Simulado ENEM - ciências humanas e suas tecnologias - MODERNA

3.097 visualizações

Publicada em

Simulado preparatório contemplando todas as áreas do conhecimento, com gabaritos analíticos, analisando todas as habilidades e competências.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.097
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Simulado ENEM - ciências humanas e suas tecnologias - MODERNA

  1. 1. Moderna PLUS CADERNO DO PROFESSOR 100% de questões inéditas e exclusivas capas_plus.indd 10 15/9/14 11:06 AM
  2. 2. Os simulados estão estruturados da seguinte forma: c Simulados de revisão do 1º ano: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada, um para cada área do conhecimento: Linguagens e suas tecnologias + Redação; Matemática e suas tecnologias; Ciências Naturais e suas tecnologias; e Ciências Humanas e suas tecnologias. c Simulados de revisão do 1º e 2º anos: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada. c Simulados de revisão de todo o Ensino Médio: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada. Cada simulado tem 2 versões, uma para o professor, com comentários baseados nos distratores e descritivos do binômio competência-habilidade desenvolvida na questão; e outra para o aluno, oferecida em nosso site em arquivos prontos para imprimir com espaços para resolução, seguindo formato idêntico ao Enem. Tudo para que o aluno tenha uma vivência significativa. Além disso, a escola poderá realizar um grande simulado, reunindo os 4 cadernos de cada ano para formar um exame com as 180 questões e uma proposta de redação, como proposto na prova original do ENEM. Esperamos levar para você uma forma prática de promover uma revisão dos conteúdos e acompanhar o desempenho dos alunos, de forma conectada com as demandas da atualidade. Boa revisão! Este material faz parte da coleção de Simulados ENEM, com 100% de questões inéditas e exclusivas para alunos e professores da rede pública de ensino. Desenvolvemos 12 simulados especiais, considerando as novas demandas do Ensino Médio, a partir das quatro grandes áreas do conhecimento propostas pelo Enem. Nosso objetivo é oferecer um subsídio diferenciado para ajudá-lo a compreender a matriz de referência do ENEM na prática e, sobretudo, auxiliar o processo de preparação dos alunos para o maior exame do país. Caro educador, instrucoes_plus.indd 1 15/9/14 11:16 AM
  3. 3. www.modernaplus.com.br Conheça os simulados por dentro: c No início de cada questão, o binômio competência-habilidade permite compreender na prática a matriz de referência do ENEM. c Os comentários são inseridos somente no material do professor, com base nos distratores de cada item. cAs páginas de questões seguem a mesma numeração dos simulados do aluno, para facilitar a localização. Baixe todas os volumes do professor e do aluno. Acesse o menu ENEM e selecione o item Simulados Enem. cNo site, você encontra os simulados do aluno, que vêm prontos para imprimir. instrucoes_plus.indd 2 15/9/14 11:16 AM
  4. 4. Desde 1998, o MEC aplica anualmente uma prova voltada aos estudantes de Ensino Médio do Brasil – é o Exame Nacional do Ensino Médio, ou simplesmente Enem. O objetivo principal do Exame é diagnosticar a qualidade do ensino no país. Contudo, ao longo dos anos de aplicação, e com adoção de melhorias metodológicas, outras funções foram agregadas a essa avaliação. DIFERENTES OBJETIVOS AO LONGO DOS ANOS Em 1998 c Avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica, para aferir o desenvolvimento de competências fundamentais ao exercício pleno da cidadania. c Oferecer uma referência para que cada estudante possa proceder à sua autoavaliação, visando às escolhas futuras, tanto em relação ao mercado de trabalho quanto à continuidade dos estudos. c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho. c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso aos cursos profissionalizantes pós-médios e ao Ensino Superior. Em 2006 Como o Enem não é uma avaliação obrigatória, para incentivar a participação dos estudantes, diversas universidades (em especial, as públicas), passaram a permitir o uso das notas no Enem como parte de seus processos seletivos. Nesse contexto, os objetivos do Exame passaram a ser: c Avaliar competências e habilidades desenvolvidas ao longo da educação básica. c Possibilitar que o aluno faça uso dos resultados alcançados no Enem em processos de seleção para o mercado de trabalho, nas instituições que utilizarem tal critério. c Permitir que o aluno use o Enem como alternativa ou como reforço ao vestibular, nas instituições que oferecerem esta possibilidade. c Proporcionar ao aluno a possibilidade de concorrer a uma bolsa pelo ProUni e outros programas governamentais de auxílio financeiro. Desde 2009 Com a adoção da Teoria de Resposta ao Item (TRI)para o cálculo das notas, os resultados das aplicações do Enem começaram a ser passíveis de comparação, o que possibilitou um acompanhamento das tendências de crescimento ou queda da aprendizagem. c Servir de referência para que cada cidadão possa proceder à sua autoavaliação com vistas em suas escolhas futuras, tanto em relação ao mundo do trabalho, quanto em relação à continuidade dos estudos. c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho. c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso aos cursos profissionalizantes, pós-médios e à educação superior. Um panorama do Enem panorama_plus.indd 1 15/9/14 4:58 PM
  5. 5. c Possibilitar a participação e criar condições de acesso a programas governamentais. c Promover a certificação de jovens e adultos no nível de conclusão do Ensino Médio. c Promover a avaliação do desempenho acadêmico das escolas de Ensino Médio, de forma que cada unidade escolar receba o resultado global. c Promover a avaliação do desempenho acadêmico dos estudantes ingressantes nas instituições de Ensino Superior. PORTAS ABERTAS PELO EXAME Um bom desempenho no Enem pode garantir ao participante o acesso a programas de incentivo governamentais, como: Prouni (Programa Universidade para Todos) Dirigido aos estudantes egressos do Ensino Médio da rede pública ou particular na condição de bolsistas integrais, com renda per capita familiar de até três salários mínimos, visa à concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e de formação específica, em instituições privadas de Ensino Superior. Sisu (Sistema de Seleção Unificada) Tendo a nota do Enem como único critério, o Sisu seleciona os candidatos às vagas das instituições públicas de Ensino Superior cadastradas. Ciência sem Fronteiras Programa do Governo Federal criado em 2011, que incentiva estudantes e pesquisadores a realizarem intercâmbio em instituições estrangeiras de alto nível, com o objetivo de potencializar o desenvolvimento tecnológico e científico. Desta maneira, as áreas prioritárias em que as bolsas são concedidas são ciências exatas e biológicas. AS UNIVERSIDADES Como já vimos, desde 2009, um dos objetivos do Enem é promover o acesso às instituições de Ensino Superior. Hoje em dia, diversas universidades utilizam a nota do Enem em seu processo seletivo, adotando uma das seguintes formas: c Como critério único de seleção, em substituição ao vestibular tradicional. c Como primeira fase do processo seletivo, mantendo a segunda fase elaborada pela instituição. c Com a concessão de um acréscimo à pontuação do candidato no processo seletivo organizado pela instituição, dependendo da pontuação obtida no Enem. c Como critério de preenchimento de vagas remanescentes. panorama_plus.indd 2 15/9/14 4:58 PM
  6. 6. VANTAGENS DO NOVO ENEM Até 2008, a prova do Enem trazia 63 questões interdisciplinares, além da proposta de redação. As perguntas de múltipla escolha careciam de uma articulação direta com os conteúdos do Ensino Médio, e a metodologia de contabilização das notas impossibilitava a comparação dos resultados de diferentes edições. A partir de 2009, o exame passou a ser pensado de maneira que pudesse ser comparável no tempo, ou seja, a pontuação obtida em um determinado ano poderá ser cotejada com a de anos seguintes, de modo a permitir um acompanhamento das tendências de melhoria ou decréscimo da aprendizagem. Além disso, ele aborda mais explicitamente os componentes curriculares do Ensino Médio, com cada uma das provas sendo relativa a uma área do conhecimento: 1. Linguagens, códigos e suas tecnologias (Língua Portuguesa, Arte, Educação Física, Língua Estrangeira Moderna – Inglês e Espanhol e uma proposta de redação). 2. Matemática e suas tecnologias. 3. Ciências da natureza e suas tecnologias (Biologia, Física e Química). 4. Ciências humanas e suas tecnologias (História, Geografia, Sociologia e Filosofia). INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Sendo agrupadas em áreas de conhecimento ao invés das tradicionais disciplinas escolares, as questões do Enem são coerentes com o próprio conhecimento humano, que não é subdividido em “gavetas”, e sim concebido como uma ampla rede, mutável e heterogênea. Outra característica das questões do Enem é a contextualização, cujo objetivo é estabelecer relações entre o conhecimento e o mundo ao redor. No enunciado, elas apresentam uma situação-problema, desafiadora e claramente relacionada ao contexto. Para responder às questões, o aluno deverá se apoiar tanto em seus conhecimentos prévios como nas informações trazidas no próprio enunciado. Desta maneira, o candidato terá cinco notas diferentes: para as quatro áreas do conhecimento e para a redação. Assim, apesar do Enem não contemplar pesos distintos a essas áreas, as instituições de Ensino Superior podem atribuir seus próprios critérios, com a finalidade de classificar os candidatos entre as carreiras pleiteadas. TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM (TRI) Como vimos anteriormente, o Enem é pensado para que seja possível estabelecer uma comparação entre as notas de suas edições. Este é um dos atributos da metodologia chamada de Teoria de Resposta ao Item, que reúne o conjunto de modelos que relacionam uma ou mais habilidades com a probabilidade do candidato selecionar a resposta correta. A Teoria de Resposta ao Item engloba um conjunto de modelos matemáticos utilizados para o cálculo das proficiências dos alunos em um teste. Tomando como unidade básica de análise cada item isoladamente, a TRI relaciona a probabilidade de acerto do item com a competência do aluno. Essa relação tem sempre um caráter crescente; dessa forma, quanto maior a competência do respondente, maior a sua probabilidade de acertar o item. panorama_plus.indd 3 15/9/14 4:58 PM
  7. 7. Os principais benefícios trazidos por essa Teoria são a garantia de comparabilidade dos resultados entre os anos de aplicação da avaliação (condição obrigatória para a verificação dos movimentos de melhoria ou de queda de rendimento do sistema educacional) e o auxílio ao desenvolvimento de uma interpretação pedagógica dos resultados, isto é, um diagnóstico dos conhecimentos e habilidades que os alunos demonstraram conhecer e realizar, e também daqueles que ainda precisam ser reforçados. Caráter nacional e sem decoreba Como um dos objetivos do Enem é democratizar o ensino, possibilitando aos estudantes uma maior mobilidade entre as universidades do país, o conteúdo das questões do Exame não contêm particularidades pontuais de determinadas regiões do país, garantindo igualdade aos candidatos dos mais diversos lugares. Além disso, as provas correlacionam mais diretamente as habilidades ao conjunto dos conteúdos habitualmente estudados no Ensino Médio. Desta maneira, preserva-se o predomínio absoluto de questões que buscam explorar não o simples resgate da informação, mas a aplicação prática do conhecimento. ENEM 2014 A edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio bateu o recorde de candidatos aptos, com 8.721.946 pessoas – 21% de crescimento em relação ao ano passado. Este é apenas um entre outros números expressivos da prova que acontecerá nos dias 8 e 9 de novembro de 2014. De acordo com o ministro da Educação, Henrique Paim, o crescimento foi acima da expectativa, que era de 8 milhões de inscritos, e tem como justificativa um “despertar em torno da questão da educação, especialmente com o crescimento das oportunidades oferecidas pelo Governo Federal”. Outro número de destaque foi o de inscritos com mais de 20 anos: quase 4 milhões, sendo que 1,35 milhão está acima dos 30. “Nós temos uma dívida educacional muito grande. Essa é uma boa notícia. As pessoas estão vendo que podem retomar os estudos. Isso é bom para o País”, afirmou Paim. Confira outros números relacionados às inscrições do Enem 2014 (Fonte: INEP): c Gênero: 58,11% são homens e 44,88% são mulheres c Regiões: Sudeste – 35,27%; Nordeste – 32,99%; Sul – 11,97%; Norte – 10,89%; Centro-Oeste e Distrito Federal – 8,88% panorama_plus.indd 4 15/9/14 4:58 PM
