NUTRIÇÃO NO ASILO” - ADEQUAÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO SERVIDA AOS
IDOSOS DO ASILO FUNDAÇÃO FREDERICO OZANAN, MUNICÍPIO...
O projeto “Desenvolvendo a afetividade de idosos institucionalizados através dos
animais” existe desde 2006 e tem repercut...
O grupo é formado por veterinários, enfermeiros, geriatras, fisioterapeutas,
psicólogos, etc.
Essa inter-relação entre as ...
 Cana de alta digestibilidade ajuda dieta bovina
 Integração lavoura-pecuária é alternativa sustentável
Compartilhe
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nutrição no asilo

499 visualizações

Publicada em

trabalho sobre 3ª idade

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
499
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nutrição no asilo

  1. 1. NUTRIÇÃO NO ASILO” - ADEQUAÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO SERVIDA AOS IDOSOS DO ASILO FUNDAÇÃO FREDERICO OZANAN, MUNICÍPIO DE ITAÚNA / MG *Silva, Caroline de Faria e; *Freitas, Flávia Vitorino; **Silveira, Hélvia Lúcia do Carmo; **Faria, Márcia Nogueira de; **Machado, Márcia Regina de Oliveira; **Mangini, Raquel Antunes Nos próximos cinqüenta anos, a população de pessoas com mais de sessenta anos será de 1,9 milhões de idosos no planeta. Segundo as projeções, o número de pessoas com mais de cem anos aumentará quinze vezes. O último censo demográfico do IBGE, do ano de 2000, aponta que hoje há quinze milhões de idosos no Brasil, com sessenta anos ou mais. O envelhecimento é marcado por uma perda progressiva de massa corpórea magra, assim como mudanças na maioria dos sistemas orgânicos. É natural a importância da boa alimentação, sobretudo das intervenções nutricionais, influenciando positivamente na longevidade do ser humano e na manutenção da saúde, considerando suas vertentes físicas, psíquicas e sociais. Mas o tempo traz as consequências de maus hábitos alimentares adquiridos desde a infância. Devido ao aumento na expectativa de vida, o idoso passou a ser mais acometido por doenças agudas e crônicas. A alta prevalência de doenças da terceira idade pode ocasionar desnutrição. Um mau estado nutricional associa-se à maior morbidade e a desnutrição é a causa de maior incidência de morbidade e mortalidade. Já que a alimentação é importante para os sentimentos básicos de segurança, a hora das refeições deve ser vista como uma atividade recreativa. E, para melhor atender as necessidades dos idosos do asilo Frederico Ozanam, serão feitas avaliações e adequações nutricionais. O objetivo é interagir a teoria aplicada durante as aulas com a prática; estreitar a relação Universidade – Comunidade; avaliar nutricionalmente os idosos, através de avaliação antropométrica e clínica; propôr um cardápio nutricionalmente equilibrado, de acordo com suas necessidades e condições; treinar os manipuladores quanto à técnica dietética, melhorando a preparação dos alimentos, para que sejam preservadas as características nutricionais organolépticas; incentivar a criação e cultivo de hortas no asilo, visando aumentar a oferta de hortaliças no cardápio; incentivar os idosos e a comunidade a cuidarem da horta; orientar os idosos sobre a importância da boa alimentação, através de palestras. Para isso, haverá reuniões semanais do coordenador com os alunos, para discussão dos casos. Serão atendidos todos os idosos do asilo Frederico Ozanan, sendo feita uma avaliação nutricional, e será realizado um treinamento com os funcionários, avaliando e adequando, da melhor forma o cardápio oferecido. A avaliação do projeto será feita junto a idosos que se encontram em perfeitas condições físicas e psíquicas, com a coordenadora, a assistente social e os funcionários do asilo, através de questionários. * Professor(a) da UNIFENAS, CP. 23, 37130-000, Alfenas(MG) **Acadêmico(a) da Unifenas, em Alfenas(MG) ooterapia melhora qualidade de vida de idosos em asilo Por Valéria Dias - valdias@usp.br Publicado em 15/julho/2010 | Editoria : Sociedade | Imprimir | A zooterapia, tratamento de pessoas por meio de animais, traz benefícios significativos na melhoria da qualidade de vida de idosos institucionalizados. O contato com animais como cães, peixes, tartarugas, pássaros e até escargots vem proporcionando um aumento da afetividade, do ânimo e da socialização dessas pessoas, como mostra o projeto implantado pela professora Maria de Fátima Martins, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP. Aumento da socialização dos idosos é um dos benefícios da terapia com animais
