A interacção geracional como  estratégia de envelhecimento activo   Zaida Azeredo VI  Congresso Nacional de Gerontologia  ...
Geração <ul><li>Antropologia </li></ul><ul><li>Está relacionada com laços de filiação, familiares, sociais ou simbólicos <...
Envelhecimento activo <ul><li>É o processo que leva a uma  velhice activa  , entendida esta como uma etapa da vida em que ...
Intergerações cuidador  sociedade família idoso
Idoso    Temporalidade <ul><li>Ao chegar à velhice o idoso leva consigo um passado e tem um futuro mais curto, e um prese...
Idoso    Temporalidade Tempo  objectivo Tempo  subjectivo
Idoso    Temporalidade <ul><li>O  tempo subjectivo  está ligado às representações das nossas acções    tempo social  ( v...
Tempo social <ul><li>Baseia-se no conjunto de papeis e estatutos que assume o indivíduo ao longo da sua vida, bem como na ...
Idoso    Temporalidade <ul><li>A temporalidade refere-se ás experiências do presente como práticas desenvolvidas em simul...
<ul><li>A desvalorização das coisas e a rapidez com que as mudanças se dão hoje induz desfasamento no adulto, mesmo antes ...
Intergerações cuidador  sociedade família idoso
Família <ul><li>Mudanças : </li></ul><ul><li>Na sua constituição  </li></ul><ul><li>Na sua evolução </li></ul><ul><li>Na i...
Família <ul><li>A co-acção facilita o desempenho, mas prejudica a aquisição ( hiper protecção ) : </li></ul><ul><li>Efeito...
Intergerações cuidador  sociedade família idoso
Sociedade <ul><li>Em constante mudança , mais e mais urbanizada, multicultural, com relações entre os seus membros  mais i...
Intergerações cuidador  sociedade família idoso
Cuidador <ul><li>Da mesma idade ou doutra geração </li></ul><ul><li>Formação </li></ul><ul><li>Motivação </li></ul><ul><li...
Estratégias <ul><li>Ter em atenção:  </li></ul><ul><li>A temporalidade do idoso e o tempo social </li></ul><ul><li>A veloc...
<ul><li>A polarização de grupos tem por objectivo utilizar diferenças em benefício do grupo e da sociedade em geral. </li>...
Estratégias <ul><li>Evitar : </li></ul><ul><li>Hiper-protecção  </li></ul><ul><li>Ageismo  </li></ul><ul><li>Infantilizaçã...
Estratégias <ul><li>Plasticidade </li></ul><ul><li>O envelhecimento activo implica: </li></ul><ul><li>Gerar estratégias se...
<ul><li>Para Erickson( 1979,1982) a velhice é um período cuja principal tarefa é procurar o equilíbrio entre a integridade...
Conclusão <ul><li>As estratégias para uma Interacção inter-geracional passa por: </li></ul><ul><li>Trabalhar a temporalida...
Conclusão <ul><li>As relações inter-geracionais não se devem limitar à família e aos programas e politicas governamentais,...
Êxito no Envelhecimento depende do êxito na vida <ul><li>Selecção   – centrar energias e esforços em actividades realmente...
Conclusão <ul><li>As pessoas idosas não podem ser apenas guardiães de uma memória colectiva . </li></ul><ul><li>Têm também...
Intergerações cuidador  sociedade família idoso
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A interacção geracional como estratégia de envelhecimento activo1

907 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
907
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A interacção geracional como estratégia de envelhecimento activo1

