O que aprendemos com o 1º Encontro Online sobre Visibilidade nas Redes Sociais?<br />Cíntia DalBello<br />JULHO/2011<br />
INTRODUÇÃO<br />	Durante o 1º semestre de 2011, lecionei para a 1ª turma do curso de Pós-graduação em Comunicação em Redes...
O que é “apareSer”?<br />
# 1º<br />“ApareSer”<br />tem uma história<br />2007 – 2009: <br />Pesquisa sobre Cibercultura e Subjetividade (Mestrado e...
# 2º<br />“ApareSer”<br />é tornar-seespectro<br />“A publicização, encenação ehiperespetacularização de identidades, nest...
# 3º<br />“ApareSer”<br />érepresentação e (dis)simulação<br />2008:<br />Artigo publicado na revista CASA (FCLAR-UNESP)<b...
# 4º<br />“ApareSer”<br />éser hiperreale  hiperespetacular<br />2009:<br />Na Dissertação:<br />“Hiperespetarizaçãoe a ló...
# 5º<br />2009:<br />Artigo apresentado no III ABCiber<br />Produção e Consumo do eu hiperespetacular: a celebração da sub...
# 6º<br />“ApareSer”<br />é um jogo de sociabilidade<br />2010:<br />Artigo apresentado no IV ABCiber<br />Sorria, você es...
# 7º<br />2011:<br />Artigos em desenvolvimento<br />Perfis brasileiros em redes sociais digitais: uma análise das imagens...
# 8º<br />2011:<br />Artigos em desenvolvimento<br />VISIBILIDADE MEDIÁTICA CIBERCULTURAL: APONTAMENTOS SOBRE A FENOMENOLO...
 Lúdica do mimicry (CALLOIS);
Obesidade informacional e obscenidade (BAUDRILLARD);
Uso confessional da internet (BAUMAN);
Evasão de privacidade (SIBILIA);
Celebração móvel da identidade (HALL);
Jogos sociais nas redes (SANTAELLA).</li></ul>“ApareSer”<br />é MAIS que um <br />neologismo<br />#ApareSer<br />
# 9º<br />“O termo denomina o fruto do processo de naturalização do desejo de autoexposição que desenvolveu-se, paulatinam...
O que aprendemos com <br />o evento-experimento<br />#apareSer?<br />
# 1º<br />A organização do #apareSer- 1º Encontro Online sobre Visibilidade em Redes Sociais  decidiu realizá-lo no Twitte...
# 2º<br />Duas constatações sobre a Programação:<br />A performance dos palestrantes e convidados em redes sociais é um as...
# 2º<br />Duas constatações sobre  Visibilidade como “moeda de troca” (para angariar envolvimento e participação):<br />To...
# 2º<br />#ApareSer<br />
# 2º<br />Duas constatações sobre  Visibilidade como “moeda de troca” (para angariar envolvimento e participação):<br />2....
# 2º<br />#ApareSer<br />
# 3º<br />Período de divulgação do evento: 30/04 a 06/05/11<br />Plataformas utilizadas: <br />Twitter (@apareSer)<br />Fa...
# 4º<br />O grupo monitorou o desempenho do termo “apareSer” no Google.<br />Há muitos registros para esse termo, incluind...
# 4º<br />As listas de TTs do Twitter são:<br />Um sinalizador dos assuntos mais populares na plataforma (naquele momento)...
# 4º<br />#ApareSer<br />Visibilidade no TrendTopics<br />#ApareSer<br />
# 5º<br />A partir do momento que #apareSer passou a figurar nos TTs, muitos usuários integraram a discussão em andamento ...
# 5º<br />HenRickTM: #apareSer com S nos TTs? (10:52:25).<br />Nataliacostatwi: Bom dia ^ ^ #apareSer, quem foi que escrev...
# 6º<br />Assim como o aumento de visibilidade não contribui, necessariamente, para a reputação, também não implica aument...
# 7º<br />A promoção do #apareSer durante o evento, embora tenha  tomado parte do tempo que deveria ser dedicado à cobertu...
