Aula 1 - Direção de Arte

1.063 visualizações

Publicada em

Aula 1 - Direção de Arte

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.063
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 - Direção de Arte

  1. 1. Profa. Dra. Cíntia Dal Bello cbello@uninove.br www.cintiadalbello.blogspot.com
  2. 2.  Direção de Arte: a profissão.  Composição visual e sua aplicação na propaganda.  Sintaxe da linguagem visual.  Direção de arte e as especificidades dos veículos de comunicação.  O processo criativo e as técnicas de direção de arte.  Aplicação prática – projeto discente.  Práticas laboratoriais.
  3. 3. CONSTRUIR A MARCA FAZER COM QUE A MARCA SEJA LEMBRADA FAZER COM QUE A MARCA SEJA PREFERIDA
  4. 4. ESTRATÉGICA ADEQUADA CRIATIVA INTEGRADA INFORMATIVA OU PERSUASIVA DINÂMICA
  5. 5.  1ª fase: pós-guerra (final dos anos 40)  Rosser Reeves (Ted Bates Advertising)  Unique Selling Proposition (USP): abordagem racional focada no desempenho e benefícios do produto
  6. 6. USP: Cada anúncio deve fazer uma proposta: "Compre este produto e você tem esses benefícios”. A proposição deve ser única (diferencial da concorrência). A proposição deve vender: deve propor algo que realmente o público queira/deseje.
  7. 7. Reeves assinalou que a publicidade deve ser honesta. O produto a ser vendido deve ser realmente superior. Para ele, nenhuma quantidade de publicidade pode promover bens inferiores. Reeves será lembrado por muitos slogans que exemplificam seu ponto de vista, incluindo: M & Ms "derrete na boca , não na sua mão" e DuPont " melhor vida com a química".
  8. 8. Releituras: Facebook e Skype
  9. 9. Releitura: Starbucks
  10. 10.  Anos 60-70 - William “Bill” Bernbach (DDB - Doyle Dane Bernbach)  “Vamos provar ao mundo que bom gosto, boa arte e bom texto podem resultar em boa venda”  “O propósito da publicidade é vender. É por isso que o cliente paga, e se esse objetivo não permear cada ideia que você tem, cada palavra que você escreve e cada foto que você tira, então você é uma farsa e precisa sair desse mercado”.  “Corretamente usada, a criatividade faz um anúncio realizar o trabalho de dez”.  “Propaganda não cria vantagem para o produto. Ela apena convence o consumidor desta vantagem”.  “Ninguém conta a qualidade de comerciais seus que vão ao ar. Eles lembram-se apenas da impressão que você deixa”.  “O boca a boca é a melhor mídia de todas”.  “A mágica está no produto”.
  11. 11. Universo mágico da marca Necessidades apontadas no final do período: • Investimento em Comunicação • Planejamento de Campanha • Período de Campanha • Planejamento de Comunicação / Mix de Comunicação • Sequência de períodos de investimento • Pesquisa de Mercado: pré e pós
  12. 12.  Anos 70-80 – Al Ries e Jack Trout (Ries & Ries)  “O marketing não é uma batalha de produtos, mas de percepções”  Sociedade sobrecarregada de informações (obesidade informacional)  Publicidade invasiva, não requerida  Posicionar-se na mente do consumidor (e em relação à concorrência)  Ser o primeiro  Produto + Benefício Emocional  Problema x Solução
  13. 13.  Final do século XX – início do século XXI  Cultura global x local  Redes inteligentes – comércio eletrônico  Socialização da informação  Consumidor-cidadão (Néstor Garcia Canclini)  Consumo como forma de significação e ressignificação  Posicionamento com status estratégico  Estratégias de Branding  Humanização dos grandes conglomerados (ações sociais, sustentabilidade, responsabilidade social)
  14. 14.  Comunicação de massa x entrega individualizada da informação  Construção de conteúdos para estreitar laços com os diversos stakehorders (partes interessadas) da corporação  Comunicação off line x Comunicação online  Above the line x below the line

×