  1. 1. A interacção geracional como estratégia de envelhecimento activo Zaida Azeredo VI Congresso Nacional de Gerontologia Porto 16/12/2009
  2. 2. Geração <ul><li>Antropologia </li></ul><ul><li>Está relacionada com laços de filiação, familiares, sociais ou simbólicos </li></ul><ul><li>Sociologia </li></ul><ul><li>Designa uma comunidade histórica de indivíduos que partilham memória e experiências sociais semelhantes </li></ul>
  3. 3. Envelhecimento activo <ul><li>É o processo que leva a uma velhice activa , entendida esta como uma etapa da vida em que a pessoa está relativamente apta dispondo de recursos necessários para o desempenho de actividades consistente </li></ul><ul><li>É aquele que combina três elementos básicos : </li></ul><ul><li>Longevidade ( sobrevivência )  ancianidade </li></ul><ul><li>Saúde/ capacidade funcional  qualidade de vida </li></ul><ul><li>Satisfação com a vida ( felicidade )  complacência com a vida </li></ul>
  4. 4. Intergerações cuidador sociedade família idoso
  5. 5. Idoso  Temporalidade <ul><li>Ao chegar à velhice o idoso leva consigo um passado e tem um futuro mais curto, e um presente que é influenciado pelos anteriores </li></ul><ul><li>Assim, o tempo envolve o ser humano como o ar que respira, estando presente em todas as etapas da vida </li></ul><ul><li>A relação do homem com o tempo está dependente da utilização mais ou menos intensiva deste </li></ul>
  6. 6. Idoso  Temporalidade Tempo objectivo Tempo subjectivo
  7. 7. Idoso  Temporalidade <ul><li>O tempo subjectivo está ligado às representações das nossas acções  tempo social ( vivenciado a diferentes ritmos ). Assim: </li></ul><ul><li>É diferente de pessoa para pessoa e de sociedade para sociedade. </li></ul><ul><li>O tempo objectivo é o tempo cósmico medido pelos relógios, calendários )  idade cronológica </li></ul>
  8. 8. Tempo social <ul><li>Baseia-se no conjunto de papeis e estatutos que assume o indivíduo ao longo da sua vida, bem como na série de acontecimentos relevantes que viveu e continua a viver, determinando o seu percurso de vida </li></ul><ul><li>O tempo social assume uma importância crescente para o indivíduo à medida que a idade cronológica aumenta </li></ul>
  9. 9. Idoso  Temporalidade <ul><li>A temporalidade refere-se ás experiências do presente como práticas desenvolvidas em simultâneo, no tempo objectivo e no tempo subjectivo , dentro de um âmbito espacial que permite a comunicação </li></ul><ul><li>Hoje, as situações modificam-se com demasiada rapidez desvalorizando o passado de tal forma que a experiência acumulada neste não regula a acção necessária no presente </li></ul>
  10. 10. <ul><li>A desvalorização das coisas e a rapidez com que as mudanças se dão hoje induz desfasamento no adulto, mesmo antes da velhice </li></ul><ul><li>Isolamento/solidão </li></ul>
  11. 11. Intergerações cuidador sociedade família idoso
  12. 12. Família <ul><li>Mudanças : </li></ul><ul><li>Na sua constituição </li></ul><ul><li>Na sua evolução </li></ul><ul><li>Na interacção entre os diversos </li></ul><ul><li>subsistemas </li></ul><ul><li>Família produtora  família consumidora </li></ul>
  13. 13. Família <ul><li>A co-acção facilita o desempenho, mas prejudica a aquisição ( hiper protecção ) : </li></ul><ul><li>Efeito negativo no início da aprendizagem </li></ul><ul><li>Efeito positivo quando já há domínio nas respostas adequadas </li></ul>
  14. 14. Intergerações cuidador sociedade família idoso
  15. 15. Sociedade <ul><li>Em constante mudança , mais e mais urbanizada, multicultural, com relações entre os seus membros mais instáveis </li></ul><ul><li>A desempenhar papeis outrora atribuídos a grupos sociais restritos ( ex Família ) </li></ul><ul><li>Importância crescente da produtividade </li></ul><ul><li>Crenças e estereótipos que evoluem a velocidade diferente das mudanças sociais  ageismo </li></ul>
  16. 16. Intergerações cuidador sociedade família idoso
  17. 17. Cuidador <ul><li>Da mesma idade ou doutra geração </li></ul><ul><li>Formação </li></ul><ul><li>Motivação </li></ul><ul><li>Gratificação e reciprocidade </li></ul>
  18. 18. Estratégias <ul><li>Ter em atenção: </li></ul><ul><li>A temporalidade do idoso e o tempo social </li></ul><ul><li>A velocidade das mudanças e a necessidade de criação de incentivos à mudança ( ter em atenção o indivíduo e a temporalidade ) </li></ul><ul><li>Polarização de grupo: </li></ul><ul><li>* Conhecimento do outro </li></ul><ul><li>* Importância da influência informativa </li></ul><ul><li>* Endogrupo ( de pertença ) e exogrupo </li></ul><ul><li>* Princípio da gratificação e da reciprocidade </li></ul>
  19. 19. <ul><li>A polarização de grupos tem por objectivo utilizar diferenças em benefício do grupo e da sociedade em geral. </li></ul><ul><li>Não se pretende ensinar mas incorporar novas realidades em que a diferença pode levar à transformação </li></ul>
  20. 20. Estratégias <ul><li>Evitar : </li></ul><ul><li>Hiper-protecção </li></ul><ul><li>Ageismo </li></ul><ul><li>Infantilização </li></ul><ul><li>Motivar : </li></ul><ul><li>Mudanças em crenças e em estereótipos ( importância dos mass-media ) </li></ul>
  21. 21. Estratégias <ul><li>Plasticidade </li></ul><ul><li>O envelhecimento activo implica: </li></ul><ul><li>Gerar estratégias selectivas em relação com os esforços que se vão realizar </li></ul><ul><li>Empregar estratégias e actividades adequadas de forma a compensar perdas resultantes de um processo de envelhecimento </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Para Erickson( 1979,1982) a velhice é um período cuja principal tarefa é procurar o equilíbrio entre a integridade do eu e uma certa falta de esperança. Uma vez encontrado alcança-se a sabedoria , mas para isso é necessário rever sua vida, unir as diferentes etapas e encontrar-lhe um sentido </li></ul>
  23. 23. Conclusão <ul><li>As estratégias para uma Interacção inter-geracional passa por: </li></ul><ul><li>Trabalhar a temporalidade no idoso </li></ul><ul><li>Utilizar os mass media e outros meios de informação , no sentido de alterar crenças e estereótipos acerca do envelhecimento, do idoso, velho e velhice </li></ul><ul><li>Fazer polarização de grupos </li></ul>
  24. 24. Conclusão <ul><li>As relações inter-geracionais não se devem limitar à família e aos programas e politicas governamentais, mas também devem envolver outras instituições na sociedade </li></ul>
  25. 25. Êxito no Envelhecimento depende do êxito na vida <ul><li>Selecção – centrar energias e esforços em actividades realmente importantes para a pessoa </li></ul><ul><li>Optimização – Trabalhar areas fundamentais da vida para desenvolver todo o potencial ( self- empowerment ) </li></ul><ul><li>Compensação – procurar apoio externo para ter uma vida e uma velhice com exito ( Homem  ser social ) </li></ul>
  26. 26. Conclusão <ul><li>As pessoas idosas não podem ser apenas guardiães de uma memória colectiva . </li></ul><ul><li>Têm também que ser actores para uma nova economia, uma nova sociedade e uma nova cultura </li></ul>
  27. 27. Intergerações cuidador sociedade família idoso

×