Custos no Setor Público como Instrumento de Controle Social

2.584 visualizações

Publicada em

Custos no Setor Público como Instrumento de Controle Social
Palestrante: João Eudes Bezerra Filho

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.584
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.510
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Custos no Setor Público como Instrumento de Controle Social

  1. 1. CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: INSTRUMENTO DE TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL Msc. João Eudes Bezerra Filho Membro do Grupo Assessor das NBCASP – CFC Auditor das Contas Públicas – TCE/PE Professor do Mestrado da FUCAPE - ES
  2. 2. ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. CENÁRIO E DIAGNÓSTICO DA CONTABILIDADE PÚBLICA BRASILEIRA: Deficiências e Inconsistências das Informações 2. NBCT SP QUE TÊM VINCULA CULAÇÃO DIRETA COM CUSTOS APLICADOS AO SETOR PÚBLICO 3. SUBSISTEMA DE CUSTOS: CONCEBIDO A PARTIR DA NBC T 16.11 4. DEBATE
  3. 3. DIAGNÓSTICO DA CONTABILIDADE PÚBLICA BRASILEIRA
  4. 4. CENÁRIO ATUAL L R F C F CONTROLE DO ORÇAMENTO PUBLICO Demonstrativos Contábeis: Balanço Orçamentário Balanço Financeiro RREO RGF S T N Demonstrativos Contábeis: Balanço Patrimonial CONTROLE DO PATRIMÔNIO ? Variações Patrimoniais Informações de Custos: Relatório 4
  5. 5. PRIMEIRO DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL “CONTROLE PATRIMONIAL ATIVOS E PASSIVOS???" 5
  6. 6. TIVO FINANCEIRO 305.000,00 sponível Caixa (Tesouraria) Banco c/ Movimento Aplicação Financeira ealizável TIVO PERMANENTE mpostos a Receber Dívida Ativa PASSIVO FINANCEIRO 115.000,0 Restos a Pagar 10.000,00 89.000, Depósitos Div. Origens 26.000, 225.000,00 60.000,00 10.000,00 100.000,00 PASSIVO PERMANENTE ????? Provisões 13º/Férias 60.000,00 65.000,0 ????? )Ajustes Dev. Duvidosos ????? Dívida Fundada Interna 65.000, ens Móveis 40.000,00 Obrigações incorridas e não Emp. Dívida Judicial ????? ????? esembolso Antecipado ????? ) Depreciação ens Imóveis ) Depreciação lmoxarifado tangíveis ) Amortização ens de Uso Comum ) Depreciação MA DO ATIVO ????? ????? ????? ????? ????? ????? ????? ????? 405.000,00 SOMA DO PASSIVO 180.000 6
  7. 7. SEGUNDO DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL “INFORMAÇÕES DOS CUSTOS NO SETOR PÚBLICO ???" 7
  8. 8. QUANTO À CONTABILIDADE DE CUSTOS??? Sabemos o Custo do: Aluno formado no ensino fundamental??? Paciente atendido no hospital público??? Serviço de limpeza pública??? Segurança do Cidadão??? Lazer??? ENTÃO: COMO MEDIR ECONOMICIDADE, EFICIÊNCIA???? Trânsito??? e outros 8
  9. 9. BASE LEGAL PARA IMPLANTAÇÃO DO SICSP União, Estados e Municípios Lei Complementar 101 - LRF Art. Art. 50 - ... § 3º - A administração Pública manterá sistema de custos que permita a avaliação e o acompanhamento da gestão orçamentária, financeira e patrimonial. patrimonial. 9
  10. 10. TERCEIRO DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL “JULGAMENTO DAS CONTAS DO SETOR PÚBLICO???" 10
  11. 11. GASTO X CUSTO GASTO é o dispêndio de um ativo ou criação de um passivo para obtenção de um produto ou serviço. Exemplos: Aquisição material para o almoxarifado; Adiantamentos; Despesas de pessoal; Investimentos. CUSTOS são gastos com bens ou serviços utilizados para a produção de outros bens ou serviços. Exemplos: Despesas de pessoal; Consumo do almoxarifado; Consumo do serviço prestado; Depreciação do imobilizado; Amortização do Intangível. 11
