Ondas gge_Segunda Parte

2.596 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.596
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
88
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ondas gge_Segunda Parte

  1. 1. Ondas parte II
  2. 2. Átomo emitindo luz Luz polarizada Representação da polarização Ondas Polarizadas
  3. 3. Como Polarizar uma Onda ?
  4. 4. O que é um polarizador ? Analogia interessante ...
  5. 5. Polarizações em Sequência
  6. 6. Uso dos Polaróides
  7. 7. Outros Modos de Polarizar uma Onda Cristal dicróico Dicroísmo em Jóias
  8. 8. Pleocroímos em Gemas (Do Grego pléos, cheio + chróa, cor:)
  9. 9. Dupla Refração: Birrefringência
  10. 10. Tipos de Polarização Linear Horizontal Linear Vertical Circular Anti-Horária Circular Horária
  11. 11. Polarização Abordagem quantitativa: Lei de Malus
  12. 12. Etienne Malus 1775 – 1812
  13. 13. Usos da Polarização: Películas Anti-reflexo Sem o filtro Com o filtro
  14. 14. Usos da Polarização: Filtros Polarizadores
  15. 15. Usos da Polarização: Óculos 3D
  16. 16. Usos da Polarização: Óculos 3D
  17. 17. Outros Aspectos Qualitativos das Ondas Reflexão de ondas em cordas: Condições de Contorno Extremidade fixa Extremidade livre
  18. 18. Ondas Bidimensionais Reflexão de ondas bidimensionais
  19. 19. Leis da Reflexão 1ª Lei: o raio incidente, o raio refletido e a normal são COPLANARES 2ª Lei: o ângulo de incidência (i) e o ângulo de reflexão (r) são IGUAIS. Ondas Bidimensionais
  20. 20. Refração de ondas em cordas: sem inversão de fase Ondas Bidimensionais Animação
  21. 21. Ondas Bidimensionais Refração de ondas em cordas: com inversão de fase Animação
  22. 22. Ondas Bidimensionais Refração de ondas bidimensionais Lei de Snell - Descartes Animação
  23. 23. Superposição de Ondas Princípio de Superposição Quando duas ondas estão no mesmo lugar, o distúrbio resultante é a soma dos dois distúrbios induviduais onda 1 Onda 2 Onda resultante
  24. 24. Superposição de Ondas Planas
  25. 25. Superposição de Ondas Interferência Construtiva Ondas em fase Reforço da onda x crista – crista vale - vale  m  (   =  2m  )
  26. 26. Superposição de Ondas Interferência Destrutiva Ondas em fase Diminuição da onda crista - vale Crista - vale  /2  m    = (1  2m ) 
  27. 27. Confira os efeitos da superposição
  28. 28. Interferência em Ondas Bidimensionais Fontes Coerentes Duas fontes de ondas dizem-se coerentes se a diferença de fase entre as duas se mantém constante. Caso contrário designam-se por incoerentes.
  29. 29. Interferência em Ondas Bidimensionais Confira o que acontece em torno das fontes
  30. 30. Condições para interferência Interferência Construtiva Interferência em Ondas Bidimensionais
  31. 31. Condições para interferência Interferência Destrutiva Interferência em Ondas Bidimensionais
  32. 32. Interferência em Ondas Bidimensionais Detalhes de uma interferência construtiva
  33. 33. Interferência em Ondas Bidimensionais Detalhes de uma interferência destrutiva
  34. 34. Interferência com Ondas Sonoras de Freqüências muito Próximas: Batimentos Tempo Freqüência resultante Freqüência de batimento
  35. 35. Confira uma simulação dos batimentos
  36. 36. Isso acontece por causa da Interferência da Luz ...
  37. 37. O Conceito de Difração Entende-se o termo de difração como um conjunto de fenômenos resultantes da propagação das ondas num meio em que existem não uniformidades bem pronunciadas, tais como orifícios ou fendas num anteparo, obstáculos, etc.
  38. 38. Condições de ocorrência de difração
  39. 39. Confira ... Difração numa cuba de ondas Representações das frentes de onda
  40. 40. Confira ... Difração numa cuba de ondas Representação das frentes de onda
  41. 41. Conclusão A difração num orifício se ACENTUA quando o comprimento de onda da onda incidente é da ordem do tamanho do orifício Confira ...
  42. 42. A difração presente em nossa vida ...
  43. 43. Vestígios da difração da luz
  44. 44. Difração da luz em orifícios circulares Orifício em placa de alumínio de 1 mm de espessura Padrão de difração obtido
  45. 45. Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young Sir Thomas Young 1773 - 1829 Físico, médico e egiptólogo inglês
  46. 46. Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young
  47. 47. Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young Aspectos matemáticos
  48. 48. Aspectos matemáticos Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young
  49. 49. Aspectos matemáticos Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young
  50. 50. Difração da luz em fendas duplas: Experimento de Young Franjas de difração

×