Revolução Liberal Portuguesa

311 visualizações

Publicada em

É um bom trabalho, acreditem !

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução Liberal Portuguesa

  1. 1.  Napoleão Bonaparte em 1806 dominava toda aEuropa menos a Inglaterra. Por não conseguirobrigar Inglaterra pela força, tentouderrotá-la por via económica. Para isso, em 1806, estabeleceu o BloqueioContinental que consistia em obrigar todos ospovos europeus a fechar os seu portos aosbarcos ingleses.
  2. 2.  Portugal, velho aliado da Inglaterra, nãoobedeceu a Napoleão. Por essa razão Portugalfoi invadido três vezes (entre 1807 a 1811)pelos exércitos franceses. Devido á ausência da família real que tinhafugido para o Brasil em 1807 e à ocupação dopaís por tropas estrangeiras, a Inglaterraenviou tropas que, em 1811, expulsaram osfranceses de Portugal.
  3. 3.  Em consequência das invasões francesas, Portugalficou com uma grave crise económica. Com efeito, os exércitos trouxeram morte edestruição como roubos e saques. Em 1808, os portos do Brasil foram abertos aocomércio internacional, o que afetou osinteresses da burguesia. Os militares portugueses sentiram se humilhadospela presença dos ingleses na chefia do Exército. E a corte do Brasil continuava a desgostar osportugueses.
  4. 4.  Pelo descontentamento da burguesia, dosmilitares e da população em geral, no dia24 de Agosto de 1820, deu se no Portouma Revolução liberal preparada peloSinédrio (associação secreta, criada no portopor um grupo de militares, comerciantes ehomens de leis, adeptos das ideias liberais.Os dirigentes tinham como objetivo mantercontactos políticos com os storesrevolucionários da Espanha).
  5. 5. Em 1822, foi aprovada umaConstituição queestabeleceu a separaçãodos poderes, consagrou asliberdades fundamentais eimplantou a MonarquiaConstitucional.
  6. 6.  Brasil conheceu um notáveldesenvolvimento com oestabelecimento da corte portuguesano Rio de Janeiro. Em 1821, o rei D. João VI regressou aPortugal e no Brasil ficou o seu filho D.Pedro como dirigente.
  7. 7.  As cortes liberais portuguesas retiraramprivilégios concedidos pela Coroa ao Brasile ordenaram o regresso de D. Pedro aPortugal. Este, em 1822, ao ter conhecimento destaexigência, proclamou, nas margens do rioIpiranga, a independência dobrasil, tornando-se, então, imperador donosso país. Contudo, só em 1825 Portugal reconheceua independência da sua antiga colónia.
  8. 8.  O rei D. João VI regressou a Portugal e juroua Constituição de 1822. Alguns Portugueses não aceitaram o novoregime e começaram a conspirar. Nocentro da Conspiração estava a rainha D.Carlota Joaquina e o filho D. Miguel. D. Miguel procurou através de dois golpesmilitares pôr termo ao regime liberal, masfoi mal sucedido e teve de sair de Portugal
  9. 9. D. MiguelD. Pedro
  10. 10.  Em 1826 D. João VI morreu, e surgiramproblemas da sucessão. D. Pedro, o filho maisvelho, era imperador do Brasil, e D. Miguelera adepto do absolutismo. Encontrou-se, então, uma solução de compromisso. D. Pedro que abdicava do trono de Portugal afavor da sua filha D. Maria de Glória e dotavao país de uma carta Constitucional, aceitou ascondições e regressou a Portugal em 1828. Depois de assumida a dirigência, D. Miguelrejeitou a carta Constitucional e, após se tertronado rei absoluto, lançou uma violentaperseguição aos liberais.
  11. 11.  Em 1831, D. Pedro abdicou do tronobrasileiro e rumou à Europa, indoinstalar-se com exilados liberais na ilhaterceira. Em 1832, desembarcou com as suastropas, que ficou na cidade do Porto.Esta sofreu um doloroso cerco pelasforças miguelistas.

×