL ESPECÍFICA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 80h (cerca de 2 semanas de ET) (1) 
NOTURNO: ...
20. PLANO DE CHAMADA TEMPO ESTIMADO NOTURNO: 4h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
3...
21. APRESTAMENTO DO PESSOAL E MATERIAL DE PRONTO-EMPREGO DA OM TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE I...
22. DEFESA DO AQUARTELAMENTO TEMPO ESTIMADO DIURNO: a critério do Cmt OM 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTA...
23. CONTRAINTELIGÊNCIA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 5h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
...
24. GARANTIA DA LEI E DA ORDEM TEMPO ESTIMADO DIURNO: 12h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERP...
25. AÇÃO CÍVICO-SOCIAL (ACISO) TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPR...
26. PEDIDO E CONDUÇÃO DE FOGOS TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPR...
27. OUTROS ASSUNTOS TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h 
(OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 
41....
Mais uma realização da Sala de Editoração Gráfi ca 
1ª Subchefi a/COTER
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009

1.777 visualizações

Publicada em

CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.777
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
164
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009

  1. 1. 1.00 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL SEM OBJETIVOS BEM DEFINIDOS, SOMENTE POR ACASO CHEGAREMOS A ALGUM LUGAR.
  2. 2. 2.00 ÍNDICE Página I. INTRODUÇÃO .................................................................................................................................................................................................................4.00 01. Finalidade .......................................................................................................................................................................................................................4.00 02. Objetivos do Período ......................................................................................................................................................................................................4.00 03. Estrutura da Instrução .....................................................................................................................................................................................................4.00 04. Direção e Condução da Instrução ...................................................................................................................................................................................6.00 05. Grupamentos de Instrução ..............................................................................................................................................................................................6.00 06. Observações sobre os OII e Carga Horária ....................................................................................................................................................................6.00 II. BLOCOS DOS ASSUNTOS ..............................................................................................................................................................................................7.00 01. Cultura Geral ..................................................................................................................................................................................................................8.00 02. Comunicação Geral ........................................................................................................................................................................................................9.00 03. Cultura Militar ..............................................................................................................................................................................................................10.00 04. Atributos da Área Afetiva .............................................................................................................................................................................................11.00 05. Direito Internacional Humanitário (DIH) e Direito Internacional dos Confl itos Armados (DICA) ............................................................................12.00 06. Mobilização ..................................................................................................................................................................................................................13.00 07. Justiça e Disciplina Militar ...........................................................................................................................................................................................16.00 08. Avaliação do Pessoal ....................................................................................................................................................................................................19.00 09. Manutenção de Armamento, de Viaturas e das Instalações ..........................................................................................................................................20.00 10. Capacitação Administrativa ..........................................................................................................................................................................................21.00 11. Preservação Ambiental .................................................................................................................................................................................................22.00 12. Tiro ...............................................................................................................................................................................................................................24.00 13. Comando e Controle.....................................................................................................................................................................................................25.00 14. Treinamento Físico Militar (TFM) ...............................................................................................................................................................................27.00 15. Didática da Instrução Militar ........................................................................................................................................................................................28.00 16. Liderança Militar ..........................................................................................................................................................................................................29.00 17. Prevenção de Acidentes na Instrução e no Serviço ......................................................................................................................................................31.00 18. Atendimento Pré-Hospitalar (APH) .............................................................................................................................................................................32.00 19. Capacitação Técnico-Tática Operacional Específi ca ...................................................................................................................................................33.00 20. Plano de Chamada ........................................................................................................................................................................................................34.00 21. Aprestamento do Pessoal e Material de Pronto-Emprego da OM ................................................................................................................................35.00 22. Defesa do Aquartelamento ...........................................................................................................................................................................................36.00 23. Contrainteligência ........................................................................................................................................................................................................37.00 24. Garantia da Lei e da Ordem .........................................................................................................................................................................................38.00 25. Ação Cívico-Social (ACISO) .......................................................................................................................................................................................39.00 26. Pedido e Condução de Fogos .......................................................................................................................................................................................40.00 27. Outros Assuntos............................................................................................................................................................................................................41.00
  3. 3. 3.00 Em razão do Sistema de Validação (SIVALI - PP), manter este documento permanentemente atualizado. As páginas que se seguem contêm uma série de informações, cuja leitura é considerada indispensável aos usuários do presente Programa-Padrão de Instrução. I. INTRODUÇÃO
  4. 4. de atributos da área afetiva e de atitudes voltadas para a aceitação de valores julgados necessários para que um indivíduo se adapte às exigências da vida militar. 2) Obtenção de Padrões de Procedimento (OP) - padrões de pro-cedimento defi nidos pelo conjunto de ações e reações adequadas ao militar, 4.00 diante de determinadas situações. 3) Aquisição de Conhecimentos (AC) - assimilação de conceitos, idéias e dados necessários à formação do militar. Este objetivo será atingido por intermédio da ação dos instrutores e monitores, durante as sessões de ins-trução. 4) Desenvolvimento de Habilitações Técnicas (HT) - correspondem aos conhecimentos e às habilidades indispensáveis ao manuseio de materiais bélicos e à operação de equipamentos militares. 5) Obtenção de refl exos na execução de Técnicas Individuais de Combate (TE) - uma técnica individual de combate caracteriza-se por um con-junto de habilidades militares que proporcionam a consecução de um determi-nado propósito, de forma vantajosa para o combatente. Para ser desenvolvida ou aprimorada, não há necessidade de se criar uma situação tática (hipótese do inimigo, variações do terreno e imposições de tempo). 6) Capacidade física (CF) - obtida pela realização do Treina-mento Físico Militar (TFM) de forma sistemática, gradual e progressiva. Também concorrem para este objetivo atividades como as pistas de apli-cações militares, as marchas a pé e os acampamentos e bivaques, que au-mentam no indivíduo a rusticidade e a resistência, qualidades que possibi-litam ao indivíduo “durar na ação” em situações de desgaste e de estresse. 3. ESTRUTURA DA INSTRUÇÃO a. Blocos A e B – Cultura Geral e Cultura Militar Os assuntos estão discriminados no corpo da proposta e dispensa ob-servações, exceto para dois deles: Atributos da Área Afetiva (AAA) e Direito Internacional Humanitário (DIH) e dos Confl itos Armados (DICA). No assunto AAA, a observação relaciona-se à necessidade de se explorar I. INTRODUÇÃO 1. FINALIDADE O presente trabalho é uma proposta para um Programa-Padrão (PP) para a capacitação Técnico-Tática do Efetivo Profi ssional. Tem, portanto, caráter experimental e visa a regular essa instrução nas diversas Organizações Militares (OM) do Exército. 2. OBJETIVOS DO PERÍODO a. Objetivos gerais 1) Aperfeiçoar e manter os padrões individuais do EP. 2) Manter a instrução do EP da OM durante todo o ano de instrução; 3) Sanar defi ciências na instrução individual e no adestramento do EP em qualquer época do ano de instrução. 4) Participar do desenvolvimento e da consolidação do valor profi ssional dos comandantes em todos os níveis. 5) Manter o EP em condições de ser empregado em qualquer época do ano, quer em operações de defesa externa, quer em operações de GLO. b. Objetivos parciais 1) Aprimorar habilitações técnicas e capacitar o EP a operar corretamente todo o armamento e o material de comunicações existente na OM. 2) Proporcionar aos quadros oportunidades e situações para exercitarem os atributos da área afetiva que favoreçam o desenvolvimento da liderança militar. 3) Desenvolver em todos os integrantes do EP a autoconfi ança, a disci-plina, a persistência, a combatividade e o entusiasmo profi ssional. 4) Manter e aprimorar a capacidade física. 5) Ampliar a cultura geral e profi ssional. 6) Preparar o instrutor e o monitor de corpo de tropa. c. Explicação dos Objetivos Parciais da Instrução Individual do Efetivo Variável 1) Formação do Caráter Militar (FC) - consiste no desenvolvimento