  8. 8. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Competência de área 1: Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H1 - Interpretar historicamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. H2 - Analisar a produção da memória pelas sociedades humanas. H3 - Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos. H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura. H5 - Identificar as manifestações ou representações da diversidade do patrimônio cultural e artístico em diferentes sociedades. Competência de área 2: Compreender as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H6 - Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos. H7 - Identificar os significados histórico‑geográficos das relações de poder entre as nações. H8 - Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-social. H9 - Comparar o significado histórico‑geográfico das organizações políticas e socioeconômicas em escala local, regional ou mundial. H10 - Reconhecer a dinâmica da organização dos movimentos sociais e a importância da participação da coletividade na transformação da realidade histórico‑geográfica. Competência de área 3: Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando- os aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais. H11 - Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço. H12 - Analisar o papel da justiça como instituição na organização das sociedades. H13 - Analisar a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder. H14 - Comparar diferentes pontos de vista, presentes em textos analíticos e interpretativos, sobre situação ou fatos de natureza histórico‑geográfica acerca das instituições sociais, políticas e econômicas. H15 - Avaliar criticamente conflitos culturais, sociais, políticos, econômicos ou ambientais ao longo da história. Matriz de Referência do Enem matrizes_plus.indd 7 15/9/14 4:43 PM
  9. 9. Competência de área 4: Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. H16 - Identificar registros sobre o papel das técnicas e tecnologias na organização do trabalho e/ou da vida social. H17 - Analisar fatores que explicam o impacto das novas tecnologias no processo de territorialização da produção. H18 - Analisar diferentes processos de produção ou circulação de riquezas e suas implicações socioespaciais. H19 - Reconhecer as transformações técnicas e tecnológicas que determinam as várias formas de uso e apropriação dos espaços rural e urbano. H20 - Selecionar argumentos favoráveis ou contrários às modificações impostas pelas novas tecnologias à vida social e ao mundo do trabalho. Competência de área 5: Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade. H21 - Identificar o papel dos meios de comunicação na construção da vida social. H22 - Analisar as lutas sociais e conquistas obtidas no que se refere às mudanças nas legislações ou nas políticas públicas. H23 - Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades. H24 - Relacionar cidadania e democracia na organização das sociedades. H25 – Identificar estratégias que promovam formas de inclusão social. Competência de área 6: Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. H27 - Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e/ou geográficos. H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico‑geográficos. H29 - Reconhecer a função dos recursos naturais na produção do espaço geográfico, relacionando‑os com as mudanças provocadas pelas ações humanas. H30 - Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas diferentes escalas. matrizes_plus.indd 8 15/9/14 4:43 PM
  10. 10. PROVA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Leia atentamente as instruções seguintes 1. Este caderno de teste contém 45 questões numeradas de 1 a 45, relativas à área de Ciências Humanas e suas Tecnologias; 2. Não dobre, não amasse, nem rasure a Folha de Respostas. Ela não pode ser substituída. 3. Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 opções, identificadas pelas letras A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente a questão. 4. Na Folha de Respostas, marque, para cada questão, a letra correspondente à opção escolhida para a resposta, preenchendo todo o espaço da alternativa, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta, conforme o exemplo abaixo: A B C D E Você deve, portanto, assinalar apenas uma opção em cada questão. A marcação em mais de uma opção anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta. 5. O tempo disponível para esta prova será determinado pelo professor aplicador. 6. Reserve os 15 minutos finais para marcar sua Folha de Respostas. Os rascunhos e as marcações assinaladas neste caderno não serão considerados na avaliação. 7. Quando terminar a prova, devolva sua Folha de Respostas para o aplicador. 8. Você será excluído do exame caso: a. utilize, durante a realização da prova, máquinas e/ou relógios de calcular, bem como rádios, gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b. se ausente da sala de provas levando consigo o caderno de questões e/ou a Folha de Respostas antes do prazo estabelecido; c. aja com incorreção ou descortesia para com qualquer participante do processo de aplicação das provas; d. se comunique com outro participante, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma. SIMULADO DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO UM ENSINO PARA A VIDA neme Material do Professor
  11. 11. SIMULADO ENEM – PÁG. 2 Ciências Humanas e Suas Tecnologias Questão 1 QE00497 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as rela- ções da vida humana com a paisagem. Observe a ilustração. Fonte: HOMEM-REINÉIS, Lopo.Terra Brasilis. Atlas Miller, French National Library, 1519. O mapa é uma representação do território por- tuguês na América feita por um importante car- tógrafo, Lopo Homem. Ele participou de várias expedições comandadas pela coroa portuguesa que tinham por objetivo, entre outros, verificar os domínios do Tratado de Tordesilhas. Analisando as iluminuras deste documento, é correto afirmar que elas revelam A uma terra imaginada pelos cartógrafos que ouviam os relatos dos viajantes, cheia de ma- tas, animais variados, água e beleza. Entre as representações desses relatos fantásticos, destacam-se uma ave que provavelmente é a arara-azul, o macaco prego, a onça pintada e a árvore pau-brasil, entre outros. B a costa brasileira desde o Maranhão até o Rio da Prata. As ricas iluminuras mostram os in- dígenas, alguns envolvidos na atividade de exploração de pau-brasil e ainda escudo de armas ao norte e ao sul, assinalando os domí- nios das coroas portuguesa e espanhola. C muito pouco sobre o que, de fato, ocorria nas navegações, visto que há na iluminura ani- mais exóticos e imaginários. D a fauna e a flora brasileira de maneira fiel à realidade. Como cartógrafo, Lopo Homem não poderia descrever situações e objetos que não existiam no novo continente. E uma descrição sumária dos domínios do Tra- tado de Tordesilhas, sem preocupação em apresentar aspectos relacionados à vegeta- ção ou aos animais que habitavam o território.
  12. 12. SIMULADO ENEM – PÁG. 3 Justificativa: O item avalia a capacidade de identificar em fontes diversas (no caso, pela análise cartográfica) as relações da vida humana com a paisagem em diferentes momentos históricos (H26). Para resolver a questão, os alunos devem analisar o documento e identificar nele os traços e características destacados pelo cartógrafo Lopo Homem. É possível perce- ber que a pintura apresenta elementos da fauna e da flora brasileira, desde a costa do Maranhão até o Rio da Prata, além de alguns indígenas e o escudo de armas das coroas de Portugal e Espanha. A única alternativa que traz essas informa- ções é a B. A alternativa A está errada por destacar que o mapa seria uma terra imaginada pe- los cartógrafos a partir de relatos fantásti- cos dos viajantes, afinal, no período de sua produção, a América Portuguesa já era co- nhecida e explorada pelos colonizadores. A alternativa C é errada, pois, apesar da iluminura apresentar animais exóticos e imaginários, esse tipo de representação era recorrente nos mapas da época, de modo que a informação apresentada nesta alternativa não é suficiente para ser consi- derada correta. A alternativa D, por sua vez, está equivo- cada por destacar uma representação fiel da fauna e da flora brasileira. Finalmen- te, a alternativa E pode ser eliminada por mencionar a não preocupação do cartó- grafo com a representação de elementos vegetais e animais. Para trabalhar com os alunos, o professor pode orientar a classe, em um primeiro momento, a identificar as características gerais da pintura, destacando seus ele- mentos principais e contextualizando a classe sobre o momento histórico em que foi produzido. Questão 2 QE00491 C4 Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos proces- sos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. H16 Identificar registros sobre o papel das técnicas e tecnologias na organização do trabalho e/ou da vida social. Quer parecer-nos que jamais acontecimen- to algum terá destruído tantos e tão preciosos bens comuns à humanidade, transtornado tantas inteligências lúcidas e rebaixado tão fundamente as coisas mais elevadas. Até a própria ciência perdeu a sua desapaixonada imparcialidade; os seus servidores, profun- damente amargados, procuram dela extrair armas para prestar um contributo à luta con- tra o inimigo. [...] A guerra, em que não que- ríamos acreditar, estalou e trouxe consigo a decepção. Não só é mais sangrenta e mais mortífera do que todas as guerras passadas, por causa do aperfeiçoamento das armas de ataque e de defesa, mas, pelo menos, tão cruel, exasperada e brutal como qual- quer uma delas. Infringe todas as restrições a que os povos se obrigaram em tempos de paz – o chamado Direito Internacional –, não reconhece nem os privilégios do ferido e do médico, nem a diferença entre o núcleo com- batente e o pacífico da população. Fonte: FREUD, Sigmund. O desapontamento perante a morte. Em: FREUD, Sigmund. Escritos sobre a guerra e a morte. Coleção Textos Clássicos de Filosofia. Universidade da Beira Interior: Covilhão, 2009. p.4 O documento acima trata do período da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). A respeito da rela- ção estabelecida entre o desenvolvimento tecno- lógico e esse confronto bélico-militar, é correto afirmar que A o expressivo desenvolvimento tecnológico, ve- rificado a partir da segunda metade do século XIX, não teve reflexos diretos no desenvol- vimento da indústria bélica, visto que muitas das inovações desse período só foram utiliza- das no decorrer da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
  13. 13. SIMULADO ENEM – PÁG. 4 B a primeira Guerra Mundial foi um conflito no qual, pela primeira vez na história, foram utili- zadas armas químicas, submarinos, lança-cha- mas, além do armamento já existente. O resul- tado de tamanho investimento tecnológico foi a destruição em massa de milhares de soldados e civis, causando horror e pânico na população. C com o advento da guerra foram abertas novas oportunidades de empregos no campo e na ci- dade. Como muitos homens estavam nas ba- talhas, a demanda para o trabalho nas cidades era alta. Assim, apesar do confronto militar, ha- via um clima de euforia entre os civis que deci- diram permanecer em seus locais de origem. D a indignação expressa no texto faz referência à violência sofrida pela população durante o con- fronto bélico e não ao uso da tecnologia de for- ma brutal pelos Estados Nacionais envolvidos. E o desenvolvimento tecnológico não era bem visto pelos intelectuais do período, pois acre- ditavam que a tecnologia era usada para a destruição em massa da população e para o fortalecimento bélico das nações. De forma geral, alegava-se que o uso da tecnologia po- deria infringir o Direito Internacional. Justificativa: Esse item avalia a habilidade de identificar registros sobre o papel do uso de técnicas e tecnologias na organização da vida so- cial (H16). O gabarito é a alternativa B, pois se rela- ciona com a visão do autor sobre o uso da tecnologia para a destruição em massa da população. A alternativa A está errada por expressar a não relação entre o expressivo desenvol- vimento tecnológico da segunda metade do século XIX e a indústria bélica. A alternativa C, por sua vez, está equivoca- da por citar um clima de euforia entre os ci- vis, negando a percepção trazida pelo texto de um período de tensão e insegurança. A opção D pode ser eliminada por não re- lacionar a opinião do autor com o uso de tecnologia na indústria bélica. E a alternativa E, finalmente, também traz uma informação não presente no texto. Para auxiliar os alunos na resolução des- ta questão, é necessário que o professor trabalhe o contexto em que ocorreu a Pri- meira Guerra Mundial (1914-1918), utili- zando o texto-base como ponto de partida para uma discussão sobre a influência do intenso desenvolvimento tecnológico do período sobre a indústria bélica e os resul- tados sociais do conflito.
