MUHAMMAD
ALI
E sua
luta
contra
o
racismo
“Eu sou o melhor !!!, dizia eu mesmo
antes de saber que o era ….”
• Cassius Marcellus Clay, Jr., nasceu em 17
de janeiro de 1942 em Louisville,
Kentucky. O mais velho de dois meninos,
ele ...
• Clay teve seu primeiro contato com o
boxe do chefe de polícia e técnico de
boxe Joe E. Martin em Louisville, que o
encon...
• Sua primeira luta como profissional foi
em 29 de outubro de 1960, contra
Tunney Hunsaker. Quatro anos depois
ele desafia...
• Mas Ali ficou conhecido não
apenas por ter sido três vezes
campeão dos pesos pesados
nos anos 70. O boxeador norte-
amer...
• Entre 65 e 67 defendeu o título por nove
vezes, vencendo em todas as ocasiões. Em
plena Guerra do Vietnã, foi convocado
...
• Em 28 de junho no mesmo ano sua
condenação foi revogada pela
Suprema Corte que julgou que Ali
não aceitou a convocação p...
A LUTA DO SÉCULO
• A luta foi organizada pelo empresário Don King, que escolheu o
Zaire como palco da disputa. O evento fo...
• No ano seguinte lutou novamente contra Frazier em uma partida de
desempate no confronto pessoal entre os dois. Em uma lu...
Perdeu novamente o cinturão dos pesos pesados em
1978, quando foi derrotado por Leon Spinks. Sete meses
depois, teve a rev...
• Sua última luta foi em 1981, quando enfrentou e foi derrotado por Trevor
Berbick. Um dia depois anunciou que deixava def...
Foi eleito embaixador da ONU em 1998. Dois anos antes
carregou e acendeu a pira Olímpica nos jogos de Atlanta. Foi
eleito ...
A principal luta: Muhammad Ali vs Racismo
Muhammed Ali e sua luta contra o racismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Muhammed Ali e sua luta contra o racismo

942 visualizações

Publicada em

Muhammed Ali e sua luta contra o racismo

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
942
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Muhammed Ali e sua luta contra o racismo