  5. 5. 5.00 os valores explanados no vade-mecum 10, para reforçar a Ética Militar, que concorre com inúmeros outros valores nocivos à vida na caserna, os quais, muitas vezes, são acessíveis à Sociedade Militar pelos múltiplos meios de comunicação à disposição de todos os cidadãos. Nesse contexto, é importante reforçar a atitude de combate ao vício junto ao EP principalmente o alcoolismo e o consumo de drogas ilícitas. b. Bloco C – Capacitação Administrativa Este bloco reúne dois assuntos de grande interesse para a Força: 1) o bloco simpósio para atualização dos conhecimentos administrativos para o ano corrente, regulado pela SEF; e 2) o Plano de Gestão da OM, com ênfase para os planos de ação e pro-jetos, constantes do Planejamento Estratégico Organizacional do Cmt. Vale ressaltar que a participação do EP na implantação paulatina da Ex-celência Gerencial é de fundamental importância para o sucesso dessa tarefa. c. Blocos D e E – Capacitação Técnico-Operacional Específi ca e Tática Em relação a esses dois blocos, seguem as observações abaixo: 1) TFM a) O tempo previsto para a execução da sessão é regulado pelo PIM e normalmente é de 1h e 30 min, preferencialmente sem solução de continui-dade entre o aquecimento, o trabalho principal, a volta à calma e a higiene da tropa. b) Sugere-se a realização de 05 sessões semanais. c) O TFM deve ser encarado como uma atividade agradável, em que pese o esforço físico para se atingir os objetivos estabelecidos. Assim, os excessos de qualquer natureza, mormente aqueles que caracterizem sanção disciplinar ou trote, estão terminantemente proibidos. d) O ideal é o EP realizar o aquecimento com o EV e seu trabalho prin-cipal próprio, do começo do ano de instrução até o início da qualifi cação, uma vez que seu padrão de desempenho físico está em nível superior ao do EV. 2) Didática da Instrução Militar Deve ser ministrada antes da Incorporação, com foco no pessoal recém-chegado à OM, principalmente para 3° Sargentos, Aspirantes-a-Ofi cial e Tenentes Temporários recém-incorporados. Essa instrução pode ser repetida a qualquer tempo, a critério do Cmt OM. 3) Prevenção de Acidentes na Instrução e no Serviço Essa instrução deve ser ministrada antes da incorporação a todo o EP. O instrutor da matéria deve contribuir para que seus instruendos identifi quem os fatores contribuintes dos acidentes e assim evitem os riscos das intruções. Para tanto, é fundamental o estudo do Caderno de Instrução CI 32-2 (Gerenciamento de Risco Aplicado às Atividades Militares). Assuntos que transcendem ao Serviço e Instrução também devem ser explorados, a exemplo dos perigos do trânsito, principalmente para os militares motociclistas. 4) Avaliação do Pessoal Militar Como tema de interesse ao longo de toda a carreira, é fundamental o conhecimento do mecanismo da avaliação e seus refl exos, com objetivo de se estabelecer a transparência e a justiça. Embora os Cb e Sd não sejam quantifi cados quanto ao mérito, é ine-gável que são avaliados constantemente e o refl exo disso está inexoravelmente relacionado ao processo de engajamento e reengajamento. Daí a importância do esclarecimento do EP quanto a este tema. 5) Reforço da Qualifi cação e Capacitação Tática A intenção é levar o EP, constituído em Frações, para o Exercício no Terreno. Os objetivos do exercício estão intrinsecamente relacionados à QM e a sua participação dentro de suas respectivas frações, com foco na retifi cação de aprendizagem do ano anterior ou nos OA do ano corrente. O COTER entende que as FAR precisam de mais tempo no terreno para atingir seus padrões desejáveis de operacionalidade. Neste caso, os Cmt dessas OM podem estabelecer outros OA em outros ET, o que está condicionado à disponibilidade de tempo e recursos. 6) GLO O intuito dos OII de GLO é atualização dos conhecimentos jurídi-
  6. 6. 6.00 cos, operacionais e de apoio às Op GLO, preferencialmente relacionados às prováveis operações que a OM pode participar. Esse bloco deve ser ministrado antes do PAB GLO. Recomenda-se a consulta ao PPA/GLO, a fi m de identifi car o em-prego da Força nesse tipo de operação e a importância de que haja na OM uma fração sempre pronta para responder a situações de contingência, conforme as diretrizes do C Mil A. 4. DIREÇÃO E CONDUÇÃO DA INSTRUÇÃO a. Cmt OM O responsável pela Direção da Instrução é o Comandante, Chefe ou Diretor de OM. Cabe-lhe, assessorado pelo S3, planejar, orientar e fi scalizar as ações que permitirão aos integrantes do Efetivo Profi ssional atingirem os objetivos propostos. b. S3 1) Planejar a distribuição dos tempos de instrução ao longo do ano, privilegiando o 1º semestre do ano. 2) Planejar a utilização de áreas e meios de instrução, de forma a garantir uma distribuição equitativa pelas Subunidades ou órgãos correspondentes. 3) Seguir as demais prescrições comuns ao SIMEB. c. Cmt SU 1) O Comandante de Subunidade ou de Grupamento(s) de Instrução (ou correspondente) é o responsável pelo comparecimento do EP de sua SU às instruções e pela condução do Estudo Individual, o qual visa ao autoaperfeiço-amento do EP e à racionalização do tempo de instrução da OM. 2) O Cmt de Subunidade é o chefe da equipe de instrutores, quando o EP estiver designado para instrução no âmbito da SU. d. Métodos e Processos de Instrução 1) Os métodos e os processos de instrução da CTTEP são os mesmos conhecidos e consolidados no Exército. 2)Contudo, para racionalizar o tempo de instrução, foi sugerido que alguns objetivos sejam atingidos por meio do Estudo Individual. A conferência desse estudo pode ser fi scalizada, posteriormente, pelo instrutor da matéria, por meio do Interrogatório. Ambos os processos de instrução estão descritos no manual do Instrutor (T 21-250). 3)As modifi cações levantadas quanto à adequação das “condições de execução” e dos “padrões mínimos” deverão ser levadas ao Comandante da Unidade, a fi m de que ele, assessorado pelo S3, decida sobre a melhor forma de se atingir os OII estabelecidos no programa. 4) Vale destacar o emprego do Cb/Sd do EP como auxiliar de instru-ção, a título de executante perfeito, postura que serve de exemplo, inclusive, ao EV. 5. GRUPAMENTOS DE INSTRUÇÃO Como a CTTEP concorre diretamente com a instrução do EV, entre outras atividades da OM, é natural a difi culdade para sua realização. No entanto, a instrução do EP é prioritária em relação à do EV. Assim po-derão ser constituídos grupamentos de instrução para o EV e para o EP, ainda que se utilize do sistema de rodízio de grupamento de instrução, tudo a fi m de permitir a preparação adequada das instruções e a preparação da adequada da equipe de instrução. Naturalmente, a escolha do método de instrução correto infl uenciará na condução do programa aqui apresentado. Para tanto, o COTER reforça a neces-sidade da consulta ao T 21-250, uma vez que, para motivar o EP, há necessidade de instruções bem preparadas. 6. OBSERVAÇÕES SOBRE OS OII E CARGA HORÁRIA As sugestões para objetivos intermediários, os assuntos e a carga horária da matéria são “sugestões”. Cabe à Equipe de Instrução defi nir a melhor maneira de se atingir o padrão mínimo estabelecido. Como bem defi nido, o padrão mínimo é o “mínimo” que o militar tem de saber. Deverá ser verifi cada a disponibilidade de tempo e de meios para defi nir a amplitude dos assuntos a serem ministrados, a fi m de cumprir todo o PP.
  7. 7. 7.00 A seguir, são apresentados os Módulos dos Assuntos, com os respectivos Objetivos Individuais de Instrução (OII). II. BLOCOS DOS ASSUNTOS
  8. 8. 01. CULTURA GERAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 8.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Quadro de situação do EB. 2. Distribuição dos Grandes Co-mandos. 3. Distribuição das Brigadas. 4. Localização da OM no âmbito da articulação do EB. Em sala, após estudo prévio individual e utilizando-se de um mapa do Brasil, inserir, paulatinamente, os Grandes Co-mandos e as Brigadas do EB pelo território nacional. Conhecer a articulação do Exér-cito Brasileiro no território na-cional, assim como a concepção estratégica de cada G Cmdo. Identifi car corretamente a localização das DE, das RM e das Brigadas pelo território brasileiro e a OM no contexto da articulação do EB. - Identifi car a localização dos Grandes Comandos. - Identifi car a localização das Brigadas. - Identifi car a OM no contexto da articu-lação do EB. 01-01 (AC) Diante de um mapa-mundi, serão apresen-tados os principais focos de atrito nacionais ou internacionais da atualidade. Identifi car os principais confl itos da atualidade, nos quais o EB emprega pessoal ou tropa. Identifi car os confl itos em que o Brasil emprega tropa constituída ou mesmo o Observador Militar. 01-02 (AC) - Identifi car os principais focos de atrito internacionais. - Identifi car os atritos em que o EB é empre-gado, por meio de Observadores Militares, pequenos grupos e tropa constituída. 1. De uma forma geral, como se dá a evolução para a situação de confl ito. 2. Confl itos da atualidade. 3. Confl itos em que o EB está repre-sentado. 4. Principais razões para o emprego do EB nesses confl itos. Palestra em sala para mostrar aos ins-truendos a articulação, no nível Brigada, do Exército na Faixa de Fronteira. Conhecer o emprego do Exército na Faixa de Fronteira. Identifi car as Brigadas vocacionadas 01-03 para a missão de defesa externa. (AC) - Identifi car as Bda do CMA, CMO e CMS; - Conhecer os principais aspectos da Lei 117; - Identifi car as formas de atuação do Exér-cito na Faixa de Fronteira. 1. O Exército na fronteira. 3. As Brigadas na fronteira. 4. A Lei 117.
  9. 9. 02. COMUNICAÇÃO SOCIAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 2h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 9.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Apresentar o Pl Com da OM. 2. Ordens do Cmt OM sobre o tema. 3. Trato com a mídia. 4. Teste do certo e errado, em relação ao trato com a mídia. Palestra dirigida ao EP, preferencialmente realizada por militar especializado ou que tenha realizado estágio de Com Soc ou que exerça função na área. Conhecer o Plano de Comunica-ção Social da OM Identificar as principais ordens do Cmt OM contidas no Pl Com Soc da OM e citar aspectos para o trato com a mídia. - Apresentar o Plano de Comu-nicação Social da OM. - Citar as principais ordens contidas no Pl Com Soc OM. - Citar como deve ser o trato de cada inte-grante da OM com a mídia. 02-02 (AC) Palestra dirigida ao EP, preferencialmente realizada por militar especializado ou que tenha realizado estágio de Com Soc ou que exerça função na área. Conhecer aspectos da Comuni-cação Social do Exército. Identifi car os veículos de comunicação social do Exército e a importância da imagem positiva da Instituição e seus integrantes junto à opinião pública, para o êxito das operações. 02-01 (AC) 1. Os principais veículos de Comuni-cação Social do Exército. 2. Gráfi co de pesquisa de opinião mais recente. 3. Aspectos da conduta individual que favorecem a imagem positiva da Instituição junto à sociedade. 4. Trato com a imprensa. - Citar os veículos de Comunicação Social do Exército. - Citar os resultados da pesquisa de opinião pública mais recente sobre o Exército Brasileiro. - Citar a importância da conduta de cada integrante para a manutenção de índices de credibilidade elevados. - Apresentar fatores que fortalecem e que enfraquecem a imagem da Instituição junto à sociedade.
