Ditadura militar

974 visualizações

Publicada em

Governos Militares no Brasil - 1964/1985

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
974
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
466
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ditadura militar

  1. 1. Quer passar? Estude aqui. http://www.qicursos21.blogspot.com.br Questão de Inteligência – QI Rua Duque de Caxias, 159 Itabuna/BA (73) 9126-8093
  2. 2. A DitADurA MilitAr noA DitADurA MilitAr no BrAsilBrAsil ““Dormia a nossa Pátria mãe tãoDormia a nossa Pátria mãe tão distraída Sem perceber que eradistraída Sem perceber que era subtraída Em tenebrosas transações.”subtraída Em tenebrosas transações.” CHICO BUARQUE DE HOLLANDACHICO BUARQUE DE HOLLANDA C:UsersUserMusicChico buarque - Álbum Perfil.mp3
  3. 3. AntecedentesAntecedentes  Esgotamento do populismo: manifestações de massa,Esgotamento do populismo: manifestações de massa, greves, agravamento de tensões sociais.greves, agravamento de tensões sociais.  Temor dos EUA com a possibilidade de “novasTemor dos EUA com a possibilidade de “novas revoluções cubanas” na América Latina.revoluções cubanas” na América Latina.  Apoio de setores civis conservadores ao golpe militar.Apoio de setores civis conservadores ao golpe militar.  Doutrina de Segurança Nacional é assimilada peloDoutrina de Segurança Nacional é assimilada pelo exército:exército:  Guerra total contra o comunismo.Guerra total contra o comunismo.
  4. 4. Divisões entre os militares:Divisões entre os militares:  SORBONNE:SORBONNE: oriundos da ESG (Escola Superior deoriundos da ESG (Escola Superior de Guerra – 1948), intelectuais, veteranos da 2ª Guerra,Guerra – 1948), intelectuais, veteranos da 2ª Guerra, próximos da UDN, alinhados ideologicamente com ospróximos da UDN, alinhados ideologicamente com os EUA, anticomunistas, partidários de um poderEUA, anticomunistas, partidários de um poder executivo forte e soluções econômicas técnicas.executivo forte e soluções econômicas técnicas.  LINHA DURA:LINHA DURA: também anticomunistas, semtambém anticomunistas, sem ligações diretas com os EUA, nacionalistas, avessosligações diretas com os EUA, nacionalistas, avessos a políticos e a qualquer tipo de democracia.a políticos e a qualquer tipo de democracia.
  5. 5. ““Em 64 a nação recebeu um tiro no peito. Um tiro queEm 64 a nação recebeu um tiro no peito. Um tiro que matou a alma nacional, (...) Os personagens quematou a alma nacional, (...) Os personagens que pareciam fazer parte da história do Brasil como nóspareciam fazer parte da história do Brasil como nós imaginávamos, esses personagens de repenteimaginávamos, esses personagens de repente sumiram. Ou fora do poder, ou presos ou mortos. Esumiram. Ou fora do poder, ou presos ou mortos. E em seu lugar surgiram outros, que eu nunca tinhaem seu lugar surgiram outros, que eu nunca tinha visto. Idiotas que nem mereciam ser notados. (...) Aívisto. Idiotas que nem mereciam ser notados. (...) Aí veio a percepção clara que o Brasil tinha mudadoveio a percepção clara que o Brasil tinha mudado para sempre. (...) Havia sido cometido umpara sempre. (...) Havia sido cometido um assassinato político. Ali morreu um país, morreu umaassassinato político. Ali morreu um país, morreu uma liderança popular, morreu um processo. (...) Não seliderança popular, morreu um processo. (...) Não se matam somente as pessoas, também se matam osmatam somente as pessoas, também se matam os países, os processos históricos.(...)”países, os processos históricos.(...)” (Herbert de Souza – Betinho)(Herbert de Souza – Betinho)
  6. 6. Esquerda X DireitaEsquerda X Direita  CGT (Central Geral dosCGT (Central Geral dos Trabalhadores), deTrabalhadores), de inspiração comunista.inspiração comunista.  UNE (União Nacional dosUNE (União Nacional dos Estudantes).Estudantes).  CPC’s (CentrosCPC’s (Centros Populares de Cultura)Populares de Cultura)  Ligas Camponesas.Ligas Camponesas.  IPES (Instituto NacionalIPES (Instituto Nacional de Pesquisa e Estudosde Pesquisa e Estudos Sociais) e IBAD (InstitutoSociais) e IBAD (Instituto Brasileiro de AçãoBrasileiro de Ação Democrática) – centrosDemocrática) – centros de combate aode combate ao comunismo, com o apoiocomunismo, com o apoio da CIA.da CIA.  MAC (Movimento Anti-MAC (Movimento Anti- comunista) e Frente dacomunista) e Frente da Juventude Democrática.Juventude Democrática.
