O que é pesquisa

5.326 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
130
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que é pesquisa

  1. 1. O que é pesquisa? <ul><li>Pesquisar é procurar respostas para inquietações, ou para um problema; </li></ul><ul><li>“ Atividade básica das ciências na sua indagação e descoberta da realidade. É uma atitude e uma prática de constante busca que define um processo intrinsecamente inacabado e permanente” (Minayo); </li></ul><ul><li>“ [...] é um processo formal e sistemático de desenvolvimento do método científico” (Gil). </li></ul>
  2. 2. Como escolher o tema? <ul><li>1. Delimite o ramo de direito! </li></ul><ul><li> Com quais áreas jurídicas têm afinidade? </li></ul><ul><li> Inspire-se no dia-a-dia, em questões mal resolvidas, legislação falhas, questionamentos... </li></ul><ul><li>Ex: Direito Civil ou Direito Previdenciário? </li></ul>
  3. 3. 2. Especifique-o mais! <ul><li>Ex: Direito das Obrigações ou Direito da Família? </li></ul>
  4. 4. 3. Escolha um tema bem específico! <ul><li>Ex: Investigação da paternidade: </li></ul><ul><li> O que fazer quando uma pessoa desconhece o pai porque a mãe se nega a dizer quem é. </li></ul>
  5. 5. <ul><li> Quais os efeitos jurídicos dessa situação fática? </li></ul><ul><li> Existe respaldo jurídico para esse questionamento do filho e a posição da mãe? </li></ul>
  6. 6. Delimitação temática: <ul><li>Trabalho acadêmico dentro do Direito Civil, no âmbito do Direito de Família, sobre investigação de paternidade, acerca do assunto “desconhecimento da paternidade por omissão da genitora”. </li></ul>
  7. 7. Processo de formulação do problema <ul><li>• Formulação de uma pergunta, mesmo que seja provisória;• Entrar em contato com o máximo de informações que se tem sobre o fenômeno a ser estudado; </li></ul><ul><li>• Realizar leituras sobre o tema escolhido; </li></ul><ul><li>• Buscar outras pesquisas realizadas sobre o tema. </li></ul>
  8. 8. Parte Prática <ul><li>4. Pesquise a bibliografia! </li></ul><ul><li> Viabilidade/ Internet </li></ul>
  9. 9. 5. Trace o caminho do raciocínio lógico que pretende seguir! <ul><li>Crie um título </li></ul><ul><li>Ex: Investigação da paternidade: O direito de saber, mesmo diante da omissão da genitora no Ordenamento Jurídico Brasileiro Contemporâneo. </li></ul>
  10. 10. Hierarquize as idéias do tema! (da mais ampla à mais restrita) <ul><li>Ex: - investigação de paternidade- o direito de saber- omissão da genitora. </li></ul>
  11. 11. Faça um PROJETO DE PESQUISA! <ul><li>Título </li></ul><ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>Justificativa </li></ul><ul><li>Delimitação do Problema(hipóteses ou questões norteadoras) </li></ul><ul><li>Quadro Teórico </li></ul><ul><li>Procedimentos Metodológicos </li></ul><ul><li>Referências </li></ul>
  12. 12. Faça um Esquema do Trabalho <ul><li>E sboço daquilo que pretende inserir no seu Relatório Final da pesquisa. </li></ul>
  13. 13. Exemplo: Título: Educação da Mulher: a perpetuação da injustiça <ul><li>1 INTRODUÇÃO </li></ul><ul><li>2 HISTÓRICO DO PAPEL DA MULHER NA SOCIEDADE </li></ul><ul><li>3 O PODER DA RELIGIÃO </li></ul><ul><li>3.1 O mito de Lilith/Eva </li></ul><ul><li>3.2 O mito da Virgem Maria </li></ul><ul><li>4 O PROCESSO DE EDUCAÇÃO </li></ul><ul><li>5 O PAPEL DA MULHER NA FAMÍLIA </li></ul><ul><li>5.1 A questão da maternidade </li></ul><ul><li>5.2 Direitos e deveres </li></ul><ul><li>5.3 A moral da família </li></ul><ul><li>5.4 Casamento: um bom negócio </li></ul><ul><li>5.5 A violência </li></ul><ul><li>6 UM CAPÍTULO MASCULINO </li></ul><ul><li>7 CONSIDERAÇÕES FINAIS </li></ul>
