Sistema EndócrinoHipófise: localiza-se abaixo do cérebro, junto do hipotálamo. Divide-se em adeno-hipófise e aneuro-hipófi...
->A progesterona atua sobre o útero, criando condições favoráveis para a implantação e odesenvolvimento do óvulo se este f...
->O LH, produzido pela hipófise (adeno-hipófise), que irá atuar nas células intersticiais (célulasde Leydig), as quais se ...
->É um hormônio produzido durante a infância e a adolescência, seu nível no sangue caidrasticamente após a puberdade.->OBS...
->A inibição de TSH, levando à inibição de T3 e T4, é causada pelos altos níveis dos mesmos nosangue, já que esses altos n...
->Sua falta causa a hemorragia e a tetania fisiológica: diminuição de cálcio no sangue, o queleva a contrações espasmódica...
-Adipócitos: estimula a quebra de gordura estocada em ácidos graxos e glicerol. Este éliberado para o sangue e será absorv...
-Músculos: estimula a desmontagem das proteínas em aminoácidos os quais passam para osangue. Aqui, ou eles serão captados ...
->A glândula endócrina adrenais (córtex adrenal) produz a mineralocorticoides (entre eles aaldosterona), que atua nos rins...
-A formação da urina:->O sangue chega aos rins através das artérias renais, que são ramificações da artéria aorta,cada uma...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sistema endócrino e excretor

2.094 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.094
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema endócrino e excretor

  1. 1. Sistema EndócrinoHipófise: localiza-se abaixo do cérebro, junto do hipotálamo. Divide-se em adeno-hipófise e aneuro-hipófise.Adeno-hipófise (origem epidérmica): Sintetiza os seguintes hormônios: do crescimento,prolactina, endomorfinas e tirotróficos.Neuro-hipófise (origem no tecido nervoso), atua sobre diversos hormônios como a oxitocina eo antidiurético.Os hormônios e o controle da reprodução (da puberdade à gravidez)Nas mulheres:O ciclo menstrual: (mulher normal)->É o período compreendido entre o início de duas menstruações sucessivas, durando entre,aproximadamente, 28 e 30 dias.->Inicia-se com a menstruação, que é a liberação de resíduos e sangue do endométrio nãoutilizado, por não ter ocorrido gravidez. Um pouco antes da mesma começar, a hipófiseaumenta um pouco a concentração no sangue do FSH (folículo estimulante – gonadotrofina),que, além de estimular a ovulogênese (crescimento e amadurecimento do óvulo, se o FSHpossuir alguma deficiência na ovulogênese, ocorre a esterilidade, já que os ovários deixam defuncionar), incita o folículo ovariano de Graaf (atuando sobre os ovários) a produzirestrógeno.->O estrógeno é lançado na corrente sanguínea e, além de desenvolver as característicassexuais secundárias femininas (deficiência – ausência da CSSF), desenvolve, também, ocrescimento do endométrio ( deficiência- falha no amadurecimento sexual, pois os óvulos irãoparar de secretar estrógeno). A secreção do FSH pela hipófise é estimulada pelo hipotálamo, oqual produz e libera o FLG (Fator Liberador de gonadotrofina), já a mesma é inibida tambémpelo hipotálamo, que bloqueia a liberação de FLG ( e sem o mesmo a hipófise não secreta FSHno sangue e, consequentemente, pára a produção de estrógeno pelos ovários), por causa doalto nível de estrógeno no sangue.->Quando a quantidade de estrógeno atinge uma elevada concentração, por volta do 12º dia, ahipófise é induzida a produzir, intensamente, o hormônio luteinizante (LH), o qual, antes daovulação, estimula a síntese de progesterona, dentro do ovário (estroma ovariano). Juntos, oFSH e o LH irão estimular a ovulação (liberação do óvulo do ovário para as trompas de Falópio),dentro do ovário (células do folículo de Graaf), que ocorre por volta do 14º dia. Asconcentrações de FSH e estrógeno caem após a ovulação, enquanto isso, o LH estimula ofolículo ovariano rompido, chamado corpo lúteo, a produzir progesterona. Portanto se o LHpossuir alguma deficiência, o nível de progesterona no sangue diminui (não irá produzir corpolúteo), já se tiver muita concentração de progesterona, há o bloqueio da liberação do FLG pelohipotálamo (inibição), já que a secreção de LH é estimulada pelo FLG secretado do hipotálamo.