  7. 7. OS PRESIDENTES MILITARES:OS PRESIDENTES MILITARES: MÉDICI GEISEL FIGUEIREDO COSTA E SILVA CASTELLO BRANCO
  8. 8. O AI-1O AI-1  Nomeação do Gen. Humberto de Allencar CastelloNomeação do Gen. Humberto de Allencar Castello Branco para a Presidência.Branco para a Presidência.  As constituições estaduais e a federal seriam mantidas.As constituições estaduais e a federal seriam mantidas.  A eleição do presidente e vice passaria a ser efetuadaA eleição do presidente e vice passaria a ser efetuada pelo Congresso Nacional.pelo Congresso Nacional.  O presidente passava a ter amplos poderes paraO presidente passava a ter amplos poderes para remeter ao Congresso “sugestões” para a reforma daremeter ao Congresso “sugestões” para a reforma da Constituição de 1946.Constituição de 1946.  As investigações contra crimes contra o Estado ou aAs investigações contra crimes contra o Estado ou a Ordem Pública, política e social, poderiam serOrdem Pública, política e social, poderiam ser instauradas contra indivíduos ou coletivamente.instauradas contra indivíduos ou coletivamente.  Os Comandantes-em-Chefe das Forças Armadas, queOs Comandantes-em-Chefe das Forças Armadas, que assinavam o AI-1, poderiam caçar direitos políticos peloassinavam o AI-1, poderiam caçar direitos políticos pelo prazo de 10 anos e anular mandatos legislativos.prazo de 10 anos e anular mandatos legislativos.
  9. 9. O governo CASTELLOO governo CASTELLO BRANCO (Sorbonne 1964 –BRANCO (Sorbonne 1964 – 1967):1967): PAEGPAEG (Plano de Ação Econômica do(Plano de Ação Econômica do Governo):Governo):  Corte de gastos.Corte de gastos.  Aumento de tarifas e impostos.Aumento de tarifas e impostos.  Fim da Lei da Estabilidade.Fim da Lei da Estabilidade.  Criação doCriação do FGTSFGTS (Fundo de Garantia por(Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).Tempo de Serviço).  Aumento salarial (1X ao ano) abaixo da inflação.Aumento salarial (1X ao ano) abaixo da inflação.  Restrição de crédito.Restrição de crédito.  Arrocho salarial, recessão e desemprego.Arrocho salarial, recessão e desemprego.
  10. 10.  Fim da Lei de Remessa de Lucros (1962).Fim da Lei de Remessa de Lucros (1962).  Desvalorização monetária (cruzeiro novo).Desvalorização monetária (cruzeiro novo).  Compra de empresas nacionais por estrangeiras.Compra de empresas nacionais por estrangeiras.  Renegociação da dívida externa.Renegociação da dívida externa.  Novos empréstimos.Novos empréstimos.  Aproximação cada vez maior com EUA.Aproximação cada vez maior com EUA.  ““O que é bom para os EUA é bom para o Brasil”O que é bom para os EUA é bom para o Brasil” (Juracy Magalhães – Ministro das Relações Exteriores)(Juracy Magalhães – Ministro das Relações Exteriores)
  11. 11. EFEITOS DO PLANOEFEITOS DO PLANO ECONÔMICO:ECONÔMICO:
  12. 12. O PAEG deu certo?O PAEG deu certo?  Para o que ele se propunha, sim, foi bem-sucedido. A inflaçãoPara o que ele se propunha, sim, foi bem-sucedido. A inflação caiu. O preço social disso é que representa problema.caiu. O preço social disso é que representa problema.  Para começar, os investidores estrangeiros ficaram maisPara começar, os investidores estrangeiros ficaram mais tranqüilos: não havia mais ameaça de nacionalismo, nem detranqüilos: não havia mais ameaça de nacionalismo, nem de greves e muito menos de socialismo.greves e muito menos de socialismo.  O novo governo tinha eliminado as restrições ao capitalO novo governo tinha eliminado as restrições ao capital estrangeiro.estrangeiro.  O FMI, feliz com o Brasil militar, também emprestou dinheiro,O FMI, feliz com o Brasil militar, também emprestou dinheiro, E nós vimos que ajuda do FMI era uma espécie de garantiaE nós vimos que ajuda do FMI era uma espécie de garantia para que outros banqueiros confiassem no país.para que outros banqueiros confiassem no país.  Fim da luta de classes pela via do aniquilamento daFim da luta de classes pela via do aniquilamento da representatividade trabalhista.representatividade trabalhista.  Quer dizer então que uma ditadura consegue estabilidade?Quer dizer então que uma ditadura consegue estabilidade? Essa pergunta necessita de outra: de que tipo de estabilidadeEssa pergunta necessita de outra: de que tipo de estabilidade estamos falando? Quando examinamos as estatísticasestamos falando? Quando examinamos as estatísticas econômicas percebemos que a estabilidade teve um preço: oeconômicas percebemos que a estabilidade teve um preço: o aumento de exploração da força de trabalho.aumento de exploração da força de trabalho.
