Da formação de Portugal ao Brasil colonial

1.805 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.805
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Da formação de Portugal ao Brasil colonial

  1. 1. Prof° Claudney S.dos Santos
  2. 2.  + 3000 a.C.: Celtas e Iberos  Afonso VI: + 810 a.C.: Fenícios ajuda externa para expulsão 246-146 a.C.: Cartagineses dos Muçulmanos 146 a.C. – 409 d.C.:  Henrique e Raimundo de Romanos Borgonha (franceses) 409 - 414: Vândalos e Suevos 414 – 711: Visigodos 711 – 1139: Muçulmanos GUERRA DE RECONQUISTA e FORMAÇÃO DE PORTUGAL Expansão Islâmica (Invasão dos Mouros) X Reinos Cristão-Bárbaros (Leão, Aragão, Navarra, Afonso VI Henrique Borgonha Castela)
  3. 3.  Urraca + Raimundo   Reino de Portugal (1139) Condado de Galiza (Norte do e Dinastia de Borgonha com o Rio Minho) nome de Afonso I Teresa + Henrique  Condado Portucalense (Sul Afonso I do Rio Minho) Morte de Afonso VI  Urraca no trono de Leão e Galiza Henrique havia falecido e filho de Teresa recusa-se a prestar vassalagem a Urraca Afonso Henriques (filho de Teresa e Henrique) assume o Condado Portucalense e o separa de Leão
  4. 4.  D. Afonso I: 1139-1185 facilitando a concentração de poder, contrário a toda Europa onde reina a D. Sancho I: 1185-1211 descentralização. D. Afonso II: 1211-1223 D. Sancho II: 1223-1248 D. Afonso III: 1248-1279 D. Dinis: 1279-1325 D. Afonso IV: 1325-1357 D. Pedro I: 1357-1367 D. Fernando I: 1367-1383 Desde a independência, intensifica- se a Guerra da Reconquista e os constantes ataques aos mouros fazem do Rei um chefe militar
  5. 5.  Formação do Estado Moderno  Assassinato do Conde de Português Andeiros (D. Leonor foge para Castela) D Fernando I casado com D. Leonor Teles  D. Beatriz (filha)  1385 – Batalha de Aljubarrota: casa-se com D. João I, Rei de Vitória de Portugal sobre Castela Castela e início da Dinastia de Avis. Morte de D. Fernando I D. Leonor + Fernandes Andeiros de Castela (conde) Morte do Conde Andeiro Beatriz e D. João I Parte da Nobreza apóia união com Castela (Feudalismo) D. João I Burguesia e Arraia-Miúda (camadas populares) e parte da Nobreza apóiam D. João, mestre de Avis (Irmão bastardo de D. Fernando I)
  6. 6.  D. João I: 1385-1433  O Rei alia-se a burguesia, gerando condições para a expansão do comércio, com as Grandes Navegações. D. Duarte: 1433-1438  A Economia portuguesa supera as D. Afonso V: 1438-1481 atividades agrícolas e concentra-se nas atividades comerciais e marítimas. D. João II: 1481-1495 D. Manuel: 1495-1521 D. João III: 1521-1557 D. Sebastião: 1557-1578 D. Henrique: 1578-1580 Com a Revolução de Avis, Portugal centraliza o poder e torna-se um Estado Moderno, com a nobreza submetendo-se ao Rei e este defendendo os interesses dos grupos Dom Dinis mercantis. Dom Sebastião
  7. 7. As especiariasAs especiarias eram os produtos vindos do oriente principalmente da Índia, namaioria eram de origem vegetal, mas também podiam ser animal. O mais valiosoítem das especiarias era a pimenta pelo seu odor e sabor característico, muitoutilizada para condimentar a carne salgada levada para o interior. As condições dearmazenamento e conservação na época não preservavam por muito tempo osprodutos e a pimenta era utilizada para disfarçar o gosto e o cheiro da carneapodrecida.
  8. 8. A Escola de SagresEm Portugal, desenvolveu-se um centro náutico que ficou conhecido como Escola deSagres os investimentos neste centro do saber permitiram a descoberta de novastécnicas. Os resultados foram importantes e o primeiro barco capaz de enfrentar umatravessia oceânica a caravela, foi desenvolvido pelos portugueses.
  9. 9. As grandes navegações A Escola de Sagres
  10. 10. A escola de Sagres permitiu aviagem de muitos navegadores :
  11. 11. Tratado de Tordesilhas
  12. 12.  Período(1500-30) em que Portugal não se interessa pela efetiva colonização do Brasil em função deste não preencher os seus interesses mercantilistas (metais e comércio).
  13. 13. • O primeiro nome dado foi Pindorama, os indígenas que inventaram o nome e apenas eles o utilizavam.• Na descoberta em 1500, os portugueses batizaram a nova terra de Ilha de Vera Cruz, se chamou Terra Nova em 1501; Terra dos Papagaios, em 1501; Terra de Vera Cruz, em 1503; Terra de Santa Cruz, em 1503; Terra Santa Cruz do Brasil, em 1505; Terra do Brasil, em 1505; e finalmente em 1526, devido ao pau-brasil, passou a se chamar Brasil.
  14. 14.  Os portugueses não encontraram, no Brasil, sociedades organizadas com base na produção para mercados. O Brasil não oferecia metais preciosos nem produtos para o comércio. A crise demográfica portuguesa. Portugal estava concentrado em torno do comércio Oriental
  15. 15.  Durante esse período Por tugal limitou-se a enviar para o Brasil expedições de reconhecimento e de defesa e iniciou a
  16. 16. • Gaspar de Lemos (1501).• Gonçalo Coelho (1503). - Objetivos: fazer o reconhecimento geográfico e verificar as possibilidades de exploração econômica da nova terra descober ta.
  17. 17. Cristóvão Jacques (1516-1526).Objetivos: policiar o litoral e expulsar os contrabandistas.
  18. 18. Primeira atividade Nomes Populareseconômica Pau-Brasil, ibirapitanga, orabutã, brasileto, ibirapiranga, ibirapita, ibirapitã, muirapiranga,portuguesa no pau-rosado.Brasil: exploração ecomércio damadeira detinturaria.Atividade extrativa,assistemática epredatória.
  19. 19. Estanco: monopólio régio exercício de uma atividade econômica, salvo o seu desempenho pela Coroa ou a quem esta delegasse.
  20. 20. MÃO-DE-OBRA ÍNDÍGENA - Escambo: tipo derelação de trabalhoonde há troca deserviço/mercadoriapor outra mercadoria- o corte e otransporte da madeiraeram feitos pelosindígenas, que, emtroca, recebiambugigangas.
  21. 21. Primeira Feitoria no Brasil - Forte de São Mateus Cabo Frio (1506)- Feitorias: eram os depósitos que armazenavamas toras de pau-brasil. - Não geraram povoamento, porém, a parte destesiniciou-se a penetração do território.

×