  14. 14. SIMULADO ENEM – PÁG. 5 Questão 3 QE00403 C5 Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecen- do uma atuação consciente do indivíduo na sociedade. H23 Analisar a importância dos valores éticos na estruturação política das sociedades. É natural que os homens estudem as obras de Deus, viajem pelo mundo, procurem em toda parte as ciências, façam experiência de tudo. Mas, os habitantes de uma tal república seriam como os monges, que só estudam nos livros e, quando ouvem alguma coisa que não se acha neles, se escandalizam e se pertur- bam. Assim como agora mal creem nas ob- servações de Galileu, antes não acreditavam que Colombo tivesse descoberto um novo he- misfério, porque Santo Agostinho o negava. Mas, respondendo primeiro em geral, existe em nosso favor o exemplo de Thomas More, mártir recente, que escreveu a sua república Utopia, imaginária, exemplo no qual encon- tramos as instituições da nossa. Platão, igual- mente, apresentou uma ideia da república que, embora não possa, como dizem os teólogos, ser posta integralmente em prática na natureza corrupta, teria podido, contudo, subsistir no es- tado de inocência, isto é, justamente aquele ao qual Cristo nos faz voltar. Aristóteles, por sua vez, instituiu a sua república. E assim muitos outros filósofos. CAMPANELLA, Tommaso. A cidade do Sol. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cv000001. pdf. Acesso em 24 jan. 2014. “A Cidade do Sol”, do filósofo italiano renascen- tista Tommaso Campanella, publicada em 1603, consiste na criação de uma cidade utópica. Neste trecho da obra, o autor constrói a ideia de uma república imaginária com base A na tradição católica de crítica ao poder abso- luto do monarca. B nas ideias políticas de filósofos da chamada Antiguidade Clássica e do Renascimento. C na valorização dos monges copistas e na teo- logia medieval. D em referências anticlericais, defendendo a li- berdade religiosa. E em ideias comunistas, buscando toda a igual- dade política e econômica. Justificativa: O item afere a habilidade de analisar a im- portância dos valores éticos na estrutura- ção política das sociedades. (H23) O gabarito da questão é a alternativa B, pois o texto de Campanella visivelmente faz referência à Antiguidade Clássica e ao Renascimento, quando cita Aristóteles, Platão, Colombo e Galileu. Desse modo, a alternativa A está equivoca- da por citar os ideais da tradição católica. As opções C e D, de modo semelhante, estão erradas por destacar os monges co- pistas (também da tradição católica) e as referências anticlericais. Essas alternati- vas podem facilmente confundir os alunos que se limitarem a informações pontuais do texto, que cita, explicitamente, o traba- lhos dos monges e Santo Agostinho. Por último, a opção E pode facilmente ser eliminada por destacar ideais comunistas, totalmente fora do conteúdo do texto. Para auxiliar o aluno a responder correta- mente a questão, o professor pode reto- mar o conjunto de ideias predominantes e singularidades de cada período destacado pelas alternativas.
  15. 15. SIMULADO ENEM – PÁG. 6 Questão 4 QE00409 C3 Compreender a produção e o papel his- tórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais. H14 Comparar diferentes pontos de vista, pre- sentes em textos analíticos e interpretati- vos, sobre situação ou fatos de natureza histórico-geográfica acerca das institui- ções sociais, políticas e econômicas. AGENDA DO ITAÚ CHAMA GOLPE DE REVOLUÇÃO JORNALISTA FLAGROU “ESCORREGÃO” E LEMBRA PARTICIPAÇÃO DOS BANQUEI- ROS NA DITADURA MILITAR NO BRASIL São Paulo — 50 anos depois, agenda do Itaú ainda trata golpe como ‘revolução de 1964’. Disponível em: <http://www.spbancarios.com.br/Noticias. aspx?id=7019#sthash.ecmiYYZl.dpuf>. Acesso em: 25 fev. 2014. A agenda 2014 distribuída pelo Banco Itaú foi reti- rada de circulação devido às inúmeras críticas de seus correntistas e não correntistas. O material traz anotado no dia 31 de março a data comemo- rativa “aniversário da revolução de 1964”. O even- to, no entanto, ficou amplamente conhecido como “Golpe de 1964” devido à deposição do então pre- sidente João Goulart pelos militares e à instaura- ção de uma ditadura no país. Este acontecimento A complementa as comemorações do aniversá- rio de 40 anos que a imprensa brasileira está preparando. B não constitui uma novidade, já que o Golpe de 1964 teve a intensa participação e o financia- mento de bancos privados. C implica em uma proposta de revisão, por parte dos bancos privados, acerca dos conceitos de “golpe” e “revolução”, pois para o grupo ban- cário eles possuem o mesmo significado. D teve a reprovação da opinião pública, pois os bancos privados não participaram do Golpe de 1964. E mostra o caráter apartidário das instituições bancárias que respeitam os diferentes interes- ses políticos dos correntistas. Justificativa: O item avalia a comparação de pontos de vista, presentes em textos analíticos e inter- pretativos, sobre situação ou fatos de natu- reza histórico-geográfica acerca das institui- ções sociais, políticas e econômicas. (H14) Como a manchete da notícia mostra, as agendas do Banco Itaú foram retiradas de circulação por apresentarem uma visão política que considerava o Golpe Militar como uma ação legítima, e não como parte das comemorações da imprensa brasileira (alternativa A). O gabarito da questão é o item B, que re- vela que o Golpe Militar de 1964 teve apoio do capital estrangeiro e dos bancos parti- culares. A postura ideológica de marcar tal evento como “revolução”, para anular o ca- ráter antidemocrático e autoritário da instau- ração de uma ditadura militar, transparece a visão partidária do banco acerca da história política do Brasil (alternativas C, D e E). No ano em que o Golpe de 1964 faz 40 anos e a Comissão Nacional da Verdade revela os crimes de tortura e perseguição aos presos políticos, a visão da agenda vai contra a garantia das liberdades civis e questiona o direito à memória. Ao ajudar o aluno a responder esse item, o professor deve discutir os conceitos de “revolução”, “golpe” e “ditadura”, promovendo uma análise crítica da memória política nacio- nal, em constante construção.
  16. 16. SIMULADO ENEM – PÁG. 7 Questão 5 QE00405 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H30 Avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas dife- rentes escalas. Disponível em <http://meioambiente.culturamix.com/blog/wp- content/gallery/residuos-solidos_1/residuos-solidos-4.jpg>. Acesso em 16 jun. 2014. Uma grande preocupação da sociedade urbana atual é a destinação do lixo doméstico. As práti- cas de consumo têm aumentado o volume de lixo produzido diariamente nas cidades brasileiras. Sobre o lixo doméstico produzido nas cidades brasileiras, assinale a alternativa correta. A O lixo das cidades brasileiras é depositado em aterros sanitários, eliminando a possibilidade de proliferação de doenças. B Atualmente utilizamos em grande parte das cidades brasileiras tecnologia para produzir adubos e fertilizantes a partir da decomposi- ção do lixo doméstico. C A maior parte do lixo doméstico produzido no Brasil ainda é depositada em locais impró- prios, como lixões a céu aberto. D A maior parte do lixo é reciclada pelas Prefei- turas e Cooperativas de Trabalhadores geran- do emprego e renda. E Para evitar a proliferação de doenças, grande parte do lixo doméstico das cidades brasilei- ras é queimada. Justificativa: A questão está relacionada à habilidade de avaliar as relações entre preservação e degradação da vida no planeta nas dife- rentes escalas (H30). O lixo doméstico é caracterizado por res- tos de alimentos, materiais plásticos, pro- dutos de higiene pessoal, óleo de cozinha, embalagens de diversos materiais, entre outros. Algumas cidades do país possuem coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico, mas, na maioria dos casos, tratar o lixo doméstico ainda é um grande desafio para as metrópoles. A opção correta é a letra C, que afirma que a maior parte do lixo doméstico produzido no Brasil é depositada em locais impró- prios, como lixões a céu aberto, conforme indicado na imagem. Nesses locais, após determinado período de tempo, a fermen- tação do lixo libera gases nocivos e cho- rume, capaz de contaminar o solo, lençóis freáticos e o ar. As alternativas A e E, portanto, são equivo- cadas por citarem a prevenção de prolifera- ção de doenças decorrente do correto des- carte do lixo doméstico, situação que não ocorre nas grandes cidades brasileiras. A alternativa B, por sua vez, é errada pois, apesar da produção de adubos e fertilizan- tes ser possível a partir da decomposição de lixo orgânico, essa transformação não acontece com a maior parte do lixo do- méstico produzido no país. A alternativa D, finalmente, é equivocada uma vez que a reciclagem gerenciada pelas Prefeituras e Cooperativas de Trabalhado- res também não acontece com a maior par- te do volume de lixo doméstico produzido. Para trabalhar com os alunos sobre a si- tuação do lixo no Brasil, o professor pode abordar as diversas alternativas de descar- te hoje existentes, destacando as opções mais sustentáveis para o meio ambiente.