  13. 13.  Jul/64 – prorrogação do mandatoJul/64 – prorrogação do mandato presidencial até mar/67.presidencial até mar/67.  Impopularidade do governo.Impopularidade do governo.  1965: eleições em 11 Estados.1965: eleições em 11 Estados.  Candidatos governistas perdem em vários.Candidatos governistas perdem em vários.  Out/65 –Out/65 – AI – 2: BipartidarismoAI – 2: Bipartidarismo  Extinção dos antigos partidos.Extinção dos antigos partidos.  ARENAARENA (Aliança Renovadora Nacional) – partido do(Aliança Renovadora Nacional) – partido do governo.governo.  MDBMDB (Movimento Democrático Brasileiro) – oposição(Movimento Democrático Brasileiro) – oposição ao governo.ao governo.  Autorização para fechar órgãos legislativos.Autorização para fechar órgãos legislativos.
  14. 14. O BIPARTIDARISMO:O BIPARTIDARISMO:
  15. 15. ARENA e MDBARENA e MDB
  16. 16.  Fev/66 –Fev/66 – AI-3: EleiçõesAI-3: Eleições indiretas paraindiretas para governadoresgovernadores e indicação dee indicação de prefeitos de capitais e cidadesprefeitos de capitais e cidades estratégicas.estratégicas.  Tentativa frustrada deTentativa frustrada de formação de uma frenteformação de uma frente oposicionista composta poroposicionista composta por antigos rivais: Carlos Lacerda,antigos rivais: Carlos Lacerda, Juscelino Kubitschek e JoãoJuscelino Kubitschek e João Goulart –Goulart – FRENTE AMPLAFRENTE AMPLA ..
  17. 17. AI-3 e AI-4AI-3 e AI-4  A Constituição de 1946 sofreu reformas por meio dosA Constituição de 1946 sofreu reformas por meio dos Atos Institucionais 3 e 4.Atos Institucionais 3 e 4.  OO AI-3AI-3 estabeleceu eleições indiretas para governadoresestabeleceu eleições indiretas para governadores e prefeitos de cidades consideradas “de segurançae prefeitos de cidades consideradas “de segurança nacional”.nacional”.  OO AI-4AI-4 convocava o Congresso, em sessãoconvocava o Congresso, em sessão extraordinária, para a aprovação de uma nova cartaextraordinária, para a aprovação de uma nova carta constitucional.constitucional.  AA Constituição de 1967Constituição de 1967 aumentou o poder doaumentou o poder do executivo e limitou a autonomia dos Estados.executivo e limitou a autonomia dos Estados.  Foram publicadas as severasForam publicadas as severas Lei de ImprensaLei de Imprensa ee LeiLei de Segurança Nacionalde Segurança Nacional , destinadas a facilitar a, destinadas a facilitar a atuação dos órgãos de segurança do Estado (aparelhosatuação dos órgãos de segurança do Estado (aparelhos da repressão) contra os “inimigos internos”.da repressão) contra os “inimigos internos”.
  18. 18.  Constituição de 1967:Constituição de 1967:  Fortalecimento do Executivo.Fortalecimento do Executivo.  Emendas constitucionais a cargoEmendas constitucionais a cargo exclusivo do presidente.exclusivo do presidente.  Incorporação de AtosIncorporação de Atos Institucionais.Institucionais.  LSN (Lei deLSN (Lei de Segurança Nacional)Segurança Nacional) –– defesa da pátria contra odefesa da pátria contra o “perigo comunista”“perigo comunista” (repressão consentida).(repressão consentida).