  10. 10. 03. CULTURA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 10.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Data de criação da OM. 2. Finalidade de criação da OM. 3. Principais eventos históricos. 4. Composição do escudo da OM. Palestra de apresentação do histórico da OM. Conhecer o histórico e o signifi - cado do escudo de sua OM. Responder corretamente a data de cria-ção de sua OM e interpretar a heráldica do escudo da mesma. - Identifi car os principais eventos do his-tórico da OM. - Identifi car os eventos que foram incor- 03-01 porados ao escudo de sua OM. (AC) Palestra de apresentação das novas tecno-logias militares empregadas nos confl itos da atualidade. Conhecer novas tecnologias mili-tares incorporadas ao EB. 03-02 (AC) Conhecer o resultado de deter-minada batalha realizada por tropas brasileiras. 03-03 (AC) - Identifi car as novas tecnologias militares na atualidade. - Identifi car quais dessas tecnologias estão em uso no EB. 1. Novas tecnologias militares. 2. Tecnologias recém-incorporadas ao EB. 3. Tecnologias autóctones. 4. Cenários tecnológicos prospec-tivos. Identifi car a maior parte das novas tec-nologias recém-incorporadas ao EB. Palestra de apresentação de uma batalha realizada por tropas brasileiras, dentro do histórico de batalhas do EB. Identifi car a disposição das tropas na Ordem de Batalha e o resultado fi nal do combate. - Identificar o contexto histórico do evento. - Identifi car a movimentação das forças, até a disposição fi nal. - Identificar os principais eventos da batalha. - Identifi car o resultado fi nal do combate. 1. Evolução histórica do conflito em tela. 2. Movimentação das forças. 3. Ordem de Batalha. 4. Resultado fi nal. 5. Lições aprendidas. Conhecer as principais ativida-des subsidiárias do Exército na atualidade. 03-04 (AC) Palestra apresentando as principais ativi-dades do Exército na atualidade. Sugere-se apresentar fotografi as e manchetes de jornal. Identificar as principais atividades subsidiárias do Exército. - Identifi car as principais obras realizadas pelo Exército; - Identifi car o emprego da Engenharia militar. - Identificar o apoio do Exército na Amazônia. - Outros. A critério do Instrutor.
  11. 11. 04. ATRIBUTOS DA ÁREA AFETIVA TEMPO ESTIMADO DIURNO: A cargo CMT OM (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 11.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. A sociedade moderna e suas fa-cilidades. 2. A importância de uma vida sau-dável. 3. Vícios mais comuns aos militares. 4. Atitudes positivas diante do vício. 5. Como o militar deve motivar sua família para que essa evolua sem vícios. Durante formatura da OM ou frações menores, ou mesmo em sala, caracterizar a importância de se levar uma vida sau-dável, exemplifi cando com casos reais da localidade da OM. Identificar atitude contrária ao vício. Manifestar atitude contrária ao vício de qualquer natureza. - Identifi car as mudanças ocorridas na sociedade brasileira. - Identifi car os vícios mais comuns aos integrantes do segmento militar. - Citar atitudes positivas no sentido de afastar-se desses vícios. 04-01 (FC) Durante formatura da OM ou frações menores, ou mesmo em sala, caracterizar destacar o valor dos vultos da história militar (patronos). Pode ser realizada descentralizadamente. Explorar o Vade-Mécum 10. Descrever o conjunto de regras que compõem a ética militar. 04-02 (FC) 04-03 Descrever os valores militares. (FC) - Conceituar os atributos integrantes da ética militar. - Citar como interagem os atributos de forma a permitir ao militar exteriorizar a ética de forma espontânea. 1. Sentimento do Dever. 2. Honra Pessoal. 3. Pundonor Militar. 4. Decoro da Classe. Manifestar espontaneamente a ética militar. Manifestar espontaneamente os valores militares. - Citar os valores que caracterizam a Ins-tituição e seus integrantes. - Identifi car os aspectos que integram cada um desses valores. 1. Patriotismo 2. Civismo 3. Fé na missão do Exército 4. Amor à profi ssão 5. Espírito de Corpo 6. Aprimoramento técnico-profi s-sional. 04-04 Descrever os deveres militares. (AC) Manifestar espontaneamente os deveres militares. - Citar como se manifestam os deveres militares. - Citar a importância do rigoroso cumpri-mento dos deveres e ordens. - Citar a importância do trato digno do subordinado para a liderança militar. - Descrever a diferença entre dever moral e jurídico. 1. Dedicação e fi delidade à Pátria. 2. Respeito aos Símbolos Nacionais. 3. Probidade e Lealdade. 4. Hierarquia e Disciplina. 5. Rigoroso cumprimento de deveres e ordens. 6. Trato do subordinado com dig-nidade.
  12. 12. 05. DIREITO INTERNACIONAL HUMANITÁRIO (DIH) E DIREITO INTERNACIONAL (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 12.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Conceito de DIH. 2. Convenções III e IV de Genebra. 3. Tratamento com PG. 4. A lida com civis em tempo de guerra. 5. Sítios para consulta: - http://www.icrc.org/por; e - http://onu-brasil.org.br/ Palestra (1h) sobre DIH, apresentando os principais conceitos desse tema. Segue-se Estudo Domiciliar. Após estudo, questionar os instruendos sobre DIH e seus refl exos sobre as opera-ções militares, em particular o tratamento de PG e civis. Conhecer as peculiaridades do DIH. Responder com acerto de, pelo menos, 80 % das questões sobre PG, aplicando, posteriormente, esses conhecimentos nos futuros exercícios da OM. - Identifi car a Convenção III, de Genebra, de 12 ago 1949, relativa ao tratamento dos PG. - Identifi car a Convenção IV, de 12 ago 1949, relativa à proteção de civis em tempo de guerra. - Apresentar as principais normas de in-teresse para os militares da OM as quais regulam o trato com PG e civis. 05-01 (AC) DOS CONFLITOS ARMADOS (DICA) TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h 1. O Estatuto de Roma. 2. Os crimes de guerra. 3. A responsabilidade dos graus hierárquicos. 4. As penas. 5. A aplicação do DIH pelos brasileiros do Batalhão de Infantaria de Força de Paz no Haiti. Conhecer as peculiaridades do Estatuto de Roma. Responder com acerto de, pelo menos, 80 % das questões sobre o Art 8º do Estatuto de Roma. - Citar os principais aspectos do Estatuto de Roma. - Citar os crimes de guerra previstos no Art 8º do Estatuto de Roma. - Citar a aplicação de penas relativas aos crimes de guerra. - Citar o desempenho dos brasileiros no Batalhão de Infantaria de Força de Paz, no Haiti. 05-02 (AC)
  13. 13. (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 13.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. O Sistema Nacional de Mobilização – SINAMOB. 2. Conceitos básicos a. Mobilização e Desmobilização Nacional. b. O preparo, a decretação e a execução da Mobilização. 3. As medidas necessárias à execução da Mobilização. 4. A Estrutura do SINAMOB. 5. O Decreto Nº 6.592 a. Agressão estrangeira. b. A Logística Nacional. c. A Estratégia Nacional de De-fesa. Após estudo prévio orientado pelo ins-trutor, questionar os instruendos sobre o SINAMOB. Todo o EP. Conhecer o Sistema Nacional de Mobilização (SINAMOB). Identificar o funcionamento do SINAMOB e sua estrutura, assim como a defi nição de agressão estrangeira. - Identifi car a fi nalidade do SINAMOB. - Citar os conceitos de preparo, decretação e execução da Mobilização⁄Desmobilização Nacional. - Identifi car a composição do SINAMOB. - Conhecer o Decreto Nº 6.592, de 2 de outubro de 2008, que regulamenta a Lei do SINAMOB. 06-01 (AC) 06. MOBILIZAÇÃO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h 1. Considerações Gerais sobre o SIMOBE a. Generalidades. b. Princípios Básicos. c. Objetivos. 2. Organização do SIMOBE. a. Concepção Geral e Lógica. b. Estrutura Organizacional. c. Funcionamento do Sistema. 2. A competência dos integrantes do SIMOBE e dos Órgãos Mobili-zadores. Após estudo prévio orientado pelo ins-trutor, questionar os instruendos sobre as instruções que regulam o SIMOBE. Todo o EP. Conhecer o Sistema de Mobili-zação do Exército – SIMOBE (IG 20-07). Identifi car as principais peculiaridades do SIMOBE e seus refl exos para as organizações militares - Identifi car a fi nalidade e organização do SIMOBE. - Apresentar os integrantes do sistema; - Identifi car o funcionamento do SIMOBE. - Citar a importância dos Órgãos Mobi-lizadores. 06-02 (AC) 06-03 (AC) Conhecer o Sistema de Mobiliza-ção Militar (SISMOMIL). Após estudo prévio orientado pelo instru-tor, questionar os instruendos sobre sobre o SISMOMIL. Todo o EP. Apresentar a estrutura do SISMOMIL. - Identifi car a ligação organizacional entre o SISMOMIL e o SINAMOB. - Citar os principais integrantes do SIS-MOMIL. 1. O SISMOMIL. 2. Estrutura a. Órgão de Direção Setorial da Ex-pressão Militar (ODSEM) - Ministério da Defesa; e b. Sistema de Mobilização do Exército (SIMOBE), do Comando do Exército. 3. Competências dos integrantes do SISMOMIL.
  14. 14. 06. MOBILIZAÇÃO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 14.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Conhecer a Mobilização de Re-cursos Humanos (IR 20-20). 1. A Mobilização de Recursos Hu-manos a. Conceituações e apoiadores. b. Especifi cidades da mobilização de recursos humanos. c. Cadastro eletrônico dos recursos humanos. 2. Exercício de Mobilização de Re-cursos Humanos a. Considerações e conceituações dos Exercícios; e b. Exercício de Apresentação da Reserva (EXAR-Net). 3. A competência dos integrantes do Sistema e dos Órgãos Mobili-zadores. Após estudo prévio orientado pelo instru-tor, questionar os instruendos sobre as nor-mas que regulam o Sistema de Mobilização de Recursos Humanos. Todo o EP. Citar os principais encargos de mobili-zação das Organizações Militares. - Citar as instruções que regulam a mobili-zação de recursos humanos no Exército. - Identifi car os prazos de mobilização. - Citar os tipos de Exercícios de adestra-mento da Reserva Mobilizável. - Identifi car os órgãos mobilizadores e suas atribuições. 06-04 (AC) 06-05 (AC) Conhecer a Mobilização de Re-cursos Logísticos (IR 20-10). Após estudo prévio orientado pelo instru-tor, questionar os instruendos sobre as nor-mas que regulam o Sistema de Mobilização de Recursos Logísticos. Todo o EP. Citar os principais conceitos relativos à mobilização de recursos logísticos. - Identifi car as normas que regulam a mo-bilização de recursos logísticos. - Identifi car o funcionamento do sistema. - Citar os diversos setores abrangidos pela mobilização de recursos logísticos. 1. O Sistema de Mobilização de Re-cursos Logísticos. 2. Considerações gerais. a. Generalidades. b. Organização. c. Estrutura e funcionamento do sistema. 3. Exercício de Mobilização de Re-cursos Logísticos.