  12. 12. JULGAMENTO DE CONTAS: CENÁRIO FUTURO Gastos X Custos na Educação e Saúde ROCESSO T.C. Nº ........ ESSÃO ORDINÁRIA REALIZADA EM 29/03/2012 RESTAÇÃO DE CONTAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE .....(EXERCÍCIO DE .....) CÓRDÃO T.C. Nº ......./12 ONSIDERANDO que o percentual de recursos aplicados na educação foi e 24,2%, caracterizando infração ao Art. 212 da CF; CONSIDERANDO que o custo por aluno, formado no ensino ásico do município, está compatível com os parâmetros de ficiência e qualidade estabelecidos Ministério da Educação; ulgar REGULARES, COM RESSALVAS OU IRREGULARES as contas dos VAS estores da Prefeitura Municipal de....... relativas ao exercício financeiro e........., 12
  13. 13. JULGAMENTO DE CONTAS: CENÁRIO FUTURO Gastos X Custos na Educação e Saúde ROCESSO T.C. Nº ........ ESSÃO ORDINÁRIA REALIZADA EM 29/03/2012 RESTAÇÃO DE CONTAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE .....(EXERCÍCIO DE .....) CÓRDÃO T.C. Nº ......./12 ONSIDERANDO que o percentual de recursos aplicados na educação foi e 27%, caracterizando infração ao Art. 212 da CF; CONSIDERANDO que o custo por aluno, formado no ensino ásico do município, NÃO está compatível com os parâmetros e eficiência e qualidade estabelecidos Ministério da Educação; ulgar REGULARES, COM RESSALVAS OU IRREGULARES as contas dos VAS estores da Prefeitura Municipal de....... relativas ao exercício financeiro e........., 13
  14. 14. QUARTO DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL “DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES PARA O CONTROLE SOCIAL???" 14
  15. 15. 15
  16. 16. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA IMPLANTAÇÃO DA NOVA CASP PAR 1º. PASSO: EDIÇÃO DAS NBC TSP 2º. PASSO: NOVOS PLANO DE CONTAS E DEMONSTRATIVOS 3º. PASSO: ORIENTAÇÃO, TREINAMENTOS, IMPLANTAÇÃO, TRADUÇÃO DAS IPSAS... 4º. PASSO: CONSOLIDAÇÃO COM A NOVA CASP 5º. PASSO: CONVERGÊNCIA COM AS NICs 6º. PASSO: CONVERGÊNCIA COM AS ISSAIs 2008/2011 CFC (RESOLUÇÕES 2010/2012 STN (MCASP) 2012 PORTARIA STN 828/2011 2014 STN 20 CFC (RESOLUÇÕES 20 CFC 21
  17. 17. O OBJETO DA CONTABILIDADE CAIXA ORÇAMENTO PÚBLICO COMPETÊNCIA PATRIMÔNIO PÚBLICO (RECURSOS À DISPOSIÇÃO DO ESTADO) INGRESSOS (Receitas Orçamentárias) GASTOS (Despesas Orçamentárias) FLUXO DE CAIXA Equilíbrio Financeiro Controle de Fontes Resultados Financeiros PASSIVOS ATIVOS PL +/- Variações Patrimoniais (Aumentativas e Diminutivas) FLUXO ECONÔMICO Economicidade Qualidade Eficiência Comparabilidade 22
  18. 18. O OBJETO DA CONTABILIDADE PASSIVOS REAIS ATIVOS REAIS Patrimônio RECEITA PATRIMONIAL DESPESA PATRIMONIAL RESULTADOS REAIS CONTROLES ORÇAMENTÁRIOS FINANCEIROS N B C T SP CUSTOS 23
  19. 19. PUBLICAÇÃO DAS NBCT SP COM OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DADE A PARTIR DE 2010. Obs. Existindo norma legal com prazo diferente, prevalece o prazo desta última. 24
  20. 20. Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público NBCASP Estrutura das NBCT SP: Resolução CFC nº 1.111/07 – Princípios Contábeis / SP NBC T 16.1 – Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação NBC T 16.2 – Patrimônio e Sistemas Contábeis NBC T 16.3 – Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil NBC T 16.4 – Transações no Setor Público NBC T 16.5 – Registro Contábil NBC T 16.6 – Demonstrações Contábeis NBC T 16.7 – Consolidação das Demonstrações Contábeis NBC T 16.8 – Controle Interno NBC T 16.9 – Depreciação, Amortização e Exaustão NBC T 16.10 – Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos em Entidade o Setor Público 25
