Curso formacao de preco de venda 001

315 visualizações

Publicada em

formacao de preco de venda

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso formacao de preco de venda 001

  1. 1. Cursos Online EDUCA www.CursosOnlineEDUCA.com.br Acredite no seu potencial, bons estudos! Curso Gratuito Formação de Preço de Venda Carga horária: 35hs Cursos Onlines g5cursos www.g5cursos.com
  2. 2. CONTEÚDO CONTEÚDO 1 – Introdução à Formação de Preço de Venda Introdução ao Conteúdo.......................................................................... Módulo 1 – A Importância do Preço de Venda........................................ Módulo 2 – Função do Mercado............................................................. Módulo 3 – Tipos de Preço de Venda..................................................... Módulo 4 – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda.................................................................................. Avaliação do Conteúdo........................................................................... CONTEÚDO 2 – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Introdução ao Conteúdo.......................................................................... Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios......................... Módulo 2 – Classifcação das Despesas Fixas....................................... Módulo 3 – Regime de Competência e Depreciação.............................. Módulo 4 – Cálculo da Depreciação....................................................... Módulo 5 – Demonstrativo de Custos/Despesas Fixos.......................... Avaliação do Conteúdo .......................................................................... CONTEÚDO 3 – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Introdução ao Conteúdo.......................................................................... Módulo 1 – Custo da Mercadoria Vendida.............................................. Módulo 2 – Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria.............................. Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis......................................... Módulo 4 – Outros Custos e Despesas Variáveis................................... Avaliação do Conteúdo........................................................................... CONTEÚDO 4 – Calculando o Preço de Venda Introdução ao Conteúdo.......................................................................... Módulo 1 – Identifcando as Despesas Fixas.......................................... Módulo 2 – Identifcando a Margem de Lucro......................................... Módulo 3 – Aplicando os Impostos das Vendas...................................... Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda....... Avaliação do Conteúdo........................................................................... CONTEÚDO 5 – Identifcando o Ponto de Equilíbrio Introdução ao Conteúdo.......................................................................... Módulo 1 – Conhecendo o que é Ponto de Equilíbrio............................. Módulo 2 – Conhecendo o que é Margem de Contribuição................... Módulo 3 – Calculando o Ponto de Equilíbrio......................................... Módulo 4 – A Importância do Consumidor e da Concorrência na Formação dos Preços (Análise de Mercado).......................................... Avaliação do Conteúdo........................................................................... Exercícos do Curso........................................................................ 10 11 13 15 18 22 23 24 29 32 34 36 38 40 41 43 46 50 52 54 55 56 57 59 64 66 67 69 71 74 78 80 99
  3. 3. • • • • Curso Formação do Preço de Venda IIntrodução ao Conteúdo – Introdução à Formação de O Primeiro Conteúdo que estudaremos no curso Formação de Preço de Venda é Introdução à Formação de Preço de Venda. A área de formação de preço é muito importante no varejo, pois é no preço dos produtos que o varejista determina o seu maior diferencial frente à concorrência. Neste Conteúdo, serão criadas condições para que você desenvolva competências para: Compreender a importância da Formação de Preço de Venda de forma adequada como um fator de sustentabilidade e competitividade de seu negócio. Conhecer o mercado como um importante fator para a sobrevivência de um comércio varejista. Conhecer os diversos tipos de preços utilizados no mercado como estratégia de venda. Identifcar os custos, as despesas e os impactos provocados na determinação do Preço de Venda. Durante o desenvolvimento do Conteúdo, procuraremos utilizar dados da loja do nosso amigo Eduardo Silvarejo, pois, assim, o auxiliaremos no entendimento dos problemas existentes em seu comércio e, ao mesmo tempo, facilitaremos o nosso ensino e a nossa aprendizagem. Para responder a essas e a outras questões e para facilitar a compreensão e a aprendizagem, este Conteúdo foi dividido nos seguintes Módulos: CONTEÚDO 1 – Introdução à Formação de Preço de Venda Introdução ao Conteúdo Módulo 1 – A Importância do Preço de Venda Módulo 2 – Função do Mercado Módulo 3 – Tipos de Preço de Venda Módulo 4 – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda Avaliação do Conteúdo Vamos continuar? Preço de Venda 10 Olá!
  4. 4. Módulo 1 – A Importância do Preço de Venda Você sabe por que é importante calcular e planejar o Preço de Venda para cada produto no seu estabelecimento comercial? Leia o texto a seguir. O nosso amigo Eduardo Silvarejo, proprietário de um comércio varejista, sempre calculou os Preços de Venda dos seus produtos colocando o dobro do seu valor de compra, ou seja, comprando por R$ 50,00 e vendendo por R$ 100,00. Dessa forma, pensava ter um lucro de 100%, mas não entendia por que estava sempre no vermelho. No entanto, o Sr. Silvarejo percebia que a concorrência estava indo bem e se perguntava o que fazer para melhorar o seu negócio e reconquistar clientes que já havia perdido. Veja: Precisamos saber, afnal, que a Formação de Preço de Venda de um produto não pode ocorrer de qualquer jeito. É uma tarefa que exige cuidado para não prejudicar as vendas e, consequentemente, os negócios da empresa. Por isso, é fundamental conhecer os diversos fatores que envolvem o processo de formação do preço. Precisamos avaliar e controlar nossos gastos e identifcar o que são Custos e Despesas Fixos e Custos e Despesas Variáveis. Além disso, é muito importante estar atento(a) ao mercado em que atuamos, acompanhar os preços praticados pelos concorrentes e conhecer os diversos tipos de preços que podemos adotar como estratégias de venda para conquistar o cliente. Eduardo Silvarejo sempre considerou tudo isso besteira. Afnal, tinha que pagar as contas de um jeito ou de outro. Como sua loja era bastante antiga, pensava que todos os seus clientes o conheciam e, portanto, que não precisava de nada disso. Mas, quando percebeu que seus clientes estavam comprando dos seus concorrentes, chegou à conclusão de que precisava de ajuda. Podemos observar que a fxação de Preços de Venda de produtos não é tão simples. Pelo contrário, tem sido uma tarefa bastante complexa e de grande importância que exige cuidado para não prejudicar as vendas e os negócios da empresa. E você, caro(a) participante? Você conhece a Formação de Preço de Venda dos seus produtos? Você conhece os Custos e as Despesas do seu estabelecimento comercial? Você analisa o comportamento dos seus concorrentes? Sabe o que vendem no mercado? Os preços que praticam? Ou você simplesmente multiplica por dois o valor pago por seus produtos? É preciso ter controle dos nossos gastos, receitas e lucros. Além disso, precisamos observar o comportamento do mercado, pois é ele que determina os preços que praticamos. Também precisamos avaliar nossa concorrência, público consumidor, preços dos nossos fornecedores e, até, as mudanças na política econômica, pois 1111
  5. 5. Curso Formação do Preço de Venda podem infuenciar diretamente nossas vendas. Se não fzermos isso, fcaremos à deriva no mercado, como um barco à deriva no mar, sem saber para onde estamos indo. O resultado disso, geralmente, é desastroso. Não podemos contar somente com a sorte. Veja exemplos dessa situação: 1. Você entra em uma loja e observa que determinado produto é cerca de 20% mais caro que o mesmo produto oferecido na loja concorrente localizada próximo à loja em que você está. Mesmo assim, você compraria? Caso você tenha respondido que não, está agindo como a maioria da população que busca preços mais baixos, mesmo tendo que se deslocar de um estabelecimento para outro. 2. Você conversa com o proprietário da loja onde você se encontra e percebe que é possível obter desconto. Você buscaria esse desconto? Caso você tenha respondido que sim, está simplesmente exigindo um direito seu. Se o proprietário da loja não quiser conceder o desconto, você comprará em outro estabelecimento. LEMBRE-SE: Existe uma série de possibilidades de ampliar os seus conhecimentos e aproveitar melhor os Conteúdos. Não deixe de socializar o seu aprendizado também com a tutoria do curso. Exercício de socialização Caro(a) participante! Você já deve ter percebido, em vários casos, a existência de preços diferentes aplicados a um mesmo produto (mesma marca e fabricante), mas em estabelecimentos comerciais distintos. Depois de refetir sobre essa situação, sugerimos que você reúna um grupo pequeno de amigos ou, mesmo, de familiares e se lembre de momentos em que tiveram necessidade de buscar melhores preços no mercado. Chegamos ao fnal desse Primeiro Módulo. Conseguimos perceber o quanto é importante a Formação de Preço de Venda dos produtos de forma adequada e que o nosso amigo Eduardo Silvarejo está começando a entender que não basta calcular 100% sobre o preço de compra. É necessário analisar todos os aspectos envolvidos, como, por exemplo, a Função do Mercado. Será isto que veremos no próximo Módulo. Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 1 – A Importância do Preço de Venda 12
  6. 6. Módulo 2 – Função do Mercado Neste Módulo, analisaremos a Função do Mercado e a sua importância como fator determinante para a sobrevivência de um negócio. É fundamental conhecer as características da demanda do produto e a existência ou não de concorrentes, acompanhar os preços praticados pelos fornecedores e o comportamento da oferta e da procura em relação ao mercado em que atuamos. Com essas informações, teremos condições de fazer análises e de tomar decisões estratégicas para obtermos sucesso na venda dos nossos produtos. Podemos dizer que devemos prestar atenção em tudo o que acontece no ambiente externo do nosso comércio, porque isso trará consequências ao nosso negócio. Isso mesmo! É importante estar atento(a), pois nosso negócio não é uma ilha. Ele está inserido numa rede de produção, compra e venda que envolve fornecedor, consumidor e muitos outros aspectos que formam o mercado. Alguns teóricos radicais da economia chegam ao ponto de defender que a fxação do preço é determinada pelo cliente, e não pela empresa, tamanha a infuência que o mercado exerce sobre o negócio, ou seja, sobre a relação de compra e venda. Porém, a grande maioria de estudiosos do mercado defende que a fxação do preço de um produto deve considerar dois fatores: o custo e o mercado. Em alguns casos, o Preço de Venda determinado pelo mercado provoca redução de lucro. As empresas trabalham com estrutura de custos e despesas enxutas, não tendo muito a cortar. O jeito é reduzir a Margem de Lucro. Veja exemplos dessa situação: 1. Você está elaborando uma planilha com todos os possíveis preços dos produtos que você comercializa e que estão sendo praticados no mercado. Então, lê no jornal ou ouve por outros meios de comunicação que o valor dos combustíveis pode sofrer um reajuste para maior. Haverá impacto nos preços dos produtos que você está adquirindo? Caso você tenha respondido que sim, está certo(a). Perceberá que fatores de mercado ou outros fatores podem infuenciar os preços, como, por exemplo, o aumento do preço dos combustíveis. A razão disso é que o aumento nos preços dos combustíveis infuencia os preços do frete. 2. Você está lendo um jornal e lê a notícia que uma empresa é detentora da maior parte do mercado (cerca de 90%) de um determinado produto e que os outros 10% do mercado estão sendo utilizados por empresas muito afastadas 1313