  17. 17. SIMULADO ENEM – PÁG. 8 Questão 6 QE00515 C2 Compreender as transformações dos espa- ços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H7 Identificar os significados histórico-geográfi- cos das relações de poder entre as nações. Leia o texto. A divisão estratégico-militar entre EUA e União Soviética e a dissuasão nuclear como forma de controle do conflito entre as duas superpotências constituem as características definidoras daquela ordem. A dissuasão nu- clear controlava o conflito entre as duas su- perpotências, uma vez que nenhuma delas tinha incentivo para usar suas armas contra a outra. Ademais, o status na hierarquia inter- nacional e a superioridade estratégico-militar, conferidos pelas armas atômicas, proviam um incentivo especial aos dois países para con- trolar a proliferação dessas armas cuja posse asseguraria a condição de grande potência a quem as obtivessem, mesmo nos países de suas respectivas esferas de influência. Fonte: LIMA, Maria Regina Soares de. Teses Equivocadas sobre a Ordem Mundial Pós-Guerra Fria. Dados [online]. 1996, vol.39, n.3. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0011-52581996000300005&lng =en&nrm=iso>. Acesso em: 1 mar. 2014. O texto anterior remete à ordem mundial A eurocêntrica, período marcado pelas Grandes Navegações. B Norte e Sul, sendo o hemisfério norte indus- trializado e o sul agrário. C bipolar, de relativo alinhamento ocidental capi- talista e oriental comunista. D multipolar, em razão da proliferação das em- presas transnacionais. E apolar, pela internacionalização do capital es- peculativo. Justificativa: O item avalia a habilidade de identificar os significados histórico-geográficos das re- lações de poder entre as nações (H7). O gabarito correto é a alternativa C, pois o texto descreve a situação político-ideo- lógica do mundo ao longo do período da Guerra Fria, que fez com que os países do mundo se regionalizassem segundo a Ordem Bipolar. A alternativa A é errada, uma vez que o eurocentrismo marcou os primórdios do sistema capitalista, sem relação com o conteúdo do texto. A opção B também está equivocada, pois a regionalização Norte-Sul analisa apenas critérios de localização geográfica e de- sempenho econômico. A alternativa D, por sua vez, é equivo- cada ao remeter à atual ordem mundial, multipolar. O último distrator, de letra E, apresenta grande paralelismo com a opção D, ao destacar a proposta de um mundo apolar orientado pelo surgimento de novos focos de atenção que descentralizam a hegemo- nia de um país ou outro. O texto fornece palavras-chave fundamen- tais para o recorte temporal relativo à dis- puta entre EUA e URSS ao longo do século XX, além da raiz fornecer dados mais espe- cíficos relativos à regionalização geopolí- tica dos países. Esses fatores podem ser destacados pelo professor em seu trabalho com os alunos durante o trabalho com a or- ganização geopolítica do mundo moderno.
  18. 18. SIMULADO ENEM – PÁG. 9 Questão 7 QE00512 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H29 Reconhecer a função dos recursos natu- rais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provo- cadas pelas ações humanas. Leia o fragmento. Nas inúmeras regiões produtoras de vinho do mundo, o clima é um fator natural deter- minante do potencial regional para a adapta- ção de variedades de uvas, bem como fator determinante da variabilidade encontrada em termos de tipos de produtos elaborados, qua- lidade e tipicidade da produção vinícola. No Brasil, a maior produção de vinhos finos está localizada na região tradicional, conhecida como Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul. Fonte: BRIGHENTI, Emilio. TONIETTO, Jorge. O clima de São Joaquim para a viticultura de vinhos finos. Embrapa. Disponível em: <http://www.cnpuv.embrapa.br/publica/artigos/ brighenti_tonietto_2004.pdf>. Acesso em: 1 mar. 2014. Pelas informações fornecidas pelo texto e a partir dos conhecimentos sobre os aspectos climáticos do Brasil, é correto afirmar que são componentes do tipo climático da região citada A baixas latitudes e atuação da massa Equato- rial atlântica no verão. B acentuada altitude e atuação da massa Polar atlântica no inverno. C médias latitudes e atuação da massa Tropical atlântica no inverno. D pouca altitude e atuação da massa Tropical continental no ano todo. E elevadas latitudes e atuação da massa Equa- torial continental no verão. Justificativa: O item avalia a habilidade de reconhecer a função dos recursos naturais na produ- ção do espaço geográfico, relacionando- os com as mudanças provocadas pelas ações humanas (H29). O gabarito é a alternativa B, pois a região especificada no texto, a Serra Gaúcha, tem temperaturas amenas pela sua acentuada altitude e atuação da massa Polar atlântica no inverno. A alternativa A é errada, pois a região es- pecífica não apresenta baixa latitude (mas sim média), e a massa de ar citada atua na região Nordeste. A opção C é equivocada em razão de a mas- sa citada atuar no Sudeste. Já o distrator D é errado porque a altitude baixa é incompatí- vel com a região, assim como a massa cita- da atuar na região central do Brasil. Finalmente, a opção E é errada pois a Ser- ra Gaúcha é uma localidade que não apre- senta latitude elevada, assim como a mas- sa de ar citada incidir sobre a região Norte. A pergunta estabelece uma relação en- tre tipos climáticos e agricultura. O texto fornece uma paisagem do Rio Grande do Sul, com vinhedos, e estabelece a relação entre aspectos climáticos e o potencial ou restrição para uma ou outra cultura. Desse modo, sabendo da característica climática regional do Sul, que é mais frio, o aluno deve remeter o conteúdo do texto aos fato- res determinantes do clima, ou seja, a bai- xa latitude e a qualidade das massas de ar.
  19. 19. SIMULADO ENEM – PÁG. 10 Questão 8 QE00507 C1 Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H1 Interpretar historicamente e/ou geografi- camente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. Leia o texto. É a região com o segundo maior colégio eleitoral do país. A história de região começou a ser contada já na época do descobrimento, em 1500. Foi habitada primeiramente por por- tugueses, que juntamente com os índios, tive- ram como primeira atividade econômica a ex- tração do pau-brasil, madeira muito apreciada na Europa. Também teve a primeira sede do governo-geral português e nessa mesma épo- ca o açúcar começou a ser cultivado em suas terras. A partir de então, passou a ser o ponto forte da economia da região. Fonte: Atlas Proesp. Disponível em: <http://www.proesp. ufrgs.br/institucional/atlas-proesp/NE_gen.html>. Acesso em: 1 mar. 2014. O texto trata de aspectos da região A Norte. B Nordeste. C Sudeste. D Sul. E Centro-Oeste. Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar historicamente e/ou geograficamente fon- tes documentais acerca de aspectos da cultura (H1). O gabarito é a alternativa B, sendo a região Nordeste a correspondente às característi- cas fornecidas pelo texto da questão. As alternativas A, C, D e E são erradas, pois todos os aspectos relativos à forma- ção territorial, ciclos econômicos, ocupa- ção e importância política não remetem à região em questão. Esta é uma pergunta que aborda concei- tos de geografia e história para tratar da região Nordeste. O texto da raiz apresenta elementos muito marcantes e ilustrativos que compõem o cenário nordestino, indo desde aspectos de população, passan- do por ciclos econômicos, e culminando em uso e ocupação do solo. É uma per- gunta básica e necessária para verificar o desempenho do aluno em relação ao co- nhecimento e percepção das diferenças e características regionais brasileiras. Para auxiliar os alunos na resolução des- ta questão, é necessário que o professor aborde as peculiaridades das cinco Regi- ões do Brasil.
  20. 20. SIMULADO ENEM – PÁG. 11 Questão 9 QE00495 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as rela- ções da vida humana com a paisagem. Leia o texto a seguir. A atividade pecuária está presente tanto nas pequenas propriedades quanto nas gran- des e tem se expandido quase continuamen- te em toda a história recente da ocupação da região. Os processos associados à expansão da pecuária têm se mostrado, portanto, extre- mamente resilientes; isso se dá não por uma causa única, como a rentabilidade específica da atividade, mas é o resultado da interação complexa de múltiplas causas associadas, principalmente, à liquidez da atividade, à re- lativa simplicidade dos processos produtivos, bem como ao baixo nível de investimento de capital necessário à sua instalação. A pecuá- ria está presente tanto na fronteira mais anti- ga quanto nas zonas de expansão da ocupa- ção da floresta [amazônica]. Fonte: RIVERO, Sérgio. ALMEIDA, Oriana. AVILA, Saulo. OLIVEIRA, Wesley. Pecuária e desmatamento: uma análise das principais causas diretas do desmatamento na Amazônia. Nova econ. 2009, vol.19, n.1, pp. 41-66. O texto trata de quais estados brasileiros que vêm sofrendo intensamente com o desmatamento de- vido à atividade pecuária? A Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. B Paraná e Rio Grande do Sul. C Mato Grosso, Pará e Rondônia. D Paraná, Maranhão e Tocantins. E Piauí, Tocantins e Amapá. Justificativa: A questão solicita aos alunos para identifi- car em fontes diversas não só o processo de desmatamento na Amazônia, mas os estados do Brasil onde isso ocorre com maior frequência. (H26) De forma geral, o texto-base trata do pro- cesso de desmatamento da região amazô- nica. Assim, para solucionar o problema, é necessário possuir conhecimentos na área de geografia. Pede-se ao aluno para identificar os es- tados que fazem fronteira com a floresta amazônica e a única alternativa que cor- responde à proposta do enunciado e do texto-base é a C. Para auxiliar os alunos na resolução do item, o professor pode incentivar os alu- nos a localizar os estados que compõem o Brasil identificando aqueles que fazem fronteira com a região amazônica, com- pondo, portanto, os estados que fazem parte do chamado arco do desmatamento.
  21. 21. SIMULADO ENEM – PÁG. 12 Questão 10 QE00414 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H28 Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos. ORIGEM DA CHUVA ÁCIDA A Revolução Industrial do século XVIII trouxe vários avanços tecnológicos e maior agilidade na produção de bens de consumo. Por outro lado, originou uma significativa alteração no meio ambiente. As fábricas, com suas máqui- nas a vapor, queimavam toneladas de carvão mineral para gerar energia. Neste contexto, co- meça a surgir a chuva ácida. Contudo, o termo apareceu somente em 1872, na Inglaterra. Disponível em: <http://objetoseducacionais2.mec. gov.br/bitstream/handle/mec/20014/GUIA%20DO%20 PREOFESSOR-CHUVA%20CIDA%202%20-%20VDEO. pdf?sequence=2>. Acesso em: 16 jun. 2014. [Adaptado] A chuva ácida é gerada A pelo acúmulo de gases carregados de cloro que evaporam dos oceanos e provocam pro- blemas à saúde e contribuem para a degrada- ção do solo das regiões costeiras. B pelos poluentes industriais e pela queima de combustíveis fósseis. Provoca diversos pro- blemas à saúde e contribui para a degradação ambiental. C a partir da emissão de ácidos das fábricas no ambiente que, em contato com as fontes de água, são diluídos e evaporam para a atmos- fera. Provoca problemas de saúde e degrada o solo. D a partir das partículas sólidas emitidas pelas indústrias de mineração que, ao serem diluí- das nas nuvens, formam ácidos e degradam o meio ambiente. E naturalmente pela acidificação do solo impro- dutível e muito suscetível à erosão, com pou- ca cobertura vegetal. Justificativa: O item avalia a habilidade de relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos (H28). O gabarito é a alternativa B, que associa a formação da chuva ácida aos poluentes industriais e à queima de combustíveis fósseis, mais presentes no ambiente após a Revolução Industrial do século XVIII, como contextualiza o texto-base. A alternativa A é errada por afirmar que a chuva ácida seria causada pelo acúmulo de gases carregados de cloro que evapo- ram dos oceanos. Os principais poluentes causadores da chuva ácida são o óxido de nitrogênio e os dióxidos de enxofre, pro- venientes da ação industrial. A alternativa C, por sua vez, é errada por citar que os ácidos produzidos pelas fábri- cas são transferidos ao ambiente ao entra- rem em contato com fontes de água. A opção D é errada, pois associa a chu- va ácida à liberação de partículas sólidas emitidas pelas indústrias de mineração, quando, na verdade, qualquer indústria que baseie sua produção à queima de combustíveis fósseis, libera no ambiente poluentes causadores da chuva ácida. A alternativa E, finalmente, é errada por afirmar que a chuva ácida é causada por solos ácidos improdutivos, quando, na verdade, essa é uma consequência da queda de chuvas ácidas. Os professores podem auxiliar os alunos ao evidenciar a relação entre os moder- nos meios de produção industrial e seus impactos no meio ambiente, destacando alternativas contemporâneas de produção sustentável e ambientalmente responsável.