  21. 21. Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL ORÇAMENTÁRIO BO BF PATRIMONIAL DFC DVP DMPL COMPENSAÇÃO BP CUSTOS EVIDENCIAÇÃO DE CUSTOS 26
  22. 22. NOVOS PLANO DE CONTAS E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEISPúblico Novas Demonstrações Contábeis do Setor APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Publicação do Manual das Demonstrações Contábeis (Portaria nº 437/2012 que aprova a Partes IV e V do MCASP); 27
  23. 23. NOVOS PLANO DE CONTAS E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Novas Demons monstrações Contábeis do Setor Público APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO PARA OS ENTES E ENTIDADES DO SETOR PÚBLICO 2013 Facultativo pela STN, podendo ser obrigatório pelo Respectivo TC. Portaria STN 753/2012 c/c NT STN 1096/2012 2014 Obrigatório União Estados e DF Municípios Portaria STN 753/2012 2015 Consolidação Nacional com novo padrão de Contabilidade do Setor Público
  24. 24. A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO DEMONSTRATIVO DE ATENDIMENTO À PORTARIA STN 828/2011, ALTERADA PELA 753/2012 ENVIADO PELO PODER EXECU XECUTIVO COM REPERCUSSÃO NAS CÂMARA MUNICIPAIS 29
  25. 25. CRONOGRAMA DE AÇÕES: PORTARIA STN 828/2011 – 753/2012 • Reconhecimento, mensuração e evid evidenciação dos créditos, tributários ou não, por competência, e a dívida ativa, incluindo os respectivos ajustes para perdas; • Reconhecimento, mensuração e evidenciação das obrigações e provisões por competência; • Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos bens móveis, imóveis e intangíveis; • Registro de fenômenos econômicos, resultantes ou independentes da icos, execução orçamentária, tais como dep o depreciação, amortização, exaustão; • Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos ativos de infraestrutura; • Implementação do sistema de custos; • Aplicação do Plano de Contas, detalhado no nível exigido para a consolidação das contas nacionais; Elaboração •Elaboração novos demonstrativos conforme Portaria STN 437/2012 30
  26. 26. NBCT 16.11 – Subsistema de In Informação de Custo do SP RESOLUÇÃO CFC N.º 1.366/11 Aprova a NBC T 16.11 – Subsistema d Informação de Custos do Setor Público Info OBJETIVO ALCANCE DEFINIÇÕES CARACTERÍSTICAS E ATRIBUTOS DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS EVIDENCIAÇÃO DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS REGIME DE COMPETÊNCIA COTA DE DISTRIBUIÇÃO DE CUSTOS INDIRETOS VARIAÇÃO DA CAPACIDADE PRODUTIVA NTEGRAÇÃO COM OS DEMAIS SISTEMAS ORGANIZACIONAIS MPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS 31
  27. 27. NBCT 16.11 – Subsistema de In Informação de Custo do SP Objetivo .O SICSP registra, processa e evidencia os custos de bens e O erviços e outros objetos de custos, produzidos e oferecidos à ociedade pela entidade pública. .O SICSP de bens e serviços e outros objetos de custos públicos tem outro por objetivo: )mensurar, registrar e evidenciar os custos dos produtos, serviços, iar programas, projetos, atividades, ações, órgãos e outros objetos de , açõe ustos da entidade; b)apoiar a avaliação de resultados e desempenhos, ..... )apoiar a tomada de decisão em processos..... d)apoiar as funções de planejamento e orçamento, .... )apoiar programas de redução de cu custos e de melhoria da qualidade 32 do gasto.