  7. 7. Curso Formação do Preço de Venda da sua região. Essa empresa poderá infuenciar os preços praticados dos seus produtos? Caso você tenha respondido que sim, está certo(a). Perceberá que fatores externos ou o mercado dominado por apenas um fornecedor poderá infuenciar negativamente a formação de preço praticada no comércio. Isso porque existe grande possibilidade de essa empresa determinar os seus preços. LEMBRE-SE: Há uma equipe de tutores disponível para ajudá-lo(a) também nesse momento. Não deixe de contatá-los. Exercício de socialização Caro(a) participante! Faça uma lista das empresas de sua região que não tenham muita concorrência e que sejam de grande participação no mercado. Com seus amigos ou familiares, identifque os produtos produzidos e comercializados por essas empresas, bem como se alguns desses produtos poderiam ser mais baratos ou não, caso houvesse maior concorrência na sua região. Neste Módulo, aprendemos que um dos fatores para a formação adequada do Preço de Venda dos produtos de um comércio varejista é conhecer o mercado em que atuamos. Para que possamos ajudar o nosso amigo Eduardo Silvarejo, é necessário avaliar a sua compreensão e o seu desempenho nesta área, pois é importante saber, por exemplo, que cuidados ele mantém com a concorrência e qual a relação com a rede de fornecedores. Isso porque, se fzermos boas parcerias com nossos fornecedores, também poderemos fazer ótimos negócios e assim por diante... E você? Como tem sido o seu desempenho nesta área? Faça uma refexão. No próximo Módulo, estudaremos os Tipos de Preço de Venda existentes no mercado e como podemos utilizá-los como estratégias de vendas. Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 2 – Função do Mercado 14
  8. 8. Módulo 3 – Tipos de Preço de Venda Considerando que os preços são formados com base no mercado e no custo total, também precisamos incluir nossa Margem de Lucro. Por isso, é importante utilizar, de acordo com o ramo de atuação da empresa, estratégias de vendas adequadas à realidade do mercado. Certamente, você já ouviu falar sobre descontos e outras práticas de formação de preços, como ferramentas de marketing, com o objetivo de atrair clientes. Mas, além dessas técnicas, existem vários tipos de formação de preços que auxiliam na busca do maior volume de vendas, como os seguintes: Preços Distintos Um mesmo produto possui diferentes preços que são aplicados a diferentes compradores. Podem ser aplicados nos seguintes casos: a) Desconto em um Segundo Mercado: é a venda de um produto a um preço em um mercado-alvo principal e com preço reduzido em outro mercado (talvez em um bairro). Normalmente acontece em um bairro com preço alto e em outro com preço baixo para atrair clientes dessa determinada região. b) Desnatação: envolve a fxação de um preço mais elevado no início de vida do produto. O preço é reduzido à medida que o tempo passa. Isso acontece quando o produto é inovador e os consumidores estão em dúvida quanto ao seu real valor. Exemplo: produtos tecnológicos, como computador e outros, são caros quando são lançamentos; depois, reduzem de preços. c) Cotar por Baixo o Preço da Competição: são preços abaixo dos praticados pelos concorrentes. O objetivo é ter lucro com um volume elevado de vendas. d) Líderes de Preços e Seguidores: são empresas que possuem grandes fatias de mercado e grande capacidade de produção e que determinam o nível de preço. As outras empresas mais fracas no mesmo ramo de atuação acabam seguindo e copiando seus preços. e) Preço de Penetração: a empresa determina um preço baixo com a intenção de introduzir o produto no mercado e conseguir grande participação. Fixação de Preços por Linhas de Produtos Objetiva maximizar os lucros para o total dos produtos da linha, e não propriamente obter o maior lucro possível para um determinado item de uma linha de produtos. a) Preço Cativo: nesta estratégia, é fxado o preço por baixo em um produto básico, como um aparelho de barbear; mas o lucro dos produtos necessários para o 1515
  9. 9. Curso Formação do Preço de Venda funcionamento do aparelho, como lâminas de barbear, compensam a falta de lucro no produto básico (assim, as lâminas são mais caras). b) Preço Isca e Preço Líder: é um método para atrair clientes de produtos baratos com a intenção de vender os produtos mais caros. São disponibilizados os produtos mais baratos, mas são utilizadas técnicas de vendas para vender os mais caros. c) Preço Pacote: o preço de um conjunto de produtos é menor que o total de cada preço, se vendido individualmente, como a venda de quatro unidades pelo preço de três. Por exemplo, leve 3 e pague 2. Estratégias de Preços: Imagem Psicológica a) Preço Referência: um preço moderado é colocado para uma versão do produto que será apresentado próximo ao de um modelo de alto preço da mesma marca ou próximo ao de uma marca competitiva. b) Preços Permanentes versus Preços Ocasionais: preços ocasionais se tornam permanentes ou tradicionais ($ 4,98 em vez de $ 5,00). A lógica em que acreditamos é que o consumidor percebe um preço de $ 1,95 como sendo signifcativamente menor que o de $ 2,00. c) Preço Prestígio: um alto preço é percebido como sinônimo de alta qualidade, como um veículo da marca Ferrari. Sua demanda é em função do alto preço e de seu status. Caro(a) participante! Vimos a importância de compreender quais são os tipos de preços mais apropriados ao nosso negócio, levando em consideração que precisamos estar em constante mudança, pois um tipo de preço pode dar excelente resultado durante um período, sendo necessário estabelecer outra estratégia num período seguinte. Vamos praticar um pouco e verifcar se você aprendeu os conceitos trabalhados até agora: 1. A loja do Sr. Eduardo Silvarejo coloca preços mais altos nos produtos no início das coleções (verão e inverno, por exemplo), e, próximo ao fnal dessas temporadas, os preços são reduzidos. Essa estratégia é conhecida como __ ______________________________________________________________ 2. A principal loja da cidade comercializa um determinado produto por um preço. A sua loja, como não é tão conhecida e tem uma participação de mercado menor, fxa o preço do produto em 15% abaixo da principal loja. Essa estratégia é conhecida como_______________________________________________ Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 3 – Tipos de Preço de Venda 16
  10. 10. 3. Na fxação de preço de um determinado produto, você chega ao preço fnal de R$ 5,00, porém coloca o preço ao consumidor por R$ 4,99, com a intenção de que o consumidor considere essa diferença signifcativa. Essa estratégia é conhecida como_________________________________________________ LEMBRE-SE: Nossos tutores estão prontos para auxiliá-lo(a). Entre em contato e amplie os seus conhecimentos, dividindo suas dúvidas e aprendizado com eles. . Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, liste vários produtos que tenham 9 no fnal do preço. Ex: R$ 3.999,00 ou R$ 799,00. Em seguida, mostre aos seus amigos e refita sobre a reação dessas pessoas: é de que esse preço seja ligeiramente menor que R$ 4.000,00 ou R$ 800,00? Pergunte se elas comprariam pelo 1º preço ou pelo 2º preço acima mencionado. Ao encerrar esse Módulo, podemos avaliar que os diversos tipos de preços são estratégias importantes na busca pela preferência do consumidor. O nosso amigo Eduardo Silvarejo precisa fazer uma avaliação dos tipos de preços que pratica e em que ocasiões os pratica para obter resultados positivos. Já aprendemos sobre a importância do mercado como um fator determinante na formação do preço. Então, devemos estar atentos(as) para utilizar o preço como estratégia de venda com sucesso de acordo com o mercado. No próximo Módulo – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda – estudaremos outro fator determinante que são os gastos necessários para manter um estabelecimento comercial. Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 3 – Tipos de Preço de Venda 1717
  11. 11. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 4 – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda A obtenção e a compreensão de informações relacionadas aos gastos totais de sua empresa são muito importantes para o sucesso do seu negócio. Se os gastos forem maiores do que o preço determinado para a venda, o prejuízo é certo. Todos os gastos precisam ser considerados, desde a compra da mercadoria do fornecedor para a venda até esta chegar ao cliente. A Contabilidade de Custos faz uma diferença entre custo, despesas e gastos. Leia com atenção o quadro a seguir: Custo: é todo gasto de material, mão-de-obra, serviço e consumo que, de forma direta ou indireta, acompanha o produto. Exemplos: mercadoria para venda, sacolas e embalagens para presentes, seguro do estoque de mercadorias. Despesa: é o gasto acessório ao produto ou serviço que não o integra diretamente, ou seja, não é diretamente ligado ao produto, mas é necessário para a manutenção da empresa. Exemplo: publicidade, despesas com contabilidade, impostos sobre vendas, comissões sobre vendas. Gasto: é o termo genérico usado para expressar tanto custo como despesas. No quadro a seguir, podemos visualizar exemplos de custos e de despesas em uma empresa do ramo comercial varejista. 18 CUSTOS Produto comprado para revenda DESPESAS Propaganda Frete sobre a compra de produtos Aluguel, água, luz, telefone e internet Comissões sobre vendas Salários Seguro do estoque de produtos Embalagens Honorários da contabilidade Manutenção do sistema informatizado de vendas Retirada dos sócios
  12. 12. Classifcação de Custos e de Despesas Os custos e as despesas são classifcados da seguinte forma: Custos e Despesas Variáveis: são aqueles que podem aumentar ou diminuir conforme o volume de venda. Quando as vendas aumentam, os Custos e as Despesas Variáveis aumentam nas mesmas proporções e vice-versa. Custos e Despesas Fixos: são aqueles que não variam conforme o volume de vendas. São gastos necessários para o funcionamento administrativo e operacional da empresa. No quadro a seguir, podemos observar exemplos de Custos e Despesas Fixos e de Custos e Despesas Variáveis. Frete sobre compras Custo Variável Depende do volume de vendas * No caso de televendas, será variável. Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 4 – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda 1919 GASTO Energia elétrica da loja FIXO/VARIÁVEL Despesa Fixa POR QUÊ Não importa o volume de vendas no mês: o consumo será o mesmo. Telefone * Água Comissão sobre vendas Despesa Fixa Não importa o volume de vendas. Não importa o volume de vendas.Despesa Fixa Despesa Variável Depende do volume de vendas: quanto mais vendas, maior a comissão. Frete sobre vendas de produtos Despesa Variável Depende do volume de vendas. Depende do volume de vendas. Não importa o volume de vendas. Não importa o volume de vendas. Não importa o volume de vendas. Depende do volume de vendas. Produto para revenda Salários dos vendedores Aluguel da loja Propaganda Embalagem Custo Variável Despesa Fixa Despesa Fixa Despesa Fixa Custo Variável