  19. 19. 4 - O governo COSTA E4 - O governo COSTA E SILVA (Linha Dura 1967 –SILVA (Linha Dura 1967 – 1969):1969): Manifestações estudantis contra oManifestações estudantis contra o governo (68).governo (68).  Oposição ao acordo MEC-USAID.Oposição ao acordo MEC-USAID.  Assassinato do estudanteAssassinato do estudante Édson LuísÉdson Luís (RJ mar/68) em confronto com a polícia.(RJ mar/68) em confronto com a polícia.  Passeata dos 100 milPasseata dos 100 mil (RJ jul/68).(RJ jul/68).  Greves em Osasco (SP), Contagem eGreves em Osasco (SP), Contagem e Belo Horizonte (MG).Belo Horizonte (MG).  Ampla repressão do governo.Ampla repressão do governo.
  20. 20. MANIFESTAÇÕES CONTRAMANIFESTAÇÕES CONTRA O GOVERNO:O GOVERNO: Estudante Édson Luís Missa de 7º dia de Édson Luís
  21. 21. Greve em Contagem - MG Passeata dos 100 mil Manifestação estudantil
  22. 22. Atritos entre estudantes da USP (oposição aos militares) e MACKENZIE (conservadores e anti- comunistas) CCC = Comando de Caça aos Comunistas
  23. 23. A REPRESSÃO DOA REPRESSÃO DO GOVERNO:GOVERNO:
  24. 24.  Dez/68: AI – 5:Dez/68: AI – 5:  Maior instrumento de repressão da ditaduraMaior instrumento de repressão da ditadura militarmilitar..  Pretexto: discurso do deputado Márcio Moreira AlvesPretexto: discurso do deputado Márcio Moreira Alves (MDB).(MDB).  Fechamento do Poder Legislativo (presidente assume suaFechamento do Poder Legislativo (presidente assume sua função).função).  Suspensão dos direitos políticos e individuais (HÁBEASSuspensão dos direitos políticos e individuais (HÁBEAS CORPUS).CORPUS).  Intervenção em Estados e municípios.Intervenção em Estados e municípios.  Permissão para cassar mandatos, demitir, prender, editarPermissão para cassar mandatos, demitir, prender, editar leis.leis.  Prazo de validade indeterminado.Prazo de validade indeterminado.
  25. 25. O AI – 5:O AI – 5: Deputado Márcio Moreira Alves
  26. 26. A luta armadaA luta armada  A falta de crédito na ação parlamentar e oA falta de crédito na ação parlamentar e o endurecimento do regime faz com que os setores deendurecimento do regime faz com que os setores de esquerda se lancem em ações armadas.esquerda se lancem em ações armadas.  OO PCBPCB – resistência no interior do MDB e dos– resistência no interior do MDB e dos sindicatos.sindicatos.  OO PC do BPC do B – iniciou uma campanha de guerrilhas rurais,– iniciou uma campanha de guerrilhas rurais, com escasso apoio camponês.com escasso apoio camponês.  Entre 1968 e 1974, aEntre 1968 e 1974, a ALNALN (Aliança Nacional(Aliança Nacional Libertadora); aLibertadora); a VARVAR (Vanguarda Armada(Vanguarda Armada Revolucionária), oRevolucionária), o MR-8MR-8 (Movimento Revolucionário 8(Movimento Revolucionário 8 de outubro) e ade outubro) e a Ação PopularAção Popular promovem a guerrilhapromovem a guerrilha urbana.urbana.
  27. 27. A luta armadaA luta armada  Em setembro de 1969, a ALN e o MR-8Em setembro de 1969, a ALN e o MR-8 seqüestram o embaixador americano Charlesseqüestram o embaixador americano Charles Elbrick.Elbrick.  Em troca da libertação do embaixador, osEm troca da libertação do embaixador, os militantes divulgam um manifesto revolucionáriomilitantes divulgam um manifesto revolucionário na imprensa e libertam 15 prisioneiros políticos,na imprensa e libertam 15 prisioneiros políticos, entre eles, Zé Dirceu.entre eles, Zé Dirceu.  Em represália, a Junta Militar cria mais dois AI’s:Em represália, a Junta Militar cria mais dois AI’s: um dava direito à expulsão do país de todos queum dava direito à expulsão do país de todos que fossem considerados “subversivos”; o outrofossem considerados “subversivos”; o outro introduzia a pena de morte.introduzia a pena de morte.
