Slides oficina

4.127 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
237
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides oficina

  1. 1. OFICINA “AVALIAÇÃO” 1º AO 5º ANO Oficineira: Clarice BorgesBernardo Sayão, 10 de junho de 2011.
  2. 2. QUESTIONAMENTOS Qual é o IDEB da Escola? E nos anos iniciais? Qual é a projeção para 2011? O modelo da avaliação interna é condizente com a avaliação externa? Os pais conhecem o IDEB da Escola? E os alunos? Os professores conhecem os descritores? O que é o SALTO?http://sistemasideb.inep.gov.br/
  3. 3. VÍDEO Prova Brasil
  4. 4. AVALIAÇÃO DOS AVANÇOS NA ESCRITA Diagnóstico para conhecer a turma Mesmo antes de saber ler e escrever convencionalmente, a criança elabora hipóteses sobre o sistema de escrita. Descobrir em qual nível cada uma está é um importante passo para os professores alfabetizadores levarem todas a aprender
  5. 5. MANTENHA O FOCO A sondagem deve ser individual, o que torna necessário propor ao resto da turma uma atividade que dispense ajuda.
  6. 6.  No Guia de Planejamento e Orientações Didáticas do programa Ler e Escrever, das secretarias estadual e municipal de Educação de São Paulo, a sondagem é descrita como uma atividade que envolve, num primeiro momento, a produção espontânea de uma lista de palavras sem apoio de outras fontes e pode ou não prever a escrita de algumas frases simples. Essa lista deve, necessariamente, ser lida pelo aluno assim que terminar de escrevê-la. O guia ressalta também que é por meio da leitura que o alfabetizador "pode observar se o aluno estabelece ou não relações entre aquilo que ele escreveu e aquilo que ele lê em voz alta, ou seja, entre a fala e a escrita".
  7. 7. NÍVEIS DE ESCRITAPré-silábicoSilábicoSilábico-alfabéticoAlfabético
  8. 8. REGISTROModelo de tabela
  9. 9. PRODUÇÃO DE TEXTO Vídeo
  10. 10. ATIVIDADE PRÁTICA: Utilizamos a produção de textos como parâmetro para avaliar os avanços na aprendizagem? Elabore uma ficha com os critérios para avaliar a produção textual de sua turma.
  11. 11. Um item é a unidade básica de um instrumento de coleta de dados, quepode ser uma prova, um questionário ou outro. Em uma avaliação da ProvaBrasil, do Enem, por exemplo, cada questão é um item; assim como em umteste psicológico, em que cada pergunta também é um item.Nos testes educacionais e nas avaliações nacionais e internacionais delarga escala, “item” pode ser considerado sinônimo de “questão”, termomais popular e utilizado com frequência nas escolas. Os itens – ou seja, asquestões de uma avaliação – medem os conhecimentos, as competênciase as habilidades que o aluno tem desenvolvidos em relação a umdeterminado conteúdo.Existem dois tipos básicos de itens: os itens de resposta livre, em que oaluno elabora uma resposta, e os itens de resposta orientada, tambémchamados de itens objetivos ou itens de múltipla escolha, que permitem aoestudante escolher uma resposta dentre um conjunto de alternativasoferecidas.
  12. 12. A estrutura de um item de múltipla escolha é, basicamente, aseguinte:Texto-baseÉ texto que motiva ou compõe a situação-problemaapresentada no item. Textos verbais, imagens, gráficos,tabelas, tirinhas, charges etc. podem ser utilizados comotextos-base.EnunciadoÉ a instrução da tarefa a ser executada pelo aluno. Deve serexpressa de maneira clara e objetiva e pode vir na forma deuma pergunta a ser respondida ou frase a ser completada pelaalternativa correta.AlternativasSão as possibilidades de respostas para a situação-problemaapresentada. As alternativas dividem-se em gabarito (a únicaalternativa correta que responde à situação-problema proposta)e distratores (as alternativas incorretas à resolução dasituação- problema).
  13. 13. As etapas para a elaboração de itens estãodescritas a seguir:1. Selecionar, na Matriz de Referência, ahabilidade que será avaliada. Fazer aidentificação do eixo temático, do conteúdo aser exigido pelo item que será proposto eanalisar a operação mental que envolve ahabilidade.
  14. 14. 2. Definir a situação-problema a ser trabalhada no item e elaboraro texto-base, considerando a realidade cotidiana do público-alvo.A utilização de situações alheias ao cotidiano dos alunos podefazer com que um item de boa qualidade técnica não sejarespondido adequadamente. Ao elaborar itens, deve-se ter ocuidado de torná-los significativos, interessantes e atrativos aosalunos, utilizando situações autênticas para aumentar o grau derealidade no que está sendo avaliado. É certo que os itens de umaavaliação nem sempre são “totalmente” verdadeiros, porém alinguagem e o material utilizados devem conservar algumarelação com a vida do aluno fora da escola. Esta verossimilhançapode ser alcançada com a utilização de material de jornais atuais,revistas, atlas ou outros que possam interessar aos alunos.