  13. 13. 20 Curso Formação do Preço de Venda SÃO AQUELAS QUE MUDAM CONFORME O NÍVEL DE ATIVIDADE DA EMPRESA. EXEMPLO: COMISSÕES DE VENDAS. NÃO VARIAM CONFORME A VENDA E NÃO ESTÃO LIGADOS DIRETAMENTE AO PRODUTO. EXEMPLO: SALÁRIO DO ENCARREGADO FINANCEIRO. SÃO GASTOS QUE VARIAM CONFORME O VOLUME DE VENDA. EXEMPLOS: SACOLAS, EMBALAGENS PARA PRESENTES E AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS PARA VENDA. SÃO GASTOS QUE NÃO VARIAM CONFORME A VENDA E ESTÃO LIGADOS DIRETAMENTE AO PRODUTO. OBTENDO LUCRO OU PREJUÍZO, A EMPRESA TERÁ QUE MANTER, COMO,POR EXEMPLO, SEGURO DE ESTOQUE DE PRODUTOS. GASTOS CUSTOS DESPESAS VARIÁVEISFIXOS FIXAS No diagrama a seguir, é possível visualizar como são separados os gastos de uma empresa. VARIÁVEIS O nosso amigo Eduardo Silvarejo percebia que as explicações sobre os gastos da empresa faziam sentido, pois vivenciava tudo isso no dia-a-dia do gerenciamento da sua loja. Por exemplo, gasto mensal com aluguel: vendendo muito ou pouco, o valor é fxo. Entretanto, o valor a pagar aos fornecedores varia conforme o montante referente às compras que o Sr. Silvarejo efetua e que tem por base o volume de vendas da loja. Em períodos de baixa venda, as compras diminuem e, consequentemente, diminuem os fornecedores a pagar, mas o aluguel é preciso pagar de qualquer jeito. Veja exemplos dessa situação: 1- Você está verifcando alguns valores referentes ao aluguel de loja e sabe que esses valores são fxos e que precisam ser pagos mensalmente durante a vigência de 12 meses (geralmente os contratos são de 1 ano). Você logo percebe que esse aluguel é uma despesa fxa? Conteúdo – Introdução à Formação de Preço de Venda Módulo 4 – Conhecendo e Classifcando os Gastos para a Formação de Preço de Venda
  14. 14. 2- Assim, encerramos o Primeiro Conteúdo do curso Formação de Preço de Venda. Caso você tenha respondido que sim, está correto(a), pois essa despesa fxa deverá ser paga independente de você vender produtos ou não. Você está elaborando uma lista de produtos para serem adquiridos de fornecedores conforme compras anteriores. Você percebe que, devido a situações, como sazonalidade, moda, entre outras, alguns produtos não serão vendidos. É necessário comprar do fornecedor o mesmo volume de estoque que você comprou antes? Caso você tenha respondido que não, está correto(a), pois o volume de vendas na empresa é que determinará o volume de compras. Portanto, as compras dos fornecedores que formam os estoques são consideradas Custos Variáveis. LEMBRE-SE: Tire maior proveito desse exercício. Entre em contato com nossos tutores. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma lista de todos os possíveis tipos de gastos (sem valores) que você possa ter em uma loja. Separe essa lista em Custos e Despesas e, em seguida, separe em Fixos ou Variáveis. Não se esqueça de que o gasto fxo ocorre mesmo sem vender e que o gasto variável ocorre apenas quando houver venda! Inicialmente, compreendemos a importância desse assunto, principalmente, para um comércio varejista. Vimos que não basta fxar preços, mas que é preciso conhecer, analisar e acompanhar constantemente o mercado, além de identifcar os diversos tipos de preços existentes e quais situações é possível utilizar para aumentar nossas vendas. Nesse último Módulo, estudamos outro fator importante que é o controle e a classifcação dos gastos. Também aprendemos a identifcar Custos e Despesas Fixos e Custos e Despesas Variáveis. Como já sabemos identifcá-los, podemos, então, passar para o próximo Conteúdo, no qual conheceremos Custos e Despesas Fixos de forma mais detalhada. Antes, porém, você realizará uma avaliação sobre o que estudamos no Primeiro Conteúdo. Avaliação do Conteúdo VAMOS PRATICAR? 2121
  15. 15. Curso Formação do Preço de Venda Questão 1 Observar o comportamento do mercado e avaliar nossa concorrência, público consumidor, preços dos nossos fornecedores e, até, as mudanças na política econômica, é necessário devido à: ( A ) Importância do papel do dono da empresa. ( B ) Importância do governo na participação dos impostos pagos. ( C ) Importância de saber separar o que são custos e despesas. ( D ) Importância do Preço de Venda. ( E ) Importância do papel do cliente na empresa. Questão 2 Vários estudiosos do mercado defendem que a fxação do preço de um produto deve considerar dois fatores: ( A ) O valor das despesas administrativas e o mercado. ( B ) O valor das despesas com vendas e o mercado. ( C ) O valor do custo e o mercado. ( D ) O valor do mercado e o valor do cliente. ( E ) O valor do produto com descontos progressivos. Questão 3 Envolve a fxação de um preço mais elevado no início de vida do produto. O preço é reduzido à medida que o tempo passa. Estamos falando do: ( A ) Preço Cativo. ( B ) Preço de Desnatação. ( C ) Preço Isca. ( D ) Preço Líder. ( E ) Preço Prestígio. Questão 4 Custos e Despesas Variáveis: ( A ) São aqueles que podem aumentar ou diminuir conforme o volume de venda. ( B ) São aqueles que podem apenas diminuir conforme o volume de venda. ( C ) São aqueles que podem apenas aumentar conforme o volume de venda. ( D ) São aqueles que não aumentam nem diminuem conforme o volume de venda. ( E ) São aqueles que sempre permanecem iguais no transcorrer do período. Questão 5 O aluguel da loja é uma despesa: ( A ) Variável. ( B ) Pode ser fxa e variável ao mesmo tempo. ( C ) Depende do volume de vendas da empresa, pois se a empresa não vende, não paga aluguel da sala da loja. ( D ) Não é despesa. É custo, pois é calculado diretamente ao produto na formação do preço. ( E ) Fixa. GABARITO NAS PÁGINAS 82 E 8322
  16. 16. IIntrodução ao Conteúdo– Despesas Fixos O Segundo Conteúdo do curso Formação de Preço de Venda que estudaremos é Conhecendo Custos e Despesas Fixos. Aprenderemos sobre os gastos que independem do volume de vendas ou do faturamento produzido para existirem em uma empresa. Isso signifca que toda empresa comercial, mesmo sem nada vender durante um determinado período, possui Custos e Despesas Fixos que precisam ser pagos para o comércio se manter. Estudamos, no Primeiro Conteúdo, que a palavra gasto abrange todos os custos e despesas de uma empresa. Agora, identifcaremos os Custos e Despesas Fixos existentes em um comércio. Neste Conteúdo, serão criadas condições para que você desenvolva competências para: • Conhecer a classifcação de Custos e Despesas Fixos. • Classifcar Custos e Despesas Fixos. • Aprender a coletar e a registrar Custos e Despesas Fixos. • Elaborar o Demonstrativo de Custos e Despesas Fixos. O nosso amigo Eduardo Silvarejo, muito interessado nesses assuntos e muito atento, já começou a implementar algumas melhorias em sua loja. Porém, é preciso identifcar e apurar quais são os Custos e Despesas Fixos do seu comércio para fazermos um Demonstrativo. No Quarto Conteúdo, calcularemos o Preço de Venda e precisaremos das informações classifcadas e apuradas nesse Demonstrativo. Para facilitar a compreensão e a aprendizagem, este Conteúdo foi dividido nos seguintes Módulos: CONTEÚDO 2 – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Introdução ao Conteúdo Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios Módulo 2 – Classifcação das Despesas Fixas Módulo 3 – Regime de Competência e Depreciação Módulo 4 – Cálculo da Depreciação Módulo 5 – Demonstrativo de Custos/Despesas Fixos Avaliação do Conteúdo Vamos continuar? Conhecendo Custos e 2323 Olá!
  17. 17. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios A maioria das empresas possui funcionários que assumem determinadas tarefas e, como pagamento pelos seus serviços, recebem um Salário. Mas, além do Salário, uma empresa tem outros gastos com funcionários, como Encargos, Provisões e Benefícios, que devem ser levados em conta ao analisar o custo de cada trabalhador. O nosso amigo Eduardo Silvarejo tem uma loja de roupas e sapatos há mais de 10 anos, no bairro Verde, da cidade de Vilatândia, que atende à comunidade local. Possui 5 funcionários: João Vítor, auxiliar administrativo; Mariana, Cristina e Sílvia, vendedoras; e Janete, operadora de caixa, além de Eduardo Silvarejo, como sócio- gerente. O quadro a seguir demonstra os Salários de cada funcionário da loja. NOME FUNÇÃO SALÁRIO R$ 750,00 660,00 660,00 660,00 700,00 Salário é a remuneração básica paga aos funcionários pelo trabalho realizado num determinado período. O mesmo se aplica em relação ao Pró-Labore dos proprietários que trabalham na empresa. Se o sócio não trabalha na empresa, não tem Pró-Labore: só participa da distribuição dos lucros. NOME Eduardo Silvarejo FUNÇÃO Proprietário PRÓ-LABORE R$ 1.500,00 Agora que temos os Salários e o Pró-Labore, podemos identifcar e apurar os Encargos Sociais e as Provisões. Os Encargos Sociais são as despesas incidentes sobre os Salários dos funcionários, que são de responsabilidade da empresa, como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), o Seguro Contra Acidentes de Trabalhos e outras despesas. As Provisões são valores que devem ser calculados, mês a mês, apesar de seu pagamento ocorrer no futuro. A vantagem desse procedimento é que, ao chegar a data do pagamento, a empresa utilizará esses recursos, não havendo necessidade de tirar do caixa ou contrair empréstimos. Como exemplo, podemos citar as Provisões do 13º Salário e das férias. No caso do 13º Salário, deve ser pago em duas parcelas; a última, em dezembro. O seu cálculo é a divisão do Salário por 12 mais os Encargos Sociais Diretos. O 24 João Vítor Mariana Cristina Sílvia Auxiliar Administrativo Vendedora Vendedora Vendedora Janete Operadora de Caixa
  18. 18. adicional das férias equivale a um terço do valor do Salário mais os Encargos Sociais Diretos. Também são tipos de Provisão a dispensa de pessoal sem justa causa, as indenizações trabalhistas, que se destinam a cobrir o pagamento de aviso prévio não-trabalhado e multas sobre o saldo do fundo de garantia do funcionário. Cada empresa determina o seu valor dependendo do histórico de demissões. Podem ser efetuadas, ainda, outras Provisões para que a empresa possa, em tempo futuro, utilizar os recursos sem comprometer o seu caixa, como premiações a funcionários. Mas isso fca a critério de cada empresa. As Provisões signifcam que, além do Salário mensal, certas verbas são provisionadas e pagas somente em datas específcas, em função de regulamentação legal ou de convenção coletiva de trabalho, como férias e 13º Salário. É importante observar que o custo de um funcionário depende da forma de tributação da empresa, ou seja, se a empresa é Normal ou optante pelo Simples Nacional. Veja, então, quanto custa um funcionário para a empresa Normal: ENCARGOS SOCIAIS INCIDENTES PARA EMPRESAS COM REGIME DE TRIBUTAÇÃO NORMAL 100% + 33,33%=133,33% 133,33% / 12= 11,11% 11,11% X 35,8% = 3,98% 11,11% + 3,98% = 15,09% 13º SALÁRIO 100% / 12 =8,33% 8,33% X 35,8% = 2,98% 8,33% + 2,98% = 11,31% Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios 2525 ENCARGOS DIRETOS 35,8% INSS 20,0% SESI 1,5% SENAI 1,0% INCRA 0,2% SALÁRIO-EDUCAÇÃO 2,5% SEBRAE 0,6% FGTS 8,0% SEGURO ACIDENTE TRABALHO 2,0% PROVISÕES 26,40% FÉRIAS + 1/3 + ENCARGOS 15,08% 13º SALÁRIO + ENCARGOS 11,32% INDENIZAÇÕES 5,00% TOTAL DOS ENCARGOS 67,20% FÉRIAS
  19. 19. 1.005,00 1.254,00 Curso Formação do Preço de Venda Signifca que o funcionário de uma empresa Normal custa 67,20 % a mais do seu Salário, conforme exemplo a seguir. NOME João Vítor FUNÇÃO Auxiliar Administrativo SALÁRIO R$ 750,00 ENCARGOS 67,20% TOTAL 504,00 Veja, agora, quanto custa um funcionário para a empresa optante pelo Simples Nacional: ENCARGOS SOCIAIS INCIDENTES PARA EMPRESAS COM REGIME DE TRIBUTAÇÃO SIMPLES NACIONAL Férias 100% + 33,33% (adicional) = 133,33% 133,33% : 12 = 11,11% 11,11% x 8,00% (enc. diretos) = 12,00% 13º salário 100% : 12 = 8,33% 8,33% x 8,00% (enc. diretos) = 9,00% Signifca que o funcionário de uma empresa optante pelo Simples tem um custo menor para a empresa. Você se lembra que na empresa Normal o aumento sobre o salário era de 67,20% e na empresa optante pelo simples é de 34%, como podemos ver no exemplo a seguir: NOME João Vítor FUNÇÃO Auxiliar Administrativo SALÁRIO R$ 750,00 ENCARGOS 34,00% TOTAL 255,00 E como fcam os Benefícios? A empresa pode oferecer diversos Benefícios em função da natureza do trabalho desempenhado pelos seus funcionários, das políticas de estímulo ou de negociações trabalhistas. Porém, alguns Benefícios são obrigações legais que as empresas precisam cumprir, como o vale-transporte que a empresa deve fornecer, podendo descontar do funcionário até 6% do valor total do seu Salário. O vale-refeição, quando a empresa não possui refeitório, é outro Benefício que, geralmente, é estabelecido em função de um acordo salarial. Os proprietários de estabelecimentos comerciais devem pesquisar nas entidades de classe quais são os Benefícios obrigatórios a serem concedidos aos seus funcionários. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios 26 TributaçãoSimples-empregadosmensalistas Encargos diretos FGTS Provisões 8,00% 8,00% 21,00% Férias + 1/3 + encargos 12,00% 13º salário + encargos 9,00% Indenizações Total de encargos 5,00% 34,00%