  28. 28. Os mecanismos da RepressãoOs mecanismos da Repressão  Para o controle da “ordem social”, o governo Costa ePara o controle da “ordem social”, o governo Costa e Silva melhora a eficiência dos mecanismos deSilva melhora a eficiência dos mecanismos de repressão.repressão.  OBANOBAN (Operação Bandeirante)(Operação Bandeirante)  DOPSDOPS –– DEOPSDEOPS (Departamento de Ordem Pública e(Departamento de Ordem Pública e Social)Social)  DOI-CODIDOI-CODI (Destacamento de Operações de(Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de DefesaInformações – Centro de Operações de Defesa Interna).Interna).  Em fins de 1969, Costa e Silva, doente, se afasta. EmEm fins de 1969, Costa e Silva, doente, se afasta. Em seu lugar seguiria uma junta militar e, em seguida, oseu lugar seguiria uma junta militar e, em seguida, o governo Médici e o endurecimento do regime.governo Médici e o endurecimento do regime.
  29. 29. Caça aos “subversivos”Caça aos “subversivos”
  30. 30. A GUERRILHA DE ESQUERDA:A GUERRILHA DE ESQUERDA: Assista!!! C. B. Elbrick – embaixador dos EUA seqüestrado pelo MR-8 e ALN em troca da soltura de presos políticos. Prisioneiros libertados em troca do embaixador alemão.
  31. 31.  Início da ação armada contra o governo:Início da ação armada contra o governo:  ALN, AP, MR-8, VPR, VAR-PALMARES, PCBR.ALN, AP, MR-8, VPR, VAR-PALMARES, PCBR.  Guerrilha urbana (seqüestros de embaixadores eGuerrilha urbana (seqüestros de embaixadores e diplomatas estrangeiros, assaltos a banco).diplomatas estrangeiros, assaltos a banco).  Guerrilha rural (Araguaia – PA)Guerrilha rural (Araguaia – PA) Marighella - ALN Capitão Carlos Lamarca VAR - PALMARES Assista!!!
  32. 32. Grupos de esquerdaGrupos de esquerda
  33. 33.  Ago/69: Costa e SilvaAgo/69: Costa e Silva adoece e é afastado.adoece e é afastado.  Vice Pedro Aleixo éVice Pedro Aleixo é impedido de assumir.impedido de assumir.  Ago-out/1969 – Junta militarAgo-out/1969 – Junta militar assume o poder e escolheassume o poder e escolhe novo presidente.novo presidente. JUNTA MILITAR BOLETIM MÉDICO DE COSTA E SILVA
  34. 34. 5 - O governo E. G. MÉDICI (Linha Dura5 - O governo E. G. MÉDICI (Linha Dura 1969 – 1974):1969 – 1974):  Auge da ditadura.Auge da ditadura.  BinômioBinômio SEGURANÇASEGURANÇA XX DESENVOLVIMENTODESENVOLVIMENTO Exército Tecnocratas
  35. 35. UfanismoUfanismo
  36. 36.  Prisões, torturas,Prisões, torturas, assassinatosassassinatos (“desaparecidos”).(“desaparecidos”).  Repressão intensa eRepressão intensa e eliminaçãoeliminação da guerrilha de esquerdada guerrilha de esquerda (SNI, DOI-CODI, OBAN, DOPS...)(SNI, DOI-CODI, OBAN, DOPS...) Assassinato de Marighella Pau de arara
  37. 37. Carlos Lamarca assassinado Repressão a qualquer manifestação anti-governista
  38. 38.  Popularidade: censura e propaganda.Popularidade: censura e propaganda.  Slogans ufanistas e otimistas:Slogans ufanistas e otimistas:
  39. 39. A IMPRENSA VIGIADA:A IMPRENSA VIGIADA:
  40. 40.  Valorização de conquistas esportivas: futebol eValorização de conquistas esportivas: futebol e automobilismo (associação de vitórias com oautomobilismo (associação de vitórias com o sucesso do governo).sucesso do governo). SELEÇÃO TRICAMPEÃ MUNDIAL (1970) Carlos Alberto, Presidente Médici e Zagallo Assista!!!
