Anatomia do quadril

49.012 visualizações

Publicada em

Apresentação Dr. Luiz Gaya

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
49.012
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
532
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • Anatomia do quadril

    1. 1. ANATOMIA DO QUADRILATOMIANATOMIA DO QUADRIL A ANATOMIA DO Anatomia do quadril Luis Felipe Villas Bôas
    2. 2. Articulação sinovial multiaxial do tipo esferóideque conecta o tronco ao membro inferiorPermite:-Flexo-extensão,-Abdução-adução- Circundação-Rotação medial e lateral
    3. 3. 3 ossos formam o acetábulo ILÍO PÚBIS ÍSQUIO
    4. 4. Ilio2/5 superioresdo acetábulo
    5. 5. Ísquio• 2/5 póstero- ínferiores do acetábulo• Projeção póstero- medial: espinha isquiática.• Incisura ciática menor: origem m. obturador interno
    6. 6. Acetábulo• Do latim, taça de vinho• Partes central e inferior mostram depressão em forma de colher: fossa acetabular, preenchida pelo pulvinar• Incisura acetabular• Ligamento acetabular
    7. 7. Crista IlíacaEspinha Ilíaca Anterosuperior Superfície Semilunar Margem e Incisura Forame Obturador
    8. 8. Anterior PosteriorTroc. Maior Fóvea Crista Intertroc.Linha Intertroc. Troc. Menor Linha Pectínea Tuberosidade Glútea Linha Áspera Linhas supracondilianas med. e lat.
    9. 9. ÂNGULO CÉRVICO-DIAFISÁRIO• Média 125°• Tende a aumentar nos fêmures mais longos e nas crianças, e diminuir nos mais curtos e nas mulheres• <110 °  VARO• >140 °  VALGO• Comprimento do colo permite fixação mais distal da cápsula, tendo esta maior liberdade de torção
    10. 10. • O grau de variância anterior do colo em relação a linha condilo (cerca de 15° no adulto) é chamado de versão ou ângulo de declinação
    11. 11. Estrutura interna fêmur proximal
    12. 12. Linha Terminal Fossa Acetabular Fossa Femoral Teto Acetabular Lágrima de Köhler
    13. 13. Cápsula Articular• Uma das estruturas ligamentares mais fortes do corpo• Forma cilindro fibroso com extremidades fortemente aderidas ao osso
    14. 14. Visão Anterior da Cápsula Ligamento PubofemoralLigamento IliofemoralPorção transversaPorção descendente
    15. 15. Visão Posterior da Cápsula Lig. Iliofemoral Origem do Reto Femoral Lig. Isquiofemoral
    16. 16. Articulação do Quadril Labrum acetabularOrigem do Reto Femoral Lig. Redondo Lig. Iliofemoral (Y de Biegelow) Lig. Pubofemoral Lig. Isquifemoral
    17. 17. Cápsula Aberta Labrum Lig. IliofemoralSuperfície SemilunarLig. Isquifemoral
    18. 18. Lábio Acetabular• Anel fibroso intracapsular em forma de “C” na borda óssea do acetábulo.• Mais robusto nas porções ilíaca e isquiática• Aumenta profundidade
    19. 19. Lig Transverso do Acetábulo• Complemento fibroso do lábio
    20. 20. Ligamento Redondo• Da fossa acetabular à fóvea• Cerca de 35mm comprimento• Posto sob tensão somente na abdução extrema• Totalmente intracapsular• Artéria deriva do ramo posterior da art
    21. 21. Músculos• Pós-axiais originados da coluna vertebral e ílio, inervados pelos nn glúteos ou femorais (também peq ramos plexo lombo-sacral)• Músculos pré-axiais têm origens no ísquio e púbis, com inervação partindo dos nn ciático ou obturador
    22. 22. Origens e Inserções Musculares Reto femoral Vasto lateral Vasto medial Vasto intermédio Inserções dos Vastos
    23. 23. Origens e Inserções Musculares Psoas Maior Músculo Ilíaco Inserção do Psoasilíaco
    24. 24. Origens e Inserções Musculares Semitendinoso Semimembranoso Bíceps Femoral Loja dos Adutores
    25. 25. Origens e Inserções Musculares Glúteo médio Glúteo menor Glúteo máximo
    26. 26. Origens e Inserções Musculares Piriforme Obturado externo Obturador interno Quadrado femoral
    27. 27. Os Extensores• Principais são mm. glúteo máximo e parte isquiocondilar (posterior) do adutor magno• Isquiotibiais são extensores secundários
    28. 28. Visão Posterior Glúteo Maior
    29. 29. Os Flexores• Iliopsoas, pectíneo, tensor da fáscia lata e sartório são os principais flexores do quadril
    30. 30. Os Abdutores• Principais: glúteos médio e mínimo• Auxiliada pelo tensor fáscia lata, sartório e fibras superiores glúteo máximo.
    31. 31. Os Adutores• Principais são os mm pectíneo e adutores curto, longo e magno• Inserem-se na linha áspera do fêmur• Contribuíntes menores: – mm obturador externo, – iliopsoas, – isquiotibiais
    32. 32. Os Rotadores Mediais• Principais: - Glúteos médio e mínimo - Tensor da fáscia lata
    33. 33. Os Rotadores Laterais• Principais: - Quadrado femoral, obturadores interno e externo e gêmeos• Secundários: - Glúteo máximo (fibras inferiores), piriforme,.
    34. 34. Glúteo médio (glúteo mínimo abaixo) Piriforme Gêmeo superiorObturador internoGêmeo inferior Quadrado femoral Tub. Isquiática
    35. 35. Nervos Glúteo superior (glúteo médio e menor)Ciático(perna)Glúteo inferior(glúteo máximo) Cutâneo femoral posterior
    36. 36. Nervo cutaneo femoral lateral(sensibilidade face anterior coxa) Nervo femoral (musculatura anterior da coxa) Nervo obturador (loja dos adutores e obturador externo) Nervo safeno
    37. 37. Vascularização da Cabeça Femoral Ramo ascendente Artéria Foveolar Ramo da art. Artérias retinaculares Obturadora ou (subsinoviais) anteriores da circunflexa e posteriores femoral medialRamo transverso Ramos descendente Artérias circunflexas femorais lateral e medial, ramos da artéria femoral profunda, primeiro ramo da artéria femoral
    38. 38. Anel Arterial Extracapsular Anel arterial subsinovial Ramos contributivos menores vindos das artérias glúteas superior e inferior
    39. 39. Vascularização principal da cabeça femoral vem dos vasos posteriores Contribuição da vascularização pela artéria foveolar é pequena e variávelPorção intracapsular do colo femoral não temperiósteo, por isso depende apenas deregeneração endosteal Má redução em fraturas do colo femoral são um preditor de necrose avascular de cabeça femoral
    40. 40. Questões• O nervo ciático emerge na região glútea entre os músculos gêmeo superior e obturador interno. ( ) certo ( ) errado
    41. 41. Questões• O nervo ciático emerge na região glútea entre os músculos gêmeo superior e obturador interno. ( ) certo ( x ) erradoR- O nervo ciático na região glútea emerge entre os músculos piriforme e gêmeo superior.
    42. 42. • O nervo femoral localiza-se medialmente a veia femoral. ( ) certo ( ) errado
    43. 43. • O nervo femoral localiza-se medialmente a veia femoral. ( ) certo ( x ) erradoR- O nervo femoral situa-se quase diretamente na frente da articulação do quadril, no interior do triângulo femoral (Scarpa) e está localizado lateralmente a artéria e veia femoral.

    ×