  20. 20. Veja, a seguir, as Despesas Fixas com pessoal referente à loja de Eduardo Silvarejo, considerando que sua empresa é optante pelo Simples Nacional: As despesas com pessoal devem ser acompanhadas mensalmente, pois é um dos itens mais importantes no conjunto de gastos de uma empresa. Devem ser observadas as determinações legais estabelecidas na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Veja um exemplo dessa situação: Você está contratando um funcionário para a sua loja e combina o Salário do funcionário em um valor fxo de R$ 700,00 por mês. Você sabe que o Salário do funcionário contratado não será apenas este? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois, além desse Salário, existem os demais acréscimos que você deverá provisionar, como INSS, FGTS, 13º Salário, férias e adicional de 1/3 sobre férias. LEMBRE-SE: Tire maior proveito desse exercício. Entre em contato com nossos tutores. Exercício de socialização Caro(a) participante! Considerando que, além do Salário, a sua loja deverá honrar outros compromissos adicionais com seu funcionário, pesquise qual o regime de tributação da empresa, relacione o nome e o Salário de cada funcionário e calcule o custo, conforme exemplo a seguir, para que a loja mantenha esse funcionário. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios 2727 • Despesa com Pessoal Salários Valor (R$) 3.430,00 Encargos Sociais e Provisões obre Salários (34%) 1.166,20 150,00 1.500,00 165,00 6.411,20 Benefícios Pró-Labore Encargos Sociais (Pró-Labore) (11%) Total de Despesa com Pessoal
  21. 21. João Vítor Auxiliar Administrativo 750,00 255,00 Mariana Vendedora 660,00 224,40 Cristina Vendedora 660,00 224,40 Sílvia Vendedora 660,00 224,40 Janete Operadora de Caixa 700,00 238,00 Curso Formação do Preço de Venda FUNÇÃO SALÁRIO R$ ENCARGOS SOCIAIS (34%) SALÁRIO R$ 1.005,00 1.166,20 4.596,20 Chegamos ao fnal desse Módulo e podemos perceber que cada etapa estudada faz parte de um processo que envolve análise e apuração de informações necessárias para, posteriormente, fazer o cálculo de preço efetivamente. Os gastos com Salários, Encargos Sociais, Provisões e Benefícios devem ser acompanhados mensalmente com muita atenção, pois formam um conjunto de gastos que provocam um grande impacto nos Custos e Despesas Fixos de uma empresa. Por isto, veremos a Classifcação das Despesas Fixas no próximo Módulo. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 1 – Salários, Provisões, Encargos e Benefícios 28 NOME TOTAL 884,40 884,40 884,40 938,00
  22. 22. Módulo 2 - Classifcação das Despesas Fixas Já estudamos, no Quarto Módulo do Primeiro Conteúdo, que Custos e Despesas Fixos são aqueles que não variam conforme o volume de vendas, sendo necessários ao funcionamento administrativo e operacional da empresa. Neste Módulo, faremos o registro e a classifcação das despesas fxas. Iniciaremos pela separação dos gastos para organizar os registros. O nosso amigo Eduardo Silvarejo precisa de ajuda para separar as despesas da loja por grupos de gastos. Esses grupos de gastos, que aqui chamaremos Grupos de Despesas, facilitarão a identifcação do que realmente a loja está gastando para se manter em pleno funcionamento. Primeiramente, analisaremos os gastos do quadro Despesas com Ocupação. Neste quadro, devemos colocar as despesas com a manutenção do seu ponto ou sala comercial. Despesas com Ocupação Aluguel do Imóvel Energia Elétrica Água e Esgotos Condomínio Subtotal Valor (R$) 1.500,00 380,00 150,00 0,00 2.030,00 Agora, identifcaremos os gastos de Despesas com Locomoção. Colocaremos as despesas com transporte ou entrega dos produtos da sua loja aos seus clientes. Despesas com Ocupação Combustíveis/Lubrifcantes Subtotal Valor (R$) 500,00 500,00 No quadro a seguir, Despesas com Comunicação, são lançadas as despesas referentes a todo tipo de comunicação realizada com o mercado ou com os clientes em nome da loja. Afnal, é necessário estar “antenado(a)”. Despesas com Ocupação Telefone nº xx 3398 4355 Telefone nº xx 3398 4456 Provedor Internet Correios Subtotal Valor (R$) 230,00 290,00 20,00 50,00 590,00 Você já deve ter ouvido falar que a propaganda é a “alma do negócio”. Como sugestão, é importante separar as Despesas com Propaganda. Assim, você saberá “direitinho” se está valendo a pena ou não o tipo de propaganda que está promovendo. 2929
  23. 23.  Despesas com Comunicação  Despesas com Propaganda Curso Formação do Preço de Venda Despesas com Propaganda Tablóide de Ofertas Anúncios em Jornais Subtotal Valor (R$) 150,00 100,00 250,00 Por fnal, identifcaremos outro grupo de contas chamado Despesas Gerais. Com certeza, existem pequenas contas que Eduardo Silvarejo paga em sua loja e que também precisam ser colocadas na lista. Despesas Gerais Material de Limpeza Tarifas Bancárias Escritório de Contabilidade Material de Escritório Fotocópias Manutenção em Geral IPTU Subtotal Valor (R$) 120,00 50,00 550,00 200,00 150,00 100,00 130,00 1.300,00 Com base nos quadros apresentados, podemos fazer um resumo de todas as despesas. Vamos ajudar o Sr. Silvarejo a montar este resumo?  Despesas com Ocupação R$ 2.030,00  Despesas com Locomoção R$ 500,00 R$ 590,00 R$ 250,00  Despesas Gerais R$ 1.300,00 TOTAL R$ 4.670,00 Com essa organização de informações, podemos observar que a loja do nosso amigo Silvarejo possui um gasto mensal com Despesas Fixas no valor de R$ 4.670,00. Além da apuração dos valores, a organização das despesas e a sua discriminação, conforme os quadros apresentados, permitem analisar em que área está sendo gasto mais ou menos. Veja exemplos dessa situação: 1. Você está separando todas as contas da sua loja e observa que existem várias contas de pequenos valores. Então, em primeiro lugar, você precisa separar as contas por tipo? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois ao separar todas as contas, como no exemplo de Eduardo Silvarejo, será mais fácil manter o controle sobre esses tipos de gastos. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 2 - Classifcação das Despesas Fixas 30
  24. 24. Conteúdo– 2. Ao separar todas as contas da sua loja, você poderá analisar se existem contas que estão “valendo a pena ou não”. Assim, perceberá que existem despesas que não serão mais necessárias. Poderá, então, eliminá-las e continuar com as principais? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois, ao separar todas as contas (despesas), poderá eliminar aquelas que não são mais interessantes para a sua loja. LEMBRE-SE: Há uma equipe de tutores disponível para ajudá-lo(a) também nesse momento. Não deixe de contatá-los. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, prepare uma lista com todos os grupos de despesas que podem ocorrer em uma loja. Ao preparar esses grupos, você poderá listar todas as despesas e ter maior controle de seu comércio. O nosso amigo Eduardo Silvarejo fcou empolgado com as explicações sobre a classifcação das despesas fxas e está querendo organizar e aprender todos os assuntos que envolvem a formação de preço dos produtos da sua loja. Está, cada vez mais, compreendendo a necessidade de se capacitar sobre esse assunto para melhorar o seu negócio. Para ajudar Silvarejo, veremos, no próximo Módulo, Regime de Competência e Depreciação. Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 2 - Classifcação das Despesas Fixas 3131
  25. 25. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 3 – Regime de Competência e Depreciação O Regime de Caixa são as despesas consideradas na data do pagamento. O Regime de Competência são as despesas rateadas em função do período em questão. É usado o Regime de Competência na formação de preços para colocar os valores desse tipo de gasto. Vejamos um exemplo de Gasto Fixo (ou Despesa Fixa), considerado conforme o Regime de Caixa e o Regime de Competência: O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) – R$ 1.500,00 Regime de Caixa À vista: R$ 1.500,00 Parcelado: 10 X 150,00 = R$ 1.500,00 Aqui, percebemos um valor que será colocado como despesa durante 10 meses em R$ 150,00 por mês. Regime de Competência Período de 12 meses R$ 1.500,00 / 12 = R$ 125,00 Aqui, percebemos um valor que será colocado como despesa durante 12 meses em R$ 125,00 por mês. Depreciação A Depreciação é o cálculo de desgaste ou desvalorização dos bens imobilizados de uma empresa, como móveis, máquinas, equipamentos, instalações, veículos, entre outros. O cálculo da Depreciação pode ser efetuado de duas maneiras: fscal e gerencial. O Cálculo Fiscal é a base para a contabilidade fscal, sendo que os índices utilizados são previamente estabelecidos pelo governo. O governo estabelece o prazo de Depreciação (vida útil dos bens) da seguinte forma:  Prédios: 25 anos ou 4% ao ano.  Máquinas e equipamentos: 10 anos ou 10% ao ano.  Móveis e utensílios: 10 anos ou 10% ao ano.  Veículos de uso da empresa: 5 anos ou 20% ao ano. No Cálculo Gerencial, é utilizada como base a vida útil prevista para os bens, 32
  26. 26. descontando o valor residual. Veja exemplos dessa situação: 1. Você está pensando em comprar uma gôndola para a sua loja. Essa gôndola é classifcada em Móveis e Utensílios? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois uma gôndola é um bem móvel. O valor da Depreciação Fiscal será reconhecido como Despesa Fixa durante 10 anos. 2. Você está pensando em comprar um veículo para a sua loja. Este bem é classifcado em Veículos? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois o veículo passará a ser de propriedade da loja, e o valor da Depreciação Fiscal será reconhecido como Despesa Fixa durante 5 anos. LEMBRE-SE: Existe uma série de possibilidades de ampliar os seus conhecimentos e aproveitar melhor os Conteúdos. Não deixe de socializar o seu aprendizado também com a tutoria do curso. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, prepare uma lista com todos os possíveis tipos de despesas que devem ser reconhecidos pelo seu gasto durante 1 ano (12 meses). Serve como exemplo o seguro da loja e a assinatura de jornais ou revistas, que valem para 12 meses. Mãos à obra! Estamos no fnal do Terceiro Módulo no qual aprendemos sobre Regime de Competência e Depreciação. Viu? Não foi tão difícil! Para o nosso amigo Silvarejo, isso tudo sempre pareceu um “bicho-de-sete-cabeças”, difícil e desnecessário de compreender. Mas, o estamos ajudando a perceber que é o contrário. Se prestarmos atenção, todos esses assuntos abordados até aqui se tornam de fácil compreensão e são extremamente necessários para o sucesso do nosso negócio. Entretanto, ainda há outros assuntos importantes a serem conhecidos, como o Cálculo da Depreciação, que veremos no próximo Módulo. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 3 – Regime de Competência e Depreciação 3333