  14. 14. 6. Desenvolva o trabalho! <ul><li>Ex: - investigação de paternidade: conceito, evolução histórica, diplomas legais referentes ao tema. </li></ul><ul><li>- o direito de saber: o filho tem direito ou não de saber sobre sua ascendência? </li></ul><ul><li>Há respaldo legal,jurisprudencial, doutrinário etc? </li></ul><ul><li>- omissão da genitora: A genitora tem direito de se negar a responder? </li></ul><ul><li>Há respaldo legal, jurisprudencial, doutrinário etc? </li></ul>
  15. 15. 7. Conclua o trabalho! <ul><li>Outras estratégias de redução de tema jurídico: </li></ul><ul><li>1. Redução por autor: </li></ul><ul><li> “ O conceito de Justiça em Hans Kelsen”. </li></ul><ul><li>2. Redução por circunscrição temporal: </li></ul><ul><li> “ O conceito de Igualdade no século XVIII”. </li></ul><ul><li>3. Redução por circunscrição espacial: </li></ul><ul><li> “ O acesso à Justiça em Manaus-Amazonas”. </li></ul><ul><li>4. Redução por referência expressa à norma jurídica: </li></ul><ul><li> “ Considerações acerca da aplicação do Artigo X da Lei </li></ul><ul><li>nº Y e seu impacto no ordenamento jurídico brasileiro”. </li></ul>
  16. 16. Como organizar a pesquisa jurídica? <ul><li>Considerar: </li></ul><ul><li> o tamanho do trabalho </li></ul><ul><li> que a pesquisa científica deve permitir a refacção por outros. </li></ul><ul><li> que a pesquisa na área jurídica deve apresentar-se de forma sistemática, com “pretensões de racionalidade e aplicação generalizada”. </li></ul><ul><li> que é preciso utilizar instrumentos adequados na realização da pesquisa. </li></ul>
  17. 17. Tipos de Conhecimentos <ul><li>Conhecimento Empírico (ou conhecimento vulgar, ou senso comum) </li></ul><ul><li>É o conhecimento obtido ao acaso, após inúmeras tentativas, ou seja, o conhecimento adquirido através de ações não planejadas. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Conhecimento Filosófico </li></ul><ul><li>É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência. </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>&quot;O homem é a ponte entre o animal e o além-homem&quot; (Friedrich Nietzsche) </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Conhecimento Teológico </li></ul><ul><li>Conhecimento revelado pela fé divina ou crença religiosa. Não pode, por sua origem, ser confirmado ou negado. Depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo. </li></ul>
  20. 20. Conhecimento Científico <ul><li>É o conhecimento racional, sistemático, exato e verificável da realidade. Sua origem está nos procedimentos de verificação baseados na metodologia científica. Podemos então dizer que o Conhecimento Científico: </li></ul><ul><li>- É racional e objetivo. </li></ul><ul><li>- Atém-se aos fatos. </li></ul><ul><li>- Transcende aos fatos. </li></ul><ul><li>- É analítico. </li></ul><ul><li>- Requer exatidão e clareza. </li></ul><ul><li>- É comunicável. </li></ul><ul><li>- É verificável. </li></ul><ul><li>- Depende de investigação metódica. </li></ul><ul><li>- Busca e aplica leis. </li></ul><ul><li>- É explicativo. </li></ul><ul><li>- Pode fazer predições. </li></ul><ul><li>- É aberto. </li></ul><ul><li>- É útil (GALLIANO, 1979, p. 24-30). </li></ul><ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Descobrir uma vacina que evite uma doença; </li></ul><ul><li>Descobrir como se dá a respiração dos batráquios. </li></ul>