  15. 15. 3. Elaborar o enunciado, atentando para fornecertodas as informações necessárias para que o alunoresponda ao item. A estrutura do enunciado de umitem pode ser de dois tipos:a. O enunciado do item pode solicitar que o aluno, apósa leitura do texto-base, resolva a situação-problemaproposta para, em seguida, identificar a alternativa quecontém a resposta certa.b. O item pode solicitar ao aluno que analise cadaalternativa, individualmente, de acordo com o enunciado(que pressupõe a leitura do texto-base), para identificar acorreta.
  16. 16. Seja qual for o tipo escolhido, é importante redigir oenunciado de maneira clara e objetiva, procurando evitarque o aluno erre o item porque não compreendeu o queestava sendo perguntado. Eis alguns procedimentos quecontribuem para a redação de enunciados:A compreensão do enunciado deve ser independente daleitura de todas as alternativas.O enunciado deve conter apenas dados ou informaçõesfuncionais. Expressões numéricas, textos, fórmulas, figuras,tabelas etc. só podem ser incluídos se forem necessários àresolução do problema proposto. Os elementos meramenteilustrativos ou que sejam desnecessários para a resoluçãoda situação-problema podem resultar em baixos índices deacerto do item.
  17. 17. Termos impessoais devem predominar na redação dosenunciados. Exemplos: considere-se, calcula-se,argumenta-se etc.Não empregar termos negativos, como EXCETO,INCORRETO, NÃO, ERRADO, FALSO. Deve-se preferira formulação de itens positivos.Não empregue termos generalizantes, como SEMPRE,NUNCA, TODO, TOTALMENTE, ABSOLUTAMENTE,COMPLETAMENTE, SOMENTE etc.O item deve testar a habilidade desenvolvida pelo alunoe não a sua capacidade de memorização.
  18. 18. 4. Elaborar as alternativas. Deve haver apenas uma respostacorreta para a situação-problema proposta no enunciado. Cabeobservar que os distratores (as alternativas incorretas) devemser respostas plausíveis, aceitáveis, que podem, inclusive,atrair os alunos com pouco conhecimento do conteúdo ouhabilidade não desenvolvida, ou ainda, aqueles que tentamadivinhar (ou “chutar”) a resposta correta. Os distratores sãoas alternativas com aparência de resposta correta, mas quesão inquestionavelmente incorretas em relação ao enunciado,embora seu conteúdo deva ser possível, se consideradoindependentemente do problema formulado no enunciado.Para elaborar as alternativas de um item, é importanteconsiderar os seguintes procedimentos:
  19. 19. Elaborar alternativas que apresentem a mesma estrutura (paralelismosintático e semântico) e sejam igualmente bem construídas.Apresentar alternativas com a mesma extensão e a mesma forma deapresentação. Esse cuidado evitará que o aluno identifique aalternativa correta ou incorreta apenas pela observação do seutamanho, ou por qualquer outra diferença de formato em relação àsdemais.Abordar os conteúdos com homogeneidade, isto é, as alternativasdevem tratar da mesma categoria, espécie, abrangência, ordem degrandeza etc.Incluir todas as informações necessárias na alternativa correta, paraque não haja dúvidas quanto à sua correção.Evitar detalhes irrelevantes e conteúdos absurdos. As informaçõesdevem ser coerentes com o enunciado, com o conteúdo eapresentadas em linguagem correta.
  20. 20. Evitar a repetição de palavras que aparecem no enunciado.Evitar afirmações demasiadamente longas.Construir alternativas de maneira a forçar que o alunorecorra ao procedimento contido na habilidade proposta,impedindo, portanto, que ele acerte o item por exclusão.Ordenar as alternativas de maneira lógica (ordem alfabética,cronológica, crescente ou decrescente). Isto facilitará aleitura do item e evitará que a posição da alternativa corretaforneça alguma dica para o aluno.
  21. 21. Não utilizar alternativas como “todas as anteriores” ou“nenhuma das anteriores”.Evitar que a resposta correta seja mais atrativa do que osdistratores.
  22. 22. 5. Revisar o item algum tempo após tê-lo escrito, paracertificar-se de que ele está realmente de acordo com ahabilidade escolhida, de que há apenas uma únicaresposta correta e de que o item seja independente, ouseja, a resposta dele não deve ser determinante para aresposta de outro item nem dependente da resposta deoutro item.
