CEP noticias 2014

152 visualizações

Publicada em

Jornal da Casa do Estudante de Pernambuco

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
152
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CEP noticias 2014

  1. 1. Jornal da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) Outubro 2014
  2. 2. 2 Um novo caminho e uma nova história para a CEP O presidente da CEP, Alan Andrade, e o vice, Sidney Ribeiro, fazem, nesta entrev-ista, um balanço do trabalho da Gestão “Um Novo Caminho para uma Nova CEP”. CEP NOTÍCIAS - Apesar das dificuldades com o repasse de recursos, como foi pos-sível realizar ações que an-tes, quando havia dinheiro, não eram feitas? ALAN RICARDO - Nosso tra-balho incluiu sempre a busca de parcerias. Através dessas parcerias, uma tecla que nossa gestão sempre bateu, conse-guimos realizar muitas ações. As dificuldades não nos colo-caram na posição de esperar que tudo melhorasse, fomos à luta. Além disso, buscamos mostrar ao Governo do Estado a importância da realização das ações na Casa e os re-sultados alcançados. Nossas conquistas sempre foram fruto de muita articulação, de muito trabalho, de muita mobiliza-ção. SIDNEY RIBEIRO - Acredito que a vontade de fazer algo que efetivamente mudasse para melhor a vida do asso-ciado fez com que nos im-pulsionasse nessa jornada de transformação diária da CEP/OS. A gestão “ Um novo caminho para uma nova CEP” pode ser considerada um di-visor de águas na historia da casa do estudante de Per-nambuco, uma vez que além de mudanças estruturais de serviços promovemos mudan-ças de concepções os quais impediam que CEP/OS se de-senvolvesse em sua plenitude. CEP NOTÍCIAS - Como foi possível conseguir recursos Sócios ganham serviço odontológico em dois consultórios e com especialista em canal A diretoria da Casa do Es-tudante de Pernambuco (CEP) revitalizou e ampliou o serviço odontológico oferecido aos sócios, a começar pela re-forma do consultório (foto aci-ma) que não recebia esse tipo de investimento há dez anos. Além disso, foi firmado um contrato, mais vantajoso que os anteriores, com dois profis-sionais de odontologia e que inclui o atendimento em outro consultório e o serviço de uma especialista em endodontia (canal). A nova equipe de odontólogos é comandada pelo dentista Antônio Carlos Melo formado pela Universi-dade Federal de Pernambuco, especialista em Dentística Restauradora pela Associação Brasileira de Odontologia, com habilitação em Laserterapia, e Diretor do Centro de Odontolo-gia Sistêmica do Real Hospital Português (foto abaixo). Tam-bém faz parte a especialista em endodontia, Gabriela Vas-concelos. O presidente da CEP, Alan Andrade, explica que a contratação de dois novos dentistas não representa mais despesas para a entidade. “Graças a parceria da Casa com esses profissionais, firma-mos um contrato pelo mesmo valor que era gasto ano pas-sado Os dois dentistas agora atuam no consultório da CEP e também num consultório localizado no Hospital Português (foto). Pela primeira vez, os sócios têm à disposição um odontólogo espe-cialista em canal. Para marcar uma consulta basta se dirigir ao Departamento de Apoio ao Estudante. O atendimento acontece, no Português, de segunda a sexta, pela manhã e a tarde. e que foi aprovado pelo Conselho da CEP” ressaltou Alan. Além de canal, cinco tipos de procedimentos são realizados como extração, aplicação de flúor, limpeza, restaurações e reconstruções estéticas e radiografias. O horário de atendimento tam-bém foi ampliado com con-sultas durante o dia e a noite para que todos os sócios te-nham acesso ao atendimento. Os procedimentos são realizados no consultório da 3 e garantir a implantação do anexo feminino? ALAN RICARDO - Primeira-mente tivemos que trabalhar em duas vertentes; mostran-do a necessidade do projeto, e, paralelamente, a gente se articulou politicamente. Em seguida, mostramos o que realmente é a Casa e seu fun-damental papel social na for-mação dos estudantes do in-terior. Com isso conseguimos a confiança de líderes que acreditaram no projeto. SIDNEY RIBEIRO - Os re-cursos para a implantação do anexo foram frutos de uma trabalho árduo através da credibilidade e confiança que vários setores da sociedade depositaram na gestão, essa confiança foi conquistada com transparência financeira ja-mais visto na historia da CEP/ OS,além de uma boa articula-ção com autoridades politicas do Estado. CEP NOTÍCIAS - Alguns dos principais serviços ofereci-dos pela CEP foram refor-mulados e ampliados como o serviço odontológico. Qual o caminho para se chegar a esse resultado? ALAN RICARDO - Felizmente nosso trabalho tem sido sem-pre reconhecido pelo corpo social e com isso, tivemos um grande indice de aprovação. Isso tudo deve-se a bons pro-jetos e a uma equipe compro-metida. Ao avaliarmos deter-minados serviços orefericos identificamos que os sócios apontavam deficiênciase e buscamos reformular esses serviços de acordo com as ne-cessidades dos associados. Constatamos que tínhamos condições de oferecer mais sem comprometer as contas da Casa e fizemos isso. Um dos exemplos foi o consultório. Elegemos também outras prio-ridades como a reforma inter-na, sempre com muito planeja-mento e cuidado com o uso do dinheiro da CEP. SIDNEY RIBEIRO - Fizemos a maior reforma do consultório odontológico dos últimos 10 anos e triplicamos o número de atendimentos, além de faz-ermos uma parceria histórica com o serviço de alta com-plexidade odontológica no Real Hospital Português. O caminho de um trabalho como esse é baseado numa gestão eficiente nos gastos com os recursos, além do estabeleci-mento de metas e prioridades para melhor atender o asso-ciado. CEP NOTÍCIAS - Qual a lição que ficou para os senhores do trabalho de administrar a CEP? ALAN RICARDO - Ficou a lição de que a perseverança é uma das fases do sucesso, pois quando o trabalho é feito com amor, seriedade e com-promisso, só tende a dar certo. Nosso compromisso sempre foi com o sócio e com a im-portância de oferecer aos as-sociados todas as condições para que eles prossigam na busca pela formação profis-sional, sendo bem atendido. SIDNEY RIBEIRO - Acredito que a lição mais importante é perceber que resultados mar-cantes, ações impactantes no dia a dia do estudante só foi possível devido aos ideais co-muns de um grupo que sempre acreditou em construir uma nova maneira de gerir a CEP/ OS que se baseou em va-lores e aspectos importantes como solidariedade, inclusão e transparência. Casa e também no Centro de Odontologia Sistêmica, do Hospital Português, onde fica o consultório do dentista Antônio Carlos (marque a consulta no Departamento de Apoio ao Estudante – DAE). No local são feitos os procedimentos considerados mais complexos como os de canal. “Ganhamos qualidade ao ampliarmos o serviço o que favorece os sócios e garante a saúde bucal deles em dia” explica o presidente Alan An-drade.