  21. 21. Tipos de PESQUISA <ul><li>Quanto à NATUREZA: </li></ul><ul><li> Pesquisa básica ou pura </li></ul><ul><li> Pesquisa aplicada </li></ul><ul><li>Quanto à FORMA DE ABORDAGEM: </li></ul><ul><li> Pesquisa quantitativa </li></ul><ul><li> Pesquisa qualitativa </li></ul><ul><li>Quanto aos OBJETIVOS/NÍVEIS: </li></ul><ul><li> Pesquisa exploratória </li></ul><ul><li> Pesquisa descritiva </li></ul><ul><li> Explicativa </li></ul><ul><li>Quanto aos PROCEDIMENTOS TÉCNICOS: </li></ul><ul><li> Pesquisa bibliográfica </li></ul><ul><li> Pesquisa documental </li></ul><ul><li> Pesquisa experimental </li></ul><ul><li> Pesquisa de levantamento </li></ul><ul><li> Pesquisa de estudo de caso </li></ul><ul><li> Pesquisa não-experimental ou ex-post-facto </li></ul><ul><li> Pesquisa-ação </li></ul><ul><li> Pesquisa participante </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Pesquisa Básica – gerar conhecimentos novos úteis para o avanço da ciência sem aplicação prática prevista. Envolve verdades e interesses universais. </li></ul><ul><li>Pesquisa Aplicada – gerar conhecimentos para aplicação prática dirigidos à solução de problemas específicos. Envolve verdades e interesses locais. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Pesquisa Exploratória – pesquisas bibliográficas e estudos de caso. </li></ul><ul><li>• Pesquisa Descritiva – envolve técnicas padronizadas de coleta de dados, como questionários e observação sistemática. </li></ul><ul><li>• Pesquisa Explicativa – explica o “porquê” das coisas, visando identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos fenômenos. </li></ul>
  24. 24. Tipos de pesquisa <ul><li>1. Pesquisa teórica </li></ul><ul><li>– &quot;dedicada a reconstruir teoria, conceitos, idéias, ideologias, polêmicas, tendo em vista, em termos imediatos, aprimorar fundamentos teóricos&quot; (DEMO, 2000, p. 20). </li></ul><ul><li>– não implica imediata intervenção na realidade, mas nem por isso deixa de ser importante, pois seu papel é decisivo na criação de condições para a intervenção. &quot;O conhecimento teórico adequado acarreta rigor conceitual, análise acurada, desempenho lógico, argumentação diversificada, capacidade explicativa&quot; (DEMO,1994, p. 36). </li></ul>
  25. 25. <ul><li>2. Pesquisa metodológica- voltada para a inquirição de métodos e procedimentos adotados como científicos. </li></ul><ul><li>- &quot;Faz parte da pesquisa metodológica o estudo dos paradigmas,- as crises da ciência, os métodos e as técnicas- dominantes da produção científica&quot; (DEMO, 1994,- p. 37). </li></ul>
  26. 26. 3. Pesquisa empírica <ul><li>– dedicada ao tratamento da &quot;face empírica e fatual da realidade; produz e analisa dados, procedendo sempre pela via do controle empírico e fatual&quot;(Demo, 2000, p. 21). </li></ul><ul><li>– &quot;possibilidade de maior concretude às argumentações, por mais tênue que possa ser a base fatual. </li></ul><ul><li>A pesquisa empírica se dá por tentativa e erro, e é realizada em qualquer ambiente. </li></ul>
  27. 27. 4. Pesquisa prática <ul><li>– &quot;ligada à práxis, ou seja, à prática histórica em termos de conhecimento científico para fins explícitos de intervenção”;– Ex: pesquisa participante, pesquisa-ação, onde, via de regra, o pesquisador faz a devolução dos dados à comunidade estudada para as possíveis intervenções (Demo, 2000, p. 22). </li></ul>
  28. 28. Pesquisa Quantitativa (pesquisas fechadas ) <ul><li>• descobrir quantas pessoas de uma determinada população compartilham uma característica ou um grupo de características. </li></ul><ul><li>• projetada para gerar medidas precisas e confiáveis que permitam uma análise estatística. </li></ul><ul><li>• traduz em números opiniões e informações para classificá-los e organizá-los. Utiliza métodos estatísticos. </li></ul>
  29. 29. Pesquisa Qualitativa (pesquisas abertas) <ul><li>identificar a extensão total de respostas ou opiniões que existem em um mercado ou população. </li></ul><ul><li>• determinar o que é importante para os clientes e porque é importante (ações de marketing). </li></ul><ul><li>• considera a existência de uma relação dinâmica entre mundo real e sujeito. É descritiva e utiliza o método indutivo. O processo é o foco principal. </li></ul>
