Seminário Síntese IntegradorAtividade Final do Bloco IEspecialização em SaúdePúblicaENSP - Fiocruz 2012
Michel Foucault (1926-1984)
Europa - Início da medicina           social Medicina de Estado Medicina urbana Medicina da força de trabalho
   Século XVIII                      Medicina social no BrasilEstado x Famílias coloniais brasileiras -> medidas de contr...
Saúde Pública no BrasilA Primeira República (1889 - 1930) Crise do modelo imperial escravagista e no externo uma redefini...
O Movimento da Reforma Sanitária Anos 80: Período final da ditadura militar processo de redemocratização do país;Crítica ...
Saúde Pública x Saúde ColetivaA Saúde Pública tem base no modelo biomédico e compreende o  indivíduo como organismo biológ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Saúde Pública

442 visualizações

Publicada em

Seminário Síntese Integrador
Atividade Final do Bloco I
Especialização em Saúde Pública
ENSP - Fiocruz 2012

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saúde Pública

  1. 1. Seminário Síntese IntegradorAtividade Final do Bloco IEspecialização em SaúdePúblicaENSP - Fiocruz 2012
  2. 2. Michel Foucault (1926-1984)
  3. 3. Europa - Início da medicina social Medicina de Estado Medicina urbana Medicina da força de trabalho
  4. 4.  Século XVIII Medicina social no BrasilEstado x Famílias coloniais brasileiras -> medidas de controle repressivas e punitivas Século XIXEstado x Famílias da elite latifundiárias -> política higienista“A medicina social vai dirigir-se a família burguesa citadina, procurando modificar a conduta física, intelectual, moral, sexual e social dos seus membros com vistas à sua adaptação ao sistema econômico e político”(Costa, 2004, p.33)Estado x Famílias pobres -> medidas de controle repressivas e punitivasPolítica higiência Grande progresso da ciência Benefícios para população brasileiraMas também... Serviu prontamente aos interesses do estado Regulação demográfica e política Construção de uma nova ordem urbanaEstado + dispositivo médico higienista1829 - Fundação da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro1851- Estado cria a Junta Central de Higiene PúblicaTemas da medicina social: Contrato conjugal Conservação das crianças Casa higiênica Amor à pátria “A ausência de patriotismo, fato social, era deste modo abruptamente inscrita na ordem médica. (...) Afirmando que o amor à “A pátria não era uma doença, os higienistas não tardaram em proclamá-lo sinal de sanidade. E num movimento de retorno político-teórico, a ausência de patriotismo foi redefinida como deficiência físico-moral. (...) Propósito explícito: demonstrar que a incapacidade de amar o Estado era uma doença. E, por extensão, postular que a submissão do indivíduo ao governo estatal não era sintoma de anulação política mas prova de boa saúde.” (p.67)Normas Familiares <-> Práticas Disciplinares <-> Medicina Social
  5. 5. Saúde Pública no BrasilA Primeira República (1889 - 1930) Crise do modelo imperial escravagista e no externo uma redefinição da hegemonia nacional do capitalismoO Período Populista (dos Anos 30 aos Anos 50) Criação dos institutos de seguridade social, como os Institutos de Aposentadoria e Pensões (IAPs)O Período do Desenvolvimentismo (Anos 50 e 60)O Período do Estado Militarista e o ‘Milagre Brasileiro’ (1964 - 1984)
  6. 6. O Movimento da Reforma Sanitária Anos 80: Período final da ditadura militar processo de redemocratização do país;Crítica ao modelo de saúde hegemônico: - Biologicista, modelo curativo, hopitalocêntrico; - Sistema de Saúde Previdenciário em crise, ineficaz e privatista; Anos 70 e 80: - Ocorrem experiências de trabalho em saúde coletiva: No interior do Brasil, atenção básica nas áreas rurais; Práticas de saúde no território, nas comunidades;- Influência das ciências humanas incorporadas na área da saúde ;- Mobilização de movimentos sociais formados por: residentes, médicos, cientistas, acadêmicos, líderes comunitários, sindicatos e movimentos estudantis;- Discussões sobre condição de vida da população, precariedade do sistema de saúde vigente, condições de trabalho;- Propostas de transformações e mudanças: Não só um novo sistema de saúde, mas a “introdução de uma nova idéia sobre a vinculação da saúde com lutas políticas e sociais mais amplas que culminassem na melhoria das condições de vida da população.” (Feuerwerker,2005, p.490) Idéias-força da reforma sanitária :- Universalidade e Equidade, fortalecidos pelo gestão social democrática;- Perspectiva de atenção integral às necessidades da população, reconhecendo as determinações sociais das doenças;- Crítica às práticas hegemônicas de saúde: proposição de uma nova divisão do trabalho em saúde, incluindo um papel ativo do usuário na construção da saúde; VIII Conferência Nacional de Saúde em Brasília em 1986- Constituição Brasileira 1988 : incorporou grande parte das idéias defendidas pelo Movimento.
  7. 7. Saúde Pública x Saúde ColetivaA Saúde Pública tem base no modelo biomédico e compreende o indivíduo como organismo biológico somente, não considerando o aspecto social. Esta visão é focada no discurso naturalista, medicocêntrico. Enquanto a Saúde Coletiva é um campo de saber e de práticasque estuda e analisa não somente o corpo, mas o indivíduo bem como sua interação e relação com o ambiente e trata a saúdecomo fenômeno social, sendo a multidisciplinaridade sua marca.

×