  3. 3. Implantação do anexo feminino O sócio Márcio Nascimento, aluno de Medicina da Universidade de Pernambuco (UPE), aparece na foto ao lado de sete sócias da Casa do Estudante de Pernambuco. A presença feminina ainda é superada pela dos homens com um percentual de 29% de sócias em um quadro social formado por 300 estudantes. O benefício da moradia para as mulheres sócias da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) está praticamente garantido, já que a maior parte dos recursos para a implantação do Anexo Feminino foram destinados à Casa por meio de duas emendas parlamentares - uma estadual e outra federal - dos deputados Ricardo Costa e Jorge Côrte Real, respectivamente. O valor das duas emendas é de R$ 400 mil (R$ 100 mil via estadual e R$ 300 mil federal), o que cor-responde a 80% do montante total necessário para as obras que é de R$ 495 mil. Os recursos são destinados à restauração, adequação e apa-relhamento do anexo, etapas já definidas no projeto arquitetônico. “Falta somente agora negociar os mecanismos legais para o repasse dos recursos dessas emendas para a conta da CEP” explica o presi-dente da entidade, Alan Andrade. O valor destinado pela emenda estadual, de acordo com ele, já foi transferido para a Secretaria de Educação, o que torna mais fácil o da CEP está garantida repasse para a Casa. O imóvel do Anexo Feminino foi doado pela Secretaria do Pa-trimônio da União e fica ao lado da quadra da CEP, tendo um total de 271,5 metros quadrados de área construída. Uma das primeiras etapas do projeto é a adequação do espaço físico dos cômodos para dormitórios, possibilitando o alo-jamento de 50 associadas. Nessa etapa também está prevista a re-forma dos banheiros com aquisição de louças e acessórios sanitários. O projeto de implantação do anexo inclui ainda a renovação da rede elétrica do imóvel e dependên-cias e o redimensionamento de toda a rede hidráulica do prédio. Será feita tamém a instalação das redes de telefonia e informática, as-sim como a compra de equipamen-tos como mobiliário, eletrodomésti-cos e eletro-eletrônicos. Outros espaços do imóvel serão adequados para a instalação de uma cozinha, além de uma sala de estudo e área de lazer. Por fim, será realizada os reparos nas pare-des e pintura geral do imóvel. O valor da reforma foi calculado com base no Índice Nacional da Con-strução Civil (INCC) do Sindicato da Construção Civil de Pernambu-co (Sinduscom). ACESSO AO SERVIÇO - Para ter acesso ao benefício da moradia, as mulheres sócias da CEP deverão se submeter ao mes-mo processo pelo qual passam os associados do sexo masculino. Ao se tornar sócios da Casa, os es-tudantes fazem parte do quadro social na categoria de sócios ex-ternos. Para poder morar, é preciso tornar-se sócio interno. A mudança de categoria começa com a abertura de va-gas para sócios internos por meio de uma portaria do presidente da Casa. Os estudantes interes-sados devem se inscrever no De-partamento de Apoio ao Estudante (DAE) e atender aos requisitos para se tornar sócio interno. Todo processo é submetido à apreciação do Conselho de Administração da CEP, a quem cabe a palavra final sobre cada caso. Por fim, é pub-licada uma nova portaria com os nomes dos associados que muda-ram da categoria de sócio externo para sócio interno, passando a morar na Casa ou no Anexo Femi-nino. A atual diretoria da Casa, aponta o Anexo Feminino como a oportunidade que faltava para muitas jovens do interior estudar em Recife. A moradia, segundo as sócias atuais da CEP, é o maior ob-stáculo a ser vencido ao se decidir estudar em Recife e também o mais caro. “O alto preço do aluguel de um imóvel em Recife ou até mesmo o custo para se viver numa pensão impedem que essas estudantes venham para a capital” ressalta a sócia e coordenadora de educação da Casa, Silvia Karla Lima, primeira mulher a assumir uma função na di-retoria da entidade. Os dados do Departamento de Apoio ao Estudante mostram que o percentual de mulheres só-cias da Casa é de 29%, o que deve mudar quando for oferecida a mo-radia. De um total de 300 sócios, 88 deles são mulheres vindas prin-cipalmente do sertão. O presidente da CEP, Alan Andrade e as arquitetas responsáveis pelo projeto da implantação do anexo Espaço antes do anexo Nova área da CEP O prédio do anexo doado pela União para a Casa do Estudante de Pernambuco O presidente Alan Andrade e o vice Sidney Ribeiro (acima). Abaixo evento no auditório da CEP que era essencialmente masculina A CEP hoje (acima) e nos anos de 1930 (abaixo) quando o prédio era construído, tendo a frente os estudantes da época (fotos antigas: reprodução do livro “As Vinhas da Esperança - Memórias de um Xepeiro” do ex-sócio, médico e escritor Waldênio Porto 4 5
  4. 4. Gestão alcança o menor índice de casos de indisciplina A escolha eficaz dos Coordena-dores de Disciplina da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) aliada a uma mudança no geren-ciamento dos casos de infrações da gestão “Um Novo Caminho para uma Nova CEP” resultou no menor índice de registros de indisciplina das últimas ad-ministrações. De 2013 até agora foi registrado ape-nas um caso de A redução foi de 86% de acordo com os dados do Departamento de Apoio ao Estudante infração de um sócio contra sete casos no mesmo período da gestão anterior (entre 2011 e 2012), uma redução de 86% de acordo com os dados do Departamento de Apoio ao Estudante (DAE) da CEP. (DAE) O presidente da Casa, Alan Andrade, atribui a redução princi-palmente à mudança de postura dos Coordenadores de Disciplina e da própria diretoria com relação às infrações. “A medida preventiva nos casos de indisciplina é muito mais eficaz do que a repressiva e com isso temos alcançado esse resulta-do” comemora Alan. Qualidade da água é a melhor da história da CEP Pela primeira vez na história da Casa do Estu-dante de Pernambuco (CEP), os sócios ganharam bebedouros novos e modernos. Em cada um dos três andares do prédio foi instalado um bebedouro modelo coluna que fornece até três litros e meio de água ge-lada por hora com botijão de água mineral. O equipamento tem duas saídas de água, uma na temperatura ambiente e outra gelada, além de um termostato frontal para o ajuste de resfriamento. O es-tudante de Direito, Vinícius Batista, conta que, desde que veio morar na Casa, tinha dificuldade para tomar água de qualidade. “Agora ficou tudo mais prático e melhor e com a tranquilidade de ter uma água gelada a hora que a gente precisar” disse. Morador do segundo andar do prédio da CEP, o estudante de Medicina, Adriano Miranda, também aprovou totalmente o investimento. Ele conta que, antes, a água do bebedouro de metal tinha gosto de ferrugem e os sócios internos evitavam tomar, tendo que gastar comprando água. “Agora, a gente tem água mineral e ao mesmo tempo gelada. Melhorou muito” afirmou Adriano. QUALIDADE DA ÁGUA – Os investimentos na quali-dade da água usada pelos sócios da Casa têm sido uma das prioridades da atual gestão. Uma das primei-ras ações foi a que desativou o poço artesiano, que estava contaminado, e ativou o fornecimento da água da Compesa para o consumo em banheiros e na la-vanderia. Para o consumo humano, a CEP compra água mineral que agora é oferecida nos bebedouros de última geração A eficiência na escolha dos Coor-denadores da área veio logo no pri-meiro ano de gestão com a escolha do sócio Miguel Souza, aluno de Medicina, primeiro a assumir o co-mando da Coordenadoria de Discip-lina. “Miguel sempre foi um exemplo dentro da Casa e isso gerava muito respeito e credibi-lidade. É uma pes-soa que escuta e que sempre teve bom relaciona-mento com todos, sendo o perfil ideal para a função” res-salta o vice-presi-dente da entidade Sidney Ribeiro. Há quase um ano, a Coorde-nadoria de Disciplina é comandada pelo sócio Paulo Cézar Alencar, tam-bém aluno de Medicina, e com um perfil parecido com o de Miguel. “Eu procuro sempre conversar, orientar porque acho que cada um deles tem consciência do papel deles aqui. Essa orientação e uma boa conver-sa são a melhor maneira de manter a ordem” explica Paulo Cézar sobre a maneira de conduzir o trabalho na Coordenadoria. A volta às aulas, no mês de agosto, veio junto com uma grande mudança no cotidiano dos sócios internos da Casa do Es-tudante de Pernambuco (CEP) traduzida pela reforma em todos os ambientes da Casa, entre eles os quartos