  30. 30. Pesquisa bibliográfica <ul><li>• Base em livros e periódicos científicos • Compreende o universo de trabalho teóricos desenvolvidos em campos como o da filosofia, sociologia e antropologia </li></ul>
  31. 31. Pesquisa documental <ul><li>• Assemelha-se à pesquisa bibliográfica, todavia as fontes que a constituem são documentos </li></ul>
  32. 32. Pesquisa experimental <ul><li>• consiste em determinar um objeto de estudo e selecionar as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo, definindo as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto em condições determinadas. </li></ul>
  33. 33. Pesquisa de Levantamento <ul><li>• Caracteriza-se pela interrogação direta das pessoas, cuja opinião se quer conhecer;• conhecimento direto da realidade, economia e rapidez, quantificação </li></ul>
  34. 34. Pesquisa de Estudo de campo <ul><li>• Assemelha-se ao levantamento, mas são mais aprofundados, apresenta maior flexibilidade, podendo ter seus objetivos reformulados ao longo do processo de pesquisa. </li></ul>
  35. 35. Pesquisa de Estudo de caso <ul><li>• Estudo aprofundado e exaustivo de um ou de poucos objetos, de maneira a permitir o seu conhecimento amplo e detalhado. </li></ul>
  36. 36. Pesquisa ex-post-facto <ul><li>• é aquela em que a variável independente é manipulada em seu meio natural, sem interferência do pesquisador. Muitas vezes, o fato a ser estudado já ocorreu, verificando-se quais elementos geraram determinado acontecimento, ou quais prováveis caminhos surgirão devido ao ocorrido. </li></ul>
  37. 37. <ul><li>• Não há outro tipo de pesquisa compatível com as Relações Internacionais senão a ex-post-facto. Não existe nenhuma perspectiva do pesquisador conseguir alterar qualquer fragmento do sistema internacional, assim a análise dos acontecimentos será construída a partir das transformações que o meio internacional proporcionou, sendo este o objeto de estudo principal. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>• Pesquisa Bibliográfica – a partir de material já publicado </li></ul><ul><li>• Pesquisa Documental – a partir de material não analisado </li></ul><ul><li>• Pesquisa Experimental – variáveis de controle sobre um objeto </li></ul><ul><li>• Levantamento – interrogação direta </li></ul><ul><li>• Estudo de Caso – estudo profundo de um ponto para detalhamento do conhecimento </li></ul><ul><li>• Pesquisa Ex-post-Facto – experimento realizado depois dos fatos </li></ul><ul><li>• Pesquisa-Ação – resolução de um problema coletivo </li></ul><ul><li>• Pesquisa Participante – interação entre pesquisadores e membros das situações• investigadas </li></ul>
  39. 39. Método científico <ul><li>• conjunto de operações mentais ou processos mentais utilizados na investigação. </li></ul><ul><li>• A palavra método vem do grego ‘méthodos’, (caminho para chegar a um fim). </li></ul><ul><li>• O método científico é um conjunto de regras básicas para desenvolver uma experiência a fim de produzir novo conhecimento, bem como corrigir e integrar conhecimentos pré-existentes. </li></ul>
  40. 40. <ul><li>• Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências observáveis, empíricas (ou seja, baseadas apenas na experiência) e mensuráveis e as analisar com o uso da lógica. Para muitos autores o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência (Haddad). </li></ul>
  41. 41. Método Dedutivo <ul><li>Proposto pelos racionalistas Descartes, Spinoza e Leibniz• “Só a razão é capaz de levar ao conhecimento verdadeiro”• </li></ul><ul><li>Todo homem é mortal </li></ul><ul><li>João é homem </li></ul><ul><li>Logo, João é mortal </li></ul>
