Educação infantil

9.322 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
423
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
504
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação infantil

  1. 1. FORMAÇÃO CONTINUADABERNARDO SAYÃO / 2012
  2. 2.  A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. (LDB Art. 29)
  3. 3.  O papel da educação infantil é o CUIDAR da criança em espaço formal, contemplando a alimentação, a limpeza e o lazer (brincar). Também é seu papel EDUCAR, sempre respeitando o caráter lúdico das atividades, com ênfase no desenvolvimento integral da criança. Não cabe à educação infantil alfabetizar a criança. Nessa fase ela não tem maturidade neural para isso, salvo os casos em que a alfabetização é espontânea. Devem ser trabalhados os seguintes eixos com as crianças: Movimento, Música, Artes Visuais, Linguagem Oral e Escrita, Natureza e Sociedade e Matemática. O objetivo é o de desenvolver algumas capacidades, como: ampliar relações sociais na interação com outras crianças e adultos, conhecer seu próprio corpo, brincar e se expressar das mais variadas formas, utilizar diferentes linguagens para se comunicar, entre outros. A ênfase da educação infantil é ESTIMULAR as diferentes áreas de desenvolvimento da criança, aguçar sua curiosidade, sendo que, para isso, é imprescindível que a criança esteja feliz no espaço escolar. (Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil)
  4. 4.  As creches e instituições deeducação infantil surgiram com oobjetivo de atenderexclusivamente crianças defamílias de baixa renda. A estratégia era combater apobreza e a mortalidade infantil.
  5. 5.  entendido como troca de favores; poucas unidades e por isso excluía a maioria das crianças dessa política pública; não havia profissionais qualificados; assistencialista; autoritária – crianças espancadas; número elevado de crianças por adulto; não transmitia segurança e alegria.
  6. 6.  Pressão dos movimentos sociais pela expansão e qualificação do atendimento; Ampliação gradativa da oferta; Prática educativa aliada às pesquisas (LDB art. 62); Primeira etapa da Educação Básica (LDB art. 21); Direito da Criança, dever do estado (LDB art. 4º); Legislação específica (ECA, LDB, RCNs, PNE); Ensino Fundamental de 9 anos.
  7. 7.  Assim, podemos afirmar que com o avanço na Educação, torna-se merecida a valorização da Educação Infantil, sendo ela a base do desenvolvimento da sociedade.
  8. 8. •A criança precisa ser estimuladapara que se desenvolva de formasaudável e inteligente.•Cada gesto do adulto é muitovalioso para a criança, segundoVigotsky a criança se desenvolve deacordo com os estímulos que recebe.HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
  9. 9.  É estimulada pelos gestos; Fase das imitações: bater palmas, fazer caretas, virar de um lado para o outro, levantar a cabeça; Essas reações preparam a criança para a locomoção e sustentação do próprio corpo.
  10. 10.  Fase marcada pela curiosidade; Andar, falar... Tudo o que importa é movimentar-se (ufa haja fôlego); Com o controle do movimento é motivada a exploração do ambiente; Tudo é brincadeira – não tem noção do que é certo e errado; O adulto precisa estar atento para explorar essa fase de curiosidade e exploração para que a criança sinta ainda mais desejo de pesquisar e descobrir o novo.
  11. 11.  Fase do repertório dos gestos; Desenvolve senso de humor, imitações; Gosta de espelhar-se no adulto; Aprende a usar objetos pessoais como roupas e calçados; Todos os atos exigem uma coordenação motora, como recortar, andar em linha reta, montar quebra-cabeça, ou seja, encaixar pequenas peças, colar, contornar e pintar desenhos; Poder imaginativo para utilizar os objetos com outras funções: um lápis pode ser uma espada, uma caixa transforma-se em navio... O adulto precisa enriquecer a tendência lúdica da motricidade, precisa ter dinamismo para prender a atenção para que as crianças se concentrem um pouco mais.
  12. 12.  VÍDEO 1 VÍDEO 2 Que definições temos para o cuidar, o educar e o brincar? Como deve ser o planejamento das atividades na Educação Infantil para atender o entrelaçamento entre o cuidar, educar e brincar?