  22. 22. SIMULADO ENEM – PÁG. 13 Questão 11 QE004100 C3 Compreender a produção e o papel his- tórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais. H11 Identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço. Observe a imagem. Disponível em: <http://www.historiadaarte.com.br/linha/imagens/ PreHistoria/cenadecaca.jpg>. Acesso em: 16 jun. 2014. Esta cena registrada pelos povos da pré-história (mais especificamente, no período Paleolítico Superior, há cerca de 40 mil anos) retrata uma prática social que requer organização e trabalho coletivo, e se estabeleceu a partir da necessida- de dos humanos em encontrar alternativas para a sobrevivência de sua espécie. Desta forma, este modo de vida se caracteriza A pela produção de bens materiais destinados para a atividade da troca de produtos. B pelo modo de vida sedentário responsável pela expansão da vida humana na Terra e de sua organização social. C por um modo de vida nômade que implica na organização de estratégias articuladas por apenas um membro do grupo. D pela vida nômade, na qual se praticava a caça e a coleta de frutos da natureza e pela conse- quente necessidade de mudança. E pela coleta de frutos, sementes e raízes do ambiente para consumo do grupo. Justificativa: A questão avalia a habilidade de o aluno identificar registros de práticas de grupos sociais no tempo e no espaço (H11). A imagem presente e o enunciado indicam ao aluno a realização de uma atividade de caça, realizada normalmente em grupo e dependente do uso de ferramentas e de uma organização do trabalho. Assim, o gabarito é a alternativa D. A opção A é errada por citar a produção e troca de bens materiais pelos homens, ati- vidade desenvolvida muito tempo depois e sem relação com a imagem disponibilizada. A opção B também é errada por destacar um modo de vida sedentário, o que não se relaciona com o tipo de vida nômade do período em cena. Já a opção C pode confundir o aluno por destacar o modo de vida nômade desse período, mas está equivocada, pois rela- ciona a prática da caça à ação de um úni- co membro do grupo. Finalmente, a opção E é errada por desta- car a coleta de frutos, sementes e raízes, o que não traz relação com a imagem. A análise desta imagem não é comum ao aluno e exige uma interpretação atenta do enunciado. O professor pode destacar os elementos que compõem a figura, contex- tualizando os hábitos de caça e alimen- tação que permitiram a sobrevivência da espécie humana na pré-história.
  23. 23. SIMULADO ENEM – PÁG. 14 Questão 12 QE00500 C2 Compreender as transformações dos espa- ços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H8 Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos popu- lacionais e no enfrentamento de proble- mas de ordem econômico-social. Migrantes oriundos de várias regiões do Brasil contribuíram para a construção da ca- pital brasileira, Brasília. Conhecidos como candangos, homens e mulheres se dirigiam para a região do planalto central nos décadas de 1960 e 1970 e transformaram-na em um importante polo de atração populacional. No entanto, sem poder aquisitivo para ocupar o “Plano Piloto”, boa parte dos candangos se alojou no entorno e formou as cidades-saté- lites. Como em outras metrópoles, São Pau- lo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, em Brasília, a população mais pobre se con- centra na periferia para onde foram, pouco a pouco, deslocados por políticas governamen- tais e pelo próprio mercado. BOTIN. Livia. [Texto produzido exclusivamente para este material]. 2014. A partir das informações do enunciado e refletindo sobre a condição dos fluxos populacionais trata- dos, é possível concluir que A o número de cidades-satélites tende à esta- bilização, o que indica que o custo de vida na capital deixará de ser elevado. B a população mais pobre, atraída pelas oportu- nidades de trabalho, e não tendo poder aqui- sitivo para se instalar nas capitais, necessita estabelecer-se em locais (bairros, cidades) periféricos. C diferentemente do que ocorre em outras me- trópoles, a população mais pobre que vive nas cidades-satélites do entorno de Brasília sofre constantemente com as políticas governa- mentais e com o próprio mercado. D os candangos, migrantes que contribuíram para a construção de Brasília, não vivem hoje nas cidades-satélites. Devido ao trabalho rea- lizado nos anos 1960 e 1970, esses indivídu- os conseguiram se estabelecer na capital. E como em outras metrópoles, em Brasília a população mais pobre se concentra majorita- riamente no centro das cidades, próximo aos seus locais de trabalho. Justificativa: O item avalia a capacidade de analisar a ação dos estados nacionais no que se re- fere à dinâmica de fluxos populacionais e no enfrentamento dos problemas de or- dem econômico/social. (H8) A alternativa correta é a B, pois apresenta uma relação correta com o texto: devido ao encarecimento dos centros urbanos, a população mais pobre migrou para as re- giões periféricas. Assim, a alternativa A é incorreta, pois o texto não cita que a capital tenha qualquer tipo de projeto urbanístico de ampliação. Já a C está errada, pois o problema de mi- gração da população mais pobre para as regiões periféricas dos centros urbanos não é uma característica da capital bra- sileira, sendo, inclusive, recorrente em outras capitais. As opções D e E, por sua vez, são incorretas, pois apresentam uma afirmação contrária ao enunciado. Para solucionar a questão, o professor pode auxiliar os alunos a conhecer o pro- cesso histórico que culminou na criação da capital e as características dos fluxos populacionais do país.
  24. 24. SIMULADO ENEM – PÁG. 15 Questão 13 QE00416 C1 Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H3 Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos. A prática da capoeira foi alvo de perseguição no início do período republicano no Brasil. Após a promulgação do Código Criminal de 1890 fi- cou definido, por meio do Decreto Nº. 847, sob o título “Dos Vadios e Capoeiras”, o seguinte: “Art. 402 - Fazer nas ruas ou praças públicas exercícios de destreza e agilidade corporal conhecido pela denominação de capoeira- gem. Pena de 2 a seis meses de reclusão. Parágrafo Único: É considerado circunstân- cia agravante pertencer o capoeira à alguma banda ou malta. Aos chefes ou cabeças im- por-se-á pena em dobro.” História da capoeira. Disponível em: <http://www. capoeiratorino.it/historia.htm>. Acesso em: 1 mar. 2014 A proibição dessa prática cultural a entende como um fenômeno de A exclusão social. B sincretismo religioso. C resistência cultural. D elemento de vadiagem. E ressignificação política. Justificativa: O item avalia a habilidade do aluno em as- sociar as manifestações culturais do pre- sente aos seus processos históricos. (H3 ) O gabarito é a alternativa D, uma vez que o comando do enunciado solicita ao aluno que aponte a representação da capoeira na visão do órgão repressor. Em uma lei- tura rápida, o aluno pode precipitar-se e selecionar outras alternativas que tratam do contexto cultural e social da capoeira como uma manifestação cultural de ori- gem africana trazida pelos negros escra- vos principalmente vindos da região de Angola, alternativa A. Essa prática cultural foi uma forma de re- sistência à repressão e ao sistema opres- sor escravagista, como descrito na alter- nativa C. No entanto, conforme a questão solicita, no começo da República, os ca- poeiristas eram vistos pelos aparelhos repressores do Estado como “vadios” ou “vagabundos” (alternativa D), conforme o título do próprio Código Criminal. A alternativa B está incorreta para este contexto, uma vez que a Capoeira não as- sumiu uma característica religiosa, como o candomblé, por exemplo. Para auxiliar os alunos neste item é neces- sário que o professor reforce a atenção para o comando do enunciado e também para a leitura atenta do texto de apoio, in- cluindo o título e datas que auxiliam na compreensão do contexto histórico que a questão corresponde.
  25. 25. SIMULADO ENEM – PÁG. 16 Questão 14 QE00402 C5 Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecen- do uma atuação consciente do indivíduo na sociedade. H24 Relacionar cidadania e democracia na organização das sociedades. Leia a seguir um trecho do texto elaborado pela Fundação Seade a respeito do rendimento salarial entre homens e mulheres: Em geral, a média dos rendimentos das mu- lheres é inferior à dos homens. No caso do Es- tado de São Paulo, o salário médio recebido pelas mulheres formalmente empregadas, em 2002, era de R$ 1.033, enquanto o dos ho- mens, na mesma condição, era de R$ 1.294. Parte dessa diferença reflete [a condição de] mulheres e homens exercendo a mesma ocu- pação, mas recebendo salários diferentes. Outros elementos igualmente contribuem para explicar tal discrepância, como a extensão da jornada de trabalho (em geral mais extensa entre os homens) e a qualidade das ocupa- ções exercidas por homens e mulheres. Disponível em: <http://produtos.seade.gov.br/produtos/ mulher/index.php?bole=13&tip=03>. (Adaptado). Acesso em: 10 jun. 2014. O texto sinaliza uma A contradição entre a realidade profissional e a garantia de igualdade de direitos entre homens e mulheres presente na Constituição brasileira. B conformidade entre a realidade profissional e a garantia de igualdade de direitos entre ho- mens e mulheres presente na Constituição brasileira, uma vez que há uma melhora nos salários dos trabalhadores de maneira geral. C pequena desconformidade salarial entre ho- mens e mulheres, devido às diferenças entre as jornadas de trabalho, o que não representa qualquer tipo de discriminação entre homens e mulheres. D piora das condições econômicas e sociais de homens e mulheres relacionada ao baixo ren- dimento salarial e extensa jornada de trabalho em postos de trabalhos formais, ou seja, com carteira assinada. E melhora nas condições econômicas e sociais das mulheres relacionada à disponibilidade de empregos formais, ou seja, com carteira assinada. Justificativa: O item avalia a habilidade de relacionar ci- dadania e democracia na organização das sociedades (H24), ao abordar a questão de diferença salarial entre homens e mulheres. O gabarito da questão é a alternativa A, que destaca a contradição entre a realida- de profissional e a garantia de igualdade de direitos entre homens e mulheres, pre- sente na Constituição brasileira. As alternativas B e C são equivocadas ao negarem a existência de discriminação con- tra mulheres no mercado profissional – fato evidenciado pelo texto por meio dos valo- res do salário médio recebido por homens e mulheres que exercem a mesma ocupação – e ignorarem a garantia de igualdade pre- sente na Constituição brasileira. Já a alternativa D é errada por destacar uma piora nas condições econômicas e sociais de homens e mulheres, fato que não é abordado pelo texto. Finalmente, a opção E é errada por citar uma melhora nas condições econômicas e sociais das mulheres, sendo que o texto destaca a discriminação das mesmas no mercado de trabalho. Para auxiliar o aluno a responder corre- tamente esta questão, o professor pode promover uma reflexão sobre o processo de conquista de direitos sociais pelas mu- lheres e outras minorias sociais ao longo da história, comparando a realidade com o disposto em nossa Constituição.