que não eram revitaliza-dos havia oito anos. O trabalho para garantir maior conforto aos associados incluiu o reparo das paredes e teto, a pintura dos ambi-entes e também das portas dos apartamentos. Depois de um mês das atividades de reforma, os sócios con-feriram o resultado. “O benefício é claro que é a questão da limpeza, tornar o ambiente saudável, mais agradável para o sócio” afirmou o sócio Júnior Carvalho, aluno de Odontologia da Universidade Fe-deral de Pernambuco e morador da CEP há quatro anos. A obra incluiu também a revitalização da sala de vídeo, no segundo andar, e da sala de estudos, no terceiro piso, local mais frequentado pelos associados. O estudante Paulo Brito, aluno de Medicina da Universidade de Pernambuco (UPE) avaliou a reforma. “Melhora a qualidade de vida, através da melhoria da aparência, principalmente, além da mehoria funcional a partir da troca de coi-sas muito simples como portas de banheiro por exemplo” ressaltou. BANHEIROS - Outro benefício foi a reforma dos banheiros onde os operários trocaram as portas de madeira pelas de alumínio que agora abrem para fora. A equipe instalou também novos espe-lhos, trocou as janelas e fixou as pias. O estudante de pré-vestibular Juliano Lopes aponta a reforma dos banheiros como um investi-mento também na saúde dos sócios. “Tanto melhorou o visual, por conta das portas de aluminío, quanto em saúde porque as (portas) de madeira acumulavam muitos fungos” avaliou. Reforma interna eleva a qualidade de vida dos sócios Antes Depois 6 7
  5. 5. Com 80 novos sócios convocados, CEP beneficia estudantes de todas as regiões de PE Gestão faz evento de integração dos sócios na Copa A abertura da Copa 2014 na Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) reuniu os sócios no auditório climatizado para assistir à vitória do- Brasil sobre a Croácia em telão gi-gante. Eles também participaram de um bolão, concorrendo a camisas do Brasil para quem acertasse o placar de 3 a 1 para a seleção brasileira. Cerca de 60 estudantes partici-param do evento e assistiram ao jogo comendo pipoca e tomando refriger-ante. O gol contra de Marcelo para os croatas, abrindo o placar, esfriou os ânimos, mas quando Neymar chutou cruzado garantindo o empate a vib-ração foi total. O balão só teve pos-síveis ganhadores quando Fred so-freu o pênalti duvidoso e, novamente, Neymar fez 2 a 1 para o Brasil. Tudo mudou com o belo gol de Oscar que marcou a vitória da seleção por 3 a 1. Cinco estudantes acertaram o placar e ganharamcami-sas do Brasil nas cores azul, amarelo e verde. Gilmar Torres, estudante de Odontologia, foi um dos ganhadores. “Foi muito bom, muita descontração e ainda a camisa” disse Gilmar. O es-tudante de Engenharia, Iverson Izael, também acertou o placar garantindo sua camisa. “O sorteio incentivou ai-nda mais o clima de alegria da gente” ressaltou. Os brindes foram entregues peloCoordenador de Eventos e Lazer da Casa, Jefferson Lopes. “O fute-bol é uma ferramenta importante de integração, principalmente quando é Copa do mundo e, nesse caso, Copa aqui no Brasil. Aproveitamos tudo isso para proporcionar aos sócios esse momento de descontração e in-tegração” disse Jefferson. A Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) vai beneficiar mais 80 estudantes que foram aprova-dos no Processo Seletivo 2014, tornando-se sócios da entidade. A convocação desse número de aprova-dos, quatro vezes o previsto no Edital, contempla jo-vens de todas as regiões de Pernambuco. O sertão, área mais carente, lidera o número de beneficiados com 51 novos sócios dessa região. A surpresa é a crescente procura pelos serviços da Casa por estudantes da zona da mata com 11 con-vocados este ano. A decisão do presidente da CEP, Alan An-drade, de convocar 80 aprovados no Processo – 60 a mais que o previsto no Edital – tomou por base a existência de vagas no quadro social da entidade cujo limite é de 300 estudantes. “Com o desligamen-to de sócios e a conclusão do curso por outros, con-seguimos um número de vagas para convocar esse total de aprovados no Processo” afirmou Alan. Os três primeiros colocados nas provas do Processo Seletivo alcançaram a mesma nota 9,0 e ocuparam posições diferentes com base em dois cri-térios de desempate que são a maior nota na prova de Português e depois a idade. Filho de um operador de máquinas e de uma dona de casa, o estudante Luanderson Monteiro, de Serra Talhada, ficou em primeiro lugar. Ele é aluno do terceiro ano do ensino médio na Escola Técnica Estadual Clóvis Nogueira Alves. “Eu sempre procuro o que está ao meu alcance para favorecer a minha própria educação” disse o estudante. Em segundo lugar ficou o estudante de Medic-ina da Universidade de Pernambuco (UPE), Ivanildo Vieira. Ele é da cidade de Goiana na zona da mata. O também aluno de Medicina, só que da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Warton Matheus Galindo, alcançou a terceira posição. Ele deixou a cidade de Arcoverde, no sertão, em busca do sonho de ser médico. O cantor Derico Alves e banda animou o arraial junino O cantor Derico Alves e ban-da, além de um jantar com comidas típicas fizeram a festa de confraternização junina dos sócios da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) realizada na noite do sábado, 7 de junho, no refeitório da Casa. Uma decora-ção especial imprimiu o clima de São João ao espaço onde cerca de trezentas pessoas, entre só-cios e amigos da CEP, aproveita-ram ao máximo. “A verdadeira magia da confraternização chegou a acon-tecer e a festa alcançou a finali-dade: a integração entre os só-cios” disse o associado Júnior Carvalho, da cidade de Mirandi-ba. A sócia Patrícia Souza, de São José do Egito, também res-saltou o clima de confraternizaçã. “O clima ficou muito bom, estava muito aconchegante” disse. Os sócios que cantam e to-cam algum instrumento também deram uma demonstração de talento durante a festa. O presi-dente da CEP, Alan Andrade, abriu as apresentações com o sócio Mário Rocha e o amigo deles Jeferson André, ambos no violão. O ex-sócio Tarcísio Alves, que é poeta e cantor, também se apresentou acompanhado por Mário, no violão, e o sócio e Co-ordenador de Eventos da CEP, Jefferson Lopes, na percussão. MUDANÇA NA FESTA – A con-fraternização junina substituiu o tradicional arraial da Casa, re-alizado na quadra. A mudança foi explicada pelo presidente da CEP, Alan Andrade. “Em vir-tude do atraso no repasse dos recursos, do curto prazo para se produzir o arraial e da concor-rência com os eventos da Copa, realizamos esta confraterniza-ção que, ao meu ver, correspon-deu às expectativas” ressaltou o presidente. Sócios ganham festa junina e jantar típico Os diretores da CEP agradeceram a participação de todos e falaram a reformulação do evento 8 9
  6. 6. Sócios fazem oficina de fotografia e lançam exposição Com uma câmera nas mãos, um grupo de nove estu-dantes voltou o olhar para es-culturas, monumentos e prédios históricos do bairro do Derby e captou imagens que a correria do cotidiano em Recife rara-mente permite que as pessoas vejam. A maratona de fotos era a aula prática da Oficina de Fotografia da Casa do Estu-dante de Pernambuco (CEP) oferecida aos sócios. Foram mais de cinco horas de aulas teóricas e práticas que resultou numa exposição. A mostra foi inaugurada ao meio dia do sábado, 10 de maio, com música ao vivo e a participação dos associados in-clusive os autores das fotogra-fias. O Coordenador de Cultura da CEP, Hugo Menezes, e o Coordenador de Eventos, Jef-ferson Lopes, comandaram a inauguração que teve seu ponto alto quando o tecido que cobria as imagens foi retirado revelan-do as fotografias. O estudante de Engen-haria, Wisklley Guimarães, au-tor de duas fotos, era um dos mais entusiasmados. “Achei que era mais difícil (aprender a fotografar), mas fiquei surpreso com o resultado” afirmou o fu-turo fotógrafo. A exposição recebeu o nome de “Uma Janela para o Derby” título inspirado no prédio da CEP que fica no bairro e cu-jas janelas se abrem para várias partes da localidade. “Cada um colocou o seu olhar em algum recanto do bairro e extraiu um pouco da beleza que ainda resta no bairro” explicou o Coordena-dor de Cultura, Hugo Menezes. Acima a foto dos participantes na aula prática de fotografia na Praça do Derby. Fotos: 1 - Jakiele Bem, 2 - Anemiro Leite, 3 - Enison Ramos, 4 - Erika Leite, 5 - Hugo Menezes, 6 - Jersey Ferraz, 7 - Silvia Karla Lima, 8 - Elton Lopes, 9 - Wisklley Guimarães. 