  2. 2. ->A progesterona atua sobre o útero, criando condições favoráveis para a implantação e odesenvolvimento do óvulo se este for fecundado, ou seja, prepara o órgão para receber oembrião (nidação); estimula o crescimento do endométrio, se ocorrer alguma deficiência, há oaborto. A queda brusca da produção de progesterona, por volta do 28º dia, provoca adescamação do endométrio, iniciando uma nova menstruação. A hipófise volta a produzir FSH,reiniciando o ciclo.Fecundação: (gravidez)->Os espermatozoides depositados na vagina nadam ativamente para o interior do útero e,posteriormente, atingem a trompa de Falópio associada ao ovário onde ocorreu a ovulação,ocorrendo, no interior da mesma, a fecundação.->Em três dias, o embrião chega ao útero e, em quatro dias (eficácia da pílula do dia seguinte =até 48 horas), fixa-se ao endométrio para formar a placenta (glândula endócrina), processodenominado nidação. Após sua formação, a placenta estabelece um contato entre mãe e feto,que permite a nutrição, oxigenação e liberação de excretas do embrião, além de produzir umhormônio chamado gonadotrofina coriônica, que atua no ovário, estimulando o corpo lúteo acontinuar a produção de progesterona e estrógeno, impedindo que a parede do ovário sedesmanche, interrompendo a menstruação (deficiência- aborto).->A partir do 3º mês, a placenta passa a produzir a própria progesterona.->Há ainda a presença dos hormônios prolactina e oxitocina:->A prolactina, produzida pela Hipófise (adeno-hipófise), atua nas glândulas mamárias,preparando-as e as mantendo prontas para a produção de leite durante a gravidez e aamamentação. O seu excesso causa a galactorréia (tumor na hipófise), que gera a produção deleite involuntário pelas glândulas mamárias, já a sua deficiência gera a produção precária deleite nas mulheres que estão amamentando. Sua inibição é provocada pelo Fator de inibiçãode Prolactina, produzido pelo hipotálamo.->A oxitocina, produzida pela hipófise (neuro-hipófise, o qual estoca os hormônios produzidospelo hipotálamo), atua nas mamas, estimulando a liberação de leite durante a amamentação,e no útero, estimulando as contrações do útero durante o parto, se ocorrer alguma deficiêncianesse último, haverá problemas durante o parto, e a solução é o método da cesariana. Asecreção de oxitocina é estimulada pela sucção das mamas/pela distensão da parede uterina,os quais são percebidos pelo hipotálamo (através dos neurônios sensoriais viscerais), o mesmopercebe também o cessar de sução das mamas e o cessar da distensão da parede uterina,inibindo a secreção.Nos homens:->A hipófise (adeno-hipófise) produz o hormônio folículo estimulante FSH (gonadotrofina) queatua nos testículos (localizados no saco escrotal), mais precisamente nos túbulos seminíferos(tubos extremamente finos e enrolados em cada testículo). No interior dos mesmos há oestímulo à produção de espermatozoides (a espermatogênese). Se possuir alguma deficiência,os testículos param de funcionar, levando à esterilidade ou aspermia (sem produção deespermatozoides). A secreção de FSH é estimulada pelo LH secretado pelo hipotálamo.
