Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos

4.169 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.169
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
100
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
244
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeiro Módulo - Aula 6 - Espirítos

  1. 1. ESPÍRITOS ESCALA ESPIRITA Progressão dos Espíritos
  2. 2. Progressão dos Espíritos <ul><li>Os Espíritos são criados simples e ignorantes, isto é, sem ciência e sem conhecimento do bem e do mal, porém perfectíveis e com igual aptidão para tudo adquirirem e tudo conhecerem, com o tempo. A princípio eles se encontram numa espécie de infância, carentes de vontade própria e sem a consciência perfeita de sua existência. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A medida que o Espírito se distancia do ponto de partida, desenvolvem-se-lhe as idéias, como na criança, e com as idéias o livre-arbítrio, isto é, a liberdade de fazer ou não fazer, que é um dos atributos essenciais do Espírito. </li></ul><ul><li>O objetivo final de todos consiste em alcançar a perfeição de que é suscetível a criatura. O resultado dessa perfeição está no gozo da suprema felicidade. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A vida espiritual é a vida normal do Espírito: é eterna; </li></ul><ul><li>a vida corporal é transitória e passageira: não é mais do que um instante na eternidade. </li></ul><ul><li>O aperfeiçoamento do Espírito é fruto do seu próprio labor, ele avança na razão de sua maior ou menor atividade ou da boa vontade em adquirir as qualidades que lhe faltam. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Não podendo, numa só existência, adquirir todas as qualidades morais e intelectuais, ele chega a essa aquisição por meio de uma série de existências, em cada uma das quais dá alguns passos para frente, na senda do progresso e se liberta de algumas imperfeições. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>É indeterminado o número de existências; depende da vontade do Espírito reduzir esse número, trabalhando ativamente pelo seu progresso moral. </li></ul><ul><li>No intervalo das existências corpóreas, o Espírito vive a vida espiritual, que Kardec chama de erraticidade . </li></ul>
  7. 7. Escala Espírita <ul><li>Allan Kardec [LE-qst 100] vai apresentar uma classificação prática dos diversos Espíritos, de acordo com seu progresso intelecto-moral. Lembra o Codificador que esta classificação não é estanque, existindo inúmeras variações entre uma classe e outra, e que Espírito algum permanecerá eternamente na mesma classe, pois o progresso é uma fatalidade na Lei Divina. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Escala Espírita: </li></ul><ul><li>1ª Ordem – Espíritos Puros </li></ul><ul><li>2ª Ordem – Espíritos Bons </li></ul><ul><li>3ª Ordem – Espíritos Imperfeitos </li></ul>
  9. 9. TERCEIRA ORDEM: ESPIRÍTOS IMPERFEITOS <ul><li>Predomínio da matéria sobre o Espírito. Propensão ao mal. Têm a intuição de Deus, mas não o buscam através de atos e pensamentos. Apresentam idéias pouco elevadas. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Apresenta cinco classes: </li></ul><ul><li>1ª Classe: Espíritos Batedores </li></ul><ul><li>2ª Classe: Espíritos </li></ul><ul><li>3ª Classe: Espíritos Pseudo-Sábios : </li></ul><ul><li>4ª Classe: Espíritos Levianos : </li></ul><ul><li>5ª Classe: Espíritos Impuros : </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  11. 11. caracterisiticas: <ul><li>1ª Classe: Espíritos Batedores </li></ul><ul><li>ou Perturbadores: sua presença manifesta-se por efeitos sensíveis e físicos, como pancadas e deslocamento de corpos sólidos; </li></ul><ul><li>2ª Classe: Espíritos </li></ul><ul><li>Neutros: apegados às coisas do mundo, não são bons o suficiente para praticarem o bem, nem maus o bastante para fazerem o mal; </li></ul>
  12. 12. <ul><li>3ª Classe: Espíritos Pseudo-Sábios : </li></ul><ul><li>possuem grande conhecimento, mas julgam saber mais do que sabem; sua linguagem tem caráter sério, misturando verdades com suas próprias paixões e preconceitos; </li></ul><ul><li>4ª Classe: Espíritos Levianos : </li></ul><ul><li>são ignorantes e inconseqüentes, mais maliciosos do que propriamente maus; linguagem alegre, irônica e superficial; </li></ul><ul><li>5ª Classe: Espíritos Impuros : </li></ul><ul><li>o mal é o objeto de suas preocupações; sua linguagem é grosseira e revela a baixeza de suas inclinações. </li></ul>
  13. 13. Segunda Ordem: Espíritos Bons <ul><li>Observa-se nesses Espíritos, predomínio do Espírito sobre a matéria, desejo do bem e a sua realização depende que tingem; buscam Deus conscientemente, mas ainda terão de passar por provas; uns possuem a ciência, outros a sabedoria e a bondade; os mais adiantados juntam ao seu saber as qualidades morais </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Esta ordem apresenta quatro classes principais: </li></ul><ul><li>1ª Classe: Espíritos Superiores </li></ul><ul><li>2ª Classe: Espíritos Prudentes </li></ul><ul><li>3ª Classe: Espíritos Sábios </li></ul><ul><li>4ª Classe: Espíritos Benévolos </li></ul>
  15. 15. CARACTERISTICAS <ul><li>2ª Classe: Espíritos Superiores : </li></ul><ul><li>reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade; buscam comunicar-se com os que aspiram à verdade; encarnam-se na Terra apenas em missão de progresso e caracterizam o tipo de perfeição a que podemos aspirar neste mundo; </li></ul><ul><li>3ª Classe: Espíritos Prudentes : </li></ul><ul><li>elevadas qualidades morais e capacidade intelectual que lhes permitem analisar com precisão os homens e as coisas; </li></ul>