1 2 3 4 5 8 9 6 7 Quando as estudantes vindas do interior passaram a ser sócias da Casa do Estu-dante de Pernambuco (CEP), no início dos anos 90, quebrava-se uma barreira enraizada desde a inauguração da entidade nos anos de 1930. Só que faltava ainda mais para garantir a par-ticipação das mulheres no co-tidiano da Casa. Com a gestão “Um Novo Caminho para uma Nova CEP” elas finalmente ga-nharam esse espaço, a começar pela nomeação da primeira mu-lher para um cargo na diretoria, o que nunca tinha ocorrido. Elas também passaram a fazer parte, pela primeira vez, do projeto da Monitoria de Ensino da Casa, que oferece aulas gratuitas para os sócios. A estudante de Terapia Ocupacional, Silvia Karla Lima, da cidade de Floresta, foi a pri-meira sócia da história da CEP a exercer uma função administra-tiva na Casa. “Realmente foi um marco porque essa lacuna tinha que ser desfeita e as sócias pas-sarem a participar totalmente” comemora. Outro marco dessa in-clusão é a implantação do An-exo Feminino, uma casa vizinha à CEP, doada pela União onde será oferecida moradia para as estudantes e cujos recursos já estáo garantidos (detalhes nas páginas 04 e 05). “Isso vai pos-sibilitar com que mais mulheres do interior venham estudar em Recife” ressalta o presidente da Casa, Alan Adrade. A sócia Michele Rouse, 19 anos, da cidade de Ipubi, res-salta que a inclusão feminina rompeu um paradigma. “É mais um passo para o início da elimi-nação da sua secundarização que sempre prevaleceu ao lon-go da história da Casa” afirma. Inclusão feminina acontece pela primeira vez na história da Casa O imóvel do anexo feminino acima é o marco da inclusão das mulheres que agora terão o benefício da moradia antes somente para homens Equipe da Monitoria de Ensino da CEP incluindo mulheres sócias O trabalho conjunto dos sócios no projeto Ação CEP 10 11
  7. 7. Com inovações como serviços de orientação jurídica e exa-mes de prevenção do câncer do útero, além de mamografia, o pro-jeto “Ação CEP 2014” da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) beneficiou cerca de 700 moradores das comunidades carentes do bair-ro da Várzea, em Recife, no sába-do, 17 de maio. A equipe de uni-versitários dos cursos de Medicina, Odontologia e Direito colocou em prática o conhecimento adquirido nas universidades, realizando os serviços gratuitamente e ajudando a melhorar a qualidade de vida da população local. Aos 58 anos a dona de casa Cristina Paixão nunca tinha feito um exame de mamografia. Ela chegou cedo à escola Magalhães Bastos, onde os serviços foram oferecidos, e aproveitou também para aferir a pressão, receber orientações sobre saúde bucal e medir o nível de gli-cose no sangue. “Foi uma boa ideia e num dia bom como o sábado. Pela primeira vez vou fazer a ma-mografia e já fiz sangue, pressão e dentista” comemorou a dona de casa. Além dos exames, os mora-dores receberam ainda mais orien-tações ao participar das palestras temáticas. Uma das mais concor-ridas foi a que tratou da prevenção do câncer de mama. Outros de-bates também aconteceram com informações sobre hanseníase e tuberculose. “A gente conseguiu o apoio do Distrito Sanitário IV do município do Recife, tendo uma grande inovação com os exames de prevenção do câncer de útero e 50 exames de mamografia” ex-plicou o Coordenador de Saúde da CEP e estudante de Medicina, Mu-rilo Nascimento. A equipe de universitários de Odontologia promoveu uma verda-deira maratona de atividades sobre saúde bucal atendendo crianças e idosos. “No caso dos idosos, troux-emos o programa ‘Resgatando Sorrisos’ da UPE (Universidade de Pernambuco) que orienta como cuidar da prótese e suas neces-sidades básicas” destacou o só-cio Felipe Bezerra que coordenou o atendimento. Somente na área odontológica, 175 pessoas foram beneficiadas, a maioria crianças que participaram de aulas de esco-vação, recreação e receberam apli-cação de flúor. PROMOÇÃO DA CIDADANIA – O Atendimento Jurídico Atendimento Odontológico A ação dos universitários teve o total apoio do Distrito Sanitário IV da prefeitura do Recife As palestras sobre diversos temas ligados à saúde tirou dúvidas dos moradores e orientou sobre a prevenção de doenças Ação CEP 2014 beneficia cerca de 700 moradores do bairro da Várzea no Recife trabalho dos universitários na área jurídica, uma das novidades da Ação, ofereceu orientações sobre a lei Maria da Penha, pensão ali-mentícia, investigação de paterni-dade, entre outras. A dona de casa Cintia Santos preferiu não revelar a questão familiar para a qual pre-cisou de orientação, mas saiu sat-isfeita depois do atendimento. “O que a gente queria, a gente está conseguindo aqui” disse ela que foi orientada como resolver o caso na justiça. “A gente desenvolveu uma metodologia dividida em duas fr-entes paralelas, a partir do aten-dimento jurídico com os universi-tários mais avançados no curso de Direito e, paralelo a isso, com pal-estras com temas como direito pre-videnciário, direito do consumidor e de família” explicou o Coordenador de Eventos da CEP e estudante de direito, Jeferson Lopes. O presidente da Casa, Alan Andrade, estudante de Direito, e o vice, Sidney Ribeiro, aluno de Medicina, participaram ativamente das atividades. Eles destacaram a importância da “Ação CEP” para os sócios universitários e para os moradores das comunidades ben-eficiadas desde que o projeto foi criado, há cinco anos. “A Ação CEP consiste em um projeto social da CEP como forma de retribuição social, onde vamos a uma determinada comunidade de base realizar ações nas nossas áreas de conhecimento, aplicando, na prática, o que a gente está apre-ndendo na universidade” ressaltou Alan. Sidney destacou a importân-cia do projeto para a saúde da po-pulação atendida e para a cidadania dos moradores. “Além de questões técnicas como o conhecimento acadêmico, também são colocados em prática valores como cidadania e a ética, ajudando a desenvolver essa comunidade” ressaltou. O presidente da CEP e o vice destacaram ainda a importân-cia do apoio recebido do vereador do Recife, Davi Muniz, ao mobilizar a comunidade e dar a estrutura ne-cessária para a realização dos tra-balhos. “A Ação CEP é muito impor-tante para as comunidades porque a gente traz a ação para perto do povo. Aquelas pessoas que pre-cisam comparecem e agradecem o nosso trabalho” afirmou o parla-mentar. Aferição da Pressão Prevenção DSTs Pela primeira vez foi oferecido o serviço de mamografia com exames feitos no laboratório móvel As crianças e adolescentes receberam quites para higiene bucal graças a parceria com o Distrito Sanitário IV 12 13
  8. 8. Sócios da CEP são destaque nos vestibulares mais concorridos de PE Os sócios da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) foram destaque nos dois vestibulares mais concorridos do Estado, o da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e o da Univer-sidade de Pernambuco (UPE). O Depar-tamento de Apoio ao Estudante contabi-lizou um total de 15 aprovados, sendo 8 deles no curso de Medicina. A estudante Laura Maia, 21, da ci-dade de Serrita, comemora em dobro, já que foi aprovada no curso de Medicina na UFPE e na UPE. “Eu praticamente morava no cursinho e me dedicava muito. A gente que vem do interior não tem muita base, então é preciso muito esforço” conta. “A Casa me ajudou prin-cipalmente com a alimentação e por ser perto do cursinho” acrescentou. Sócio da CEP há um ano e meio, o estudante Matheus Brasil, 17, da ci-dade de Triunfo, também comemorou dobrado ao conquistar vaga em Engen-haria na UFPE e na UPE. “A Casa foi im-portante pra mim em todos os sentidos. Com alimentação, com a biblioteca, com tudo” ressalta o fera. Além das aprovações no curso de Medicina e Engenharia, outros sócios garantiram vaga nos cursos de Direito, Odontologia e Farmácia. A estudante Gisele Mariel, 19, da História de superação de sócio sai na imprensa O sócio da Casa do Estudante de Pernam-buco Jonas Lopes, da cidade de Joaquim Nabuco, mais uma vez foi destaque na impren-sa por conta da sua trajetória em deixar o tra-balho na agricultura para estudar e ingressar no curso de Medicina. A história dele foi mostrada, pela terceira vez, no jornal “Diário de Pernambuco” em re-portagem sobre exemplos de estudantes que venceram grandes obstáculos para