  15. 15. 06. MOBILIZAÇÃO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 15.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Conhecer a Defesa Territorial (Portaria nº 008-Gab Cmt Ex – Res, de 2 jul 02). 06-07 (AC) 1. Considerações Gerais da Defesa Territorial. 2. Organização da Guarda Territorial: a. a Missão; b. concepção de Emprego; e c. Estrutura Organizacional: 1) Comando do Batalhão de Guarda Territorial 2) Companhia de Guarda Ter-ritorial 3) Pelotão de Guarda Territorial a 04 grupos. 3. Funcionamento da Defesa Ter-ritorial 4. O Exercício de Defesa Territorial. - Identifi car os principais con-ceitos da Defesa Territorial; - Identifi car a constituição da Guarda Territorial; e - Apresentar os encargos de Defesa Terri-torial da OM. Citar os principais conceitos para o pla-nejamento e a estrutura da Defesa Terri-torial no âmbito da Força Terrestre. Após estudo prévio orientado pelo ins-trutor, questionar os instruendos sobre o planejamento e a execução da Defesa Terri-torial. Of e ST⁄Sgt. Os demais integrantes do EP, a critério do Cmt OM. 1. Considerações gerais dos Exercí-cios de Mobilização: a. Generalidades. b. Tipos de Exercícios. c. Prazo. d. Seleção da Reserva Mobili-zável. e. Portaria de Convocação de Reservistas. 2. O Exercício de Adestramento da Reserva Mobilizável. Participar do Exercício de Mo-bilização. - Identifi car a fi nalidade dos Exercícios de Mobilização. - Citar as instruções e o prazo para a preparação do efetivo mobilizado para o exercício de mobilização. Citar os principais encargos de plane-jamento e preparo dos exercícios de mobilização das Organizações Militares, fi cando ECD participar do exercício de mobilização junto com a reserva selecionada pela OM. Após estudo prévio orientado pelo ins-trutor, questionar os instruendos sobre as normas que regulam os Exercícios de Mobilização para OM Operacional e Defesa Territorial. Todo o EP. 06-06 (AC)
  16. 16. 07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 7h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 16.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Regulamento Disciplinar do Exército. 2. Regulamento Disciplinar do Exér-cito – Anexo IV. Palestra para reapresentação dos princi-pais aspectos do Regulamento Disciplinar do Exército. Todo o EP. Identifi car transgressão disci-plinar Identifi car as principais transgressões disciplinares do Anexo IV do RDE e como evitá-las. - Identifi car os principais aspectos do RDE. - Identifi car as transgressões disciplinares do Anexo IV do RDE. 07-01 (AC) 1. Justiça Militar da União. 2. Crimes militares. 3. Processos administrativos da OM. 4. Razões de Defesa. Palestra de apresentação da legislação que regula a Justiça Militar da União e do Ministério Público Militar, em parti-cular as peculiaridades da rotina da OM. Todo o EP. Identifi car as principais pecu-liaridades da Justiça Militar da União e do Ministério Público Militar, no contexto da OM. Identifi car as principais peculiaridades da Justiça Militar da União e do Ministé-rio Público Militar e seus refl exos sobre a profi ssão militar. - Identifi car a organização da Justiça Militar da União e do Ministério Público Militar. - Identifi car os principais crimes mili-tares. - Apresentar os processos administrativos internos, à disposição do militar, antes de se recorrer à justiça comum. - Citar a importância das Razões de Defesa. Estudo Dirigido, para Ofi ciais e Sargentos, sobre as normas que regulam a confecção de uma sindicância. Os Cb e Sd seguem para outra atividade a critério do Cmt. Realizar uma Sindicância. Citar os prazos e as peças fundamentais que compões uma sindicância. 1. Normas que regulam a Sindi-cância. 2. Prazos. 3. O processo investigativo. 4. O esclarecimento da situação. - Identifi car as normas que regulam a confecção de um IPM. - Identifi car prazos em um IPM. - Citar a importância do processo investi-gativo de uma sindicância para a decisão do Comandante. - Citar a oportunidade de defesa, para o sindicado, quando interpelado numa sindicância. 07-02 (AC) 07-03 (AC) 1. Normas que regulam um IPM. 2. O Encarregado do IPM. 3. O Escrivão do IPM. 4. A Testemunha em um IPM. Estudo Dirigido, para Ofi ciais e Sargentos, sobre as normas que regulam a confecção de um IPM. Os Cb e Sd seguem para outra atividade a critério do Cmt. Realizar um IPM. Responder com acerto o estudo de um caso esquemático de IPM. - Identifi car as normas que regulam a confecção de um IPM. - Identifi car os prazos em um IPM. - Citar o papel do Encarregado e do Escrivão em um IPM. 4. Citar o papel da Testemunha em um IPM. 07-04 (AC)
  17. 17. 07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 9h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 17.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. O CPPM. 2. Crimes Militares. 3. Desvantagens de cometer um crime militar. 4. A denúncia. 5. O tribunal militar. Palestra sobre os principais crimes milita-res, que os Cb e Sd incorrem. Vocacionada para Cb e Sd. Os Of, ST e Sgt, a critério do Cmt. Citar os principais crimes militares. Apresentar as desvantagens de ser de-nunciado por um crime militar. - Identifi car os principais crimes mili-tares. - Citar as principais desvantagens de ser denunciado por um crime militar. 07-06 (AC) 1. APF. 2. Casos do APF. 3. Preenchimento de APF. Palestra em sala, com apoio de militares ou civis especializado no tema. Sugere-se o preenchimento sumário de um APF pelos instruendo. Preencher um Ato de Prisão em Flagrante Delito (APF) Preencher as principais peças de um APF. - Identifi car as principais peças de um APF; - Preencher um APF como exemplo. 07-05 (AC)
  18. 18. 07. JUSTIÇA E DISCIPLINA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 9h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 18.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Normas que regulam os Tribunais de Honra. 2. Causas que levam o militar a respon-der diante de um Tribunal de Honra. 3. Conselho de Justificação (Lei 5.386/72). 4. Conselho de Disciplina (Decreto 71.500/72). 5. Penalidades impostas por um Tri-bunal de Honra. Palestra, para todo o EP, sobre os principais aspectos dos Tribunais de Honra. Conhecer os Tribunais de Hon-ra – Conselho de Justifi cação e Conselho de Disciplina. Apresentar as condições que podem conduzir um militar a responder a um Tribunal de Honra. - Identifi car a composição de um Tribunal de Honra. - Citar as condições que levam o militar a responder perante um Tribunal de Honra. - Citar as penas aplicáveis por um Tribunal de Honra. 07-07 (AC) 1. Lei nº 9.784/99 que regula o processo administrativo no âmbito federal. 2. Lei nº 6.880/80, Estatuto dos Mi-litares, quanto a prazos e formas de recursos administrativos militares. 3. Normas para a apuração de irre-gularidades administrativas (Port nº 008 – SEF, de 23 Dez 03). Palestra, ao EP, sobre as normas que regu-lam um processo administrativo. Identifi car os principais proces-sos administrativos no âmbito da Administração Pública Federal - apuração de irregularidade administrativa, apuração de transgressão disciplinar e soli-citações diversas às autoridades militares. Citar os principais tipos de processos administrativos, prazos e as peças fun-damentais que os compõem. - Identifi car as normas que regulam a con-fecção de um processo administrativo. - Identifi car os prazos em um processo administrativo. - Citar a importância do processo adminis-trativo para a decisão do Comandante. - Caracterizar a oportunidade de defesa e transparência, para o administrado, quando interpelado num processo administrativo. 07-08 (AC)
  19. 19. 08. AVALIAÇÃO DO PESSOAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 2h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 19.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1.O Sistema de Avaliação 2.Áreas de Avaliação: Relacionamen-to e Trabalho. 3. Atributos avaliados. 4. Avaliadores. 5. Características pessoais. Em 2 (dois) tempos de instrução, apresentar aos Of e Sgt da OM o Sistema de Avaliação de Pessoal do EB, suas características, recomendações, formas de avaliação e consequências. Conhecer o Sistema de Ava-liação de Pessoal do Exército Brasileiro. Identifi car os atributos a serem avaliados e suas menções. - Identifi car as características do Sistema de Avaliação. - Identifi car os atributos a serem ava-liados. - Conhecer as características da avaliação do Cmt. 08-01 (AC) 1. Formas de avaliação de pessoal. 2. Avaliadores. 3. Consequências da avaliação. Em 2 (dois) tempos de instrução, apresentar aos Cb e Sd do EP as formas e a importância da avaliação de pessoal, para os diversos fi ns: cursos, prêmios, engajamento, entre outros. Caso o Cmt OM julgue oportuno, pode estender o assunto ao EV. Avaliação de Pessoal. Identifi car as formas de avaliação e suas consequências. - Identifi car as características do Sistema de Avaliação. - Identifi car os atributos a serem ava-liados. - Conhecer as características da avaliação do Cmt. 08-02 (AC)
  20. 20. 09. MANUTENÇÃO DE ARMAMENTO, DE VIATURA E DAS INTALAÇÕES TEMPO ESTIMADO DIURNO: nos tempos de Mnt da OM (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 20.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Identifi car o material e ferramental para a manutenção. 2. Desmontar e montar os armamentos em 1º escalão. 3. Realizar a manutenção do arma-mento. No âmbito da fração, realizar a manutenção do armamento de dotação. Manutenir o armamento de dotação e coletivo. Identifi car o armamento, o ferramental e o material para manutenção e realizar a manutenção. - Separar o armamento, o ferramental e o material para manutenção. - Realizar a desmontagem e montagem de 1º escalão. - Realizar a manutenção do armamento de dotação. 09-01 (OP) 1. Material e ferramental para a ma-nutenção de Vtr. 2. Diferenciar as manutenções preven-tiva, corretiva e preditiva. 3. Realizar a manutenção das via-turas. Os integrantes da garagem, os motoristas e os chefes de frações dotadas de viaturas, disponíveis ou não, realizam a manutenção das Vtr, a comando, uma vez por semana. Nessa ocasião, a manutenção do armamen-to do pessoal da garagem será realizada pelo pessoal de sua Fração. Manutenir as viaturas. Realizar a manutenção, a comando, da viatura dentro do escalão considerado. - Identifi car o material e o ferramental necessários para a manutenção das via-turas. - Executar a manutenção, a comando, sob a coordenação do Cmt Pel Mnt. 09-02 (OP) 1. Identifi car as áreas de responsa-bilidade. 2. Conhecer o Plano de Manutenção da OM. 3. Realizar a manutenção das áreas de responsabilidade, das instalações e dos MEM. Apresentadas as áreas de responsabilidade, as instalações e o MEM, realizar a manu-tenção dentro do escalão considerado. Manutenir as instalações e os equipamentos. Realizar a manutenção de acordo com o Plano de Manutenção da OM, com aten-ção ao material de estacionamento. - Identifi car as áreas de responsabilidade. - Conhecer o Plano de Manutenção da OM. 09-03 (OP)