# 8º<br />O Facebook apresentou baixíssimo desempenho no que se refere à geração de tráfego para o hotsite, apesar das açõ...
# 9º<br />O 1º #apareSer foi, literalmente, um experimento laboratorial: realizado em laboratório de informática com acess...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O que aprendemos com o #apare ser 1º encontro online sobre visibilidade em redes sociais - cíntia dal bello

821 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
821
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que aprendemos com o #apare ser 1º encontro online sobre visibilidade em redes sociais - cíntia dal bello

  1. 1. O que aprendemos com o 1º Encontro Online sobre Visibilidade nas Redes Sociais?<br />Cíntia DalBello<br />JULHO/2011<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /> Durante o 1º semestre de 2011, lecionei para a 1ª turma do curso de Pós-graduação em Comunicação em Redes Sociais da Universidade Nove de Julho. <br /> Dentro da programação, procurei destacar os conceitos de visibilidade mediática (com ênfase na vertente ciberespacial) tal como abordada por Trivinho (2010), evasão de privacidade (SIBILIA, 2008), popularidade e reputação (RECUERO, 2009), além de apresentar o neologismo “apareSer”, utilizado em minhas pesquisas sobre cibercultura e subjetividade desde 2007, para fomentar a reflexão e o debate sobre a autoexposição generalizada nos palcos/ambientes hiperespetaculares da virtualidade.<br /> Como atividade de encerramento do módulo, os alunos desenvolveram artigos sobre a temática e organizaram um evento-experimento que pudesse, ao mesmo tempo, socializar a produção de conhecimento, envolvendo um número maior de pessoas no debate, e propiciar a experimentação de estratégias de gestão da visibilidade mediática. Com apenas uma semana de intervalo entre a concepção e a realização do evento, a hashtag#apareSer chegou ao Top Trends São Paulo e Brasil.<br />
  3. 3. O que é “apareSer”?<br />
  4. 4. # 1º<br />“ApareSer”<br />tem uma história<br />2007 – 2009: <br />Pesquisa sobre Cibercultura e Subjetividade (Mestrado em Comunicação e Semiótica – PUC/SP)<br />2007:<br />Artigo publicado na E-Compós<br />“Espectros virtuais: a construção de corpos-sígnicos em comunidades virtuais de relacionamento”<br />#ApareSer<br />
  5. 5. # 2º<br />“ApareSer”<br />é tornar-seespectro<br />“A publicização, encenação ehiperespetacularização de identidades, neste contexto, levam à crescente espectralização da existência: a lógica do hiperespetáculoé a da apropriação pelo olhar, e nela, “deixar-se olhar significa deixar-se apropriar” (BAITELLO Jr., 2005, p. 20), o que incide na indexação sígnicade tudo o que constitui a pele dos espectros. Eis a lógica coercitiva do ‘apareSer’”.<br />(DAL BELLO, 2007, p. 9).<br />#ApareSer<br />
  6. 6. # 3º<br />“ApareSer”<br />érepresentação e (dis)simulação<br />2008:<br />Artigo publicado na revista CASA (FCLAR-UNESP)<br />“Espectros virtuais: as dimensões do ‘apareSer’ em comunidades virtuais de relacionamento”<br />Artigo apresentado no II ABCiber<br />“Da identidade-perfil ao perfil-sujeito: circunscrição e (re)presentação de personas no Orkut”<br />#ApareSer<br />
  7. 7. # 4º<br />“ApareSer”<br />éser hiperreale hiperespetacular<br />2009:<br />Na Dissertação:<br />“Hiperespetarizaçãoe a lógica do ‘apareSer’” <br />“[...] mais que representado e presentificado, o sujeito simulado pela imagem hiperrealiza-se(no sentido conferido por Baudrillard) na performance de ser (o ‘apareSer’)” <br />(DAL BELLO, 2009, p. 39).<br />#ApareSer<br />