  2. 2. O projeto “Desenvolvendo a afetividade de idosos institucionalizados através dos animais” existe desde 2006 e tem repercutido positivamente na saúde dos idosos. A cada 15 dias, um grupo de 5 ou 6 alunos de graduação e pós-graduação, tanto da USP como de outras instituições de ensino, realiza uma visita aos idosos internados no asilo São Vicente de Paula, em Pirassununga, levando os animais para interagirem com as pessoas. A instituição acolhe cerca de 31 idosos, entre homens e mulheres. “Desde que implantamos o projeto, observamos inúmeras melhorias na qualidade de vida desses idosos”, aponta Maria de Fátima, coordenadora da iniciativa e docente do Departamento de Nutrição e Produção Animal (VNP) da FMVZ, no campus de Pirassununga. Entre os animais estão cães como labrador, golden retriever, basset e até sem raça definida SRD, além de canários e calopsitas. “O importante é que o animal tenha passado por um processo educativo para estar apto a ser levado ao asilo e que esteja adequado sob o ponto de vista sanitário”, afirma. Segundo a professora, se antes os idosos se mostravam fechados, sem se comunicarem entre si, e entediados com a rotina do asilo, agora a realidade é outra. “Eles acabam conversando mais uns com os outros, compartilham experiências de vida, relembram os animais de estimação que tiveram, e conseguem sair da rotina”, aponta. Outro aspecto é que eles também se transformam em cuidadores: os pesquisadores instalaram um aquário na instituição para que eles tomassem conta dos peixes. “A cada dez dias, aproximadamente, alguns alunos do projeto vão até lá para supervisionar a iniciativa.” Além de cães, pesquisadores também levam ao asilo pássaros como as colopsitas Nesta sexta-feira, sábado e domingo a população da Capital Paulista poderá conhecer mais de perto o projeto de Zooterapia desenvolvido pela professora Maria de Fátima. O trabalho contará com a participação da ONG Zooterapia e ONG ATEAC e será apresentado no 13º Festival do Japão 2010, que acontece no Centro de Exposições Imigrantes (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5, São Paulo). Extensão com pesquisa Maria de Fátima salienta que o projeto agrega o tripé ensino / pesquisa / extensão, mas em relação a este último item, destaca o caráter científico com que abordam as atividades no asilo. “Buscamos observar as reações dos idosos, e coletar e anotar essas informações para termos material que poderá ser usado em outras pesquisas”, explica.
  3. 3. O grupo é formado por veterinários, enfermeiros, geriatras, fisioterapeutas, psicólogos, etc. Essa inter-relação entre as áreas do conhecimento, explica a professora, é proporcionada pela zooterapia a partir do fato de que o contato com os animais pode ser analisado sobre diversas áreas. “Ao acariciar um cão, por exemplo, o idoso vai estender a sua mão, ou ainda, ele pode querer passear com o animal e isso pode ser útil na área da fisioterapia. Já um psicólogo pode analisar as reações emocionais do idoso a partir do contato com o animal. Um veterinário pode analisar o comportamento dos animais diante das pessoas do asilo”, conta. O campus de Pirassununga oferece a disciplina de Zooterapia desde 2000 e a turma recebe, além de alunos de diversas áreas do conhecimento, idosos participantes do Universidade Aberta à Terceira Idade. “Já fizemos palestras sobre o projeto de Zooterapia em escolas e hospitais e fomos convidados para ministrar cursos em outras universidades em Manaus, Cuiabá, Espírito Santo”, completa. O próximo curso acontece entre os dias 31 de julho e 1º de agosto, no campus de Pirassununga, que vai sediar a terceira edição do Curso de atividade, educação e terapia assistida por animais. As inscrições estão abertas. Projeto horta, implantando no campus, possibilita interação entre jovens e idosos Os pesquisadores também criaram uma horta dentro do asilo, que fica sob os cuidados dos idosos, e outra dentro do campus de Pirassununga, envolvendo alunos de pré- iniciação científica e da terceira idade, onde são cultivadas hortaliças e plantas medicinais. Com isso há uma interação nas diferentes idades, promovendo um entrosamento e troca de vivencias. “Se antes apenas transmitíamos conhecimento em medicina veterinária, agora nos transformamos em agentes sociais de mudanças”, comemora a professora. Imagens cedidas pela pesquisadora Mais informações: (19) 9120-9642 oufmartins@usp.br">fmartins@usp.br, com a professora Maria de Fátima Martins Mais informações Palavras chave asilo,Departamento de Nutrição e Produção Animal,FMVZ, idosos,zooterapia Artigos relacionados  Silagem de cana é opção de volumoso para bovinos
  4. 4.  Cana de alta digestibilidade ajuda dieta bovina  Integração lavoura-pecuária é alternativa sustentável Compartilhe

×