  21. 21. 10. CAPACITAÇÃO ADMINISTRATIVA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 13h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 21.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Compatível com cada palestra da coletânea constante do site. Participar do Simpósio de Admi-nistração da UG (OM). Responder, corretamente, a maioria das questões formuladas. Por meio de Estudo em computador, associado ao Interrogatório, e Palestras, participar do simpósio para atualização dos conhecimentos administrativos no âmbito de suas funções. Os Ofi ciais e Sargentos têm participação obrigatória. Cb e Sd a critério do Cmt OM. Deve ser realizado no primeiro trimestre do ano ou no mais tardar em data defi nida pela SEF. O site www.sef.eb.mil.br fornece todos os subsídios necessários para esta atividade. - Compatível com cada palestra da coletâ-nea constante do site. 10-01 (AC) 1. Casos rotineiros da seção. 2.Principais difi culdades encontradas no dia a dia. 3. Situações críticas da rotina bu-rocrática. Deverão ser apresentadas situações, rotineiras ou não, para padronização de procedimentos. Matéria para o EP envol-vido na área administrativa, conduzida pelo Ch Seç. Padronizar procedimentos, ro-tineiros ou não, na Seção e(ou) repartição, visando à busca da excelência na administração da OM. Identifi car e realizar a Análise e Me-lhoria dos processos e os projetos da seção. - Enumerar os procedimentos da seção para os principais casos de rotina iden-tifi cados. - Identifi car os gargalos nos procedimentos burocráticos realizados na seção. - Identifi car os principais óbices (Pontos fra-cos) encontrados no dia a dia da seção. 10-02 (AC) 1. Plano de Gestão da OM. 2. Integração dos Sistemas Operacio-nal, Logístico e Administrativo. 3. Plano de Ação e Projetos da OM. 4. Responsabilidades nos planos e projetos. Por meio de palestra, apresentar o Plano de Gestão da OM, com detalhes que permitam ao EP identifi car suas respectivas atribui-ções, individuais e coletivas, e conhecer os Planos de Ações. Todo o EP. Conhecer o Plano de Gestão, em particular, as responsabilidades nos planos de ação e nos projetos da OM. Citar as ações de responsabilidade de sua fração ou de seu cargo que contri-buem com as metas do Plano de Gestão da OM. - Identifi car as metas descritas no Plano de Gestão da OM. - Citar as atribuições individuais e da fração para a consecução das metas estabelecidas no Plano de Gestão da OM. - Descrever os processos de seu cargo. 10-03 (AC)
  22. 22. 11. PRESERVAÇÃO AMBIENTAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 22.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Por meio de palestra ao EP, destacar a importância do assunto para as operações militares da atualidade. Conhecer a importância da preservação do meio ambiente nas operações militares Identifi car a permanência dos danos causados, por falta de cautela, durante as operações militares. Inicialmente, por meio de palestra, apresentar medidas para eliminar indícios de passagem da tropa por itinerários e locais de estacionamento. Posteriormente, durante exercício, na marcha ou estacionamento, todo o EP deverá aplicar o que foi ensinado sobre higiene militar e saneamento em campanha. Conhecer medidas que eliminem rastros artifi ciais de passagem da tropa pelo terreno. Manter a área de passagem e estacio-namento limpa, absolutamente sem resquícios de lixo artifi cial. 1. Conceituação de meio ambiente. 2. Os ecossistemas. 3. A infl uência das operações militares sobre o ecossistema. 4. Casos históricos. 5. Reciclagem de material militar durante as operações: o exemplo do BI F Paz no Haiti. - Citar o desastre ambiental ocasionado pela queima dos poços de petróleo na Guerra do Iraque. - Citar o dano sobre a fl oresta tropical pelo emprego de desfolhantes na Guerra do Vietnã e da Guerra das Forças Arma-das da Colômbia contra Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. - Citar os remanescentes de engenhos falha-dos nas diversas confl agrações internacio-nais e o prejuízo às sociedades locais. - Citar o apoio do Brasil na desminagem de territórios em nações amigas. 1. Marcas artifi ciais de passagem de tropa no terreno. 2. Formas de eliminação de rastros da tropa. 3. Preparação (pente fi no) como última ação para deixar o local de passagem ou estacionamento. - Identifi car rastros artifi ciais anteriores à passagem da tropa no terreno. - Citar a importância de eliminar rastros artifi ciais no terreno. - Executar a limpeza do terreno, deixando-o o mais próximo do que foi encontrado antes da chegada da tropa. No local de estacionamento, empregar com cuidado o material natural para a camu-fl agem, assim como evitar a contaminação do solo e da água por detritos sólidos e líquidos. Recomenda-se para tal, pesquisa no Cap 6 do C 21-10 Saúde, Higiene Militar e Saneamento em Campanha pelos Cmt SU. Todo o EP. Preservar a área de estaciona-mento da OM. Manter tanto a vegetação, o solo e a água da região de estacionamento em condições de serem empregadas para o próximo exercício. 1. Contaminação do solo por óleo, automotivos, baterias e resíduos de cozinha. 2. Separação e destinação do lixo durante o exercício. 3. Comparar as vantagens da remoção dos detritos de retorno à sede, em rela-ção à fossa de detritos no terreno. 4. Uso da vegetação durante o exercício. 5. Uso do curso d´água durante o exercício. - Identifi car as formas de contaminação do solo: a. por resíduos sólidos; e b. por resíduos líquidos. - Identifi car o uso correto da vegetação para a camufl agem ou emprego como meios de fortuna, no sentido de preservar tanto o meio ambiente quanto à área de instrução da OM. - Identifi car o emprego correto dos cursos d´água pela tropa. 11-01 (AC) 11-02 (AC) 11-03 (AC)
  23. 23. 11. PRESERVAÇÃO AMBIENTAL TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 23.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Palestra dirigida aos quadros, preferencialmente centralizada e ministrada por militar possuidor de cursos ou estágio na área. Conhecer os prováveis crimes ambientais passiveis de acon-tecer na OM e áreas sob sua responsabilidade. Identifi car os prováveis crimes ambien-tais passíveis de acontecer na OM e área sob sua responsabilidade. 1. Noções de Meio Ambiente e Edu-cação Ambiental. 2. Crimes ambientais mais comuns. 3. A legislação ambiental em vigor, destacando os crimes ambientais mais comuns. 4. O prováveis crimes ambientais pas-síveis de acontecer na OM e áreas sob sua responsabilidade, bem como sua prevenção, vinculando-os à legislação ambiental vigente. . - Citar a legislação federal e do Exército, relativas ao assunto Meio Ambiente. - Apresentar os mecanismos de controle ambiental existentes no Exército e na OM. - Apresentar os crimes ambientais mais comuns passíveis de ocorrer na OM e áreas sob sua responsabilidade.. Palestra dirigida aos quadros, preferen-cialmente centralizada e ministrada pelo encarregado do PBGA da OM. Conhecer o Plano Básico de Gestão Ambiental (PBGA) da OM. Identifi car as principais ações do PBGA da OM. 1. Apresentar o PBGA da OM e suas principais obrigações. - Explorar o PBGA da OM, vinculando ao assunto anterior. 11-04 (AC) 11-05 (AC)
  24. 24. (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 24.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Tiro em ambiente urbano: técnicas e procedimentos. 2. Prática individual. 3. Pista de combate em localidade. Em ambiente simulado, do tipo pista de combate em localidade, executar a IPT e o TIP. Todo o EP. Executar a IPT para o tiro de pé modifi cado do TIA. Aplicar as técnicas para a pontaria do tiro em ambiente urbano. - Aplicar as técnicas para a pontaria do tiro em ambiente urbano. - Consolidar por meio do TIP, as técnicas do tiro em ambiente urbano. 12-01 (HT) 12. TIRO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 17h NOTURNO: 3h Durante sessão de tiro no estande, realizar as 2ª, 3ª e 4ª sessão do TCB. Observar o Cap 6- Tiro de Combate, particularmente o Art III, do C 23-1 Tiro das Armas Portáteis. Militares com Estg Op Mil Ambi Urb ou integrante do BI F Paz no Haiti podem contribuir com este módulo. Todo o EP. Executar o tiro de pé modifi cado do TIA. Acertar 2 impactos na silhueta em cada exercício da sessão. 1. Executar o exercício 202, da 1ª ses-são do TIA, com tiro em seco, SFC. 2. Executar a 2ª sessão do TCB. 3. Executar a 3ª sessão do TCB. 4. Executar a 4ª sessão do TCB. - Se ocorrer na sequência do módulo 12-01, não há necessidade de OII. - Caso haja solução de continuidade, rea-lizar o exercício 202, da 1ª sessão do TIA, com tiro em seco. Durante sessão de tiro no estande, realizar os exercícios 201 e 202 da 1ª Sessão do TIA. Observar o Cap 6 - Tiro de Combate, particularmente o Art III, do C 23-1 Tiro das Armas Portáteis. Militares com Estg Op Mil Ambi Urb ou integrante do BI F Paz no Haiti podem contribuir com este módulo. Todo o EP. Executar o tiro de pé modifi cado do TIA. Acertar 2 impactos na silhueta em cada sessão. - Executar o exercício 106 da 4ª sessão do TIB, a título de adaptação, com tiro em seco e real. - Executar o exercício 114 da 7ª sessão do TIB, a título de adaptação, com tiro em seco e real. - Executar os exercícios 201 E 202 a 1ª sessão do TIA. 1. Executar o exercício 106 com tiro em seco. 2. Executar o exercício 106 com tiro real. 3. Executar o exercício 114 com tiro em seco. 4. Executar o exercício 114 com tiro real. 5. Executar a 1ª sessão do TIA. 12-02 (OP) 12-03 (OP)
  25. 25. 13. COMANDO E CONTROLE TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 25.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Conceitos básicos de comando e controle. 2. Relações de comando. 3. Princípios de comando e controle. 4. Características de comando e controle. Identifi car a natureza e a abran-gência da atividade de comando e controle. O instruendo deverá citar os conceitos básicos da doutrina militar de comando e controle. - Citar os princípios de comando e con-trole. - Citar as características do sitema. Identifi car os principais compo-nentes da estrutura militar de comando e controle. O instruendo deverá citar os diversos componentes do Sistema Militar de Comando e Controle. 1. Estrutura de comando e controle. 2. Consciência situacional. 3. Centros de comando e controle. 4. Ciclo de comando e controle. - Identifi car as 03 (três) dimensões compo-nentes da capacidade de comando e controle (humana, organizacional e técnica). - Identifi car os dois fl uxos principais de informação (vertical e horizontal). Identifi car o fl uxo de informa-ções em uma Operação Combi-nada (Conjunta). O instruendo deverá citar os principais aspectos de comando e controle de uma operação combinada (conjunta). 1. Comando e controle em opera-ções combinadas (conjuntas). - Citar as características do comando e controle em operações combinadas (conjuntas). 13-01 (AC) 13-02 (AC) 13-03 (AC) 13-04 (AC) O instruendo deverá identificar os sistemas operacionais que compõe o Programa C² em Combate. 1. O programa comando e controle em combate. - Identifi car os sistemas operacionais que compõe o Programa C² em Combate. - Identifi car o fl uxo de informações pelos sistemas operacionais que compõe o Programa C² em Combate (Man, Intlg, Ap Fogo, Defesa AAAe, Mob, C Mob e Proteção e Log). Identifi car as principais funcio-nalidades do Programa C2 em Combate. Palestra sobre os exemplos da participação da OM em operações combinadas (conjun-tas) ou singulares. Todo o EP. Palestra sobre situações nas quais a OM empregará o Programa C² em Comba-te como ferramenta de apoio à decisão. Todo o EP.