  42. 42. Método Indutivo <ul><li>Proposto pelos empiristas Bacon, Hobbes,Locke e Hume• O conhecimento é fundamentado na experiência, não levando em conta princípios pré-estabelecidos </li></ul><ul><li>A generalização deriva de observações de casos da realidade concreta </li></ul><ul><li>Antônio é mortal </li></ul><ul><li>João é mortal </li></ul><ul><li>Paulo é mortal... </li></ul><ul><li>Ora, Antônio, João, Paulo , são homens. </li></ul><ul><li>Logo, (todos) os homens são mortais. </li></ul>
  43. 43. Método Hipotético-Dedutivo <ul><li>• Proposto por Popper </li></ul><ul><li>• “ ... Quando os conhecimentos disponíveis sobre determinado assunto são insuficientes para a explicação de um fenômeno, surge um problema...” </li></ul><ul><li>• Procuram-se evidências empíricas para derrubar a hipótese. </li></ul><ul><li>• Consiste na construção de conjecturas, que devem ser submetidas a testes, os mais diversos possíveis, à crítica intersubjetiva, ao controle mútuo pela discussão crítica, à publicidade crítica e ao confronto com os fatos, para ver quais as hipóteses que sobrevivem como mais aptas na luta pela vida,• resistindo, portanto, às tentativas de• refutação e falseamento. </li></ul>
  44. 44. Método Dialético <ul><li>• Proposto por Hegel </li></ul><ul><li>• No universo nada está isolado, tudo é movimento e mudança, tudo depende de tudo. </li></ul><ul><li>• Contradições se transcendem dando origem a novas contradições que passam a requerer solução. </li></ul><ul><li>• Os fatos não podem ser considerados fora de um contexto social, político, econômico, etc. </li></ul><ul><li>• no hegelianismo, lei que caracteriza a realidade como um movimento incessante e contraditório, condensável em três momentos sucessivos (tese, antítese e síntese) que se manifestam simultaneamente em todos os pensamentos humanos e em todos os fenômenos do mundo material </li></ul><ul><li>Exemplo de uso da tríade dialética. </li></ul><ul><li>• TESE - LATIFÚNDIO </li></ul><ul><li>• ANTÍTESE - TRABALHADORES SEM TERRA </li></ul><ul><li>• SÍNTESE - REFORMA AGRÁRIA </li></ul>
  45. 45. Método Fenomenológico <ul><li>• Proposto por Husserl. </li></ul><ul><li>• Descrição direta da experiência tal como ela é. </li></ul><ul><li>• A realidade é construída socialmente e entendida como o compreendido, o interpretado, o </li></ul><ul><li>comunicado. </li></ul><ul><li>• Existem tantas realidades quantas forem suas interpretações e comunicações. </li></ul>
  46. 46. Fases da Pesquisa
  47. 47. Alguns temas: <ul><li>ANTROPOLOGIA JURÍDICA </li></ul><ul><li>Construção da nacionalidade na Constituição Federal de 1988. Costumes e a positivação do Direito, os. Formação cultural do Direito brasileiro. Marginais e excluídos na sociedade atual. Minorias e excluídos na ordem jurídica mundial. Minorias e excluídos no Estado Brasileiro. Nações Unidas e a proteção das minorias, as. Origem dos direitos dos povos. </li></ul>
  48. 48. <ul><li>DIREITO ADMINISTRATIVO </li></ul><ul><li>Abuso de Poder. Administração Direta e Indireta. Administração e Constituição. Administração Indireta Brasileira. Administração: atividades-fim e atividades-meio. Agências Reguladoras mo Direito Brasileiro. Agências regulamentadoras e seu papel na solução de conflitos. Agências regulamentadoras e seu papel. Agentes Públicos. As empresas estatais em Juízo. Atos administrativos especiais. Atos administrativos. Atos de governo ou atos políticos. Atos de improbidade administrativa. Atos nulos e anuláveis. </li></ul><ul><li>Audiências públicas. Autarquia em regime especial. Autarquias. Autonomia contratual da Administração. Autorização e permissão de uso dos bens públicos. Bens públicos. Cargos, empregos e funções públicas. Cobrança administrativa do crédito da Fazenda Pública. Coisa Julgada administrativa. Comentários à Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429, de 02.jun.1992. Comentários à Lei do Petróleo (Lei nº 9.478, de 06.ago.1997. Concessão de serviço público. Concorrência pública e seleção da proposta mais vantajosa. Concurso público, do. Contencioso Administrativo. Contratação direta, sem licitação. Contratos administrativos, dos. Controle da Administração Pública pelo Ombudsman, do. Controle da Constitucionalidade pelos Tribunais Administrativos. Controle dos atos administrativos pelo Poder Judiciário. Controle hierárquico e tutela administrativa. Controle jurisdicional da Administração Pública. </li></ul>
  49. 49. <ul><li>Princípio da Eficiência e seu impacto no Direito Público, do. Princípio da impessoalidade. Princípio da indisponibilidade, pela Administração, dos interesses públicos. Princípio da legalidade. Princípio da moralidade e Licitação. Princípio da moralidade. Princípio da motivação. Princípio da razoabilidade. Princípio da supremacia do interesse público. Princípios constitucionais a serem seguidos pela Administração Pública. Princípios constitucionais do Direito Administrativo </li></ul><ul><li>Princípios da Licitação: dispensa e inexigibilidade. Princípios do contraditório e da ampla defesa na sindicância, os. Princípios fundamentais do Direito Administrativo. Privatização: objeto e formas. Privilégios da Administração Pública em Juízo. Problema do controle jurídico do Poder, o. Procedimento administrativo disciplinar. Processo administrativo e suas espécies. Regime disciplinar do funcionário público civil na União. </li></ul>
  50. 50. <ul><li>DIREITO AMBIENTAL </li></ul><ul><li>Ação civil pública ambiental. Ação civil pública e meio ambiente. Ação popular ambiental. Ações coletivas e tutela do meio ambiente. Advocacia ambiental e os novos paradigmas do Direito Ambiental. Agências de águas. Água: sua proteção legal. Aspectos da legislação de proteção ao meio ambiente do trabalho. Aspectos jurídicos do Licenciamento Ambiental. Auditoria ambiental no Brasil. Biodireito e meio ambiente. Cidadania e meio ambiente. Competência do Município em matéria ambiental, a. Considerações jurídicas do “Caso Lagoinha”, em Natal. Consumidor e o meio ambiente, o. Controle jurisdicional do licenciamento ambiental. </li></ul>
  51. 51. <ul><li>DIREITO CIVIL </li></ul><ul><li>Abuso de Direito e Ato ilícito. Abuso de Direito. Adjudicação, da. Adoção e direito sucessório. Adoção por homossexuais. Adoção transnacional. Adoção, da. Adoção, guarda e investigação de paternidade. Adoção, tutela e guarda. Alienação fiduciária em garantia, da. Alteração do Prenome (Lei nº 9.708/98). Alterações constitucionais no Direito de Família e Sucessões. Arbitragem e mediação. </li></ul>
  52. 52. <ul><li>Arbitragem no Direito Brasileiro. Arrendamento rural. Arrolamento, do. Aspectos jurídicos da adoção. Ato ilícito. Ato jurídico perfeito e direito adquirido. Ato jurídico. Bem de família: considerações a respeito. Benfeitorias e Direito de Retenção. Boa fé no novo Código Civil. Casamento e união estável. Casamento. Casamentos inexistentes. Cláusulas abusivas nos contratos. Cláusulas pacta sunt servanda e rebus sic stantibus e suas conseqüências jurídicas. Coisa julgada na investigação de paternidade. </li></ul>
  53. 53. <ul><li>Elementos críticos do Direito de Família. Entidades familiares na Constituição. Espécies de culpa. Exceção de não cumprimento do contrato no Direito Civil Brasileiro. Família no novo Código Civil Brasileiro Fato jurídico. Filhos havidos fora do casamento Filiação: constituição e extinção do respectivo vínculo. Guarda compartilhada dos filhos. Guarda dos filhos após a dissolução da união do casal. Herança. Ideologia, princípios e hermenêutica no Direito de Família. </li></ul>

×