conquis-tar o que queriam. A matéria intitulada “Novos Alcides completam sua Jornada” reuniu três personagens para lembrar os quatro anos do assassinato do estudante Alcides Nascimento, jovem pobre do Recife que ingressou na Uni-versidade Federal de Pernambuco, mas que foi morto na comunidade onde morava. Para Jonas, a Casa do Estudante de Pernambuco sempre foi fundamental em sua trajetória, desde 2009, quando passou a rece-ber a assistência da CEP. “Primeiramente Deus, depois a família e a Casa do Estu-dante (de Pernambuco) porque eu não tinha condições de comprar comida, de ter moradia e em tudo isso a Casa me ajuda” diz Jonas. Além de todos os benefícios, o estu-dante fez parte também da equipe de sócios da Monitoria de Ensino, uma espécie de cursinho com aulas de reforço para os associados e es-tudantes de outras casas estudantis com aulas na CEP. cidade de Serra Talhada, é sócia da CEP há dois anos garantiu vaga no curso de Medicina da UFPE e conta como a as-sistência recebida da CEP contribuiu com a trajetória dela. “Com a Casa eu me sinto com apoio para tudo. A Casa contribuiu praticamente com tudo, em estudo, com alimentação principalmente, até quando precisei de remédio” afirmou. Veja lista dos aprovados - Ana Maria Vieira – Farmácia UFPE - Anemiro Teixeira – Odontologia – UFPE - Clécia Cristina B. Silvestre Galindo – Di-reito UPE - Eleuzina Teixeira – Medicina UFPE - Gian Valois - Medicina UFPE/UPE - Gabriel Cavalcanti – Medicina UFPE - Gisele Mariel – Medicina UFPE - Ítalo Antonio – Odontologia UFPE - Jabneel Tassiano – Medicina UFPE - José Alves de Souza – Medicina UPE - José Igor da Silva Batista – Medicina UPE - Laura Maia Sampaio – Medicina UPE - Matheus Brasil de Sá – Engenharia Mecânica UPE / Engenharia CTG UFPE - Paulo Brito da Silva Júnior – Medicina UPE - Sidney da Silva Martins – Medicina UPE Sócio da CEP passa em seis vestibulares de Medicina O resultado do estudante Gian Valões, 23, ter dei-xado a cidade de Mirandiba, no sertão do Estado, para es-tudar em Recife veio na forma de cinco aprovações no curso de Medicina. Foram quatro anos de dedicação aos estu-dos, alimentando o sonho de ser médico e vencendo o de-safio de viver na capital onde encontrou moradia e assistên-cia na Casa do Estudante de Pernambuco. Em Pernambuco, Gian foi aprovado em Medicina na Universidade Federal de Per-nambuco (UFPE) e na Univer-sidade do Vale do São Francis-co (Univasf). Também garantiu vaga no mesmo curso na Ba-hia (Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS), em Santa Catarina (Universidade Federal da Fronteira do Sul – UFFS) e em Goiás (Unievan-gélica). O estudante também foi aprovado na Universidade de Pernambuco (UPE) e decidiu ficar nessa instituição. Gian atribui o seu excelente des-empenho a uma maratona que chegava a dez horas de estudo por dia. “Meus amigos dizem que eu tenho muita disciplina. Então foi a disciplina mesmo que me ajudou” explica. A lição da importân-cia aos estudos ele apren-deu dentro de casa mesmo. O estudante é filho de uma professora aposentada e de um professor em atividade na rede municipal de Mi-randiba. Gian estudou até o Ensino Médio na escola estadual Francisco Pires na sua cidade, para de-pois trocar a terra natal pelo Recife. ”Minha mãe foi minha professora de redação quando ainda ensinava. Desde pequeno, eles sempre me estimularam a ler e a estudar” conta. Sócia aprovada em Medicina na Unicap superou 84 candidatos por vaga A frase do cientista Thomas Edison reflete bem a tra-jetória da estudante Débora Souza para passar em Medic-ina. O norte-americano disse em certo momento que “o caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez”. E foi tentando que a sócia da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) garantiu vaga no pri-meiro vestibular de Medicina da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). A estudante disputou uma das 50 vagas oferecidas, vencendo uma concorrência de 84 candidatos para cada uma dessas vagas, um número bem maior que a concor-rência para Medicina nas universidades públicas. Filha de uma professora da rede municipal de Serra Talhada e de um pedreiro, Débora já tinha tentado out-ras duas vezes ingressar no curso. A preparação para passar em Medicina exige muito de todos os candidatos. No caso de Débora, ela dedica doze horas por dia aos es-tudos, de domingo a domingo, sendo que, nos finais de se-mana, dorme um pouco mais. Folga mesmo, somente quan-do ela viaja para ficar com a família em Serra Talhada. Para a estudante, a prova do vestibular de Medicina da Unicap teve um nível que ex-igiu muito dos candidatos. “Achei o nível da prova alto com questões longas, princi-palmente a prova de história” comentou Débora. E como aconselhou Thomas Edison para “tentar mais uma vez”, a estudante continua se prepa-rando para ingressar em Me-dicina na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) ou na Universidade de Pernambuco (UPE). Sócia da CEP há dois anos, Débora conta que a assistên-cia que recebe da Casa é fun-damental em sua trajetória. “A casa me ajuda com alimenta-ção, a biblioteca, o ambiente com todo mundo do interior e todo mundo voltado pra os es-tudos” ressaltou. 14 15
  9. 9. Sócio supera 32 por vaga para estágio no TRF Victor Veras faz Direito da Universidade Federal de Pernambuco e ensina redação na CEP O estudante do último ano de Direito da Uninassau, Alan Andrade, con-correu do exame foram 20 mil concorrentes. O futuro ele já planejou e pretende advogar para seguir a carreira de juiz. 16 Sócio há três anos da Casa do Estudante de Pernam-buco (CEP), o estudante de Direito Victor Veras, da cidade de Afogados da Ingazeira, no sertão, superou 32 candidatos e garantiu uma das 49 vagas de estágio no Tribunal Regional Federal da 5a. região, em Re-cife. Um total de 1547 pessoas se inscreveu, disputando as 49 vagas oferecidas. Victor foi o 13o. colocado no processo seletivo, resul-tado do bom desempenho nas provas de Direito, Português e Redação. “Contou tudo. O que eu aprendo na Universidade e também dediquei um mês de reforço nos estudos focado na prova para o estágio” explicou. O estudante contou tam- bém que o estágio no TRF era um dos que ele mais queria por causa da grande experiência que proporciona aos alunos de Direito. “Eu buscava muito esse estágio por conta do aprendiza-do, trabalhando diretamente no cabinete do desembargador, e também pela remuneração” ressaltou. Aluno do 5o. período do curso de Direito da Univer-sidade Federal de Pernambu-co (UFPE), Victor faz parte da equipe da Monitoria de Ensino da CEP (foto). O grupo de uni-versitários dá aulas de graça aos sócios da entidade e estu-dantes de outras casas. A disci-plina de Redação é responsabi-lidade de Victor que dedica as manhãs de sábado à Monitoria. Sócio da CEP é aprovado na OAB antes mesmo de se formar em Direito O sócio da Casa do Estu-dante de Pernambuco, Alan Andrade, 24, que tam-bém é presidente da entidade, foi aprovado num dos exames mais difíceis do país, o da Or-dem dos Advogados do Brasil (OAB), antes mesmo de con-cluir o curso de Direito. Na primeira fase do exame, em dezembro de 2013, Alan concorreu com outros 122 mil candidatos de todo país. Vencida essa etapa, ele enfren-tou outros 20 mil concorrentes na segunda fase do exame, em fevereirodeste ano, ficando en-tre os 13 mil aprovados. “Na primeira fase eu fiz a prova mais com base no conteúdo que tenho acesso na faculdade” explica Alan. Ao ser aprovado nessa etapa, ele de-cidiu se dedicar mais aos estu-dos. “Na segunda (fase) estudei o necessário, mas achava que não era ainda o ideal” ressaltou o estudante. Alan é da cidade de Ipubi, no sertão do Estado, e está no 9º período do curso de Direito da Uninassau com previsão para concluir o bacharelado em dezembro de 2014. Os planos para a carreira jurídica já estão traçados. “Quero advogar e me dedicar para seguir a carreira de juiz” planeja. com 122 mil candidatos inscritos em todo o país. Na segunda fase Veja mais novidades da CEP no site da Casa e deixe seu comentário: www.casadoestudantepe.org.br Três sócios vencem concursos nacionais de poesia Três sócios da Casa do Estu-dante de Pernambuco (CEP) venceram concursos nacionais de poesia, concorrendo com candidatos de todo país. Os es-tudantes de Medicina Ricardo Nascimento e Jonas Lopes, são vencedores do concurso nacio-nal de poemas “Rima