  3. 3. ->O LH, produzido pela hipófise (adeno-hipófise), que irá atuar nas células intersticiais (célulasde Leydig), as quais se localizam nos testículos, estimulando-as a produzir a testosterona. Sehouver alguma deficiência, os testículos deixam de funcionar e há a ausência dascaracterísticas sexuais secundárias masculinas, já que a testosterona atuará na pele(pelos/barbas), na laringe (seu crescimento leva ao engrossamento da voz) e nos músculos(crescimento – hipertrofia dos músculos), sendo que seu excesso leva à agressividade e suadeficiência leva à ausência das CSSM, já citadas, eunucos e castratti.->A secreção de LH pela hipófise é estimulada pelo Fator Liberador de Gonadotrofinasecretado pelo hipotálamo, já sua inibição é causada por um alto nível de testosterona nosangue, ou seja, o hipotálamo para de secretar o fator liberador de gonadotrofina, sem omesmo, a hipófise não secreta LH no sangue, fazendo com que os testículos parem de secretara testosterona, diminuindo sua concentração no sangue.Nos homens e nas mulheres:A glândula endócrina denominada adrenais (córtez adrenal) produz os andrógenos, que emexcesso causa a virilização, masculinização das mulheres, voz mais grave, aumento dos pelosno corpo, arrenoblastoma (provoca alterações das CSSF como acontece com as mulheresbarbadas dos circos) e aumento da musculatura. Já sua deficiência causa a perda de libido nasmulheres.->OBS: O FSH, LH, TSH e ACDH controlam o funcionamento de outras glândulas.Os hormônios e o controle do crescimento (gigantismo x nanismo):->A hipófise (adeno-hipofise), quando estimulada pelo Fator de Liberação de GH, o qual éproduzido e secretado pelo hipotálamo, secreta o hormônio denominado somatotrófico ou GH(hormônio do crescimento), que atuará nas cartilagens (maior formação da mesma), nos ossos(crescimento), músculos (aumentando a assimilação de aminoácidos pelas células musculares,levando ao aumento da síntese de proteínas musculares) e no tecido adiposo( estimulando alipólise, ou seja, a quebra de gordura estocada; essa quebra produz ácidos graxos que sãoliberados para o sangue e serão assimilados pelas células para serem usados como fonte deenergia).->Estimula o crescimento do indivíduo durante a infância e adolescência; a proliferação celular(atividade mitótica) por todas as células do corpo; a síntese de proteínas, aumentando aassimilação dos aminoácidos provenientes da alimentação e ativando os ribossomos. Inibe ouso da glicose como fonte de energia.->Se houver excesso de GH no sangue, a secreção do mesmo pela hipófise é inibida pelo Fatorde Inibição de GH, produzido e secretado pelo hipotálamo.->Em excesso, esse hormônio causa gigantismo (grande produção de GH quando adolescente,levando á elevada estatura) ou acromegalia (produção contínua de GH quando adulto,levando ao crescimento das extremidades ósseas e cartilaginosas). Já em sua falta, causa onanismo (quando adolescente);
  4. 4. ->É um hormônio produzido durante a infância e a adolescência, seu nível no sangue caidrasticamente após a puberdade.->OBS: O GH e a Prolactina não controlam o funcionamento de outras glândulasOs hormônios e o controle do metabolismo basal (hipertireoidismo ehipotireoidismo):->A glândula endócrina hipófise (adeno-hipófise), quando estimulada pelo Fator Liberador deTireotrofina, produzido e secretado pelo hipotálamo, secreta a Tireotrofina (TSH), que atua atireóide, localizada no pescoço, estimulando-a a liberar os hormônios Triiodotironina (T3) e oTetraiodotiroxina (T4), os quais agem nas células do corpo e aumentam o metabolismo basal,ou seja, aumentam a frequência cardíaca, a intensidade dos batimentos, o que leva a umaumento do fluxo de sangue para os tecidos; nos pulmões, aumentam a intensidade dosmovimentos respiratórios, aumentando a oferta de O2 para o corpo e intensifica-se arespiração celular, o que leva a liberação de calor no organismo.->Para a fabricação desses hormônios, a tireóide utiliza o iodo e se este faltar na dietaalimentar leva a tireóide a aumentar consideravelmente seu tamanho, formando o bócioendêmico, pois é uma tentativa de compensação, ou seja, de absorver o máximo possível dopouco iodo obtido na alimentação.->Em excesso, causa o hipertireoidismo:-metabolismo alto;-temperatura corporal elevada (pessoa sente muito calor);-sudorese elevada (muito suor);-emagrecimento (apesar da ingestão dos alimentos);-batimentos cardíacos acelerados;-pressão sanguínea alta;-nervosismo ou irritabilidade;-insônia-agitação;-globo ocular saliente.->Na sua falta, causa o cretinismo na criança (retardamento no crescimento dos ossos,deficiência mental) e, no adulto, o hipotireoidismo, cujos sintomas são:-metabolismo baixo-pouca produção de calor e baixa tolerância ao frio;-ganho de peso sem aumento da ingestão de alimentos;-frequência cardíaca reduzida;-sonolência, cansaço;-inchaço por retenção de líquidos em várias partes do corpo.-raciocínio lento.