  27. 27. Balcão R$ 7.000,00 120 meses Prateleiras 2.000,00 120 meses Gôndolas 4.800,00 120 meses Impressora Cupom 900,00 120 meses Curso Formação de Preço de Venda Módulo 4 – Cálculo da Depreciação O nosso amigo Eduardo Silvarejo listou todos os bens da sua loja. Agora, vamos ajudá-lo a apurar o valor da depreciação, como segue. Tipos de bens: • 1 balcão, no valor de R$ 7.000,00, com prazo de Depreciação de 10 anos (120 meses), 5 prateleiras, no valor de R$ 400,00 cada uma, perfazendo um total de R$ 2.000,00, com prazo de Depreciação de 10 anos (120 meses), 6 gôndolas, no valor de R$ 800,00 cada uma, perfazendo um total de R$ 4.800,00, com prazo de Depreciação de 10 anos (120 meses) e 1 impressora de cupom fscal, no valor de R$ 900,00, com prazo de Depreciação de 10 anos (120 meses). Para lançar o valor provisionado na manutenção, faça a média do que gastou nos últimos 12 meses. Com esse valor médio, provisione todos os meses. Cálculo da DEPRECIAÇÃO FISCAL desses bens Essa Depreciação será apresentada em valores mensais. Vamos montar uma tabela. VALOR DO BEM TEMPO DE USO VALOR DA DEPRECIAÇÃO R$ Observe que o valor do bem é dividido pelo número de meses referente ao seu tempo de uso. O resultado é o valor da Depreciação mensal. Você viu como é fácil realizar o Cálculo da Depreciação? Vamos, agora, praticar um pouco calculando o valor mensal de depreciação para uma empresa que possui os seguintes bens: BENS Estantes e Prateleiras Expositores Veículo para Entrega Impressora Computadores VALOR DO BEM R$ 13.200,00 6.000,00 26.400,00 2.700,00 4.500,00 34 • • • BENS TOTAL 58,33 16,67 40,00 7,50 122,50
  28. 28. Preencha a coluna com o valor correspondente da Depreciação: VALOR DA DEPRECIAÇÃO R$ Veja se você acertou! LEMBRE-SE: Socialize seus conhecimentos também com os tutores do curso. Eles estão sempre prontos para auxiliá-lo(a). Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, prepare uma lista com todos os bens que uma loja pode ter. Separe esses bens por tempo de vida útil e identifque os possíveis valores que você terá de Depreciação todos os meses. O nosso amigo Eduardo Silvarejo, atento a todos os assuntos estudados até aqui, fez a lista de todos os bens de sua loja. Só que, agora, ele precisa realizar o Demonstrativo de Custos/Despesas Fixos desses bens. Vamos ajudá-lo? Como? Estudando esse assunto no próximo Módulo... Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 4 – Cálculo da Depreciação 35 BENS Estantes e Prateleiras VALOR DO BEM 13.200,00 TEMPO DE USO 120 meses Expositores 6.000,00 120 meses Veículo para Entrega 26.400,00 60 meses Impressora 2.700,00 120 meses Computadores 4.500,00 120 meses TOTAL BENS Estantes e Prateleiras VALOR DO BEM 13.200,00 TEMPO DE USO 120 meses VALOR DA DEPRECIAÇÃO R$ 110,00 Expositores 6.000,00 120 meses 50,00 440,00 22,50 37,50 Veículo para Entrega 26.400,00 60 meses Impressora 2.700,00 120 meses Computadores 4.500,00 120 meses TOTAL 660,00
  29. 29. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 5 – Demonstrativo de Custos/Despesas Fixos Enfm, terminamos de apurar todos os dados, conforme os Módulos anteriores. Agora que temos todas as informações em mãos, preencheremos e apuraremos o Demonstrativo de Custos e Despesas Fixos da loja do Sr. Eduardo Silvarejo. Demonstrativo de Custos e Despesas Fixos do Mês 2.2- Energia Elétrica 2.3- Água e Esgotos 2.4- Condomínio Subtotal – Ocupação 380,00 150,00 0,00 2.030,00 3 – Comunicação 3.1- Telefone nº xx 3398 4355 3.2- Telefone nº xx 3398 4456 3.3- Provedor Internet 3.4- Correios Subtotal – Comunicação 230,00 290,00 20,00 50,00 590,00 4 – Locomoção 4.1- Combustíveis/Lubrifcantes Subtotal - Locomoção/veículos 500,00 500,00 5 – Propaganda 5.1- Tabloide de Ofertas 5.2- Anúncios em Jornais Subtotal - Propaganda 150,00 100,00 250,00 36 Descrição dos Gastos Valor (R$) 1 – Despesas com Pessoal 1.005,00 884,40 884,40 884,40 938,00 150,00 1.665,00 6.411,20 1.500,00 1.1- João Vítor 1.2- Mariana 1.3- Cristina 1.4- Sílvia 1.5- Janete 1.6- Benefícios 1.7- Pró-Labore com Encargos Subtotal – Pessoal 2 – Ocupação 2.1- Aluguel do Imóvel
  30. 30. 6 – Despesas Fixas Gerais 6.8 - IPTU Subtotal - Despesas Gerais TOTAL DE DESPESAS FIXAS 120,00 50,00 550,00 200,00 150,00 100,00 122,50 130,00 1.422,50 11.203,70 Veja um exemplo dessa situação: • Você está elaborando uma planilha com todos os gastos da sua loja. Ao separar os gastos, terá todos os tipos identifcados por grupos. Para você, a afrmativa acima parece certa? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois, ao separar todos os gastos, poderá, inclusive, aproveitar e cortar aqueles que não sejam mais necessários para sua loja. LEMBRE-SE: Tire maior proveito desse exercício. Entre em contato com nossos tutores. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, liste e separe todos os gastos da sua loja. Tente imaginar todas as possíveis ocorrências e monte um Demonstrativo separado desses gastos. Talvez você tenha surpresas. Aproveite para refetir com eles se alguns tipos de gastos são realmente necessários. Finalizamos o Segundo Conteúdo que trata dos Custos e Despesas Fixos. Aprendemos a identifcar Custos e Despesas Fixos em um estabelecimento comercial, bem como a classifcar e apurar esses gastos. Para verifcar como foi seu aprendizado nesta etapa, você realizará uma avaliação sobre as principais questões do Conteúdo Conhecendo Custos e Despesas Fixos. Boa sorte e esperamos você no Conteúdo seguinte, no qual aprenderemos Conhecendo Custos e Despesas Variáveis. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Fixos Módulo 5 – Demonstrativo de Custos/Despesas Fixos 3737 6.1 - Material de Limpeza 6.2 - Tarifas Bancárias 6.3 - Escritório de Contabilidade 6.4 - Material de Escritório 6.5 - Embalagens 6.6 - Manutenção em Geral 6.7 - Depreciação
  31. 31. Questão 1 O que é Salário? ( A ) Curso Formação do Preço de Venda VAMOS PRATICAR? Salário é a remuneração básica paga ao sócio da empresa pelo trabalho realizado num determinado período. Salário é a remuneração básica paga ao governo pelo trabalho realizado num determinado período. Salário é a remuneração básica paga ao dono da escola pelo trabalho realizado num determinado período. Salário não é a remuneração básica paga aos funcionários pelo trabalho realizado num determinado período. Salário é a remuneração básica paga aos funcionários pelo trabalho realizado num determinado período. Questão 2 O aluguel da loja é uma: ( A ) Despesa com Locomoção. ( B ) Despesa com Ocupação. ( C ) Despesa com Comunicação. ( D ) Despesa Geral. ( E ) Despesa com Depreciação. Questão 3 É o cálculo de desgaste ou desvalorização dos bens imobilizados de uma empresa, como móveis, máquinas, equipamentos, instalações, veículos, entre outros. Estamos falando da despesa com: ( A ) Aluguel da loja. ( B ) Telefone da loja. ( C ) Tarifa bancária. ( D ) Depreciação. ( E ) Locomoção. Questão 4 Um balcão de uma loja foi adquirido pelo valor de R$ 12.000,00. Tem um tempo de vida útil de 120 meses. O valor da Depreciação mensal é de: ( A ) R$ 110,00. ( B ) R$ 100,00. ( C ) R$ 90,00. ( D ) R$ 120,00. ( E ) R$ 80,00. 38 ( B ) ( C ) ( D ) ( E )
  32. 32. Questão 5 Um conjunto de gôndolas de uma loja foi adquirido pelo valor de R$ 2.000,00. Tem um tempo de vida útil de 120 meses. O valor da Depreciação mensal é de: ( A ) R$ 16,67. ( B ) R$ 18,67. ( C ) R$ 28,67. ( D ) R$ 13,67. ( E ) R$ 12,67. GABARITO NAS PÁGINAS 82 E 83 3939
  33. 33. IIntrodução ao Conteúdo– Curso Formação do Preço de Venda Conhecendo Custos e Vimos sobre Custos e Despesas Fixos no Segundo Conteúdo. Mas existem outros gastos que envolvem uma empresa comercial. No Terceiro Conteúdo do curso Formação de Preço de Venda, estudaremos é Custos e Despesas Variáveis. Conheceremos e classifcaremos os custos e as despesas variáveis que são, conforme estudamos no Primeiro Conteúdo: gastos que dependem, proporcionalmente, do volume de vendas existentes em uma empresa. São gastos obtidos sobre a compra de mercadorias para a venda, os impostos e outros que demonstraremos no decorrer dos Módulos. Neste Conteúdo, serão criadas condições para que você desenvolva competências para: • Conhecer a classifcação de Custos e de Despesas Variáveis. • Classifcar Custos e Despesas Variáveis. • Aprender a coletar e a registrar Custos e Despesas Variáveis. • Elaborar o Demonstrativo de Custos e Despesas Variáveis. O Sr. Eduardo Silvarejo já percebeu que precisa muito desses conhecimentos, pois necessita implementar melhorias em sua loja e reconquistar espaços que perdeu no mercado nos últimos anos. Por isso, continua contando com a nossa ajuda. Para facilitar a compreensão e a aprendizagem, este Conteúdo foi dividido nos seguintes Módulos: CONTEÚDO 3 – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Introdução ao Conteúdo Módulo 1 – Custo da Mercadoria Vendida Módulo 2 – Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis Módulo 4 – Outros Custos e Despesas Variáveis Avaliação do Conteúdo Vamos continuar? Despesas Variáveis 40 Olá!
  34. 34. Total do gasto  Valor das camisas adquiridas  Módulo 1 – Custo da Mercadoria Vendida O Custo da Mercadoria Vendida consiste no cálculo dos custos e créditos que incidem sobre a nota fscal de compra de uma mercadoria. Para fazer esse cálculo, devemos analisar os seguintes campos da nota fscal de compra: valor unitário, frete, ICMS, IPI, enfm, todos os gastos ou créditos constantes na nota. Veja: quando compramos uma mercadoria, temos alguns custos e, em alguns casos, créditos que devemos observar para saber qual o custo efetivo da mercadoria que estamos comprando. Exemplo: imagine uma nota fscal com compras de mercadorias para a loja do nosso amigo Eduardo Silvarejo. Vamos analisar o custo de uma caixa de camisa. O que é o valor unitário? É o valor da mercadoria. No exemplo, o valor é de R$ 90,00. Frete  Precisamos verifcar que o valor do frete é o total sobre todos os produtos da nota. Devemos calcular a parcela do frete sobre a caixa de camisa. • Total de camisas compradas e discriminadas na nota fscal  150 camisas, sendo R$ 90,00 o valor de cada camisa = R$ 13.500,00. • Valor do frete  R$ 150,00 que deve ser rateado em 150 camisas; então, o valor do frete será de R$ 1,00 para cada camisa. • Valor total da camisa  R$ 90,00 (valor da compra) + R$ 1,00 (frete) = R$ 91,00. ICMS  Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços: devemos verifcar qual a legislação em vigor e o tipo de tributação em que sua empresa e/ou produto está inserido, porque você pode ter um crédito no ato da compra. Digamos que a alíquota do ICMS seja de 17%. Valor do frete das camisas adquiridas  R$ 13.500,00 R$ 150,00 Percentual do ICMS  Valor do ICMS  R$ 13.650,00 17% R$ 2.320,50 Existem produtos que estão inseridos no regime de substituição tributária. Tanto o ICMS da compra como da venda são cobrados na nota fscal do fornecedor, não havendo crédito ou compensação. Nesse caso, o valor do ICMS constante na nota deve ser somado ao custo da mercadoria ou produto. IPI  Imposto sobre Produtos Industrializados: na maioria das empresas comerciais, o IPI é calculado multiplicando o valor unitário da mercadoria pela alíquota correspondente. Digamos que a alíquota do IPI seja de 10%. Esse é um gasto que deve ser adicionado ao custo das mercadorias. 4141
  35. 35. Curso Formação do Preço de Venda Valor das camisas adquiridas  R$ 13.500,00 Total do gasto  Percentual do IPI  R$ 13.500,00 10% Valor do IPI  R$ 1.350,00 É importante observar que o percentual do IPI incidirá apenas sobre o valor das camisas. Agora já sabemos o impacto do IPI, do ICMS e do frete no custo da mercadoria vendida. Precisamos fcar atentos (as) para não cometermos erro algum nesse levantamento, pois isso levará ao cálculo errado do custo da mercadoria. LEMBRE-SE: Socialize seus conhecimentos também com os tutores do curso. Eles estão sempre prontos para auxiliá-lo(a). Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação de compra de produtos para a sua loja e adicione o valor do frete. Use a mesma base desse material de estudos. Assim, você terá ideia do que precisa ser feito para calcular o custo. Se quisermos ajudar o nosso amigo Eduardo Silvarejo, precisamos verifcar se ele está prestando atenção aos detalhes referentes ao Custo da Mercadoria Vendida, pois isso é fundamental para a Formação de Preço de Venda dos produtos de sua loja. Porém, não podemos nos esquecer de que há outros aspectos importantes para a formação de preço, como, por exemplo, o Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria. Será isso que veremos no próximo Módulo. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 1 – Custo da Mercadoria Vendida 42