  26. 26. SIMULADO ENEM – PÁG. 17 Questão 15 QE00518 C2 Compreender as transformações dos espa- ços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H6 Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos. Analise o mapa em anamorfose Disponível em: <http://www.worldmapper.org/display. php?selected=2>. Acesso em: 2 de mar. 2014. Em razão de os mapas anamórficos não apre- sentarem escala, mas sim deformações relativas a um dado matematicamente calculado para re- presentar a área do país em questão, é possível concluir que o mapa anterior é intitulado A Índice de Desenvolvimento Humano, sendo o Japão o mais expressivo. B Desnutrição Infantil por Continente, onde a Ásia ganha em área. C Infectados por HIV por Hemisfério, que evi- dencia a parte Sul. D População Absoluta por País, com destaque para China e Índia. E Produto Interno Bruto, de grande maioria con- centrado na Europa. Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar diferentes representações gráficas e car- tográficas dos espaços geográficos (H6). O gabarito correto é a alternativa D, pois se observa uma grande distorção que ma- ximiza a China e a Índia, sendo os países mais expressivos em população absoluta no mundo. A alternativa A é errada, pois se o mapa se relacionasse ao IDH, além do Japão, deveriam estar destacados os EUA, Aus- trália e países nórdicos. Já as opções B e C são equivocadas pois o mapa desta- caria o continente africano caso sua re- presentação estivesse relacionada com a desnutrição infantil ou o HIV. Finalmente, a alternativa E é inválida, pois a América do Norte estaria destacada caso o tema do mapa fosse a representação do PIB. Os mapas em anamorfose são recursos muito utilizados para demonstrar a ocor- rência ou não de determinado fator através da dimensão em que o país ou a região ga- nhará (e vice-versa). Segundo o título do mapa, se o fenômeno em questão for mui- to presente e intenso em um país, este as- sumirá dimensões grandes, em detrimento de outros que não possuam essa concen- tração de determinada natureza. No caso deste desenho, Índia e China assumem ta- manhos enormes, pois são exatamente os países mais populosos do mundo. Para auxiliar os alunos na resolução des- ta questão é necessário que o professor trabalhe os diferentes tipos de projeções cartográficas, especificamente a relação entre mapas qualitativos com a geração dos em anamorfose.
  27. 27. SIMULADO ENEM – PÁG. 18 Questão 16 QE00513 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H27 Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levan- do em consideração aspectos históricos e(ou) geográficos. Os ventos alísios desempenham uma função muito importante na circulação geral da atmos- fera. Eles sopram sobre quase a metade da superfície da Terra. Os ventos alísios se origi- nam sobre o lado leste dos grandes oceanos, nas margens leste dos sistemas de altas pres- sões subtropicais e escoam para a depressão equatorial com baixas pressões, como ventos de nordeste no hemisfério norte e ventos de sudeste no hemisfério sul. Os alísios são mais fortes no inverno, quando as altas subtropicais são mais intensas, e mais fracos no verão. Fonte: A circulação de Hadley dos trópicos. Disponível em: <http://www.geografia.fflch.usp.br/graduacao/apoio/Apoio/ Apoio_Elisa/flg0355/filespdf/Capitulo_13-Circulacao_de_ Hadley_nos_tropicos.pdf>. Acesso em: 3 mar. 2014. Em razão de trazerem ventos e umidade para as regiões de menores latitudes, é correto afirmar que o fenômeno climático em questão é o res- ponsável direto por fornecer as condições básicas para a formação A dos manguezais. B das Pradarias. C das restingas. D da Floresta Amazônica. E do Cerrado. Justificativa: O item avalia a habilidade de analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e/ou geográficos (H27). O gabarito é a alternativa D, pois os ven- tos alísios e toda essa dinâmica climática que envolve a Zona de Convergência In- tertropical (ZCIT) determina o clima que desenvolve a cobertura vegetal do tipo Floresta Atlântica. As alternativas erradas podem ser justi- ficadas da seguinte forma: a A em razão de os manguezais estarem relacionados a sistemas estuarinos, dependentes do fluxo de marés; B, pois as pradarias da região Sul do Brasil são domínios de gra- míneas influenciadas pelas massas de ar de latitudes maiores; C, restingas, que as- sim como os manguezais, são vegetações do litoral, e não do interior do Brasil; e E, cerrado, pois são domínios de clima seco, que perdem umidade, ao contrário das re- giões que as ganha. Esta pergunta relaciona dois aspectos so- bre meio físico e natureza: atmosfera e bi- osfera. O texto fornece elementos relativos à circulação geral da atmosfera em regiões equatoriais, com destaque para o funciona- mento dos ventos alísios, que trazem umi- dade e corroboram para a caracterização do clima nesta faixa latitudinal quente e úmida. Assim, o aluno precisa relacionar a alta umi- dade fornecida pelos alísios com um tipo de vegetação de clima equatorial úmido. Para auxiliar os alunos na resolução deste item, é preciso que o professor desenvol- va os conteúdos sobre as características climáticas específicas do Brasil, focando no contexto regional, assim como noções sobre circulação geral da atmosfera.
  28. 28. SIMULADO ENEM – PÁG. 19 Questão 17 QE00502 C2 Compreender as transformações dos espa- ços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H6 Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos. DENSIDADE POPULACIONAL Fonte: IBGE A leitura do mapa referente à densidade demo- gráfica do Brasil por regiões permite concluir que A as regiões Norte e Centro-Oeste apresentam baixos índices de densidade demográfica de- vido ao elevado número de reservas indígenas e Áreas de Preservação Ambiental (APA), cujo objetivo é preservar o cerrado e a Amazônia. B a maioria da população brasileira encontra-se no interior do Brasil, pois ali as atividades eco- nômicas relacionadas ao agronegócio se de- senvolvem desde os anos 1980, o que resulta em uma maior modernização agrícola, geran- do mais emprego e estabilidade econômica. C a distribuição da população pelo território ocor- re de forma desigual. O mapa indica que as re- giões Nordeste e Sul apresentam os menores índices de densidade demográfica, isso porque essas regiões foram alvo de descaso governa- mental desde, pelo menos, o Período Colonial. D os altos índices de concentração populacional na região costeira podem ser explicados pelas facilidades encontradas em toda essa região para se realizar o processo de ocupação in- tegral e definitiva, entre as quais, é possível destacar planícies férteis e abundância de rios. E apesar de a população brasileira estar distri- buída de forma desigual pelo território, a re- gião Sudeste apresenta os maiores índices populacionais; o dinamismo econômico e a capacidade de atrair migrantes estão entre os fatores que explicam o fenômeno. Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar diferentes representações gráficas e car- tográficas do espaço geográfico (H6). A alternativa correta é a E, pois aponta a região Sudeste como a de maiores índices populacionais e oferece como motivos questões de ordem econômica. A alternativa A está incorreta, pois não são os altos índices de reservas indígenas que explicam a baixa incidência popula- cional. Historicamente, devido ao seu difí- cil acesso, essa região foi pouco povoada. Pela análise do mapa é possível perceber que o interior do Brasil não é muito povo- ado, como aponta a alternativa B, e ainda que as regiões Norte e Sul são bastante povoadas, o que invalida a alternativa C. Finalmente, apesar de ser correta a afirma- ção inicial proposta pelo distrator D, o mo- tivo que explica o alto índice de ocupação não se refere à facilidade do lugar, mas sim aos investimentos do governo, desde o período da colonização. Para solucionar o item, o professor pode realizar de forma coletiva uma análise do mapa expondo as principais causas que provocaram o povoamento de uma região em detrimento de outra.
  29. 29. SIMULADO ENEM – PÁG. 20 Questão 18 QE00493 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as rela- ções da vida humana com a paisagem. Fonte: RIVERO, Sérgio. ALMEIDA, Oriana. AVILA, Saulo. OLIVEIRA, Wesley. Pecuária e desmatamento: uma análise das principais causas diretas do desmatamento na Amazônia. Nova econ. 2009, vol.19, n.1, pp. 41-66 . Os municípios que possuem a maior participação (acima de 50%) na faixa do desmatamento da Amazônia se encontram no chamado A crescente do desmatamento. B arco do desmatamento. C área do desmatamento. D fronteira do desmatamento. E curvatura do desmatamento. Justificativa: O item avalia a habilidade de identificar o processo de ocupação na região amazô- nica a partir da análise de um mapa (H26). O gabarito é a alternativa B, que apresenta a expressão “arco do desmatamento”, re- gião onde a fronteira agrícola avança em direção à floresta e também onde encon- tram-se os maiores índices de desmata- mento da Amazônia. Todas as demais alternativas estão erra- das, pois não correspondem à expressão correta sobre esse processo. Para auxiliar os alunos na resolução deste item, o professor pode apresentar mapas recentes sobre o processo de ocupação e desmatamento da Amazônia. Além disso, como a expressão é relativamente recen- te, seria interessante apresentar aos alu- nos artigos acadêmicos que tratam desse tema. O site <http://www.ipam.org.br/> possui matérias e relatório interessantes sobre o assunto.Յ 20% Ͼ 20% Յ 50% Ͼ 50% Յ 80% Ͼ 80% Sem dados Desflorestamento Amazônia (2000) 2 Desmatamento classe de área e municípios (2000)
  30. 30. SIMULADO ENEM – PÁG. 21 Questão 19 QE00407 C5 Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecen- do uma atuação consciente do indivíduo na sociedade. H24 Relacionar cidadania e democracia na organização das sociedades. UGANDA: ORGANIZAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS CRITICAM LEI CONTRA HO- MOSSEXUAIS A organização de defesa dos direitos huma- nos, Freedom House, criticou a promulgação da lei contra os homossexuais em Uganda e informou que a legislação infringe os direitos básicos da população. Em uma declaração em sua página na internet, a Freedom House pede ao governo de Uganda a adesão “aos padrões internacionais dos direitos humanos e a defesa das liberdades fundamentais esta- belecidas na sua própria Constituição”. Fonte: Uganda: organizações de direitos humanos criticam lei contra homossexuais. Agência Brasil. Disponível em: <http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2014/02/25/ uganda-organizacoes-de-direitos-humanos-criticam-lei- contra-homossexuais/>. Acesso em 25 fev. 2014. De acordo com esta matéria, a criminalização da homossexualidade em Uganda, em 2014, A corrobora com as leis internacionais que re- gem o país, desde a Declaração Universal dos Direitos Humanos. B vai contra a discriminação da homofobia, que garante a preservação da diversidade cultural. C visa estabelecer os princípios e deveres co- muns a serem seguidos por todos os povos e nações. D fere as liberdades individuais, a fé na dignida- de e nos direitos humanos, defendidos inter- nacionalmente. E reafirma alicerces ideológicos que combatem a repressão da livre expressão afetivo-sexual. Justificativa: A questão avalia a habilidade de relacio- nar cidadania e democracia na organiza- ção das sociedades. (H24) O gabarito da questão é a alternativa D, que revela o caráter discriminatório do Governo de Uganda que vem sofrendo for- tes pressões internacionais para retirar a lei que criminaliza homossexuais. Essa lei fere a Declaração Universal dos Direitos Humanos que garante as liberdades indi- viduais, a fé na dignidade e nos direitos humanos, defendidos internacionalmente, como descrito na notícia, o que invalida os distratores A, B e C. O preconceito e a discriminação contra lésbicas, gays, travestis, transexuais e bissexuais são responsáveis por restrin- gir-lhes os mais básicos direitos de cida- dania, além do direito à livre expressão afetivo-sexual e de identidade de gênero, mostrando o erro da alternativa E. Para auxiliar o aluno a responder correta- mente esta questão, o professor pode pro- mover uma discussão a partir de ideias como criminalização, discriminação e Di- reitos Humanos.