  13. 13. Educar no sentido amplo significaproporcionar situação de cuidados, combrincadeiras que desenvolvam a evolução dacriança e jamais a regressão. Comisso, estaremos estimulando-as aoaprendizado significativo nas relaçõesinterpessoais e sociais, como a ética e osvalores.
  14. 14. Como educadores devemos ter uma novaconcepção para que as instituiçõesincorporem à educação infantil uma práticaintegrada. Além de acolher todas as criançasde maneira igualitária, sendo cuidadas eeducadas.
  15. 15. Casa casa casa casacasa
  16. 16.  Há uma diferença fundamental entre ir ao banheiro em casa, em seu espaço familiar, e na Creche, em espaço socializado com outros. O uso do banheiro, acompanhado por alguém, pressupõe a “exposição genital”. Por que em casa isso não é um problema e na Creche pode se transformar. O sentimento de vergonha pode estar presente.
  17. 17.  Orientar a criança a fazer a higiene bucal, considerando que a primeira dentição também precisa de cuidados especiais. Os dentistas recomendam a limpeza das gengivas com uma gaze enrolada no dedo do adulto para limpar os resíduos de alimentos. E para crianças que já tem seus dentes, é recomendado fazer a higienização com escovas de cerdas macias e com pequena quantidade de pasta dental, pois a criança, como não sabe ainda, poderá engolir, mas sendo em pequena quantidade,não haverá problema.
  18. 18.  Gosta de criança; Visão ampla e atualiza-se sempre; Amoroso, carismático, dinâmico e criativo; Profissional multi; Trabalha em equipe; Bom senso e colaboração; Engajado no Projeto Político Pedagógico.
  19. 19. Viva com alegria!Use a imaginação. O primeiro passo é imaginar.Faça AS COISAS DE MODO DIFERENTE.Arrisque-se.Elogie-se. Reconheça o que você faz de bom.Aja. Não espere as coisas acontecerem. Tome a frente e faça você mesmo a mudança.
  20. 20. AGRESSIVIDADENA EDUCAÇÃO INFANTIL
  21. 21.  “...agressão é ad gradior = mover-se para adiante assim como regressão indica o movimento para trás. A violência (vis, bia, hybris, dynamis) é a agressão destrutiva que busca aniquilar, desintegrar. Nem toda agressividade é violência, mas toda violência é,sim, agressividade”. SANTOS, M. C. C. L. (2002).Raízes da Violência na Criança e Danos Psíquicos. Maria Faria Westphal (Org.) Violência e Criança. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
  22. 22.  “... todo o bem e o mal encontrados no mundo das relações humanas serão encontrados no âmago do ser humano... no bebê existe amor e ódio com plena intensidade humana”. (Winnicott) “De todas as tendências humanas, a agressividade, em especial, é escondida, disfarçada, desviada, atribuída a agentes externos, e quando se manifesta é sempre uma tarefa difícil identificar suas origens”. (Winnicott)
  23. 23.  “Observa-se que a atividade de um bebê sadio caracteriza-se por movimentos naturais e uma tendência para bater contra as coisas; isso é gradualmente usado pelo bebê, ao lado dos gritos, cuspidas, de passar fezes e urina, a serviço da raiva, do ódio e da vingança. A criança passa a amar e a odiar simultaneamente, e a aceitar a contradição. Um dos mais importantes exemplos da conjugação de amor e agressão surge com o impulso para morder, que passa a ter um sentido aproximadamente a partir dos cinco meses de idade. Por fim integra-se no prazer que acompanha o ato de comer qualquer espécie de alimento. Originalmente, porém, é o objeto bom, o corpo materno, que excita o morder e produz idéias de morder. Assim, o alimento acaba por ser aceito como um símbolo do corpo da mãe, do corpo do pai ou de qualquer outra pessoa amada”. (Winnicott, 1964:101)
  24. 24.  O ambiente familiar é extremamente relevante no desenvolvimento psicológico das crianças. Desde o primeiro momento em que a criança precisa ser cuidada por um adulto e ao longo dos seus primeiros anos de vida, as relações que estabelece no ambiente familiar devem possibilitar a construção de um sentimento de segurança e de amparo, somente desse modo a criança poderá se sentir a vontade porque sabe que a despeito de toda sua capacidade destrutiva (fantasiada) o ambiente se mantém estável. Entretanto quando isso não ocorre, a criança vai manifestar sua agressividade em outros ambientes, diante de outras pessoas para tentar encontrar um outro quadro de referências: tios, avós, escola...