  36. 36. Módulo 2 – Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria Para realizar o Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria, devemos somar o valor unitário do produto ao valor correspondente a um produto de frete, seguro, IPI e despesas acessórias, subtraindo o valor do ICMS de crédito, se houver. Se a mercadoria estiver sob o regime de substituição tributária, devemos, em vez de subtrair, somar o valor do ICMS na nota. Assim, o custo total da mercadoria é multiplicado pela quantidade vendida. Somando os valores de todas as mercadorias, teremos o total do custo das mercadorias vendidas (CMV). IMPORTANTE O Custo da Mercadoria Vendida a ser considerado dependerá do regime de tributação da empresa, ou seja, se ela é optante do Simples ou não. Quando a empresa for optante do Simples, ela NÃO terá crédito do ICMS. Já, se a empresa for Normal (não-optante do Simples), terá o crédito do ICMS e, dessa forma, terá que deduzir o ICMS do valor da compra. Diante disso, teremos duas fórmulas para calcular o custo de aquisição da matéria-prima. Se a empresa for Normal (NÃO-OPTANTE DO SIMPLES), a fórmula será: PREÇO COMPRA CRÉDITO ICMS FRETE ICMS FRETE CUSTO EFETIVO Se a empresa for OPTANTE DO SIMPLES NACIONAL, a fórmula será: PREÇO COMPRA FRETE CUSTO EFETIVO Como a empresa do Sr. Eduardo Silvarejo é optante do SIMPLES NACIONAL, adotaremos, como exemplo, a 2ª fórmula. Vamos retornar, então, ao exemplo da caixa de camisa: Total de camisas compradas para a loja  150 camisas, no valor de R$ 90,00 cada = R$ 13.500,00. Valor do frete  R$ 150,00, sendo rateado em 150 camisas; o valor do frete é R$ 1,00 para cada camisa. Valor total da camisa  R$ 90,00 (valor da compra) + R$ 1,00 (frete) = R$ 91,00. Vamos retomar, também, o cálculo do ICMS das camisas. Digamos que a alíquota do ICMS seja de 17%: 4343 IPI- + - + = IPI+ + =
  37. 37. + Valor das camisas adquiridas  Total do gasto  Valor das camisas adquiridas  Curso Formação do Preço de Venda Valor do frete das camisas adquiridas  R$ 13.500,00 R$ 150,00 R$ 13.650,00 Percentual do ICMS  17% Valor do ICMS  R$ 2.320,50 Agora, vamos retomar o cálculo do percentual do IPI. Digamos que a alíquota do IPI seja de 10%, incidindo apenas sobre o valor dos produtos: Valor das camisas adquiridas  R$ 13.500,00 Total do gasto  Percentual do IPI  Valor do IPI  R$ 13.500,00 10% R$ 1.350,00 Agora, podemos calcular o Custo das Camisas: R$ 13.500,00 + Valor do frete das camisas adquiridas  R$ 150,00 + Valor do IPI  R$ 1.350,00 TOTAL 15.000,00 Para saber o custo de cada camisa, devemos dividir o valor de R$ 15.000,00 por 150 camisas. O resultado será R$ 100,00. Observe que o custo da mercadoria AUMENTOU em relação ao valor de compra que é R$ 90,00. Isso aconteceu devido ao acréscimo do custo do frete e do valor do IPI no produto e o NÃO-direito ao crédito do ICMS, pois a empresa do Sr. Eduardo Silvarejo é optante do regime de tributação do Simples Nacional. Calcule os custos das mercadorias vendidas do seu comércio. Vamos exercitar um pouco o que aprendemos até este momento? Imagine, agora, o cálculo de uma grade de sapatos para a loja do nosso amigo Eduardo Silvarejo. Foram adquiridos 30 sapatos ao preço unitário de R$ 38,00. O frete dessa mercadoria até a loja foi de R$ 97,50. O valor de ICMS é de 17% e o IPI, por conta de um decreto governamental foi reduzido para 0%. Qual o Custo da Mercadoria Vendida nesse caso, considerando que a loja é optante do SIMPLES? Total de calçados comprados para a loja  30 saptos, no valor de R$ 38,00 cada = R$ 1.140,00. Valor do frete  R$ 97,50, sendo rateado em 30 calçados; o valor do frete é R$ 3,25 para cada calçado. Valor total do calçado  R$ 38,00 (valor da compra) + R$ 3,25 (frete) = R$ 41,25. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 2 – Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria 44 R$ Veja:
  38. 38. Total do gasto  R$ Total do gasto  R$ Cálculo do ICMS - 17%. Valor dos calçados adquiridos  Vamos retomar o cálculo do ICMS das camisas: Valor do frete das camisas adquiridas  R$ 1.140,00 R$ 97,50 1.237,50 Percentual do ICMS  17% Valor do ICMS  R$ 210,37 Agora, vamos retomar o cálculo do percentual do IPI: Cálculo do IPI – 0% Valor dos calçados adquiridos  R$ 1.140,00 1.140,00 Percentual do IPI  Valor do IPI  R$ 0,00 Agora, podemos calcular o Custo dos Calçados: + Valor dos calçados adquiridos  R$ 1.140,00 + Valor do frete dos calçados  R$ 97,50 + Valor do IPI  R$ 0,00 TOTAL R$ 1.237,50 LEMBRE-SE: Nossos tutores estão prontos para auxiliá-lo(a). Entre em contato e amplie os seus conhecimentos, dividindo suas dúvidas e aprendizado com eles. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça um orçamento de compra de produtos para a sua loja e adicione o valor do frete. Adicione, também, o valor do IPI (utilize como exemplo um percentual de 10% de IPI). Use a mesma base desse material de estudos, bem como os percentuais do ICMS e do IPI. Assim, você terá ideia do que precisa ser feito para calcular o custo da mercadoria. Lembre- se: não desconte o valor do ICMS, caso você opte pelo regime de tributação do Simples Nacional. Agora, o Sr. Eduardo Silvarejo já sabe que, ao calcular o preço de um produto de sua loja, precisa levar em consideração o regime de tributação pelo qual optou. Sabe, também, que é preciso considerar outros Impostos e Tributações Variáveis. Só não sabe como. Para auxiliá-lo, estudaremos esse assunto no nosso próximo Módulo. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 2 – Cálculo do Custo Efetivo da Mercadoria 4545 0%
  39. 39. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis As empresas comerciais estão divididas em dois grandes regimes de tributação: Regime Especial Simples Nacional e Regime de Tributação Normal. Mais de 96% das pequenas empresas comerciais estão sob o regime tributário de Lucro Presumido. No Lucro Presumido, o Imposto de Renda e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSSL) são calculados sobre o faturamento. Procure seu contador e verifque quais as alíquotas de impostos e créditos incidentes sobre a sua empresa. IMPOSTOS FEDERAIS TRIBUTAÇÃO NORMAL – LUCRO PRESUMIDO PIS  Programa de Integração Social Alíquota de 0,65% sobre o faturamento e é recolhido mensalmente por meio de DARF. COFINS  Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social Alíquota de 3% sobre o faturamento e é recolhido mensalmente por meio do DARF. IRPJ  Imposto de Renda sobre a Pessoa Jurídica Exemplo:  Lucro Presumido: Alíquota de 1,2% sobre o faturamento e é recolhido mensalmente por meio do DARF. CSLL  Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Exemplo:  Lucro Presumido: Alíquota de 1,08% sobre o faturamento e é recolhido mensalmente por meio do DARF. Resumidamente, temos: IMPOSTOS FEDERAIS PIS  0,65% COFINS  3% IRPJ  1,2% CSLL  1,08% IMPOSTO ESTADUAL ICMS  Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços NOTA: Varia conforme Estado, Produto e Leis de Incentivos. SIMPLES NACIONAL 46
  40. 40. Sistema Integrado Simplifcado de Pagamentos de Impostos e Contribuições  Parte integrante da lei geral da Micro e Pequenas Empresas (MPE)  Substitui os seguintes impostos:  PIS, COFINS, CSLL, IR, INSS e IPI (federais),  ICMS (estadual), para o comércio, e  ISS (municipal), para as empresas prestadoras de serviços. Veja, a seguir, a tabela dos percentuais aplicados sobre o faturamento das empresas, conforme a lei do Simples Nacional, aplicado ao comércio (revenda de mercadorias). Exemplo: Se uma empresa tiver um faturamento de R$ 45.000,00, deverá aplicar a alíquota de 4,00% a esse faturamento. Portanto, o valor a ser recolhido desse faturamento será de R$ 1.800,00 de Simples Nacional. Procure seu contador e verifque a legislação em vigor, suas alterações, leis complementares e as suas adequações a cada tipo de situação comercial. Lembre-se de que há o Simples Nacional aplicado ao faturamento nas hipóteses de enquadramento tributário, conforme transcrição a seguir dos anexos da Lei nº 123, de 14 de dezembro de 2006 (Lei do Simples Nacional). Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis 4747 1,25% 1,86% 2,33% 2,56% 2,58% 2,82% 2,84% 2,87% 3,07% 3,10% 3,38% 3,41% 3,45% 3,48% 3,51% 3,82% 3,85% 3,88% 3,91% 3,95% ICMSReceita Bruta Total em 12 meses (em R$) Até 120.000,00 Alíquota 4,00% IRPJ 0,00% CSLL 0,21% COFINS 0,74% PIS/PASEP 0,00% INSS 1,80% De 120.000,01 a 240.000,00 5,47% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% De 240.000,01 a 360.000,00 6,84% 0,31% 0,31% 0,95% 0,23% 2,71% De 360.000,01 a 480.000,00 7,54% 0,35% 0,35% 1,04% 0,25% 2,99% De 480.000,01 a 600.000,00 7,60% 0,35% 0,35% 1,05% 0,25% 3,02% De 600.000,01 a 720.000,00 8,28% 0,38% 0,38% 1,15% 0,27% 3,28% De 720.000,01 a 840.000,00 8,36% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% De 840.000,01 a 960.000,00 8,45% 0,39% 0,39% 1,17% 0,28% 3,35% De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,03% 0,42% 0,42% 1,25% 0,30% 3,57% De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,12% 0,43% 0,43% 1,26% 0,30% 3,60% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 9,95% 0,46% 0,46% 1,38% 0,33% 3,94% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,04% 0,46% 0,46% 1,39% 0,33% 3,99% De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 10,13% 0,47% 0,47% 1,40% 0,33% 4,01% De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 10,23% 0,47% 0,47% 1,42% 0,34% 4,05% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,32% 0,48% 0,48% 1,43% 0,34% 4,08% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,23% 0,52% 0,52% 1,56% 0,37% 4,44% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,32% 0,52% 0,52% 1,57% 0,37% 4,49% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,42% 0,53% 0,53% 1,58% 0,38% 4,52% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 11,51% 0,53% 0,53% 1,60% 0,38% 4,56% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 11,61% 0,54% 0,54% 1,60% 0,38% 4,60%
  41. 41. Curso Formação do Preço de Venda ANEXO I (COMÉRCIO – REVENDA DE MERCADORIAS) Seção I: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias não-sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 1 – Sem substituição tributária Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 1 – Substituição tributária somente do ICMS Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 2 – Substituição tributária do PIS e do ICMS Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 3 – Substituição tributária da COFINS e do ICMS Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 4 – Substituição tributária da COFINS, do PIS/PASEP e do ICMS Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 5 – Substituição tributária somente do PIS/PASEP Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 6 – Substituição tributária somente da COFINS Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis 48
  42. 42. Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção II: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias sujeitas à substituição tributária, exceto as receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 7 – Substituição tributária do PIS/PASEP e da COFINS Anexo I – Partilha do Simples Nacional – Comércio Seção III: Receitas decorrentes da revenda de mercadorias para exportação Tabela 1 – Revenda de mercadorias para exportação LEMBRE-SE: Existe uma série de possibilidades de ampliar os seus conhecimentos e aproveitar melhor os Conteúdos. Não deixe de socializar o seu aprendizado também com a tutoria do curso. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação do faturamento de uma loja e apure com eles todos os valores de impostos que poderão incidir sobre o faturamento. Chegamos ao fnal desse Módulo, no qual aprendemos sobre impostos e tributações variáveis. Porém, queremos lembrá-lo(a) de que, além desses, existem Outros Custos e Despesas Variáveis que você também precisa conhecer. Por isso, estudaremos esses outros custos e despesas no próximo Módulo. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 3 – Impostos e Tributações Variáveis 4949