  28. 28. NBCT 16.11 – Subsistema de In Informação de Custo do SP Alcance . O SICSP é obrigatório em todas as entidades do setor público. Definições •Objeto de custo •Sistema de acumulação •Sistema de custeio •Método de custeio •Custeio direto e indireto •Gasto, Desembolso , Investimento, Perdas •Custos •Custo de Oportunidade e Receita Econômica. Custo 33
  29. 29. NBCT 16.11 – Subsistema de In Informação de Custo do SP 17. A etapa natural pode ser assim identificada: • identificação dos objetos de custos; • identificação dos custos diretos; • alocação dos custos diretos aos objetos de custos; • evidenciação dos custos diretos dentro da classe de objetos definidos definidos; • identificação dos custos indiretos; • escolha do modelo de alocação dos custos indiretos... 34
  30. 30. NBCT 16.11 – Subsistema de In Informação de Custo do SP Responsabilidade pela informação de custos 3. A responsabilidade pela fidedignidade das informações de origem dos sistemas primários é do gestor da entidade onde a rios informação é gerada. 4. A responsabilidade pela consistê nsistência conceitual e apresentação das informações contábeis do sistema de custos é do profissional contábil. 35
  31. 31. IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS 36
  32. 32. PRIMEIRO DESAFIO DESENVOLVIMENTO CONCEITUAL, LÓGICO, FÍSICO E OPERACIONAL DO MÓDULO DE MENSURAÇÃO E ACUMULAÇÃO DE CUSTOS SOB A COORDENAÇÃO DO SETOR DE CONTABILIDADE* * NBCT 16.11 – Sistema de Informações de Custos 24. A responsabilidade pela consistência conceitual e apresentação das informações contábeis do subsistema de custos é do profissional contábil. (Redação e cus 37
  33. 33. 1. PREMISSAS ESTRATÉGICAS GESTÃO INDENTIFICAÇÃO DOS OBJETOS DE CUSTOS QUE DEVERÃO SER MENSURADOS, ACUMULADOS E EVIDENCIADOS PELO SIC EXEMPLO: 1. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO 1.1. ENSINO FUNDAMENTAL 1.1.1. ENSINO URBANO 1.1.1.1. ESCOLA X 1.1.1.2. ESCOLA Y 1.1.1.3. CUSTOS INDIRETOS 38
  34. 34. 2. PREMISSAS CONCEITUAIS PREMISSAS: METÓDO DE CUSTEIO: DIRETO INSUMOS CONSUMIDOS POR COMPETÊNCIA ALOCADOS E ACUMULADOS AOS RESPECTIVOS OBJETOS DE CUSTOS SISTEMA DE CUSTEIO: HITÓRICO SISTEMA DE ACUMULAÇÃO: CONTÍNUO GERAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE CUSTOS 39
  35. 35. 3. IDENTIFICAR OS CONTROLADORES DE CUSTOS GESTOR DE PESSOAL GESTOR DE ALMOXARIFADO GESTOR DE PATRIMÔNIO GESTOR DE CONTRATOS GESTOR FINANCEIRO OUTROS SOB A COORDENAÇÃO DO GESTOR DE CUSTOS - CONTADOR 40
  36. 36. PARA SUBSISTEMA DE CUSTOS NFORMAÇÃO DO GESTOR DE PESSOAL DESPESA COM PESSOAL DO MÊS, POR COMPETÊNCIA 1. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO - SIC POR OBJETO DE CUSTOS 1.1. ENSINO FUNDAMENTAL 600.000,00 1.1. ENSINO FUNDAMENTAL 600.000,00 1.2. ENSINO MÉDIO 1.3. CUSTOS INDIRETOS PARA SUBSISTEMA PATRIMONIAL 1. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FOLHA BRUTA 900.000,00 ENCARGOS 13º DO MÊS 400.000,00 200.000,00 TOTAL 1.200.000,00 1.1. ENSINO FUNDAMENTAL - SIC POR OBJETOS DE CUSTOS 1.1.1. ENSINO URBANO 250.000,00 200.000,00 1.1.2. ENSINO RURAL 200.000,00 75.000,00 1.1.3. CUSTOS INDIRETOS 150.000,00 TOTAL 600.000,00 FÉRIAS DO MÊS 25.000,00 TOTAL 1.200.000,00 ANÇAMENTO: – 3…. VPD (despesa com pessoal) – 2…..Pessoal a Pagar (F ou P) 1.1.1. ENSINO URBANO - SIC POR OBJETOS DE CUSTOS 1.1.1.1. ESCOLA X 110.000,00 1.1.1.2. ESCOLA Y 115.000,00 1.1.1.3. CUSTOS INDIRETOS 20.000,00 TOTAL 250.000,00