  25. 25.  “Os pais terão que ser capazes de mostrar força e firmeza em suas atitudes para com os filhos, e também compreensão e amor”. (Winnicott) “Em resumo, a agressão tem dois significados. Por um lado, constitui direta ou indiretamente uma reação à frustração. Por outro lado, é uma das muitas fontes de energia de um indivíduo”. (Winnicott)
  26. 26.  Pode ser que uma criança tenda para a agressividade e outra dificilmente revele qualquer sintoma de agressividade, desde o princípio, embora ambas tenham o mesmo problema. Acontece simplesmente que essas crianças estão lidando de maneiras distintas com suas cargas de impulsos agressivos.” (Winnicott, 1964:97)
  27. 27.  Na teoria de Wallon a passagem de um estágio para outro não se dá linearmente, por ampliação, mas por reformulação, instalando-se no momento da passagem de uma etapa a outra, crises que afetam a conduta da criança. Os conflitos, propulsores do desenvolvimento, que se instalam nesse processo podem ser de origem exógena, quando resultantes dos desencontros entre as ações da criança e o ambiente exterior, estruturado pelos adultos e pela cultura; ou de origem endógena, quando gerados pelos efeitos da maturação nervosa (Galvão, 1995).
  28. 28.  Erikson denomina Confiança Básica versus Desconfiança. Nesse período, referente ao primeiro ano de vida, se a mãe (ou cuidador primário) oferece satisfação em relação às necessidades físicas e emocionais básicas, o bebê desenvolve um senso de confiança básica no outro e no "self". Esse sentimento de confiança está relacionado com a persistência, continuidade e uniformidade da experiência de cuidado, que proporciona um sentimento primitivo de identidade do ego. Sentimento esse que futuramente combinará o sentimento de ser “aceitável”, por ser ela mesma, e de se transformar naquilo que os demais acreditam que chegará a ser.
  29. 29.  Denominado Autonomia versus Vergonha e Dúvida. Corresponde ao período de dois a três anos de idade. Nessa fase, as trocas com o ambiente, ocorrem por meio de agarrar (retenção) e soltar (eliminação). Nessa idade a criança sente necessidade de testar os limites e explorar; se a dependência é estimulada, a autonomia da criança é inibida. O controle externo deve ser firmemente tranqüilizador. A criança deve sentir que não terá sua existência ameaçada. O ambiente deve tanto encorajá-la a se manter sobre seus próprios pés, como protegê-la contra as experiências arbitrárias e esporádicas de se envergonhar e sentir-se em dúvida precocemente.
  30. 30.  Corresponde ao período de três a cinco anos de idade, Denominado Iniciativa X Culpa. A partir dessa fase a criança começa a reconhecer as instituições, funções e papéis que permitem sua participação responsável, graças ao desenvolvimento gradual de um senso de responsabilidade moral. Encontra prazer no manejo de ferramentas, na manipulação de brinquedos e no cuidado de crianças menores. Portanto, ao lado da fixação opressiva de um senso moral que restringe o horizonte do que é permitido, essa etapa possibilita também a determinação da direção para o que é possível concretamente, permitindo relacionar os sonhos das primeiras fases da infância com os objetivos da vida adulta.
  31. 31. CARACTERÍSTICAS DAS CRIANÇAS AGRESSIVAS
  32. 32.  A criança é caracterizada como agressiva principalmente porque morde os colegas; algumas vezes apresenta um comportamento diferenciado dos demais no tocante à linguagem e a interação com as outras crianças. É preciso levantar hipóteses, por exemplo de comprometimento psicofisiológico e sugerir a mãe que procure um neurologista ou psiquiatra infantil.