  5. 5. ->A inibição de TSH, levando à inibição de T3 e T4, é causada pelos altos níveis dos mesmos nosangue, já que esses altos níveis levam ao bloqueio da secreção do Fator de Liberação deTireotrofina no hipotálamo e sem o mesmo a hipófise não secreta TSH, diminuindo os níveis deT3/T4 no sangue.Os hormônios e o controle da concentração de cálcio no sangue(contração muscular e coagulação sanguínea):->A tireóide também produz, quando estimulada por um nível alto de cálcio no sangue, ohormônio denominado calcitonina, a qual abaixa o nível de cálcio no sangue de volta ao seuvalor normal (09 a 11 mg/ 100ml de sangue, o qual é importante ficar estável pois participados processos de coagulação do sangue e da contração muscular), sendo inibida pelo mesmo.Atuará nos intestinos(diminui a absorção de cálcio exógeno – proveniente dos alimentos- dointestino para o sangue), ossos(estimula o aumento de deposição do cálcio sanguíneo nosmesmos e diminui a atividade dos osteoclastos, os quais degradam os ossos, para renová-los) erins(diminui a reabsorção do cálcio da urina de volta para o sangue, o que leva a mais cálcio naurina.->Seu excesso causa a hemorragia e a tetania fisiológica: diminuição de cálcio no sangue, oque leva a contrações espasmódicas dos músculos esqueléticos (contrações intermitentes),levando a um quadro convulsivo (excitabilidade neuromuscular exagerada).->Sua falta causa a coagulação, sem necessidade, do sangue, podendo levar à trombose(partes do corpo necrosam, ou seja, param de receber O2, H2O e alimentos, fazendo com quesuas células morram). Pode levar, também, à acentuada desmineralização dos ossos,tornando-os porosos e quebradiços (osteoporose, uma diminuição de massa óssea, empessoas idosas e raquitismo, uma espécie de amolecimento dos ossos, em crianças), levando aum aumento de cálcio no sangue e formação de pedras nos rins.->As paratireoides são quatro glândulas endócrinas que ficam aderidas à parte posterior datireóide e produzem, quando estimuladas por um nível baixo de cálcio no sangue, oparatormônio, o qual eleva o nível de cálcio de volta ao seu valor normal, sendo inibido pelomesmo. Trabalham em sintonia com a calcitonina da tireóide.->O paratormônio age nos intestinos (ativa a vitamina D, a qual estimula o aumento daabsorção do cálcio exógeno do intestino para o sangue,, sendo que sua produção pela pele éestimulada pelo sol, já que sem a mesma, o cálcio não é absorvido pelo intestino, saindo pelasfezes), nos ossos (estimula a liberação do cálcio estocado nos ossos para o sangue(desmineralização dos ossos via osteoclastos) e nos rins (aumenta a reabsorção do cálciopresente no filtrado glomerular – no interior dos néfrons- de volta para o sangue)->Seu excesso leva à acentuada desmineralização dos ossos, tornando-os porosos equebradiços (osteoporose, uma diminuição de massa óssea, em pessoas idosas e raquitismo,uma espécie de amolecimento dos ossos, em crianças), levando a um aumento de cálcio nosangue e formação de pedras nos rins.