  16. 16. <ul><li>4ª Classe: Espíritos Sábios: </li></ul><ul><li>amplitude de conhecimentos aplicados em benefício dos semelhantes; têm mais aptidão para as questões científicas do que para as morais; </li></ul><ul><li>5ª Classe: Espíritos Benévolos: </li></ul><ul><li>seu progresso realizou-se mais no sentido moral do que no intelectual; a bondade é a qualidade dominante. </li></ul>
  17. 17. Primeira Ordem: Espíritos Puros <ul><li>Os Espíritos que compõe a primeira ordem percorreram todos os degraus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma de perfeição de que é suscetível a criatura, não têm mais de sofrer provas e expiações. Não estão mais sujeitos às reencarnações, mas podem, ocasionalmente, reencarnarem como grandes missionários. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Gozam de inalterável felicidade e sua superioridade intelectual e moral em relação aos outros Espíritos é absoluta. São os mensageiros de Deus, na direção dos mundos, sistemas planetários e galáxias . </li></ul><ul><li>O único Espírito puro a encarnar no nosso orbe foi Jesus. </li></ul><ul><li>Esta ordem apresenta uma única classe ( 1ª classe ); </li></ul>
  19. 19. Progressão dos Espíritos Anjos e Demônios <ul><li>Ao analisar a progressão dos Espíritos, deve-se levar em conta as seguintes considerações: </li></ul><ul><li>A - Espírito e matéria estão sempre associados. </li></ul><ul><li>B - Em sua escalada progressiva para atingir a perfectibilidade, o Espírito deve lutar para que sua natureza espiritual domine sua natureza material, trabalhando os seguintes aspectos: </li></ul>
  20. 20. <ul><li>1 - Desenvolvendo a sua inteligência e adquirindo os conhecimentos que o levarão à verdade, passando pelas provas que Deus lhe impõe; </li></ul><ul><li>2 - Despojando-se de influências da matéria, como por exemplo, as sensações dos órgãos, à qual está ligado necessariamente para sua manifestação como Espírito; </li></ul><ul><li>3 - Libertando-se dos males como o egoísmo, orgulho, a maldade, etc.. e conquistando as virtudes como a caridade, a humildade, etc... </li></ul>
  21. 21. <ul><li>C - Os Espíritos foram criados iguais, simples e ignorantes, porém todos atingirão a perfectibilidade. Com isso pode-se dizer que: </li></ul><ul><li>a) Não há penas eternas. Os Espíritos não permanecem perpetuamente nas classes inferiores. </li></ul><ul><li>b) O Espírito pode permanecer estacionário, mas não retrógrada, uma vez que o conhecimento adquirido não mais se perde. </li></ul><ul><li>c) Deus não libera os Espíritos das provas que devem sofrer para chegarem à Primeira Ordem, pois se o fizesse, teria de criá-los perfeitos e, como tal, eles não teriam merecimento para usufruir dos benefícios da perfectibilidade conquistada. </li></ul>
  22. 22. Anjos <ul><li>Os seres que chamamos anjos, arcanjos, serafins, não formam uma categoria especial , de natureza diferente da dos outros Espíritos; são Espíritos puros: estão no mais alto grau da escala e reúnem em si todas as perfeições. (LE – 128)  </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Os anjos também percorreram todos os graus , mas, uns aceitaram a sua missão sem murmurar e chegaram mais depressa; outros empregaram maior ou menor tempo para chegar à perfeição. (LE – 129). </li></ul><ul><li>Nosso mundo não existe de toda a eternidade, e que muito antes de existir já havia Espíritos no grau supremo; os homens, por isso, acreditaram que eles sempre haviam sido perfeitos. (LE – 130). </li></ul>
  24. 24. Demônios <ul><li>Não há demônios, no sentido que se dá a essa palavra, pois se houvesse demônios, eles seriam obra de Deus. E Deus não seria justo e bom, criando seres infelizes, eternamente voltados ao mal. </li></ul><ul><li>Se há demônios, eles fazem parte deste mundo inferior ou de outros semelhantes, que residem: são esses homens hipócritas que fazem de um Deus justo um Deus mau e vingativo, e que pensam lhe ser agradáveis pelas abominações que cometem em seu nome. (LE – 131) </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  25. 25. <ul><li>NOTA DE ALLAN KARDEC : </li></ul><ul><li>A palavra demônio não implica a idéia de Espírito mau, a não ser na sua acepção moderna, porque o termo grego daimon , de que ela deriva, significa gênio, inteligência, e se aplicou aos seres incorpóreos, bons ou maus, sem distinção. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Os demônios, segundo a significação vulgar do termo, seriam entidades essencialmente malfazejas: e seriam, como todas as coisas, criação de Deus. Mas Deus, que é eternamente justo e bom, não pode ter criado seres predispostos ao mal por sua própria Natureza e condenados pela Eternidade. Se não fossem obra de Deus, seriam eternos como ele, e nesse caso haveria muitas potências soberanas </li></ul>
  27. 27. O CRISTO CONSOLADOR
  28. 28. O JULGO LEVE <ul><li>&quot;Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais sobrecarregados, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e o meu fardo é leve&quot;. (Mateus XI – 28 a 30) </li></ul>
  29. 29. <ul><li>Jesus nos convida para irmos até Ele, pois seremos aliviados. </li></ul><ul><li>Jesus nos exige é o aprendizado da Lei de Deus, e o seu fardo é a prática desta Lei. Por isso que Ele diz que seu jugo é suave e o seu fardo é leve. </li></ul>
  30. 30. O CONSOLADOR PROMETIDO <ul><li>Se me amais, guardai os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito de Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece. Mas vós conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós. Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo que vos tenho dito.(João XIV – 15-17 a 20). </li></ul>

×