  43. 43. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 4 – Outros Custos e Despesas Variáveis Além dos Impostos e Tributações Variáveis que estudamos no Módulo anterior, existem Outros Custos e Despesas Variáveis que são: comissões, inadimplência, publicidade, embalagem e frete sobre a venda (entrega da mercadoria ao cliente). Comissões  custo variável de incentivo à venda do qual devem ser calculados os Encargos mais o Descanso Semanal Remunerado referente aos domingos e feriados não-trabalhados. Inadimplência  é o cálculo da porcentagem das vendas não-recebidas que constam como perdidas. Some o valor dessas vendas nos últimos 12 meses e divida por 12 para encontrar uma média mensal. Divida o resultado pela média das vendas dos últimos 12 meses e multiplique por 100. Assim, chegará ao percentual de inadimplência da empresa. Publicidade  é importante fazer um planejamento de marketing e, a partir dele, calcular o percentual que será investido em publicidade. Esse serviço pode ser realizado pela própria empresa ou pode ser terceirizado, conforme a necessidade e o Custo/Benefício avaliado. É importante observar que pode haver um gasto fxo nessa área, como já estudado no Segundo Módulo do Segundo Conteúdo. Aqui, nos gastos variáveis, a publicidade se refere a gastos em datas especiais e comemorativas, como Páscoa, Natal, Dias das Mães, Dia dos Namorados e outras situações, a critério da empresa. Embalagem  é utilizada na venda da mercadoria para entrega ao cliente. Pode ser a famosa “sacolinha” ou, até, embrulho de presente. É um serviço ao cliente. O valor com bobinas de papel, ftas adesivas, caixas, sacolas plásticas, enfm, tudo o que se relaciona com embalagens deve ser considerado. Para encontrar o valor percentual, divida esse montante com a média do faturamento e multiplique por 100. Frete sobre a venda  consiste no serviço de entrega de mercadoria vendida ao cliente. Esse serviço pode ser oferecido pela própria empresa ou ser terceirizado. Porém, é importante analisar o Custo/Benefício da terceirização. Os percentuais aplicados aos preços de venda são determinados conforme a realidade de cada empresa. No caso da loja de Eduardo Silvarejo, vamos estabelecer os seguintes percentuais:  Comissão = 2% do faturamento para vendedores  Inadimplência = 5% sobre o valor do faturamento  Frete de vendas = 10% do valor do faturamento  Embalagem = 2% do valor de cada produto Fixar um valor percentual para alguns Custos e Despesas Variáveis auxilia a 50
  44. 44. gestão da empresa, principalmente o seu Planejamento Financeiro. Fique atento (a) e, sempre que possível, utilize-se dessa estratégia! Vamos praticar um pouco? Assinale com um (X) os Custos e Despesas Variáveis que há em uma loja comercial: ( ) Serviço de entrega (delivery). ( ) Aluguel. ( ) Comissão de Vendedores. ( ) Energia Elétrica. ( ) Embalagens. ( ) Salário dos Vendedores (registro base na CTPS). Agora, marque a alternativa correta: a) As alternativas I, II e IV estão corretas. b) Todas as alternativas estão corretas. c) Apenas as alternativas III e IV estão corretas. d) Apenas as alternativas I, III e IV estão corretas. e) Apenas as alternativas I, III e V estão corretas. LEMBRE-SE: Nossos tutores estão prontos para auxiliá-lo(a). Entre em contato e amplie os seus conhecimentos, dividindo suas dúvidas e aprendizado com eles. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação do faturamento de uma loja e apure todos os possíveis valores de Outros Custos e Despesas Variáveis, conforme os dados constantes nesse Conteúdo que acabamos de estudar. Chegamos ao fnal desse Terceiro Conteúdo. Vimos o que são Custos e Despesas Variáveis, aprendemos a calcular o Custo da Mercadoria Vendida, a identifcar e calcular os Impostos e Tributações sobre as mercadorias e conhecemos Outros Custos e Despesas que existem em um estabelecimento comercial. Agora que temos todas as informações necessárias, podemos ajudar o nosso amigo Eduardo Silvarejo a calcular o Preço de Venda dos seus produtos. Portanto, para ajudá-lo, estudaremos esse assunto a seguir (Calculando o Preço de venda). Antes, porém, para encerrarmos esse Terceiro Conteúdo, você realizará uma avaliação com cinco questões. Conteúdo – Conhecendo Custos e Despesas Variáveis Módulo 4 – Outros Custos e Despesas Variáveis 5151 I II III IV V VI
  45. 45. = Valor do IPI  = Valor do ICMS  = Valor das camisas adquiridas  Curso Formação do Preço de Venda VAMOS PRATICAR? Questão 1 Consiste no cálculo do custo de aquisição que incide sobre a nota fscal de compra de uma mercadoria. Estamos falando do(s): ( A ) Imposto sobre as compras das mercadorias. ( B ) Imposto sobre as vendas das mercadorias. ( C ) Custos das mercadorias compradas. ( D ) Salário dos funcionários da loja, acrescidos do demais Encargos Sociais. ( E ) Custo da Mercadoria Vendida. Questão 2 Você fez uma aquisição de 200 camisas, no valor total de R$ 15.000,00, mais o frete da compra no valor de R$ 130,00. Pergunta: Qual é o valor do custo de cada camisa? ( A ) R$ 79,65. ( B ) R$ 70,65. ( C ) R$ 75,65. ( D ) R$ 75,00. ( E ) R$ 85,00 Questão 3 Calcule o custo fnal das camisas para uma empresa optante do Simples Nacional de acordo com a seguinte situação: = Valor do frete das camisas adquiridas  R$ 14.000,00 R$ 200,00 Agora, assinale a alternativa correta: ( A ) R$ 16.220,00. ( B ) R$ 15.190,00. ( C ) R$ 14.250,00. ( D ) R$ 15.600,00. ( E ) R$ 14.150,00. R$ 1.400,00 R$ 2.400,00 Questão 4 Calcule o valor do Simples Nacional sobre o faturamento no valor de R$ 60.000,00, com base na tabela que consta no material de estudos:  Faturamento de R$ 60.000,00  Simples em 4% sobre o faturamento de R$ 60.000,00 Agora, assinale a alternativa correta: ( A ) R$ 2.400,00. ( B ) R$ 2.850,00. ( C ) R$ 2.750,00. 52
  46. 46. ( D ) R$ 2.650,00. ( E ) R$ 2.350,00. Questão 5 Você tem uma previsão de faturamento para o próximo Natal na ordem de 50% a mais que o Faturamento atual de R$ 60.000,00. Qual é o valor do frete de vendas que incidirá como despesa, se você lançar uma campanha especial de Natal e gastar cerca de 10% do seu faturamento previsto para entrega domiciliar? ( A ) R$ 6.500,00. ( B ) R$ 9.000,00. ( C ) R$ 8.500,00. ( D ) R$ 6.250,00. ( E ) R$ 8.290,00. GABARITO NAS PÁGINAS 82 E 83 5353
  47. 47. IIntrodução ao Conteúdo– Curso Formação do Preço de Venda Calculando o Preço de Venda No Quarto Conteúdo do curso Formação de Preço de Venda, aprenderemos e apuraremos o cálculo do Preço de Venda. Por isso, a temática é Calculando o Preço de Venda. Como estamos ajudando o nosso amigo Eduardo Silvarejo, tomaremos por base o cálculo de produtos comercializados em sua loja. Devemos ter cuidado quanto à organização das informações para facilitar a correta identifcação dos gastos e da Margem de Lucro desejada, bem como quanto à apuração dos impostos das vendas. Por fm, devemos aplicar tudo na formação de um item chamado mark up. A defnição de mark up será explicada no Quarto Módulo deste Conteúdo. Neste Conteúdo, serão criadas condições para que você desenvolva competências para: • Identifcar as Despesas Fixas para o cálculo do Preço de Venda. • Compreender e identifcar a Margem de Lucro. • Aprender a apurar os impostos sobre as vendas. • Conhecer e apurar o mark up na Formação de Preço de Venda. Para facilitar a compreensão e a aprendizagem, este Conteúdo foi dividido nos seguintes Módulos: CONTEÚDO 4 – Calculando o Preço de Venda Introdução ao Conteúdo Módulo 1 – Identifcando as Despesas Fixas Módulo 2 – Identifcando a Margem de Lucro Módulo 3 – Aplicando os Impostos das Vendas Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda Avaliação do Conteúdo Vamos continuar? 54 Olá!
  48. 48. Módulo 1 – Identifcando as Despesas Fixas Utilizaremos os gastos do Demonstrativo de Despesas Fixas, realizado no Quinto Módulo do Segundo Conteúdo. Identifcamos que as Despesas Fixas da loja de Eduardo Silvarejo somam R$ 11.203,70: TOTAL DAS DESPESAS FIXAS 11.203,70 Veja um exemplo dessa situação: Em sua planilha, você separou, em primeiro lugar, os Custos e as Despesas Fixos que já estudamos no Quinto Módulo do Segundo Conteúdo? Caso você tenha respondido que sim, está correto(a), pois, primeiramente, devem ser separados Custos e Despesas Fixos. LEMBRE-SE: Existe uma série de possibilidades de ampliar os seus conhecimentos e aproveitar melhor os Conteúdos. Não deixe de socializar o seu aprendizado também com a tutoria do curso. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação da separação dos Custos e Despesas Fixos. Agora que Silvarejo já sabe separar os custos e despesas fxos de sua loja, quer aprender a estabelecer a Margem de Lucro dos seus produtos. Será justamente isso que estudaremos no próximo Módulo. 5555 •
  49. 49. Curso Formação do Preço de Venda Módulo 2 – Identifcando a Margem de Lucro A Margem de Lucro deve ser estabelecida com base no mercado, na necessidade e na expectativa de ganho da empresa. A margem defnida deve incidir sobre os custos e as despesas totais dos produtos. Não podemos nos esquecer de que a Margem de Lucro pode ser atribuída a cada produto separadamente, possibilitando um percentual de lucro para cada produto. Entretanto, também podemos aplicar um percentual de Margem de Lucro igual para todos os produtos. No caso da loja de Eduardo Silvarejo, procederemos dessa forma. Adotaremos como exemplo para o desenvolvimento dos exercícios deste curso um percentual de lucro de 10% sobre os Preços de Vendas, levando em consideração que a média de lucratividade aplicada no comércio gira em torno de 5% a 15%. Veja um exemplo dessa situação: Em sua planilha, acrescente o percentual da Margem de Lucro que você quer atingir para vender as camisas. Imagine um percentual de 20% aplicado sobre o Preço de Venda. Caso tenha imaginado outro tipo de percentual, você pode se sentir à vontade para incluir a Margem de Lucro que considerar melhor. Mas, tome cuidado. Preços muito elevados, gerados por margens de lucro relativamente altas, podem “espantar” seus clientes. LEMBRE-SE: Socialize seus conhecimentos também com os tutores do curso. Eles estão sempre prontos para auxiliá-lo(a). Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação da Margem de Lucro sobre um valor de custo qualquer. Imagine diversas situações de Margem de Lucro e você perceberá que o mesmo produto terá efeitos de preços de venda fnais diferentes. Chegamos ao fnal desse Módulo, no qual tivemos, juntamente com nosso amigo Silvarejo, a oportunidade de aprender a estabelecer a Margem de Lucro dos produtos de nossa loja. Só que ainda temos muito a aprender sobre a Formação de Preço de Venda, como, por exemplo, como aplicar os Impostos das Vendas. Será isso que veremos no próximo Módulo. 56 •
  50. 50. Módulo 3 – Aplicando os Impostos das Vendas Em muitas empresas, existem as diferenças de enquadramento fscal, ou seja, as empresas com tributação normal ou as empresas com tributação especial, como as do Super Simples. Como exemplo e para sugerir um norte de trabalho ao nosso amigo Eduardo Silvarejo, utilizaremos tipos de impostos aplicados nas vendas que são muito comuns no regime de tributação normal. São eles:  17% de ICMS (no caso de empresas que tenham direito ao crédito do imposto nas compras),  0,65% para o PIS,  3,00% para a COFINS,  1,2% para o IR e  1,08% para CS. As siglas acima signifcam:  Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), Programa de Integração Social (PIS),  Contribuição ao Financiamento da Seguridade Social (COFINS),  Imposto de Renda (IR) e Contribuição Social (CS). Esses percentuais e os tipos de impostos podem variar de empresa para empresa e também do enquadramento fscal em que se encontram. Para melhor orientá-lo(a) sobre esta situação, procure seu contador de confança para evitar futuros problemas com o fsco. Os impostos sobre as vendas deverão ser colocados no fnal, depois da Margem de Lucro identifcada, pois, ao emitir o Preço de Venda, é necessário descontar os impostos em efeito cascata. Em primeiro lugar, os impostos do governo. Veja um exemplo desta situação: Em sua planilha, você identifcou todos os tipos de impostos que poderão ocorrer no faturamento da sua empresa. Relacionou todos eles. Esses impostos terão impacto no fnal do seu Preço de Venda? Caso tenha respondido que sim, você está correto(a), pois cada imposto que tiver que pagar em função das vendas ou do seu faturamento terá impacto no valor fnal dos seus preços de vendas. Afnal, você terá que agregar os impostos para depois “tirar” das suas vendas e pagar para o governo. 5757 •