  6. 6. ->Sua falta causa a hemorragia e a tetania fisiológica: diminuição de cálcio no sangue, o queleva a contrações espasmódicas dos músculos esqueléticos (contrações intermitentes),levando a um quadro convulsivo (excitabilidade neuromuscular exagerada).Os hormônios e o controle da concentração de glicose no sangue(diabetes):->A glândula endócrina, denominada pâncreas, possui células denominadas Ilhotas deLangerhas (divididas em células beta – produção de insulina e células alfa – produção deglucagon).->O pâncreas, quando estimulado por um nível alto de glicose no sangue, produzirá a insulina,que abaixa o nível de glicose no sangue (glicemia) de volta ao seu valor normal (80 a120mg/100ml de sangue em jejum), sendo sua secreção pelo pâncreas inibida por esse valor.->A sacarose (hipercalórica – muita gordura) presente nos alimentos será digerida e setransformará em glicose no intestino delgado, o qual irá absorvê-la e manda-la para o sangue,aumentando a taxa de glicemia no mesmo. O pâncreas percebe esse aumento e libera ainsulina (através das células beta), que atuará no fígado(permite o mesmo a assimilação dasmoléculas de glicose exógena, as quais serão convertidas em glicogênio e armazenadas), nosmúsculos (permite a assimilação da glicose, utilizando-a como fonte de energia) e no tecidoadiposo (permite a assimilação da glicose e a converte em gordura e é estocada). A glicemiaabaixa, voltando ao valor normal, já que essa é a função da insulina, de 80 a 120 mg/100ml desangue, sendo abaixo de 80 hipoglicemia( excesso de insulina, levando a desmaios e coma) eacima de 120 hiperglicemia( deficiência na insulina, levando a Diabetes Mellitus-excesso deglicose no sangue- e glicosúria – presença de glicose na urina), o pâncreas cessa a liberaçãode insulina e, sem a mesma, apenas os neurônios assimilam a glicose.->Quando a glicemia diminuir, o pâncreas liberará o glucagon (através das células alfa), queatua no fígado (estimula a glicogênese, ou seja, a quebra de glicogênio em glicose. O estoquede glicogênio no fígado é suficiente para manter a glicemina no sangue por até 8 horas dejejum. E estimula a gliconeogênese, ou seja, a produção de glicose a partir de compostos quenão são carboidratos, os aminoácidos, provenientes de proteínas musculares) e, assim, aglicemia volta ao valor normal, fazendo o pâncreas a cessar a liberação de glucagon. Seuexcesso leva à hiperglicemia, já sua deficiência leva à hipoglicemia, podendo levar adesmaios e coma.Os hormônios e a adaptação do corpo ao stress agudo (adrenalina):->A glândula endócrina denominada adrenais (medula adrenal), quando estimulada pelohipotálamo em situações de stress agudo, produz a adrenalina (chamada também deepinefrina), que é responsável pelo preparo do corpo para enfrentar um grande perigo,fugindo ou lutando(ativa o sistema nervoso simpático).->A adrenalina atua nos seguintes órgãos:
  7. 7. -Adipócitos: estimula a quebra de gordura estocada em ácidos graxos e glicerol. Este éliberado para o sangue e será absorvido pelo fígado, que converterá o glicerol em glicose e aliberará para o sangue, aumentando a glicemia.-Fígado: estimula a liberação da glicose estocada sob forma de glicogênio para o sangue(glicogenólise), aumentando a glicemia. Estimula, também, a produção de glicose a partir decompostos que não são carboidratos (a gliconeogênese): do glicerol (proveniente da gorduraestocada nos adipócitos). Tal glicose é liberada para o sangue, aumentando a glicemia.-Coração: aumenta os batimentos cardíacos e a força de cada batimento, o que faz o sanguecircular mais rápido pelo corpo e, assim, aumenta a absorção de glicose nos intestinos e de O2nos pulmões.-Brônquios: relaxa os mesmos, permitindo que mais ar chegue até os pulmões, aumentando adisponibilidade de O2 para o corpo.-Músculos e cérebro: passam a receber mais sangue, o queal contém mais glicose e mais O2,permitindo aumentar a taxa de respiração celular e produzir mais energia, aumentando a forçapara enfrentar o perigo.->o excesso desse hormônio provoca a hipertensão, o aumento do metabolismo, ahiperglicemia, glicosúria e nervosismo.Os hormônios e a adaptação do corpo ao stress longo/crônico(cortisona):->A glândula endócrina hipófise (adeno-hipófise) produz, quando estimulada pelo Fator deLiberação de Adrenocorticotrofina, secretado pelo hipotálamo em situações de stressemocional ou stress após esforço físico, a Adrenocorticotrofina (ACTH), a qual age na Adrenal(córtex adrenal), estimulando-a a secretar seus hormônios. Sua inibição pela hipófise écausada pelo excesso de glicocorticoides (hormônio produzido pelo córtex adrenal) no sangue,já que com esse excesso há o bloqueio da secreção do Fator Liberador de Adrenocorticotrofinano hipotálamo, e sem o mesmo, a hipófise não secreta ACTH no sangue. Sua falta faz com queas glândulas adrenais (córtex) deixam de funcionar, fazendo com que seus 3 hormônios nãofuncionem (glicocorticoides, mineralocorticoides e os andrógenos)->A glândula endócrina adrenais (córtex adrenal) produz, quando estimulada pelo Fator deLiberação de Adrenocorticotrofina, secretado pelo hipotálamo em situações de stressemocional ou stress após esforço físico, o qual estimula a hipófise a liberar o ACTH que agediretamente nas adrenais, hormônios chamados glicocorticoides (entre elescortisol/cortisona), os quais atuarão nos seguintes órgãos:-Músculos e demais células do corpo (menos o cérebro): bloqueia a assimiliação de glicose e ouso de glicose como fonte de energia.