  8. 8. # 5º<br />2009:<br />Artigo apresentado no III ABCiber<br />Produção e Consumo do eu hiperespetacular: a celebração da subjetividade nas vitrines do Orkut<br />“Sob a lógica do ‘apareSer’, a subjetividade torna-se identidade, o conteúdo é forma, o interior está no exterior, a essência na aparência, a realidade na representação, a imagem vira corpo, a visibilidade confere invisibilidade (em meio ao excesso), o privado torna-se público, a multiplicidade reune-se sob a unidade de uma identidade e a universalidade do ser humano esparrama-se na pluralidade de formas de vir a ser e publicizar-se. O sujeito busca seus contornos, mas confunde-se com a rede na qual é produzido”. <br />(DAL BELLO, 2010, p. 11).<br />“ApareSer”<br />é uma lógica paradoxal<br />#ApareSer<br />
  9. 9. # 6º<br />“ApareSer”<br />é um jogo de sociabilidade<br />2010:<br />Artigo apresentado no IV ABCiber<br />Sorria, você está sendo inexado! A questão da privacidade nas plataformas de relacionamento e projeção subjetiva<br />#ApareSer<br />
  10. 10. # 7º<br />2011:<br />Artigos em desenvolvimento<br />Perfis brasileiros em redes sociais digitais: uma análise das imagens de identificação (CONFIBERCOM)<br />A (in)visibilidade glocal: projeção e dissolução de sujeitos em plataformas ciberculturais de relacionamento (TRIVINHO)<br />Jogos de (in)visibilidade e performance hiperespetacular em redes sociais digitais (SANTAELLA)<br />Espaços de (in)visibilidade nas redes sociais: considerações sobre projeção e dissolução do sujeito glocal (CONGRESSO REGIONAL EUROPEU)<br />“ApareSer”<br />é ser/estar na (in)visibilidademediática<br />#ApareSer<br />
  11. 11. # 8º<br />2011:<br />Artigos em desenvolvimento<br />VISIBILIDADE MEDIÁTICA CIBERCULTURAL: APONTAMENTOS SOBRE A FENOMENOLOGIA DO “APARESER” (artigo encaminhado para o V ABCiber)<br /><ul><li> Disputa agonística pelo centro da cena mediática (TRIVINHO);
  12. 12. Lúdica do mimicry (CALLOIS);
  13. 13. Obesidade informacional e obscenidade (BAUDRILLARD);
  14. 14. Uso confessional da internet (BAUMAN);
  15. 15. Evasão de privacidade (SIBILIA);
  16. 16. Celebração móvel da identidade (HALL);
  17. 17. Jogos sociais nas redes (SANTAELLA).</li></ul>“ApareSer”<br />é MAIS que um <br />neologismo<br />#ApareSer<br />
  18. 18. # 9º<br />“O termo denomina o fruto do processo de naturalização do desejo de autoexposição que desenvolveu-se, paulatinamente, ao longo do século XX graças à colonização do imaginário popular pelas indústrias cultural, da moda e da publicidade, dada a larga penetração dos meios de comunicação de massa instituintes de uma sociedade espetacular. Nesse sentido, “apareSer”, para além de nominar um conjunto de práticas socioculturais de autoexposição com vistas à legitimação da existência, no caudal político-econômico que conforma as experiências humanas para conferir sustentabilidade a um sistema permanentemente em crise, pode apontar para um novo modus vivendi, epocal, do qual algumas características já podem ser apreendidas”.<br />(DAL BELLO, 2011).<br />“ApareSer”<br />é um <br />conceito<br />#ApareSer<br />
  19. 19. O que aprendemos com <br />o evento-experimento<br />#apareSer?<br />
  20. 20. # 1º<br />A organização do #apareSer- 1º Encontro Online sobre Visibilidade em Redes Sociais decidiu realizá-lo no Twitter, de forma que todos os interessados pudessem acompanhar as apreentações e discussões pela hashtag do evento-experimento.<br />Partiu-se da hipótese de que essa seria a forma mais eficiente de virilizar o evento e socializar a produção do conhecimento sobre Visibilidade.<br />#ApareSer<br />Encontro online via Twitter<br />#ApareSer<br />