Rara” pro-movido pela editora Vivara. Já o sócio Márcio Nascimento, tam-bém aluno de Medicina, con-quistou o “Prêmio Sarau Brasil 2013”. Ricardo e Jonas ficaram entre os 250 vencedores que tiveram seus poemas reunidos no livro “Concurso Nacional, Novos Poetas, Prêmio Rima Rara 2013”. Eles concorreram com os poemas “Um Toque Ce-lestial” e “Mulher”, respectiva-mente. Márcio inscreveu no Prê-mio Sarau o poema “A Epopéia dos Direitos Sexuais e Reprodu-tivos” que foi publicado no livro do concurso e está disponível na biblioteca da CEP. Sócios da CEP ganham gratui-dade na emissão de documentos da Poli/UPE Uma parceria da Casa do Estudante de Per-nambuco (CEP) com a Escola de Engen-haria da Universidade de Pernambuco (UPE), conhecida como Poli, garantiu a gratuidade na emissão de documentos escolares para os sócios da Casa alunos do centro de engen-harias. A cada semestre, os estudantes têm que entregar histórico escolar e declaração de matrícula à CEP o que significa um gasto acima de R$ 10,00 em média. Para ter acesso à gratuidade, os alunos da Poli precisam entregar uma declaração, fornecida gratuitamente pela CEP, informando que são sócios da Casa. Depois de Medicina, os sócios alunos de Engenharia são a maioria do total de 257 associados da entidade. “Parece um dinheiro pouco, mas pra gente é muito essa taxa de emissão de docu-mentos. Por isso que foi muito bom pra gente essa gratuidade” comemora o estudante Yver-son Izael aluno de Engenharia Mecânica da Poli. Outra parceria com a UPE também já garante a emissão gratuita para os sócios da Casa dos documentos escolares de quem es-tuda no Centro de Ciências Médicas. “Nós te-mos que buscar sempre parcerias como essa que beneficiem os associados. É isso que es-tamos fazendo, buscando parcerias para facili-tar a vida dos sócios da Casa” afirmou o presi-dente da Casa, Alan Andrade. JONATAN ALENCAR Engenharia Poli/UPE “Facilita porque é cobrada uma taxa de dez reais. É bom pra genter porque esse dinheiro a gente usa pra comprar material do curso”. foto: Wisklley Guimarães Os poetas da CEP Jonas Lopes, Márcio e Ricardo Nascimento (da esq. para a dir.) Mais um sócio aprovado na OAB antes de concluir Direito O sócio Vinícius Costa, 22, garantiu a sua atuação como ad-vogado antes mesmo de concluir o curso de Direito, na AESO, ao ser aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, agora em 2014. Ele conseguiu a nota de 8,7, o que reflete um ótimo desempe-nho quando a pontuação mínima exigida é de 6,0. O estudante estava no 9º. Período do curso quando decidiu fazer o exame da Ordem. Ele atri-bui a aprovação a sua dedicação ao curso. “Foi o resultado de um trabalho de dedicação ao curso e aos estudos que me fez chegar a minha aprovação” explicou. Filho de um caminhoneiro e de uma professora, Vinícius é da cidade de Ara-ripina, no sertão, e mora na Casa do Estudante de Pernambuco desde 2010. Por conta do desempenho como estudante e pela aprovação na OAB, o estudante foi um dos homenageados na comemoração dos 83 anos da Casa realizada em agosto. 17 “Espero te ver sempre feliz, meu anjo / Quero con-tinuar a seu lado / Só pra dizer que te amo / Seria um dos maiores pecados” - Ricardo Nascimento “E o mundo sem a existência da mulher não teria graça / Sem a essência do sexo dito frágil, mas que tem força e raça / Que o coração duro do homem faz amolecer com seu perfume” - Jonas Lopes “A família para a igreja / Tem que ser a nuclear / O homem e a mulher / Uma prole a acompanhar/ Mas nos dias atuais / Esta sendo contestado / O modelo tradicional/ Este está ultrapassado” - Márcio Nas-cimento
  10. 10. Aulão para a prova da CEP beneficia mais de 70 estudantes Uma verdadeira maratona de exercícios e resoluções de questões reforçou a prepa-ração de 77 estudantes que participaram do aulão, no sábado, 30 de agosto, para a prova do Processo Seletivo da Casa do Estudante de Per-nambuco (CEP) realizada no domingo, 31. A equipe da Mon-itoria de Ensino da Casa, for-mada por sócios universitários, comandou o intensivo voltado para os candidatos a novos só-cios da entidade. Os candidatos resolv-eram, junto com os monitores, questões recentes elaboradas pela organizadora do Proces-so Seletivo, a Comissão de Concursos da Universidade de Pernambuco (UPE). “O se-gredo é esse mesmo: trabalhar as questões para se sair bem na prova” afirmou o estudante Paulo Breno Alves da cidade de Jupi. A equipe de monitores contemplou todas as discipli-nas exigidas na prova do Pro-cesso Seletivo que foram Por-tuguês, Matemática, História e Geografia. O aulão começou às 8h e 30m da manhã e se estendeu até às 20h do sába-do. Para evitar o desgaste dos participantes, foi oferecido o almoço gratuitamente, assim como um lanche reforçado às 16h. DESEMPENHO – A par-ticipação no aulão ajudou mui-tos candidatos a garantirem a aprovação. O estudante Paulo Breno foi um deles. Outros dois que comemoram a aprovação são os amigos Laelson Lopes, de Serra Talhada (à dir. na foto), e Brenan Antas, de San-ta Cruz da Baixa Verde (à es-querda). Para Brenan o aulão foi muito válido. “A gente sem-pre tira algum proveito” res-saltou. Laelso concorda com o amigo. “As informações repas-sadas serviram muito na hora da prova” afirmou. Quadra é reformada depois de dois anos sem manutenção Depois de dois anos sem manutenção, a quadra da Casa do Estudante de Per-nambuco foi totalmente refor-mada para o campeonato es-portivo. A iniciativa da gestão “Um Novo Caminho para uma Nova CEP” incluiu mais que a pintura, revitalizando todo es-paço. O trabalho começou pela retirada das camadas antigas de tinta. Em seguida foram fei-tos os reparos nas placas do piso para depois aplicar a tinta especial e as linhas de demar-cação. “A nossa ideia foi não apenas pintar a quadra, como vinha sendo feito, mas fazer um trabalho de recuperação total dela já garantindo o es-paço para o campeonato” ex-plicou o Diretor de Esportes da CEP Dionísio Siqueira. A quadra revitalizada foi palco da Copa CEP de Futsal que, em 2013, reuniu um total de 150 atetas de 14 cidades. A maratona de jogos aconteceu em setembro e a equipe da ci-dade de Trindade, no sertão do araripe, consagrou-se campeã ao vencer, na final, o time da cidade de Salgueiro por um placar de 4 x 3. Farmácia da CEP oferece novos ítens e serviços A pequena farmácia básica da Casa do Estudante de Per-nambuco foi equipada com no-vos medicamentos e novidades como quite básico de primeiros socorros, além de preservativos e absorventes. Além desses novos ítens, são oferecidos os serviços de teste de glicemia e aferição da pressão arterial. A Coordenação de Saúde da Casa teve o cuidado de obser-var as normas da Agência Na-cional de Vigilência Sanitária (ANVISA) para equipar a farmá-cia com medicamentos que não exigem prescrição médica. Sala de estudos ganha novos ar-condicionados Novos colchões dão conforto e saúde aos sócios Os sócios residentes agora têm noites mais con-fortáveis e tranquilas depois que receberam os novos colchões comprados pela diretoria da CEP. Um total de 68 estudantes, que moram na Casa, ganharam os colchões que são do tipo ortopédico. O presidente Alan Andrade destacou que era de extrema necessidade a compra de novos colchões. “Muitos sócios estavam dormindo em colchões vencidos e estragados sem nenhum conforto” disse Alan. Segundos especialistas em sono, um terço da vida se passa na cama e 90% dos problemas como dores na nuca e torcicolos são causados por colchões inadequados. O Rotary Clube incrementou o Núcleo de Infor-mática da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) ao doar quatro computadores. Os novos equipamentos funcionam a partir do mesmo servi-dor que dá capacidade de processamento aos ter-minais como computadores autônomos. Para ter acesso, os sócios devem se dirigir à biblioteca que fica junto ao Núcleo de Informática no primeiro an-dar do anexo situado ao lado da quadra esportiva. Aferição da pressão arterial e teste de glicemia também são oferecidos Sócios ganham novos computadores Jantar de Páscoa Os sócios ganharam uma confra-ternização de Páscoa dias antes da Semana Santa em abril deste ano. O evento foi no restaurante da Casa com um jantar especial. A confrater-nização foi animada por um grupo de sócios com música ao vivo. Nova área de lazer Os sócios internos da CEP ganharam uma área de lazer localizada na parte externa do primeiro andar. O local foi equipado com bancos, ilumina-ção nova. Já os varais, que ficam ao lado, foram trocados por estruturas novas e mais altas. Um dos principais espaços para os sócios da Casa do Es-tudante de Pernambuco (CEP) foi equipado com novo sistema de refrigeração, trazendo mais conforto pra os estudantes. A gestão instalou novos apa-relhos de ar-condicionado no salão de estudos no 3o. andar, local mais frequentado pelos sócios para estudar. Agora os equipamentos são mais po-tentes com 36 mil btus e com a vantagem de serem também silenciosos para não atrapalhar os estudos. Curta: facebook.com.br/casadoestudantedepernambuco 18 19