  26. 26. 13. COMANDO E CONTROLE TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 26.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Palestra sobre situações nas quais a OM participe de operações inserida no SEC ou no SISTAC. Todo o EP. Conhecer as principais possi-bilidades e vulne- rabilidades do Sistema de Comunicações do Exército (SICOMEx). O instruendo deverá identifi car as prin-cipais possibilidades e vulnerabilidades do SICOMEx. 1. O sistema de comunicações do Exército. - Identifi car as principais características do Sistema Estratégico de Comunicações (SEC). - Identifi car as principais características do Sistema Tático de Comunicações (SISTAC). Palestra sobre situações nas quais o mili-tar, no exercício de suas funções, necessite identifi car as peculiaridades do ambiente da guerra da informação, que podem estar presentes nas situações da vida diária da OM ou em situações de adestramento e emprego real. Todo o EP. Identifi car as principais medidas relacionadas à Segurança da Informação. O instruendo deverá citar as principais medidas relacionadas à segurança da informação. 1. Operações de informação. 2. Segurança da informação. 3. Guerra Cibernética. - Identifi car as características de emprego da Guerra Eletrônica, das Operações Psi-cológicas e do Despistamento. - Identifi car ataques a redes de compu-tadores. - Identifi car medidas de defesa para redes de computadores. 13-05 (AC) 13-06 (AC) 13-07 (AC) Palestra sobre situações nas quais o militar, no exercício de suas funções, necessite iden-tifi car as características da guerra centrada em redes, presentes nas situações de ades-tramento e emprego real. Todo o EP. Conhecer os principais conceitos relacionados à Guerra Centrada em Redes. O instruendo deverá citar os principais conceitos atinentes à guerra centrada em redes. 1. Guerra centrada em redes. 2. Superioridade da informação. 3. O espaço de batalha. - Citar as características da guerra centrada em redes. - Identifi car a importância da informação e seu fl uxo.
  27. 27. (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 27.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Os previstos no manuais de campanha da coluna condições. O tempo mínimo destinado ao TFM nas OM do Exército é 90 minutos, incluídos aí o Aquecimento, o Trabalho Principal a Volta a Calma e higiene pessoal. Cada sessão possui condições específi cas de treinamento. Para a tropa, em geral, é fundamental a consulta do Manual de Campanha C 20- 20. Além dele, o C 20-50 (Lutas) também é útil para o desenvolvimento do TFM na tropa. Para a condução de outras atividades desportivas, inclusive as de competição, há os manuais C 20-51 (Esgrima), C 20-52 (Desportos Terrestres Coletivos), C 20-53 (Natação Desportiva), C 20-54 (Atletismo) e C 20-55 (Pentatlo Militar e Moderno). O concurso do Instrutor e(ou) Monitor de Educação Física é essencial ao planejamen-to anual do TFM e deve ser intensamente utilizado, para se atingir e manter elevados os Padrões de Desempenho e o Espírito de Corpo da OM. Sugere-se, no período de Instrução Indivi-dual básico, o EP realizar o aquecimento com o EV e realizar sessões compatíveis ao Padrão já atingido no fi nal no ano anterior (PBD, PAD ou PED). Todo o EP. Executar o TFM previsto, con-forme a orientação do PIM para o corrente ano de instrução. Manter o Padrão de Desempenho dentro do preconizado para a sua OM. É desejável que cada integrante do EP mantenha, no mínimo, conceituação B nos TAF. - De acordo com as metas anuais e espe-cífi cas para cada sessão. 14-01 (CF) 14. TREINAMENTO FÍSICO MILITAR (TFM) TEMPO ESTIMADO DIURNO: conforme PIM do ano corrente
  28. 28. 15. DIDÁTICA DA INSTRUÇÃO MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 28.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Conceitos Básicos a. Generalidades b. Funções do Instrutor c. Função do Monitor e do Au-xiliar d. Instrução voltada para o de-sempenho Palestra dirigida ao EP, em sala. Pode ocorrer de forma descentralizada, antes do início do ano de instrução. Conhecer os princípios básicos que tratam do desempenho das funções de Instrutor, Monitor e Auxiliar de Instrução. Identifi car as atribuições e responsabi-lidades de cada função. - Identifi car as atribuições do Instrutor. - Identifi car as atribuições do Monitor. - Identifi car as atribuições dos Auxilia-res. 15-01 (AC) 15-02 (AC) 15-03 (HT) Apresentar situações em que serão minis-tradas instruções para diferentes tipos de instruendo. Ao fi nal da instrução serão separadas equipes, entre as quais serão sorteadas aquelas que realizarão, na prática, uma ou mais instruções modelo. Atividade destinada ao EP que participa da instrução do recruta. Os demais, a critério do Cmt. Identifi car o planejamento, a preparação e a orientação para a execução de uma seção de instrução. Identifi car a sequência, a documenta-ção e a metodologia para preparar a instrução. 1. Documentos básicos a. o Ano de instrução b. Programas-Padrão c. Plano de sessão d. FIIB, FIIQ e FAAT 2. Metodologia - Princípios do processo ensino aprendizado. - Identifi car os documentos básicos da Instrução. - Conhecer os princípios do processo ensino aprendizado. Defi nida a equipe para uma determinada instrução (assunto, instruendos e locais pre-defi nidos pelo S3), realizar uma instrução modelo para os demais integrantes do EP. Atividade destinada ao EP que participa da instrução do recruta. Os demais, a critério do Cmt. Identifi car as técnicas de ins-trução e os meios auxiliares utilizados nas instruções Identifi car a técnica mais adequada, o local e os meios auxiliares necessários, para atingir ao grupo de instruendo defi nido pelo S3. 1. Técnicas de Instrução 2. Meios Auxiliares de Instrução. - Identifi car as técnicas de instrução. - Identifi car os meios auxiliares de ins-trução. - Executar a instrução.
  29. 29. 16. LIDERANÇA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 53h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 29.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 1. Filme. 2. Conceitos Básicos. 3. Perguntas do Instrutor. 4. Exemplos de Liderança na História Militar. Palestra de apresentação ao EP dos con-ceitos básicos de Liderança Militar. O EP pode ser dividido em grupos e a palestra ministrada na SU. Citar os conceitos básicos de Liderança Militar. Citar os conceitos básicos de Liderança Militar. - Apresentar um fi lmete ou parte de fi lme, no qual possam ser identifi cados os conceitos básicos de Liderança. - Citar os conceitos básicos de Liderança Militar. 16-01 (AC) 16-02 (AC) 16-03 (AC) Palestra de apresentação ao EP dos aspectos relacionados à capacidade de liderar gru-pos. O EP pode ser dividido em grupos e a palestra ministrada na SU. Citar os aspectos relacionados à Liderança Militar. Citar os aspectos fundamentais da Li-derança Militar. 1. Teorias de liderança. 2. Exemplos históricos de cada tipo de liderança. 3. Conceito de Liderança Militar. 4. Aspectos conjunturais da lide-rança. - Citar as principais teorias da liderança. - Citar o conceito de Liderança Militar. - Citar os aspectos conjunturais da lide-rança. Palestra ao EP sobre os princípios e tipos de liderança. O EP pode ser dividido em grupos e a palestra ministrada na SU. Citar os princípios e os tipos de liderança. Citar os princípios e os tipos de lide-rança. 1. Princípios de liderança. 2. Tipos de Liderança. 3. Comparar os tipos de liderança. 4. Filme. - Citar os princípios de Liderança Mi-litar. - Citar os tipos de liderança. - Comparar os tipos de liderança. 16-04 (AC) Apresentar ao EP um fi lme ou uma pa-lestra, com palestrante convidado pelo Comandante da OM, quando serão sinte-tizados os principais aspectos relacionados Citar os atributos do líder. Citar os atributos do líder. à Liderança Militar e que tenham sido explorados nas sessões anteriores. O ideal é que o EP esteja todo reunido num mesmo ambiente. 1. Atributos do líder. 2. O ser. 3. O saber. 4. O fazer. 5. Orientações sobre as particularidades da liderança na OM. - Citar o que o líder deve ser. - Citar o que o líder deve saber. - Citar o que o líder deve fazer.