  51. 51. Curso Formação do Preço de Venda LEMBRE-SE: Tire maior proveito desse exercício. Entre em contato com nossos tutores. Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação dos valores de faturamento e, depois, aplique os principais tipos de impostos sobre o faturamento, como o ICMS, o PIS, a COFINS, o Imposto de Renda e a Contribuição Social. Faça isso de modo que possa identifcar seu Preço de Venda e os valores dos impostos a recolher, de acordo com o faturamento. Faturamento R$ 45.000,00 ICMS PIS COFINS IR CS 17,00% 0,65% 3,00% 1,20% 1,08% Total R$ 7.650,00 R$ 292,50 R$ 1.350,00 R$ 540,00 R$ 486,00 R$ 10.318,50 Feita a simulação dos valores de faturamento e a aplicação dos principais tipos de impostos sobre o faturamento, bem como a identifcação do Preço de Venda e dos valores dos impostos a recolher, de acordo com o faturamento, podemos fnalizar este Módulo e passar para o seguinte, no qual veremos como apurar o mark up na Formação de Preço de Venda. Conteúdo – Calculando o Preço de Venda Módulo 3 – Aplicando os Impostos das Vendas 58
  52. 52. DF R$ R$ 11.203,70 X 100DF % TOTAL DAS VENDAS Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda O mark up é defnido como uma taxa de marcação sobre o valor do custo de produção. Existem duas formas de apurar esta taxa: uma dividindo e a outra multiplicando. Antes, devemos tomar o cuidado de separar os tipos de produtos com os seus custos e suas despesas, respectivamente. Para tanto, relembraremos os valores e as quantidades das camisas adquiridas: Camisas  150 camisas em estoque no valor do custo de compra de R$ 100,00 cada uma. Conforme estudamos no Quinto Módulo do Segundo Conteúdo, os gastos fxos da loja de Eduardo Silvarejo somam o valor de R$ 11.203,70. Se a previsão do faturamento da loja do Sr. Eduardo Silvarejo for de R$ 45.000,00, então o valor das Despesas Fixas atribuídas aos produtos será o seguinte: R$ 45.000,00 TOTAL DAS DESPESAS FIXAS (DF) R$ 11.203,70 45.000,00 % 24,90% Para um faturamento total previsto no valor de R$ 45.000,00, o percentual do gasto fxo atribuído a cada produto é 24,90%. R$ 100,00 (custo de cada camisa) / (1 – 0,2490) R$ 100,00 / 0,7510 R$ 133,15 de custo de compra + despesas fxas atribuídas para cada camisa  R$ 133,15 x 24,90% (Despesas Fixas)  R$ 33,15 de Despesas Fixas OBSERVAÇÃO: No Quarto Módulo do Terceiro Conteúdo, estabelecemos o percentual das embalagens em 2% para Formação de Preço de Venda. Nesse caso, distribuímos o valor da embalagem para cada camisa de acordo com o valor do faturamento. Porém, em alguns casos, as embalagens acondicionam um produto de maior ou menor valor. Esse assunto, entretanto se torna irrelevante. Assim, adotaremos um valor padrão de embalagem em 2% para cada camisa faturada. Na Tabela 1, identifcaremos o valor do custo e da despesa fxa para cada camisa. 5959
  53. 53. Curso Formação do Preço de Venda Tabela 1: Total dos gastos de custos e despesas Descrição Custo Despesas Fixas Total Camisa (R$) 100,00 33,15 133,15 Podemos observar que o valor total do custo e demais despesas para cada camisa é de R$ 133,15. Vamos identifcar o mark up da camisa utilizada como exemplo. O mark up divisor é evidenciado na seguinte fórmula: Mark up = 100 – (% Impostos de Vendas + % Comissão + % Margem de Lucro) Na Tabela 2, identifcaremos o percentual dos gastos variáveis para o mark up. Tabela2: Percentual dos Gastos Variáveis para o Mark up Descrição ICMS PIS COFINS IR CS Comissão Inadimplência Frete Embalagem Lucro TOTAL Percentual (%) 17,00 0,65 3,00 1,20 1,08 2,00 5,00 10,00 2,00 10,00 51,93 Mark up divisor = 100% - 51,93% Mark up divisor = 48,07% É importante observar que esses percentuais do mark up divisor devem ser transformados em numerais decimais, porque os valores dos produtos estão identifcados em numerais decimais. Faremos a seguinte operação: Mark up divisor = 48,07% / 100 Mark up divisor = 0,4807 Caro(a) participante! Com o índice do mark up divisor calculado, podemos aplicá- lo ao produto do presente estudo. Vamos lá? Preço de Venda = (Custo + Embalagem + Despesa) / Mark-up divisor Conteúdo – Calculando o Preço de Venda Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda 60
  54. 54. Tabela 3: Formação do Preço com Mark up Divisor Descrição Camisa Custo + Despesa (R$) 133,15 Mark up Divisor 0,4807 Preço de Venda (R$) 276,99 Feito isso, apuramos o Preço de Venda da camisa em R$ 276,99. Vamos realizar a prova real para termos certeza do que estamos calculando? Tabela 4: Prova Real do Preço de Venda Descrição Preço de Venda ICMS PIS COFINS IR CS COFINS Inadimplência Publicidade Embalagem Lucro TOTAL Valor (%) R$ 276,99 R$ 47,09 R$ 1,80 R$ 8,31 R$ 3,32 R$ 2,99 R$ 5,54 R$ 13,85 R$ 27,70 R$ 5,54 R$ 27,70 R$ 133,15 Diminuindo os percentuais dos Gastos Variáveis (conforme consta na Tabela 2) do preço fnal de venda, podemos tirar a prova real. Observe que o valor fnal da prova real da camisa fechou em R$ 133,15, exatamente como nós apuramos na Tabela 1. Observe que o lucro da camisa é de R$ 27,70, sendo apurado da seguinte forma: Camisa  R$ 276,99 x 10% de lucro  27,70. No Primeiro Módulo do Primeiro Conteúdo, vimos que o nosso amigo Eduardo Silvarejo sempre aplicava 100% de “lucro”. Isso é irreal, porque o custo da camisa por unidade é R$ 100,00, e o Preço de Venda por unidade fcou estabelecido em R$ 276,99. Portanto, existe um percentual de 176,99% aplicado sobre o custo. Mas isso está longe de ser 100% de lucro. Na verdade, o lucro é de apenas 10% sobre o Preço de Venda, e os demais percentuais aplicados são de impostos diversos, comissões, despesas e embalagens. Se o nosso amigo Eduardo Silvarejo continuasse a aplicar sua antiga metodologia de formação de preço estaria em prejuízo, prejudicando o seu negócio. O Preço de Venda da camisa teria sido de R$ 200,00, sendo que, na verdade, o Preço de Venda do produto é de R$ 276,99. Viu como é importante saber calcular corretamente o Preço de Venda dos produtos? Conteúdo – Calculando o Preço de Venda Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda 6161
  55. 55. Curso Formação do Preço de Venda Existem outras informações que podem ser úteis, como, por exemplo: Você sabe como elaborar um Preço de Venda com desconto? Vamos elaborá-lo, com Eduardo Silvarejo. Usaremos o mesmo exemplo da Formação de Preço de Venda anterior. Porém, será incluído um determinado percentual para, depois, tirá-lo como forma de desconto. Vamos lá? A fórmula para o cálculo desta estratégia é: Preço = Preço de Venda à Vista 1 – (% desconto) No exemplo utilizado anteriormente, o Preço de Venda de uma camisa é R$ 276,99. Se aplicar um desconto de 5%, o preço fnal de venda à vista aumentará para R$ 291,57. Veja o cálculo: Preço = Preço de Venda à Vista = R$ 276,99 1 – (% desconto) (1-0,05) Preço = Preço de Venda à Vista = R$ 276,99 1 – (% desconto) 0,95 Preço = Preço de Venda à Vista = R$ 291,57 Vamos, com o Sr. Eduardo Silvarejo, realizar a prova real? Preço de Venda à vista Desconto 5% Preço de Venda com Desconto R$ 291,57 R$ (14,58) R$ 276,99 Caro(a) participante! Como elaborar o Preço de Venda a prazo? Você tem dúvidas? É como colocar um determinado juro na Formação de Preço de Venda fnal. Isso mesmo! Afnal, se a loja do nosso amigo Eduardo Silvarejo necessitar de um empréstimo bancário, também pagará juros. Vamos separar e identifcar as seguintes situações: PVP  Preço de Venda a Prazo PV  Preço de Venda à Vista Conteúdo – Calculando o Preço de Venda Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda 62
  56. 56. i  Taxa de Juros n  Número de Períodos Se tomarmos por base o valor do Preço de Venda de R$ 276,99 e se a venda for realizada em 60 dias, com uma taxa de juros de 3%, qual será o Preço de Venda a Prazo? Veja a seguinte fórmula: PVP = PV x (1 + i) n PVP  R$ 276,99 x (1 + 0,03) 2 PVP  R$ 276,99 x 1,0609 PVP  R$ 296,83 É utilizada a taxa de 3% e somada a 1 (que é a centena da porcentagem em numeral decimal), resultando 1,03. Em seguida, tomamos 1,03 e elevamos à potência de dois (60 dias = 2 meses), totalizando 1,0609. O Preço de Venda no valor de R$ 276,99 é multiplicado por 1,0609, resultando no valor de R$ 296,83 de Preço de Venda a Prazo. Viu como mudou o preço? Quanto mais itens forem incluídos na formação do preço, mais alto fcará o seu preço fnal. Veja um exemplo dessa situação: Em sua planilha, você identifcou todos os tipos de percentuais que devem ser aplicados sobre o custo de um determinado produto. Relacione todos eles. Refita: esses percentuais terão impacto no fnal do seu Preço de Venda? Caso você tenha respondido que haverá impacto, está correto(a). Relembre como Eduardo Silvarejo estava aplicando o “lucro” sobre seu produto. E, agora, para não incluir todos os Custos e Despesas Fixos em apenas 150 camisas, Eduardo Silvarejo deverá ampliar a linha de ofertas de produtos, assim diminuindo seus custos. LEMBRE-SE: Existe uma série de possibilidades de ampliar os seus conhecimentos e aproveitar melhor os Conteúdos. Não deixe de socializar o seu aprendizado também com a tutoria do curso. Conteúdo – Calculando o Preço de Venda Módulo 4 – Apurando o Mark up na Formação de Preço de Venda 6363 •
  57. 57. Curso Formação do Preço de Venda Exercício de socialização Caro(a) participante! Com seus amigos ou familiares, faça uma simulação dos custos dos produtos, adicione todos os percentuais apreendidos no exemplo deste Módulo. Depois, amplie a linha de produtos da loja do nosso amigo Eduardo Silvarejo, de 150 camisas para 300 camisas. Observe o impacto que terá sobre os Custos e Despesas Fixos, pois, ao ampliar a linha de ofertas de produtos, os custos podem cair. Chegamos ao fnal do Quarto Conteúdo, no qual você aprendeu a identifcar as Despesas Fixas de sua loja, bem como a estabelecer a Margem de Lucro, a apurar os impostos sobre as vendas e o mark up na Formação de Preço de Venda dos seus produtos. Já pode, então, realizar a avaliação com 5 questões que apresentamos a seguir. Após, estudaremos, no próximo Conteúdo, que é o último deste caderno, o Ponto de Equilíbrio. VAMOS PRATICAR? Questão 1 Se o valor da compra total de 300 camisas for de R$ 18.000,00 e incidir um percentual de 10% de IPI  R$ 1.800,00 e a loja ainda tiver que pagar o frete no valor de R$ 150,00, perguntamos: Qual será o valor do Custo da Compra? ( A ) R$ 80,00. ( B ) R$ 85,50. ( C ) R$ 60,00. ( D ) R$ 55,00. ( E ) R$ 66,50. Questão 2 Apure o mark up divisor para a Formação de Preço de Venda, considerando 17% de ICMS, 0,65% de PIS e 3,00% de COFINS. ( A ) 0,6935. ( B ) 0,7935. ( C ) 0,5935. ( D ) 0,7535. ( E ) 0,6535. Questão 3 Você tem o custo fnal de um produto qualquer em R$ 100,00 e um mark up divisor de 64
  58. 58. 0,7935. Qual será seu preço fnal de vendas? ( A ) R$ 118,02. ( B ) R$ 122,02. ( C ) R$ 116,02. ( D ) R$ 126,02. ( E ) R$ 118,06. Questão 4 Apure o mark up divisor para a Formação de Preço de Venda, considerando o ICMS de 17%, o PIS em 0,65%, a COFINS de 3,00%, a embalagem em 2% e a comissão sobre vendas em 2%. ( A ) 0,7535. ( B ) 0,6935. ( C ) 0,7935. ( D ) 0,5935. ( E ) 0,6535. Questão 5 Se você tiver um custo fnal de um produto qualquer em R$ 100,00, aplicando um mark up divisor de 0,7535, qual será seu preço fnal de vendas? ( A ) R$ 131,71. ( B ) R$ 122,71. ( C ) R$ 132,71. ( D ) R$ 126,71. ( E ) R$ 118,71. GABARITO NAS PÁGINAS 82 E 83 6565

×