  33. 33.  De acordo com os psicólogos o comportamento agressivo é freqüente e intencional (criança age por motivação própria e para causar algum dano e não de modo reativo – reação a alguma agressão/frustração).
  34. 34.  Comportamentos que se desviam daqueles desejados pelos adultos, nem sempre significam agressividade. Ex.: “luta” entre os meninos e outros colegas, significa que estão brincando de brigar, e não necessariamente a intenção de machucar o outro. Desobediência ou indisciplina X agressividade.
  35. 35.  http://www.youtube.com/watch?v=Tj9BEu75FyA – vídeo agressividade
  36. 36.  Até que ponto a creche propicia um ambiente seguro para as crianças, uma vez que, para ali, vão todos os dias, permanecem quase dez horas diárias sob a tutela de professoras e auxiliares? Ali são submetidas a modelos de comportamento, a formas de lidar com a corporeidade, a padrões de socialização e convívio social, a processos de desenvolvimento emocional: amor, ódio, prazer, ansiedade, angústia e assim por diante... Diferentes da rotina de suas casas?
  37. 37.  A creche oferece um ambiente seguro para que as crianças possam demonstrar sua agressividade sem medo de serem aniquiladas por isso? Talvez um dos maiores desafios a ser enfrentado, quando examinamos o fenômeno da violência infantil, na perspectiva de Winnicott, seja o da aceitação dos adultos de que tal agressividade é fato normal, que ela é expressão de uma falta, e/ou ausência, e que, no lugar de ser reprimida, ela precisa ser canalizada por meio de um ato criativo.
  38. 38.  Que a criança seja responsabilizada pelo que fez. Liberdade de ação, onde a criança escolha o que fazer, explorando os “cantos” da sala, para permitir a mobilidade da criança e ao mesmo tempo a supervisão do adulto. O excesso de energia gasto para chamar a tenção das crianças cria um “clima” ruim na sala de aula e ocasiona um desgaste da professora na relação com as crianças, fragilizando sua autoridade, fatores esses que propiciam interações não educativas entre as crianças e entre elas e as professoras.
  39. 39.  Que o ambiente ofereça um suporte gradual para as atividades das crianças de modo que estas se sintam satisfeitas em realizar sozinhas algumas tarefas. CUIDADO - O risco de sufocar a criança com uma superproteção que lhe impeça de fazer suas tentativas, ou o risco de oferecer um suporte insuficiente que gere na criança um sentimento de incapacidade. Essas duas posturas podem gerar sentimentos de dúvida e vergonha prejudiciais no desenvolvimento da autonomia.
  40. 40. A agressividade podeperfeitamente funcionar comouma forma de compensar essaperda de autonomia e dosentimento de vergonha.
  41. 41.  O educador infantil é ou não é o mais importante na formação da personalidade de uma criança?????
  42. 42. É sabido que a criança, como todo ser humano, éo sujeito do meio histórico e social, faz parte dajunção familiar de maneira organizada, ouseja, está inserida na sociedade, todavia comdeterminada cultura. Pode-se afirmar que acriança tem na família biológica ou com a qualconvive, um ponto de referência, sendo esseessencial para sua convivência.
  43. 43. Assim é importante que as profissionais da creche ou educação infantil conheçam o mínimo sobre a vida da criança que está recebendo, cuidando, educando, formando...COMO: Visita às famílias com questionário; Socialização entre a equipe da instituição; Conversas com o responsável diariamente; Entendimento e aceitação da criança como um ser em formação.
  44. 44.  A rotina da Creche ou Ensino Infantil interfere no comportamento apresentado pelas crianças?
  45. 45.  As atividades devem ser planejadas respeitando a fase em que cada criança se encontra; Uma ideia interessante é ter caixas na sala com lençóis/tecidos de diferente tamanhos e cores; A criança precisa experimentar para conhecer... Use muitas atividades com tinta, papel para rasgar... Os gestos, o olhar e a emoção do professor também são instrumentos que contam muito no ato de educar. Pois a imagem é mais forte!
  46. 46.  http://www.youtube.com/watch?v=QrjamaSsl2s&feature=related vídeo projeto afetividade

×