  30. 30. 16. LIDERANÇA MILITAR TEMPO ESTIMADO DIURNO: 53h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 30.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 16-05 (AC) Apresentar ao EP um fi lme ou uma pa-lestra, com palestrante convidado pelo Comandante da OM, quando serão sinte-tizados os principais aspectos relacionados à Liderança Militar e que tenham sido explorados nas sessões anteriores. O ideal é que o EP esteja todo reunido num mesmo ambiente. Assistir de palestra sobre lide-rança. Identifi car os principais aspectos rela-cionados à Liderança Militar. - A critério do Cmt OM. - A critério do Cmt OM. 16-06 (AC) Conforme descreve o Caderno de Instrução CI 20-10/3 (Exercício de Desenvolvimen-to de Liderança) A análise da Ficha de Gerenciamento de Risco nas instruções é obrigatória, a fi m de minimizar os riscos de acidentes. Of, St e Sgt. Os Cb e Sd apoiam a instrução. Participar do Exercício de Desenvolvimento da Liderança (EDL) de 48 horas de duração. Executar todas as ofi cinas do exercício, conforme descritas no CI 20-10/3. - Conforme o CI 20-10/3. - Seguem as orientações do CI 20-10/3.
  31. 31. 17. PREVENÇÃO DE ACIDENTES NA INSTRUÇÃO E NO SERVIÇO TEMPO ESTIMADO DIURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 31.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS 17-01 (AC) Palestra dirigida ao EP, antes do início do ano de instrução. Conhecer o Caderno de Instru-ção CI 32/2 - Gerenciamento de Risco Aplicado às Atividades Militares Identifi car o CI 32/2 e o Formulário de Gerenciamento de Risco (FGR). 1. O CI 32/2. 2. Método do gerenciamento de risco. 3. O FGR. 4.Dicas de prevenção de acidentes. - Conhecer o CI 32/2. - Identifi car o método de gerenciamento de risco aplicado às atividades militares - Identifi car o Formulário de Gerencia-mento de Risco. 17-02 (AC) A instrução dos Cb e Sd deverá ser dirigida para o tema onde incorrem em maior risco (trânsito, armamento, serviços diários, etc). 3 tempos, no mínimo. No que diz respeito ao trânsito, sugere-se a participação de especialista na palestra. Preencher o Formulário de Ge-renciamento de Risco (FGR). Identifi car as atividades de maior risco para o Cb e Sd. 1. Principais atividades de risco. 2. Evitando acidentes com arma-mento. 3. Evitando acidentes com motocicletas e automóveis. 4. Evitando acidentes em cursos d´água. 5. Evitando acidentes com explo-sivos. 6. Evitando acidentes no TFM e pistas em geral. - Citar os principais riscos relacionados ao cotidiano de sua atividade. - Identifi car o que são os fatores contri-buintes. - Citar medidas de prevenção desses riscos. Palestra (1 tempo). A título de exemplo, preencher um FGR. A seguir, em duplas, dado um FGR sobre determinada instru-ção, preenchê-lo corretamente. Demonstrações (2 tempo). Num ambiente simulado, apresentar uma determinada instrução com sua FGR preenchida e detalhar os elementos de risco e o que foi feito para minimizá-los. Of, St e Sgt obrigatório, inclusive com publicação em BI da participação. Preencher corretamente o Formulário de Gerenciamento de Risco 1. Principais atividades militares de risco. 2. O FGR. 3. O Efeito “Dominó” nos acidentes. 4. Preenchimento do FGR. 5. Teste do preenchimento de FGR. 6. Correções do FGR preenchido pelos instruendos. - Citar as principais atividades militares de risco. - Apresentar o FGR de instrução de natação. - Identifi car o que são os fatores contri-buintes. - Preencher didaticamente esse FGR. - Preencher, em duplas, o FGR de uma outra instrução.
  32. 32. 18. ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR (APH) TEMPO ESTIMADO DIURNO: a regular pela RM (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 32.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS As estabelecidas pela Região Militar que apoia a OM, conforme a Portaria Nr 071- EME, de 25 jun 2007 e a Portaria Nr 2048/ GM, de 05 nov 2002 do Ministério da Saúde, Resolução nº 1.671/03 do Conselho Federal de Medicina (DOU 29 jul 03, p. 75-78). As instruções destinam-se aos Subtenentes e Sargentos de Saúde, no que diz respeito ao credenciamento para APH. No entanto, os Cb e Sd de Saúde poderão frequentar as instruções, a critério do Cmt OM, não podendo realizar o atendimento. Os Cb e Sd não estão credenciados ao APH. Prover APH, num primeiro nível de atenção, aos pacientes portadores de quadros agudos, de natureza clínica, traumática ou, ainda, psiquiátrica, para evitar o sofrimento, sequelas ou mesmo à morte, tudo associado ao transporte adequado para uma Unidade de Saúde de Ur-gência ou Emergência. Executar os procedimentos de emergên-cia em cada uma das situações traumá-ticas apresentadas, de modo a manter o paciente ECD receber o atendimento avançado. Os constantes do Cap VII, item 2 da Portaria Nr 2048/GM, de 05 nov 2002, do Ministério da Saúde. Conforme a categoria de cada profi ssional e associada ao tipo de evento apresentado. 18-01 (HT)
  33. 33. 19. CAPACITAÇÃO TÉCNICO-TÁTICA OPERACIONAL ESPECÍFICA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 80h (cerca de 2 semanas de ET) (1) NOTURNO: 32h (cerca de 2 semanas de ET) (1) (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 33.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Palestra, a título de Instrução Preliminar, para todo o EP, podendo ser ministrada no âmbito da SU aos Cb e SD. Identifi car o emprego tático da Arma Quadro ou Serviço, no âmbito da Guerra Regular, na Estratégia da Resistência e em Op GLO, ressaltando o papel da OM nesse contexto. Identifi car o emprego tático da Arma Quadro ou Serviço, associado aos Siste-mas Operacionais no contexto da Guerra Regular, na Estratégia da Resistência e em Op GLO. 19-01 (AC) 1. Doutrina de emprego da Arma Quadro ou Serviço. 2. Base doutrinária da OM. 3. A OM em Op de Guerra Regular, Resistência e GLO. 4. Os Sistemas Operacionais. 5. O módulo Brigada. 6. Matriz de sincronização. - Citar o emprego da Arma, Quadro ou Serviço no contexto das operações de Guerra Regular, Guerra de Resistência e Op GLO. - Identifi car o emprego da Fração dentro do respectivo Sistema Operacional e inserido no módulo Brigada. - Identifi car a importância da sincronização dos sistemas dentro do módulo Brigada. 19-02 (HT) (TE) Durante Exercício no Terreno, o Cmt OM, assessorado pelo S3, deverá estabelecer os objetivos a serem atingidos, de tal forma que esses objetivos reforcem os padrões que mais caracterizam a qualifi cação militar de cada integrante do EP, o qual deverá exercer suas funções numa Fração até o nível máximo Pel ou Seç. Nesse contexto, é essencial o emprego do armamento e equipamento de dotação. O EM da OM deverá exercer, por meio de sua experiência, o papel de facilitador no funcionamento dos subsistemas integrantes dos sistemas operacionais da OM. A Instrução Preliminar deverá preceder o Exercício. Todo o EP participa. Reforçar os padrões que mais caracterizam a qualificação militar do EP. Exercer com acentuado conhecimento seu cargo (Capacitação Técnica). Quan-do inserido em sua fração, participar de Objetivo de Adestramento previamente orientado e precedido da respectiva Instrução Preliminar, devendo a Fração, até o nível SU, SFC, obter a efi ciência exigida pelo Cmdo OM. 1. A importância de cada cargo dentro do sistema OM. 2. Estudo individual e preliminar das atribuições do cargo. 3. Escola de instrução para reforço de funções semelhantes, entre os inte-grantes das diversas frações da OM. 4. Exercício no terreno. - Citar os atributos peculiares a sua quali-fi cação militar. - Caracterizar, entre os atributos acima cita-dos, aqueles mais importantes e peculiares a sua qualifi cação militar. - Executar as atividades peculiares a seu cargo com perícia e efi ciência, no contexto de sua fração. (1) Tempo estimado para OM operacionais. Nas demais, a sugestão de tempo e seu respectivo emprego fi ca a cargo do Cmt OM, desde que seja empregado no reforço dos padrões de qualifi cação ou mesmo no reforço do adestramento de frações da OM.
  34. 34. 20. PLANO DE CHAMADA TEMPO ESTIMADO NOTURNO: 4h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 34.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Acionar o Plano de Chamada em uma situação, fora do horário do expediente, em que seja acionado o Plano de Chamada ou a Situação de Ordem de Marcha. Todo o EP ou todo o efetivo da OM. Participar das atividades previs-tas no Plano de Chamada. Proceder de acordo com as ordens re-cebidas e(ou) NGA da SU/U. 20-01 (OP) 1. Situações extraordinárias da tropa e procedimentos respectivos. 2. Plano de Chamada. 3. Sinais de reunião ou alarme. 4. Conduta do militar para respon-der à situação extraordinária. Comparecer ao aquartelamento, dentro do tempo previsto, quando acionado o Plano de Chamada.