  1. 1. MUHAMMAD ALI E sua luta contra o racismo
  2. 2. “Eu sou o melhor !!!, dizia eu mesmo antes de saber que o era ….”
  3. 3. • Cassius Marcellus Clay, Jr., nasceu em 17 de janeiro de 1942 em Louisville, Kentucky. O mais velho de dois meninos, ele foi nomeado por seu pai, Cassius Marcellus Clay, Sr., que foi nomeado após o político abolicionista de mesmo nome. Seu pai pintava outdoors, e sua mãe, Odessa O'Grady Clay, foi uma empregada doméstica. No entanto, o Cassius Sr. era um metodista, aceitou que Odessa convertesse Cassius Jr. e seu irmão Rudolph "Rudy" Clay (depois renomeado Rahman Ali) como batistas. Ele era descendente de escravos americanos na América sulista, e é predominantemente descendente de afroamericanos, com ancestrais irlandeses e ingleses.
  4. 4. • Clay teve seu primeiro contato com o boxe do chefe de polícia e técnico de boxe Joe E. Martin em Louisville, que o encontrou com 12 anos batendo em um ladrão que estava roubando sua bicicleta. Ele disse ao oficial que ele estava fazendo "whup" no ladrão. O oficial lhe disse para aprender boxe. Nos seus últimos quatro anos de carreira amadora Clay tinha treinado com Chuck Bodak. • Clay ganhou seis títulos Golden Gloves de Kentucky, dois títulos Golden Gloves nacionais, e o título nacional do Amateur Athletic Union, e a medalha de ouro do Meio-Pesado nas Olimpíadas de Verão de 1960 em Roma. O recorde amador de Clay foi 100 vitórias com apenas cinco derrotas.
  5. 5. • Sua primeira luta como profissional foi em 29 de outubro de 1960, contra Tunney Hunsaker. Quatro anos depois ele desafiaria Sonny Liston, campeão dos pesos pesados. Em uma luta de sete assaltos, venceu e com apenas 22 anos se tornou o Campeão Mundial. Após a conquista, se converteria ao islamismo, deixando para trás o nome de Cassius Clay e adotando Muhammad Ali. • Convertido ao Islamismo foi como Muhammad Ali que viveu suas melhores batalhas. Foi polêmico, causou espanto e admiração em alguns e desprezo em outros. Seu brilhantismo sobre os ringues iniciou- se nos Olímpicos de Roma onde obteve seu primeiro prêmio mundial.
  6. 6. • Mas Ali ficou conhecido não apenas por ter sido três vezes campeão dos pesos pesados nos anos 70. O boxeador norte- americano enfrentou o governo, lutou contra o racismo e se tornou ícone por sua visão e estilo únicos tanto dentro quanto fora do ringue. • Ele foi o primeiro americano a falar para o mundo dos problemas raciais do seu país. Ali e Malcom X Ali e Martin Luther King
  7. 7. • Entre 65 e 67 defendeu o título por nove vezes, vencendo em todas as ocasiões. Em plena Guerra do Vietnã, foi convocado para se alistar nas Forças Armadas e se negou. Vai para julgamento onde é considerado culpado. Teve seus títulos cassados, foi proibido de lutar e só não acabou preso por que pagou uma fiança de 5 mil dólares. Acabou se tornando um símbolo da resistência do povo americano à Guerra do Vietnã. Voltou a lutar apenas em 1970, quando enfrentou e derrotou Jerry Quarry em Atlanta. Em 08 de março de 1971 enfrentou Joe Frazier para reconquistar seu cinturão, mas acabou derrotado após 15 assaltos.
  8. 8. • Em 28 de junho no mesmo ano sua condenação foi revogada pela Suprema Corte que julgou que Ali não aceitou a convocação por convicções religiosas. Continuou lutando entre 71 e 74 batendo diversos pugilistas como Floyd Patterson e Ken Norton. • Em 1974 venceu Joe Frazier e conquistou o direito de enfrentar o atual campeão dos pesos pesados, George Foreman.
  9. 9. A LUTA DO SÉCULO • A luta foi organizada pelo empresário Don King, que escolheu o Zaire como palco da disputa. O evento foi chamado de “Rumble in the Jungle” e foi realizado em uma arena aberta na cidade de Kinshasa. A luta considerada uma das mais importantes da história do pugilismo foi até o oitavo assalto e terminou com vitória de Ali, que recuperou o cinturão. Ali deixou Foreman bater até cansar. Com o adversário exausto, Ali aplicou, na sequencia, diversos golpes que garantiram a sua vitória.
  10. 10. • No ano seguinte lutou novamente contra Frazier em uma partida de desempate no confronto pessoal entre os dois. Em uma luta disputada, Ali venceu por pontos. No mesmo ano lançou sua autobiografia “The Greatest: My Own Story”
  11. 11. Perdeu novamente o cinturão dos pesos pesados em 1978, quando foi derrotado por Leon Spinks. Sete meses depois, teve a revanche, realizada em Nova Orleans, e recuperou o título. Anunciou o abandono da carreira em 1979, mas voltou atrás em 1980. Com 38 anos e bem mais velho que a maioria dos lutadores competitivos do mundo, perdeu para Larry Holmes por nocaute no 11ª round.
  12. 12. • Sua última luta foi em 1981, quando enfrentou e foi derrotado por Trevor Berbick. Um dia depois anunciou que deixava definitivamente os ringues. Após enfrentar dezenas de adversários, Muhammad Ali encerrou a carreira com 56 vitórias, sendo 37 por nocaute. Defendeu o título mundial por 19 vezes e acabou derrotado em apenas cinco ocasiões. Fora dos ringues foi diagnosticado em 1984 com Mal de Parkinson.
  13. 13. Foi eleito embaixador da ONU em 1998. Dois anos antes carregou e acendeu a pira Olímpica nos jogos de Atlanta. Foi eleito esportista do século pela revista Sports Illustrated. Também foi nomeado também pela BBC a personalidade esportiva do século.
  14. 14. A principal luta: Muhammad Ali vs Racismo

×