Conseqüências no Organismo  O estresse pode afetar o organismo de diversas formas e seus sintomaspodem variar de pessoa pa...
Definida como uma reação à tensão emocional crônica gerada a partir do contatodireto, excessivo devido as longas jornadas ...
burnout é uma síndrome do trabalho, que se origina da discrepância da                             percepção individual ent...
Conseqüências no organismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conseqüências no organismo

2.778 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conseqüências no organismo

  1. 1. Conseqüências no Organismo O estresse pode afetar o organismo de diversas formas e seus sintomaspodem variar de pessoa para pessoa. Existe uma sensibilidade pessoalque reage quando enfrentamos um problema, e essa particularidadeexplica como lidamos com situações desafiadoras, decidindo enfrentá-lasou não.Não são só situações ruins que nos deixam estressados. Todas as grandesmudanças que passamos na vida são situações estressantes, mesmo seelas forem boas e que esteja nos fazendo felizes. A necessidade de ajuste deixa o organismo preparado para "lutar oufugir", aumentando a pressão arterial e e frequência cardíaca, econtraindo músculos e vasos sanguíneos. Na natureza esta adaptação énecessária visto que o animal precisa tomar uma decisão rápida de defesaou ataque, mas em se tratando de seres humanos que convivem comdiversas situações estressantes, esta reação pode ser prejudicial. O excesso de estresse pode causar desde dores pelo corpo e queda decabelo até sintomas sérios como hipertensão e problemas no coração.O fato de um evento emocional como o estresse afetar o organismo sedeve ao íntimo relacionamento entre o sistema imunológico (defesa),sistema nervoso (controle) e sistema endócrino (hormonal). Por isso umestresse intenso pode afetar qualquer um desses sistemas levando àdiversidade dos sintomas do estresse.3.2 A SÍNDROME DE BURNOUTO Burnout surgiu em 1974. Quem aplicou este termo foi o psicólogo Fregenbauer, queconstatou esta Síndrome em um de seus pacientes que trazia consigo energias negativas,impotência relacionado ao desgaste profissional.O termo Burnout é uma composição de burn (queimar) e out (fora), ou seja, traduzindo para oportuguês significa “perda de energia” ou “queimar” para fora, fazendo a pessoa adquirir essetipo de estresse tendo reações físicas e emocionais, passando a apresentar um tipo decomportamento agressivo. Apesar de ser bastante semelhante ao estresse, o Burnout não deveser confundido com o mesmo. O Burnout é muito mais perigoso para a saúde. No estresseexistem maneiras de controlá-lo. Como exemplo, um trabalhador estressado quando tira fériasvolta novo para o trabalho, mas isso não acontece com um trabalhador que esteja sofrendo aSíndrome de Burnout. Assim que ele retorna ao trabalho os problemas voltam a surgirnovamente.
  2. 2. Definida como uma reação à tensão emocional crônica gerada a partir do contatodireto, excessivo devido as longas jornadas de trabalho, faz o indivíduo perder a sua relaçãocom o trabalho, de forma que as coisas deixem de ter importância e que qualquer esforço quefaça será inútil. Qualquer trabalhador pode apresentar o Burnout, porém vale ressaltar que essaSíndrome aparece mais em profissionais que trabalham em atividades onde se tenharesponsabilidade pelo outro, seja por sua vida ou por seu desenvolvimento. Essa Síndromeaparece em profissionais que tenham contato interpessoal mais exigente, como é o caso dosprofissionais que estão ligados na área da educação e saúde, carcereiros, atendentes públicos,funcionários que dentro da Organização exercem cargos de gerente, diretores, chefias etelemarketing. O conceito de Burnout pode ser dividido em três dimensões que são: 1. Exaustão emocional - é a situação em que o trabalhador percebe que suas energias estão esgotadas e que não podem dar mais de si mesmo. Surge o aparecimento do cansaço, fica propenso a sofrer acidentes, ansiedade, abuso de álcool, cigarros e outras drogas ilícitas. 2. Despersonalização - desenvolvimento de imagens negativas de si mesmo, junto com um certo cinismo e ironia com as pessoas do seu ambiente de trabalho, com clientes e aparente perda da sensibilidade afetiva. 3. Falta de envolvimento pessoal no trabalho - diminuição da realização afetando a eficiência e a habilidade para a concretização das tarefas, prejudicando seu desempenho profissional. O Burnout está associado entre o que o trabalhador dá, ou seja, tudo aquilo que investeno trabalho, e o que ele recebe, isto é, reconhecimento de seus supervisores, de sua equipe detrabalho. Muitas vezes, o profissional dá tudo de si e não é valorizado, fazendo com que fiquefrustrado, tendo a sensação de inutilidade para com o trabalho. Para Farber (1991),
  3. 3. burnout é uma síndrome do trabalho, que se origina da discrepância da percepção individual entre esforço e conseqüência, percepção esta influenciada por fatores individuais, organizacionais e sociais. Um profissional que entra em Burnout, assume um comportamento de frieza com seusclientes e com quem trabalha. As relações pessoais são cortadas, passam a agir como seestivessem em contato com objetos, também ocorre a perda da sensibilidade afetiva, deixandode se responsabilizar pelos problemas e dificuldades das pessoas que cuidam. Análise feita mostra que a violência, a falta de segurança no emprego, burocracia noprocesso de trabalho, falta de autonomia, baixos salários, tendência a se isolar das pessoas quetrabalham, falta de apoio, também são fatores que estão relacionados ao Burnout. A falta de perspectiva com relação a ascensão na carreira profissional, pode gerarsentimentos de ansiedade e frustração constante no cotidiano do trabalho. Quando oprofissional está afetado pela Síndrome, as idéias pessimistas, o medo, predominam com umacerta influência no local de trabalho..Uma das principais atitudes de combate é “saber lidar com as diferenças de personalidade” noambiente de trabalho. Muitas pessoas têm medo de ensinar o serviço para o colega de trabalho,temendo perder espaço na empresa. Porém, a melhor atitude neste caso é procurar “somarcompetências”, buscando manter-se constantemente atualizado dentro de sua área, podendo assimsuperar esta insegurança.O combate ao estresse pode também estar na prática de diversas formas de relaxamento, e terapias,como ioga e acupuntura, como também, adotar o hábito de praticar alguns hobbies.Outro fator que o executivo deve também se ater na busca de uma melhor qualidade de vida não sóno trabalho, como fora dele é sempre procurar ter atitudes preventivas. Perceber o mundo de formapositiva. Criar uma atmosfera de entusiasmo e harmonia. Mudar para melhor. Ter paixão pelo que sefaz. Repensar as prioridades da vida. Aproveitar a Empresa para crescer. Equilibrar razão e emoção.Fazer mais concessões para si. Ter maior flexibilidade para lidar com as diferenças. Ter um bomrelacionamento familiar e com os amigos. Planejar desde já o seu projeto de vida.....Sonhartentar,ousar........“Quando semeamos ações que levam felicidade e sucesso aos outro

×