  35. 35. 21. APRESTAMENTO DO PESSOAL E MATERIAL DE PRONTO-EMPREGO DA OM TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 35.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Acionada uma situação extraordinária fora do expediente, o EP deverá preparar-se para responder à situação, segundo as NGA da OM. Executar o aprestamento do pessoal pronto-emprego da OM, após o acionamento do Plano de Chamada. Executar o aprestamento do pessoal e material no tempo inferior a 6 horas. 1. Situações Extraordinárias da Tropa. 2. NGA de Apronto Operacional da OM. 3. Execução do Apronto Operacional. Acionada uma situação extraordinária du-rante o expediente, o EP deverá preparar-se para responder à situação, segundo as NGA da OM. Executar o aprestamento do pessoal pronto-emprego da OM durante o expediente. Executar o aprestamento do pessoal e material no tempo inferior a 2 horas. 21-01 (OP) - Descrever as NGA de Apronto Opera-cional da OM. 21-02 (OP)
  36. 36. 22. DEFESA DO AQUARTELAMENTO TEMPO ESTIMADO DIURNO: a critério do Cmt OM (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 36.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Este OII poderá ser integrado com a ma-téria Serviços Internos e Externos, do EV, em uma situação em que seja acionado o Plano de Defesa do Quartel dentro e fora do expediente. Todo o EP ou todo o efetivo da OM. Identifi car as atividades pre-vistas no Plano de Defesa do Aquartelamento (PDA). Proceder de acordo com as ordens re-cebidas e as Normas de Engajamento, constantes do PDA. 22-01 (AC) 1. Missão e atribuições da SU e fração. 2. Missões e atribuições do soldado da guarda do quartel e da SU. 3. Sinais de reunião ou alarme. 4. Pontos sensíveis da OM. - Identifi car os procedimentos gerais e específi cos relativos à defesa do aquar-telamento. - Aplicar as Normas de Engajamento e os procedimentos relativos à defesa do aquar-telamento, estando de serviço ou não. - Demonstrar a aplicação dos procedi-mentos previstos no RISG, NGA/ OM e nas Normas de Engajamento, no caso de acionamento do Plano de Chamada e o PDA. - Operar os meios de comunicações utili-zados no PDA.
  37. 37. 23. CONTRAINTELIGÊNCIA TEMPO ESTIMADO DIURNO: 5h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 37.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Palestra para todos os Ofi ciais da OM. Conhecer as ameaças ao Sistema Exército Brasileiro. Proceder de acordo com as ordens rece-bidas e as normas do PDCI. 23-01 (AC) 1. Principais atores das ameaças ao Sistema Exército Brasileiro. 2. Principais ações hostis. 3. Motivação. - Identifi car os atores das ameaças ao Sistema Exército Brasileiro. - Caracterizar as principais ações hostis. Palestra para os Ofi ciais, Subtenentes e Sargentos da OM. Os Cb e Sd do EP, a critério do Cmt. Conhecer as atividades de contrainteligência no Exército Brasileiro. Proceder de acordo com as ordens rece-bidas e as normas do PDCI. 23-02 (AC) 1. Defi nição, concepção e condução da contrainteligên-cia no Exército Brasileiro. 2. Segmentos da contrainteligência. 3 Conceitos e defi nições. 4. Lista de verifi cação (Check List) do PDCI. - Conhecer a importância das atividades da contrainteligência para a segurança do aquartelamento. - Caracterizar as atividades da contrain-teligência. - Identifi car a Lista de verifi cação do PDCI no âmbito da OM. Palestra para todo o Efetivo Profi ssional da OM. Conhecer os grupos de atividades da segurança orgânica. Proceder de acordo com as ordens rece-bidas e as Normas do PDCI. 23-03 (AC) 1. Defi nição e composição da segu-rança orgânica 2. Segurança dos recursos humanos. 3. Segurança da informação. 4. Segurança do material. 5. Segurança das áreas e instalações. - Conhecer a importância da segurança orgânica. - Descrever as diferenças entre os grupos das atividades de segurança orgânica. - Desenvolver a mentalidade de segurança orgânica para as atividades administra-tivas, operacionais e de segurança do aquartelamento. Estudo dirigido para os Of e ST/Sgt da Agência de Inteligência da OM. Os Cb e Sd do EP, a critério do Cmt. Realizar o estudo de situação de contrainteligência da OM. Proceder de acordo com as ordens rece-bidas, C 30-3 e as normas estabelecidas pelo CIE. 23-04 (AC) 1. Contraespionagem. 2. Contraterrorismo. 3. Contrasabotagem. 4. Contra-ações psicológicas. 5. Estudo de situação de contrain-teligência. 6. PDCI. - Conhecer a importância da segurança ativa. - Descrever os grupos da segurança ativa. - Realizar o estudo de situação de contrain-teligência da OM.
  38. 38. 24. GARANTIA DA LEI E DA ORDEM TEMPO ESTIMADO DIURNO: 12h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 38.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Realizar uma palestra sobre o assunto aos Of, ST e Sgt da OM. Os Cb e Sd do EP, a critério do Cmt. Atualização jurídica em GLO: identifi car os principais artigos, leis e decretos que respaldam o emprego das Forças Armadas em Operações de Garantia da Lei e da Ordem. Conhecer a legislação pertinente e onde encon-trá-la. 24-01 (AC) Apenas o EM, realizar estudo na carta e reconhecimento no terreno, SFC, para ordenar a prioridade de emprego da OM em GLO. Os demais integrantes do EP permanecem em outra atividade, a critério do Cmt OM. Os Cmt SU, Of, Sgt SU, Cb e Sd do EP permanecem com o EV na Qualifi cação em GLO. Planejar o emprego da OM em Op GLO em sua área. Identifi car os refl exos operacionais e logísticos sobre a OM e seu pessoal. 1. Legislação básica de emprego das FA. 2. Finalidade das Op GLO. 3. Normas de conduta e regras de engajamento. 4. Técnicas e táticas em Op GLO. - Defi nição de poder de polícia. - Identifi car a conceituação de integrida-de física, abuso de autoridade e uso de algemas. - Conceituar fl agrante delito. - Citar as normas de conduta e as regras de engajamento. 1. Hipóteses de emprego da OM em GLO. 2. Composição das Frações. 3. PITCI. 4. Plano de emprego da tropa. 5. Plano de Ap Log. 6. Pl Com Soc e ACISO. - Realizar planejamento na carta e, SFC, no terreno para o emprego da OM em GLO, em ordem de prioridade das hipóteses. Apresentar uma palestra ao EP sobre Com Soc e Op Psico, utilizando e-xemplos de Op já realiza-das. Conhecer a fi nalidade e a im-portância da Com Soc e das Op Psico nas Op GLO. Identifi car a importância da Com Soc e Op Psico na realização de Op GLO. 1. Comunicação Social. 2. Operações Psicológicas. 3. Relacionamento com a imprensa. - Descrever a fi nalidade da Com Soc e Op Psico. - Citar como as Op Psico apoiam as Op GLO. - Citar os procedimentos para o relaciona-mento com a mídia em Op GLO. 24-02 (AC) 24-03 (AC)
  39. 39. 25. AÇÃO CÍVICO-SOCIAL (ACISO) TEMPO ESTIMADO DIURNO: 8h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 39.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Após instrução em sala sobre aspectos essenciais ao desencadeamento de um ACISO bem sucedido, realizar em uma comunidade carente, designada pelo Cmt, um ACISO com caráter didático, preferen-cialmente durante datas comemorativas. Todo o EP. Realizar uma ACISO. Este OI deverá ocorrer durante a semana do Exército, do Soldado ou da Arma/ Quadro /Serviço. 1. Assistência médica e odontoló-gica. 2. Doação de cestas básicas. 3. Outras ações sociais relevantes. - Realizar uma ACISO. 25-01 (CH)
  40. 40. 26. PEDIDO E CONDUÇÃO DE FOGOS TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 40.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Palestra e prática controlada e simulada de condução de fogos de artilharia, aéreos e navais. Recomenda-se que esse OII ocorra du-rante Exercício no Terreno, como o do assunto 18. O Cmt, assessorado pelo S-3, designa o pessoal do EP para esta instrução. Os demais, a critério do Cmt OM. Identifi car as técnicas de condu-ção de fogos de artilharia, aéreos e navais. Realizar os procedimentos básicos para a condução do fogo de artilharia, aéreo e naval. 1. Ap F Art. 2. Ap Ae 3. Ap Nav. 4. Alvos: identifi cação, localização e natureza. 5. Pedido de tiro. 6. Correção do tiro. - Citar as situações de emprego do Ap F Art Ae e Nav. - Identifi car as diferenças básicas entre os Ap F acima. - Citar o Apf F e os possíveis alvos; - Levantar os dados para o pedido de fogo. - Simular a conversação rádio para o pedido e a correção do Ap F. 26-01 (CH)
  41. 41. 27. OUTROS ASSUNTOS TEMPO ESTIMADO DIURNO: 3h (OII) OBJETIVOS INDIVIDUAIS DE INSTRUÇÃO ORIENTAÇÃO PARA INTERPRETAÇÃO 41.00 SUGESTÕES PARA TAREFA CONDIÇÃO PADRÃO MÍNIMO OBJETIVOS ASSUNTOS INTERMEDIÁRIOS Noções de Informática. Estudo em computador. - Operar um PC com os programas em uso pela OM. 27-01 (AC) Palestra sobre como proceder em processos administrativos em vigor. Recomenda-se o estudo individual prévio para os intruendos. Exame de pagamento, de fi chas individuais e outros. Conhecer a legislação que regula o processo assim como realizá-lo de forma efi ciente. 1. Noções de Hardware. 2. Noções de Software. 3. Programas livres. 4. Redes. 5. Segurança da informação - Identifi car os programas em uso na OM; - Identifi car os programas livres de licença, possíveis de uso na OM; - Operar o PC isoladamente ou na rede em uso na OM. 1. Exame de pagamento. 2. Exame das fi chas individuais. 3. Comprovação de veracidade. 4. Legislação. 5. Outros. - Identifi car os principais processos a cargo da OM. - Identifi car a legislação que regula cada processo. Palestra sobre DST, preferencialmente ministrada por especialistas. Pode incluir no EP. Doenças Sexualmente Transmis-síveis (DST). - Identifi car as principais DST e os métodos de prevenção. - A critério do palestrante. A critério do palestrante. 27-02 (AC) 27-03 (AC) A critério C Mil A - Logística - Medicina Tropical - Contato com a população (ín-dios, assentados, quilombolas, religiosos etc. A critério C Mil A A critério C Mil A A critério C Mil A 27-04 (AC)
  42. 42. Mais uma realização da Sala de Editoração Gráfi ca 1ª Subchefi a/COTER

×