  21. 21. # 2º<br />Duas constatações sobre a Programação:<br />A performance dos palestrantes e convidados em redes sociais é um aspecto que contribui para a visibilidade do evento (dentre os 10 usuários do Twitter que mais geraram impressões, dois eram convidados).<br />Os temas também são importantes: a audiência para o bloco “Visibilidade e Mercado” foi maior que para o bloco “Visibilidade e Subjetividade”. Além disso, os subtemas dos artigos permitiram que a organização usasse outras hashtags, entrelaçando as discussões (#propaganda, #mídia, #marketing, #mafiawars, #socialmedia, #blogsfera).<br />#ApareSer<br />Programação estratégica<br />#ApareSer<br />
  22. 22. # 2º<br />Duas constatações sobre Visibilidade como “moeda de troca” (para angariar envolvimento e participação):<br />Todo usuário do Twitter que tuitou utilizando o #apareSer apareceu na página inicial do hotsite (www.apareser.com.br), por meio do aplicativo VisibleTwittes.<br />#ApareSer<br />Divulgação e envolvimento<br />#ApareSer<br />
  23. 23. # 2º<br />#ApareSer<br />
  24. 24. # 2º<br />Duas constatações sobre Visibilidade como “moeda de troca” (para angariar envolvimento e participação):<br />2. Os alunos e convidados também tiveram seu “espaço de divulgação”. Assim, o projeto coletivo tornou-se uma oportunidade de exposição individual.<br />#ApareSer<br />Divulgação e envolvimento<br />#ApareSer<br />
  25. 25. # 2º<br />#ApareSer<br />
  26. 26. # 3º<br />Período de divulgação do evento: 30/04 a 06/05/11<br />Plataformas utilizadas: <br />Twitter (@apareSer)<br />Facebook (fan-page e aviso de evento)<br />Linkedin<br />Hotsite (www.apareser.com.br)<br />Blogs (dos membros da organização)<br />Observações: <br />O evento não foi divulgado por mídias tradicionais<br />Não houve investimento em propaganda digital<br />Todos os amigos, seguidores e listas de emails dos membros da organização foram mobilizados no processo de divulgação<br />#ApareSer<br />Divulgação “all” & “alwayson”<br />#ApareSer<br />
  27. 27. # 4º<br />O grupo monitorou o desempenho do termo “apareSer” no Google.<br />Há muitos registros para esse termo, incluindo a notação incorreta do verbo “aparecer” (123 mil, no início da monitoria).<br />Entretanto, o “apareSer” relativo ao evento-experimento alcançou 3 links na 1ª página do Google na véspera do evento (6 de maio). Dois meses após o evento (7 de julho), dos 10 links, 8 são sobre o evento-experimento e 224 mil links para o termo.<br />#ApareSer<br />Visibilidade no Google<br />#ApareSer<br />
  28. 28. # 4º<br />As listas de TTs do Twitter são:<br />Um sinalizador dos assuntos mais populares na plataforma (naquele momento);<br />Mas, o simples fato de aparecer nos TTs faz aumentar ainda mais a visibilidade do assunto em questão.<br />#ApareSer<br />Visibilidade no TrendTopics<br />A hashtag#apareSercompareceu nos TTs São Paulo e, 20 minutos depois, nos TTs Brasil em menos de 2 horas do início do evento.<br />Manteve nas listas até as 13 horas; depois, não mais retornou a aparecer, embora o evento tenha continuado até as 16 horas.<br />#ApareSer<br />
  29. 29. # 4º<br />#ApareSer<br />Visibilidade no TrendTopics<br />#ApareSer<br />
  30. 30. # 5º<br />A partir do momento que #apareSer passou a figurar nos TTs, muitos usuários integraram a discussão em andamento demonstrando estranhamento em relação à grafia do termo com S.<br />A reação imediata do grupo foi de esclarecer os recém-chegados para que a reputação do evento não fosse prejudicada por comentários inadequados.<br />Essa necessidade prejudicou o tempo antes dedicado à cobertura integral do evento (exemplo: “@thatatalita diz, no #apareSer, que baseou-se no livro de @paulasibilia). A maior parte das mensagens passou a ser uma mistura de sinalizações sobre o que estava acontecendo presencialmente com mensagens promocionais (exemplo: “gcavalheiro fala agora sobre #avatares nas #redessociais aqui no #apareSer, siga e acompanhe @apareSer).<br />#ApareSer<br />Visibilidade x Reputação<br />#ApareSer<br />