  23. 23. Além dos passos descritos, outras recomendações técnicas devem serlevadas em consideração quando se pretendem elaborar itens dequalidade. São elas:Com relação aos textos utilizados como texto-base ou como alternativas:Dar preferência a textos oriundos de fontes primárias, originais e semadaptações, fazendo a devida referência à fonte de onde foi extraído.
  24. 24. Todos os textos devem vir acompanhados da referênciabibliográfica, dentro dos critérios da Associação Brasileira deNormas Técnicas (ABNT), no final de cada texto-base, com letramenor.Se o texto não for integral, deve-se identificá-lo como“fragmento”.Todo texto deve conter o título, ainda que seja “fragmento”.Se o texto sofrer qualquer alteração, deve-se identificá-lo como“adaptado”.O tempo de leitura exigido do aluno deve ser levado emconsideração. Aproveitar textos extensos para cobrar mais deum item e, com isso, mais de uma habilidade.
  25. 25. Com relação aos aspectos textuais que envolvem aelaboração do item:Verificar a redação e a apresentação do item. Seguir as regrasde ortografia, gramática e sintaxe da norma padrão.Cuidar para que os conceitos, fatos, terminologia etc. tenhamcaráter universal. Elaborar itens com vocabulário, objetos esituações conhecidos nacionalmente.Utilizar pontuação correta. Algumas recomendações:
  26. 26. se o enunciado for uma frase incompleta a ser corretamentecompletada pelas alternativas, estas devem começar com letrasminúsculas e terminar com o ponto apropriado para a frase(ponto final, interrogação, exclamação etc.);o caso o enunciado seja uma pergunta, deve terminar com umainterrogação e as alternativas devem começar com letrasmaiúsculas e terminar com ponto final;Se o termo usado nas alternativas for retirado literalmente dotexto-base, deve usar aspas e iniciar com letra maiúscula;Devem ter quatro alternativas, as letras devem ser grafadas emmaiúscula e dentro de parênteses, ex: (A), (B), (C), (D)
  27. 27. Com relação ao tema abordado no item:Evitar a abordagem de temas ou a citação de elementos(afirmações, situações, usos, exemplos, vocabulário, objetos,informações etc.) que suscitem polêmicas ou que possamcaracterizar-se como:• viés cultural ou discriminação e preconceito em relação agêneros, etnias, profissões, crenças, religiões etc.;• apologia a comportamentos e condutas em desacordo compreceitos educativos e legais, por exemplo: drogas, bebidas,aborto, crime, arma ou incitação à violência e a danos oudestruição de bem público ou privado e da natureza;• propaganda de produtos.
  28. 28. Exemplo de item: O disfarce dos bichosVocê já tentou pegar um galhinho seco e ele virou bicho, abriu asas e voou?Se isso aconteceu é porque o graveto era um inseto conhecido como “bicho-pau”. Ele é tão parecido com o galhinho, que pode ser confundido com ograveto. Existem lagartas que se parecem com raminhos de plantas. E hágrilos que imitam folhas.Muitos animais ficam com a cor e a forma dos lugares em que estão. Elesfazem isso para se defender dos inimigos ou capturar outros bichos queservem de alimento. Esses truques são chamados de mimetismo, isto é,imitação.O cientista inglês Henry Walter Bates foi quem descobriu omimetismo. Ele passou 11 anos na selva amazônica estudando os animais. MAVIAEL MONTEIRO, José. Bichos que usam disfarces para defesa. FOLHINHA, 6 NOV. 1993.O bicho-pau se parece com(A) florzinha seca.(B) folhinha verde.(C) galhinho seco.(D) raminho de planta.
  29. 29. Exemplo de item:Renê entrou em uma livraria e comprou um livro por R$ 35,00 e umacaneta por R$ 3,00.Quais as cédulas que Renê poderá usar para pagar sua compra?(A) 1 cédula de 10 reais, 5 cédulas de 5 reais e 3 cédulas de 1 real.(B) 1 cédula de 10 reais, 4 cédulas de 5 reais e 3 cédulas de 1 real.(C) 2 cédulas de 10 reais , 1 cédula de 5 reais e 3 cédulas de 1 real.(D) 2 cédulas de 10 reais , 2 cédulas de 5 reais e 2 cédulas de 1 real.
  30. 30. ATIVIDADES PRÁTICASEm grupo, escolha um texto-base;Escreva qual ou quais são os descritores (habilidades) que irão ser explorados;Elabore um ou dois itens para o texto-base.Apresente os trabalhos elaborados pelo grupo à plenária.
  31. 31. OBRIGADA!!!!SUCESSO A TODOS ...
  32. 32. CONTATO: CLARICE BORGES CLAJOCI@HOTMAIL.COMBLOG: WWW.CLARICEBORGES.BLOGSPOT.COM FONE: 63 3476 -7406 COLINAS DO TOCANTINS

×