  41. 41.  Tentativa fracassada deTentativa fracassada de ocupação da regiãoocupação da região Norte (Amazonas):Norte (Amazonas):  objetivo – evitar inchaço dasobjetivo – evitar inchaço das cidades do centro-sul, atraircidades do centro-sul, atrair investimentos.investimentos.  conseqüências – dizimação deconseqüências – dizimação de indígenas, lutas pela posse daindígenas, lutas pela posse da terra, desmatamento,terra, desmatamento, assassinato de seringueiros,assassinato de seringueiros, instalação do tráfico deinstalação do tráfico de drogas.drogas. Presidente Médici e João B. Figueiredo vistoriando construção da rodovia transamazônica.
  42. 42.  Milagre EconômicoMilagre Econômico (1969 – 1974):(1969 – 1974):  Delfim Netto (Ministro daDelfim Netto (Ministro da economia).economia).  Crescimento de 10% ao ano.Crescimento de 10% ao ano.  Facilidades de crédito (bensFacilidades de crédito (bens de consumo duráveis).de consumo duráveis).  Arrocho salarial.Arrocho salarial.  Investimentos externosInvestimentos externos (favorecimento do governo).(favorecimento do governo).  Grandes empréstimos.Grandes empréstimos.
  43. 43. CONSEQÜÊNCIAS DO “MILAGRE”:CONSEQÜÊNCIAS DO “MILAGRE”: DÍVIDA EXTERNA DESVALORIZAÇÃO SALARIAL
  44. 44.  ObrasObras faraônicas:faraônicas:  RodoviaRodovia TransamazônicTransamazônic aa (jamais(jamais concluída).concluída).  Rodovia Rio-Rodovia Rio- Santos.Santos.  Ponte Rio-Ponte Rio- NiteróiNiterói..  PontePonte Colombo-Colombo- SallesSalles (SC).(SC).  Hidrelétricas deHidrelétricas de Solteira (SP) eSolteira (SP) e PassoPasso Fundo(RS).Fundo(RS). Transamazônica Rio-Niterói Colombo-Salles
  45. 45.  Ampliação do mar territorial brasileiro de 12Ampliação do mar territorial brasileiro de 12 para 200 milhas marítimas (aproximadamentepara 200 milhas marítimas (aproximadamente 350 Km).350 Km).  Crise do petróleo (73 – 74) abala crescimentoCrise do petróleo (73 – 74) abala crescimento do “Milagre”.do “Milagre”.
  46. 46. 6 - O governo ERNESTO GEISEL6 - O governo ERNESTO GEISEL (Sorbonne 1974 – 1979):(Sorbonne 1974 – 1979):  Abertura “lenta, gradual e segura”.Abertura “lenta, gradual e segura”.  Crise econômica.Crise econômica.  ProgramaPrograma PROÁLCOOL.PROÁLCOOL.  2º PND (Plano Nacional de2º PND (Plano Nacional de Desenvolvimento):Desenvolvimento):  Manutenção de modelo anterior.Manutenção de modelo anterior.  Novos empréstimosNovos empréstimos  Mais importações.Mais importações.  Busca de novos mercados para exportação.Busca de novos mercados para exportação.  Tentativa de substituir importações.Tentativa de substituir importações.
  47. 47.  Mais obras faraônicas ouMais obras faraônicas ou projetos de utilidadeprojetos de utilidade questionável:questionável:  Usinas siderúrgicas de TubarãoUsinas siderúrgicas de Tubarão (ES) e Açominas (MG).(ES) e Açominas (MG).  Ferrovia do Aço (MG) –Ferrovia do Aço (MG) – interrompida em 1979.interrompida em 1979.  Usinas hidrelétricas deUsinas hidrelétricas de ItaipuItaipu (PR),(PR), Tucuruí (PA), e Sobradinho (BA).Tucuruí (PA), e Sobradinho (BA).  Acordo nuclear com ALEAcordo nuclear com ALE parapara construção de 8 usinas nuclearesconstrução de 8 usinas nucleares (apenas uma realmente começou a(apenas uma realmente começou a funcionar –funcionar – ANGRA IANGRA I).).