  31. 31. # 5º<br />HenRickTM: #apareSer com S nos TTs? (10:52:25).<br />Nataliacostatwi: Bom dia ^ ^ #apareSer, quem foi que escreveu assim? Qual foi o famoso?<br />euLuanMartins: Si u profeçor #apareSer, vossesvaumvêr. (10:56:40).<br />Thaybband:por mais que me expliquem a razão, #apareSer com S é tão estranho... (10:56:52).<br />Guh_severini: Bom saber que não foi um erro de grafia esse #apareSer nos TTs, e sim um movimento. Interessante. (11:08:40).<br />Arianaway: me assustei com a tag #apareSer com S :O mas agora eu sei o motivo rs´ (11:11:25).<br />Rosihbella: eu sou estudante de Letras. Quando li #apareser nos TTs eu quase tive um treco no coração! Agora sei o que é, rs. (11:16:55).<br />Dressa_favero:Gente, o #apareser nos TTs não é erro de digitação. P/ mais informações acesse o http://www.apareser.com.br/ Iniciativa bem legal! :] (11:18:30).<br />Element_f: #euvou #apareSer #porque #souanalfabeto (11:23:16).<br />VivianSantoss: Feliz Aniversário Mãe #apareSer (11:27:43).<br />Juliiocsanches:Ontem eu vi uma placa escrita: VIDRAsARIA. Hoje #apareSer está nos TTs. #comolidar?<br />Peohzera: #apareSer como diria minha mãe “quer aparecer bota uma melancia na cabeça e sai na rua” (11:30:58).<br />PeEmanuel:Lá vai eu com minha curiosidade, descobri o que danada é esse #apareSer(11:33:12).<br />#ApareSer<br />Visibilidade x Reputação<br />#ApareSer<br />
  32. 32. # 6º<br />Assim como o aumento de visibilidade não contribui, necessariamente, para a reputação, também não implica aumento direto de popularidade. Na tabela, apesar do número de impressões (visibilidade) ter aumentado significativamente no dia do evento, a audiência não elevou-se na mesma proporção.<br />#ApareSer<br />Visibilidade x Popularidade<br />#ApareSer<br />
  33. 33. # 7º<br />A promoção do #apareSer durante o evento, embora tenha tomado parte do tempo que deveria ser dedicado à cobertura dos conteúdos, gerou o maior número de visitas ao hotsite, de acordo com medição do Google Analytics. Das 532 visitas recebidas no período, 441 foram do dia 7 de maio.<br />#ApareSer<br />Promoção do hotsite<br />#ApareSer<br />
  34. 34. # 8º<br />O Facebook apresentou baixíssimo desempenho no que se refere à geração de tráfego para o hotsite, apesar das ações realizadas na plataforma (o conteúdo da fan-page foi visualizado 3024 vezes; 124 usuários curtiram a página até o dia do evento).<br />#ApareSer<br />“Curtir” é referência superficial<br />#ApareSer<br />
  35. 35. # 9º<br />O 1º #apareSer foi, literalmente, um experimento laboratorial: realizado em laboratório de informática com acesso às redes sociais online, configurou-se da seguinte forma:<br />1. EVENTO ABERTO (online, com ponto-de-encontro para acompanhamento e participação via hashtag #apareSer, no Twitter);<br />2. EXPERIMENTO FECHADO (presencial, com a participação dos alunos do Curso de Pós-Graduação em Comunicação em Redes Sociais, professores e convidados) – nessa instância, tudo o que era conversado sobre a experiência em andamento era caracterizado, antes de sua manifestação, como “off”, ou seja, não deveria ser reproduzida no Twitter. <br />#ApareSer<br />Evento x experimento (laboratorial)<br />#ApareSer<br />
  36. 36. # 9º<br />#ApareSer<br />Evento x experimento (laboratorial)<br />#ApareSer<br />