  8. 8. -Músculos: estimula a desmontagem das proteínas em aminoácidos os quais passam para osangue. Aqui, ou eles serão captados no fígado para a produção de glicose (gliconeogênese),ou eles serão usados para reparar estruturas celulares.-Adipócitos: acelera a desmontagem da gordura estocada em ácidos graxos e glicerol. Osácidos graxos serão liberados para o sangue para serem usados como fonte de energia,guardando a glicose para o cérebro. O glicerol será assimilado pelo fígado e convertido emglicose (gliconeogênese).-Fígado: glicogenólise: desmontagem do glicogênio em glicoseGliconeogênese: montagem de glicose a partir de aminoácidos (provenientes de proteínasendógenas) e de glicerol (proveniente da lipólise nos adipócitos).Toda essa glicose é liberada para o sangue, elevando a glicemia.->O excesso desse hormônio causa a Síndrome de Cushing: grandes perdas de proteínamuscular – atrofia e enfraquecimento e hiperglicemia resistente->Sua falta causa a Doença de Addison (glândulas adrenais não produzem cortisona ealdosterona), hipoglicemia e hipotensão (pressão baixa).->Sua inibição pela hipófise é causada pelo excesso de glicocorticoides (hormônio produzidopelo córtex adrenal) no sangue, já que com esse excesso há o bloqueio da secreção do FatorLiberador de Adrenocorticotrofina no hipotálamo, e sem o mesmo, a hipófise não secretaACTH no sangue.Os hormônios e o controle do funcionamento dos rins (hormônioantidiurético e desidratação):->A glândula endócrina hipófise (neuro-hipófise, o qual estoca os hormônios produzidos pelohipotálamo) produz, quando estimulada por uma quantidade baixa de água no sangue, a qualé percebida pelo hipotálamo, através de uma pequena ingestão de água ou transpiraçãointensa, o hormônio chamado antidiurético (ADH), o qual atua nos rins (túbulos do néfron),controlando a perda de água do organismo por meio da urina. Sua inibição é causada por umaquantidade alta de água no sangue, também percebida pelo hipotálamo, através de uma altaingestão de água.->O ADH estimula a reabsorção de água do interior dos rins (filtrado glomerular) de volta parao sangue. Com isso, aumenta o volume de sangue (ou seja, do plasma) e, consequentemente,a pressão arterial. Sua falta leva a Diabetes insipidus – urina abundante e diluída (20l/dia,sendo o normal = 15l/dia), isso leva a desidratação e sede intensa, fazendo com que o volumedo plasma diminui.->O álcool destrói o ADH, mesmo que a hipófise continue a produzí-la, provocando mais águana urina, e, consequentemente, a desidratação.Os hormônios e o controle do funcionamento dos rins (aldosterona econtrole da concentração de sódio no sangue):
  9. 9. ->A glândula endócrina adrenais (córtex adrenal) produz a mineralocorticoides (entre eles aaldosterona), que atua nos rins (túbulos do néfron), regulando a concentração de saisminerais (sódio e potássio) no sangue.->A secreção de aldosterona pelas adrenais é estimulada por uma baixa concentração de sódiono sangue, que, por sua vez, estimula os rins a liberarem renina (enzima), a qual ativa ohormônio presente no sangue, o angiotensinogênio (produzido pelo fígado), transformando-oem angiotensina, que estimula as adrenais (córtex adrenal) a secretarem a aldosterona para osangue). A inibição do hormônio é causada pela concentração normal de sódio no sangue.-> Muita aldosterona causa a grande reabsorção de sódio do filtrado glomerular de volta parao sangue, ficando pouco sódio na urina; a água acompanha o sódio e volta para o sangue,causando elevação do volume do plasma sanguíneo. O coração tem que bater mais forte paraimpulsionar o maior volume de sangue e isso eleva a pressão arterial.