  31. 31. SIMULADO ENEM – PÁG. 22 Questão 20 QE00498 C2 Compreender as transformações dos espa- ços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H6 Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos. Disponível em: <http://meioambiente.culturamix.com/noticias/ taxas-de-d-no-brasil>. Acesso em: 5 abr. 2014. A imagem anterior apresenta uma importante atividade econômica que ocorre no Estado de Rondônia, mas que desencadeia preocupante im- pacto ambiental. A partir da análise da imagem, assinale a atividade econômica desenvolvida na área e um impacto ambiental decorrente dela: Atividade econômica Impacto ambiental A Agricultura de soja Queimadas B Extração vegetal Desmatamento C Agricultura do arroz Contaminação do solo D Extração do petróleo Poluição do ar E Extração de minérios Poluição dos rios Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar diferentes representações gráficas e car- tográficas dos espaços geográficos (H6). O enunciado solicita a identificação da ati- vidade econômica correspondente à ima- gem do estado de Rondônia. A alternativa correta é a B, que relaciona extração ve- getal e desmatamento, situações observá- veis pela figura. Como a foto apresenta uma área devasta- da de forma irregular, os distratores A e C podem ser descartados, pois, sendo ativi- dades relacionadas à agricultura, as áreas apresentadas na imagem deveriam estar regulares. No mesmo sentido, as opções D e E também são inválidas, pois não há in- dícios de processos de extração de petró- leo ou minério, que exigem a construção de poços de exploração ou a formação de barrancos circulares, respectivamente. Para auxiliar o aluno, o professor pode pro- mover uma pesquisa sobre os efeitos da ação humana no meio ambiente, por meio de recursos audiovisuais diversificados.
  32. 32. SIMULADO ENEM – PÁG. 23 Questão 21 QE00504 C4 Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos proces- sos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. H16 Identificar registros sobre o papel das técnicas e tecnologias na organização do trabalho e/ou da vida social. Produção dos carros em 1913. Disponível em: <http://operamundi. uol.com.br/conteudo/noticias/18232/hoje+na+historia+1913+-+he nry+ford+comeca+producao+em+massa+de+automoveis.shtml>. Acesso em: 5 mar. 2014. A imagem anterior é de uma fábrica de automó- veis criada por Henry Ford em 1913, baseada na linha de montagem automatizada. O método de produção fordista A baseava-se no uso de uma esteira com indiví- duos separados por funções. Os produtos em fabricação eram deslocados de forma organi- zada pela fábrica, tornando desnecessária a movimentação do operador. B gerou alguns problemas na produção, pois muitos operários não estavam familiarizados com a esteira rolante. C aumentou o tempo do processo de produ- ção, exigindo do trabalhador especialização no desempenho de sua função na linha de montagem. D utilizava a montagem sequencial, baseada, so- bretudo, na movimentação do operário pelas di- versas esteiras que, sobrepostas entre si, eram ligadas por mecanismos de movimentação. E baseava-se na diferenciação salarial como forma de estimular a competição entre os tra- balhadores e, de certa forma, convencê-los a se submeter a um ritmo acelerado. Justificativa: O item avalia a capacidade do aluno de identificar registros sobre o papel das téc- nicas e tecnologias na organização do tra- balho e/ou da vida social (H16). A imagem dos operários, assim como sua legenda, auxilia o aluno a perceber elemen- tos específicos do processo de produção fordista para chegar à resposta correta, al- ternativa A, por se tratar de trabalhadores em uma linha de montagem de carros. As alternativas B, C e D são incorretas, pois destacam informações equivocadas sobre o processo de produção e suas con- sequências. Finalmente, a alternativa E, apesar de tra- zer uma informação correta sobre o méto- do da produção fordista, não condiz com a imagem de uma linha de montagem au- tomatizada. Para auxiliar o aluno, o professor pode promover uma discussão em grupo sobre os elementos da imagem e os diferentes sistemas de produção industrial e trabalho do século XX.
  33. 33. SIMULADO ENEM – PÁG. 24 Questão 22 QE00415 C1 Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H5 Identificar as manifestações ou represen- tações da diversidade do patrimônio cultu- ral e artístico em diferentes sociedades. Fonte: Passistas de Frevo. 4 fev 2014. Prefeitura de Olinda. Disponível em: <http://www.flickr.com/photos/ prefeituradeolinda/4438178315>. Acesso em: 26 fev. 2014. O frevo foi reconhecido como Patrimônio Imate- rial da Humanidade, em 2012, pela Unesco. Esta política de preservação considera bens a serem tombados, como A práticas e expressões atuais que foram pas- sadas de uma geração a outra. B acervos museológicos e documentais, signifi- cativos para a cultura brasileira. C núcleos urbanos, sítios arqueológico e paisa- gístico, conservados como no passado. D produtos culturais de origens elitistas e desco- nhecidas como instrumentos para educação e apelo emocional. E fundamentais à formação de uma cultura úni- ca e autêntica brasileira. Justificativa: O item avalia a habilidade do aluno em identificar as manifestações ou representa- ções da diversidade do patrimônio cultural e artístico em diferentes sociedades. (H5) O frevo tem o título de Patrimônio Cultu- ral Imaterial Brasileiro desde 2007, ano do seu centenário, quando também foi inscri- to pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional no Livro de Registro das Formas de Expressão. De acordo com a inscrição, “é uma forma de expressão musical, coreográfica e poética, enraizada no Recife e em Olinda, no estado de Pernambuco”. Por se tratar de uma práti- ca cultural como a música e a dança, foi pas- sada de geração a geração para ser preser- vada, por isso o gabarito é a alternativa A. As alternativas B e C podem confundir o aluno que considerar passível de tomba- mento apenas expressões do passado, registradas em museus, sítios arqueológi- cos ou em documentos escritos, presen- tes em núcleos urbanos, sem considerar características presentes na imagem. O comando do enunciado solicita que o aluno se atente ao processo de tomba- mento e não às características do frevo na cultura brasileira, como indicado nas alternativas D e E, invalidadas também por mencionarem a origem elitista da dança e sua influência para a formação de uma cul- tura única e autêntica, respectivamente. De acordo com a Unesco, o Patrimônio Cultural Imaterial abrange práticas e ex- pressões vivas passadas de uma geração a outra. Inclui tradições orais, artes perfor- máticas, práticas sociais, eventos celebra- tórios, sabedorias e práticas relacionadas à natureza e ao universo, assim como os saberes e habilidades de trabalhos artesa- nais tradicionais. Para auxiliar os alunos, os professores de- vem alertá-los sobre o enunciado da ques- tão e trabalhar as definições de Patrimô- nio Material e Imaterial.
  34. 34. SIMULADO ENEM – PÁG. 25 Questão 23 QE00516 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H29 Reconhecer a função dos recursos natu- rais na produção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provo- cadas pelas ações humanas. O uso de fontes de energia não convencionais vem sendo estimulado por governos e organiza- ções ambientais. O aumento dos investimentos na produção de energia limpa decorre da necessida- de de resolver problemas A geográficos e econômicos relacionados às di- ficuldades de expansão da produção industrial dos países. B de caráter econômico referente ao esgota- mento das reservas de combustíveis fósseis, e problemas de caráter ambiental, decorren- tes do impacto gerado pela produção de ener- gia convencional. C sociais relacionados à falta de profissionais qualificados para o trabalho de extração de petróleo em reservas de camadas de pré-sal. D ambientais referentes à excessiva produção de poluição causadora do efeito estufa. E de caráter social devido ao baixo potencial hi- drelétrico dos países altamente industrializados. Justificativa: O item avalia a habilidade de reconhecer a função dos recursos naturais na produ- ção do espaço geográfico, relacionando-os com as mudanças provocadas pelas ações humanas (H29). O gabarito é a alternativa B, que relaciona a produção de energia limpa a problemas econômicos e ambientais, devido ao esgo- tamento das reservas de combustíveis fós- seis, ainda muito utilizados para produção de energia e também causadores de gran- de impacto ambiental. A alternativa A é errada, pois os investi- mentos em energia limpa não são fomen- tados por dificuldades geográficas que impediriam o desenvolvimento industrial dos países, ainda mais quando vivemos em uma era de globalização. A opção C, por sua vez, é também errada por citar a falta de profissionais habilita- dos para o trabalho da extração de petró- leo na camada de pré-sal, um fator espe- cífico correspondente ao uso de petróleo como fonte de energia. De modo seme- lhante, a opção D também traz um fator li- mitador dos motivos para o uso de fontes alternativas de energia, que é a geração da poluição causadora do efeito estufa. Finalmente, a alternativa E, também é limi- tadora em sua afirmação, ao citar apenas o baixo potencial hidrelétrico dos países industrializados. O aluno que assinala uma dessas alternati- vas (C, D ou E), demonstra não compreen- der a complexidade dos sistemas de pro- dução de energia. Para auxiliar os alunos na resolução deste item, o professor pode trabalhar os diver- sos tipos de produção de energia alterna- tiva no mundo, destacando a expansão de seu uso pelos países dependendo de suas características geográficas e a importância da substituição das fontes de energia con- vencionais.