  37. 37. EXEMPLO: SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉTODO DE CUSTEIO: DIRETO SISTEMA DE CUSTEIO: CUSTO HISTÓRICO SISTEMA DE ACUMULAÇÃO: CONTÍNUO OBJETO DE CUSTOS 1. Secretaria de Educação 1.1. Mnt Ens. Fundamental 1.2. Mnt Ens. Médio MÉTODO CUSTEIO Direto PESSOAL SERVIÇOS ALMX DEPREC. OUTROS TOTAL 1.200.000,00 600.000,00 350.000,00 250.000,00 100.000,00 2.500.000, Direto 600.000,00 350.000,00 200.000,00 150.000,00 60.000,00 1.360.000, Direto 400.000,00 200.000,00 100.000,00 80.000,00 20.000,00 800.000,0 200.000,00 20.000,00 20.000,00 340.000,0 Indireto 50.000,00 50.000,00 2.500.000,
  38. 38. EMPLO: SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ÉTODO DE CUSTEIO: DIRETO STEMA DE CUSTEIO: CUSTO HISTÓRICO STEMA DE ACUMULAÇÃO: CONTÍNUO OBJETO DE CUSTOS MÉTODO CUSTEIO PESSOAL SERVIÇOS 1.1. Mnt Ens. Fundamental Direto 600.000,00 350.000,00 200.000,00 150.000,00 60.000,00 1.360.000, .1.1. Mnt Ens. Fund. Urbano Direto 250.000,00 200.000,00 90.000,00 95.000,00 20.000,00 655.000,0 .1.2. Mnt Ens. Fund. Rural Direto 200.000,00 100.000,00 85.000,00 40.000,00 15.000,00 440.000,0 Indireto 150.000,00 50.000,00 25.000,00 15.000,00 25.000,00 265.000,0 ALMX DEPREC. OUTROS TOTAL 1.360.000,
  39. 39. EXEMPLO: SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉTODO DE CUSTEIO: DIRETO SISTEMA DE CUSTEIO: CUSTO HISTÓRICO SISTEMA DE ACUMULAÇÃO: CONTÍNUO OBJETO DE CUSTOS MÉTODO CUSTEIO PESSOAL SERVIÇOS ALMX DEPREC. OUTROS TOTAL .1.1. Mnt Ens. Fund. Urbano Direto 250.000,00 200.000,00 90.000,00 95.000,00 20.000,00 655.000,0 1.1.1. Escola X Direto 110.000,00 90.000,00 45.000,00 50.000,00 10.000,00 305.000,0 1.1.2. Escola Y Direto 115.000,00 95.000,00 40.000,00 35.000,00 8.000,00 293.000,0 Indireto 20.000,00 15.000,00 10.000,00 5.000,00 7.000,00 57.000,0 655.000,0
  40. 40. SEGUNDO DESAFIO IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO DE COLETA, PROCESSAMENTO E EVIDENCIAÇÃO DE INFORMAÇÕES, CONSOANTE RELATIVIDADE OU COMPARAÇÃO DA VARIÁVEL CUSTO COM OUTRAS DO INTERESSE DOS USUÁRIOS INTERNOS E EXTERNOS. 45
  41. 41. MÓDULO DE ANÁLISE E RELATÓRIOS FERRAMENTA DE INTELIGÊNCIA GERAÇÃO DE INFORMAÇÕES DIVERSAS PARA TOMADA DE DECISÃO 46
  42. 42. MÓDULO DE ANÁLISE E RELATÓRIOS FERRAMENTA DE INTELIGÊNCIA CUSTO R$ ??? INDICADOR = = RESULTADO VARIÁVEIS MÚLTIPLAS ANÁLISES
  43. 43. MÓDULO DE ANÁLISE E RELATÓRIOS FERRAMENTA DE INTELIGÊNCIA CUSTO R$ ??? EXEMPLO: Relação Custo TCE x Recursos Financeiros Auditáveis em 2012 Relação Custo TCE x Recursos Financeiros Arrecadados pelos Jurisdicionados em 2012 R$ 240.217.953,80* = R$ 40.347.799.649,07 ** Fonte: Setor de Contabilidade do TCE-PE X 100 = 0,6%
  44. 44. MÓDULO DE ANÁLISE E RELATÓRIOS FERRAMENTA DE INTELIGÊNCIA CUSTO R$ ??? EXEMPLO: UM DOS INDICADORES DE RESULTADO DO TCE / PE TX RETORNO ECONÔMICO AO ESTADO – ATUAÇÃO DO TCE – PE EXERCÍCIO 2012 R$ 240.217.953,80* = Fonte: Setor de Contabilidade do TCE-PE = R$ 823.008.729,80** 1/3
  45. 45. SISTEMA DE MENSURAÇÃO DE CUSTOS