  11. 11. Gestão investe em acesso à informação e transparência pela primeira vez na CEP maior facilidade de acesso aos da-dos por qualquer pessoa e de qual-quer lugar. “O investimento em transparên-cia foi uma das nossas propostas de campanha. Temos a respon-sabilidade de informar às pessoas como estamos usando o dinheiro público. Somos uma gestão trans-parente para os nossos sócios e para a sociedade” afirmou o presi-dente da CEP Alan Andrade. A gestão investiu também na divulgação das informações das atividades realizadas pela equipe. Para isso, reativou a assessoria de comunicação, promovendo o aces-so total às notícias referentes à ad-ministração e aos sócios. Os dados são disponibilizados na site da en-tidade e nas redes sociais onde a CEP agora tem seus canais. Pela primeira vez a Casa do Es-tudante de Pernambuco (CEP), passa a cumprir com o que deter-mina a lei 12.527/2011 de Acesso à Informação. Com isso, está ha-vendo uma ampla divulgação da movimentação financeira, aplica-ção de recursos, licitações e con-tratos. De acordo com a lei, toda entidade que recebe verbas públi-cas deve investir na divulgação das informações referentes à aplicação dos recursos, independentemente de solicitação. Uma das principais ferramen-tas que está sendo usada com esse objetivo é o site da CEP que agora oferece a seção “Contas” destinada à divulgação do balanço financeiro anual. O uso da tecnologia da in-formação é recomendado pela lei, sendo um dos meios que oferecem GIAN VALÕES Medicina UPE “Tem meia década que eu moro na Casa e essa gestão é a mais trans-parente. É importante (o acesso à informação) por que a gente fiscaliza. Eu posso acompanhar tudo até de Mirandiba (a cidade dele)” Monitoria de ensino é formada por seleção pela primeira vez As vagas para a formação da Monito-ria de Estudo da Casa do Estudante de Pernambuco passaram a ser preen-chidas, pela primeira vez, por meio de um processo seletivo. Um total de 16 sócios disputaram as 10 vagas para o projeto que existe há sete anos e que oferece aulas de dez disciplinas gratu-itamente. Os aprovados recebem uma bol-sa em dinheiro para ministrar 3 horas/ aula por semana dirigidas aos sócios da CEP e estudantes de outras residências Há seis anos, época em que foi criado, o projeto de Monitoria de Ensino da CEP era mantido no mesmo modelo da época em que começou. A gestão “Um Novo Camin-ho para uma Nova CEP” realizou o processo seletivo para a escolha dos monitores, o que possibilitou a inclusão das mulheres sócias. O conteúdo programático também foi modificado, dando ênfase ao exigido pelo Exame Nacional do Ensino Médio. CEP cria canais de informação nas redes sociais pela primeira vez O acesso dos sócios às informações da gestão da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) e das ações administrativas foi reforça-do com a criação, pela primeira vez, de canais nas redes sociais. A Casa passou a ter espaço no Facebook, no Twitter e no What’s App para divulgação de conteúdos e contato direto com os associados. Com isso, foram abertos espaços onde os sócios e o público em geral podem deixar sugestões, fazer críticas ou elogios e, principal-mente, tirar dúvidas sobre a gestão ou admini-tração. O presidente da CEP, Alan Andrade, também reativou a assessoria de comunicação da entidade e lançou o novo site da Casa. A assessoria de comunicação da CEP é responsável pela produção de conteúdos para as redes sociais e para o site, pelo contato com a imprensa e, ainda, pela produção do jornal da entidade. “A nossa intenção foi, pri-meiro, usufruir das novas tecnologias da infor-mação em benefício da Casa e abrir canais de comunicação e contato direto com os sócios” ressalta o presidente da Casa. Canais da CEP: casadoestudantepe.org.br Facebook: Casa do Estudante de Per-nambuco - CEP Twitter: @casaCEP estudantis. A criação do processo seletivo trouxe também mais uma inovação que foi a participação das mulheres sócias da CEP na monitoria com aprovação de quatro estudantes em 2013 e uma em 2014 .“Nossa gestão democratizou o pro-cesso, deu espaço para as mulheres e a Monitoria ganhou qualidade” ressaltou o vice-presidente da CEP Sidney Ribeiro. As aulas também ajudam os estu-dantes do interior que se preparam para o Processo Seletivo da CEP. O novo site da CEP traz notícias e serviços para os sócios e público em geral Monitoria de ensino da CEP prepara para o Enem Pela primeira vez, desde que foi criada, a Monito-ria de Ensino da Casa do Estudante de Pernam-buco (CEP) passou por uma reformulação, tornando o conteúdo programático focado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A mudança ocorreu para beneficiar os alunos, já que o Enem agora é pas-saporte para ingresso na maioria das univerisdades do país. A Coordenadora de Educação da CEP, Síl-via Karla Lima, e o vice-presidente da Casa, Sidney Ribeiro, reuniram-se com a equipe de monitores e definiram a mudança em conjunto. “Nós adequamos as disciplinas e o conteúdo da Monitoria exatamente como o Enem, já que, agora, o Exame vale para tudo” explicou Sílvia Karla. O projeto de ensino é dirigido aos sócios da Casa e a outros estudantes carentes. Os coordenadores e os monitores decidiram também adotar um reforço e, além do bloco de Lin-guagens, Códigos e suas Tecnologias do Enem, a Monitoria oferece aulas de Português e Redação separadamente. Os monitores são alunos bem suce-didos de cursos como Medicina e Direito que se divi-dem em aulas de segunda a sexta durante a noite e aos sábados pela manhã. AULÃO PARA O ENEM - A preparação dos alunos da Monitoria para o Enem 2013 contou com o re-forço de um aulão oferecido durante todo dia 19 de outubro do ano passado. Assuntos de dez discipli-nas ministrados por dez professores fizeram parte da maratona de ensino. As atividades começam às 9h e se estendem até às 15h com lanche para os participantes. 20 21
  12. 12. 22 Gestão faz mais parcerias com cursinhos Mais 40 estudantes vindos do in-terior para estudar em Recife passaram a receber os benefícios oferecidos pela Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) este ano. Eles formam o grupo dos 40 primeiros co-locados no Processo Seletivo 2013 para novos sócios e foram chamados em duas convocações, uma para 30, em agosto, e a última para mais 10 aprovados, em outubro. Pela primeira vez os sócios recém convocados receberam o cartão da bolsa alimentação nos dois encontro de boas vindas que reúne os convocados e a diretoria da CEP. “Como a alimentação é um dos principais benefícios, eles têm que receber logo o cartão alimentação e entender como funciona o acesso ao restaurante” explicou o presidente da CEP, Alan Andrade. Durante os encontros de boas vindas, os novos sócios conheceram Os sócios da Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) ganharam mais oportunidades para es-tudar em um cursinho de pré-vestibular de alto nível por meio da parceira firmada entre a Casa e esses grupos de ensino. Somente em um deles, o Fer-nandinho & Cia, são oferecidas quinze bolsas inte-grais para sócios da Casa. A sócia Andreza Alves é uma das beneficia-das. “A gente tem que aproveitar essas oportundia-des ao máximo” comemora. Os sócios também ganham desconto para es-tudar em outros três grupos de pré-vestibular que são a Oficina de Estudos e os cursos Fernanda Pes-soa e Chico Vieira. “Os professores são sensíveis à nossa causa e sabem das dificuldades da gente do interior para ter acesso a cursinhos caros” ressalta o presidente da Casa, Alan Ricardo. A diretoria da CEP agradeceu o apoio de to-dos os cursinhos parceiros na comemoração dos 82 anos da Casa, em agosto de 2013, homenageando cada um dos grupos de ensino. A sócia Luisa de Marilak foi uma das benefi-ciadas