  35. 35. SIMULADO ENEM – PÁG. 26 Questão 24 QE00505 C1 Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H1 Interpretar historicamente e/ou geografi- camente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. Leia o texto. “A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos vo- cábulos difere em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. (...) Carece de três letras, convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto, porque assim não tem Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem desordena- damente (...).” Fonte: GANDAVO, Pero de Magalhães, História da Província de Santa Cruz, 1578. O texto de Pero Gandavo expressa a relação dos portugueses que entraram em contato com a cul- tura indígena. Nessa relação, A a compreensão das especificidades da cultura nativa era essencial para o sucesso das ex- plorações dos colonizadores. B a diferença cultural entre nativos e coloniza- dores era atribuída à inferioridade e desorga- nização social dos indígenas. C a homogeneidade da língua dos índios é en- carada como digna de espanto, já que a co- municação é efetiva mesmo com a limitação de vocabulário. D a inexistência das letras F, L e R evidencia a limitação de vocabulário e a desorganização social dos índios. E é evidente a valorização dos colonizadores em entender a língua nativa para auxiliar os índios em sua organização social. Justificativa: O item avalia a capacidade de interpretar historicamente e/ou geograficamente fon- tes documentais acerca de aspectos da cultura (H1). O texto de Pero Gandavo expressa a per- cepção dos colonizadores portugueses que entraram em contato com a cultura dos nativos habitantes da então Província de Santa Cruz. Ao destacar a inexistência de vocábulos como fé, lei e rei, Gandavo atribui aos indígenas uma condição de inferioridade e de desorganização social. Portanto, o gabarito é a opção B. As alternativas A e E são erradas, pois aos colonizadores portugueses não inte- ressavam a compreensão ou a valoriza- ção da cultura dos nativos, mas sim a ex- ploração do território e da força de traba- lho. A opção C também é errada, pois o autor não afirma que a homogeneidade da lín- gua dos índios seja digna de espanto ou que a comunicação seja limitada. A alternativa D, por sua vez, pode con- fundir o aluno ao citar a desorganização social indígena (expressa no texto-base), mas é errada ao determinar que essa de- sorganização social seja decorrente da fal- ta das letras F, L e R. Para auxiliar os alunos, o professor pode explorar os objetivos e ideias eurocêntri- cas que guiaram os colonizadores em sua exploração pelo Brasil e pelo continente americano, destacando a importância do respeito às especificidades culturais e so- ciais dos diferentes grupos humanos.
  36. 36. SIMULADO ENEM – PÁG. 27 Questão 25 QE00412 C1 Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H1 Interpretar historicamente e/ou geografi- camente fontes documentais acerca de aspectos da cultura. O cartaz a seguir é uma propaganda japonesa que incentivava a imigração para o Brasil. Disponível em: <http://www.imigracaojaponesa.com.br/?page_ id=66>. Acesso em: 24 fev. 2014. A partir da análise desta propaganda e de seus conhecimentos sobre os fluxos migratórios japo- neses para o Brasil no início do século XX, é cor- reto afirmar que A a mecanização na agricultura foi a principal causadora do desemprego de milhares de camponeses japoneses. B a América do Sul foi vista como um polo de desenvolvimento industrial promissor aos imigrantes. C foram direcionadas mulheres japonesas como força de trabalho na América do Sul. D interessava-lhes o trabalho nas indústrias bra- sileiras, principalmente em São Paulo. E muitos japoneses viram uma oportunidade para a melhoria de vida e enriquecimento no Brasil, pelo trabalho na lavoura. Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar his- toricamente e/ou geograficamente fontes documentais acerca de aspectos da cultura (H1), no caso, uma propaganda japonesa que incentivava a imigração para o Brasil. O gabarito da questão é a alternativa E, que faz referência à oportunidade de tra- balho nas lavouras do Brasil. No cartaz, é possível perceber a personagem apontar para o país, segurando no braço esquerdo uma ferramenta de trabalho com a terra e bonecos de pessoas japonesas. A alternativa A está errada por mencionar a mecanização da agricultura como prin- cipal causador do desemprego de campo- neses japoneses, desconsiderando outros fatores importantes de origem social, polí- tica e econômica. Já as alternativas B e D são inválidas por caracterizarem a América do Sul e o Brasil, respectivamente, como polos de desenvol- vimento industrial que poderiam empregar os imigrantes japoneses, sendo que, na re- alidade, eles vieram essencialmente para o Brasil para trabalhar na agricultura. Finalmente, a opção C é equivocada por ci- tar a oportunidade de trabalho apenas para mulheres japonesas na América do Sul. Para auxiliar o aluno nesta questão, o pro- fessor deve dar a devida importância aos elementos que compõem a imagem como carregados de significantes. Além disso, deve localizar o aluno para a questão da mecanização da agricultura e o desenvol- vimento industrial no Brasil e no Japão do começo do século XX.
  37. 37. SIMULADO ENEM – PÁG. 28 Questão 26 QE00413 C4 Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos proces- sos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. H18 Analisar diferentes processos de produção ou circulação de riquezas e suas implica- ções socioespaciais. O uso do termo escravidão traz à nossa memó- ria a imagem da realidade brasileira existente até o século 19 do aprisionamento e exploração de negros africanos e seus descendentes, trazidos ao Brasil para trabalharem nas lavouras ou nas casas de seus senhores e proprietários. Por mais que essa prática tenha sido considerada ilegal pela Lei Áurea, de 13 de maio de 1888, atualmen- te, mais de um século depois, persiste a explora- ção do trabalho escravo, associadas à facilidade de migração de pessoas, à injusta distribuição de renda e à miséria, relacionadas à procura de vantagens econômicas ilícitas. A exploração de trabalho escravo pode ser encontrada em países em desenvolvimento, países desenvolvidos e tam- bém nos excluídos do crescimento. As imagens a seguir retratam essa situação. IMAGEM 1: ESCRAVIDÃO, SÉCULO 16. Disponível em: <http://www.almanaqueurupes.com.br/portal/wp- content/uploads/2012/10/feitorcorrigindoonegro.jpg>. Acesso em: 10 jun. 2014. TRABALHO ESCRAVO, 2011. Disponível em: <http://exame2.abrilm.com.br/assets/ images/2011/8/37793/original_oficina-imigrantes-ilegais. jpg?1394921525>. Acesso em: 10 jun. 2014. Disponível em: <http://www.brasildefato.com.br/sites/default/files/ trabalho-escravo-em-carvoaria_foto-MTE.gif>. Acesso em: 10 jun. 2014. Comparando a escravidão contemporânea com aquela existente no Brasil até o final do século 19, é possível afirmar que A em ambos os períodos, a compra, venda ou troca de pessoas são atividades legais garan- tidas pelo Estado. B no sistema escravocrata contemporâneo não há diferença se as pessoas são negras, amarelas ou brancas. Hoje os escravos são pessoas economicamente miseráveis, contro- ladas por meio de ameaças, coerção física e punições. C hoje não existe trabalho escravo, mas sim uma forma de trabalho de servidão ou peona- gem por dívida, em que a força de trabalho é empenhada para o saldo de um débito. D enquanto antigamente os escravos trabalha- vam em plantações rurais, hoje estes são en- volvidos exclusivamente na produção de gran- des indústrias, como a de confecção têxtil ou montadoras de peças. E o uso dessa forma de exploração do trabalho existe no Brasil apenas nas produções agríco- las em que a fiscalização do Estado é falha.
  38. 38. SIMULADO ENEM – PÁG. 29 Justificativa: O item avalia a habilidade de analisar dife- rentes processos de produção ou circula- ção de riquezas e suas implicações socio- espaciais (H18). O gabarito é a alternativa B, que afirma que o trabalho escravo contemporâneo faz uso da força de trabalho de pessoas de diversas etnias, controladas por meio de ameaças e punições. A opção A é errada, afinal a compra, ven- da e troca de pessoas não são mais ativi- dades legais garantidas pelo Estado. A opção C, por sua vez, pode confundir o aluno por trazer uma informação correta (a existência do trabalho de servidão ou peonagem por dívida), contudo, ainda é errada por afirmar que hoje não existe tra- balho escravo. A alternativa D é equivocada, pois afirma que os escravos de hoje trabalham exclusi- vamente em produções de grandes indús- trias, como a de confecção têxtil ou monta- doras de peças. Nas imagens do texto-base do item, é possível observar escravos tra- balhando tanto em confecções industriais, como também em ambiente rural. De modo semelhante, a opção E é errada por afirmar que o trabalho escravo con- temporâneo persiste em zonas rurais, con- tradizendo as imagens do texto-base. Para auxiliar o aluno, o professor pode trabalhar a definição e as características de diferentes formas de produção e tra- balho, pontuando as diferenças entre os contextos sociais e econômicos do Brasil de cada uma das épocas em cena. Questão 27 QE00492 C2 Compreender as transformações dos espaços geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder. H6 Interpretar diferentes representações gráficas e cartográficas dos espaços geográficos. Observe o mapa a seguir. A flecha indica o trajeto da viagem de uma pessoa que saiu do ponto A com destino ao ponto B. BRASIL POLÍTICO A B Disponível em: <http://geoftp.ibge.gov.br/mapas_tematicos/mapas_ murais/brasil_2004.pdf>. Acesso em: 16 jun. 2014. [Adaptado] Sobre o trajeto do viajante, é correto afirmar que A ele saiu da região Norte, em que prevalece um clima tropical, com destino à região Sul, de clima subtropical. B ele deixou uma região em que predomina a floresta tropical amazônica, com destino à região Sudeste, antigamente coberta exten- samente pela Mata Atlântica, mas hoje muito desmatada. C ele deixou a região Sul, de clima subtropical, para a região Norte, de clima equatorial. D ele deixou uma região em que predomina a vegetação subtropical, com destino à região predominantemente coberta pela floresta tro- pical amazônica.
  39. 39. SIMULADO ENEM – PÁG. 30 E ele saiu da região Norte, em que prevalece um clima equatorial, com destino à região Sul, de clima subtropical. Justificativa: O item avalia a habilidade de interpretar diferentes representações gráficas e car- tográficas dos espaços geográficos (H6). A alternativa correta é a E, que afirma que o viajante saiu da região Norte do país, em que prevalece um clima equatorial, com destino à região Sul, de clima subtropical. A alternativa A é errada, pois afirma que na região Norte prevalece um clima tropical, quando, na verdade, é o clima equatorial. Já a alternativa B é errada, pois afirma que o destino do viajante seria a região Sudes- te, quando, na verdade, é a região Sul. As alternativas C e D, apesar de trazerem informações corretas sobre as caracterís- ticas de clima e vegetação de cada uma das regiões destacadas, são equivocadas ao trocar os pontos de origem e destino do viajante. Para auxiliar na resolução do item, o pro- fessor pode trabalhar com os alunos as características de clima e vegetação do território nacional, destacando, por meio de diferentes recursos de imagem e vídeo, as paisagens existentes no Brasil. Questão 28 QE00408 C6 Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espa- ço em diferentes contextos históricos e geográficos. H26 Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as rela- ções da vida humana com a paisagem. Os agentes transformadores de relevos são pro- cessos internos e externos terrestres que culmi- nam na mudança das paisagens naturais. Sobre esse tema, considere as proposições a seguir: I. Os agentes externos ou exógenos, também chamados de esculpidores, são responsáveis pela erosão (desgaste) e sedimentação (depo- sição) do solo. Eles são ocasionados pela ação de elementos que se encontram sobre a superfí- cie, como os ventos, as águas e os seres vivos. II. Um agente externo importante são os ventos, que atuam no relevo também em um proces- so lento e gradual, esculpindo as formações rochosas e transportando os sedimentos pre- sentes no solo em forma de poeira. A ação dos ventos sobre o relevo é também chamada de erosão eólica. III. Os abalos sísmicos estão diretamente ligados à dinâmica tectônica, que ocorrem devido ao uso intenso do solo e das intervenções urbanísticas. IV. Os agentes transformadores de relevos são tão intensos que, quando ocorrem, deixam as paisagens naturais no mesmo formato para sempre. Estão corretas as proposições: A I, II e IV. B Apenas a I. C Apenas a II. D I e II. E I, III e IV.

×