  46. 46. ROJETO DE ADEQUAÇÃO ESTÁGIO ATUAL Modelo conceitual Tecnologia Ano Sistema Recursos 1ª Geração Elaboração das estruturas de organizacionais dos custos 2006 SMCP 2ª Geração Adequar o sistema de Custos e implementar módulo coletor de dados para fornecer indicadores de custos 2013 SMCP-CD 1a. Geração: emitindo relatório PMAT Banco Mundial
  47. 47. PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE 09/10/2013 DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE Pag.: 20 Período: 01/01/2013 a 09/10/2013 TOTAIS POR NÍVEIS DA ESTRUTURA DE CUSTO Orgão: 48.01, RPA:1, C.Custo:Todos, F Função Gov.:Todas, Item de Gasto.:Todos Orgão RPA Centro de Custo Função Item Gasto Valor 4801 - FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS 01 0007-ÁGUA 31.402,43 01 0010-ENERGIA ELÉTRICA 39.200,65 01 01 0014-MANUTENÇÃO DE BENS MÓVEIS 0019-COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES 0027-PATRIMÔNIO (EQUIP/ MAT. PERMANENTES E OUTROS) 0030-UNIFORMES E OUTROS 01 0037-MATERIAL DE LIMPEZA 133,62 01 0039-LOCAÇÃO DE VEÍCULOS 68.980,00 01 0042-SERVIÇO DE REPROGRAFIA 583,00 01 0043-SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS 0044-OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS E CONTRIBUTIVAS 0045-LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA 819,52 01 01 01 01 01 01 01 01 01 1020-CENTRO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL 0061-ADMINISTRAÇ ÇÃO DA - CVA UNIDADE DE SAÚDE E 0061-MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS 0064-MATERIAL ELÉTRICO E ELETRÔNICO 0066-SERVIÇO DE LIMPEZA E CONSERVAÇAO 0067-SERVIÇO DE VIGILANCIA 0075-SERVIÇO DE DIGITAÇÃO E PROCESSAMENTO DE DADOS 890,00 3.437,50 10.870,00 70.050,67 2.197,19 602.051,01 11.462,60 3.588,94 92.048,76 246.452,75 20.136,46
  48. 48. REFEITURA DA CIDADE DO RECIFE 09/10/2013 EPARTAMENTO DE CONTABILIDADE Pag.: 10 eríodo: 01/01/2013 a 09/10/2013 TOTAIS POR NÍVEIS DA ESTRUTURA DE CUSTO Orgão: 48.01, RPA:1, C.Custo:Todos, Fu unção Gov.:Todas, Item de Gasto.:Todos gão A Centro de Custo Função Item Gasto Valor 01 - FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE - FMS 1005-DIRETORIA DE VIGILÂNCIA À SAUDE 0087-ASSIST. EM D DOENÇAS 0020-EVENTOS CULTURAIS, SEXUALMENTE TRANS SMISSIVEIS ARTÍSTICOS E ESPORTIVOS 0037-MATERIAL DE LIMPEZA 3.500,00 0039-LOCAÇÃO DE VEÍCULOS 5.148,00 10,32 0045-LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA 0070-INDENIZAÇÕES , RESTITUICÕES , MULTAS, JRS DE MORA 0085-LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS 0095-VIGILANCIA S SANITARIA 27.039,01 3.599,39 0002-SERVIÇOS DE TERCEIROS 0003-MATERIAL DE CONSUMO 7.950,00 39.694,63 799,24 0008-BUFFET, COFEE BREAK, LANCHES, REFEIÇOES 0011-TELEFONE 1.752,69 0018-VIAGENS E HOSPEDAGENS 3.877,48 0019-COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES 0020-EVENTOS CULTURAIS, ARTÍSTICOS E ESPORTIVOS 0022-DIÁRIAS E AJUDA DE CUSTOS 0066-SERVIÇO DE LIMPEZA E CONSERVAÇAO 2.028,00 11.440,38 2.300,00 450,00 22.100,20
  49. 49. FINAL A SOCIEDADE CLAMA POR TRANSPARÊNCIA, PRECISAMOS AGIR!!! Prof. Ms. JOÃO EUDES BEZERRA FILHO jeudes@uol.com.br jeudes@tce.pe.gov.br Grupo FACEBOOK: Orçamento e a Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público

×