  48. 48.  Eleições parlamentares (1974):Eleições parlamentares (1974): vitória do MDB.vitória do MDB.  Fim da censura prévia aos meiosFim da censura prévia aos meios de comunicação (1975).de comunicação (1975).  OUT/1975: assassinato doOUT/1975: assassinato do jornalistajornalista Wladimir HerzogWladimir Herzog sobsob tortura.tortura.  JAN/1976: assassinato doJAN/1976: assassinato do operário Manoel Fiel Filho,operário Manoel Fiel Filho, também torturado.também torturado.  Demissão de Ednardo D’Ávila FilhoDemissão de Ednardo D’Ávila Filho (comandante do 2º Exército).(comandante do 2º Exército).  Lei FalcãoLei Falcão (1976): limitação da(1976): limitação da propaganda política.propaganda política. Wladimir Herzog
  49. 49.  ABR/77: Pacote de AbrilABR/77: Pacote de Abril::  Fechamento do Congresso.Fechamento do Congresso.  Mandato presidencial de 6 anos.Mandato presidencial de 6 anos.  Criação dosCriação dos “senadores biônicos”.“senadores biônicos”.  OUT/78: Fim do AI – 5.OUT/78: Fim do AI – 5.  Início das greves dosInício das greves dos sindicatos do ABC paulistasindicatos do ABC paulista (Lula).(Lula). Assista!!!
  50. 50. 6 - O governo JOÃO BAPTISTA6 - O governo JOÃO BAPTISTA FIGUEIREDO (1979 – 1985):FIGUEIREDO (1979 – 1985):  Conclusão do processo deConclusão do processo de abertura política.abertura política.  Crise econômica permanenteCrise econômica permanente (inflação,(inflação, desemprego, empréstimos comdesemprego, empréstimos com altos juros).altos juros).  Desgaste do governo.Desgaste do governo.
  51. 51. Lei FalcãoLei Falcão
  52. 52.  AGO/1979:AGO/1979: Lei da AnistiaLei da Anistia..  Exceto para envolvidos com luta armada e atosExceto para envolvidos com luta armada e atos terroristas.terroristas.  Retorno de exilados políticos : Brizola, Prestes,Retorno de exilados políticos : Brizola, Prestes, Miguel Arraes...Miguel Arraes... Retorno de Brizola
  53. 53.  NOV/1979:NOV/1979: PluripartidarismoPluripartidarismo ARENA MDB PDS (Partido Democrático Social) PP (Partido Popular) – Tancredo Neves PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) – Ulysses Guimarães 1982 PFL (Partido da Frente Liberal) 1984 PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) – Ivete Vargas PDT (Partido Democrático Trabalhista) – Leonel Brizola 1980: PT (Partido dos Trabalhadores) – sindicatos paulistas
  54. 54. A DIVISÃO DA OPOSIÇÃO:A DIVISÃO DA OPOSIÇÃO:
  55. 55.  Reação da “Linha Dura” do exército àReação da “Linha Dura” do exército à abertura políticaabertura política::  Atentados terroristas em bancas de revistas, contra aAtentados terroristas em bancas de revistas, contra a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).  Atentado doAtentado do RiocentroRiocentro (30/04/1981).(30/04/1981).  Desmoralização da “Linha Dura”Desmoralização da “Linha Dura”
  56. 56.  1982: Eleições diretas para governador (vitória de1982: Eleições diretas para governador (vitória de candidatos oposicionistas em 10 estados, incluindocandidatos oposicionistas em 10 estados, incluindo SP, RJ e MG).SP, RJ e MG).  MAR/84: EmendaMAR/84: Emenda Dante de OliveiraDante de Oliveira (PMDB –(PMDB – MT):MT):  Eleições diretas para Presidente da República.Eleições diretas para Presidente da República.  Mobilização nacional – campanha dasMobilização nacional – campanha das “Diretas JᔓDiretas Já”  Vetada pelo congresso por 22 votos de diferença.Vetada pelo congresso por 22 votos de diferença.
  57. 57.  JAN/85: Eleições indiretas para presidente:JAN/85: Eleições indiretas para presidente: PDS Paulo Maluf – presidente Mário Andreazza - vice X ALIANÇA DEMOCRÁTICA* (PMDB + PFL) Tancredo Neves – presidente José Sarney - vice Tancredo Neves Paulo Maluf
  58. 58.  21/04/1985: Tancredo Neves morre.21/04/1985: Tancredo Neves morre.  José Sarney (vice), assume definitivamente aJosé Sarney (vice), assume definitivamente a presidência.presidência. José Sarney Funeral de Tancredo Neves
  59. 59. MUITOS APOIARAM O GOLPEMUITOS APOIARAM O GOLPE MILITAR...MILITAR...

×