->Pouca aldosterona gera pequena reabsorção de sódio do filtrado glomerular de volta para osangue e grande quantidade de sódio na urina. A água acompanha o sódio e permanece nofiltrado glomerular, saindo com a urina, causando diminuição do volume do plasma sanguíneo.O coração precisa fazer uma força menor parai mpulsionar um menor volume de sangue e issodiminui a pressão arterial.->O excesso desse hormônio provoca a retenção de sal e consequente retenção de água,levando à hipertensão.->A sua falta causa a doença de Addison: perda de grande quantidade de sal e água na urina,podendo levar à morte em poucos dias.O sistema excretor humano:->Os dois rins estão situados um em cada lado da coluna vertebral da parte dorsal do abdome,logo abaixo do diafragma. Cada um é coberto por uma cápsula fibrosa, fina e resistente, queprotege o córtex, região mais externa, e a medula, região mais interna. No córtex estãolocalizados os néfrons, estruturas microscópicas que realizam a filtragem do sangue,removendo as excreções. Cada rim possui 1 milhão de néfrons.-> A partir de cada rim, um canal chamado ureter, transporta a urina desde o rim até a bexigaurinária, que é um órgão oco, muscular e elástico, a qual armazena a urina. A uretra conduz aurina da bexiga para o meio exterior.-A estrutura do néfron->Apresenta, em uma das extremidades, uma expansão denominada cápsula renal. A ela,segue-se uma região cheia de curvas, denominada túbulo contorcido proximal, que prosseguepara uma região alongada denominada alça de Henle (onde ocorre a absorção da água, porémpode ocorrer a mesma também dentro do néfron), até chegar ao túbulo contorcido distal.
  10. 10. -A formação da urina:->O sangue chega aos rins através das artérias renais, que são ramificações da artéria aorta,cada uma das mesmas ramifica-se no interior de um rim, originando milhares de arteríolasaferentes, as quais se unem no interior de uma cápsula renal, formando um emaranhado decapilares denominado glomérulo renal. Os capilares se juntam novamente, formando umaarteríola aferente, que se ramifica, dando origem a uma rede de capilares que envolvem onéfron e levam o sangue para a veia renal. Para o sangue sair do rim, cada veia renaldesemboca na veia cava.->Os capilares do glomérulo de Malpighi, submetidos à pressão arterial, permitem apassagem, através de suas paredes permeáveis, de diversas substâncias de pequeno pesomolecular, presentes no plasma sanguíneo, tais como água, sais minerais, aminoácidos, glicosee uréia, entre outros. Essas substâncias atravessam, também, a parede da cápsula renal, que éfina e permeável, formando-se assim, no interior da cápsula, um líquido: o filtrado glomerular,que percorre sequencialmente o túbulo contorcido proximal, a alça de Henle e o túbulocontorcido distal. Durante esse percurso, a parede do néfron reabsorve moléculas de glicose,aminoácidos, vitaminas, sais minerais e água, que passam para o sangue dos capilaressanguíneos, que envolvem o néfron, voltando então para o sangue e para a circulação, atravésdas veias cavas.-> A uréia, que não é reabsorvida, é conduzida para os tubos coletores, dissolvida em água,passando para os tubos coletores, dissolvida em água, passando a ser o principal componenteda urina. A reabsorção de substâncias realizadas no néfron ocorre por transporte ativo, e areabsorção de água ocorre por osmose. Isso acontece porque o sangue circula ao redor donéfron é mais concentrado do que o filtrado glomerular.Portanto, para a produção de urina:1º- filtração do sangue;2º- reabsorção de substâncias (do néfron de volta para o sangue);3º- secreção tubular.

×