com uma bolsa em Fernandinho e atualmente faz Medicina na Faculdade de Medicina do Cariri, no Ceará. “Estudar em Fernandinho foi um privilégio e aumentou todas as chances de eu passar em Me-dicina” ressaltou. Novos sócios recebem cartão alimentação na reunião de boas vindas pela primeira vez ANDREZA ALVES Pré-Vestibular “É muito importante porque a gente do interior não tem condições de arcar com a mensalidade dos grandes cursinhos” a equipe de dirigentes da Casa e as normas da entidade ao receber có-pias do Regimento e Estatuto. A ge-rente do Departamento de Apoio ao Estudante (DAE), Mirna Karla, coor-denou as reuniões de boas vindas e deu detalhes de como ter acesso aos serviços oferecidos. Os 40 novos sócios formam um grupo com histórias de vida pare-cidos. A maioria é do sertão de Per-nambuco, um total de 26, e a maior parte faz o curso de Medicina ou se prepara para o vestibular desse cur-so. Vindo da cidade de Betânia, no sertão pernambucano, o estudante José Alves (foto) queria passar no curso de Medicina e se tornar só-cio da Casa o que conseguiu, este ano. “Pra mim é um orgulho ter sido aprovado e um sonho porque, há dois anos, eu tento entrar na Casa e ago-ra consegui” disse o estudante ao se apresentar durante o encontro. Sócios descobrem o universo da música em curso de violão no cotidiano dos sócios da Casa foi do Co-ordenador de Cultura da entidade Hugo Menezes. “A gente fez uma enquete nas redes sociais e o pessoal escolheu o vio-lão. O Curso é um sucesso com muitos in-scritos e uma participação efetiva de todos eles” afirmou Hugo. As aulas continuam no próximo ano com as três turmas. Maria Alves aposentada “É o instrumento que eu acho mais bonito. Quero tocar para os meus netos” Aprender a tocar um instru-mento está sendo a tarefa de uma turma com 10 sócios da Casa do Estudante de Pernam-buco (CEP) que participam do Curso de Violão da Casa ofer-ecido gratuitamente para os as-sociados. As aulas acontecem ao final de tarde dos sábados e domingos, no auditório da CEP, tendo cada aula duas horas de duração. O aprendizado dos participantes acontece em dois módulos, sendo o primeiro de teoria, incluindo apostila gratuita, e o se-gundo de prática. Além dos sócios, qualquer pes-soa pode participar do curso. Quem já está aprendendo, junto com os associa-dos, é a aposentada Maria Alves, de 69 anos. Ela soube das aulas por um amigo e decidiu realizar um sonho antigo de to-car violão. “É o instrumento que eu acho mais bonito. Quero tocar para os meus netos” disse ela. Maria é da cidade de Vitória de Santo Antão, mas está mo-rando em Recife para cuidar de uma amigo, também idosa. Ela já participou de quatro aulas. “Estou aprendendo a dedilhar para depois aprender as notas” explica. As aulas são ministradas por um apaixonado pela música, o estudante de Direito, Mário Rocha que toca violão há mais de dez anos. “Qualquer pessoa pode aprender. O grande segre-do é dis-ciplina e força de vontade como tudo na vida, além de praticar muito, pelo menos uma hora por dia” explica Mário. O projeto de inserção da música O sócio e Coordenador de Eventos da CEP Jefferson Lopes no Encontro (último à direita) Informativo da Casa do Estudante de Pernambuco. Gestão: UM NOVO CAMINHO PARA UMA NOVA CEP - Presidente: Alan An-drade. Vice: Sidney Ribeiro. Diretores: Elder Aquino (Saúde e Alimentação) Dionísio Siqueira (Esportes) Silvia Karla (Educação) Paulo Cezar Alencar (Disciplina), Hugo Menezes (Cultura), Jefferson Lopes (Eventos), Mário Rocha (Patrimônio). Conselho Ad-ministrativo - Eduardo Vicente, Nara Noblat, Carlos Pires, Ana Patricia Pastick, Hélio Araújo, Dep. Gustavo Negromonte, Nélio Carneiro, Cícero Anael, Lazaro Luis Souza, Nolane Pedrosa e Luiz Barreto. / Supervisor Administrativo Antônio Pessoa, Asses-soria de Planejamento Vilma Granjeiro, Departamento de Apoio ao Estudante Mirna Karla, Assessoria Jurídica Paulo Novaes. (Tiragem: 1000 exemplares) Reportagem, edição, diagramação e fotos: Jornalista Adriano Pádua - DRT 2515 PE 23 CEP é modelo em Encontro Nacional de Casas no Rio O modelo de estrutura e serviços oferecidos pela Casa do Estudante de Pernambuco (CEP) tornaram-se referência para os estu-dantes que participavam do XXXVII Encontro Nacional de Casas Estudantis, o Ence, realizado entre os dias 4 e 9 de agosto, de 2013, no Rio de Janeiro. A história da Casa e a assistência que ela oferece aos estudantes foram apresentados pelo sócio Jéfferson Lopes durante a plenária e também com a distribuição de um folder. “A gente está mesmo entre as melhores casas de estudante do país e servimos de mod-elo de gestão sendo destaque no encontro” destacou Lopes. Cerca de 300 estudantes de residências estudantis de todo país participaram do Ence 2013 cujo foco, este ano, foi a luta pe-los direitos historicamente já conquistados pelos residentes. O vice-presidente da CEP, Sidney Ribeiro, considerou importante a Casa ter sido referên-cia para outras residências estudantis de todo o país. “Isso só nos dá mais estímulo para tor-narmos a Casa cada vez melhor e concretizar a ideia de que o trabalho social que a CEP vem prestando, durante essa longa jornada de 82 anos, tem, realmente, um retorno fundamental” comemorou.
  13. 13. Capiba é homenageado nos 83 anos da CEP A aposentada Zezita Bar-bosa, esposa de Capiba, viajou 122 quilômetros da ci-dade de Surubim, onde mora, até o Recife, na sexta-feira, 22 de agosto, para um momento especial. Ela foi receber a ho-menagem que a Casa do Es-tudante de Pernambuco (CEP) prestou ao seu marido Louren-ço da Fonseca Barbosa (1904- 1997), o Capiba, na cerimônia de aniversário dos 83 anos da entidade. A solenidade reuniu só-cios da CEP, funcionários, ex-sócios, empresários, políticos e artistas na noite da sexta-fei-ra, 22 de agosto. Foi apresen-tado um texto com o histórico da atuação de Capiba e sua Jazz Band, fazendo shows na década de 30 e destinando recursos para a construção da Casa. A musicista Karoline Maciel, do Conservatório Per-nambucano de Música, tocou no acordeom a música “Ma-deira que Cupim não Rói” um clássico do músico escrito em 1963. A viúva, Zezita Barbosa, recebeu flores e uma comen-da entregue pelo Coordenador de Eventos da CEP, Jefferson Lopes. “Achei ótimo, maravil-hoso. Muito obrigado pela lem-brança ao meu marido” disse Zezita. Ela também inaugurou, no restaurante da Casa, a exposição “Capiba e a Cons-trução de um Sonho” com fo-tos do músico e sua Jazz Band em 1931, além de imagens da construção da Casa na época. A gestão “Um Novo Caminho para uma Nova CEP” também homenageou outras treze pessoas entre sócios e personalidades que con-tribuem com a Casa. O sócio Gian Valois, de Mirandiba, que passou em seis vestibulares de Medicina, incluindo os da UFPE e UPE foi um dos hom-enageados. ANEXO FEMININO E EDUARDO CAMPOS – A CEP concedeu o título de sócio be-nemérito ao deputado fe-deral Jorge Côrte Real, autor da emenda que destinou R$ 300 mil para a implantação do anexo feminino da Casa. O deputado estadual Ricardo Costa, autor de outra emenda de R$ 100 mil para o anexo, recebeu a homenagem pelo colega parlamentar. “A gente vê como o papel desta Casa tem sido cumprido para a for- A viúva de Capiba, Zezita Barbosa, ao lado dos diretores da CEP e integrantes do Conselho de Administração da Casa mação da juventude pernam-bucana” disse Costa. O estudante de Di-reito e presidente da CEP Alan Andrade também rece-beu o título de Sócio Ben-emérito pelo exemplo como estudante, aprovado na OAB antes mesmo de terminar o curso, e como gestor que, en-tre outras ações, conseguiu implantar o anexo feminino. “A Casa do Estudante é isso. São histórias, cada um com suas particularidades, cada um com suas dificuldades. A Casa do Estudante proporciona, como se diz lá no sertão, que o filho do pobre seja doutor” destacou Alan. Ele também lembrou a trágica morte do ex-governa-dor de Pernambuco Eduardo Campos e pediu um minuto de silêncio em homenagem ao saudoso político. SHOWS - No sábado, 23, o aniversário da CEP foi comemorado com três shows. A dupla Wagner e Berg fez a abertura e a banda cearense Caninana do Forró foi a prin-cipal atração, tocando pela primeira vez em Recife. A festa entrou pela madrugada com o show do cantor Derico Alves que também foi um dos ho-menageados e recebeu a co-menda de honra ao mérito. 24 fotos: Wisklley Guimarães foto: Rodrigo Silva

×