  37. 37. #ApareSer<br />
  38. 38. A 2ª edição do <br />evento-experimento<br />#apareSer<br />está prevista para<br />13 de agosto de 2011,<br />das 9 às 12 horas.<br />O grupo de pesquisadores envolvido na organização do #apareSer deverá levar em consideração a análise dos materiais gerados pela 1ª edição (parte deles aqui apresentada) para implementar a 2ª edição e dar continuidade aos seus estudos sobre Visibilidade Cibercultural.<br />
  39. 39. Referências<br />BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. São Paulo: Relógio D´Água, 1991.<br />BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.<br />COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte:da fotografia à realidade virtual. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2003.<br />DAL BELLO, Cíntia. Espectros virtuais: a construção de corpos-sígnicos em comunidades virtuais de relacionamento. E-Compós. Brasília: Compós, v. 10, dez-2007.________. Espectros virtuais: as dimensões do “apareser” em comunidades virtuais de relacionamento. Cadernos de Semiótica Aplicada. Araraquara: FCLAR-UNESP, v.6, n.1, 2008.________.Cibercultura e subjetividade: uma investigação sobre a identidade em plataformas virtuais de hiperespetacularização do eu, 2009. 130 p. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: http://www.sapientia.pucsp.br/tde_busca/ arquivo.php? codArquivo=9410. ________. Sorria, você está sendo indexado! A questão da privacidade em plataformas ciberculturais de relacionamento e projeção subjetiva. In: Simpósio Nacional de Cibercultura, 4., 2010. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura, 2010. Disponível em: http://www.abciber2010.pontaodaeco.org/sites/default/files/ARTIGOS/1_REDES_SOCIAIS/C%C3%ADntia%20Dal%20Bello_REDESSOCIAIS.pdf.<br />FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: CosacNaify, 2007.________. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.<br />
  40. 40. Referências<br />HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 9. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.<br />MACHADO, Arlindo. Sujeito na tela: modos de enunciação no cinema e no ciberespaço.São Paulo: Paulus, 2007.<br />RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.<br />SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano.São Paulo: Paulus, 2003.<br />SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.<br />TRIVINHO, Eugênio. O mal-estar da teoria: a condição da crítica na sociedade tecnológica atual. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.________. A dromocraciacibercultural: lógica da vida humana na civilização mediática avançada. São Paulo: Paulus, 2007.________. Visibilidade mediática, melancolia do único e violência invisível na cibercultura: significação social-histórica de um substrato cultural regressivo da sociabilidade em tempo real na civilização mediática avançada. In: XIX Encontro Nacional da COMPÓS, 19., 2010, Rio de Janeiro. Disponível em: http://compos.com.puc-rio.br/media/gt1_eugenio_trivinho.pdf. Acesso em: 15 set. 2010.<br />
  41. 41. Cíntia DalBelloDoutoranda em Comunicação e Semiótica do PEPGCOS-PUC-SP e bolsista CAPES; coordenadora, docente e pesquisadora do curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda da Universidade Nove de Julho; membro do grupo de estudos Plurimídia. Sua pesquisa versa sobre cibercultura, subjetividade e visibilidade mediática, com interesse particular pelas emergentes redes sociais digitais. <br />E-mails: pubcintia@yahoo.com.br;cbello@uninove.br. <br />Blog: www.cintiadalbello.blogspot.com.<br />Twitter: @cintiadalbello.<br />Facebook: Cíntia DalBello.<br />

×